Grafologia & Numerologia terça-feira, nov 1 2011 


A Grafologia e a psicologia

 
Muitas pessoas, quando ouvem falar da grafologia que estuda a personalidade,
tendem a pensar: de um ano para outro, mesmo de um dia para outro, a minha letra muda.
Meu modo de escrever é variado. Cada vez escrevo de uma maneira diferente. Como pode
a grafologia estudar a minha personalidade?
É um fato que o aspecto do grafismo individual é conseqüência do estado atual do
ânimo. Das variadas reações inconscientes surgem as mudanças no modo de desenhar as
letras e percorrer a trajetória da linha que forma as letras.
É aí que está a beleza do estudo: acompanhar as variações e a evolução da
personalidade, para identificá-la completamente! Da forma como ocorrem as oscilações e as
mudanças, muito se conclui a respeito da energia, da constância, dos estados de ânimo e
das convecções mais íntimas.
As variações na letra são dependentes fidedignos do que ocorre em função de
temperamentos, educação e estado de cultura. A pesquisa confirma todas as conclusões a
que pode chegar um grafólogo para auxiliar o trabalho dos psicólogos no conhecimento da
personalidade de quem escreve.
O curso de grafologia percorre todas as etapas que levam a esse conhecimento pela
escrita.
O que se pretende, neste livro, é apresentar as teorias que foram elaboradas pelos
que observaram e estudaram os argumentos que formam a base sólida em que se apóia o
estudo da grafologia.
A grafologia é um dos instrumentos precisos da investigação psicológica. Assim, é
necessária a presença da psicologia e de seus conceitos nas conclusões que a grafologia
procura alcançar.
Para satisfazer esta necessidade, os primeiros capítulos são apresentados extratos
das teorias da psicologia da forma, da estrutura psíquica e da base psicanalítica formuladas
por Freud, Jung, Perls e Klages, e Eric Berne.
Sobre a grafologia, após longa pesquisa que comprovou sua natureza estritamente
científica, Alfred Binet, declarou: “é o instrumento mais belo e precioso com que um
psicólogo pode dispor” .
1

Grafologia
Considerações sobre a forma das manifestações e seus conteúdos
Desde o seu surgimento, a grafologia contém a idéia de sistema: Michon, seu
fundador, escreveu o título de seu primeiro livro (1871): Sistema de Grafologia.
Ocorre que a idéia de sistema – dos tempos de Michon – foi ampliada e melhor
caracterizada pela teoria de Bertalanffy, aperfeiçoando-a para significar que Sistema é,
hoje, o conjunto de elementos independentes com influências mútuas: a alteração de um, ou
a introdução de novo elemento no conjunto altera todos os demais, já presentes. A alteração
de seus elementos ocorre pelas presenças de outros, de modo amplo e em quantidade
indefinida.
Ao escrever uma letra, nós a desenhamos para representar o símbolo que a
caracteriza. Por exemplo: uma letra “g”: maiúscula ou minúscula, é, apenas, um “objeto”,
sem significado definido. É necessário que esteja dentro de um contexto para uma
caracterização plena. Como parte de uma palavra, será influenciada tanto pela emoção
decorrente do significado desta palavra, para quem escreve, como pela influência da letra
que virá após o seu traçado, assim:
“g” solto, independente, é diferente, nos seus micro aspectos do “g”em “gr”, ou em
“gra” e sucessivamente! Faça a experiência, com caneta ou lápis, e examine os traços com
uma lupa.
As letras se unem em sílabas e as sílabas em palavras: a letra será um “objeto”, as
palavras serão “imagens” talvez ainda incompletas. “grafologia” é uma imagem que, muitas
vezes, carece de qualificação, de complementos de definição, mas é uma seqüência de
objetos. A seqüência de “imagens” formará uma “idéia”. Cada uma das partes desta cadeia
provoca ou contém emoções diferentes, em intensidade e configuração: a grafologia é uma
ciência. Como em um sistema lógico, a introdução de novo elemento altera o
“comportamento” do conjunto.
Na página 01 do livro “ABC da grafologia” de Crèpieux-Jamin
2
, o mais importante
teórico da grafologia francesa, há uma afirmação segundo a qual, de que um simples traço
combinado, com qualquer outro entre os vinte e três que compõem o abecedário latino,
produzirá uma quantidade de “oito bilhões, quinhentos e quarenta e nove milhões de
variedades”. A consideração desta verdade confirma a escrita como a representação
sistêmica de um organismo que se auto-regula.

Dentro do organismo estão representadas as relações de troca da pessoa que
escreve com o seu ambiente: amizade, amor, recusa, raiva, etc., resultado das mensagens
que cada uma de suas partes transmite a todas as outras.
Mesmo em movimentos tão pequenos, e talvez tão precisos e tão limitados no
espaço – um organismo – corpo e mente – apresenta soluções que se referem ao todo. É
necessário ter a atenção em duas verdades:
“1 – um organismo não é independente do ambiente, e portanto carece de contato
eficiente para permanecer vivo, e
2- O organismo sempre trabalha como um todo”
·
A manifestação visível no ambiente contém idéias e emoções – as idéias são frases:
- englobam e são englobadas pelas emoções que vão estar presentes na forma dos objetos
– as letras – que fazem variar as representações agrupadas nas palavras, que são as
“imagens” por sua vez, provocadoras de emoções diferenciadas.
Klages, criador do “Nível de Forma”, estabeleceu que situar a grafologia, neste
contexto, significa admitir que “a escrita é produzida por um encadeamento de movimentos
de dedos, pulso, braço e antebraço a que podemos chamar de “movimento escritural”,
sendo evidente que este movimento gráfico deve participar, também, das características
“personais” da escrita. A conseqüência é o estabelecimento do princípio: “a escrita é o
resultado concreto e permanente do movimento gráfico personal” (KLAGES)
3
.
Ou seja, tudo o que ocorre no ato de escrever é função do estado geral do
organismo – corpo, mente e emoção -. Por isto é necessário e indispensável admitir a
verdade total presente no ato de escrever, para que se possa atingir um método
cuidadosamente elaborado que permita distinguir os traços característicos de cada escrita e
identificá-los o mais exatamente possível. Este método por sua vez, requer a descrição da
escrita geral
4
.
Ocorre uma permanente troca de estímulos e reações que pode ajudar a explicar
como, por exemplo a noção de orientação espacial e sua direcionalidade são manifestadas
nos micro movimentos que compõem a escrita.
A conclusão a que se pode chegar é que a escrita é uma revelação global e
integrada do que ocorre na mente e no físico de quem escreve. O movimento expressivo
visível na escrita decorre do conjunto das experiências vivenciadas por quem escreve e se
identifica em uma interação entre impulso e resistência interna, que são de ordem
evidentemente psíquica, – de conteúdo anímico.

Perls ensina que o desejo de mudança tem base e justificativa no fenômeno da
insatisfação
5
. No meu entender, esta afirmação admite pensar na extensão dos micro
movimentos executados na escrita..É lógico concluir, parece-me, que ao longo de um
movimento o equilíbrio emocional de quem escreve vai substituindo gradativamente a
insatisfação que leva o escritor a preencher uma extensão qualquer no traço de uma letra.
Ao alcançar o ponto de satisfação, a ponta impressora inicia outro desafio motivado pela
necessidade (não satisfeita) de continuar o trabalho de traçar os símbolos das letras.
Quem escreve tem toda a extensão disponível na sua folha de papel para ocupar,
mas interrompe as subidas, as descidas, os movimentos em adução ou abdução: porque?
Penso que, ao alcançar a extensão que representa o desejo (insatisfeito), a pessoa
procura outra ação que o leve ao equilíbrio.
Um equilíbrio interrompe o movimento e sinaliza o fim de um estímulo ou interpõe
uma censura: dali para frente cria-se outro movimento, gerado na insatisfação ou desejo de
continuar, dirige-se para outro ponto de equilíbrio (ou censura) e assim por diante.
O desenvolvimento desta linha de pensamento leva a deduzir que os movimentos
devem apresentar uma regularidade e uma proporção compatíveis com a estrutura mental e
anímica de quem escreve, equilibrando as reações com seus estímulos. Klages estabeleceu
como princípio que “a escrita é o resultado concreto e permanente do movimento gráfico
personal”.
Regularidade e Proporção
Klages baseou-se na consideração do modelo da escrita latina. Neste modelo a letra
é dividida em três partes, segundo o qual se distinguem: as letras curtas (o “ï”), as letras
médias (o “l”) e as letras longas (o “f”).
Se considerarmos a altura da letra curta – minúscula – como modelo de medida,
teremos as letras “longas” com a extensão total de entre 5 a 7 vezes e as letras “médias”
terão uma dimensão de 3 a 4 vezes.
Observo que, na divisão das letras, a altura da letra modelo adotada por Klages,
corresponde à altura do que identificamos como “corpo da letra”, ou oval, na zona média,
situada entre a parte alta e a parte baixa.
Se considerarmos que as letras ocupam espaço acima e abaixo da linha base, a letra
média “d” tem uma medida superior e a letra “g” tem uma medida inferior.
É preciso não confundir letras “curtas” com “minúsculas” e nem letras “grandes” com
“maiúsculas”.

Klages observou igualmente que os elementos dirigidos para baixo, no movimento de
flexão, a que chamamos “plenos”, sejam os elementos fundamentais ou partes principais da
escrita e os traços feitos para cima a que chamamos de “perfis” são os elementos
secundários.
Um fenômeno que testemunha esta afirmação é a falta freqüente do traço “para
cima” que ocorre com menor freqüência ou raramente com o traço “para baixo”.
Pode ser feita a experiência de escrever uma palavra usando somente os traços
“plenos” Ela continuará a ser legível. Se o fizer somente com os traços para cima “perfis” a
palavra se mostra quase ilegível.
A ligação dos elementos verticais, por cima, é feita ou por um arco superior, ou com
guirlandas na ligação inferior. Além disso, os traços podem estar traçados na vertical ou
serem inclinados.
No sentido da largura da letra, a parte inicial tem uma extensão equivalente à metade
da medida vertical da letra curta, ocorrendo uma extensão após a letra, que é sua zona final.

A escrita é um ato que representa o equilíbrio de quem escreve.
Para que ocorra o equilíbrio aos movimentos para cima deverão corresponder os
movimentos para baixo e, de igual forma para a direita e para a esquerda.
Assim a escrita é completa e representa um indivíduo completo.
Quando ocorre um movimento menor que o necessário para o equilíbrio, em
qualquer direção, a escrita sinaliza um aumento de apelo ou estímulo em direção antagônica
ou oposta.
Segundo Klages, no sentido da largura, considerados o traço inicial da letra e o seu
traço final, a medida deve ser igual à extensão dos traços plenos, ou seja, comparável a
duas vezes a altura de sua letra pequena.
- Caso a medida horizontal seja maior que duas vezes a altura da mesma letra,
considerá-la escrita “larga”, e, se for ainda menor, escrita “estreita”.
Estas poucas noções fundamentais são suficientes para descrever características
grafológicas quanto à altura:
altura normal (média); alta, baixa

largura normal (média); larga, apertada.
6
São suficientes, ainda, para identificar se são inclinadas, reversas ou
verticais.
Klages lembra que “nenhum traço isolado de uma escrita se repete com exatidão
matemática”.
- A característica de todo fenômeno vital é opor-se à regra.
A variação das medidas e da inclinação deve ser considerada natural e decorrente
dos estados de excitação e repouso, cansaço físico ou plenitude vital, etc.
Segundo Klages “toda atenção dirigida para a escrita diminui a naturalidade e
bloqueia a ação dos impulsos e pulsões espontâneos, somente nos quais a individualidade
do escrito se expressa em toda sua originalidade”.
7
Qualquer que seja uma atividade é sempre necessário um esforço de vontade mais
intenso do que o esforço requerido para manter o seu curso de ação, durante o qual as
variações ocorrem na medida em que a atenção de quem escreve se transfere do ato de
escrever para o conteúdo da sua idéia. Construir e desenvolver a idéia absorve, aos poucos,
mais atenção que o controle do gesto de escrever: “a facilidade da transformação das idéias
em movimentos gráficos”, cresce mais ou menos em proporção com a extensão da escrita.
Este pensamento explica o que ocorre quando se deseja produzir uma letra
particularmente vistosa, firme e cuidada o exercício da vontade bloqueia os impulsos
naturais e, nisto, retira da escrita o que lhe é natural e espontâneo. Depois de alguma linhas
podem aparecer pequenas deformações que são resultado do consumo de energia: perda
da linha base horizontal, falta de letras ou de traços finais, desligamento e decréscimo da
pressão nos perfis ( traços para cima) e outros menos evidentes.
Quando a escrita é natural, não há esforço para manter a qualidade e a potência que
o autor exige de si em sua escrita, os sinais de perda tendem a não ocorrer, pois é menor o
esforço para manter a regularidade do grafismo. Aqui é importante lembrar o conceito de
regularidade: ela será tanto maior quanto menor for o jogo de deformações e variações.
Para qualificar uma escrita de regular devemos observar que as variações e
oscilações das medidas identificadas devem ser menores: extensão das letras, altura das
letras, regularidade na linha base, colocação de pontos e sinais gráficos, etc. A inclinação
dos perfis e traços fundamentais é um sinal importante.
É verdade evidente que, no grau da regularidade involuntária se representa o
correspondente domínio da vontade: maior regularidade, maior força de vontade. Há três
fatores distintos: a energia, o talento volitivo e o predomínio da vontade.
- A energia é o componente físico-fisiológico ativo;

- O talento volitivo é o regulador da qualidade na ação.
O predomínio da vontade é o fator necessário para a realização completa da ação,
com a mobilização da energia disponível compatível com a qualidade desejada pelo talento.
O termo sentimento, no uso mais corrente, contém tanto as emoções mais fracas
como as mais fortes, prescindindo da sua vivência e acentua o seu tom passivo.
A respeito diz Klages
8
- “De tal modo sentir e querer se opõem, e a vontade se
realiza na medida em que domina os sentimentos. É nestes que se manifesta a “natureza”,
na vontade se revela o ESPÍRITO que, sem dúvida revela, no homem, sua “segunda
natureza” (…) “
“A linguagem corrente possui numerosas palavras para designar as diversas classes,
como também, os diversos graus da debilidade volitiva, por exemplo: – falta de método, falta
de finalidade, desorientação, influenciabilidade, versatilidade, inconseqüência, irresolução,
vacilação, falta de energia, inconstância, veleidade, inconsistência. Cada uma destas
qualidades pode ser expressa, entre outros traços, por uma grande irregularidade da
escrita”.
Onde predomina o sentimento por debilidade da vontade, entretanto, pode, também,
predominar pela força dos impulsos primitivos. Neste caso, expressam-se qualidades como:
paixão, impulsividade, violência dos sentimentos, paixão doentia, arrebatação não raras
vezes unidas pela fantasia e pela força da imaginação
Ocorre, também, a variação do domínio e do controle que a vontade exerce sobre as
manifestações do sentimento, que são as “emoções”.
A expressão da vontade está na intensidade da energia disponível e utilizada por
uma pessoa para impedir a manifestação livre e natural das emoções. Klages compara a
energia da vontade com a intensidade da emoção.
Regular, por exemplo, é a escrita de um autor de mentalidade pequena e
insípida que, sem estar perturbado por seus desejos não vai além do mero cumprir
maquinalmente a sua tarefa cotidiana; e, por outro lado, um autor enérgico e de espírito forte
que refreia e domina seus sentimentos intensos e profundos com vontade mais poderosa. A
escrita irregular pode ser a de um aventureiro instável carente de firmeza de caráter ou, por
outro lado, ser apresentada por um espírito vivo, brilhante e apaixonado cujos sentimentos
impetuosos dominam uma vontade também grande.
Considerar uma escrita somente quanto ao grau de regularidade, é absolutamente
impossível saber a qual dos dois grupos ela pertence.

Klages indica como exageros a monotonia da forma aliada `a fraqueza identificável
na falta e cor, de pressão, na inclinação sempre igual, nas ligações invariáveis da letra lenta,
pouco vibrante, como expressão da frieza dos sentimentos.
No predomínio da força, da cor, da profundidade do traço, encontramos o
predomínio da vontade que impede a vibração dos sentimentos.
O excesso de movimentos com muitos sinais de irregularidade mostra o predomínio
dos sentimentos sobre a força de vontade.
O predomínio da vontade mostra a regularidade, mas não impede a presença do
sentimento sempre presente nas escritas com pressão, cor, profundidade, inclinação e
rapidez do traçado. Há sempre a presença de algum indício de movimento, mesmo na
regularidade observada nas dimensões constantes, de aspecto controlado pelo autor.

Para distinguir um grupo do outro, damos a estes dois grupos o sentido positivo (+) e
o sentido negativo (-).
O que se pesquisa como orientação é a prevalência de um dos elementos
identificados, que rompe a harmonia do conjunto ou denuncia a falta (escrita monótona, em
movimento, etc.).
Quadro I
Regularidade Irregularidade

Predomínio da vontade Predomínio do sentimento
+ – + -
Força da Frieza do Força do Debilidade da
vontade sentimento sentimento vontade

Para distinguir os significados opostos, devemos considerar outro sinal da escrita.
I – 3 Proporção e significado

A regularidade pode ser definida exatamente – como uma grandeza da amplitude
das variações; a grande proporção, entretanto deve ser “sentida”.
Uma proporção elevada supõe duas qualidades: – uma distribuição rítmica das
pulsões motrizes da escrita e o equilíbrio das formas produzidas; um baixo grau de
proporção supõe um ritmo de distribuição defeituoso e desequilíbrio das formas.
Proporção elevada Baixa proporção
* distribuição rítmica * distribuição rítmica defeituosa
* equilíbrio das formas * desequilíbrio das formas

Nem sempre é possível distinguir os dois fatores, mas com freqüência um dos dois é mais
evidente que o outro. Damos o valor principal nos graus de perturbabilidade da proporção,
ou seja, colocamos em oposição:
* Escrita de proporção muito pouco perturbada
* Escrita de proporção muito perturbada.
O sentimento e a vontade se opõem: por isto pode ocorrer uma opinião errônea de
que o sentimento seja algo puramente “subjetivo”, e, em conseqüência, (relativamente
impreciso ou anódino, ou seja, insignificante e sem importância). Esta idéia pode ser
refutada ao considerar os sentimentos que se inflamam ante o conteúdo intuitivo de
impressões exteriores.
Os sentimentos são: o desejo, a esperança, a tensão, a tristeza, o temor; mas,
também, há sentimentos que nos permitem falar da beleza de uma estátua de feiúra da
deformação física, da sublimidade de um pôr do sol (poente). Se não temos nenhum
sentimento em presença da estátua, da deformidade, da sublimidade do poente, não
estamos em condição de nos referirmos ao caráter da beleza, da feiúra ou da sublimidade.
Assim, só trataremos destes sentimentos que chamamos de “sentimentos objetivos”.
É certo que ante a beleza experimentamos um “estado anímico” diferente daquele
que sentimos ao apreciar a sublimidade e também a feiúra. E este estado anímico está sob
a influência da apreciação ou consideração dos sentimentos internos do momento: o
desânimo, por exemplo, poderá motivar menor capacidade para apreciar a beleza, etc. Em
conseqüência, existem tantos juízos de valor “objetivos” como juízos de fato “objetivos”.
De Klages, temos a seguinte orientação:
9

Se, para avaliar a regularidade recorremos à amplitude das variações dos elementos
gráficos e, em particular, do ângulo de inclinação, para apreciar a proporção contamos, em
primeiro lugar, com a distribuição das massas gráficas que, por si mesmo, já é uma
indicação para a decisão.
Este conceito de distribuição da escrita poderá ser convenientemente empregado
quando esclarecemos o que se segue: – A escrita consiste em um conjunto de traços que se
quebram, às vezes formando ângulos ou se ligam com curvas, ou ainda, formam laços. A
curva da letra “c” minúscula dá a impressão imediata de que está em relação mais íntima
com a superfície ao redor, que os três traços da iniciais da letra “i” minúscula com as
porções de superfície que se encontram entre eles; os laços completamente fechados de
um “g” ou um “h” estão em relação mais íntima, entretanto, com sua superfície interior que
uma curva aberta de um “g” com sua respectiva superfície. Veremos que certas diferenças

na execução das curvas e laços constituem a base da diferenciação entre os tipos de
escrita linear ou pobre e a estendida na superfície ou rica.
Por enquanto, esta indicação nos mostra que as letras isoladas, ainda que sejam
compostas somente com linhas, representam superfícies mais ou menos fechadas e que
seu aspecto ótico não ocupa espaço somente por meio de sua extensão e da direção de
suas diversas partes, mas também pela superfície envolvida. Além disso, enquanto cada
palavra isolada fica separada entre as que estão ao seu lado, acima ou abaixo, mais que as
letras no interior das palavras, a unidade da palavra aparece como uma superfície fechada
sobre os espaços claros que a rodeiam; segue-se que a superfície gráfica oferece uma
certa proporção entre o corpo das palavras e o espaço que recortam como fundo, dando a
impressão ótica de equilíbrio ou de conflito. O primeiro se refere, entre outras coisas, à
proporção (inconsciente) e, com ela, também ao ritmo de distribuição (inconsciente), o
segundo alude a uma falta de proporção (inconsciente) do movimento produzido.
Considerando estes espaços claros, chega-se mais rapidamente a perceber a distribuição
das massas escritas.”
A identificação destas características, em uma escrita, é facilitada quando 
examinamos a página colocada em posição transversal e depois na posição de cabeça para
baixo, sucessivamente, procurando os espaços deixados em branco e os comparando em
cada linha.
Um dos elementos mais rapidamente identificáveis é o alinhamento: observar os
intervalos entre as linhas e o seu formato.
Ao fazer isto, identificamos o segundo elemento de importância na avaliação: a
completa falta de equilíbrio das formas. As interferências são observáveis nos
prolongamentos e inflamentos anormais das pernas ou na extensão das hastes. Uma
simples reflexão nos permitirá compreender como uma perturbação como esta pode afetar a
proporção.
Será um bom exercício imaginar se um prolongamento das linhas além das margens
resultaria em entrecruzamento.
É fácil imaginar que quando as letras têm elevações crescentes e variadas, a
dificuldade para manter a distribuição rítmica aumenta – podemos, então, deduzir como
princípio, que “quando as características secundárias (alturas e extensões) são
semelhantes, o ritmo de distribuição da escrita diminui na proporção do acréscimo da
diferença nos comprimentos”.
Para reconhecer o ritmo de distribuição da escrita, em geral, é suficiente investigar
se a irregularidade própria da distribuição rítmica é, por si mesma, indicativa do ritmo ou se
este está faltando.

Para efeito de nomenclatura, usa-se a expressão “variação periódica” para indicar a
irregularidade rítmica, e a expressão “variação não periódica” para a irregularidade sem o
ritmo.
A observação é feita comparando as alturas dos traços plenos, nas mesmas
palavras, na zona média, dentro das letras: verifique se são constantemente iguais, ou se
sugerem uma “regra” de alteração constante (periódica) ou não constante (não periódica)
Com exercícios de percepção intuitiva, podemos admitir que a natureza é
essencialmente rítmica e que os movimentos humanos devem, também, ser tanto mais
ritmados quanto mais evidente for o seu estado natural. A lembrança de todos os hábitos,
desde o mais primitivo – nas danças tribais, por exemplo, e na movimentação individual ou
coletiva, a falta de ritmo traz consigo a identificação da desordem. A excitação provoca
alterações e estas identificam o seu estado e sua intensidade.
Podemos ter como base os pontos de referência:
* a proporção na escrita corresponde ao grau de redução da emotividade;
* a falta de proporção corresponde ao grau de emotividade individual.
Podemos reconhecer, agora, mais claramente a razão de ser da diferença relativa das
intensidades dos sentimentos, de um lado e a excitabilidade por outro,
A noção de intensidade do sentimento está em comparação com a ação do
sentimento em contraposição com a ação da vontade e, em troca, a noção de excitabilidade
surge da comparação do sentimento com seu estímulo
10
.
Há relações mútuas entre sentir e querer, assim como as há entre o sentimento e
seu estímulo – espera-se que haja, para um certo sentimento, um grau de vivacidade na
resposta, para que o sentimento seja reconhecido quando o seu estímulo não o seja. Se o
predomínio de sentimento repousa ora sobre a intensidade do impulso, ora sobre a
debilidade da vontade, a grande excitabilidade dos sentimentos, ao contrário, às vezes
surge da capacidade de se perturbar ou, às vezes da receptividade; se o predomínio da
vontade nasce, ora da força da vontade ora da debilidade dos impulsos, a excitabilidade dos
sentimentos deriva, em troca, ora da equanimidade, ora da apatia. Perturbabilidade e
receptividade são, evidentemente aptas para levantar o estado de alerta do Espírito, que é a
condição prévia da alteração do humor em geral; equanimidade e apatia, pelo contrário, são
favoráveis à “falta de vivacidade”
Enfim, a fácil excitabilidade dos sentimentos para abafar o predomínio da vontade, a
lentidão da excitação o favorece. Temos, pois, deste fato, que a escrita desproporcionada
é, com freqüência, irregular e que a escrita proporcionada é, ao mesmo tempo, regular.

A proporção e a regularidade têm valores interpretativos diferentes, embora possam
coincidir; assim, também a diferença entre a excitabilidade do sentimento e sua intensidade
em relação à vontade.
Da mesma forma, que para a proporção, é válido que a aparente unidade de
significado resulte, realmente, em dualidade. Um desenvolvimento do movimento gráfico
sem perturbações, é, tanto um sinal de calma como pode o ser de emotividade reduzida ou
ausente, e uma escrita perturbada poderá significar tanto sentimentos apurados – finos –
como perturbabilidade psíquica.
Quadro II
Proporção Falta de
proporção
Pouca emotividade Mu i t a e m o t iv i d a d e
+ – +
-
Equanimidade Obtusidade
Abertura de ânimo Perturbabilidade

Até este ponto, vimos que Klages nos ensina:
* a vontade e o sentimento se contrapõem, e como identificar cada uma destes fatores;
* a vontade exerce seu poder de domínio mantendo estável a escrita, e diminuindo a
variação das formas na ocupação de espaços escritos;
* o sentimento se manifesta fazendo surgir as irregularidades e o movimento livre na
escrita.
Entretanto, a consideração dos estados anímicos e as atitudes resultantes nos
orienta para a necessidade de conhecer as forças psíquicas e respectivas características.
A inovação de Klages possibilita a interpretação múltipla das características
psicológicas a que Vels denomina “Paralelismos Psicológicos” da identificação dos sinais
levantados pela grafologia.
Esta abertura, sob um novo horizonte para a consideração dos resultados,
possibilitou reconhecer a intensidade e as identificar variações individuais em níveis
primários, em que a vontade e o desejo não atuam.
Antes, a base do sistema estabelecido por Michon foi a relação biunívoca : a cada 
característica corresponderia um sinal. Esta relação foi afetada pelos estudos de Klages e de
Crépieux Jamin, em suas “Resultantes”.

Klages considerou a combinação variada de conteúdos de energia psíquica gerados
pelo confronto da vontade com os sentimentos. Crépieux considerou a combinação de sinais
em âmbitos diversos.

 

Referências:

2
CRÉPIEUX JAMIN, J. ABC de la graphologie, Paris,Presses Univeritaires,1950, 2
ième
ed

3
KLAGES L. “Escritura Y Carater”- Manual de técnica Grafológica. Tradução. Blas A.Sosa, Buenos Aires,
Paidós, 23ª Ed. Cap. I – Pag.13
3
PERLS, Frederick S. Gestalt-terapia aplicada Trad. Schlesinger, G. SP: Summus editorial, 1976
4
KLAGES L. ” Escritura Y Carater”- Manual de técnica Grafológica. Trad. Blas A.Sosa, Buenos Aires, Paidós,
23ª Ed. Cap. I – Pag.14

5
PERLS, Frederick S. Gestalt-terapia aplicada Trad. Schlesinger, G. SP: Summus editorial, 1976

6
Klages, L. “Escritura y Carater” pág. 22
7
idem, pagina 21

10
Klages, op cit. pagina 41

 

 

Numerologia

CONSULTE SEU MAPA NUMEROLÓGICO E SIGNIFICADO DOS NÚMEROS NO FINAL DA PÁGINA

 

Os números, tão usados pelos céticos racionalistas adeptos das ciências exatas, para quem 1+1 é sempre igual a 2, também possuem um lado subjetivo e um significado simbólico que os transformam em ferramentas para o autoconhecimento. A ciência que estuda esse aspecto dos números é denominada numerologia. A numerologia esotérica é a arte e a ciência de compreender o significado espiritual e a progressão ordenada de toda manifestação. Cada palavra ou nome vibra conforme um número, e cada número tem seu significado interno. Quando compreendemos e aplicamos corretamente o código das letras e dos números, nos introduzimos numa relação direta e estreita com a inteligência subjacente do universo.

No mundo ocidental, a numerologia mais praticada é a que se baseia nos ensinamentos de Pitágoras (600 AC). Segundo os historiadores a Numerologia Pitagórica no decorrer desses 2600 anos sofreu 3 releituras: A da Maçonaria; A da Cabala; A da Rosa Cruz. Essas ordens filosóficas/religiosas incorporaram os conceitos desenvolvidos por Pitágoras e adaptaram-no a suas realidades e necessidades. Nós aqui adotamos a Numerologia Pitagórica.

Numerologia Pitagórica: reconhece somente os números de 1 a 9 , 11 e o 22.
Releitura Maçônica: reconhece os números de 1 a 9 , 11 , 22 e o 33.
Releitura Cabalística: reconhece os números de 1 a 9 ,13 ,16 e o 19.
Releitura da Rosa Cruz: reconhece os números de 1 a 9, 11, 22 , 33, 44, 55, 66, 77, 88, 99.

- O Mapa Numerológico Natal representa um acordo evolutivo fechado com a Divindade, respeitando-se incondicionalmente o livre arbítrio.

- Ao conhecer e utilizar em sua vida as influências dos números o ser humano adquire equilíbrio, conquistas e evolução.

- Os acontecimentos na vida humana estão ligados ao Mapa Numerológico Natal da pessoa.

- Não existe coincidência. Os fatos da vida acontecem pelas ondas vibracionais numéricas programadas, com objetivos precisos. Suas teorias posteriormente inspiraram Platão (a quem devemos a maioria dos dados sobre os ensinamentos pitagóricos, já que o mestre nada deixou por escrito), São Tomás de Aquino, Santo Agostinho, Aristóteles e Francis Bacon. Pitágoras buscava a elevação do homem a partir do 1 (que representava o egocentrismo) ao 9 (despojamento).

Significado dos números

Também ensinava que “a Evolução é a lei da vida; o Número é a lei do universo; a Unidade é a lei de Deus” e que os números diferem de seus signos. “Os números representam qualidades; os signos representam quantidades. 

O sistema pitagórico, hoje conhecido como numerologia moderna, é largamente usado no Ocidente. O sistema pitagórico baseia-se principalmente no nome completo de nascimento, e vai efetuando somas de maneira a representá-lo por um único algarismo, de 1 a 9.

Numerologia: veja aqui o significado dos números (detalhado): 1 - 2 - 3 - 4 -5 - 6 -7 - 8 - 9

 

No estudo da Numerologia, ao procurarmos nossos números, sejam de alma, personalidade ou os que expressam nosso propósito de vida, encontramos, geralmente, algum número formado por dois ou mais algarismos. Através do método pitagórico, aprendemos a reduzir esse número a um único dígito, de 1 a 9, para fazer uma análise de nossas características. No entanto, essa análise ficará falha se resumir-se apenas ao dígito final. É de grande importância analisarmos o primeiro número encontrado, antes de reduzi-lo a um único algarismo, pois um 6 que resulte de um 24 por exemplo, é diferente de um que seja resultado de um 42. E se esse 6 é resultado de um 33, a diferença é ainda maior, pois agora trata-se de um número mestre. Número mestre ou duplo é todo aquele formado por um mesmo dígito que se repete, ou seja, 11, 22, 33, 44, 55, 66, 77, 88 e 99.

Dentre os números mestres, os mais estudados entre os diversos autores são o 11, 22, 33 e 44, considerados inspiradores, criativos, deixando marcas na humanidade. Além disso, somas de letras de nomes ou números da data de nascimento acima de 44 são raras. Por isso, observe bem se esses números aparecem no seu mapa numerológico antes de reduzi-los. Eles podem estar no dia de seu nascimento (11 ou 22), no ano (1975 = 1+9+7+5 = 22) ou nas letras de seu nome. E como todo símbolo, os números têm qualidades positivas e negativas: tudo no mundo é dual. É sempre importante observá-las e trabalhá-las para tirar um maior proveito de suas potencialidades.

A principal característica dos números mestres é acentuar as qualidades do número ao qual possa ser reduzido. O 11 acentua os aspectos do 2, o 22 as características do 4, o 33 as qualidades do 6 e assim por diante. No seu livro “Numerologia”, Ellin Dodge nos oferece um bom exemplo: o 22/4 possui uma característica ligada ao trabalho e à realização, inerentes ao 4. Ellin cita que “o grande milionário americano Rockefeller tinha a auto-expressão 22 e quando a economia dos Estados Unidos afundou, na década de 1930, ele passou seus bens para o fundo Rockefeller Center. O Rockefeller Center foi construído para ajudar a cidade de Nova York durante a Grande Depressão, oferecendo assim trabalho para os desempregados”. Ele usou a força do 4 (trabalho)ampliada pela expressão do 22. O 2 é associação, dualidade, valorização das capacidades do outro.

Um 33 usado de forma positiva, assim como o 6, age sempre em clima de harmonia, mantendo as emoções sob controle; por isso, as pessoas de 33/6 são ótimas comandantes, apresentando idéias construtivas e contando com o respeito de seus liderados. Tranqüilos, são dados a planejar, tecendo o futuro. No entanto, se ressalta suas qualidades negativas, pode se tornar fútil e insensível às emoções alheias. Não estando amadurecido para ocupar um lugar de liderança, poderá surpreender por suas excentricidades ou tornar-se violento.

Já o 44/8 representa o que podemos chamar de “solução para qualquer problema”. Não há dificuldade que um 44 não resolva; é eficiente e leva em conta o ser humano. Está sempre buscando soluções que promovam o crescimento e o bem-estar das pessoas. Seu trabalho em termos terapêuticos promove mudanças visíveis no plano material; o fisioterapeuta é um bom exemplo de uma pessoa com o perfil 44/8. O 4 representa tudo que é matéria, qualquer coisa no plano físico, além de método e organização. O 8 detém o poder, a determinação e o conhecimento. No 44/8, a administração e a competência são resultantes de um 4 reforçado. Mas, usado de forma negativa, tentará manipular as pessoas, tirando proveito próprio das situações, ou apossando-se de ideias e projetos alheios, usando-os como se fossem seus. Poderá desenvolver até um certo grau de psicose.

O 55 representa aquele que dá a partida rumo ao futuro. O 1 é liderança, independência, originalidade; o 5 é liberdade, fluência, sagacidade, poder de cura. O 1 que é resultado de um 55/10/1, tem facilidade em alcançar os planos superiores e iluminar seu próprio caminho e o dos que estão à sua volta. Sendo assim, poderá desenvolver um enorme potencial com terapias alternativas e usá-las em benefício dos outros. É pessoa com muita energia e grande facilidade paranormal. Contudo, precisará canalizar positivamente esse excesso de energia, pois se usado de forma abusiva ou negativa, acabará por desenvolver um processo de autopiedade, sentindo-se sem um caminho visível. Então, os altos e baixos e os eternos recomeços passarão a fazer parte de sua vida.

E o amor incondicional de quem sabe amar com a alma é expressado pelo 66/12/3. O 6 representa o equilíbrio e o amor à família; o 12 é a expressão daquele que sabe abrir mão e doar-se em prol de algo maior e o 3, a expressão, a criatividade, a mãe, a Imperatriz. O 3 é o nascimento, o resultado do casamento do 1 com o 2. Seu caminho é o da perfeição e da transcendência. Mas, com tanta capacidade para amar, é preciso ter cuidado com o ciúme, com o egoísmo e com o sentimento extremo de posse. Estar pronto para ajudar é uma qualidade positiva; intrometer-se, julgando que possui as melhores soluções, é o lado negativo.

As palavras-chaves para o 77 é discernimento e sabedoria. O 77/14/5 promove mudanças (5) para melhor, através do crescimento pela conscientização (7). Sua dedicação mental e física é recompensada, levando a estilos de vida ou carreiras muito peculiares. Mas é também testado constantemente, como se tivesse que provar seu valor a todo momento. Isso pode trazer pensamentos conflitantes e melancólicos.

Enquanto isso, o 88 busca a perfeição e a eficiência em todos os níveis; e o 99 é a imagem daquele que “já chegou lá”. Por isso, ele pode dispor de tudo o que é seu, pois já experimentou o paraíso e sabe atribuir a cada coisa o seu real valor. Está sempre disposto a praticar atos caridosos, despojados e grandiosos. A manifestação negativa dessa personalidade apresenta alguém que chega a se habituar com os sacrifícios, deixando de analisar se quem se beneficia com isso é ou não merecedor.

 

Apenas o dia de nascimento já pode indicar aspectos importantes da 
personalidade de uma pessoa.

Paulo César criou uma “tabela natalícia”.

Dia 01 – Quem nasce neste dia “primeiro bate com a cabeça na parede
para só depois perguntar porque bateu”. São pessoas individualistas e
que gostam de ser o centro das atenções. Dão ótimos chefes pois são
líderes natos. Embora sensíveis e de sentimentos profundos, não os
demonstram.

Dia 02 – Quanto carinho ! Nascidos no dia 2 acreditam que seus irmãos,
primos e amigos sempre receberam mais afeto do que eles. É muito
sensível.Não adianta insistir.Teimosia é uma constante. É um
trabalhador incansável.Gosta de tudo em seu lugar. O “2″ trabalha
melhor em grupo do que sozinho. Aprecia muito a música e tem grande
talento para a dança ou para tocar um instrumento.

Dia 03 – Fofoca é do que os nascidos nesse dia mais gostam. Falam
demais e sem pensar. Pegam várias coisas para fazer ao mesmo tempo e
depois não dão conta. Têm temperamento intelectual, artístico e
criativo e capacidade para se recuperar rapidamente de qualquer
doença. Gostam de ter muitos amigos e têm excelente senso de humor.

Dia 04 – Tenha a idade que tiver, o nativo do dia 4 parece ter no
mínimo 60 anos. É um “velho” por natureza. Tradicional e conservador,
não se adequa facilme nte às inovações. Essa personalidade é ideal
para o mundo dos negócios. É um trabalhador incansável. Poderia ter
como ocupação secundária a música, a pintura ou a escultura.

Dia 05 – Se puder, o “5″ estará sempre com uma mochila nas costas,
pronto para viajar. Adora esportes radicais, não gosta de ter casa
própria, nem emprego fixo. Tem boa voz e pode alegrar os outros
cantando. Irradia entusiasmo e tem personalidade magnética,
característica ótima para um vendedor.

Dia 06 – É um eterno apaixonado. Sua máxima é: antes mal acompanhado do que só. Casa aos 18 e tem o primeiro filho aos 19 – cedo, enfim. Planta raízes profundas no lar e na comunidade por conta de sua natureza amorosa. Elogios são essenciais para a sua felicidade. Não
suporta críticas.

Dia 07 – Este número rege a perfeição. Quem nasce sob ele são
“pessoas chatinhas que nunca estão contentes com nada e cobram
perfeição de si mesmas e dos outros”. É o cri cri, o chato, para
quem tudo tem de estar sempre no lugar. Pode se especializar na área
científica. Já que não lhe agrada receber ordens, é melhor trabalhar sozinho.

Dia 08 – “O que vou ganhar com isso?” Essa é a pergunta mais comum
feita por alguém que nasceu neste dia. Essa pessoa tem talento para os
negócios, tem capacidade executiva e facilidade para ganhar dinheiro.
Gosta de causar boa impressão e aprecia gestos generosos, como fazer
doações.

Dia 09 – Sabe aquele velhinho metido a garotão? Ele nasceu no dia 9.
São pessoas que “nascem” com 80 anos e vão rejuvenescendo à medida
que o tempo passa. São essencialmente humanas e consideradas os
irmãos mais velhos da turma. Podem ter êxito na área literária,
artística, publicitária ou religiosa.

Dia 10 – Número poderoso. No Antigo Testamento, Deus se apresenta como o número 10. Quem nasce nesse dia terá todas as chances do mundo de prosperar na vida. Porém, tem tendência a altos e baixas de
prosperidade por causa do ego inflado. Precisam entrar em sintonia com
sua espiritualidade para evitaruma queda. Criativos, podem seguir
qualquer linha artística.

Dia 11 – Bom dia para nascer. No dia 11 nascem pessoas de ideais e
aspirações e que estão sempre em evidência. Embora pareçam calmas,
são tensas e emocionalmente exageradas em seus amores. Mas tendem a reprimir seus desejos e impulsos sexuais.

Dia 12 – Tudo tende a ser um drama, um sacrifício, para quem nasce no
dia 12. Nada é realizado de forma prazerosa. Parece que ser feliz
nunca é possível. Essas pessoas precisam aprender a não desperdiçar
as energias, mas precisam manter-se intelectualmente ocupadas, para
evitar a depressão. São bons pais e professores, porém demasiadamente severos.

Dia 13 – Ao contrário do que se pensa este não é um número negativo.
Significa a morte, mas não no sentido físico, e sim no de acabar com
tudo o que não é mais importante. Essas pessoas são um pouco
descontentes e resmungonas – isso acontece porque estão em constante
transformação. Podem ser bons gerentes pois são sistemáticos, práticos e trabalham duramente.

Dia 14 – É o número da alquimia e indica talento para lidar com ervas
e na área de medicamentos. Ativo, perspicaz e emotivo, quem nasce
nesse dia gosta de correr riscos, mas deve se cuidar para não se
deixar levar por vícios. O casamento poderá trazer-lhe estabilidade.
O sucesso virá se seguir seu talento na área de vendas, viagens,
mineração ou corretagem.

Dia 15 – Este é o número da luxúria. Quem nasce no dia 15 tende a ser
dissimulado e costuma conseguir tudo o que quer na vida, quando esta
disposto. Dá muito valor aos prazeres em geral . É ligado à família, tem talento para a culinária e sempre atrai boas oportunidades.

Dia 16 – Estes são aqueles que quebram seus brinquedos quando crianças
e tornam-se adultos para lá de desastrados. Têm tendência a atrair o
azar. Por outro lado, se receberem a tarefa de reerguer uma empresa
falida, por exemplo, terão mais êxito do que qualquer outro, por
estarem acostumados a reconstruir. Um conselho da Numerologia para
anular o aspecto azarado desse número é comemorar o aniversário sempre no dia 17.

Dia 17 – Este nasceu para brilhar sem fazer força. Possui facilidade para os negócios e talento para qualquer atividade técnica ou científica. Cético, exige provas de tudo, inclusive no âmbito espiritual. Deve ter o seu próprio negócio.

Dia 18 – O número indica grande mediunidade. Quem nasce nesse dia tem forteintuição e costuma ter sonhos premonitórios. Tem habilidade
para dar conselhos sensatos, ama a música e a arte. Deve estar
preparado para mudanças e viagens. É intelectual, emotivo e requintado.

Dia 19 – Cuidado! Você pode dormir rei e acordar plebeu. Este é um
número cármico e desde a antiguidade está ligado ao sol – e esse astro tanto pode promover a vida quanto fazer secar até a morte. Independente, perseverante,você tem tendência a se deixar levar pela
cólera.

Dia 20 – Se pegarmos a agenda desta pessoa, encontraremos o telefone do amiguinho da primeira série. Cultivar as amizades e ter o passado como base de vida são as características principais da personalidade delas. Sempre terão um segunda chance na vida. São pacificadores natos e muito ligados à família. Talento para a diplomacia.

Dia 21 – São os crianções. Eternamente joviais, têm uma loucura sadia que os faz interessar-se em várias coisas ao mesmo tempo. Podem
sobressair-se nas artes dramáticas ou em qualquer área de expressão
que use as palavras. Magnéticos e musicais, amam a beleza, a arte e a
dança.

Dia 22 – Sente-se o dono do mundo, um verdadeiro rei. Tende a ser
arrogante. Como tudo acontece em dobro para estas pessoas, elas
devemesforçar-se para viver construtiva e harmonicamente. Para isso,
devem tercuidado em manter o equilíbrio entre suas emoções e o lado
prático de suanatureza.

Dia 23 – Sensitivo e compreensivo, este é o “rei” do mundo espiritual.
Podetornar-se um líder religioso. Tem personalidade encantadora e
inclinação social. Sua meta deve ser elevada, porque é necessário que se orgulhe de suas realizações.

Dia 24 – Casar e enterrar cônjuges. Esta é a sina de quem nasce no dia
24. Estas pessoas não conseguem ficar sozinhas e não se importam, se
for preciso, em colecionar divórcios. São práticos, mas tendem a sonhar. Tem um ego muito desenvolvido e são cozinheiros natos. A voz agradável favorece o canto.

Dia 25 – Que preguiça! Tudo é pela lei do menor esforço. Sua primeira
reação a qualquer proposta é habitualmente um “não”. O maior defeito é subestimar suas próprias qualidades. Deve ter cuidado para não tornar-se pessimista, crítico ou extravagante.

Dia 26 – Sabe o destaque do abre-alas da escola de samba na avenida? É
este aqui. Exibicionista, adora impressionar. Troca facilmente um bom
jantar em um restaurante simples, por apenas um café e uma água em
outro sofisticado,pelo simples prazer de ver e ser visto. Dá um ótimo
relações-públicas.

Dia 27 – Este é daqueles que cheira à naftalina. Chama os empregados
de serviçais e exige que eles usem uniformes para circularem em sua
casa decorada de forma tradicional. Trata-se de um intelectual com
grande talento literário. Trabalha melhor sozinho, já que não gosta
de dar satisfação de sua conduta.

Dia 28 – É um sonhador. Tem todas as chances do mundo de chegar ao
topo, mas contenta-se apenas em sonhar com isso por pura preguiça. Ama a liberdade e sofre com freqüência por causa das limitações que a
vida impõe. Avesso aconvenções, gosta de fazer as coisas a sua maneira.

Dia 29 – Exagero é a característica principal de quem nasce no dia 29.
Faz tempestade em copo d’ água por qualquer coisa. Uma gripe na sua
versão vira pneumonia. Porém, é capaz de grandes realizações em
diversas áreas. Radical em tudo o que faz, experimenta emoções
intensas e pode voltar-se para a área religiosa.

Dia 30 – O número da intelectualidade. Neste dias nascem pessoas de
grande imaginação e intuição, que apreciam a arte, a música e o teatro e são eloqüentes.

Dia 31 – O burocrata. De senso prático, tem grande capacidade para
tornar-se um excelente administrador de empresas Trabalha duramente, é honesto, leal, determinado e econômico. É daquelas pessoas que desejam a responsabilidade desde cedo. Por essas e outras, casa jovem.

 

O significado dos números

 

1: O que lidera.
Palavras-chave: Início, Força, Liderança, Individualidade, Independência, Coragem, Ousadia, Iniciativa e Conquista.
Positivo: Individualidade, Espírito de Liderança, Criatividade, Atividade, Ambição, Audácia, Auto confiança, Positividade, Pioneirismo e Persistência.
Negativo: Egocentrismo, Autoritarismo, Arrogância, Repressão, Egoísmo e Cinismo
Missão: Evitar o Egoísmo, Partilhar

2: O que colabora
Palavras-chave: Associação, Dualidade, Cooperação e Diplomacia.
Positivo: Espírito de Colaboração, Modéstia, Paciência, Solidariedade, Receptividade, Emoção e Amabilidade.
Negativo: Timidez, Medo, Indecisão, Necessidade de União, Dependência, Submissão e Depressão.
Missão: Evitar a Dependência excessiva, Desenvolver o espírito de Cooperação.

3: O que Comunica
Palavras-chave: Expressão, Comunicação, Criatividade, Sociabilidade e Múltiplos talentos.
Positivo: Otimismo, Talento, Bom gosto, Comunicação, Cordialidade e Sociabilidade.
Negativo: Exibicionismo, Superficialidade, Fofoqueiro, Extravagante, vaidoso e Tagarela.
Missão: Ser criativo, expressar-se e abrir-se para o mundo.

4: O que realiza
Palavras-chave: Ação, Estabilidade, Firmeza, Segurança, Conservador, Organizado e Honestidade.
Positivo: Praticidade, Disciplina, Lealdade, Organização, Franqueza, Construtor, Cautela, Trabalhador, Resistência e Amor a Tradição.
Negativo: Rigidez, Conformismo, Avareza, Apego ao Passado, Medo do Novo, Sistemático e Visão limitada.
Missão: Não se Deixar oprimir pelo trabalho e Responsabilidades.

5: O que é Livre
Palavras-chave: Liberdade, Evolução, Curiosidade e Aventura.
Positivo: Entusiasmo, Espírito ousado, Empreendedor, Aventureiro, Versátil, Livre, Sensual, Viagens e Mudanças.
Negativo: Irresponsável, Inquieto, Infiel, Impulsivo, Instável, Impetuoso e Ansioso Vícios.
Missão: Não Fazer uso inadequado de sua liberdade pessoal. Aceitar mudanças.

6: O que concilia
Palavras-chave: Harmonia, Equilíbrio, Verdade e Justiça.
Positivo: Espírito conciliador, generosidade, Estabilidade, Idealismo, Preocupação com o lar e a comunidade; Companheirismo e Emotividade.
Negativo: Acomodação, Espírito de Mártir, Ansiedade, Apego excessivo e Ciúmes.
Missão: Aprender a aceitar as coisas como é, Cuidar das relações sem ciúmes ou atenções excessivas, Buscar Equilíbrio antes da perfeição.

7: O que pensa
Palavras-chave: Análise, Investigação, Lógica, Misticismo e Reflexão.
Positivo: Sabedoria, Tranqüilidade, Introspecção, Intuição, Poder de análise, Meticulosidade, Perfeccionista e Intelectual.
Negativo: Desligamento, Melancolia, Apatia, Falta de objetivos, Exigente, Crítico em excesso, Auto destrutivo, e Racionalidade.
Missão: Reflexão, Busca do Saber interior e não exterior.

8: O que Tem poder
Palavras-chave: Poder, Responsabilidade, Riqueza Material e Reconhecimento.
Positivo: Poder, Eficiência, Prestígio, Riqueza, Sucesso, Perseverança, Disciplina, Perspicácia, Compreensão, Autoridade. Ambição e Administrador Nato.
Negativo: Ambição excessiva, Sede de Poder, Materialismo, Intolerância, Arrogância, Desonestidade, Injustiça, Autoritarismo e Teimosia.
Missão: Usar corretamente o dinheiro e o poder, pautado pelo senso de justiça, Não desprezar nem negligenciar o dinheiro e as coisas materiais.

9: O que compreende
Palavras-chave: Realização, Universalidade, Abnegação e Compaixão.
Positivo: Amor universal, Paciência, Tolerância, Fé, Generosidade, Solicito e Interesse pelo bem-estar geral.
Negativo: Sacrifício, Fracassos, Solidão, Fanatismo, Decepção, Conclusivo, Possessivo, Temperamental e Auto destrutivo.
Missão: Ter em mente que a finalidade única do ser humano é aprender sobre o amor universal, a compreensão e a compaixão.

11: Mestre, O Idealista
Palavras-chave: Idealismo, intuição, Perfeccionismo, Clarividência e Colaboração.
Positivo: Idealismo, Intuição, Poder extra sensorial, Simpatia, Paciência, Humanitarismo, Misticismo, Sensibilidade, Sabedoria e Inspiração.
Negativo: Fanatismo, Desorientação, Cinismo, Falsa Superioridade, Desonestidade, Mesquinhez, Negligente e Preguiça.

22: O Mestre Construtor do Mundo
Palavras-chave: Trabalho, Construção, Otimismo e Poder.
Positivo: Espírito empreendedor, Raciocínio lógico e apurado, Perspicácia, Otimismo, Genialidade, Generosidade, Espiritualidade e Magia.
Negativo: Cinismo, Ganância, Vaidade exagerada, Pessimismo, Destruição, Não conclui projetos e complexo de inferioridade.

33: O Idealismo Humanitário
Palavras-chave: Comando, Paz, Harmonia e Idealismo.
Positivo: Controle emocional, Capacidade de comando, Planejamento visando o futuro.
Negativo: Influências negativas no campo emocional, Violência, Excentricidade e Futilidade.

Cada letra correnponde a um número, segundo a tabela abaixo: Cada letra deve ser transformada em número e se por acaso o número for maior que 9 deve ser reduzir o número a um dígito. Por exemplo, se o número de uma pessoa for 14 soma-se 1 + 4 e o número será 5. Se houver acentos no nome da pessoa tais acentos não deverão ser considerados, nesse caso o ç irá equivaler a c e o é à e. Exemplo prático: “Uma pessoa cujo o nome é Maria Conceição das Dores”

tabela com números equivalentes a cada letra do alfabeto

M A R I A C O N C E I C A O D A S D O R E S

4 1 9 9 1 3 6 5 3 5 9 3 1 6 4 1 1 4 6 9 5 1

Somando todos os números teremos 96. É um número de dois dígitos, logo, teremos que reduzí-lo.

9 + 6 = 15

Outro número de dois dígitos. Reduziremos mais uma vez.

1 + 5 = 6

Logo, o número pessoal é 6.

Importante lembrar que algumas tabelas trabalham com o número 11, sendo assim (caso trabalhe com esse tipo de tabela) se o número for 11 não necessita ser reduzido, porém se for 10 o número será equivalente a 1.

A influência dos números

Cada número tem um significado que influí na vida de cada indivíduo. Cada nome carrega uma vibração numerológica, por isso é tão importante escolhermos bem o nome dos nossos filhos e por esse mesmo motivo muitas pessoas empregam nomes artistícos afim de que vibrações de números mais vantajosos influam positivamente na carreira.

O significado de cada número

Número 1 : Independente, pioneiro e criativo, as pessoas de personalidade 1 são líderes natos em tudo. Apesar de ter problemas com o peso pois têm tendência à obesidade, está sempre de bom humor e alto-astral. Muito autoconfiante, tem êxito em tudo que faz. No amor sempre toma a iniciativa e tem grande imaginação erótica.

* Positivo: Liderança, Pioneirismo, Iniciativa, Coragem, Independência

* Negativo: Agressividade, Egoísmo, Egocentrismo, Inflexibilidade, Individualismo.

Número 2 : Muito amorosa e compreensiva, a pessoa de personalidade 2 adora dar atenção aos outros, principalmente para a pessoa amada. O medo da doença faz com que busque sempre uma alimentação mais saudável. São muito atentas e compenetradas. Por ser muito diplomática e ter grande facilidade de adaptação, convive muito bem em todos os ambientes que frequenta. É muito recatada no amor e sempre o compara ao sexo.

* Positivo: Tato, Diplomacia, Paciência, Cooperação, Companheirismo

* Negativo: Dúvida, Dependência, Submissão, Passividade, Insegurança.

Número 3 : Muito romântica e sedutora, essa é a pessoa de personalidade 3. Alegres, extrovertidas e sociáveis as pessoas de personalidade 3 transmitem muita confiança no amor e na vida. Quando doentes, precisam de muita atenção. No trabalho, o sucesso virá através de oportunidades inesperadas que exigem pensamento rápido para achar soluções inéditas e criativas.

* Positivo: Criatividade, Comunicação, Expressão, Entusiasmo, Sociabilidade

* Negativo: Superficialidade, Ostentação,exagero, Dispersão, Imaturidade.

Número 4 : Honesta, leal e perseverante, a pessoa de personalidade 4 é altamente metódica e objetiva. Não gosta de rodeios preferindo ir direto ao assunto. Muito exigente com os colegas de trabalho e amigos, deseja deles a mesma perfeição que busca para sí. Perfeccionista ao extremo, inclusive no amor, não gosta muito de inovar e prefere as ‘fórmulas’ mais tradicionais.

* Positivo: Disciplina, Ordem, Estabilidade, Construção, Confiança, Honestidade

* Negativo: Rigidez, Crítica excessiva,inflexibilidade, Insegurança, metódico.

Número 5 : Um aventureiro nato, a pessoa de personalidade 5 adora liberdade e os espaços abertos, para que possa gastar toda a energia que tem. Muito agitado em todos os campos da vida, geralmente são irrequietos, super-ativos e curiosos. Também possui forte atração sexual o que condiz com sua sexualidade agressiva e cheia de energia.

* Positivo: Liberdade, Curiosidade, Flexibilidade, Versatilidade, Inteligência

* Negativo: Ansiedade, Indisciplina, Instabilidade, Impulsividade, Infidelidade.

Número 6 : Carinhosa, compreensiva, meiga, responsável. A pessoa de personalidade 6 é passional e humanista. Com uma grande necessidade de ajudar os outros, ela pode até se sacrificar pelos que ama. Sexualmente aparentemente é passiva mas procura agradar sempre o parceiro. Pode se tornar dominadora e possessiva se sentir-se insegura em relação aos seus sentimentos.

* Positivo:Amor, Beleza, Equilíbrio, Família, Saúde, Justiça

* Negativo: Utopia, Mártir, Ciúmes, Ressentimento, Dificuldade em aceitar a realidade.

Número 7 : Aparentemente fria e calculista a pessoa de personalidade 7 é na verdade super exigente com ela mesma e com o próximo. Procura sempre executar suas tarefas de forma impecável. Geralmente solitária, ela se isola e precisa de muito tempo para realmente se entregar a qualquer tipo de relacionamento pois prefere este isolamento.

* Positivo:Espiritualidade, Introspecção, Profundidade, Perfeccionismo, Controle da Mente

* Negativo: Solidão, Pobreza, Exigência excessiva, Auto-Crítica, Reclusão.

Número 8 : Com uma auto-confiança que beira a arrogância a pessoa de personalidade 8 não costuma decepcionar os amigos. Muito disciplinado, sua aparência transmite sucesso e prestígio, que vêm graças ao grande espírito de competição e capacidade de liderança. Adora desafios e por isso é fascinado por relações complicadas. No trabalho critica quando acha necessário e elogia na mesma moeda. É sexualmente agressiva e segura de si.

* Positivo:Liderança, Poder, Organização, Perseverança, Auto-confiança

* Negativo: Ganância, Autoritarismo, Teimosia, Impaciência, Intolerância.

Número 9 : Otimista, carismático e cheio de vitalidade, a pessoa de personalidade 9 aparenta ter gênio forte, mas na verdade é muito compreensiva, carismática e generosa. Elogia tudo que é bem feito, mas não esconde o que sente quanto à incompetência ou preguiça. Quando apaixonada se torna dócil e passa a ser uma grande amante.

* Positivo:Amor Universal, Solidariedade, Serenidade, Compaixão, Sabedoria

* Negativo: Amor Universal?, Solidariedade?, Serenidade?, Compaixão?, Sabedoria?(rever).

 

Numerologia: O significado de cada número essencial

 

O número 1, nas tradições dos mistérios maiores simboliza a unidade presente (inconsciente) em cada um de nós. Seu nome ou caminho de perfeição sempre foi apontado pelos antigos, como: Eu Sou, Alef, Vida, Energia, Consciência, Adão, Adi, Mago, Filho, Unidade, Rei, Altíssimo, Melki-Tsedek, Mundo das Causas, etc.

O número 1 também tem seu significado nos mistérios menores: Originalidade, Criatividade, Vontade, Atividade, Liderança, Ser Lógico, Independente, Objetivo, Prático, Pionerismo, Afirmativo, Iniciativa, Idealista, Enérgico, etc.

O número 2 representa a divisão dos sexos, queda, discernimento, polaridade, possuidor da luz, prometeu, portal, tempo-espaço, feminino, eva, passividade, Mundo das Leis, lunar, Joana D´Arc, papisa, delicadeza, diplomacia, inquieto, intuitivo, sentimental, misterioso, emotivo, duvidoso, artístico, temporal, mãe, filha, divina, etc.

O número 3 representa o princípio manifestado, Espírito, A Trindade de todas as tradições, o triângulo equilátero, o Verbo Solar, Mundo dos Efeitos, três mundos, Imperatriz, três esferas, o Sol do Pai-Mãe-Filho, equilíbrio universal, a palavra pensada, dita, Lei Maior, expressão, comunicação, escrever, falar, representar, harmonioso, simpático, alegre, pintura, teatro, sensibilidade, clareza, paz, entendimento, harmonioso, intelectual, tranquilidade, etc.

O número 4 é o nome de “Deus” em diversas tradições, entre os Assírio: Adad; Egípcio: Amun; Persa: Syre; Grego: Theo; Alemão: Gott; Francês: Dieu; Arabe; Alah, o quadrado, a matéria, a forma, o império, o Espírito entrando na matéria, simbolizando o trabalho, o sacrifício (3×4=12), caminho do homem, planeta terra, domínio, as 4 estações, as 4 faces da lua, os 4 elementos, os 4 pontos cardeais, a cruz do mundo, o animal, a esfinge, os 4 veículos que formam a personalidade humana, os quatro temperamentos, os 4 símbolos da matemática, os 4 reinos, atividade constante, persistência, os esforços contínuos, o método, a praticidade, o trabalho, a virtude, os quatro veículos inferiores que compõem a formação oculta do homem: Físico, Vital, Emocional, Mental, 4 planos, etc.

O número 5 representa o Androgenismo, Portal de Acesso, Cruzeiro do Sul, Vênus, Anjos, Espiritual, Mental Abstrato, Verdadeiro, Integração, Vitórioso, 5 Sistema Evolucional, o Polegar, Encontro com a Alma Gêmea, Cristus na Cruz, etc.

No Taro, Toráh, Thot, o Arcano 5 é o Papa. Diante do Sacerdote encontra-se dois seres ajuelhados, simbolizando o veículo mental e emocional da personalidade (alma) humana. Vendo-o assim, penso que a alma encontra-se em equilíbrio; pronta para entrar em contato com o seu Eu Superior, Seu Verdadeiro Sacerdote, tão procurado em todas às épocas. Representa o reencontro com a consciência Divina, a bem aventurança, a casa do Pai, a câmara secreta ou com aquilo que os profanos não podem ver, nem sentir, é a natureza original do homem: Ser Divino Novamente pela realização do número seguinte.

O número 6 representa a Integração dos quatro veículos inferiores (matéria) que formam a personalidade humana: Físico, Vital, Emocional, Mental (símbolo X): 3×4=12 (espírito X matéria). Seis é número do Iniciado nos Mistérios Maiores, é o número do Amor-Sabedoria, da Glória, etc. O candidato à iniciação maior pode realizar o número 6 aprimorando sua cultura e caráter. Assim, recebe as 12 chaves para trabalhar as 12 petálas do chakra cardíaco, a fim de vencer os doze caminhos e dar condições para o seu Sol Interior (Coração entre as 12 colunas dorsais) ser semelhante ao Sol exterior. Integração Sim !

No sentido “amplo” da palavra, o número 6 encerra o Mistério da Unidade, da consciência, do ligares na terra e o ligares no céu, da mão Solar, daquilo que está em cima com aquilo que está embaixo, não havendo mais separação entre terrestre-celeste no seu entendimento. Um caminho difícil de ser trilhado mas, que representa o padrão evolutivo do quarto sistema de evolução (reino hominal). Portanto, já existe latente em nós as virtudes do número seis, tais como: Sentimentos de Amor, Fraternidade, Pax, a Incansável busca de Deus, responsabilidade, teimosia, disposição, dar e ser conselheiro, ser sonhador, magnetismo, atração, simpatia, amizade, beleza, pureza, sensibilidade, companherismo, compaixão, acolhedor, Mãe, etc. Não devemos esquecer, é claro, muitos valores ainda precisam ser despertados, para participarmos mais consciente do novo ciclo, reino, etc.

O número 7 representa Atmãm, o dono da carruagem, o carro de Ezequiel, a Mercavah Celeste, o Ken dos Taoistas, a Montanha, o rosto humano feito a “imagem e semelhança de Deus”. Sê o número 7 for representado por um X, temos então o nome cabalístico de Zain, que na realização deste número, representará o homem que uniu o Mundo Divino com o Mundo Humano. Daí a montanha ser o palco da realização espiritual de vários seres que vieram à terra cumprir esta missão, que como eremitas, Manus, Avataras, caminhantes, peregrinos, mostraram possuir a luz do conhecimento e da sabedoria das idades: “Senhores de si mesmo e de seu próprio destino”.

Sete é o número perfeito, que na representação geométrica pode ser simbolizado por um triângulo sob o quadrado (espírito anima a matéria), pelas casinhas que as crianças fazem em seus primeiros desenhos, das construções de pirâmedes, etc. Platão dizia: No sétimo dia foi criada a “alma do mundo”: (Adam Kadmon)

Talvez faria um grande livro falando apenas do número 7. Apresentar tal número sempre foi uma grande satisfação, pois sete é o número que inspira e eleva o ser na sua qualidade maior. Seus valores resumidos são: Perfeição, Concentração, Dharana, Integridade, Intuitivo, Individualista, Mental Superior, Ser, Especulativo, Meditativo, Inteligente, Científico, Espiritual, Superior, etc, etc, etc.

O número 8 representa o que permanece em equilíbrio: A Justiça ! Na mitologia egípcia, Anubis é a representação máxima do número 8. Anubis (saturno) faz o julgamento dos mortos através de uma enorme balança, onde, num dos pratos, é colocado o coração do iniciado, do outro, encontra-se uma pena. Este simbolismo, indica, para o bom iniciado, que o coração não pode pessar mais que uma pena, daí a importância da pureza em nossa evolução. Compreende-se que a evolução do homem (quadrado) se dá no momento em que ele completa 28 anos (4×7=28). Observamos então o mistério do número 28 (4×7) = 2 (polaridade-equilíbrio), 8 (justiça-julgamento) que, curiosamente, é o ciclo de saturno. No aspecto da evolução da alma, 2 representa a polaridade entre emoção e a mente (alma), 8, a consciência (espírito) que julga estes veículos, etc. Poderei salvar símbolos de “n” tradições que nos fala do número 8 (julgamento), bem como, espelhar a bem-aventurança que este número representa para nossa evolução (matéria-espírito), mas, me limito em recordar apenas alguns: a terceira visão (7+1=8), o chakra Vibhuti (8 pétalas-oitavo chakra) mencionado pelos hindus, o oitavo continente (Atlântida) mencionado pelos antigos, etc.

É válido salvar também o óctuplo (sânsc. ashtanga-marga) caminhos de Budha (correspondente ao chakra vishuddha), que é o conjunto de atitudes que levam à extinção completa do sofrimento, este são: Visão correta (samyak-drishti); Intenção correta (samyak-samkalpa); Fala correta (samyak-vach); Ação correta (samyak-karmata); Meio de vida correto (samyak-ajiva); Esforço correto (samyak-vyayama); Atenção correta (samyak-smiriti); Concentração correta (samyak-samadhi).

As habilidades “comuns” do número 8 são: Administração, Organização, Finanças e Justiça. Meios de realização: Associação do esforço, Cooperação da técnica e Repartição da Justiça. Para dispor desses meios, deve subordinar toda a sua vida à PRUDÊNCIA, saber aplicar a sua mente ao trabalho organizado, renovar e expandir, pela ciência, as facilidades materiais da vida, etc. Do profissional: Terá sucesso como juiz, advogado, banqueiro, assessor financeiro, engenheiro, corretor, seletor de pessoal, cirurgião, no atletismo, propriedades, publicações, altos cargos públicos, enfim, em negócios em geral.

O número 9 representa Sabedoria (Pai-Mãe-Filho x 3=9) é a sintese de todos os números. Seu prêmio pode representar algo elevado para o homem: A Coroa do Rei do Mundo ! As pessoas que têm este número em alguma parte do tratado, são pessoas ligadas a grandes movimentos importantes, bem como, Fraternidades Universais, G.O.M., certamente, com uma “Missão” elevada: a de cumprir o mistério do número 9.

Total de visitas: 666


Velas, cristais, incensos, Fengh Shui & Yin / Yang terça-feira, nov 1 2011 


  • As Cores das Velas e seus Significados

    Branca:

    É a mistura de todas as cores; Alinhamento espiritual, limpeza, saúde, verdade, poder, pureza. Grandes realizações na vida, totalidade; Usada em rituais que envolvam a energia lunar.

    Amarela:

    Intelecto, criatividade, unidade, trazendo o poder da concentração e da imaginação para o ritual; use em rituais onde você deseje obter dos outros uma confidencia ou persuadir alguém. Simboliza também a energia solar. Ação, atração, inspiração e mudanças súbitas.

    Dourada ou Amarelo muito claro:

    Ativa a compreensão e atrai as influências dos poderes cósmicos; beneficia rituais para atrair dinheiro ou sorte rápida. Simboliza também a energia solar. Poderes divinos masculinos.

    Rosa:

    Favorece o romance, a amizade; é uma cor usada em rituais para desenvolver sentimentos afetuosos; cor da feminilidade, honra, serviço, e favorece o diálogo em mesas de refeição familiar. Despertar espiritual, cura de espírito e comunhão.

    Vermelha:

    Saúde, energia, potência sexual, paixão, amor, fertilidade, força, coragem, vontade de poder; aumenta o magnetismo em um ritual; Energia dos signos de Áries e Escorpião. Para a combater o medo ou a preguiça.

    Prateada ou cinza bem claro:

    Remove a negatividade e encoraja a estabilidade; ajuda a desenvolver as habilidades psíquicas. Atrai a energia da Grande Mãe. Vitória, meditação, poderes divinos femininos.

    Roxa ou Púrpura:

    Poder, sucesso, idealismo, progresso, proteção, honras, quebra de má sorte, afasta o mal, adivinhação, altas manifestações psíquicas; ideal para rituais de independência, contato com entidades astrais. Energia de Netuno.

    Magenta:

    Combinação de vermelho com violeta, esta cor oscila com alta freqüência; para rituais que necessitem de uma ação rápida ou um poder bem elevado ou uma saúde espiritual requerida; rápidas mudanças, cura espiritual e exorcismo.

    Marrom ou Castanha:

    Cor da terra, equilíbrio; para rituais de força material; elimina a indecisão, atrai o poder da concentração, estudo, telepatia, sucesso financeiro. Serve também para encontrar objetos que foram perdidos.

    Índigo:

    Cor da inércia; para parar pessoas ou situações; use em um ritual que requeira um elevado estado de meditação; Neutraliza a magia lançada por alguém, quebra maledicência, mentiras ou competição indesejável. Equilíbrio do Karma. Energia de Saturno.

    Azul Royal:

    Promove a alegria e a jovialidade; use para atrair a energia de Júpiter ou para qualquer energia que você queira potencializar.

    Azul Claro:

    Cor espiritual; ajuda nas meditações de devoção e inspiração; traz paz e tranqüilidade para a casa. Irradia a energia do signo de Aquário; Sintetiza as situações.

    Azul:

    Cor primária e espiritual para rituais que necessitem de harmonia, luz, paz, sonhos e saúde. Simboliza a verdade, inspiração, sabedoria, poder oculto, proteção, compreensão, fidelidade, harmonia doméstica e paciência.

    Verde Esmeralda:

    Importante componente num ritual Venusiano; atrai amor, fertilidade e relação social.

    Verde Escuro:

    Cor da ambição, cobiça, inveja e ciúme; coloca as influências destas forças num ritual.

    Verde:

    Promove prosperidade, fertilidade, sucesso, abundância, generosidade, casamento, equilíbrio; estimula rituais para a boa sorte, dinheiro, harmonia e rejuvenescimento.

    Cinza:

    Cor neutra, ajuda a meditação; na magia, esta cor simboliza confusão, mas também nega ou neutraliza a influência negativa.

    Preta:

    Abre os níveis do inconsciente; usado em ritual para induzir um estado de meditação; simboliza também a negatividade a ser banida, no caso de rituais de devolução, reversão, desdobramento, anulação de forças negativas, discórdia, proteção, libertação, repelindo a “magia negra” e formas mentais negativas. Atrai a energia de Saturno

É através desse processo alquímico que o anjo irá captar e entender nossos pedidos. Este é o primeiro elo de ligação com os anjos. Ao acender uma vela, é possível identificar algumas mensagens que elas podem nos passar, como por exemplo:

  • VELA QUE NÃO ACENDE PRONTAMENTE: Pode ser que o anjo esteja tendo dificuldades para se aproximar.. O astral ao seu redor pode estar pesado..
  • VELA QUEIMANDO COM LUZ AZULADA: Indica a presença de Anjos e Fadas. É um bom sinal.
  • CHAMA VACILANTE: Neste caso, devido as circunstâncias, o Anjo poderá alterar o seu pedido.
  • CHAMA QUE LEVANTA E ABAIXA: Você está pensando em várias coisas ao mesmo tempo. Você está ansioso e precisa se acalmar antes de prosseguir.
  • CHAMA QUE SOLTA FAGULHAS NO AR: O Anjo colocará alguém no seu caminho para comunicar o que você deseja. Talvez tenha algum aborrecimento no decorrer do percurso, mas o seu desejo se realizará..
  • CHAMA QUE PARECE UMA ESPIRAL: Seus pedidos serão alcançados, o Anjo já está levando sua mensagem.
  • PAVIO QUE SE DIVIDE EM DOIS: O pedido foi feito de forma dúbia. Seja mais clara com seu anjo.
  • PONTA DO PAVIO BRILHANTE: Você terá muita sorte e sucesso em seu pedido.
  • VELA QUE CHORA MUITO: O Anjo sente dificuldades em realizar seu pedido, pode estar havendo interferências.
  • SOBRA UM POUCO DE PAVIO E A CERA FICA EM VOLTA: O seu Anjo está precisando de mais preces.
  • A VELA SE APAGA: O Anjo ajudará na parte mais difícil do pedido, o resto cabe a você resolver sozinha .
  • MENSAGENS DAS VELAS

    Ao acender uma vela, é possível identificar algumas mensagens:
    •  Vela que não acende prontamente:
    Indica que o anjo pode estar tendo dificuldades para ancorar. O astral ao seu redor pode estar “poluído ou carregado”.
    • Vela queimando com chama azulada:
    O anjo demonstra que, devido às circunstancias, seu pedido terá algumas mudanças. Está lhe pedindo paciência, pois a realização de seu desejo já está à caminho.
    • Vela queimando com chama amarelada:
    A sua felicidade está próxima.
    • Vela queimando com chama vermelha:
    O seu pedido está sendo realizado.
    • Vela queimando com chama brilhante:
    Você está tendo êxito no seu pedido.
    • Chama que levanta e abaixa:
    Você está pensando em várias coisas ao mesmo tempo. Sua mente pode estar um pouco tumultuada. Alerta para firmar o seu pedido.
    • Chama que solta fagulhas no ar:
    O anjo colocará alguém no seu caminho para comunicar o que você deseja. Poderá ter algum tipo de desapontamento antes do seu pedido ser realizado. Antes do seu pedido se realizar, você sofrerá algum pequeno aborrecimento.
    • Chama que parece uma espiral:
    Seus pedidos serão alcançados, o anjo já está levando sua mensagem. Mas, cuidado, não faça comentários de seus desejos, pois tem gente por perto querendo atrapalhar os seus pedidos.
    • Pavio que se divide em dois:
    Seu pedido foi feito de forma duvidosa, tente novamente.
    • Ponta de pavio brilhante:
    Sorte e sucesso no seu pedido.
    • Vela que chora muito:
    O anjo sente dificuldades em realizar o seu pedido. Pois, você está muito emotiva, e sem forças.
    • Sobra um pouco de pavio e a cera fica em volta:
    O anjo pede mais oração.
    • Se a vela apaga, depois de acesa (sem vento por perto):
    O anjo ajudará na parte mais difícil do pedido, o resto cabe à você resolver. Acenda mais duas velas, para reforçar o pedido.
    • Chama enfraquecida:
    É preciso reforçar o seu pedido.
    • Chama que permanece baixa:
    De tempo ao tempo, pois esta não é a hora certa para receber o que tanto deseja. Indica que você não está bem, e há necessidade de elevar rapidamente o seu astral.
    • Chama que vacila:
    Indica que o pedido se realizará, mas antes ocorrerá alguma transformação necessária.
    • Quando se acende mais de uma vela e uma das chamas está mais brilhante do que as outras:
    Indica boa sorte.
    • Quando se acende mais de uma vela e, todas as chamas ESTÃO altas e brilhantes:
    Erga as mãos para o céu e agradeça pela benção que está recebendo em seu pedido.Quando a vela queima por inteiro: seu pedido foi plenamente aceito.
    • Quando a vela forma uma ESPÉCIE de escada ao lado:

    Indica que seu pedido está se concretizando.

     

    • Quando a vela termina de queimar e sobra cera esparramada no prato, sem queimar:
    É sinal que você precisa acender novamente o que sobrou, pois existe energias negativas atrapalhando. Quando terminar de queimar, então acenda outra e agradeça ao seu Anjo.

Primeiro Cristal

É aconselhável para as pessoas que desejam obter um cristal, escolher um simples, como o quartzo (transparente). Segure o cristal em suas mãos e procure sentir a vibração que eles emitem. Se sentir uma mudança de temperatura nas mãos ou uma espécie de formigamento, este será o cristal ideal para você.

Após a compra do cristal escolhido, ele deverá passar por um processo especial de limpeza e energização. É importante saber que quando um cristal entra em contato com o corpo físico, ele absorve muitas energias negativas, precisando ser limpos e energizados antes de usar.

A limpeza em um cristal, faz com que todas as energias por ela absorvida sejam descarregadas. A energização devolve as energias ao cristal, desta maneira, estando pronta para usá-la novamente.

Métodos de Limpeza

 

Apresentamos algumas maneiras de como fazer uma limpeza em seu cristal:

a) Pegue uma bacia de vidro ou de plástico (não pode ser de alumínio), coloque água e sal grosso, deixando os cristais submersos por 24 horas ou mais.

b) Separe os cristais a serem limpos, deixe-os exposto à uma chuva forte, desta maneira eles descarregarão as energias negativas para a terra.

c) Pegue o(s) cristal(is) a serem limpos. Ascenda um incenso de seu gosto e assopre a fumaça em direção aos cristais. Faça este processo 3 vezes.

 

Método de Energização

 

Apresentamos algumas maneiras de como fazer uma energização em seu cristal:

a) Para quem mora perto de um rio ou riacho, é uma ótima opção, deixar a água da correnteza cair sobre os cristais por alguns minutos.

b) Deixe os cristais exposto à luz solar, no mínimo por seis horas, ou deixe exposto a luz lunar, ficando a noite inteira.

c) Pegue um ou dois cristais de cada vez. Segure-os na mão, deixando a água da torneira cobrir os cristais, imaginando uma luz dourada penetrando no cristal. Permaneça com os cristais na água por 2 minutos ou mais.

d) Enterre os cristais e deixe-os por 24 horas.

e) Deixe os cristais perto de uma Drusa (Quartzo transparente com várias pontas) por algumas horas.

 

 

Programação do Cristal

 

Os cristais podem ser programados para determinados fins. Para iniciar uma programação em um cristal, é preciso estar em um ambiente calmo e inspirar bastante amor para dentro do cristal. Os cristais são sensìveis à mente, por isso, tenha cautela e paciência ao iniciar uma programação. Caso durante a programação surgir alguma interrupção, recomece todo o processo novamente.

Se quiser programar o cristal para outros fins, lembre-se que é preciso passar pelo processo de limpeza e de energização, e então, dê a sequência da programação.

Este processo é dividido em 3 partes:
1) Escolha um cristal de sua preferência (quartzo transparente ou qualquer cristal colorido),

2) Segure-o na mão direita, pense mentalmente qual irá ser a sua função. Ex: “Este cristal vai curar…”,

3) Permaneça com o cristal na mão por mais 10 minutos.

 

 

Usos Diversos

 

Banhos: Para obter um efeito de energização, escolha alguns cristais de sua preferência e coloque-os em uma banheira. Após o banho, limpe-os e energize-os novamente.

Energização de ambientes: Para purificação constante e energização de ambientes de trabalho, repouso, refeições, etc, o ideal é usar uma drusa de Cristal de Quartzo, num tamanho proporcional ao número de pessoas que frequentam o ambiente (para um consultório pequeno por onde passem inúmeros clientes por dia, usar uma drusa grande; para um quarto de dormir bem grande frequentado por uma ou duas pessoas, basta uma pequenina drusa).

Outro procedimento ideal para purificação e energização de ambientes é fazer aquários com várias pedras de cores diferentes, que também servem como elemento decorativo. Neste caso, quando sentir que a água está grossa, mais escura ou carregada, troque-a e lave as pedras em água corrente, recolocando-as no aquário com a água nova.

Use sua intuição para combinar as cores, mas é essencial que sempre haja um quartzo branco, que servirá como catalisador.

Uso pessoal: Selecione um cristal de terminação única (ponta) para ser seu cristal pessoal, aquele que você carrega consigo todo o tempo, usa em meditações, coloca à noite sobre sua mesa de cabeceira ou embaixo do travesseiro e que seria como o seu amigo mais íntimo e confidente. Para carregá-lo use um saquinho de couro, algodão, seda ou veludo.

Plantas: Escolha um cristal de sua preferência e coloque perto da raiz da planta a ser energizada. NÃO USE ESSES CRISTAIS PARA OUTROS FINS.

 

 

Curas e Remédios

 

Selecione alguns cristais especificamente para este fim. Não use o seu cristal pessoal em outras pessoas, pois ele estará carregado com sua própria energia. Use os cristais de cura para equilibrar os chakras de uma outra pessoa, para aliviar dores ou energizar. Para isto, visualize luz branca e direcione a ponta do cristal para as partes do corpo da pessoa nas quais deseja trabalhar.

Para ser absorvida a energia de um cristal, vire a ponta do cristal de modo que fique direcionado à você. Se for passar energia para outra pessoa, direcione a ponta do cristal para a pessoa que irá receber a energia.

 

Cristais para Desenvolvimento Interior

 

  3ª visão   ametista, sodalita, lápis lazuli
  A capacidade de meditação   ametista, cristal fumê
  A capacidade de atrair os seres de luz   ametista, calcita azul
  A capacidade de prever o futuro   ágata musgo, jaspe bahia, sodalita
  A verdade interior   ametista
  Amor fraternal   quartzo rosa
  Clareza de pensamento   cristal, ametista
  Clarividência   aspe bahia, sodalita
  Compaixão   quartzo rosa
  Compreensão   labradorita, esmeralda, fluorita, quartzo rosa, sodalita
  Consciência divina   cristal, ametista
  Desapego   cristal fumê
  Disciplina   lazuli, ônix
  Energia positiva   cristal
  Equilíbrio   cristal, fumê, howlita azul, quartzo azul, turmalina quartzo
  Espiritualidade   ágata lilás, ametista, topázio imperial
  Harmonia   quartzo azul, turmalina quartzo, unaquita
  Intuição   ametista, lápis lazuli, olho de falcão, sodalita
  Mediunidade   sodalita
  Pensamento positivo   calcedônia, calcita azul
  Sabedoria interior   cristal, ametista
  Sensação de paz interior   ametista, calcedônia, howlita branca, topázio imperial
  Serenidade   calcedônia, calcita verde
  Sonhos premonitivos   ágata musgo, jaspe bahia, sodalita
  Vidência   sodalita

Cristais para Limpeza e Energização

 

  Da alma   ametista, calcita azul
  Da aura   cristal fumê
  Do ambiente   cristal, turmalina negra
  Do corpo   cristal, turmalina negra
  Do espírito   cristal, lápis lazuli, turmalina negra

 

Cristais para Proteção

 

  Acidentes   esmeralda, turmalina negra
  Bloqueios espirituais   turmalina negra
  Bruxaria   ônix, turmalina negra, turmalina quartzo
  Doenças   quartzo verde
  Feitiçaria   ônix, turmalina negra
  Influências e energias negativas   calcita verde, hematita, jaspe indiano, turmalina negra
  Magia negra   ônix, turmalina negra
  Mau olhado   olho de tigre, turmalina negra
  Maus espíritos   jaspe indiano, turmalina negra
  Obsessão   turmalina negra
  Pesadelos   calcedônia
  Sofrimentos da alma   turmalina negra
  Todos os males   ágata, ágata azul, ágata de fogo, ágata lilás, ágata verde, ágata rosa, olho de tigre, ônix, turmalina negra

SIGNIFICADO DOS INCENSOS

Absinto: Perfume exótico que estimula a imaginação, criatividade e sensualidade.
Alecrim: Planta sagrada usada na magia e na medicina das mais antigas tradições. Forte componente para limpeza espiritual e proteção.
Aloes (Aloe Vera): Planta conhecida desde os tempos bíblicos por suas propriedades curativas que agem do nível do espírito para o corpo físico.
Alfazema: Conhecida dos gregos e romanos, proporciona relaxamento profundo. Evita stress e nervosismo.
Almíscar: Fornece confiança, inspira determinação e estimula para o amor.
Âmbar: Elo de ligação à energia cósmica, produz atração divina e espiritual.
Aniz Estrelado: Considerado como atrativo material quanto emocional.
Aradhana: A essência do mais puro Jasmim que tranqüiliza e induz ao relaxamento. Aradhana significa suprema devoção.
Arruda: Indicado para autodefesa, dissipa completamente energias negativas do ambiente. Poderosos contra inveja e mau olhado.
Bálsamo: Indicado para harmonizar e acalmar ambientes carregados. Afasta negatividades.
Benjoim: Atrai energias positivas e combate as forças negativas. Purifica o ambiente e tem capacidade de colocar as coisas em movimento.
Calêndula: Conforta o coração e o espírito. Pode ser usado em terapias no sentido mais amplo, pôr suas propriedades benéficas.
Camomila: Aroma leve e agradável com propriedades calmante e sedativa
.♦Canela: Antiga especiaria traz bons fluídos financeiros, boa sorte, felicidade, e alegria de viver. Exala um odor altamente sensual.
Cânfora: Produz limpeza astral, dissolve energias densas e alivia antigos ressentimentos.
Capim Limão (Lemongrass): Possui efeito tônico e estimulante. Indicado para pessoas depressivas, acomodadas e sem ânimo.
Cedro: Usado como rejuvenescedor, acredita-se que proporcione longevidade. Foi usado no Egito como componente para Embalsamar. Seu aroma masculino está ligado a tradicional reputação de afrodisíaco.
Chandan: Incenso de sândalo de qualidade superior. Cria no ambiente uma atmosfera de bem estar. Indicado para a meditação.
Cravo: Uma das mais preciosas especiarias, traz prosperidade e aumento de ganhos materiais. Indicado para energizar comércios e negócios.
Ecstasy: Formulação especial de rosa, incenso: Canela, Jasmim, Ylang-Ylang, Âmbar, e Bejoim. Combate a depressão e o pessimismo.
Eucalipto (Eucalyptus): Estimula e refresca a mente. Aumenta a concentração. Provoca uma reavaliação de conceitos e valores.
Especiarias: Misturas de ervas aromáticas que ampliam a energia vital combatendo o desânimo e a depressão.
Flor de Laranjeiras: Relaxante, proporciona um sono tranqüilo. Estimulante da memória e da concentração, reduz ansiedade emocional.
Floral: Mistura de flores perfumadas que tranqüilizam e relaxam.
Gerânio: Poderoso elemento anti-stress é um estimulante para casos de fadiga física ou desgaste mental.
Gita: Incenso de Gerânio. Regenerador emocional. Aumenta a capacidade de superar obstáculos.
Incenso da sorte: Aroma proveniente de uma fruta exótica da Austrália semelhante a cereja. Proporciona boa sorte.
Indian Gold: Sua composição com Menta e Lavanda proporciona relaxamento e aumento da acuidade intelectual.
Jasmim: Sagrado na antiga Pérsia, acalma a mente, harmoniza emoções e induz ao otimismo. Usado para receber benção, proteção e sorte.
Lavanda (Lavender): Encontrada em túmulos egípcios, relaxa, acalma e refresca a mente. Traz boa sorte e tranqüilidade aos negócios e relacionamentos.
Lírio: Símbolo de pureza. Seu aroma eleva os pensamentos e refina as emoções.
Lírio do Vale: Promove a paz espiritual, acalma os nervos e reduz acessos de raiva.
Lótus: Símbolo de evolução espiritual, pois nasce no lado e cresce em direção ao sol. No extremo oriente é a flor que consagra a Buda. Equilibra os chakras, facilitando a meditação.
Maçã Verde: Poderoso auxiliar em todos os processos de cura física.
Madresilva: Regenerador em todos os níveis. Ideal para ser usado em trabalhos de cura.
Megha Mala: Incenso preparado com resinas de madeira. Seu aroma traz ao usuário tranqüilidade e segurança emocional.
Mel / Rosas: Uma exótica combinação que induz atmosfera de romantismo e sensualidade. Segredo de sedução de Cleópatra.
Mel: Indicado para suavizar momentos difíceis e adoçar relacionamentos. Atrai sucesso, brilho e reconhecimento.
Menta: Estimula a inteligência e facilita a assimilação de informações novas.
Mirra: Eficaz para afastar o mal e quebrar encantos em rituais de magia. Popularmente usado para proteção energética.
Morango: Simboliza o prazer e a sensualidade. Tem uma característica afrodisíaca e sensorial.
Musgo de Carvalho: Utilizado pelos druidas como poderoso regenerador. Indispensável em sessões de cura.
Nardo: Aroma, tradicional, várias vezes citado na Bíblia, produz um dos perfumes mais preciosos. Tido como a essência de onde desabrocha o amor. Concede intuição.
Noz Moscada: Gera energia e disposição. Aumenta o grau de segurança emocional. Melhora as condições materiais.
Olíbano: Conhecido como “incenso luxuoso”, atua na respiração, relaxando e harmonizando. Considerava-se que servia para apaziguar os deuses.
Om Shanti: Laranja e Patchouli. Acalma trazendo a seu usuário otimismo e alegria.
Ópium: Desperta a sensualidade de forma envolvente e sutil. Proporciona êxtase e prazer.
Paradise: Mistura de Incenso, mirra e bejoim. Tem ação repousante e relaxante. Facilita a meditação e expande o campo da consciência. Proporciona elevação espiritual.
Patcholi: Apreciada no oriente e usada como símbolo da paz e amor no ocidente. Atrai o sexo oposto.
Pitanga: Seu aroma exótico e suave facilita ganhos financeiros.
Prashanti: Sua exótica fórmula de rosa com mel traz para o ambiente romantismo e sensualidade.
Precious Fragrance: Sua fórmula especial associa lírio, rosa, sândalo e madeira. Facilita a meditação e produz no ambiente um aroma inebriante.
Rosa Branca: Traz uma nova consciência espiritual gerando desapego e tranqüilidade em momentos de dificuldades. Símbolo da comunhão divina.
Rosa Musgosa: Alivia tensão e ansiedade.
Rosa Vermelha (Real Rose): Símbolo da paixão, eleva o animo e incentiva ao amor pela vida. Espanta solidão pôr ser flor dos namorados.
Sândalo (Sandal Wood): Eleva o estado de consciência e cria uma atmosfera de bem estar. Sendo indicado para a meditação e paz de espírito.
Sapthagiri: Fragrância floral que traz um toque de requinte e suavidade para o ambiente onde é usado.
Success: Sândalo com Rosa. Equilibra as emoções e aumenta o bom-senso. Ideal para pessoas indecisas.
Suganda Sarathi: Deliciosa combinação de flores perfumadas. Tem ação estimulante que favorece a sensibilidade.
The Moon: Incenso de Nardo, traz paz, amor e tranqüilidade ao ambiente. Amplia a intuição e a imaginação.
The Sun: Mistura equilibrada de Lavanda, Alecrim, Olíbano, Canela e Sândalo confere a este incenso um delicioso perfume. Atrai as vibrações positivas.
Tuberosa: Aroma tradicionalmente usado para facilitar contato com esferas superiores.
Violeta: Poderoso para reverter casos de depressão ou mágoa profundas. Renova sentimentos e reaproxima pessoas.
Ylang-Ylang: Natural da Indonésia, cuja tradição é a “flor das flores”, traz autoestima e amor próprio, sendo poderoso afrodisíaco
Fengh Shui
Dicas para a cozinha

O Feng Shui acredita que uma cozinha mal-direccionada pode trazer má sorte para a família. Também, a cozinha não deve ser directamente debaixo da casa de banho (em casas com mais de um andar). O Feng Shui diz-nos também que a cozinha não deve ser no centro da casa nem que o fogão deve ser pegado ao lava-loiça. Deverá sempre haver um espaço entre eles.

O fogo e a água anulam-se e para não haver fricção entre estas energias é aconselhável deixar sempre espaço para as energias fluírem sem problemas. O frigorífico é, também, um elemento de água. E deverá estar afastado do fogão. A melhor disposição será fazer um triângulo com o fogão, frigorífico e lava-loiça.

cozinha com feng shui correcto
Quando cozinha, não deverá estar de costas voltadas para a porta. Sustos ou sensações de presença podem causar acidentes junto ao fogão. Se não houver opção de mudar o fogão, um espelho ou uma superfície larga reflectora deverá ser empregue.

Luzes sobre a cabeça numa cozinha com fogão a gaz é considerado um desastre prestes a acontecer. Para amenizar estes efeitos, deverá empregar paus de bambo direitos, colocados num ângulo de 45 graus.

O verde é uma cor da cozinha e uma cozinha livre de confusão atrai Chi (energia positiva vital). Artigos que não são usados à muito tempo deverão ser deitados fora. Considera-se muito tempo um ano e meio.

Como usar o Feng-Shui para atrair amor para a nossa vida.

Todos (ou quase todos) já sentimos em alguma altura da vida, um desgosto de amor. Alguma vez no tempo, houve uma relação que não correu como antecipámos.

Pode o Feng-Shui ajudar-nos? Sim, pode!

nó de amor no feng shuiPodemos usar o Feng-Shui para atrair mais amor para a nossa vida; no entanto, não é específico em relação à pessoa.

Para que a energia do amor encontre o caminho até si, terá de se abrir completamente para a sua entrada. Atenção que isto é diferente (completamente diferente) de se fixar apenas numa única pessoa ou característica. Porquê? Perque entra directamente no campo energético da outra pessoa.

A sua antiga chama pode estar na sua área directa de influênciam ou pode ter escolhido seguir um outro caminho. O importante é sermos fiéis e verdadeiros ao nosso próprio caminho. E sermos verdadeiros ao nosso caminho significa aceitar o caminho que a nossa energia leva e limpar qualquer resto de energia que nos prende a velhas relações. Esses laços magoam-nos e prejudicam-nos.

No que diz respeito directamente ao Feng-Shui, aconselho a fortalecer a sua própria energia, abrindo espaço para a criação de novos laços ou ligações. E, se ainda existirem laços com a relação antiga, poderá ter uma excelente surpresa.
Flores Feng Shui

Organize o seu espaço de forma a libertá-lo de recordações dolorosas.

 

 

Arrume a casa completamente e troque alguns móveis de posição de forma a que a energia force um novo rumo dentro da casa. Encha a casa de cores claras e de flores naturais frescas. Faça um centro de mesa com uma vela branca e use adereços e/ou flores secas vermelhas. Acenda a vela durante a noite enquanto está na divisão e irá sentir o seu campo energético reencher-se de força e vigor.

Apenas um coração restabelecido e aberto ao amor estará a aceitar novos laços e ligações. Acima de tudo, só assim esses laços se tornarão duradouros.

 

O Feng Shui e o Yin Yang

Se as forças combinadas de Yin e Yang não estiverem equilibradas no seu ambiente, o seu yin yang e o feng shuidesequilíbrio poderá produzir efeitos físicos e emocionais adversos. Chegam-nos bastantes clientes que se queixam de fadiga, depressão e falta de motivação. Normalmente, essas pessoas passam demasiado tempo em locais escuros. No oposto, temos bastantes clientes cujas casas estão demasiado expostas á luz solar. Não tendo nenhum espaço de protecção, deixando a luz do sol encher os espaços continuamente. Esses clientes habitualmente sofrem de dores de cabeça ou desorientação, tonturas e náuseas.

Muito do Feng Shui assenta em simples senso comum. Se um quarto é muito escuro, adicione mais luz. Quer seja através de espelhos, de cores mais claras ou até mesmo abrindo novas entradas de luz. Se uma divisão for demasiado clara, coloque cortinas mais opacas ou persianas. Se um quarto parece estagnado ou bafiento, provoque uma corrente de ar. Quer seja abrindo uma janela ou, na falta desta, utilizando uma ventoinha num dos cantos, ligando-a regularmente.

Estas são dicas simples, baseada em senso comum. No entanto, há situações em que é preciso um pouco mais de estudo. No entanto e em qualquer dos casos, o Feng Shui está cá para nos ajudar a todos a vencer as nossas dificuldades.

10 dicas de Feng Shui para o seu escritório

Admita: Passa mais tempo no escritório que em casa. A semana passa num ápice. Um dia é segunda de manhã, o outro é sexta ao fim do dia e pode ir de fim de semana. Depois, no sábado de manhã, vai fazer todas aquelas coisas que são MESMO divertidas. Vai comprar comida, limpa a casa, esfrega o chão, lava a roupa, etc, etc, etc.

Então, no domingo, pode finalmente estatelar-se no sofá a descansar, e lá se vai o fim de semana. Ao menos pode tentar desfrutar a sua semana de uma forma mais frutuosa. De forma a que possa recarregar as suas baterias e ter uma melhor qualidade de vida no escritório.

Aqui ficam, então, 10 dicas de como melhorar o ambiente no escritório:

  1. Embeleze a entrada. Quer seja do edifício, do escritório ou até mesmo do cubículo. Coloque o seu nome de forma a que todos saibam que é o seu espaço e a sua energia.
  2. Traga coisas de casa que lhe tragam um sentimento de calma. Muitas pessoas levam fotografias ou outros elementos de casa que as façam sentir em contacto com o que mais gostam. Isso dá uma sensação de calma e de tranquilidade.
  3. Pense positivo. Não existe limite ao pensamento positivo. Irá condicionar positivamente a sua vida e a dos que rodeiam. Então, o seu pensamento positivo irá beneficiar de volta. É como uma rede crescente de positividade.
  4. Arranje um espaço na parede para colocar todos os seus feitos alcançados. Por pequenos que sejam, merecem um lugar de destaque. Coloque também aqueles projectos que quer encetar, mas nunca teve oportunidade. Lado-a-lado, está o troféu na corrida de karts da empresa e a viagem a Paris que sempre sonhou fazer mas que ainda não conseguiu fazer.
  5. Cor!!!! Rodeie-se pela cor que adora e isso irá modificar-lhe o seu estado de espírito drasticamente.
  6. Coloque uma imagem de uma paisagem. Algo que permita fugir com a imaginação quando a pressão apertar demasiado o seu dia de trabalho.
  7. Use a Bagua na sua secretária. Facilmente encontra um exemplo online, imprima e coloque na sua secretária com a carreira voltada para a sua frente. Arrume a sua secretária de acordo com a Bagua. Lembre-se de colocar um envelope vermelho com 2 ou 3 moedas na área das finanças para trazer alguma sorte extra nesta área. Nunca é demais.
  8. Os cinco elementos. Obviamente que esta é provavelmente a mais complicada de todas. Depende se está a mexer apenas na secretária, na sala ou no edifício inteiro. De qualquer forma, um equilíbrio entre os cinco elementos é uma absoluta necessidade.
  9. Reduza o amontoar de coisas. Coisas amontoadas tendem a estagnar a sua vida. Despache as pilhas de coisas por fazer. Arrume capaz e papelada nos devidos sítios. Deixe a energia positiva circular livremente.
  10. Finalmente, não tenha medo de mexer e colocar alguma coisa de forma errada do ponto de vista do Feng Shui. Não ha nada que não possa ser colocado no lugar de novo. Em último caso poderá ter de pintar de novo alguma coisa, mas nada de importante. Lembre-se que é o seu espaço. O importante é que se sinta o melhor possível, pois isso lhe trará a abundância e a sorte necessária.

Depois disto, não sentirá tanta relutância para ir até ao escritório. Isto e um bela café logo pela manhã será a melhor forma de começar o dia.

Feng Shui: Usar velas da forma correcta.

 

Se está a começar a tomar atenção ao Feng Shui, já deve ter ouvido falar das “Velas Feng Shui”. Afinal, o que são, exactamente, as velas Feng Shui? Para que são utilizadas? Quando não se deve utilizar?

 

Os cinco elementos e as velas Feng Shui

Feng Shui ensina-nos a usar os cinco elementos naturais (nomeadamente: madeira, terra, metal, água e fogo). E ensina-nos também que deve haver um equilíbrio e uma harmonia entre estes elementos. E o que isso quer dizer?

 

velas feng shui em arranjo

 

A melhor explicação que posso lhe dar é a seguinte: Cada elemento irá nutrir um elemento e destruir outro. Por exemplo, a madeira alimenta o fogo e a água destrói o fogo. Conseguimos soluções de Feng Shui não através da destruição dos elementos, mas sim pelo equilíbrio criado entre eles. Se a sua sala tem muitos elementos metálicos, tais como cores cinzentas, equilibre com um pouco de fogo. Acrescente, por exemplo, uma vela Feng Shui. Não é praticável ter uma fogueira no centro de uma divisão, pelo que as velas poderão ajudar em muito.

 

Como as velas Feng Shui afectam a Energia?

Como o fogo é um elemento tipicamente associado com sentimentos fortes, como a energia interior e a perseverança, pode usar este elemento num quarto enfadonho e sem vida. O fogo é um elemento que fascina o homem desde sempre. A sensação de poder e energia desde sempre tem sido associada ao fogo. Lembre-se que todos os fogos devem ser apagados da forma correcta e nunca deixados a arder sem atenção.

 

centro de mesa feng shui

 

As velas Feng Shui são uma grande forma de criar energia em locais como a sala de estar ou de jantar, onde quer que a família se junte e se abra uns com os outros. O fogo encoraja todas as pessoas a juntarem a sua energia à conversa.

 

Quando não deve usar Velas Feng Shui

O fogo é provavelmente um dos elementos mais fortes, senão o mais forte. Por esta mesma razão, deverá ponderar muito bem se deve ou não usar velas Feng Shui. Uma divisão com uma lareira não precisa de ajuda do fogo. Use-as numa divisão onde não precise de competir com mais nenhuma fonte de fogo. Velas Feng Shui sobre a lareira são definitivamente desaconselhadas.

 

É aconselhado não usar velas Feng Shui em quartos de criança. Tenha sempre a certeza que as velas estão em local próprio, longe de crianças e animais de estimação que possam inadvertidamente tombar.

 

Se aplicar estes princípios de utilização de Velas Feng Shui, em breve começará a sentir a vitalidade e a energia que estes elementos trazem à sua vida.

 

Porque é que o Feng Shui não é simplesmente apenas mais uma moda

Um pouco por todo o mundo, designers de interiores estão-se a voltar para o Feng Shui. Esta arte milenar, está a ganhar mais e mais adeptos. O Feng Shui ajuda a posicionar tudo noCompasso Feng Shuimundo que nos rodeia. Desde o posicionamento de edifícios até aos acessórios e mobília na nossa casa. O objectivo: encher a nossa vida de energias positivas e atrair sorte e abundância.

De salientar que não se pode encarar o Feng Shui apenas como uma arte. É, de facto, uma arte mas é muito mais que isso. O Feng Shui é um estilo de vida, uma forma de viver e respirar. Muda-nos a nossa forma de encarar a vida e o mundo que nos rodeia.

O Feng Shui pode também ser equiparado a uma ciência uma vez que existem muitos princípios científicos nos métodos utilizados. Está provado que divisões com amontoados de coisas nos colocam em estados de depressão e inactividade. Um dos princípios básicos do Feng Shui é exactamente criar espaços amplos e livres de forma a que a energia positiva flua e nos encha os nossos lares.

Por exemplo, as cores são um dos cavalos de batalha no Feng Shui. Esse é, também, uma das principais preocupações dos designers modernos. Um equilíbrio de cores perfeito leva a ambientes perfeitos. E, dependendo do objectivo de cada local, as cores devem ser escolhidas apropriadamente.

Estudos científicos mostram que as cores condicionam o nosso estado de espírito. Cores alegres enchem-nos de energia enquanto cores escuras têm o efeito oposto. ApeJardim Feng Shuisar de nunca ter sido feito um estudo em paralelo com os ensinamentos de Feng Shui, a ciência aproxima-se desta arte milenar.

Utilizar Feng Shui não causa mal nenhum, por isso é justo e seguro tentar uma cura ou solução. O pior que pode acontecer é ter de repintar um quarto de novo ou colocar a mobília na posição inicial.

O Feng Shui está para ficar e ganha popularidade a cada dia que passa. Esta prática venceu o caminho até aos nossos dias e, provavelmente, está na altura de experimentarmos. Afinal, o grande objectivo é de vivermos cada dia da nossa existência melhor, com mais saúde, sorte e abundância. E são esses os grandes objectivos do Feng Shui.

Utilizar o Feng Shui para melhorar a sorte
Há algum tempo atrás um amigo, que estava a atravessar uma fase má da sua vida, veio procurar o meu auxílio. Depois de uma visita à sua casa e de deitarmos fora alguns caixotes de tralha que se vai acumulando em casa, aconselhei-o a comprar alguns ornamentos Feng Shui para o seu apartamento.

Compasso para Feng ShuiNuma decoração de interior, a presença de alguns ornamentos não só complementam o tema, como também corrigem fluxos de energia. Existem muitos ornamentos à venda e não é preciso gastar uma fortuna para nossa casa. Aliás, grande parte deles são mesmo muito baratos.

A ideia de que temos de despender muito dinheiro para fazer uma decoração correcta e adequada à nossa energia, está presente na mente de muitas pessoas. Na verdade, não é necessário um grande investimento (embora seja sempre um investimento).

O meu amigo, após a sua mudança, passou dois dias fechado em casa, repousando e recarregando as suas energias. Em alguns meses a sua sorte mudou e a sua vida equilibrou. Agora, soube que montou o seu próprio negócio e que está a correr bem.

Muitas vezes o investimento necessário é mais tempo. Tempo para pararmos e sentirmos a energia à nossa volta. De forma a conseguirmos perceber como e onde podemos fazer alterações tão necessárias à resolução dos nossos problemas.

Foto: O meu bom amigo Liu Tao (obrigado por tudo especialmente pela paciência de me aturares)


7 dicas para mais amor e melhor sexo
Um bom quarto Feng-Shui é um quarto onde se promovam as energias do carinho e da sensualidade. Um bom quarto atrai, encanta, e desponta sentimentos fortesde paixão. Todo oambiente tem de ser calmo, pacífico, e convidar a momentos tanto de descanso, harmonia e de sensualidade. Esse é o princípio básico do Feng-Shui. Moldar o ambiente de forma a que cada momento seja único quer sozinho, quer acompanhado. 

Apresento-lhe, então, uma pequena lista que poderá seguir de forma a criar uma harmonia singular no seu ninho. Lembre-se de que esta lista representa apenas linhas orientadoras. Terá que molda-las à sua energia de forma a conseguir ter, o seu melhor ambiente. Aquele que funciona melhor consigo.

 

  1. Faça desaparecer televisão, computador e qualquer equipamento de exercício que possa ter. A boa energia Feng-Shui é arruinada com a presença destes objectos no seu quarto.
  2. Abra as janelas regularmente para arejar o quarto e revitaliza-lo com oxigénio. Tenha em mente que o ar que respira dentro do seu quarto é da máxima importância. Ter um quarto com o ar pesado ou com odores atrai más energias. E lembre-se de que plantas no quarto são consideradas mau Feng-Shui, a menos que o quarto tenha um tamanho considerável e as plantas estejam afastadas da cama.
  3. Escolha sensatamente as imagens que tem no quarto. As imagens têm uma forte energia Feng-Shui. O melhor conselho Feng-Shui que pode ser dado é que tenha imagens no quarto de situações que gostaria que lhe acontecessem ou que estivessem presentes na sua vida. A menos que queira estar sozinha e a chorar, escolha motivos felizes e sensuais.
  4. Siga estas linhas básica de Feng-Shui para a organização e posicionamento da cama.
    • Tenha a cama de forma a que se consiga, facilmente, aceder a ambos os lados.
    • Tenha duas mesas de cabeceira (uma de cada lado).
    • Evite ter a cama em linha directa com a porta.

Um quarto com bom aspecto e uma cama equilibrada são dois ingredientes muito importante na criação do seu quarto Feng-Shui perfeito. Um bom colchão, uma cabeceira sólida e lençois de alta qualidade feitos de fibras vegetais, são grandes contributos para um quarto perfeito.

  1. Utilize um tema de cores que equilibre o seu quarto. As cores são das armas mais poderosas para alcançarmos o quarto Feng-Shui perfeito. As melhores cores a serem consideradas são as cores que se assemelhem à tonalidade da pele. Como sabe, a pele humana vai desde um creme muito claro até um chocolate muito escuro. Escolha cores nesse leque de oferta e terá o efeito pretendido: sono reparador e cura sexual intensa.
  2. Tenha vários níveis de luz ou instale um regulador da intensidade luminosa. Uma boa e apropriada luz nem sempre é fácil de obter. A luz é a nossa principal fonte de nutrientes e a mais esplendorosa manifestação de energia. Por isso escolha a luz apropriada ao momento, instalando vários candeeiros ou um dispositivo que regule a intensidade dos existentes.
  3. Mantenha todas as portas no quarto fechadas à noite. Isto inclui as portas dos armários, a porta da casa de banho dentro do quarto e a própria porta do quarto. Assim, irá conseguir que a energia não disperse e se concentre na sua harmonia. Conseguirá ter uma melhor relação e um sono mais reparador.

 

Cada pessoa tem a visão do que é o seu quarto perfeito. É impossível criar um único modelo que se adeqúe a todas as pessoas. No entanto, existem duas palavras comuns a todas as pessoas: prazer e sonho. Num quarto, cada peça deve representar amor, paixão, cura e relaxamento.


O que não se deve colocar num quarto.
Muito se escreve e lê sobre o que se deve ou não deve colocar num quarto de dormir. Ninguém deve saber tudo o que há para saber sobre Feng Shui. Até é natural que a grande maioria dos ocidentais nada saibam sobre esta arte. Até mesmo em cursos de design, estas práticas são praticamente ignoradas. No entanto, há coisas que fazem parte do bom senso de cada um.

Mau Feng Shui
Recentemente assisti a um daqueles programas em que remodelam uma divisão de uma casa. Neste programa, o desafio entregue ao designer foi um quarto. Para este quarto, o designer (que não vou revelar o nome) escolheu um quadro enorme em tons de lilás. Toda a decoração foi contruída em torno deste quadro. O quadro, representava uma mulher, jovem, praticamente afogada em água. Com uma expressão nada tranquíla, até mesmo aflitiva. Este não seria algo que eu teria no meu quarto.

Num outro programa, no mesmo segmento, um outro designer colocou um espelho, enorme, lindíssimo. Mas voltado para a cama e tão próximo de um dos lados da cama que a sua presença absorvia toda a energia do quarto.

Estudar Feng Shui é uma das formas de trazer harmonia e bem-estar às nossas vidas. Mas há que usar o bom senso, que é das mais poderosas ferramentas que existem no ser humano. Ao colocar um objecto dominante numa deoração, parem um pouco para sentir a sua vibração, a sua energia. Mesmo sem conhecer técnicas nem tradições, há que ouvir o coração. E, acima de tudo, sentir o que os objectos nos dizem na sua voz baixinha e quase subliminar. Decerto, estes casais terão problemas a nível sentimental e até mesmo sexual.

fsp11a.jpg (3025 bytes)

9 – Os opostos 
YANG e YIN.

fsp11c.jpg (2806 bytes)
yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes) yinyang.gif (656 bytes)

A escuridão é um exemplo de YIN.

fsp11a.jpg (3025 bytes)

O equilíbrio perfeito YIN-YANG.

fsp11c.jpg (2806 bytes)

A claridade é um exemplo de YANG.

O I CHING descobriu que todas as formas de energia possuem 2 extremos e identificou-os como YIN e YANG.No desenho acima, o ideograma à esquerda representa o YIN, a escuridão e o à direita o YANG, a claridade. Erroneamente representados, por muitos autores, pelo LUA e pelo SOL.

A luz, que é energia luminosa, pode se apresentar muito intensa, é o YANG, ou muito fraca, será o YIN.

A altura, que é energia potencial, pode ser bem alta, seria o YANG ou bem baixa, seria o YIN. Lugares altos como planaltos e topo de subidas, montanhas apresentam muita energia YANG, enquanto que lugares baixos, fundos de vale, proximidade de rios apresentam muita energia YIN.

O andar superior de um sobrado tem mais energia YANG enquanto que o andar de baixo tem mais energia YIN.

Para você descobrir se o que você está pensando são os extremos YIN e YANG de uma mesma energia, aplique a Regra Básica do YIN-YANG:

Quanto mais YIN, menos YANG e quanto mais YANG, menos YIN.

Exemplo: Escuridão e Claridade são os extremos YIN e YANG da energia luminosa, pois quanto mais claro será menos escuro e quanto mais escuro será menos claro.

Alto e Baixo são os extremos YIN e YANF da energia potencial, pois quanto mais alto será menos baixo e quanto mais baixo será menos alto.

Da mesma forma, Duro e Mole, Forte e Fraco, etc.

Muito cuidado com certas associação do YIN-YANG que se fazem por aí, como a associação com HOMEM e MULHER, dizendo que YANG é Homem e YIN, Mulher. Isso é uma comparação grosseira e equivocada feita por algumas pessoas que não conhecem as bases do I CHING.

No Taoismo, YOGA, I CHING, FENG SHUI e em muitas outras iniciativas que encontramos na China, o fundamento é A BUSCA DO EQÜILÍBRIO e o eqüilíbrio perfeito é representado pelo desenho símbolo do YIN-YANG, que é o segunte:

yinyang.jpg (6022 bytes)

O desenho representa o eqúilíbrio perfeito YIN-YANG onde encontramos os 2 extremos das energias se entrelaçando harmonicamente, uma na forma de alto relevo, representanto o YANG, e a outra na forma de baixo relevo, representando o YIN.O sentido de circulação das energias é o anti-horário, de acordo com o sentido de rotação dos redemoinhos no hemisfério sul.  A maior parte do Brasil encontra-se abaixo da Linha do Equador e, portanto, as energias giram no sentido anti-horário.

Os símbolos que apresentam o YIN-YANG girando no sentido horário só devem ser empregados no hemisfério norte.

No núcleo do YANG encontramos uma concavidade YIN, significando que mesmo no núcleo do YANG encontramos o YIN e, reciprocamente, no núcleo do YIN, encontramos um ressalto YANG significando, de forma análoga, que mesmo no núcleo do YIN é possível encontrar-se o YANG.

Os internautas deverão tomar muito cuidado em não comprar “gato por lebre”. No comércio existem à venda símbolos do YIN-YANG fajutos onde, tanto o YANG como o YIN são representados igualmente por figuras em alto relevo. O YANG deve ser representado, obrigatoriamente, em alto relevo e o YIN em baixo relevo.

fsp11c.jpg (2806 bytes)

O YANG representa:

LUZ, ATIVO, MONTANHA, PARTES ALTAS, VERÃO, CALOR, DURO, CONCRETO, OBJETOS GRANDES MACIÇOS, LOCAIS RUIDOSOS COMO BAILES E FESTAS.

Amor, Tolerância, Criatividade, Iniciativa, Amizade, Admiração, Ajuda, Facilidade.

As forças YANG são poderosas nos meses de verão, mas enfrequecem durante a noite escura.

Um elemento como a árvore pode ser YANG se a árvore for grande e forte.

As situações em que há YANG demais são muito agitadas e causam excessos. Devem ser evitadas.

fsp11a.jpg (3025 bytes)

O YIN representa:

ESCURIDÃO, PASSIVO, ÁGUA, PARTES BAIXAS, INVERNO, FRIO, MOLE, IMPALPÁVEL, OBETOS PEQUENOS, FRÁGEIS, LOCAIS CALMOS COMO IGREJAS E CEMITÉRIOS.

Ódio, Intolerância, Embotamento, Sedentarismo, Inimizade, Inveja, Oposição, Dificuldade.

As forças YIN são poderosas nos meses de inverno, mas enfraquecem durante o dia claro.

Um elemento como a árvore pode ser YIN se a árvore for pequena e delicada.

As situações em que há YIN demais são muito calmas e sem vida. Devem ser evitadas.

kfengshui.jpg (2155 bytes)

fsp15.jpg (4171 bytes)

10 – I CHING: O Livro das Mutações.

kiching.gif (1644 bytes)
O I CHING já foi introduzido no ocidente já há alguns anos e naquela época fez muito sucesso.Parecido como um horóscopo, serve para determinar as influências a que estamos sujeitos em determinados períodos da nossa vida.

O oráculo do I CHING consiste em 6 moedas que se jogam e que vai configurar uma certa situação, mais precisamente uma seqüência de CARAS e COROAS, isto é, uma certa sequência de YIN e YANG.

As 3 primeira moedas correspondem a um trigrama e as 3 demais a outro trigrama. A combinação desses 2 trigramas geram 64 situações de influências diferentes.O Livro do I CHING é uma enorme tabela que explana em detalhes cada uma dessas 64 influências a que as pessoas estarão sujeitas.
ATENÇÃO !A narrativa acima é verdadeira, porém representou uma ação realizada por pessoas que não tinham conhecimento necessário sobre o I CHING e passaram, para os ocidentais, uma imagem parcial e deturpada sobre o assunto.

I CHING significa mudanças e transformações e é o resultado de milhares de anos de pesquisas desenvolvidas pelos antigos sábios chineses há mais de 5.000 anos.

Que tipo de pesquisa e que fatos motivaram aqueles antigos estudiosos a se lançarem a tais pesquisas?

Se você prestar atenção, verá que existe uma série de fatos em nossas vidas que sugerem ao menos uma curiosidade. Vejamos algumas delas:

1 - Campo Magnético Terrestre: A Terra possui um campo magnético que cria um fluxo de energia que sai do polo sul e entra no polo norte. Este campo magnético desempenha um papel muito importante nas nossas vidas pois desvia a poderosa radiação nuclear que vem do sol. O sol não é uma grande fogueira como alguns imaginam. Acontecem violentas explosão nucleares que soltam radiações nucleares que torrariam a vida na terra em alguns milionésimos de segundo.

Mas isso não acontece por que as radiações são desviadas pelo campo magnético e, por causa da polaridade, a radiação é desviada para o polo norte. Uma parte dessa radiação ainda consegue passar de raspão na alta atmosfera criando o espetáculo de luzes conhecido como Aurora Boreal.

O FERRO e seus compostos são sensíveis ao campo magnético terrestre. A bússola é um dispositivo que possui uma agulha de ferro. Quando você abre uma bússola, verá que a agulha irá se movimentar sozinha, num movimento de vai e vem até parar com a ponta voltada para o polo norte. Isso prova a existência do campo magnético e mostra que a atuação do campo é poderosa e instantanea.

O sangue é vermelho porque os glóbulos vermelhos são constituídos de compostos de ferro. Quando diminui a taxa de ferro no organismo, ficamos anêmicos e não conseguimos sequer levantar da cama.

A ciência descobriu que o cérebro possui partes que desempenham funções específicas como a criatividade, a tolerância, a iniciativa, a memória visual, etc.

A pergunta do I CHING: Durante o sono, quase todas as funções são desligadas, exceto a respiração e a circulação. O sangue circulando pelo nosso cérebro não sofreria uma influênicia do campo magnético e, com isso, não teria uma tendência para circular mais por um lado do que por outro? Não seria por causa disso que somos mais tolerantes ou mais criativos?

2 - Redemoinho. Os fluídos (gases e líquidos) quando estão escoando têem uma tendência à rotação. Isso decorre do fato de a terra ser arredondada e estar girando.

No hemisfério norte (acima da linha do equador) os redemoinhos giram no sentido horário.

No hemisfério sul (abaixo da linha do equador) os redemoinhos giram no sentido anti-horário.

Então, não é só na banheira ou no tanque que podemos observar a água saindo pelo ralo girando no sentido anti-horário.

Mesmo nos ambientes, encontramos fluídos (o ar que respiramos) escoando de um lado para outro. E nesse fluxo existe a tendência de giro no sentido anti-horário.

A pergunta do I CHING: Quando permanecemos por um longo período em um recinto, os fluídos girando preferencialmente em determinado sentido, não estariam trazendo (ou tirando) energia do nosso corpo?

3 - A água sobre azulejos e os raios em uma tempestade: Quando você joga água aos pouquinhos sobre o azulejo da cozinha, a lógica diz que, por causa da força da gravidade, a água iria direto para o chão. Mas não é isso que acontece. A água forma uma pequeno filete que desenvolve um trajeto em zigue-zaque de forma totalmente aleatória e imprevisível.

Da mesma forma, os raios, que são descargas elétricas entre 2 pontos com elevada diferença de potencial elétrico, também deveria caminhar em linha reta.

A pergurnta do I CHING: Por que será que certas energias, evitam o caminho reto e preferem os caminhos tortuosos?

4 – O Sol tem uma trajetória. A energia que vem do sol é uma das principais energias responsáveis pela vida na Terra. O sol nasce no Leste, caminha meio torno e se põe no oeste. Para os habitantes do hemisfério sul, o sol tem uma trajetória legeiramente para o norte. Nas casas, as pardes voltadas para o lado leste só recebem os raios solares pela manhã, as do lado oeste somente à tarde, as do lado norte o dia inteiro e as do lado sul nunca recebem os raios solares.

A pergunta do I CHING: Não haveria uma diferença na saúde entre uma pessoa que dorme em um quarto que tem uma janela voltada para o norte e outra que dorme em um quarto que só tem uma janela voltada para o sul?

Partindo dessas e outras indagações, os sábios desenvolveram uma série de experiências práticas e descobriram diversas direções e as suas respectivas influências.

São estudos muito profundos e para compreendê-los são necessários conhecimento da cultura e da língua chinesa e muitos anos de estudos de I CHING.

Entretanto, para felicidade dos pobres mortais, elaboraram regras práticas simplificadas facilmente compreensíveis.

As 8 principais influências do I CHING são representadas por desenhos denominados trigramas feitos com traços contínuos que representa o YANG e por traços interrompidos que representa o YIN.

Estudando as direções e as influências que cada uma delas produz nas pessoas, foi elaborado e aperfeiçoado, ao longo de muitos anos, uma tabela de influências, representadas por desenhos conhecidos como TRIGRAMAS:

fstr1.gif (2038 bytes)

CHIEN: O Criador. Representa a direção noroeste e simboliza a presença de pessoas que pensam e lideram.

fstr2.gif (2038 bytes)

KAN: O Abismo. Representa a direção norte e simboliza um trabalho árduo e dificuldades profissionais.

fstr3.gif (2038 bytes)

KEN: A Montanha: Imobilidade, calma e tranqüilidade. Representa a direção nordeste e simboliza um período de espera e de solidão.

fstr4.gif (2078 bytes)

TUI: A Alegria. Representa a direção oeste e simboliza a alegria e a felicidade na família e na sociedade.

fstr5.gif (2038 bytes)

CHEN: O Movimento. Representa a direção leste e simboliza a boa saúde e as boas relações familiares.

fstr6.gif (1998 bytes)

KUN: O receptor. Representa a direção sudoeste e simboliza a maternidade e a proteção.

fstr7.gif (2038 bytes)

LI: O Envolvimento. Representa a direção sul e simboliza o reconhecimento e a fama.

fstr8.gif (2038 bytes)

SUN: A Suavidade. Representa a direção sudeste e simboliza a riqueza e a prosperidade.
kfengshui.jpg (2155 bytes)

fsp9.jpg (3099 bytes)

11 – FENG SHUI – Aplicando o 
I CHING dentro da casa.

kiching.gif (1644 bytes)
As direções de influências recomendadas pelo I CHING não valem no interior das casas.As paredes, o telhado, as portas, as janelas e até mesmo o tipo de material de que são feitos modificam as influências estudadas pelo I CHING.

Assim, as influências estarão em direções diferentes dependendo do sentido do fluxo das energias do local.

O FENG SHUI desenvolveu uma série experiências práticas para estudar a interferência de paredes e portas e também dos materiais no fluxo das energias no interior das edificações.Chegou à conclusão que, em cada ambiente, podemos identificar 8 áreas de influências.

Como Agem as Áreas de Influências:

FW – Fu Wei: SUCESSO. Área que ajuda no sucesso profissional e pessoal, harmonia, fortuna e boa forma em geral. Área boa para quartos, sala de estar, living, altar, descanso e meditação.Ajuda a pessoa atingir o seu objetivo, aquilo desejado pela pessoa. Facilita o estudo de matérias que requerem memorização como Português, História e Geografia.
SC – Sheng Chi: PROSPERIDADE. Área que favorece as atividades iterativas que precisam ser realizadas passo a passo ou com conquistas intermediárias. Boa para a porta de entrada da casa, do quarto principal, escritório, sala de estudo. Não colocar a cozinha ou banheiro aqui.Indicado para estudo de Matemática, Química, Direito e de outras disciplinas que dependem do desenvolvimento de um raciocínio lógico.
NY – Nien Yen: RELACIONAMENTO. Área boa para os relacionamentos inter-pessoais. Melhora a qualidade da vida doméstica, as relações familiares, de amizade, profissionais e comerciais. Aproxima Marido e Mulher e aproxima os filhos. Boa para os membros mais idosos da família. Favorece o casamento, a reconciliação, a amizade, o companheirismo.Aproxima as pessoas, elimina o mal-entendido e tornam as pessoas mais amigas, facilitando o diálogo, o negócio e o trabalho.
TY – Tien Yi: SAÚDE. Área que traz saúde e boa energia. Boa para copa, sala de jantar, quarto para recuperação de doenças de longa recuperação e de causas desconhecidas.Esta influência favorece a recuperação da saúde, ao mesmo tempo em que oferece uma proteção contra o desgaste físico, emocional e o estresse. Não colocar o fogão aqui pois irá queimar toda a saúde dos alimentos.
HH – Ho Hai: DIFICULDADE. Área que potencializa as dificuldades naturais, complexidade, oposição, frustrações, perdas financeiras. Local bom para depósito, armário fechado a chave. Geladeira e Freezer.Dificuldades são problemas que acontecem de forma natural sem que as pessoas contribuam para isso. Local ideal para fazer um bom planejamento, antevendo as dificuldades que serão enfrentadas.
WK – Wu Kwei: OBSTÁCULO. Área que potencializa as dificuldades criadas por pessoas, desgaste, perdas, disputa acirrada, roubo premeditado, trapaça, traição. Boa para Banheiro (dar a descarga) e para cozinha (queimar os problemas).Diferentemente de DIFICULDADE, no OBSTÁCULO existe a participação, às vezes involuntária, das pessoas. Incompetência, falta de prática, inveja, mal-olhado, ciúmes são as causas mais freqüentes. Local ideal para pensar na reunião que será realizada. Dá ênfase às características pessoais.
LS – Lui Sha: ACIDENTE. Área que favorece as perdas inesperadas e que ocorrem independentemente da vontade da pessoa, quebra, queda, doenças e acidentes. Boa para banheiro, depósito ou cozinha. Muito boa para lixeira e sumidouros como pias e lavatórios. Ótimo para lavanderia (lavar a roupa suja).As perdas acidentais não dependem da ação de pessoas e acontecem expontaneamente. Perder certos vícios ou pensamentos que o estão incomodando são acidentes muitos bons. Local bom para sala de espera de consultório médico e odontológico.
CM – Chueh Ming: DESASTRE. Área que potencializa as surpresas e fatos imprevisíveis. O resultado é a fragmentação, quebra, ruptura, acidentes bobos, perda de saúde, doenças que incomodam. Boa para Cozinha e Banheiros. Locais de atividades energéticas como cozinhar, comer e tomar banho.No desastre, os objetos passam por uma transformação. No dia a dia, muitas situações devem ser desastrosas. O ato de cozinhar, por exemplo, é um desastre para os alimentos. Eles são cortados, batidos, triturados, fritos, cozidos, etc. Um desastre! (para o alimento, é claro)
kfengshui.jpg (2155 bytes)

fsp21.jpg (5158 bytes)

12 – A Bússola PÁ KUÁ para Edifícios.

kiching.gif (1644 bytes)
Existem 8 tipos de ambientes e cada um deles apresenta um quadro próprio de influências das energias YIN e YANG.Para determinar qual é o tipo de KUÁ de cada um dos ambientes da sua casaa, você deve contratar uma Consulta Domiciliar. Nesta Consulta, o profissional de Feng Shui irá em cada um dos ambientes e em função do tipo de ambiente, sua ocupação e direcionamento do ambiente em função dos condicionantes internos e externos irá determinar qual dos 8 KUÁs é o KUÁ daquele ambiente.

bussola1.gif (20113 bytes)

Abaixo está representada uma dessas bússolas PÁ KUÁ.

paquan.jpg (178966 bytes)

Em cada ambiente existem lados e cantos onde atuam as influências sobre a saúde, prosperidade, acidentes, etc.Depois que o Especialista em Feng Shui determinar o kuá do local, estude as influências que recebe cada uma das 8 áreas.

Rearranje os móveis em função dessas influências. A cama, por exemplo, pode ficar na região da saúde. Você vai ter um sono reparador e ao acordar seu corpo vai estar totalmente renovado de saúde pronto para enfrentar o dia.

Ao rearranjar os móveis lembre-se que não é bem a posição dos móveis mas sim a posição da pessoa no móvel é que importa.

Outro arranjo seria a cama na região do Obstáculo. Você que lida com gente (Promotor ou Gerente de Vendas) e no comando da sua equipe precisa de sentimentos como simpatia e carisma vai ser fortemente influenciado pela energia de Obstáculo e assim, perceber ou descobrir por que certas pessoas agem de determinadas maneiras e de como você poderá influenciá-la para atitudes pró-ativas em benefício da equipe. 

Ao permanecer por um longo período (várias horas) nessa posição, você vai acordar e ter estalos e lampejos de idéias para conduzir melhor a sua equipe. 

Outro exemplo:Na sala de visitas, por exemplo, você deseja colocar 2 sofás. Então coloque um deles na área das “dificuldades” e o outro na área da “prosperidade”. Veja como você pode tirar proveito dessa situação:Situação 1:  Uma pessoa veio te visitar e você já sabe, ou desconfia, que ela veio para “brigar”. Então você, ao recebê-la, oferece o sofá dasdificuldades para ela sentar, e você senta no sofá da prosperidade. Ela vai ter muita dificuldade e talvez nem consiga chegar ao “assunto” principal que ela veio tratar.

Situação 2: Uma pessoa veio te visitar à procura de ajuda pois está com problemas e está muito deprimida. Então você oferece a ela o sofá da prosperidade e você senta no sofá das dificuldade. Ao longo da conversa (desabafo) ela vai “progredindo” e recuperando a auto-estima. Enquanto isso, você vai “caindo” e toda vez que você abrir a boca, ela vai ter a sensação de que o “problema” dela é muito pequeno perante as suas “grandes dificuldades”.

Depois de um certo tempo de conversa ela vai sentir-se bem melhor, aliviada e vai embora muito feliz.

kfengshui.jpg (2155 bytes)

fsp22.jpg (5158 bytes)

13 – A Bússola PÁ KUÁ para Pessoas.

kiching.gif (1644 bytes)
As pessoas também podem ser agrupadas em torno de 8 tipos.Cada pessoa possue um NÚMERO KUÁ. Esse número é determinado pelo ano em que a pessoa nasceu.

A forma de se determinar o número KUA é diferente para homens e mulheres.

Não é necessário ter habilidades matemáticas para encontrar o seu número KUÁ. Abaixo apresentamos duas tabelas que fornecem o número KUÁ diretamente a partir do ano do nascimento:

bussola1.gif (20113 bytes)

DETERMINAÇÃO DO NÚMERO KUÁ PARA MULHERES

14

23

32

41

50

59

68

77

86

95

05 13 1

15

24

33

42

51

60

69

78

87

96

06 14 2

16

25

34

43

52

61

70

79

88

97

07 15 3

17

26

35

44

53

62

71

80

89

98

08 16 4

10

19

28

37

46

55

64

73

82

91

01

09

6

11

20

29

38

47

56

65

74

83

92

02

10

7

12

18

21

27

30

36

39

45

48

54

57

63

66

72

75

81

84

90

93

99

2000

03

11

8

13

22

31

40

49

58

67

76

85

94

04

12

9

DETERMINAÇÃO DO NÚMERO KUÁ PARA HOMENS

10

19

28

37

46

55

64

73

82

91

01

10

9

11

20

29

38

47

56

65

74

83

92

02

11

8

12

21

30

39

48

57

66

75

84

93

03

12

7

13

22

31

40

49

58

67

76

85

94

04

13

6

15

24

33

42

51

60

69

78

87

96

06

14

4

16

25

34

43

52

61

70

79

88

97

07

15

3

14

17

23

26

32

35

41

44

50

53

59

62

68

71

77

80

86

89

95

98

05

08

05

16

2

18

27

36

45

54

63

72

81

90

99

2000

09

17

1
AJUSTE DE CALENDÁRIOS:O calendário utilizado aqui no ocidente é o calendário Juliano com o ano tendo número de dias fixos de 365 dias, exceto nos anos bissextos.
Na China, o calendário é baseado no Ciclo Lunar. O primeiro dia do ano, o Ano Novo Chinês, ocorre na primeira Lua Nova do ano.

Você que nasceu no mês de janeiro ou de fevereiro deve verificar se o dia do seu nascimento faz parte do ano novo ou do ano anterior.

00

01

02

03

04

05

06

07

08

09

1900

1910

1920

1930

1940

1950

1960

1970

1980

1990

2000

2010

31/01

19/02

18/02

29/01

16/02

04/02

25/01

13/02

02/02

22/01

10/02

30/01

18/02

26/02

26/01

14/02

03/02

23/01

11/02

01/02

20/02

08/02

28/01

16/02

05/02

25/01

13/02

02/02

23/01

10/02

30/01

17/02

16/02

26/01

14/02

04/02

24/01

11/02

31/01

19/02

08/02

27/01

15/02

25/02

25/01

13/02

02/02

22/01

10/02

29/01

17/02

06/02

27/01

14/02

03/02

24/01

12/02

31/01

18/02

08/02

28/01

15/02

05/02

25/01

13/02

02/02

21/01

09/02

30/01

17/02

06/02

27/01

16/02

23/02

23/01

11/02

31/01

18/02

07/02

28/01

16/02

05/02

25/01

13/02

02/02

20/02

09/02

29/02

17/02

06/02

27/01

15/02

04/02

23/01

10/02

31/01

19/02

08/02

28/01

16/02

05/02

24/01

12/02

01/02

22/01

09/02

29/01

18/02

07/02

26/01

24/02

03/02

23/01

10/02

31/01

19/02

08/02

28/01

16/02

05/02

A tabela acima apresenta o primeiro dia do ano chinês de cada ano.

Por exemplo, o ano novo chinês do ano 1973 é comemorado no dia 23 de fevereiro, isto é, o ano 1973 começa no dia 23 de fevereiro. Então, uma pessoa nascida no dia 22 de fevereiro de 1973 deve ser considerada como nascida ainda no ano de 1972. Somente quem nasceu no dia 23 é que será considerado como nascido no ano de 1973.

Exemplo de uma bússola PÁ KUÁ

Bússola PÁ KUÁ para pessoas com Número KUÁ 1. 
Atenção! Esta bússola só serve para pessoas tipo 1. Para outros números KUÁ deve se consultar outras bússolas.

pakua1.jpg (181038 bytes)
© Professor WATANABE

kfengshui.jpg (2155 bytes)

fsp21.jpg (5158 bytes)

14 – Os Objetos FENG SHUI.

kiching.gif (1644 bytes)
Nem sempre é possível colocar a cama, a mesa ou o sofá no local mais indicado para a atividade que você pretende desenvolver.Por exemplo, a escrivaninha deveria ficar na área da Prosperidade, mas essa área é onde fica justamente a porta de entrada.

É possível ainda beneficiar-se da influência da Prosperidade mesmo quando a mesa não ficar exatamente nesta área?

Como solucionar os aspectos negativos do ambiente:

Para receber a influência de Saúde, por exemplo, você deveria ficar “bem no meio” da área de influência de Saúde.Acontece que nem sempre isso é possível. Uma porta, uma janela ou armário podem atrapalhar.

Felizmente existem os Objetos FENG SHUI.

Os objetiso FENG SHUI possuem a propriedade de potencializar ou de absorver a influência do local.

Determinados tipos de objetos colocados em posições estratégicas podem absorver ou potencializar as energias.

Diversos são tipos de objetos que podem ser usados para essa finalidade.

São considerados Objetos FENG SHUI:

Objetos brilhantes que produzem luzes, brilhos ou reflexos como lâmpadas, lustres, abajur, espelhos, janelas, etc. Um abajur colocado numa área de sucesso irá emitir energia luminosa impregnada de influência de sucesso.

Seres vivos como plantas e animais. Um vaso com plnatas, um aquário, cachorro e gatos são fortes objetos FEGN SHUI.  Os animais conseguem sentir as energias. Um gato, por exemplo, fica rondando na sala até encontrar o local com a energia adequada com aquilo que ele está sentindo naquele momento. Um vaso somente com folhagens e sem flores vai absorver a energia. Então é ideal para locais de má influência.

Objetos que produzem sons agradáveis e aleatórios. Sinos de vento, móbiles, rádio, som da TV, etc. O som é mais penetrante que a luz. A luz não vira esquina mas o som penetra pelo corredor e vai até o quarto.

Objetos que dão a impressão de solidez e estabilidade. Estátuas de pedra, mesa de pedra ou de madeira maciça. Uma mesa de madeira é melhor que uma mesa de plástico.

Os locais da sala e dos quartos que simbolizam PROSPERIDADE, SAÚDE e outras coisas boas, nunca podem ficam sem nada e no escuro. Coloque um objeto “vivo” e se possível jogue um foco de luz. Faça com que aquele canto fique “bem vivo” e passe a irradiar saúde, longevidade, prosperidade e bons negócios para a casa toda.

As portas devem ser de material sólido e pesado. Portas leves, de plástico e portas transparentes, de vidro, não isolam adequadamente e deixam de exercer a sua função principal.

Você pode “quebrar” um corredor comprido colocando uma planta no meio dele. Pode também pintar uma parte do corredor com outra cor ou colocar lâmpadas de cor diferente. Colocar um monte de quadros ou uma passadeira diferente numa parte do corredor também consegue “quebrar” o corredor.

De todos os aposentos de uma residência, o mais importante é o quarto de dormir. É lá que passamos cerca de 1/3 da nossa vida. Veja no site www.ebanataw.com.br/dormir.htm mais detalhes sobre o nosso sono.

O formato ideal de quarto é o redondo, pois não tem nenhuma dimensão predominando nem cantos vivos. Mas nem sempre isso é possível. Evite quartos em “L ” ou muito compridos.

É bom que a casa tenha 3 pias. Uma para lavar as coisas sujas que vêm de fora como as verduras, as frutas as garrafas de bebida, etc. Até chegar à sua casa, o pé de alface já passou por muitas mãos e foi rejeitado muitas vezes. A garrafa de refrigerante ficou estocado durante meses no chão do supermercado no meio de baratas e ratos. Essa pia vai lavar a sujeira de fora. O local ideal dessa pia é na lavanderia. A sujeira vai ficar nessa pia e não será levada para dentro de casa.

A outra pia é para cozinhar. Os pratos que preparamos no fogão leva água. Água que vamos consumir. Deve ser uma água pura, limpa.

A terceira pia é para lavar os pratos onde nós mesmo fizemos a sujeira. Ao terminar uma refeição, o seu prato está repleto de sujeira, coisas que você mesmo descartou, casca de frutas, sementes, etc. que você cuspiu no prato.

Quando você esfrega com força os pratos e as panelas, você está descarregando muita energia YIN e quando você coloca o prato de baixo da torneira e vê toda aquela sujeira sendo levada embora isso é muito YANG.

Procure não montar a salada na mesma pia onde a verdura foi lavada. A pia é o ralo onde jogamos fora o que há de ruim. A pia é muito YIN.

Dentro da cozinha (montar um Mapa PÁ KUÁ) o fogão deve ficar numa das posições negativas CH,HH,LS ou WK. É lá que vamos “queimar”, “torrar”, as coisas ruins até ficarem boas. O fogão é muito YIN por causa da sua finalidade. Por isso a sua frente deve estar voltada para uma das posições positivas.

Embora os espelhos devam ser evitados no quarto de dormir, eles são recomendados para a Sala de Refeições, a Copa e Jantar pois potencializam as energias dos alimentos.

kfengshui.jpg (2155 bytes)

fsp9.jpg (3886 bytes)

15 – Como aplicar os Ensinamentos FENG SHUI.

kiching.gif (1644 bytes)
Não é muito difícil aplicar os ensinamentos FENG SHUI, desde que se tenha um pouco de prática.Difícil mesmo é compreeder as razões que estão por detrás desses ensinamentos.

São experiências que foram sendo aprimoradas ao longo de muitos milhares de anos e que para a sua perfeita compreensão necessita-se uma boa base vivencial das tradições e cultura chinesa.

Quando se consulta um livro, quer de I CHING, quer de FENG SHUI, original chinês, encontra-se muitas referências a animais como dragões, tigres e tartarugas.

É muito difícil para um ocidental compreender essas referências.

Ao preparar esse site sobre FENG SHUI, procurei transportar a experiência oriental para algo palpável, algo compreensível e que tivesse algum significado lógico para a nossa cultura ocidental.

Porisso, certas referências do tipo: “As três montanhas” ou “Cinco Elementos” ou “Animais Sagrados” foram evitadas ao máximo.

A perfeita compreensão do I CHING e do FENG SHUI exige muitos anos de estudo, pesquisa e dedicação.

Perante este fato, os antigos sábios chineses achavam uma pena o homem comum não poder tirar proveito do I CHING e, com isso, melhorar a sua vida.Desenvolveram, então,  uma série de receitas práticas para facilitar a compreensão e a aplicação.

O assunto é muito amplo e não se deve estudar de forma parcial, sob o risco de agravar a situação.

Você mesmo, internauta, poderá colocar alguns ensinamentos em prática baseando-se nesses parcos ensinamentos contidos nesse e em outros sites sobre o assunto. Existem também centenas de livros sobre o assunto.

Mas se você sentir que a coisa é muito séria ou maior do que você poderá enfrentar, contrate a Consultoria de um Especialista.

Existem muitos estudiosos do assunto que poderão prestar uma boa consultoria para você ou para a sua empresa.

O que deve abranger uma boa consulta FENG SHUI:

Uma consulta completa de FENG SHUI deve fornecer diversos “mapas” onde se possa ver os locais em que as energias favorecem a prosperidade, a saúde, etc.A disposição dos móveis e a decoração não são coisas estáticas e imutáveis. De vez em quando mudamos alguma coisa por necessidade ou mesmo por capricho.

É nessas horas que precisamos dos mapas.

1 – Mapa PÁ KUÁ das coisas que estão fora do prédio, com o estudo das influências dos acidentes geográficos, prédios e arruamento da região e do quarteirão.

2 – Mapa  PÁ KUÁ da parte interna do prédio com as posições favorecidas para cada tipo de ocupação (dormitório, estar, cozinha, etc.).

3 – Mapa PÁ KUÁ individual para cada compartimento (sala, cozinha, escritório, banheiro, etc.).4 – Mapa PÁ KUÁ de cada ocupante (morador ou trabalhador) daquele prédio.

Os mapas devem indicar as posições favorecidas para cada tipo de influência.

O morador deve completar os Mapas com indicação da posição dos móveis e as alterações que foram introduzidas.

As influências ocorrem ao longo de muitos anos de modo que os moradores necessitam de uma certa paciência para sentir as melhoras.

CUIDADO:Já existe considerável literatura sobre FENG SHUI e você encontrará recomendações conflitantes entre livros de autores diferentes.

É que as influências das energias variam de acordo com o local. No hemisfério norte algumas energias atuam de uma certa forma e no hemisfério sul de forma exatamente contrária.

As recomendações contidas em um livro escrito por um especialista que mora no hemisfério norte, não se aplicam para os moradores do hemisfério sul. Então, os livros traduzidos para o português, originariamente escritos em inglês, não servem para serem aplicados no Brasil.

A grande maioria dos livros sobre o assunto foram produzidos em países do hemisfério norte (China, Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos). Nenhum deles servem para as condições brasileiras.

A força do redemoinho é maior quanto mais próximo dos polos. Então, os moradores de estados como Rio Grande do Sul e Santa Catarina são mais sensíveis aos movimentos dos fluídos, enquanto que os que moram em regiões mais próximas à Linha do Equador como nos estados da região Norte e Nordeste são pouco influenciados ou não sofrem nenhuma influência.

Os locais de concentração de pessoas como auditórios, igrejas, salões de baile e anfiteatros devem ser cuidadosamente orientados e detalhados para que se obtenha a harmonia geral, normalmente desejada nesses tipos de ambientes.

Referência:ebanataw

Mitologias, magias Celta & Romana;velas & incensos terça-feira, nov 1 2011 


Propriedades dos óleos essenciais

Óleos Essenciais podem ser usados para perfumar as mãos e as velas.


Alecrim: Indicado para esgotamentos físicos e mentais, dispersão e apatia. Pessoas hipertensas e angustiadas se beneficiam com inalação do aroma de alecrim.


Amêndoa:
 Utilizado para magias amorosas e restabelecimento da saúde física e mental.


Cedro: Utilizado como sedativo e relaxante, principalmente em dores musculares e crises de asma. No nível sutil é utilizado como símbolo do perdão ou para estimular a concentração meditativa.


Cipreste: Favorece a alquimia interior, a transmutação. Pode-se usar para meditação em grupo.


Gerânio: Indicado para aqueles que estão em busca do potencial criativo, que deseja romper com situações de acomodação ou medos desconhecidos.


Hortelã: Facilita assimilação de idéias, comunicação e auto-expressão. Devolve o bom humor.


Jasmim: O jasmim simboliza o deus do amor “Kama”, segundo os rituais hindus. Na China é usado para comemorar o Ano Novo. Usado para purificar ambientes onde existem pessoas doentes, e em locais de discórdia e agressividade.


Lavanda: Oriunda do latim “lavare”, se destina à purificação. Também organiza os pensamentos, e se for passada nas têmporas alivia dores de cabeça.


Manjericão: Está associado ao discernimento, coragem, força física, propósito, justiça e harmonia.


Mirra: Está associado a nossa luz interior, criatividade, dinamismo, liderança e ação.


Olíbano: Acalma e desperta a consciência superior e concede o perdão às nossas culpas.


Rosa: Traz alegria, felicidade e harmonia ao lar.


Sândalo: Muito usado em rituais de purificação e meditação, pois acredita-se que tem propriedades de libertação mental. Indicado para ansiedade, medo, repressão ou apatia sexual. Aplica-se uma gota no meio da testa para para que tenhamos a verdadeira visão dos fatos.

Deidades Pagãs

 

Os nomes dos Deuses variam de panteão para panteão, de acordo com a cultura de um povoado ou nação. Para os egípcios, por exemplo, ísis seria a personificação da Grande Mãe, da Senhora, da Deusa, enquanto que, para os celtas, ela seria Cerridwen.


O mesmo acontece com os nomes dos deuses: Hermes é o deus mensageiro dos gregos, enquanto que Mercúrio responderia pela mesma “pasta” para os romanos. Ou Hélio seria o deus-sol dos gregos, enquanto que, para os celtas, esse seria chamado de Lugh.


A bruxa é muito particular na sua crença. Ela pode sentir maior afinidade pelo panteão e a tradição egípcia, por exemplo, e cultuar ísis, Bastet, Hathor, Thoth, Osíris, etc, ou se identificar mais com a história greco-romana e reverenciar os deuses deste panteão. A afinidade e atração por divindades de vários panteões é algo muito particular.


Os principais deuses e deusas, por exemplo, do panteão celta são:


Angus Mac Og - Deus da Juventude, do Amor e da Beleza na Irlanda Antiga. Um dos Tuatha de Dannan, Angus possuía uma harpa dourada que produzia música de irresistível doçura. Os seus beijos transformavam-se em pássaros que transportavam mensagens de amor.


Anu / Annan / Dana / Dannan - Deusa Mãe, da Abundância, sendo a maior de todas as deusas do panteão irlandês. Aspecto virginal da Deusa Tríplice, formada com Badb e Macha, guardiã do gado e da saúde. Deusa da Fertilidade, da Prosperidade e do Conforto.


Arawn - Regente do Inferno, Annwn, o Submundo na tradição galesa. Representa a vingança, o terror, a guerra.


Arianrhod - Seu nome significa Roda de Prata ou Grande Mãe Frutuosa. Arianrhod é a Face Mãe da Deusa Tríplice para os povo de Gales. Honrada em especial na Lua Cheia, ela é a guardiã da Roda de Prata, símbolo do tempo e do karma. Senhora da Reencarnação.


Badb - Seu nome, que se pronuncia Baid, foi traduzido como Corvo de Batalha, ou Gralha Escaldada, que representaria o caldeirão da vida, conhecido em Gales como “Cauth Bodva”. Badb, deusa da Guerra, é esposa de Net, também deus da Guerra. Irmã de Macha, a Morrigu, e de Anu. Aspecto Maternal da Deusa Tríplice irlandesa. Associada ao caldeirão, aos corvos e às gralhas, Badb rege a vida, a sabedoria, a inspiração e a iluminação.


Banba - Deusa irlandesa que, juntamente com Fotia e Eriu, usava a magia para repelir os invasores.


Bel / Belenus / Belenos / Belimawr - Seu nome significa “brilhante”, sendo o Deus do Sol e do Fogo dos irlandeses. Belenos dá seu nome ao festival de Beltane, ou Beltain, festa de purificação e fertilidade comemorada em 1 de maio no hemisfério norte. Belenos era ainda ligado à ciência, cura, fontes térmicas, fogo, sucesso, prosperidade, colheita e à vegetação.


Blodeuwedd - Seu nome foi traduzido como “flor branca”, sendo representada, muitas vezes, com um lírio branco nas cerimônias de iniciação celtas de Gales. Criada por Math e Gwydion, o Druida, para ser esposa de Lleu, foi transformada em coruja por causa do seu adultério e da conspiração para a morte do marido. Aspecto virginal da Deusa Tríplice dos galeses, Blodeuwed tinha por símbolo uma coruja. Seu domínio é o das flores, sabedoria, mistérios lunares e iniciações.


Boann / Boannan / Boyne - Deusa do rio Boyne, na Irlanda, mãe de Angus mac Og com o Dagda.


Bran - O Abençoado. Bran era irmão do poderoso Manawydan ap Llyr e de Branwen, sendo filho de Llyr, do folclore galês. Associado aos corvos, Bran é o deus das profecias, das artes, dos chefes, da guerra, do Sol, da música e da escrita.


Branwen - Irmã de Bran e esposa do rei irlandês Matholwch. Vênus dos Mares do Norte, filha de Llyr, uma das três matriarcas da Grã-Bretanha. Branwen é chamada Dama do Lago, sendo a deusa do amor e da beleza no panteão galês.


Brigit / Brid / Brigid / Brig - Seu nome significa “flecha de poder”. Brigit era filha do Dagda, sendo chamada A Poetisa. Outro aspecto de Danu, associada a Imbolc. Tinha uma ordem dedicada a ela, formada só por mulheres, em Kildare, na Irlanda, que se revezavam para manter o fogo sagrado sempre aceso. Deusa do fogo, fertilidade, lareira, todas as artes e ofícios femininos, artes marciais, curas, medicina, agricultura, inspiração, aprendizagem, poesia, adivinhação, profecia, criação de gado, amor, feitiçaria, ocultismo.


Cernunnos - Seu nome deve ser pronunciado como se tivesse um “k”: kernunnos. Deus Cornudo, Consorte da Grande Mãe, deus da Natureza, Senhor do Mundo. Comumente representado por um homem sentado na posição de lótus, cabelo comprido e encaracolado, de barba, nú, usando apenas um torque (colar celta) ao pescoço, ou ainda por um homem de chifres, sendo, por isso, erroneamente comparado ao diabo dos cristãos. Os seus símbolos eram o veado, o carneiro, o touro e a serpente. Deus da virilidade, fertilidade, animais, amor físico, natureza, bosques, reencarnação, riqueza, comércio e dos guerreiros.


Cerridwen / Ceridwen / Caridwen - Deusa da Lua do panteão galês, sendo chamada de Grande Mãe e A Senhora. Deusa da natureza, Cerridwen era esposa do gigante Tegid e mãe de uma linda donzela, Creirwy, e de um feio rapaz, Avagdu. Os bardos galeses chamavam a si mesmos de Cerddorion, filhos de Cerridwen. Há uma lenda que diz que o grande bardo Taliesin, druida da corte do rei Arthur, nascera de Cerridwen e se tornara grande mago após tomar algumas gotas de uma poderosa poção de inspiração que Cerridwen preparava no seu caldeirão. Cerridwen é ainda a deusa da Morte, da fertilidade, da regeneração, da inspiração, magia, astrologia, ervas, poesia, encantamentos e conhecimento.


Dagda - No folclore irlandês, o Dagda era chamado de O Bom Deus, Grande Senhor, Pai dos deuses e dos homens, o Arquidruida, deus da magia, da terra. Rei supremo dos Tuatha de Dannan, mestre de todos os ofícios, senhor de todos os conhecimentos. Teve vários filhos, entre eles Brigit, Angus, Midir, Ogma e Bodb, o Vermelho. O Dagda tinha uma harpa de carvalho vivo que fazia com que as estações mudassem quando assim o ordenasse. Deus dos magos e sacerdotes, senhor dos artesãos, da música e das curas.


A Dama Branca - Conhecida em todos os países celtas, era identificada como Macha, Rainha dos Mortos, a forma idosa da Deusa. Simbolizava a morte e a destruição. Algumas lendas chamam-na de Banshee, aquela que traz a morte.


Danu / Dana / Dannan - Principal Deusa Mãe dos irlandeses, às vezes identificada com Anu. Mãe dos Tuatha de Dannan, Povo de Dana, o Povo Mágico, descendente dos deuses, que se escondeu com a chegada dos cristãos às terras celtas. Outro aspecto da Morrigu, Danu é a patrona dos feiticeiros, dos rios, das águas, dos poços, da prosperidade e abundância, da sabedoria e da magia.


Druantia - “Rainha dos Druidas”, deusa ligada à fertilidade, às atividades sexuais, às árvores, à proteção, ao conhecimento e à criatividade.


Dylan - Filho da Onda, Dylan era o deus do mar para os antigos galeses, sendo filho de Gwydion e Arianrhod. Seu símbolo era um peixe prateado.


Elaine - Aspecto virginal da Deusa no panteão galês.


Epona - Seu nome significa “grande cavalo”, sendo homenageada em Gales como deusa dos cavalos. Seus atributos incluíam ainda a fertilidade, a maternidade, a prosperidade, os animais, a cura e a colheita.


Eriu / Erin - Filha do Dagda, Erin era uma das três rainhas dos Tuatha de Dannan da Irlanda.


Flidais - Deusa da floresta, dos bosques e criaturas selvagens do povo irlandês. Viajava numa carruagem puxada por veados e tinha a capacidade de mudar de forma.


Goibniu / Gofannon / Govannon - Era o Grande Ferreiro do povo irlandês, semelhante a Vulcano. Foi ele quem forjou todas as armas dos Tuatha de Dannan. Estas armas sempre atingiam o alvo e toda ferida provocada por elas era fatal. Deus dos ferreiros, dos fabricantes de armas, da ourivesaria, fabricação da cerveja, fogo e trabalho com metais em geral.


Gwydion - O Grande Druida dos galeses. Feiticeiro e bardo do Norte de Gales, seu símbolo era um cavalo branco. Rege a ilusão, as mudanças, a magia, o céu e as curas.


Gwynn ap Nud - Rei das fadas e do submundo na tradição galesa.


Gwythyr - Oposto de Gwynn ap Nud, Gwythyr era o senhor do mundo superior, também no folclore galês.


Herne - O Caçador, era associado a Cernunnos, o Deus Cornudo, e acabou sendo, também, associado à floresta de Windsor.


O Homem Verde (Green Man) - O Homem Verde tinha os mesmos atributos de Cernunnos, sendo igualmente uma divindade cornuda que habitava as florestas. Deus dos bosques, seu nome, em galês antigo, é Arddhu (O Escuro) ou Atho.


Llyr / Lear / Lir - No folclore galo-irlandês, Llyr era o deus do mar e da água, sendo considerado, ainda, senhor do mundo subterrâneo. Llyr era pai de Manawyddan, de Bran e de Branwen.


Lugh / Luga / Lamhfada / Llew / Lug / Lug Samildanach / Llew Llaw Gyffes / Lleu / Lugos - Na Irlanda e em Gales, Lugh era chamando O Brilhante. Deus do Sol e da guerra, era associado aos corvos, tendo por símbolo, em Gales, um veado branco. Sua festividade é Lughnasadh, outra festa da colheita. Era filho de Cian e de Ethniu. Tinha uma espada e uma funda mágica. Lugh era carpinteiro, pedreiro, ferreiro, harpista, poeta, druida, médico e ourives. Seu domínio incluía a magia, o comércio, a reencarnação, o relâmpago, a água, as artes e ofícios em geral, viagens, curas e profecias.


Macha - O Corvo. Rainha da Vida e da Morte no panteão irlandês. Um dos aspectos da Morrigu, era reverenciada também em Lughnasadh. Após uma batalha, os irlandeses cortavam as cabeças dos vencidos e ofereciam a Macha, sendo este costume chamado de A Colheita de Macha. Deusa protetora da guerra, e da paz, Macha regia também a astúcia, a força física, a sexualidade, a fertilidade e o domínio sobre os machos.


Manannan mac Lir / Manawyddan ap Llyr / Manawydden - Filho do deus do mar, Llyr, era homenageado como uma das principais divindades do mar pelos irlandeses. Reverenciado ainda como protetor dos navegadores, deus das tempestades, da fertilidade, da navegação, dos mercadores e do comércio. Tinha uma armadura mágica que se dizia ser impenetrável.


Math Mathonwy - Deus da feitiçaria, da magia e do encantamento no folclore galês.


Merlin / Merddin / Myrddin - Figura já conhecida do círculo da mitologia arturiana, este era o Grande Feiticeiro, o Druida Supremo dos galeses. Dizia-se que aprendeu sua magia (que não era pouca) com a própria Deusa, sob os nomes de Morgana, Viviane, Nimue ou Rainha Mab. A tradição diz que Merlin dorme numa caverna de cristal depois de enganado por um encantamento de Nimue. Merlin era o senhor da ilusão, da profecia, da adivinhação, das previsões, dos artesãos e ferreiros. Diz-se ainda que tinha grande habilidade de mudar de forma.


Morrigu / Morrigan / Morrighan / Morgan - A Morrigu era tida como a Grande Rainha, Senhora Suprema da Guerra, Rainha dos Fantasmas e Rainha Espectro, pois possuía uma forma mutável. Reinava sobre os campos de batalha, ajudando com sua magia. Representa o aspecto idoso da Deusa Tríplice, sendo associada aos corvos e gralhas. Patrona das sacerdotisas e feiticeiras.


Nuada / Nuda / Nodons / Nodens / Lud / Llud Llaw Ereint - No folclore galo-irlandês, era reverenciado como o senhor dos deuses, como Júpiter. Possuía uma espada invencível, guardada pelos Tuatha de Dannan. Nuada era o deus da cura, da água, dos oceanos, da pesca, da navegação, dos carpinteiros, ferreiros, harpistas, poetas e narradores de histórias.


Ogma / Oghma / Ogmios / Grianainech / Cermait -
 Herói semelhante a Hércules, Ogma tinha uma enorme maça com a qual defendia seu povo, os Tuatha de Dannan, sendo eleito seu campeão. A tradição diz que foi ele quem inventou o alfabeto ogham, utilizado pelos antigos druidas, baseado em árvores consideradas mágicas. Ogma rege a eloquência, os poetas, escritores, a inspiração, a força física, a linguagem, a literatura, as artes, a música e a reencarnação.


Rhiannon - Grande rainha dos galeses, Rhiannon era a protetora dos cavalos e das aves. Rege os encantamentos, a fertilidade e o submundo. Aparece sempre montando um veloz cavalo branco.


Scathach / Scota / Scatha / Scath - Seu nome traduzia-se como A Sombra, Aquela que combate o medo. Deusa do submundo, Scath era a deusa da escuridão, aspecto destruidor da Senhora. Mulher guerreira e profetisa que viveu em Albion, na Escócia, e que ensinava artes marciais para os guerreiros que tinham coragem suficiente para treinar com ela, pois era tida como dura e impiedosa. Não foi à toa que o adestramento do herói Cu Chulainn foi levado a cabo por ela mesma, considerada a maior guerreira de toda a Irlanda. Scath era ainda a patrona dos ferreiros, das curas, magia, profecia e artes marciais.


Taliesin - Taliesin o Bardo, foi o druida chefe da corte de Arthur, um dos maiores reis da Inglaterra. Dominava a arte da escrita, a poesia, a sabedoria, a magia e a música. Taliesin é tido como patrono dos druidas, bardos e menestréis.

DEUSES e DEUSAS

GLOSSÁRIO DE DEUSAS

 

Adit (hindu) Mãe de Adytas, Mitra e Varnuak, Aditi significa, literalmente, “livre de laços” . Não há dúvida de que a expressão se refere ao céu infinito, que é o domicílio de seus “filhos”: o sol, alua, a noite e o dia. Aditi é o céu, o ar, todos os deuses, as cinco nações, é o passado e o futuro.

Afrodite (grega) Deusa do amor, tanto no que tem de mais nobre quanto de degradado. Na sua origem foi também a Deusa da fertilidade. A lenda conta que é a filha de Zeus e Dione, mas a tradição homérica criou outra história bem mais interessante para seu nascimento: quando Cronos castrou o pai, Urano, jogou seus órgãos genitais no mar. Eles flutuaram, formaram uma espuma branca e dela saiu Afrodite, a essência da beleza feminina.

Amaterasu (japonesa) Deusa do Sol, a lenda conta que Amaterasu nasceu do olho de Izanagi e é adorada tanto como um corpo celestial quanto como divindade espiritual, e também como ancestral da família imperial.

Ambika (hindu) é um aspecto da Deusa Kali. É chamada de “Pequena mãe” e considerada a geradora, localizando-se junto a outras deusas que personificam vários aspectos da divindade. Ambika tem o lado destruidor que aparece em suas batalhas contra os demônios.

Ananke (grega) Chamada também de Necessidade, ela é mãe das Parcas. O Fuso da necessidade repousa em seu colo.

Angeborda (nórdica) Deusa escandinava gigante, tem três filhas: a cobra gigante, a que traz o fim do mundo e a rainha da morte.

Anu (celta) Os deuses celtas na Irlanda são frequentemente chamados de Povo da deusa Danu, mas isso não significa que ela tenha dado à luz todos. A Deusa Anu (ou Ana) era confundida com ela. Anu foi uma antepassada primitiva.

Ariadne (grega) Filha de Minos, Ariadne foi trazida por Teseu para Creta e abandodada. Ela dormiu á beira da água, em Naxos, e, quando acordou e percebeu que Teseu fora embora, pôs-se a chorar. Dionísio a viu, casou-se com ela, pouco depois tiveram três filhos. É ela que conduz os seres humanos através do labirinto.

Arinrhod (britânica) Filha de Don, mãe de Llew, Arianrhod tem o aspecto da Iniciadora.

Artemis (grega) A Caçadora, a princípio era uma divindade agrícola, adorada especialmente na Arcadia. Artemis é deusa da caça e da floresta, seu caráter é lunar e ela é representada como uma jovem virgem.

Astarte (babilónica) Seus ritos envolviam o oferecimento da virgindade das jovens a estranhos. Astarte personificou o mais belo dos corpos celestes, o planeta Vénus. Deusa do amor e da guerra, é raramente mencionada.

Atena (grega) Patrona de Atenas, foi objecto de um culto especial. Adorada como deusa da guerra, das artes, da paz e da inteligência prudente. Nos primórdios de se culto, era venerada como noite de tempestade e tinha um culto meteorológico.

Atropos (grega) Atropos era uma da Moiras (terminologia grega), chamadas de Parcas pelos romanos. Para Homero, representava o destino individual, do qual nenhum mortal escapa. As Parcas eram em número de três e filhas da noite. Era Atropos quem media o fio da vida.

Bagala (hindu) Protectora, ela é uma das Dasa – Mahavidya. Destrói as formas negativas e é representada com cabeça de garça.

Baubo (grega) A energizadora Baubo era conhecida por sua irreverência e maus modos. Quando ofereceu uma bebida especial que tinha preparado para Deméter e esta recusou, fez gestos obscenos para a deusa, que achou muita graça, ao invés de se zangar.

Beltia (babilônica) Era “A Senhora”, reinando  nos céus. Seus  adoradores a exaltavam, dizendo que ela estava acima de todos os deuses  e tinha  a capacidade de aliviar sofrimentos, dar vida, alegria e prazer.

Bhairavi (hindu) Umas das Dasa-mahavidyas, Bhairavi é outro nome pelo qual Parvati, a personificação do “poder”de Shiva, é conhecida. O nome dessa deusa tem um adendo: a terrível. Ela está sempre ligada ao poder, à destruição  e ao sangue, embora tenha aspectos da Preservadora e da Criadora de Tudo.

Bona Dea (romana) Ela é a “A Boa Deusa”, patrona dos ritos femininos. Seu culto era administrado pelas vestais virgens e só era frequentado por mulheres.

Brígida (irlandesa) Foi frequentemente confundida e portanto, encarada, como a  deusa tripla. Sua adoração difundiu – se  mais do que a de Anu e sobreviveu no cristianismo como Santa Brígida (ou Brida). Parece provável que ela tenha sido uma divindade que encarnava o conceito e a figura da deusa-mãe. Brígida era protectora da cura, do artesanato e da poesia.

Cailleach (celta) A deusa céltica tem um aspecto sombrio, o que não a impede de se metamorfosear numa linda mulher quando deseja agradar o homem amado. Mas que ele  se acautele, pois ela sempre que o domínio, o poder.

Ceres (romana) Ceres veio da Campanhia, mas seu templo era em Roma. Paradoxalmente, seu templo e ritos eram gregos. Deusa da agricultura, protegia plantações e oferecia fartas colheitas.

Ceridwen (britânica) Na lenda celta, Cerridwen é chamada de A Mulher Sombria do Conhecimento. Tem grande habilidade em mudar de forma e guarda aspectos da Iniciadora e da Tecelã.

Cessair ( irlandesa) é considerada uma antepassada primitiva, tem o aspecto de Preservadora, sua cor é verde e seu símbolo o navio.

Chinnamasta (hindu) Uma das Dasa – Mahavidyas, também  Varjayogini, Chinnamasta é Iniciadora, domina o conhecimento tântrico e possui elementos altamente destruidores em seus aspectos.

Cibele ( traciana) Etimologicamente, Cibele é a Deusa das cavernas. Personificava a terra em seu aspecto primitivo e selvagem e era adorada no alto das montanhas. é uma grande mãe, dada sua ligação com o fornecimento do alimento.

Cipactli (mexicana) Criadora, essa deusa mexicana existiu, originalmente, sob a forma de um monstruoso jacaré nadando no espaço. Quando duas serpentes divinas cortaram seu corpo em pedaços, a parte de baixo transformou-se na terra, enquanto a parte de cima, no céu.

Circe (grega) Filha de Helios, foi, mais provavelmente, a deusa do amor aviltado. Circe era muito conhecida por ses feitiços e encantamentos. Casada com  o rei dos samarcianos, envenenou seu marido e foi morar numa ilha. Circe tem o aspectos de Tecelã e muda de forma.

Clotho (grega) É uma das Moiras (ou Parcas, segundo os romanos), também responsável pelo destino humano, sendo aquela que fia a Linha da Vida.

Daena (persa) é a desafiadora, com quem as almas dos mortos têm que se encontrar antes de passar pela ponte que definirá se irão para o céu ou para o inferno.

Dakini (tibetano) é chamada de “dançarina do céu” , e considerada a divindade feminina da meditação. A luz do arco-íris é associada à meditação com as dakinis.

Danu (irlandesa) Antepassada primitiva, Danu te os aspectos da Criadora de Tudo, sua cor é o preto e seu símbolo é a Via Láctea. Deusa dos Celtas na Irlanda – os deuses eram chamados de Povo da Deusa Danu, embora ela não tivesse dado à luz todos eles, mas o título mostrava sua força e importância.

Dasha Mahavidyas (hindu) ou as Dez Grandes Sabedorias da Deusa Kali. Podem aparecer sobre terríveis formas.

Deméter (grega) Representava o solo fértil e cultivado. Sua maior importância entre os gregos deveu-se à sua figura de mãe, embora seu carácter original, de mãe terra, tenha sido preservado em certas regiões da Grécia. Mãe de Perséfone, rainha do Mundo Subterrâneo, Deméter estendeu sua influência através da filha. Sempre permaneceu em contacto com os mortais a quem concedeu os benefícios da civilização.

Devi (hindu) Termo hindu para designar “Deusa” .

Dhatisvari (hindu) dakini da “sabedoria cristalina”, governadora do oriente e da água.

Dhumavati (hindu) é uma das Dasa-Mahavidyas, e tem o aspecto da Desafiadora.

Diké (grega) é a deusa da justiça e embora um dos mitos contados sobre ela diga que foi exilada na constelação de Virgo, o poeta romano Virgílio manifestou o desejo e a necessidade de sua volta à terra para corrigir as injustiças.

Donzela do Graal (Céltica/Medieval) A portadora do Graal, a que traz alegria.

Donzelas do milho (americanas) As Donzelas do Milho são seis irmãs que dançam para que haja fartura. Fazem parte das lendas dos índios Pueblo, constando como doadoras de grãos e da sabedoria.

 Dorje (tibetana) dakini. Ver a deusa Dhatisvari.

 Durgha (hindu) Aspecto de Parvati. Durgha é uma das grandes Protectoras da mitologia hindu.

 Dzalarhons (índios americanos) É a guardiã dos tesouros terrestres e fica furiosa quando vê a destruição da natureza.  Mesmo assim, é Energizadora e Protectora

 

Eirene: (grega) Filha de Themis e Zeus, é a deusa da justiça.

 Ereshkigal (sumeriana) Rainha do mundo subterrâneo.

Erínias (gregas) As Erínias eram as vezes chamadas de “cães do Hades”. Eram divindades infernais, cuja missão especial era punir os parricidas e aqueles que violavam seus juramentos. Quando um crime era cometido numa família, apareciam imediatamente, e, por isso, ficaram conhecidas como guardiãs das leis terrenas. As erínias eram tão rigorosas no castigo que perseguiam o criminoso até o mundo subterrâneo, para além, portanto, da própria morte.

 Estanelehi (índios americanos) Ver “Mulher transformadora” .

 Eumênides (grega) Significa “as bondosas”, é um dos nomes usados pelas Enírias.

 Eumonia  (grega) Significa “a ordem legal” e faz parte do aspecto da Medidora.

 Eva  (semítica) Eva significa, segundo a escritura hebraica, “a mãe de todos os seres vivos”. Ela guarda o aspecto da  energizadora.

Freya (nórdica) Irmã do Deus Freyr, ela tem uma rica casa em Asgard, onde recebia heróis derrotados com um incrível banquete. Foi na verdade a primeira das Valquírias e sua suprema comandante. Adorava jóias e enfeites e era considerada a Deusa do amor.

Gaia (grega) Deusa da terra. Seu aspecto é o da criadora.

Hathor (egípcia) Uma espécie de fada, que às vezes aparecia no nascimento de uma criança. Pertencia a um grupo de sete ou até nove jovens e suas predições – às vezes favoráveis e às vezes não – nunca falhava. Hathor é também Mantenedora, Rainha do Mundo Subterrâneo e oferece o encanto.

Hecate (grega) Divindade do Mundo Subterrâneo, Hecate era, em sua origem, uma deusa lunar. Nascida na Trácia parecia-se, de alguns formas, com Artemis. Poderosa no céu e na terra, Hecate dava riqueza, triunfo e sabedoria. Cuidava da prosperidade e da navegação.

Hel (nórdica) Rainha do Mundo Subterrâneo.

Hera (grega) Foi, originalmente, rainha do céu, a virgem celestial. Casada com Zeus, vivia às turras com ele. Presidia todas as fases da existência feminina. Venerada no cume das montanhas, Hera tinha cinco ouseis templos e era representada sentada num trono, com um ceptro na mão direita. Foi considerada a grande patrona das mulheres e rainha dos deuses.

Hestia (grega) A palavra grega “hestia” significa “a terra, o lugar onde a casa e fogo doméstico são mantidos” . A dificuldade que o homem primitivo tinha de encontrar fogo explica porque ela era tão venerada. Além do mais, era em torno da lareira que a família se reunia e sua força era tão grande que, quando um dos memebros ia embora, formar um novo lar, levava consigo um pouco do fogo de Hestia. Posteriormente, quando as cidades começaram a se formar, seu fogo era levado a público, e o costume simbólico foi mantido.

Horae (grega) A palavra grega da qual Horae deriva seu nome significa “um período de tempo que pode ser aplicado igualmente ao ano, às estações do ano e às horas do dia”. Estes diferentes significados influenciaram as sucessivas concepções de Horae. Primeiro, foram divindades de carácter meteorológico, encorajando o amadurecimento das frutas e favorecendo a colheita. Depois, passaram a presidir a ordem que havia na natureza, tornou-se, por conseguinte, as guardiãs da natureza, tornando-se, por conseguinte, as guardiãs da natureza e exercendo influência não só física, mas também moral.

Inanna (sumeriana) Deusa do amor, da guerra.

Iris (grega) Mensageira.

Isis (egípcia) Grande Mãe, feiticeira e libertadora.

Kali (hindu) Deusa com os aspectos de Energizadora, criadora e destruidora. Uma das Dasa-Mahavidyas.

Kalwadi (australiana) Figura amplamente importante nos ritos iniciatórios. A grande vocação maternal da Deusa é patente, pois ela presta serviços de babá para engravidar de novo das crianças de quem cuida.

Kamala (hindu) Uma das Dasa-Mahavidyas, A Que Dá Poder.

Kausiki (hindu) Aspecto guerreiro de Kali.

Khando (tibetana) Ver Dakini.

Kurukulla (hindu) é a protectora da sabedoria. Seu aspecto é o da Desafiadora.

Kwan Yin (chinesa/japonesa) Chamada de “Ouvinte das Súplicas”, Kwan Yin concede iluminação suprema a seus devotos e promete a libertação deixando os canais mentais livres para novas percepções e a criatividade.

Lachesis (grega) Ela é uma das Moira, irmã de Atropos e a responsável pelo corte do fio da vida.

Lakshmi (hindu) Mulher de Vishnu e exemplo de beleza feminina, Lakshmi ou Sri, como às vezes é chamada, é a deusa da fortuna e da prosperidade. Como tal, segura seu símbolo tradicional, o lótus, numa de suas quatro mãos.

Lekyi (tibetana) Dakini, ver Samaytara.

Leto (grega) Deusa que protege o parto, que dá inspiração.

Levanah (semítica) A fase escura da lua, aspecto da Mediadora. Controla o fluxo e o refluxo das marés.

Lillith (semítica) Primeira mulher de Adão, antes que ele se casasse com Eva. Posteriromente, foi considerada rainha dos dem6onios. Sua personagem é bastante controvertido e totalmente rejeitado em círculo religiosos ortodoxos do Ocidente.

Locana (hindu) Daquini de todo o “espaço abrangente”, governante do centro do vácuo.

Luna (romana) A Lua.

Maat (egípcia) é descrita como uma mulher que está de pé ou ajoelhada. Na cabeça, usa uma pena de avestruz, que é um ideograma de seu nome: verdade ou justiça. Era a deusa da lei, verdade e justiça. Filha querida e confidente de Ra esposa de Thot, o juiz dos deuses.

Macha (irlandesa) Deusa que morre de parto e amaldiçoa os homens de Ulster, desejando que eles sintam a fraqueza da mulher ao dar á luz por quatro dias e cinco noites, durante nove gerações. Tem também o aspecto da Mediadora.

Machig Lapdron (tibetana) é uma salvadora, uma xamã.

Maeve (irlandesa) Rainha de Connacht, da guerra e do amor sexual.

Mamaki (hindu) Dakini de “toda a sabedoria enriquecedora”, soberana do sul e da terra.

Matangi (hindu) Uma das Dasa-Mahavidyas, a Eneergizadora.

Medusa (grega) Juíza, também guerreira. Este aspecto seu está ligado a Atena.

Mensageira do Graal (Céltica/Medieval) a companheira e desafiadora da Busca.

Metis (grega) “Conselho Prudente”.

Minerva (romana) Deusa da Sabedoria.

Mnemosine (grega) Deusa da Memória, mãe das musas, padroeira das recordações.

Modron (britânica) “Mãe”,padroeira da sabedoria que foi perdida, recordações.

Moirae (grega) As Moiras eram o correspondente grego de “As Parcas” (o destino) que são as três: Clotho, Lachesis e Atropos.

Morgen (britânica) Também chamada de Morgana, aquela que cura, a que consegue mudar as formas.

Morrighan (irlandesa) Deusa da guerra e também aquela que tira a morte e cura doenças.

Musas (gragas) Irmandade de nove partes de artes, ciências e artesanato. O termo ficou até hoje e, quando um poeta se refere a sua “musa inspiradora”, está falando dessa irmandade que se tornou substantivo.

Neith (egípcia) Guardiã dos mistérios escondidos, também apresenta o aspecto de Tecelã.

Nemesis (grega) é a deusa da vingança, da desforra. Para ela, é preciso sempre dar o troc a quem nos faz mal.

Nerthus (germânica) é a mãe terra, mas, ao mesmo tempo, é aquela que tira.

Oxum (nigeriana) Deusa das águas, que refresca e revigora. Faz parte dos cultos afro-brasileiros.

Oya (africana) Simboliza as estações do nao. Como aspecto, traz o da Energizadora.

Pandasravasini (hindu) Dakini de “sabedoria discriminatória”, governante do Oeste e do Fogo.

Pandora (grega) Energizadora.

Parcas (grega, romana, nórdica) Título das Moiras e das Nornas.

Parvati (hindu) é também chamada de Shakti. Traz em si o aspecto da energizadora e da tecelã.

Pema (tibetana) Dakini. Ver Pandar-avasini.

Pirra (romana) Ancestral primitiva.

Radha (hindu) Deusa da abundância, do amor, que tem êxtase sensoriais profundos e os favorece.

Ragnell (britânica, medieval) é a entidade que doa a soberania, e tem como aspecto a Desafiadora.

Rhea (grega) é a mãe dos deuses, e seu aspecto é o da Preservadora.

Rhiannon (britânica) Rainha do Mundo Subterrâneo, é aquela que liberta dos fardos.

Rinchen (tibetana) Dakini. Ver Mamaki.

Samaytara (hindu) Daikini de “toda a sabedoira realizada”, governante do norte e do ar.

Sarasvati (hindu) deusa das águas, das artes e das ciências.

Sati (hindu) Encarnação de Devi.

Sekhmeti (egípcia) é representada como uma mulher que tem cabeça de leão e está sentada num trono. Casada com Ptah, chamada de “a amada de Ptah”, teve um filho com ele, Nefertum. (para saber mais acerca de SEKHMET).

Selene (grega) Lua.

Shakti (hindu) É a energia da Deusa.

Sheila na gig (irlandesa) Mãe no sentido daquela que dá e tira.

Shekinah (semítica) A consorte energizadora de Jeová, criadora, como ele, do mundo e das coisas, numa espécie de comunhão de acções.

Sodashi (hindu) Uma das Dasa-Mahavidyas, Preservadora.

Sofia (grega/gnóstica) Deusa da Sabedoria. Tem o aspecto da Que Dá Poderes.

Soveregnty (céltica) Deusa da Terra. Com o aspecto da Que Dá Poderes.

Surabhi (hindu) É a vaca do espaço cósmica.

Tara (hindu/tibetana) É a deusa compassiva com o homem, aquela que o liberta. É também uma das Dasa-Mahavidyas.

Tellus Mater (romana) Mãe Terra, patrona das mulheres.

Themis (grega) “A uqe é firme”. Representa a ordem e traz como aspecto o da Mediadora.

Tiamat (babilonia) A Criadora de Tudo.

Tlazolteotl (asteca) É o coração da terra”, a Tecelã, a purificadora.

Ukemochi (japonesa) Criadora de Tudo. Traz também o aspecto da Preservadora.

Uncegila (ínidia americana) Desafiadora, Tecelã.

Vajra-Varahi (tibetana) É a “semente de diamante”, a Energizadora.

Varjayogini (tibetana) Também Chinnasta. Traz o aspecto da Libertadora.

Yeshe Tsogyel (tibetana) Aspectos: A Iniciadora, Libertadora e A Que Dá Poderes.

Zoé (gnóstica) Simboliza a vida, e em termos de aspecto traz o da Enegizadora.

 

(Fonte: Elementos da Deusa – Caitlín Matthews)


DEUSAS CELTAS

 

Abnoba: Deusa da Floresta negra (Forêt-Noire, Schwarzwald).

Aine: Aine é uma deusa primária da Irlanda, soberana da terra e do sol, associada ao Sostício de Verão, que sobreviveu na forma de uma Fada Rainha. Seu nome significa: prazer, alegria, esplendor. Ela é irmã gêmea de Grian, a Rainha dos Elfos e era também considerada um dos aspectos da Deusa Mãe dos celtas Ana, Anu, Danu ou Don. Juntas Grian e Aine, alternavam-se como Deusas do Sol Crescente e Minguante da Roda do Ano, trocando de lugar a cada solstício.

Os pagãos acreditam que na entrada do Solstício de Verão, todos os Povos pequenos vêm a Terra em grande quantidade, pois é um período de equilíbrio entre Luz e Trevas. Se estiver em paz com eles, acredita-se que, ao ficar de pé no centro de um anel-das-fadas é possível vê-los. É um período excelente para fazer amizade com as fadas e outros seres do gênero.

Rainha dos reinos encantados e mulher do Lado, ela é a Deusa do amor, da fertilidade e do desejo. É filha de Dannann, e esposa e algumas vezes filha de Manannan Mac Liir, e mãe de Earl Gerald. Como feiticeira poderosa, seus símbolos mágicos são “A égua vermelha”, plantações férteis, o gado e o ganso selvagem.

Existem duas colinas, perto de Lough Gur, consagradas à Deusa, onde ainda hoje ocorrem ritos em honra a fada Aine. Uma, a três milhas a sudoeste, é chamada Knockaine, em homenagem a esta deusa. Nessa colina possui uma pedra que dá inspiração poética a seus devotos meritórios e a loucura à aqueles que são por Ela rejeitados.

Esta é uma Deusa-Fada que segundo a tradição celta ajudava os viajantes perdidos nos bosques irlandeses. Diziam que para chamá-la bastava bater três vezes no tronco de uma árvore com flores brancas. Sempre que se sentir “perdido”, faça o mesmo, chame por Aine batendo três vezes no tronco de uma árvore de flores brancas. Ela não vai tardar em ajudar.

Andrasta: Deusa guerreira. Aparece com a rainha Budica. Tinha um esposo de que foi identificado com Marte (deus da guerra) romano.

Arduina: Deusa de Ardennes. Foi identificada pelos romanos como Diana, a Ártemis grega.

Arianrhod: Ela é a guardiã da “roda de prata” que circunda as estrelas, considerada símbolo do tempo e do carma. É igualmente deusa da reencarnação, da Lua Cheia dos namorados e a Grande mãe Frutuosa.

Arianrhod aparece no Mabinogion, uma coleção de relatos escritos entre o século XI e XIII d.C., como filha do deus Don e mãe dos gêmeos Lleu Llow Gyffes e Dylan.

Esta deusa é a figura primal de poder e autoridade feminina, considerada a Deusa dos Ancestrais Celtas. Vive em um reino estelar, Caer Arianrhod, na constelação Corona Borealis, com suas sacerdotisas e de lá decide o destino dos mortos, carregando-os para a Lua ou para a sua constelação.

É também uma deusa da fertilidade e de tudo que é eterno. O espírito de Arianrhod é símbolo de profecia e sonhos. Ela controla a dimensão do tempo. O viajante que a seguir deve estar com o coração e a mente aberta para seus ensinamentos. Convide-a para ajudar-lhe com dificuldades passadas e para contatar o povo das estrelas.

Na Tradição Avalônica ela corresponde ao elemento Fogo e seu chakra correspondente é o cardíaco. Já na tradição celta esta deusa apresenta três aspectos: donzela, mãe e crone, representando os três estágios da vida de uma mulher.

A Arianrhod é atribuído os poderes da coruja, que através de seus olhos vê o subconsciente da alma humana. A coruja é um pássaro nocturno que simboliza a morte, renovação, sabedoria, a magia da lua e as iniciações.

Armid:Airmid é a Deusa da Cura dos celtas. É filha de Daincecht, avô de Lugh, e possuía quatro irmãos: Miach, Cian, Cethe e Cu.

Lugh foi o guerreiro que tinha uma lança mágica que disparava fogo e rugia e libertou o rei Nuada e os Tuatha Dé Danann das mãos dos Formori, os demônios da noite que tinham um só olho. Nuada perdeu sua mão direita durante um combate e, para que pudesse continuar a ser rei, ele precisava estar inteiro, então, o médico Dianchecht construiu uma maravilhosa prótese de prata, o que rendeu a Nuada o apelido de “Mão de Prata”.

A estória da Deusa Airmid inicia-se quando faz uma visita ao castelo do rei Nuada.

Conta-se que os portões do castelo do rei Nuada era guardado por um homem que não tinha um dos olhos e trazia escondido em sua capa um gato. Quando Airmid e seu irmão Miach, em visita ao castelo, apresentaram-se como curandeiros, o tal homem pediu-lhes para reconstituir o olho perdido. Os deusemédicos concordaram e transplantaram o olho do gato para o espaço do olho vazio do porteiro. Entretanto, não tinham como mudar as características do olho do animal. Sendo assim, a noite ele ficava aberto em busca de caça e durante o dia fechava-se exausto. Mas o porteiro ficou muito feliz por ter novamente os dois olhos.


Banba, Eriu e Fodla:Trio de deusas filhas de Fiachna que personificam o Espírito da Irlanda.

Blodeuwedd: Seu nome foi traduzido como “flor branca”, sendo representada, muitas vezes, com um lírio branco nas cerimônias de iniciação celtas de Gales. Criada por Math e Gwydion, o Druida, para ser esposa de Lleu, foi transformada em coruja por causa do seu adultério e da conspiração para a morte do marido. Aspecto virginal da Deusa Tríplice dos galeses, Blodeuwed tinha por símbolo uma coruja. Seu domínio é o das flores, sabedoria, mistérios lunares e iniciações.

Boann:Deusa da água e da fertilidade, seu animal sagrado é a vaca branca.

Branwen: Irmã de Bran e esposa do rei irlandês Matholwch. Vênus dos Mares do Norte, filha de Llyr, uma das três matriarcas da Grã-Bretanha. Branwen é chamada Dama do Lago, sendo a deusa do amor e da beleza no panteão galês.

Brigit: Irmã do deus Oengus, o Cupido irlandês, divindade do amor. Brigit é uma deusa tríplice, a menos que haja três irmãs com o mesmo nome. É venerada pelos poetas, ferreiros e pelos médicos. Enquanto deusa das estações do ano, seu culto se celebrava no
primeiro dia de fevereiro, dia do Imbolc, a grande festa de purificação.

Cerridwen / Ceridwen / Caridwen: Deusa da Lua do panteão galês, sendo chamada de Grande Mãe e A Senhora. Deusa da natureza, Cerridwen era esposa do gigante Tegid e mãe de uma linda donzela, Creirwy, e de um feio rapaz, Avagdu. Os bardos galeses chamavam a si mesmos de Cerddorion, filhos de Cerridwen. Há uma lenda que diz que o grande bardo Taliesin, druida da corte do rei Arthur, nascera de Cerridwen e se tornara grande mago após tomar algumas gotas de uma poderosa poção de inspiração que Cerridwen preparava no seu caldeirão. Cerridwen é ainda a deusa da Morte, da fertilidade, da regeneração, da inspiração, magia, astrologia, ervas, poesia, encantamentos e conhecimento.

Cliodna: Deusa da beleza e do Outro mundo, mais tarde se tornou uma Rainha-fada.

Cuchulainn: As aventuras de Cuchulainn (diz-se Cu-hu-lim) constituem a epopéia principal do ciclo heróico de Ulster. Ao nascer, chamava-se Setanta; era filho de Dechtiré, irmã do rei Conchobar, casada com Sualtan, o profeta. Seu pais verdadeiro, porém, era o deus Lug, mito solar dos Tuatha Dê Danann. Foi criado entre os demais filhos dos vassalos e guerreiros do rei. Com sete anos matou o terrível cão de guarda de Culann, chefe dos ferreiros de Ulster; vem daí o nome Cuchulainn, “Cão de Culann”. O menino possuia uma força incrível e, quando dominado pela ira, lançava calor intenso e suas feições transformavam-se, pavorosamente. Algum tempo depois de matar o cão, massacrou três guerreiros mágicos gigantes, que tinham desafiado os nobres do Ramo Vermelho (uma milícia ou ordem primitiva de cavaleria de Usler, provavelmente). Depois, mandam-no para Scâthach, a Rainha das Trevas, epônima da ilha Skye, onde conclui sua educação. A feiticeira ensina a ele a arte da magia. Antes de voltar para casa, decide matar uma inimiga de sua professora, a amazona Aiffé, uma mortal. Não só a derrota mas deixa-a grávida. Volta, assim, para Ulster, munido de armas prodigiosas. Pouco tempo passado, se apaixona por Emer (diz-se Avair), filha de Forgall Manach, mágico poderoso. Este não permite o relacionamento; Cuchulainn, então, rapta-a, depois de ter matado toda a guarnição e o pai da moça. Neste período é que as grandes batalhas e aventuras tomam lugar.

Dama Branca:Conhecida em todos os países celtas, era identificada como Macha, Rainha dos Mortos, a forma idosa da Deusa. Simbolizava a morte e a destruição. Algumas lendas chamam-na de Banshee, aquela que traz a morte.

Dana: Segundo uma lenda, Dana nasceu em uma Clã de Dançarinos que viviam ao longo do rio Alu. Seu nome foi escolhido por sua avó, Kaila, Sacerdotisa do Clã. Foi ela que sonhou com uma barca carregando seu povo por mares e rios até chegarem em uma ilha, onde deveria construir um Templo, para que a paz e a abundância fossem asseguradas. Ao despertar, Danu relatou seu sonho ao conselho e a grande viagem começou então a ser planejada.

Também conhecida como Danu, é a maior Deusa Mãe da mitologia celta. Seu nome “Dan”, significa conhecimento, tendo sido preservada na mitologia galesa como a deusa Don, enquanto que outras fontes equipararam-na à deusa Anu. Na Ibéria, a divindade suprema do panteão celta é considerada a senhora da luz e do fogo. Era ela que garantia a segurança maetrial, a proteção e a justiça. Dana ou Danu também é conhecida por outros nomes: Almha, Becuma, Birog, ou Buan-ann, de acordo com o lugar de seu culto.

O “Anuário da Grande Mãe” de Mirella Faur, nos apresenta o dia 31 de março como o dia de celebrar esta deusa da prosperidade e abundância. Conta ainda, que os celtas neste dia, acreditavam que dava muito azar emprestar ou pegar dinheiro emprestado, por prejudicar os influxos da prosperidade. Uma antiga, mas eficaz simpatia, mandava congelar uma moeda, fazendo um encantamento para proteger os ganhos e evitar os gastos.

Os descendentes da Dana e seu consorte Bilé (Beli) eram conhecidos como os “Tuatha Dé Dannan” (povo da Deusa Dana), uma variação nórdica de Diana, que era adorada em bosques de carvalhos sagrados.O nome “Dana”é derivado da Palavra Céltica Dannuia ou Dannia. É significativo que o rio Danúbio leve seu nome, pois foi no Vale do Danúbio, que a civilização Celta se desenvolveu. A ligação Celta com o vale do rio Danúbio também é expressa em seu nome original. “Os filhos de Danu”, ou “Os filhos de Don”.

Dana é irmã de Math e seu filho é Gwydion. Sua filha é Arianrhod, que tem dois filhos, Dylan e Llew. Os dois outros filhos de Dana são Gobannon e Nudd.

É certo que Dana deveria ser considerada a Mãe dos Deuses, depois de ter lhes dado seu nome. Há várias interpretações do seu nome, sendo que uma delas é “Terra Molhada” e o mais poética, “Água do Céu”.

Danu é uma das Dea Matronae da Irlanda e a Deusa da fertilidade. Seu símbolo mágico é um bastão.

Seu personagem foi cristianizado na figura de Santa Ana, mãe da Virgem Maria, pois sua existência é proveniente de uma antiga divindade indo-européia. Também é conhecida na Índia, como o nome de “Ana Purna” e em Roma toma o nome de “Anna Perenna”.

Druantia: Na mitologia britânica, Druantia era a deusa druida do nascimento, sabedoria, morte e metempsicose. É a mãe do alfabeto das árvores irlandês.

Épona: “A Cavaleira” ou “A Amazona”. É representada sempre a cavalo, sentada de lado, como as amazonas do século passado; na cabeça tras um diadema; ao seu lado vê-se uma jumenta ou um poldro, que, às vezes, é alimetado pela deusa. Seus atributos eram a cornucópia, uma pátera e frutos. Presidia, também, à fecundidade do solo, fertilizado pelas águas.

Elaine: Na mitologia celta, Elaine (Lily-Maid) era a deusa virgem da beleza e da lua.

Eriu / Erin: Filha do Dagda, Erin era uma das três rainhas dos Tuatha de Dannan da Irlanda.

Flidais: Deusa da floresta, dos bosques e criaturas selvagens do povo irlandês. Viajava numa carruagem puxada por veados e tinha a capacidade de mudar de forma.

Mm: Na mitologia celta, Mm era a deusa do pensamento dos povos independentes do Norte.

Morgana: Morgana representa na lenda arturiana, a figura de uma Deusa Tríplice da morte, da ressureição e do nascimento, incorporando uma jovem e bela donzela, uma vigorosa mãe criadora ou uma bruxa portadora da morte. Sua comunidade consta de um total de nove sacerdotisas (Gliten, Tyrone, Mazoe, Glitonea, Cliten, Thitis, Thetis, Moronoe e Morgana) que, nos tempos romanos, habitavam uma ilha diante das costas da Bretanha. Falam também das nove donzelas que, no submundo galês, vigiam o caldeirão que Artur procura, como pressagiando a procura do Santo Graal. Morgana faz seu debut literário no poema de Godofredo de Monntouth intitulado “Vita Merlini”, como feiticeira benigna. Mas sob a pressão religiosa, os autores a convertem em uma irmã bastarda do rei, ambígua, freqüentemente maliciosa, tutelada por Merlim, perturbadora e fonte de problemas.

Nenhum personagem feminino foi tão confusamente descrito e distorcido como Morgana ou Morgan Le Fay. A tradição cristã a apresenta como uma bruxa perversa que seduz seu irmão mais novo, Artur, e dele concebe o filho. Entretanto, nesta época, em outras tribos celtas, como em muitas outras culturas, o sangue real não se misturava e era muito comum casarem irmãos, sem que isso acarretasse o estigma do incesto.

Morgana e Artur tiveram um filho fruto de um Matrimônio Sagrado entre a Deusa (Morgana encarna como Sacerdotisa) e o futuro rei.

O “Matrimônio Sagrado” era um ritual, no qual a vida sexual da mulher era dedicada à própria Deusa através de um ato de prostituição executado no templo. Essas práticas parecem, sob o ponto de vista da nossa experiência puritana, meramente licenciosas. Mas não podemos ignorar que elas faziam parte de uma religião, ou seja, eram um meio de adaptação ao reino interior ou espiritual. Práticas religiosas são baseadas em uma necessidade psicológica. A necessidade interior ou espiritual era aqui projectada no mundo concreto e encontrada através de um ato simbólico Se os rituais de prostituição sagrada fossem examinados sob essa luz, torna-se evidente que todas as mulheres devessem, uma vez na vida, dar-se não a um homem em particular, mas à Deusa, a seu próprio instinto, ao princípio Eros que nela existia. Para a mulher, o significado da experiência devia residir na sua submissão ao instinto, não importando que forma a experiência lhe acontecesse.

Morrigan: Morrigan era a deusa celta da guerra e da morte.

Rhiannon: Grande rainha dos galeses, Rhiannon era a protectora dos cavalos e das aves. Rege os encantamentos, a fertilidade e o submundo. Aparece sempre montando um veloz cavalo branco.

RosmertaNa mitologia celta gaulesa, deusa do fogo, calor, prosperidade e abundância.

Scathach / Scota / Scatha / Scath: Seu nome traduzia-se como A Sombra, Aquela que combate o medo. Deusa do submundo, Scath era a deusa da escuridão, aspecto destruidor da Senhora. Mulher guerreira e profetisa que viveu em Albion, na Escócia, e que ensinava artes marciais para os guerreiros que tinham coragem suficiente para treinar com ela, pois era tida como dura e impiedosa. Não foi à toa que o adestramento do herói Cu Chulainn foi levado a cabo por ela mesma, considerada a maior guerreira de toda a Irlanda. Scath era ainda a patrona dos ferreiros, das curas, magia, profecia e artes marciais.

Sulis: Na mitologia celta, deusa de profecia, inspiração, sabedoria e morte.

MITOLOGIA CELTA

Dicionário da Mitologia Celta

ABNOBA -Deusa da Floresta Negra (Forêt-Noire, Schwarz­wald).

AIFF~ -V. Cuchulainn.

AMAETHON -Filho de Dôn; presidia a Agricultura.

AMERGIN -Druida. “”- V. Cessair.

ANDARTA -Deusa guerreira.

ANDRASTA -Deusa guerreira. Aparece com a rainha Bu­dica. Tinha um esposo que foi identificado com Marte (deus da guerra) romano.

ARDUINA -Deusa de Ardennes. Foi identificada pelos roma­nos com Diana, a Artemis grega.

ARIANROD -Filha única de Dôn, divindade tutelar da cons­telação Corona borealis (“Coroa boreal”), que os gauleses cha­mavam Caer Arianrod (“‘Castelo de Arianrod”).

ARTIO -: Deusa adorada pelos helvécios das cercanias de Berna. A palavra artio significa “urso”.

ARTUR -Quase todas as personagens, deuses e heróis, da mitologia céltica, e mais particularmente gaulesa (os gauleses eram c.eltas), se encontram fortemente evemerizadas nos roman­ces do ciclo medieval de Artur, que constitui a massa principal da “matéria da Bretanha”. A Historia Regtlm Britanniae (“His­tória dos Reis da Bretanha”), de Geoffroi de Monmouth foi con­cluída por volta de 1136; as lendas heróicas da “Bretanha a Grande” se constituíram em romances arturianos nos séculos XII e XIII; em 1470 Sir Thomas Malory compôs a “‘:forte de Artur, traduzido ou inspirado em fontes francesas. .0 Ltvro Ver­melho de Hergest (Livre rouge d’Hergest), manus.cnto do século XIV, contém, também, algumas façanhas do ReI Artur..

Artur é semideus, semi-rei, cujo protótipo, tálvez, tenha VI­vido por volta do século V ou VI. Sua mulher, Gwenhwyar

BALOR -Gigante irlandês de “mau olho”; tinha as pálpe­bras caídas sobre os olhos e era mister um forcado para erguê­-las; seu congênere gaulês chamava-se Yspaddaden.

BANBA -V. Cessa ir.

BARR-FIND -o mesmo deus Manannân, rei da ilha de Man, onde ainda se vê seu tÚInulo gigantesco, nas imediações do cas­telo de Peel; parece que tinha três pernas; Barr-Find é nome irlandês: “Cabeça Branca”; transformou-se no piloto Barin do Rei Artur; na hagiografia cristã tornou-se São Barri, padroeiro dos pescadores irlandeses, em particular dos de Man. Barr-Find era filho do deus Uyr, no início, provavelmente considerado deus do Mar, das Vagas ou das Tempestades.

BELENOS -”O Brilhante’: ou “Aquele Que Reluz”, divin­dade que pelos romanos foi identificada com o ApoIo latino; os autores chamam Belenos o “ApoIo gaulês”.

BELISAMA -”Semelhante à Chama”, espécie de deusa Ves­tal, padroeira das indústrias que dependiam do fogo.

BIL~ -V. Cessa ir.

BORMANO -”Aquele Que Borbulha”, deus das fontes ter­mais. -V. Bormo e Borvo.

BORMO -V. Bormano.

BORVO -V. Bormo.

BRESS -V. Cessair.

BRIGIDA -V. Cessair.

BRIGIT -Irmã do deus Oengus, o Cupido irlandês, divin­dade .do _Amor. Brigit é uma deusa tríplice, a menos que haja tres lrmas com o mesmo nome. ~ venerada ao mesmo tempo pelos poetas (que inspira), pelos ferreiros (que ela enriquece) e pelos médicos (os quais ela assiste, pois preside os partos). Enquanto deusa das estações do ano, seu culto se celebrava no primeiro dia de fevereiro, dia do Imbolc, grande festa de purifi­cação. Cristianizada, Brigit tornou-se Santa Brígida, padroeira da cidade de Kildare. V. Brígida no verbete Cessair.

BRON -O deus marítimo Llyr tinha dois filhos: Bron ou Brân (Bron é irlandês e Brân é gaulês) e Manannân ou Manawy­dano O irlandês Bron mac Llyr é figura apagada; mas Brân ab Llyr da Grã-Bretanha é temível herói. Era um enorme gigante que nenhum palácio ou nenhum navio podia abrigar; atravessou a vau o mar da Irlanda para combater e destruir um rei e seu exército; estendido através de um rio, seu corpo gigantesco ser­viu de ponte para o exército passar. Possuía uma caldeirinha mágica com a qual ressuscitava os mortos. Harpista e músico, era o protetor dos lili e dos bardos. Rei das regiões infernais, lutou para defender os tesouros mágicos que o filho de Dôn queria J;’oubar. Ferido por uma flecha envenenada, ordenou que lhe cortassem a cabeça, a fim de abreviar seus padecimentos; e esta cabeça decepada continuava a conversar e a dar ordens durante 87 anos, que tantos foram necessários para levar o corpo à sepultura, uma colina de Londres, talvez a moderna Tower Hill. A cabeça cortada de Brân, voltada para o Sul, prevenia a ilha de toda e qualquer invasão; o Rei Artur cometeu a imprudência de exumá-la, tornando possível, destarte, a conquista saxônia.

Há um outro Brân (ou Bron), viajante intrépido, que nave­gou até às regiões do Além; é o navegador das regiões misteriosas; sob o nome de São Brandão (Saint Brandan) este deus canonizado é a piedosa personagem que difundiu o cristianismo na Grã-Bretanha.

CAIRBR~ -V. Cessair.

CALLATIN -V. Cuchulainn.

CARVALHO -Venerado por toda a Gália, o carvalho pôde ser considerado por alguns cronistas como o deus supremo dos gauleses; assegura-nos Plinio o Antigo (Hist. Nat., XVI, 249) que ‘é nos bosques de carvalhos que os druidas têm os seus santuá­rios”; não celebravam nenhum rito sagrado sem as folhas ou ramos dos carvalhos; criam que a presença do visgo revelava a do deus sobre a árvore no qual se encontrava; colhiam esse visgo com solenes cerimônias; depois de terem sacrificado dois touros brancos, um sacerdote, revestido de manto branco, trepava na árvore e cortava o visgo com uma foice de ouro o qual era recolhido em um pano ou tecido de cor alvinitente. Ainda hoje os franceses consideram o carvalho como árvore que traz feli­cidade. -V. Arvores (culto das)

 

CESSAIR -Depois do grande dilúvio universal, a ilha que se tornaria a Irlanda foi invadida pela rainha-mágica-feiticeira Cessair, acompanhada de numeroso séquito; parece que essa feiti­ceira é uma reencarnação da Circe de Homero. Mas Cessair pere­ceu com toda a sua raça. Por volta de 2640 a.C. o Príncipe Par­tholon, vindo da Grécia, desembarcou na Irlanda com 24 casais; ao cabo de 300 anos eram 5000; mas uma misteriosa epidemia matou a todos no curso das festas que se realizavam em honra de Beltine; a sepultura colectiva desse povo é a colina de Tallaght, perto de Dublim. Entretanto, por volta de 2600, a raça dos “Filhos de Nemed” (cujo nome significa “sagrado”), originária da Cítia, pusera pé na ilha, então deserta; outro grupo de inva­sores nela desembarcou em 2400, no dia de Lugnasad (primeiro de agosto), o terceiro grande dia festivo do ano celta. Os Fir Bolg (“Homens belgas”?) constituíam o elemento principal dessa invasão, aos quais se misturavam diversas tribos, Gaileóin (gau­leses?), Fir Dommann (os Dummonni da Grã-Bretanha?) e outros mais; finalmente, vindos das Ilhas do Oeste, onde estudavam a Magia, chegaram os membros da Tuatha Dê Danann, que eram de raça divina; trouxeram seus talismãs: a espada de Nuada, a lança de Lug, a caldeirinha de Dagda e a “pedra do Destino” de Fâl, que gritava quando se sentava sobre ela o rei legítImo da Irlanda. Todos esses invasores foram obrigados a lutar com os Gigantes monstruosos que habitavam o pais; uns tinham somente um olho e uma mão, outros eram providos de cabeça de animal, comumente de cabra; esses monstros eram os Fomóiré (de lo, “sob” e moiré ou mahr, “demónio fêmea”). Os Tuatha Dê ~a­nann e os Fir Bolg começaram, então, uma terrível guerra, cuJos combates vêm relatados num manuscrito do século XV. Os Tuatha Dê Danann vencem; no curso da batalha, seu rei, Nuada, perde a mão direita; essa mutilação acarreta sua queda do trono; o hábil curador Diancecht a substitui por uma mão de prata articulada; constrangido a abdicar, Nuada “com mão de prata” é substituído por Bress (“Belo”), filho de Elatha (O Saber), rei dos Fumóiré, e da Dé Danann Eriu; Bress desposa Brígida, filha de Dagda, e os dois povos inimigos se aliam; Cian, filho de Diancecht, desposa Ethniu, filha de Balor.Mas Bres (ou Bress) é um odioso tirano e sobrecarrega seUs súditos /com pesa­dos impostos e taxas; zomba de Cairbré, filho de Ogma, o maior filé (bardo) dos Dê Danann; e o insolente Bress é obrigado a abdicar por um prazo de sete anos; então Nuada assume o poder e o trono, pois sua mão decepada foi milagrosamente reposta no lugar graças às encantações de Miach, outro filho de Diancecht; esse feito valeu a morte ao bom Miach, cujo pai, invejoso, não podia admitir um competidor na arte de curar.

Bress, entretanto, reúne-se com seu conselho numa morada submarina. Persuade os Fomóiré a que o ajudem a expulsar da Irlanda os Dê Danann; os preparativos da guerra duram sete anos, período durante o qual cresce o famoso Lug, o menino pro­digioso, “senhor de todas as artes”, nascido de Cian e de Ethniu; Lug organiza a resistência dos Dê Danann, enquanto Goibniu lhe forja as armas e Diancecht faz jorrar uma fonte maravilhosa que cura as feridas e reanima os guerreiros mortos; mas alguns espiões dos Fomóiré a descobrem e a tornam ineficaz lançando­-lhe pedras malditas. Após algumas pequenas batalhas e duelos trava-se a luta decisiva, na Moytura do Norte, planicie de Car­rowmore, perto de Sligo (os alinhamentos de Sligo, juntamente com os de Carnac, são os mais imponentes grupos de pedras ergui das que existe), onde morrem inúmeras personagens de ambos os partidos: Indech, filho da deusa Domnu, é morto por Ogma, que por sua vez também cai moribundo; Balor “de mau olho” fere Nuada com seu olhar fatal; mas Lug, com a sua funda mágica fura os olhos de Balor; dizimados e desmoralizados, os horrendos Fomóiré recuam e são expulsos até o mar; Bress é feito prisioneiro e a hegemonia dos gigantes foi quebrada para sempre.

O poder dos Dê Danann, contudo, conheceu rápido declfnio. Duas divindades do Império dos Mortos, Ith. e Bilé, desembar­caram na embocadura do Kenmare e começaram a intervir nos conselhos políticos dos vencedores. Mil, filho de Bilé, vai ao encontro do pai que já se acha na Irlanda; com ele vão seus oito filhos e o seu séquito; como os invasores precedentes, tam­bém estes desembarcam num primeiro de maio. Na direção de Tara encontram sucessivamente três deusas epônimas: Banba, Fodla e Eriu. Cada uma delas pede ao druida Amergin, conse­lheiro-adivinho de Mil, que dê seus nomes à ilha; esta, então, fica sendo chamada Erinn (genitivo de Eriu), porque Edu fez seu pedido em terceiro lugar; depois de novos e sangrentos com­bate’s, no último dos quais intervém Manannân, filho de UY,r (“O Oceano”), os reis Tuatha são mortos pelos filhos sobrevI­ventes de Mil. Conclui-se um pacto de paz; os Tuatha cedem .a “verde Erin”( Erinn) e se retiram do país para o Além, não eXI­gindo mais que um sacrifício celebrado anualmente em sua lem­brança.

CIAN V. Cessair.

CONCHOBAR - Conahar; pronuncia-se Conor. -V. Cuchu­lainn.

CONLACH - V. Cuchulainn.

CORMAC V. Fionn.

CUCHULAINN - As aventuras de Cuchulainn (pronuncia-se Cu-hu-lim) constituem a epopéia central do ciclo heróico de Ulster; são contemporâneas dos inícios do cristianismo; de feito, a tradição refere que no ano 30 a.C. surgiu o jovem Rei Conchobar mac Nessa e que em 33 da nossa era morreu; e toda a breve carreira do famoso Cuchulainn se desenrola sob o reinado deste soberano.

Cuchulainn, ao nascer, chamava-se Setanta; era filho de Dechtiré, irmã do Rei Conchobar, casada com o profeta Sualtan; mas seu pai verdadeiro era o deus Lug “de .longos braços”, mito solar dos Tuatha Dê Danann; criado entre os demais filhos dos vassalos e guerreiros do rei, valentes campeões do Ramo Verme­lho de Ulster (provavelmente nome de uma milícia ou ordem primitiva de cavalaria), Setanta, com a idade de sete anos matou o terrível cão de guarda de Culann, chefe dos ferreiros de Ulster; daí lhe adveio o nome de Cuchulainn, “Cão de Culann”; o menino possuía força monstruosa; quando se deixava dominar pela cólera, irradiava intenso calor e suas feições ficavam transtornadas e pavorosas; logo depois massacrou três gigantes, guerreiros mági­cos, que tinham desafiado os nobres do Ramo Vermelho; final­mente mandam-no para junto da feiticeira Scâthach, “Rainha das Trevas”, epônima da ilha Skye, onde deverá concluir sua edu­cação; a feiticeira reside em Albu, na Escócia e ensina a Cuchu­lainn toda a sua ciência mágica; o discípulo, reconhecido, antes de partir resolve destruir a Amazona Aiffé, mortal inimiga de Scâthach; não só a derrota mas também a deixa grávida, e volta para Ulster rico de sortilégios e munido de armas prodigiosas. Pouco tempo depois o jovem se apaixona pela formosa Emer (pronuncia-se Avair), filha de Forgall Manach, mágico poderoso e solerte; este recusa dar a mão da filha ao jovem herói; Cuchu­lainn.. então, rapta-a, depois de ter matado a guarnição e o pai da loira donzela, a qual estava presa num castelo mágico. Segue­-se longa e fastidiosa narração de combates e duelos onde se justifica plenamente o título de “campeão” outorgado ao herói. Suas mais notáveis façanhas’ são aquelas que leva a cabo no curso da gaziva dos bois de Cooley (Táin bo Cuailngé), a san­grenta história da longa guerra que os quatro reinos da .Irlanda desencadearam contra Ulster, à instigação da temível rainha de Connaught, a pérfida Medb (pronuncia-se Méve), que aparece como “rainha Mab” em Shakespeare; o objeto dessa guerra é a posse de um animal mágico, o Touro castanho-escuro de Cooley. Ora, Medb teve o cuidado de travar a guerra numa época em que os Ulates (habitantes de Ulster) estavam paralisados por uma estranha fraqueza periódica que os tornava incapazes de guer­rear ou mesmo de se movimentarem; esta misteriosa doença lhes havia sido infligida como castigo pela deusa Macha, da qual, certa feita, haviam zombado. Então, quando o reino de Ulster parecia estar prestes a cair sob os golpes do inimigo, Cuchulainn, que, em razão da sua origem divina, escapara à maldição comum, parte sozinho para enfrentar a horda inimiga; há inúmeras lutas e combates singulares; Lug, verdadeiro pai de Cuchulainn, todas as noites, por meio de ervas mágicas e de bebidas misteriosas, cura as feridas do filho; Morrigan, deusa da guerra, auxilia-o e o aconselha, salvando-o mais de uma vez; por fim oferece-lhe seu amor e daí provém o ódio impotente que terá contra o herói até o fim deste.

Mais tarde, num barco mágico, dirige-se para Mag Mell (“A Planície da Alegria”), onde se apaixona pela deusa Fand, esposa abandonada de Manannân mac Llyr, que se entrega ao herói; Cuchulainn retoma para Ulster, e Fand, ao cabo de um ano, fiel ao prometido, apresenta-se na margem para que ele a possua; mas ambos são surpreendidos por Emer; os lamentos da jovem como­vem a deusa que abandona o herói à sua esposa e volta para junto do marido que a viera buscar.

Pouco mais tarde, sem saber quem era, Cuchulainn mata seu filho, o jovem Conlach, que ele tivera com a Amazona-feiticeira Aiffé.

Por fim, a odiosa rainha Medb consegue seu intento: matar o herói. Três feiticeiras, filhas de Callatin, que tinham no Oriente aprendido todas as ciências maléficas, revestem-se da forma de corvos e arrastam o jovem para a planície de Muirthemné, onde fazem com que ele viole o tabu em lhe oferecendo carne de cão, que não poderia aceitar; tiranl-lhe a lança mágica e Cuchulainn, afinal, despojado de todos seus poderes sobrenaturais, amarra-se a um pilar de pedra (menir) para morrer de pé; recebe a home­nagem do seu cavalo negro e exala o derradeiro alento.

DAGDA -Dagda ou Dagdé, contração de Dagodevos, “o Deus Eficaz”, é o nome pelo qual era conhecido o deus-chefe Eochaid Ollathair. Outro nome que lhe davam, Ruad Ro-fhessa, “Senhor da Ciência Completa”, proclama bem alto sua onipotência; com efeito, Dagda é bom para tudo: dos mágicos é o primeiro e o mais poderoso, temível guerreiro, habilíssimo artífice e o mais esperto de todos quantos “possuem a vida e a morte”, Possui uma caldeirinha maravilhosa, na qual se podem alimentar todos os homens da terra. Chama sucessivamente as estações do ano tocando a harpa divina. Vestido com uma túnica curta, traz na cabeça um capuz e na mão uma enorme maça, que transporta montado sobre rodas; é o senhor da vida e da morte, dispensadqr da abundância.Parece que seu equivalente gaulês é Math, o irmão da deusa Dôn.

DANA - A mãe do panteão celta insular é a deusa Dana (ou Donu), na Irlanda, e Dôn na Grã-Bretanha; é a companheira de Bilé (em irlandês) ou Béli (em bretão), que parece corresponder ao Dis pater dos romanos, do qual, no dizer de César, pretendiam os gauleses descender. A sua descendência chama-se Tuatha Dê Danann (tribos da deusa Dana) na literatura gaélica, ou Filhos de Dôn nos documentos de origem bretã. -V. Cessair.

DECHTIRÊ -V, Cuchulainn.

DÊ DANANN -V. Cessa ir.

DÊ DANANN ERIU -Deusa epônima da Irlanda. Erinn

(Erin em português, “a verde Erin” dos antigos navegadores) é genitivo de Eriu e nome comum para designar a Irlanda. DIANCECHT -Deus goidélico da Saúde e da Cura, espécie .de Esculápio irlandês -V. C essair.

DIARMAID - V. Fionn,

DOM NU - V, Cessair.

DON - V. Duan.

DONU -V. Dana.

DRUIDAS - Havia druidas gauleses e irlandeses. Comumente se ouve e se lê que os “druidas eram a casta sacerdotal dos antigos celtas”; se por sacerdotes se designam pessoas espe­cialmente consagradas, com carácter profissional, para executarem ritos religioso-culturais, nomeadamente o ato do sacrifício, em nome da comunidade ou em nome próprio — os druidas não foram sacerdotes, Se tivessem sido sacerdotes do antigo culto céltico, encontrá-los-íamos, sem dúvida, ocupando lugar de des­taque entre os celtas da Itália, da Espanha, da Europa central e da península dos Bálcãs assim como da Asia Menor; mas, nestas regiões, os druidas parece diferirem profundamente dos da Gália e da Irlanda. Havia, na Gália, uma classe denominada gutuatri, palavra que em geral se interpreta como “os que invo­cam” ou “os que interpretam vozes”, da raiz gutu, “voz”; é bem possível que os gutuatri exercessem, entre os celtas, as funções sacerdotais. O termo druida é derivado de duas raízes, dru, “a fundo” ou “completamente” (advérbio) e vid, “conhecer”; por­tanto, druidas seriam “aqueles que têm conhecimento profundo (ou completo )”; por outras palavras, eram “mestres” ou “filó­sofos”. Formavam ordem, não casta fechada, Outra etimologia da palavra, mais concorde com a filologia, afirma que provém do celta deru, “carvalho”.

Os druidas se dividiam em três classes: 1) os druidas pro­priamente ditos, possessores, no início, do supremo poder que mais tarde cederam aos brenns (daí o nome que os romanos da­vam ao general celta que invadiu a Itália e conquistou Roma, Breno), “os chefes” ou “generais dos guerreiros”: 2) os eubages, adivinhos e sacrificadores; e 3) os bardos, que cantavam hinos e celebravam as façanhas dos heróis. Os druidas criam na imor­talidade da alma e na metempsicose; cultuavam vários deuses mas não possuíam templos: reuniam-se nas sombrias florestas; a sua assembleia geral era perto de Chartres; tinham uma célebre escola em Dreux; nas grandes calamidades os druidas imolavam vítimas humanas. O druidismo atribuía misteriosas virtudes a certas plantas, à verbena, à selagina, ao sâmolo e, de modo espe­cial, ao agárico ou, melhormente, ao visco ou visgo -;v. Carvalho — que era cortado, em certos dias, com grandes cerimónias, sobre velhos carvalhos. Os druidas eram, ao mesmo tempo, médicos, astrónomos, físicos e conselheiros; toda sua ciência se continha em versos que não eram escritos mas que aprendiam de cor. As druidisas, feiticeiras e profetisas, tinham seu principal santuário na ilha do Sena, sobre a costa de Finisterra.

As invasões dos romanos.. depois as do bárbaros e o cristia­nismo puseram fim à religião dos druidas, os quais se refugiaram na Armórica (Bretanha) e depois na Irlanda; desapareceram definitivamente por volta do século VII; as práticas do druidismo foram condenadas pelo concílio de Nantes, em 618.

Há uma teoria que afirma ter sido o druidismo, juntamente com certo número de práticas de magia, ensinado aos celtas irlandeses pelos pictos, que não seriam de origem céltica. A teoria da origem não-céltlca do druidismo foi defendida por J. Pokorny (Celtic Review, julho de 1908).

Os monumentos chamados druídicos, dólmen, menir, cromlech etc., são considerados como bem anteriores à época gaulesa.

DUMIAS -Deus tutelar da montanha de Dôme; mais tarde  tomou-se simples epíteto aplicado ao Mercurius latino (Mercúrio).

EMER - Emer (pronuncia-se Avair) era esposa de Cuchu­lainn e filha de Forgall Manach, o mágico. – V. Cuchulainn.

ÉPONA -”A Cavaleira” ou, para usar um termo grego, “A Amawna “. J?, uma das divindades celtas que melhor conhecemos e que parece não ter sofrido o sincretismo romano. J?, represen­tada sempre a cavalo, sentada de lado, como as amazonas do século passado; na cabeça traz um diadema; ao seu lado vê-se uma jumenta ou um poldro, que às vezes a deusa alimenta; seus atributos eram o como da abundância (cornucópia), uma pátera e frutos. Divindade tutelar, Épona presidia, também, à fecundi­dade do solo, fertilizado pelas águas; desse aspecto surgiu a extravagante teoria de alguns pseudomitólogos que querem ver em Épona a exacta contrapartida da fonte Hipocrene, a “fonte cabalina” ou “as águas cabalinas” de Camões (Soneto, 21), fonte beócia famosíssima na mitologia grega. Era muito popular na Gália, segundo atestam as numerosas representações que chega­ram até nós; mais tarde, isto é, depois de César, o culto .de Épona foi levado para Roma; os romanos perderam o sentido primitivo do culto de Épona (deusa tutelar e deusa da fertilidade), e ela se tomou apenas a protectora da raça equina; punham sua imagem nas cavalariças. A divindade gaulesa Rhiannon, ..A Grande Rainha”, tem alguma afinidade com J?,pona; como esta, parece que foi uma “deusa-égua”.

ERIU - V. Cessair.

ESUS - O deus Esus chegou até nós através dos romanos; o próprio nome já parece ser uma adaptação latina. Lucano, no seu poema Farsalia refere-se ao “horrível Esus de ferozes alta­res” (1,444 e seguintes). Era o deus do Trovão, do Raio e dasTempestades; equivalia, portanto, a Júpiter. O deus sanguinário de Lucano, segundo um comentador da Idade Média, exigia no seu culto vítimas humanas, que eram suspensas de uma árvore. Em Treves e em Paris encontraram-se monumentos onde Esus aparece como derrubador de árvores; o monumento de Paris, de origem galo-romana, apresenta numa face “O Touro com oS Três Grous”, e pa outra o deus lenhador que corta os ramos com seu machado; sabemos que se trata de Esus, mas ignoramos os mitos que simboliza. Os filólogos querem ver na palavra Esus a deturpação de erus, “senhor” ou “dono de casa”.

ETHNIU - V. Cessair.

FAND - V. Cuchulainn.

FILI - Poeta.

FINN - V. Fionn.

FINN MAC CUMHAIL -Herói e mágico do ciclo feniano ou de Ossian. -V. Fionn.

FIONN - Chefe dos Fianna de Leinster, o herói Fionn ou Finn mac Cumhail é o fanfarrão que mata monstros e é mágico ao mesmo tempo. J?” também, poeta, e vive principescamente; seu caráter principal é a desconfiança e a astúcia; aparentado aos Fir Bolg e aos Tuatha Dê, assim como a Sualtam; pai putativo de Cuchulainn, não obstante a sua idade casou-se com a formosa Grainné, filha de Cormac, que logo o abandonou sedu­zida pelo jovem e encantador guerreiro Diarmaid (Dermat).

Finn é pai de Ossian (Oissin) e avô de Oscar (Osgur); são seus inimigos o altivo e orgulhoso GoII e seu irmão Conan, filhos de Môrna e chefes do clã temível dos Connaught. O nome Finn significa “Branco” ou “Louro”. Morreu numa batalha, em Gha­bra, onde seu inimigo era Cairbré Lifec4air, bisneto do Rei Conn. FODLA - V. Cessair.

FOMóIRÉ - V. Cessair.

FORGALL MANACH -V. Cuchulainn.

GOBANNON - Deus do fogo, espécie V. Gavannotz.

GOIBNIU -V. Cessa ir.

GOV ANNON -Govannon é nome bretão; a forma irlandesa é Goibniu e significa “ferreiro”. Este deus é o Vulcano das tribos celtas insulares; fornece armas aos membros do clã e aos aliados. Forjou a cervilheira que conferia a imortalidade. Consideram-no, na Irlanda, o arquitecto das altas torres redondas c: das primeiras igrejas cristãs.

GRAINNl? -Filha de Cormac e esposa de Fionn ou Finn mac Cumhail; abandonou o esposo seduzida pelo jovem e bri­lhante Diarmaid. -V. Fionn.

GWYDION -Deus civilizador, dispensador dos benefícios e propagador das artes. Suas aventuras lembram as de Odin (Wotan-Woden), deus teutônico. Nasceu misteriosamente de pais mal conhecidos; ilustrou-se na eloqüência, na magia e na arte dos combates: foi temível guerreiro. Quando Gwydion perdeu seus filhos, pôs-se a criar seres humanos, dando vida a vegetais. Seu culto floresceu, sobretudo, no país de Gales.

ICAUNO -Deus tutelar de Yonne.

INDECH -Filho da deusa Domnu; foi morto por Ogma.

ITH -Divindade do Reino dos Mortos. Junto com Bilé desembarcou na Irlanda e pôs fim ao poder dos Dê Danann.

LEABHAR GABHALA –“Livro das Invasões” ou “Livro das Conquistas”, obra onde vêm relatadas as origens lendárias da Irlanda. Nessa obra há narrações mitológicas dos celtas de mistura com acontecimentos históricos e factos de evemerismo cristianizado.

LLEU.- Lleu, identificado com o deus irlandês Lugh ou Lug, é divIndade benfazeja. Quase nada sabemos desse antigo deus. — V. Lug.

LLUD - Llud ou Niidd ou Nuada (irlandês), filho de Dôn; é chamado HMão de Prata”. Nessa divindade encontram-se tra­ços do Júpiter romano, o que nos faz crer tenha ela sofrido o sincretismo comum a outras divindades. Llud deu seu nome à sua cidade favorita, Caer Llud, que logo se tornou London (Lon­dres); a colina de Ludgate, em Londres, outra coisa não seria que o seu túmulo; a catedral de São Paulo, que a coroa, ocupou o lugar onde se erguia um templo dedicado a este deus.

LLYR - Llyr é nome gaulês; conhecido, também, por Ler, designa o Oceano. Seu sobrenome Llediaith (” Meia-língua”) deixa entrever que se compreende maIo que diz.

Geoffroi de Monmouth, nas suas Crônicas, o assimila a um antigo rei da Grã-Bretanha; e, pela adjunção de minúcias sem dúvida pertencentes a fatos históricos, humanizou-se de tal modo que veio a dar o Rei Lear de Sbakespeare.

Uyr, deus marinho, teve dois filhos, Bron e Manannân, ambos mais famosos que o pai.

LUG - Deus irlandês, também conhecido por Lugh, chamado Lâhm-fhâda, HMão Longa”; era deus benéfico. A irradiação do seu semblante era tal que nenhum mortal podia olhar para o seu rosto. Era o senhor absoluto das artes, tanto das d.e paz como das de guerra; davam-lhe o apelido Samhildânach, que poderíamos traduzir pelo grego “politécnico”; ganhou fama como ferreiro, carpinteiro, poeta, harpista, campeão, historiador e feiti­ceiro. Encarnava todas as actividades da tribo. Lug possufa uma lança mágica que sozinha e por si mesma ia ferir o inimigo quando o deus era ameaçado; seu arco era o Arco-1ris; na Irlanda chamavam .( e em alguns lugares ainda usam a designação) a Via-Láctea de “Cadeia de Lug”.

LUXÓVIO -Deus tutelar das águas de Luxeuil; sua compa­nheira era Bricta.

MANANNAN -Filho de Llyr; em gaulês seu nome era Mana­wydan ab Llyr, conhecido como bravo agricultor e hábil sapa­teiro; às vezes entra em luta com divindades estrangeiras ou com as divindades benéficas; construiu, com ossos humanos, a fortaleza de Annoeth (península de Gower).

O Manannân mac Llyr, irlandês, era um mágico temível; usa­va um capacete chamejante e sua couraça era invulnerável; sua espada matava logo ao primeiro golpe, e possuía uma manto que o tornava invisível; na terra, seu veloz ginete fendia os ares com a rapidez do raio, e no mar, a barca que o copduzia vogava sem velas e sem remos para onde ele quisesse. Os mari­nheiros o invocavam sob o título de “Senhor dos Cabos” e os mercadores pretendem que ele tenha fundado a sua corporação. Foi rei de Man, ilha, onde o seu túmulo gigantesco ainda hoje se pode ver, perto do castelo de Peel. Parece que tinha três pernas, fato testemunhado pelas armas da ilha que ostentam as três pernas dispostas como os raios de uma roda. Chamavam-no, também, Barr-Find, “Cabeça Branca”; tornou-se o piloto Barin que conduziu o Rei Artur para Avallon.

MANANNAN MAC LLYR -V. o verbete anterior.

MEDB -Medb, que se pronunciava, Meve, é a pérfida rainha que aparece no ciclo heróico de Ulster, Cuchulainn; Shakespeare transformou-a na Rainha Mab, que aparece em Romeu e Julieta (I, IV, 615):

Pelo que vejo, foste visitado

Pela Rainha Mab. Ela é parteira

Entre as fadas; e é tão pequenina

Como a ágata do anel que os conselheiros…”

O nome Mab, em welsh, significa “criança”; Beaufort men­ciona a “Rainha Mag” como a rainha das fadas Irlandesas. ­— V. Cuchulainn.

MENIR - Bloco de pedra mais alto que largo, assemelhan­do-se às vezes a um obelisco, não(} talhado, plantado no solo. Acredita-se que a erecção desses monumentos atendia a fins religiosos, ainda que não esteja afastada a hipótese de sua destinação ser funerária ou simplesmente comemorativa. Os menires abun­dam no solo francês, sobretudo na Bretanha; há também meni­res no oeste da Inglaterra, na Irlanda e ao longo do litoral oeste da Europa. Encontraram-se outros na Africa e na Asia. Os menires em círculo têm o nome de cromlechs. Deriva a palavra de men, “pedra” e hir “comprida”, vocábulos celtas..

MORRIGU -Morrigu ou Morrigan (irlandês), “Rainha dos Fantasmas”, era deusa da Guerra. Aparocia sob aspecto apavo­rante aos guerreiros e participava dos combates; não raro se manifestava aos guerreiros antes de’ estes partirem para a luta, onde seriam vencidos ou vencedores. Outras divindades sangui­nárias e cruéis do panteão celta, na realidade, par()’ce que são apenas encamações desta famosa Morrigu: Badb, que se mani­festava sob a figura de uma gralha; Macha, palavra que signi­fica “batalha” e Nemain, “pânico” ou, melhor, “terror’.

NANTOSUELTA -Gênio ou divindade feminina, ligada ao deus Sucelo. Seu nome deriva de nanto, “vale”. NEMAUSUS -Deus tutelar da cidade de Nimes e génio da fonte que abastecia essa cidade.

NEMETONA -Deusa guerreira, espécie de Belona, da qual nada se sabe.

NIAMH -Niamh (pronuncia-se Nieve) era uma deusa-fada, filha de Manannân, que aparece no ciclo de Ossian; levou o he­rói para o paraíso.

NUADA -Rei dos Tuatha Dê Danann. No combate corta­ram-lhe a mão e ele a substituiu por uma de prata, donde o nome: “com a mão de prata”. Por causa dessa mutilação foi obrigado a abdicar em favor de Bres; mas este, mais tarde, também abdicou, e Nuada, novamente, subiu ao trono, pois sua mão lhe foi restituída graças às habilidades de Miach, célebre feiticeiro filho de Diancecht, o qual, por causa dessa operação, foi morto pelo pai, invejoso da sua perícia.

OENGUS - Filho de Dagda. ~ o deus Cupido (deus do Amor) irlandês, irmão de Brigit. Os beijos de Oengus transfor­mavam-se em pássaros que modulavam cantos amorosos; qual outro Orfeu, quando tocava música, arrastava pós si todos aqueles que a ouviam.

OGMA - Guerreiro que matou Indech.

ÓGMIOS - O retor grego Luciano, no século 11 da nossa  era, dedicou um pequeno tratado “ao deus celta chamado Ógmios”. Diz ter visto a referida divindade representada sob os traços de um ancião cheio de rugas e quase calvo, vestido com pele de leão e munido duma formidável maça; por causa destes atributos, identificou-o com Hércules (Héracles em grego). Mas o poder desse Hércules celta não está no vigor físico, mas sim na eloquência; de fato, representam-no com cadeias que ligam sua língua às orelhas dos que o ouvem.

Parece que o deus Ógmios (não sabemos qual a forma exata celta deste nome) foi um herói civilizador, deus da eloqüência e dos discursos persuasivos; na mitologia irlandesa transfor­mou-se no campeão Ogma (seria este seu nome primitivo, antes de ser grecizado?), cuja espada, no curso da batalha de Mag Tured narra as façanhas que levou a cabo; é o inventor dos caracteres ogâmicos (escrita dos antigos povos gaélicos e escan­dinavos, principalmente do alfabeto dos irlandeses; constava de linhas verticais ou oblíquas, acima ou abaixo da linha, ou simples­mente cortando-a) e presidia, já como deus, à eloqüência; acredi­ta-se, pois, que Ógmios seja um avatar de um deus essencial­mente celta. Já os antigos romanos notavam o gosto que tinham os celtas pelos belos e bons discursos.

OSSIAN - Filho de Finn, Ossian é a ‘figura mais importante do chamado ciclo feniano ou de Ossian. Mas sua importância cresce de modo na série de baladas pós-fenianas, nas quais as façanhas de seu pai são relatadas em forma de diálogo entre Ossian e São Patrício, padroeiro cristão da Irlanda.

Quando foi da derrota de Gabhra, Ossian escapou graças à deusa-fada Niamh (q. v,), que o conduziu na sua barca de vidro para Tir na n-Og, o paraíso céltico. Ossian aí passou 300 anos de deliciosa juventude, enquanto o mundo e os reinos mudavam e se sucediam. No fim desse tempo, saudoso do seu país natal, dos parentes e das coisas humanas, quis retomar à face da terra. Niarnh lhe confia a montaria mágica que ela mesma usava, reco­mendando-Ihe insistentemente que não pusesse o pé em terra; mas a correia rompe-se, a sela desliza e Ossian cai por terra; quando se ergue, custosamente, é um ancião cego e fraco.

As pretendidas composições de Ossian gozaram de favor extraordinário no fim do século XVIII e nos começos do XIX. Ainda que fundadas em boas tradições gaélicas e imitadas de diversas narrações em prosa devidas a autores desconhecidos, as Poesias traduzidas de Ossian, filho de Fingal (aparecidas de 1760 a 1763), jamais foram traduções, mas sim obras originais do pseudotradutor, o escocês James Macpherson. Suscitaram o entusiasmo de almas sensíveis e a ac;imiração dos mais ilustres escritores românticos: Goethe, Herder, Mme de Stael, Chateau­bríand, Byron, Lamartine. ..Napoleão lia e relia Ossian. Mesmo quando começou a se duvidar da origem das poesias de Ossian, não perderam de todo o valor. O introdutor do Romantismo no Brasil, José Bonifácio (e não Domingos de Magalhães), lia sem­pre com renovado prazer as poesias de Ossian.

Mas os nomes primitivos, nessas poesias, estão desfigurados, e tomaram consonâncias poéticas, a fim de corresponder aos “anseios da época romântica”: Finn tornou-se Fingal, Conor trans­forma-se em Caibar, Deidré em Darthula, Conlaoch em Carthon, Cuchulainn em Clessamor, Aiffé em Moina…

PARTHOLON -Príncipe que veio da Grécia e colonizou a Irlanda.

PWYLL - nome gaulês. Esta divindade é aliada dos filhos de Llyr na sua luta contra os filhos de Don. Casou-se com Rhlannon (H Grande Rainha H) e teve um filho, Pryderi, que o sucedeu enquanto reinava em Annwfn (o Além bretão). Pwyll partilhou seu trono no Reino das Sombras com Manawydan ab Llyr.

SETANTA - Nome primitivo de Cuchulainn, (q. v.). SIDI -Sidi ou Aes Side, “Os habitantes da colina”, era um antigo nome irlandês para designar os deuses. Sideoga, diminu­tivo de Sidi, é o nome moderno das fadas.

SIRONA - Deusa de natureza astral.

SMÉRTRIOS - Deus gaulês que foi assimilado pelos roma­nos a Hércules. Smértrios aparece no monumento dos nautas parisienses combatendo com a serpente; é tudo o que dele sa­bemos.

SUALTAM - Pai putativo de Cuchulainn. Era um famoso profeta

SUCELOS -”Aquele que bate fortemente”, divindade que figura em vários monumentos, sob o aspecto de homem cabe­ludo e barbudo, vestido com amplo manto apertado na cintura e brandindo um malho oU martelo; seu outro atributo era um vaso para beber. Este mesmo deus, na Gália narbonense, se chamava Silvano, que é um deus típico dos romanos (de silva, “floresta”) e que presidia à vegetação em geral e às florestas e bosques. Sucelos andava associado à deusa Nantosuelta, deusa puramente céltica.

A assimilação de Sucelos a Silvano é um dos casos mais típicos da fusão religiosa galo-romana..

Na região de Salzbach, Sucelos estava associado à deusa Aeracura (nome que parece não ser gaulês), representada com um corno da abundância (Cornucópia) e com um cesto cheio de frutos.

TÁRANIS - Táranis, em irlandês Torann, “Aquele que Troveja, era o deus do Trovão, do Raio e da Tempestade. Corres­pondia ao Júpiter latino. É só o que dele sabemos.

TEUTATES -Como seu nome indica, teuta, em gaulês touta e em irlandês tuath, “tribo” ou “povo”, era, ao menos no início, “deus da tribo”, divindade tribal de amplos poderes. Era o deus principal dos cel.tas. Outra hipótese pretende que Teutates não é nome próprio individual mas um título ou nome genérico, como, por exemplo, o de faraó, aplicado aos reis do Egito; efeti-: vamente, em inscrições lê-se: Marti Toutati, “ao Marte-Toutates (ou Teutates)”; seria, nesse caso, um deus gaulês paralelo ao Marte romano, isto é, deus da guerra ou divindade guerreira. Parece que cada tribo gaulesa tinha o seu próprio “Teutates”, adorado de modo diverso e com denominação diferente: Albiorix, “Rei do Mundo” (?), Caturix. “Rei dos combates”. Lucetius, Aquele que brilha” (essa palavra é genuinamente latina, de lux, lucis, Hluz”), Rigisamos, “Muito real”…

Todas essas designações são muito imprecisas, pois, na maio­ria dos casos, trata-se de nomes latinos.

TOUTIORIX (ou Tutiorix) -Nome de Apolo. Parece que a palavra significa “Rei Protetor”; .estava associado a Sirona, deusa de natureza astral. Não sabemos qual a forma primitiva do nome desse deus nem o seu caráter particular. É provável que seja o mesmo Borvo (Bormo ou Bormanus) ou Belenos: “Aquele que Brilha”.

TRICÉFALO - “Três Cabeças”, nome que os mitológicos dão à figura que aparece em 32 efígies recolhidas, principalmente, no nordeste da Gália.

Tricéfalo é uma personagem com três cabeças ou com três rostos. Numa .estela encontrada em La Malmaison, perto de Reims, o Tricéfalo domina o par divino formado por Mercúrio e Rosmerta.

Explicam alguns mitólogos, com fundadas razões, que essa personagem seja apenas uma representação do deus que os roma­nos identificaram ao seu Mercúrio e do qual nada sabemos; a multiplicação das cabeças seria o meio prático de aumentar o poder da representação divina: é o princípio da “repetição de intensidade”. Com efeito, vários deuses diferentes são às vezes dotados de três cabeças pelos artistas gauleses; não raro tripli­cavam a própria pessoa divina, como é o caso das Matres, deusas mães célticas, comumente anónimas, comumente adoradas com Domes estritamente locais ou regionais; este carácter anónimo e este gosto pela “trindade” fazem parte, parece, de antigos con­ceitos da velha religião celta, da qual nada sabemos.

 VOSEGO - Deus tutelar dos Vosges.

 

 

 Deuses Gregos

Na concepção greco-romana, os imortais classificavam-se em: Divindades primordiais, superiores, siderais, dos ventos, das águas e alegóricas.

Divindades Primordiais:

Geia – Mãe de todos os seres, personificação da terra.

Surgiu do Caos e gerou Urano, os Montes, o Mar, os Titãs, os Centímanos (Hecatonquiros), os Gigantes, as Erínies, etc. O mito de Géia provávelmente começou como uma veneração neolítica da terra-mãe antes da invasão Indo-Européia que posteriormente se tornou a civilização Helenística.

Urano – O primeiro rei do Universo, segundo Hesíodo (céu estrelado).

Casou-se com Géia, da qual teve os Titãs, as Titânidas, os Ciclopes e os Hecatonquiros. Urano, por ódio, lançou no Tártaro os Ciclopes e os Hecatonquiros, Géia porém deu uma foice aos Titãs para que se vingassem. Cronos, o mais audacioso deles, castrou Urano e tornou-se o senhor do universo!

Cronos – Filho de Urano e Géia.

O mais jovem dos Titãs. Se tornou senhor do céu castrando o pai. Casou com Réia, e teve Héstia, Deméter, Hera, Ades e Poseidon. Como tinha medo de ser destronado, Cronos engolia os filhos ao nascerem. Comeu todos exceto Zeus, que Réia conseguiu salvar enganando Cronos enrolando uma pedra em um pano, a qual ele engoliu sem perceber a troca. Mais tarde Zeus voltou, deu ao pai um remédio que o fez vomitar os filhos, e logo depois o destronou e baniu-o no tártaro. Cronos escapou e fugiu para a Itália onde reinou sobre o nome de Saturno. Este período no qual reinou foi chamado de “A era de ouro terrestre”.

Ciclopes – Arges, Brontes e Estéropes.

Pertenciam a raça dos gigantes. Forjavam os raios e os trovões para Zeus. Teriam sido mortos por Apolo para vingar a morte de Asclépio.

Segundo Homero, porém, teria sido um povo de gigantes rudes, fortes, indiferentes às divindades, dedicados ao pastoreio.

Hecantoquiros (ou Centimanos) –

Briareu, Coto e Giges.

Gigantes de cem braços e cinquenta cabeças. Tendo hostilizado o pai, este os mandou para horríveis cavernas nas vísceras da terra. Participaram da rebellião contra Urano. Quando Cronos tomou o poder, os aprisionou no tártaro. Libertados por Zeus, lutaram contra as titãs. Com a habilidade de arremeçar cem pedras de uma vez venceram os titãs. Briareus era guarda-costas de Zeus.

Titãs – Oceano, Hipérion, Japeto, Céos, Créos e Cronos.

Titanidas – Téia, Réia, Têmis, Mnemôsine, Febe e Téis.

Zeus – O deus supremo do mundo, o deus por excelência.

Presidia aos fenómenos atmosféricos, recolhia e dispersava as nuvens, comandava as tempestades, criava os relâmpagos e o trovão e lançava a chuva com sua poderosa mão direita, à sua vontade, o raio destruidor; por outro lado mandava chuva benéfica para fecundar a terra e amadurecer os frutos. Chamado de o pai dos deuses, por que, apesar de ser o caçula de sua divina família, tinha autoridade sobre todos os deuses, dos quais era o chefe reconhecido por todos. Tinha o supremo governo do mundo e zelava pela ordem e da harmonia que reinava nas coisas. Depois de ter destronado o sei pai, dividiu com seus irmãos o domínio do mundo. Morava no Olimpo, quando sacudia a égide, o escudo formidável que lançava relâmpagos explodia a procela. Casou-se com Hera, porém teve muitos amores.

Hera – Irmã e esposa de Zeus, a mais excelsa das deusas. A Ilíada a representa como orgulhosa, obstinada, ciumenta e rixosa. Odiava sobretudo Héracles, que procurou diversas vezes matar. Na guerra de Tróia por ódio dos troianos, devido ao julgamento de Páris, ajudou os gregos.

Hestia – Deusa do fogo e da lareira.

Demeter – É a maior das divindades gregas ligadas à terra produtora; seu nome significa Terra-mãe.

De Zeus teve Perséfone, que foi raptada por Hades. Enraivecida, fez com que a terra se tornasse árida. Zeus, para aplacá-la, obteve de Hades que Perséfone permanecesse quatro meses nos Infernos, junto com o marido, e oito meses ao lado de sua mãe. O seu mito em relação a Perséfone teve lugar nos mistérios eleusinos.

Apolo – Filho de Zeus e de Leto, também chamado Febo, irmão gêmeo de Ártemis, nasceu às fraldas do monte Cinto, na ilha de Delos. É o deus radiante, o deus da luz benéfica. A lenda mostra-nos Apolo, ainda garoto, combatendo contra o gigante Títio e matando-o, e contra a serpente Píton, monstro saído da terra, que assolava os campos, matando-a também. Apolo é porém, também concebido como divindade maléfica, executora de vinganças. Em contraposição, como dá a morte, dá também a vida: é médico, deus da saúde, amigo da juventude bela e forte. É o inventor da adivinhação, da música e da poesia, condutor das Musas, afasta as desventuras e protege os rebanhos.

Artemis – Deusas da caça, filha de Zeus e Leto, irmã gêmea de Apolo.

Representava a mais luminosa encarnação da pureza feminina. Eram-lhe oferecidos sacrifícios humanos em tempos antiquíssimos. Deusa da Lua, declinava-se, circundada por suas ninfas, vagar de dia pelos bosques à caça de feras, à noite, porém, com o seu pálido raio, mostrava o caminho aos viajores. Quando a Lua, escondida pelas nuvens, tornava-se ameaçadora e incutia medo nos homens, tomava o nome de Hécate.

Atena - Surgiu toda armada do cérebro de Zeus, depois de ter ele engolido seu primeira esposa Métis.

Era o símbolo da inteligência, da guerra justa, da casta mocidade e das artes domésticas e uma das divindades mais veneradas. Um esplêndido templo, o Partenon, surgia em sua honra na Acrópole de Atenas, a cidade que lhe era particularmente consagrada. Obra maravilhosa de Ictino e de Calícrates, o Partenon continha uma colossal estátua de ouro dessa deusa, de autoria do famoso escultor Fídias.

Hermes – Filho de Zeus e de Maia, o arauto dos deuses e fiel mensageiro de seu pai, nasceu numa gruta do monte Ciline, na Arcádia. Lodo que nasceu, fugiu do berço e roubou cinqüenta novilhas do rebanho de Apolo, em seguida, com a casca de uma tartaruga, construiu a primeira lira e com o som deste instrumento aplacou Apolo, enfurecido pelo furto; esse deus acabou por deixar-lhe as novilhas e deu-lhe o caduceu, a vara-de-ouro, símbolo da paz, n troca da lira. Zeus deu-lhe o encargo de levar os mortos a Hades, daí o epíteto de Psicompompo. Inventou, além da lira, as letras e os algarismos, fundou os ritos religiosos e introduziu a cultura da oliveira. Deus dos Sonhos, eram lhe oferecidos sacrifícios de porcos, cordeiros, cabritos… Seus atributos eram a prudência e a esperteza. Livrou Ares das correntes dos Aloídas, levou Príamo à tenda de Aquiles e matou Argos, guarda de Io. Era representado com um jovem ágil e vigoroso, com duas pequenas asas nos pés, um chapéu de abas largas na cabeça e o caduceu nas mãos.

Afrodite – A deusa mais popular do Olimpo grego, símbolo do amor e da beleza. Filha de Zeus e de Díone ou, segundo outra versão, nascida da espuma do mar na ilha de Chipre. Acompanhavam-na as Horas, as Graças e as outras divindades personificadoras do amor. Era esposa de Hefesto, porém amou Ares, Hermes, Dioniso, Poseidon e Anquises. Por seus amores com Ares, foi considerada também como divindade guerreira. A sede mais antiga de seu culto era a ilha de Chipre.

Hefesto – Deus do fogo, filho de Zeus e Hera.

Trabalhava admiravelmente os metais e construiu inúmeros palácios de bronze, além da esplêndida armadura de Aquiles e o cetro e a égide de Zeus. Segundo uma tradição, nasceu coxo, pelo que sua mãe lançou-o do alto do monte Olimpo, foi recolhido por Tétis e Eurínome, com as quais permaneceu durante nove anos. Voltando ao Olimpo, ao defender Hera contra Zeus, este atirou-o do céu e, precipitando durante um dia inteiro, caiu na ilha de Lemos. Suas forjas, com vinte foles, foram depois do Olimpo colocadas no Etna, onde tinha os Ciclopes como companheiros de trabalho.

Hades – Senhor do reino subterrâneo. Acreditava-se que, com seu carro, viesse ao mundo para buscar as almas dos mortos. Possuía um capacete que o tornava invisível. Somente Hades tinha o poder de restituir a vida de um homem, porém, utilizou-se desse poder pouquíssimas vezes e, assim mesmo, a pedido da esposa. Era o deus das riquezas porque dominava nas profundezas da terra, de onde mandava prosperidade e fertilidade; era considerado um deus benéfico.

Poseidon – Depois que os Titãs foram derrotados por Zeus, na divisão do mundo coube-lhe a senhoria do mar e de todas as divindades marinhas. Tinha um palácio nas profundezas do mar, onde morava com sua esposa Anfiritre e seu filho Tritão. Sua arma era o tridente, com o qual levantava as ondas fragorosas, que engoliam as naus, e fazia estremecer o solo ou desperdiçar os recifes. Odiava Ulisses, por ele ter cegado o Ciclope Polifemo, seu filho. Foi inimigo de Tróia, depois que seu rei Laomendonte lhe negou a compensação pela construção das muralhas da cidade, ocasião em que mandou um monstro marinho para devorar Hesíon, filha do rei, que Héracles matou. Teve com Zeus, numerosos amores, todavia enquanto os filhos de Zeus eram heróis benfeitores, os de Poseidon eram geralmente gigantes malfazejos e violentos.

Ares – Deus da guerra, filho de Zeus e de Hera.

Deleitava-se com a guerra pelo sei lado mais brutal, qual seja a carnificina e o derramamento de sangue. Inimigo da serena luz solar e da calmaria atmosférica, ávido de desordem e de luta. Ares era detestado pelos outros deuses, o próprio Zeus o odiava. Tinha como companheiros nas lutas Éris, a discórdia; Deimos e Fobos, o espanto e o terror, e Ênio, a deusa da carnificina na guerra. Amou Afrodite, da qual teve Harmonia, Eros, Anteros, Deimos e Fobos.

Dioniso – Filho de Zeus e de Sêmele, deus do vinho e do delírio místico.

Em sentido mais geral, representava aquela energia da natureza que, por efeito do calor e da umidade, amadurece os frutos; era, pois, uma divindade benéfica. De todas as divindades, era a que mais aproximava dos homens. Teve um nascimento milagroso, com efeito, morrendo-lhe a mãe antes que tivesse o necessário desenvolvimento, foi recolhido pelo pai que o costurou numa de suas coxas e aí o conservou até que o garoto pudesse enfrentar a vida. Dioniso demonstrou muito cedo sua origem, divina: crescia livre, amante da caça e possuía o estranho poder de amansar as feras mais ferozes. Um dia, criou a videira e quis dar o vinho a todos os homens; para esse fim, empreendeu numa longa viagem, através de todas as terras, seguido por um cortejo de ninfas, sátiros, bacantes e silenos. Por onde passavam, os homens tornavam-se felizes. Na Frígia, concedeu ao rei Midas a faculdade de poder transformar em ouro tudo que tocasse. Na Trácia, o rei Licurgo tentou dispersas a comitiva: Dioniso indignado, cegou-o. Em Delos, concedeu às filhas do rei Ânio o poder de mudar a água em vinho. Casou-se com Ariadne, depois que esta foi abandonada por Teseu; as núpcias foram celebradas com suntuosidade e o casal subiu ao Olimpo sobre um carro puxado por panteras.

Divindades Siderais:

Helios – Filho de Hipérion e de Téia, titã por excelência, irmão de Selene e de Éos, personificação do Sol. Surgia todas as manhãs do Oceano para conduzir o carro do Sol, puxado por cavalos que expeliam fogo pelas narinas. Penetrava com seus raios em todos os juramentos. Mais tarde foi confundido com Apolo. O Colosso de Rodes foi uma estátua lhe consagrada.

Selene - Deusa da Lua, irmã de Helios e Éos, da família dos Titãs.

Era uma linda deusa, de braços brancos, com longas asas, que percorria o céu sobre um carro para levar aos homens a sua plácida luz. Amou Endimião e foi, posteriormente, identificada com Ártemis.

Eos – Deusa que anunciava o dia. Era representada sobre o carro da luz, guiando os cavalos, com uma tocha na mão.

Divindades dos Ventos:

Boreas – Filho de Astreu e de Éos, deus dos ventos do norte, morava na Trácia. Pertencia à raça dos Titãs e era irmão de Zéfiro, Euro e Noto. Raptou Orítia, com a qual casou e que lhe deu os filhos Cálais e Zetes.

Zefiro – Vento que sopra do Poente, anunciador da primavera e venerado como deus benéfico.

Euro – Vento que sopra do Oriente, dependente de Éolo.

Noto – O vento do Sul.

Eolo – Rei dos ventos, às vezes identificado com o filho de Poseidon e Arne. Morador das ilhas Eólias, acolheu amigavelmente Ulisses e seus companheiros e deu-lhes um odre em que estavam encerrados todos os ventos contrários à navegação Ítaca. Os companheiros de Ulisses, por curiosidade, abriram-no e os ventos desencadearam uma terrível tempestade que causou o naufrágio de quase toda a frota.

Divindades das Aguas

Oceano – O mais velho dos Titãs, marido de Tétis, pai de todos os rios e das Oceânides. Era a personificação da água que envolve o mundo.

Nereu – Velho deus marinho, filho do Ponto e de Géia.

Tinha o dom da profecia e a faculdade de tomar várias formas. Era representado com os cabelos, sobrancelhas, queixo e peito cobertos por juncos marinhos e por folhas de plantas similares.

Proteu – Pastor das focas de Poseidon.

Morava numa ilha próxima ao Egito e tinha o poder de metamorfosear-se em todas as formas que desejasse, não só de animais, mas também de plantas e de elementos, com a água e o fogo. Segundo Eurípedes, Proteu foi rei da ilha de Faros e, casando-se com Psâmate, teve os filhos Idoteu e Teoclímenes.

Ninfas – Filhas de Zeus, representavam as forças elementares da natureza.

Moravam nos montes, nos bosques, nas fontes, nos rios, nas grutas, das quais eram potências benéficas. Viviam livres e independentes, plantavam árvores e eram de grande utilidade aos homems. Dividiam-se em Oceânides, Nereidas, Náiades, Oréades, Napéias, Alseidas, Dríades e Hamadríades.

(Fonte: Texto retirado da Internet )

SOBRE A DEUSA VENUS e a MAGIA

Na antiguidade, a deusa Vénus era vista sob diversos outros nomes, em diferentes culturas. No antigo Egipto, era Hator: deusa da fertilidade. Entre os babilónicos, fenícios e caananitas, foi vista como Aserá e Astarte. Tanto Aserá como Astarte ou Vénus, eram veneradas em templos dedicados á Deusa do Amor, aquela que traz fertilidade, prosperidade, vitoria e sucesso. O seu culto era feito através do festivais primaveris, onde flores, danças e alegria eram dedicadas á Deusa, em troca da sua protecção que trazia prosperidade a todos os níveis: negócios, família, filhos, colheitas, sucessos em todos os empreendimentos.

Entre os romanos, o dia da Deusa Vénus era a sexta feira, e por isso esse dia tinha o nome de «Veneris dies»

Ainda hoje em Inglês, sexta feira é «Friday», nome que sucede em honra da Deusa Vénus, (Fri” = Freya, de freofree: livre; deusa teutónica do Amor, Beleza, Fecundidade, líder das Valquírias), assim como em francês «Vendredi» também tem origem no culto da deusa Vénus, e igualmente em alemão «Freitag» tem a mesma origem mitológica e esotérica ( Frei = Freya, de frija: amada, dos amados, livre; equivalente à deusa anglo-saxã)

A CONCHA – SIMBOLO PAGAO DE VENUS

No mito do nascimento de Vénus, conta-se que a deusa surgiu de dentro de uma concha de madrepérola, tendo sido gerada pelas espumas.

Pois a concha, tem sido desde então um símbolo esotérico poderoso e carregado de simbologias poderosas, todas elas ligadas á força espiritual que emana desta figura celestial que é a Deus Vénus, e que representa a própria essência do feminino, do amor, da fertilidade.

Ainda nos dias de hoje estas simbologias permanacem de forma oculta em diversas religiões, ate mesmo naquelas onde menos se espera. O novo Papa, tem uma veste oficial constituída por um manto adornado de conchas, símbolo esotérico directamente relacionado com os cultos da fertelidade e prosperidade representados pelo principio feminino que Vénus simboliza.

ORIGENS E EXISTENCIA DA DEUSA VENUS

 Muitas genealogias mitológicas explicam a descendência de Vénus, contudo regra geral aceita-se que a Deusa Vénus é filha do Céu e da Terra, tendo sido gerada nas espumas no oceano. Vénus é a Deusa do Amor e da beleza. Depois de nascer, Vénus foi levada para o céu, sendo que os deuses ficaram extasiados com a sua irresistível e inigualável beleza. O deus Vulcano tomou-a como esposa, em virtude de ter fabricado os raios que ofereceu a Júpiter na sua luta contra os Gigantes que ameaçavam expulsa-lo do Céu. Pelo préstimo ao Júpiter, Vulcano recebeu Vénus por esposa. No entanto, perante os tratos pouco agradáveis do marido, a Deusa procurou a companhia de outros Deuses, com quem teve diversos casos amorosos. Vénus conheceu Marte, tornou-se amante dele e teve o filho Cupido. Vénus amou também Adónis, num célebre caso de tórrido amor que abalou o Olimpo. Vénus fez amor com Deuses e mortais, espalhando tanto no céu como na terra descendentes mitológicos. A deusa do amor fez justiça ao seu título, e personificou a própria essência do ser feminino em toda a sua indomável beleza e liberdade. Os romanos consideravam-se descendentes da deusa, pelo lado de Eneias, o fundador mítico da raça romana, que era filho de Vénus com o mortal Anquises.

VENUS E OS ETERNOS DIAMANTES

A deusa Vénus simboliza o amor, a luxúria e a prosperiade. E se procuramos um símbolo altamente relacionado com Vénus, encontramo-lo no…. Diamante.

O diamante é o símbolo dos apaixonados.

Na Antiguidade,o diamente era chamado «Pedra de Vénus». O nome advinha do intenso brilho dos diamantes, que ra relacionado com o resplandecente brilho do planeta Vénus. Assim, sendo que Vénus representacva o amor, os diamantes passaram a ser vistos como objectos advindos de Vénus e por isso relacionados com o feminino e com a paixão. Na grécia, o diamente era chamado de «adama», que signfica: eterno. Pois na verdade o amor é eterno, e tambem são os diamantes, símbolo da eternidade desta Deusa que apesar de todas as lutas para a apagar da historia,  jamais se desvaneceu.

MAGIA E VENUS

A deusa Selena, ( nalgumas mitologias relacionada com Hecate), e Vénus, eram as deusas a quem as poderosas forças da luxúria e do amor estavam relacionadas.

Por isso, todos os trabalhos místicos relacionados com o amor, o erotismo ou a luxúria, devem ser direccionados a Vénus, e á força espiritual que esta entidade representa, sendo que ainda nos dias de hoje essa mesma essência se perpetua nas crenças místicas atraves da astrologia.

Igualmente os favorecimentos em assuntos de fertilidade, prosperidade e sucesso, devem ser endereçados a esta força espiritual, e ás influencias que ela representa no nosso mundo terreno.

Banho da Deusa Vênus

Com este banho mágico,( veja também: banhos mágicos), o seu corpo ganhará um brilho especial que vai atrair irresistivelmente o homem dos seus sonhos.

Eis como proceder.

Tenha:

· 1 litro de água mineral.

· metade de uma maçã com casca

· 7 pétalas de rosa vermelha

· 7 gotas de essência de sândalo

 

*****

Numa sexta feira, (dia de Vénus), faça o seguinte:
1- Ferva numa panela 1 litro de água mineral.

2- Apague o fogo e acrescente a metade de uma maçã com casca, 7 pétalas de rosa vermelha, 7 gotas de essência de sândalo.

3- Deixe a mistura esfriar.  Depois de atingir uma temperatura amena, retire a pétalas de rosa e as maças para um saquinho plástico.

3- No final da tarde, tome um banho normal. Em seguida, despeje o preparado pelos ombros abaixo.
4 – Deixe que a mistura seque naturalmente no seu corpo, sem utilizar toalha.

5- nessa sexta feira á noite, o saquinho com as pétalas e maças, deve ser devolvido ao mar.

Resultado: seu corpo ganhará um brilho especial que vai trazer a si, com desejo, o seu amado.

Magia e elementos mágicos

 

VELAS

Cores das Velas Sagradas de Deuses e Deusas

 

 

Assim como o Cristianismo é formado por diversas denominações religiosas, há também diversas tradições dentro da Feitiçaria (ou Wicca, como muitas Bruxas modernas preferem chamar). Cada tradição Wicca possui rituais e festivais diferentes, e muitas usam um nome diferente para a Deusa e Seu consorte, o Deus Cornífero.

Embora geralmente velas brancas de altar bastem para invocar as deidades pagãs, usar uma vela especial com a cor sagrada adequada ao invocar um Deus ou Deusa em particular trará resultados muito melhores.

A seguinte lista em ordem alfabética contém os nomes, descrições e cores das velas sagradas das Deusas e Deuses adorados pelas várias tradições Wicca, assim como muitas das antigas deidades da natureza louvadas por diferentes culturas pagãs através da história.

 

 

 

AAH : Um dos Deuses da Lua sagrados do antigo Egipto. A cor de sua vela sagrada é o prateado.

 

ADITI: Deusa do Céu hindu. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

AFRODITE: Deusa grega do amor e da beleza e uma entre os Doze Grandes do Olimpo. Também conhecida como Citeréia, identifica-se com a Deusa romana do Amor, Vênus. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o rosa.

 

AGNI: Deus hindu que assume três formas: sol, luz e fogo. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

AMATERASU-O-MI-KAMI: Deusa-Solar japonesa. As cores de sua vela sagrada são o amarelo e o dourado.

 

AMON (ou Amen): Deus egípcio da vida, reprodução e agricultura; é representado como um homem com cabeça de carneiro. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

ANAITIS: Deusa persa da Fertilidade. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

ANU: Deusa-Mãe, Deusa do Amanhecer e Deusa da Morte e dos Mortos. As cores de sua vela sagrada são o preto e o branco.

 

ANÚBIS: Deus egípcio da morte e da magia negra, que aparece em forma de cachorro, ou homem com cabeça de chacal. Na mitologia egípcia, tratava-se do filho de Néftis e às vezes sua importância rivalizava com a do grande deus Osíris. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

AODH: Deusa-ígnea celta. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

APOLO: Deus grego do sol, fertilidade, profecias e oráculos, assim como uma deidade associada à luz, cura, música e poesia. Na mitologia grega, era o filho de Zeus, irmão gémeo da Deusa da Lua Artemis e um entre os Doze Grandes do Olimpo. As cores de sua vela sagrada são o dourado e o branco.

 

ARRIANRHOD: Deusa-Mãe e deusa neopagã galesa da fertilidade. As cores de sua vela sagrada são o verde e o branco.

 

ARTEMIS: Deusa grega da lua, caça e animais selvagens. Sendo uma deusa lunar, tem sido um arquétipo influente para Bruxas e seguidores do culto contemporâneo à Deusa. Equivale à Deusa romana da Lua, Diana, e se identifica com Luna, Hécate e Selene. As cores sagradas de sua vela são o prateado e o branco.

 

ASHERALI: Deusa da lua e da fertilidade do cananeu. As cores de sua vela sagrada são o verde, o branco e o prateado.

 

ASTARTE: Deusa fenícia do amor e da fertilidade. Identifica-se com a lua e é representada com crescentes em forma de chifres. As cores de sua vela sagrada são o rosa, o verde, o vermelho e o prateado.

 

ASTRÉIA: Deusa grega da inocência e da pureza, filha de Temis, a deusa da Justiça. Conta o mito que, após abandonar a Terra, ela foi colocada entre as estrelas, onde se tornou a constelação de Virgem. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

ATENA: Deusa grega da sabedoria e das artes, e uma entre os Doze Grandes do Olimpo. Identifica-se com a deusa romana Minerva, e as cores de sua vela sagrada são o roxo e o branco.

 

ATTIS: Deus da fertilidade e da vegetação para os frígios e consorte da Deusa da Fertilidade, Cibele. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

BAAL: Deus fenício da natureza e da fertilidade, associado à chuva de inverno. Representado como um guerreiro de capacete com chifres e munido de lança, foi adorado como o principal deus da Terra, por milhares de anos. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

BACO: Deus romano do vinho e da algazarra; identifica-se com o Deus grego do Vinho, Dionísio. Na mitologia, era filho das deidades Zeus e Semeie e consorte de Ariadne. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o roxo.

 

BALDER: Deus do Sol escandinavo, filho de Odin, e personificação da sabedoria, bondade e beleza. As cores de sua vela sagrada são o amarelo e o dourado.

 

BAST: Deusa egípcia da Fertilidade e filha de Isis, também conhecida como Filha da Luz. Confere saúde e simboliza paixão sexual. Nos tempos antigos, era adorada na forma de gato e, mais tarde, como uma mulher com cabeça de gato. Na bruxaria e cultos sexuais mágicos da atualidade, Bast é uma das mais populares entre as antigas Deusas Egípcias. As cores de sua vela sagrada são o vermelho, o verde e o branco.

 

BENTEN: Deusa do Amor dos budistas japoneses. É também a deusa da feminilidade, da música, da literatura e do mar. A cor de sua vela sagrada é o rosa.

 

BRIGIT: Deusa celta e neopagã do fogo, da sabedoria, da poesia e dos poços sagrados, além de ser uma deidade associada com profecia, vidência e cura. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o branco.

 

CE-AEHD: Deusa celta da natureza. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

CEARA: Antiga deusa pagã da natureza; é a equivalência feminina do deus Cearas. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

CEARAS: Antigo deus pagão do fogo e equivalente masculino da deusa Ceara. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

CENTEOTLE: Deusa mexicana da fertilidade. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

CERES: Deusa romana da colheita e fertilidade da Terra e mãe de Prosérpina. Na mitologia grega, ela é Demeter, a deusa da agricultura e mãe de Perséfone. As cores de sua vela sagrada são o verde, o laranja, o marrom e o amarelo.

 

CERNUNOS: Deus cornífero celta da natureza, dos animais selvagens, da caça e da fertilidade, “Senhor de Todas as Criaturas Vivas”, e consorte da Grande Mãe. Ele é representado com cabeça de touro, torso de homem e cauda de peixe. Como deus neo-pagão, é reverenciado principalmente por seguidores da Wicca de tradição gardneriana. A cor de sua vela sagrada é o verde-escuro.

 

CERRIDWEN: Deusa celta e neo-pagã das montanhas, da fertilidade e da inspiração. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

CHERNOBOG: Deus eslavo das tempestades e da guerra, também conhecido como Trovão e Lançador de Relâmpagos. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

 

CHU-JUNG: Deus chinês do fogo. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

CIBELE: Deusa frígia da natureza e da fertilidade, consorte do Deus Attis e equivalente à Deusa-Mãe grega Réia. Cibele está simbolicamente associada aos animais selvagens e montanhas, e no mito é representada dentro de uma carruagem puxada por leões. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

CLÓRIS: Deusa grega das flores e equivalente da Deusa romana das flores, Flora. As cores de sua vela sagrada são o branco e todas as cores florais.

 

DAGHDA: Deus principal das tribos pagãs da Irlanda, “Senhor do Grande Conhecimento”, e Deus da Fertilidade e da Terra. Acreditava-se que ele controlava a vida e a morte com um porrete e que possuía um caldeirão com magias poderosas As cores de sua vela sagrada são o verde e o marrom.

 

DAZHBOG: Deus eslavo do Sol e consorte/irmão da Deusa Zhiva. As cores de sua vela sagrada são o amarelo, o dourado e o laranja-avermelhado.

 

DEMETER: Deusa grega da fertilidade, do cultivo agrícola e da colheita, mãe de Perséfone e uma importante deidade nos mistérios de Elêusis. Identifica-se com a deusa romana Ceres; as cores de sua vela sagrada são o verde e o laranja.

 

DEUSA TRÍPLICE: Uma trindade de Deusas com três diferentes aspectos e três diferentes nomes. A Mãe Lua é adorada como uma Deusa Tríplice cujo símbolo sagrado é a lua crescente. Os três aspectos de sua deidade correspondem às três fases lunares: em sua fase crescente ela é Selene, a mãe e doadora de luz. A lua cheia é Diana, a caçadora. Em sua fase minguante ela é Hécate, a sábia anciã e Rainha da morte e da escuridão. Nos mitos nórdicos, a trindade da Deusa Tríplice é Freya (deusa do amor e da beleza), Frigga (deusa-mãe) e Hei (rainha da morte e governante do mundo subterrâneo). Os múltiplos aspectos da deusa celta Morrigan são: Macha, Badb e Neman. Até Maria, dos mitos cristãos, é tanto uma trindade como qualquer antiga deusa paga, embora seus seguidores não a descrevam como tal. Ela incorpora os atributos encontrados nas deidades femininas de outras culturas (Virgem, Mãe, Santa), mas, suprimida por uma hierarquia paternal, sua adoração como Deusa é negada até por aqueles que assistem aos seus ritos. As cores da vela sagrada da Deusa Tríplice são o verde (mãe), o vermelho (guerreira) e o preto (anciã). Há também trindades de Deuses masculinos, como a trimurti hindu de Brahma, Vishnu e Shiva; a tríade grega de deuses solares Apolo, Hélio e Febo; e a bem conhecida união cristã das três figuras divinas Pai, Filho e Espírito Santo em uma única deidade. As cores da vela sagrada dos Deuses Tríplices variam, visto que os três aspectos dos deuses nem sempre são os mesmos em cada trindade.

 

DEW: Deusa grega da fertilidade. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

DIANA: Deusa da Lua, Deusa-Mãe e virgem caçadora da lua romana e neopagã. Identifica-se com a Deusa da Lua grega Ártemis e é reverenciada principalmente pelos seguidores da tradição Wicca diânica. As cores de sua vela sagrada são o prateado e o branco.

 

DIONISO: Deus grego do vinho, êxtase, fertilidade e natureza, era adorado em orgias frenéticas. Simboliza liberdade e impulsos espontâneos, sendo equivalente ao Deus romano do Vinho, Baco. As cores de sua vela sagrada são o vermelho, o roxo e o verde.

 

DURGA (também Durva): Deusa hindu e consorte do Deus Shiva; era adorada em toda a índia, mas especialmente em Bengala. Durga é representada como feroz assassina de um dragão e tem dez braços, mas é dito que ela é amorosa e gentil para com seus adoradores. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

DYAUS: Deus do Céu indo-europeu, consorte da Deusa da Terra, Prithivi, e pai de Indra. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

EA: Deus babilônio da água, senhor da sabedoria e patrono da magia, artes e ofícios; identifica-se com o deus sumeriano Enk. Acredita-se que o simbolismo do signo astrológico de Capricórnio derive de Ea, visto que ele é representado com corpo de cabrito e cauda de peixe. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

EOSTRE: Deusa saxônia e neo-pagã da fertilidade e da primavera, de cujo nome deriva o nome do feriado da Páscoa [Easter]. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

EPONA: Deusa-Égua celta, cuja vela sagrada tem cor branca.

 

ERESHKIGAL: Deusa-Cornífera sumeriana e Rainha do Mundo subterrâneo. Identifica-se com a Deusa grega da Lua, Hécate, e é representada com o corpo de um peixe que possui escamas como as de serpente e orelhas de ovelha. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

EROS: Deus grego do amor e da sexualidade, o mitológico Filho de Zeus e Afrodite é a personificação da paixão humana. Identifica-se com Cupido, o deus romano do amor e filho de Vênus. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

ESMERALDA: Deusa sul-americana do amor. A cor de sua vela sagrada é, logicamente, o verde-esmeralda.

 

EXU: Deus da magia na macumba. As cores de sua vela sagrada são o branco e o preto.

 

FAUNO: Deus romano dos bosques, campos e pastores. Representado como meio cabrito e meio humano, é equivalente ao Deus grego da Natureza, Pan. A cor de sua vela sagrada é verde.

 

FLORA: Deusa romana das flores e de “tudo que floresce”. É equivalente à Deusa grega das Flores, Clóris. As cores de sua vela sagrada são o branco e todas as cores florais.

 

FORTUNA: Deusa romana da felicidade, sorte e oportunidade, que possui o poder de conferir aos mortais tanto riqueza quanto pobreza. É identificada com a Deusa grega, Tício. As cores de sua vela sagrada são o verde, o dourado e o prateado.

 

FREY: Deus escandinavo da fertilidade, adequadamente representado com um falo erecto indicativo de seu poder fertilizador. É também uma deidade associada com paz e prosperidade. Na mitologia, ele é irmão e consorte da deusa Freya e filho do deus do mar, Njord. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

FREYA (também Freyja): Deusa escandinava da fertilidade, do amor e da beleza, cujos símbolos sagrados e familiares eram os gatos. No mito encontra-se representada como uma bela mulher andando numa carruagem puxada por gatos. Era também a Rainha do Mundo Subterrâneo e irmã e consorte do Deus Frey. Como deusa neopagã, é reverenciada principalmente por seguidores da Wicca de tradição saxônia. As cores de sua vela sagrada são o verde, o vermelho e o preto.

 

FRIGGA: Deusa-Mãe escandinava e consorte do Deus Odin. Ela era também patronesse do casamento e da fecundidade. No mito é representada andando numa carruagem puxada por carneiros sagrados. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

FRIJA: Mãe-da-Terra pagã-germânica e consorte do Deus Tiwaz. O dia da semana a ela consagrado é a sexta-feira. A cor de sua vela sagrada é o marrom.

 

HADES: Deus grego do Mundo Subterrâneo, governante dos mortos e irmão do todo-poderoso Zeus. Na mitologia romana denomina-se Plutão. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

HATHOR: Deusa egípcia da beleza e dos céus, patronesse da fecundidade, das criancinhas e da música. Frequentemente é representada como uma mulher de cabeça de vaca, que usa um diadema com duas plumas e um disco solar decorado com estrelas simbolizando seu papel de Deusa celestial. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

HÉCATE: Deusa grega da Lua, deusa neo-pagã da fertilidade e da magia da lua, Rainha do Mundo subterrâneo e protectora de todas as Bruxas. Conhecida como “Deusa da Escuridão e da Morte”, assim como “Rainha dos Fantasmas e das Encruzilhadas”, identifica-se com a deusa lunar Diana e com a deusa grega Perséfone. As cores de sua vela sagrada são o preto e o prateado.

 

HERA: Deusa grega da morte e do renascimento, Deusa da Terra e consorte de Zeus. As cores de sua vela sagrada são o preto e o marrom-escuro.

 

HÉSTIA: Deusa grega da Lareira. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

HÓRUS:Deus egípcio do céu e filho de Isis e Osíris. E representado como um homem com cabeça de falcão, tendo por olhos o sol e a lua. A cor de sua vela sagrada é o azul-real.

 

INANNA: Deusa sumeriana tanto do amor quanto da guerra, que se identifica com a deusa babilônia Ishtar. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

ISHTAR: Deusa assíria, babilónia e neo-pagã do amor, da fertilidade e da guerra, que personifica o planeta Vênus. Era uma Deusa-Mãe e consorte de Tamuz, o Deus dos cereais e do pão que morria a cada inverno e renascia na primavera seguinte. Sendo uma deusa tríplice, ela representa nascimento, morte e renascimento. Em seu aspecto de Mãe, é a doadora de toda a vida. Em seu aspecto de Donzela-Guerreira, é aquela que traz a morte. Em seu aspecto de Anciã, traz renascimento e ressurreição. A lua crescente é um de seus símbolos sagrados. Ishtar é representada como uma mulher de feições de pássaro e cabelo trançado, que usa chifres de touro e preciosos colares, braceletes e tornozeleiras como adorno. É associada à deusa sumeriana Inanna e com a deusa fenícia Astarte. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o verde.

 

ÍSIS: Antiga Deusa-Mãe egípcia da fertilidade e deusa neopagã da magia e encantamento. Era irmã e consorte do Deus solar Osíris e às vezes era identificada com a deusa Hathor. Isis é o símbolo da maternidade divina e, em seus mistérios, era considerada como a única forma de todos os deuses e deusas. Costuma ser chamada de “Deusa dos Dez Mil Nomes”. Em Hellespont (agora Dardanelles), era conhecida como Mystis, a Senhora dos Mistérios. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

JANO: Deus romano dos portões e portas, é a deidade associada com viagens e o começo das coisas. É representado como tendo dois rostos, cada um olhando em direções opostas. Seu festival acontecia em janeiro, e a cor de sua vela sagrada é o branco.

 

KALI: Deusa hindu da Morte, personifica as forças escuras e aterradoras da natureza. É representada como uma mulher de aspecto guerreiro, de pele escura e dentes caninos salientes, que usa um colar de caveiras humanas em torno do pescoço. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

KHONS: Um dos sagrados Deuses da Lua do antigo Egito. Era também conhecido como um deus de cura, e as cores de sua vela sagrada são o prateado e o branco.

 

KILYA: Deusa inca da Lua. As cores de sua vela sagrada são o prateado e o branco.

 

KUAN YIN: Deusa chinesa da fertilidade, do parto e da compaixão. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

KUPALA: Deusa eslava da vida, do sexo e da vitalidade. É reverenciada no Dia do Meio do Verão, e a cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

LOKI: Deus escandinavo do fogo. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

LUCINA: Deusa romana da Lua, associada ao parto. As cores de sua vela sagrada são prateado e branco.

 

LUGH: Primitivo Deus celta do Sol, adorado pelos antigos druidas como o Doador Abundante da Colheita. O festival do Sabbat pagão de Lughnasadh (que significa “Comemoração de Lugh”) originou-se com os druidas para prestar homenagem ao Deus-Sol. As cores de sua vela sagrada são o amarelo, o dourado e o bronze.

 

LUNA: Deusa da Lua romana e neo-pagã, cujo nome é o termo em latim para “lua”. Identifica-se com Selene e Artemis, e as cores de sua vela sagrada são o branco e o prateado.

 

LUPERCUS: Deus romano da fertilidade, identifica-se com os deuses da natureza Pan e Fauno. Na antiga Roma, seu festival da fertilidade era conhecido como Lupercalia, no dia 15 de fevereiro. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

MAAT: Deusa egípcia da verdade, justiça e ordem do universo, cujo símbolo era uma pena. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

MIN: Deus egípcio da fertilidade e protector dos viajantes. As cores de sua vela sagrada são o verde e o branco.

 

MORRIGAN: Deusa celta da Guerra, morte e destruição, e mãe de todos os deuses irlandeses. Dizem que ela aparece em forma de corvo (um pássaro de mau augúrio na tradição celta) antes e durante as batalhas. E também conhecida como “Rainha Espectro” e “Grande Rainha Morgana”. Como Deusa Trindade, chamava-se Macha, quando fazia magia com o sangue dos assassinados; Badb, quando aparecia na forma de uma gigante, às vésperas da guerra, para avisar os soldados de seu destino; e Neman, quando aparecia como anciã. As cores de sua vela sagrada são o escarlate e o preto.

 

MUT: Deusa egípcia da fertilidade. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

MYLITTA: Deusa babilônia da fertilidade. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

NÉMESIS: Deusa grega da ira e da vingança e filha mitológica de Erebo e Nyx. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

NETUNO: Deus romano do mar, irmão de Zeus e equivalente ao Deus grego do Mar, Poseidon. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

NINHURSAG: Deusa mesopotâmia da Terra e consorte de Ea. A cor de sua vela sagrada é o marrom-escuro.

 

ISIJORD: Deus escandinavo do mar e patrono dos pescadores. Também conhecido como deus da prosperidade. A cor de sua vela sagrada é a água-marinha.

 

NUT (também Nuit)

Deusa egípcia do Céu e mãe de Osíris, Isis, Set e Néftis. A cor de sua vela sagrada é o azul-real.

 

NYX: Deusa grega da noite, irmã e consorte de Erebo, o senhor das trevas. Identifica-se com a deusa romana Nox. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

ODIN: Deus escandinavo e neopagão da sabedoria, magia, arte e poesia. É também o Senhor dos Mortos e o consorte da deusa Frigga. Segundo a mitologia nórdica, Odin lutava contra gigantes, seduzia mortais e despertava os mortos em sua busca pela sabedoria do oculto e poder absoluto. Representam-no como um velho de um só olho, usando um anel mágico e montando um cavalo de oito pernas. É equivalente ao deus pagão-germânico Woden. As cores de sua vela sagrada são o roxo, o vermelho e o preto.

 

OSÍRIS: Antigo deus egípcio da vegetação e da fertilidade, cuja morte e renascimento, a cada ano, personificavam a vitalidade e a fertilidade auto-renovadora da natureza. Ele também era um governante da morte e tanto irmão quanto consorte da deusa Isis. Segundo a mitologia egípcia, Osíris foi afogado e desmembrado em quatorze pedaços por seu irmão ciumento, Set, mas depois recobrou a vida graças aos poderes mágicos de Isis. As cores de sua vela sagrada são o verde e o preto.

 

PAN: Deus Cornífero grego e neo-pagão dos bosques, dos campos, dos pastores e da fertilidade; muitas vezes é associado ao culto de Dionísio. É representado como um homem de barbas, tendo pernas, chifres e orelhas de cabrito, e equivale à deidade romana da natureza, Fauno. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

PARVATI: Deusa hindu das montanhas e consorte do deus Shiva. Conhecida como a governante dos elfos e espíritos da natureza, é filha dos himalaias e uma personificação da energia cósmica. As cores de sua vela sagrada são o branco e o marrom.

 

PELE: Deusa polinésia dos vulcões que, acredita-se, reside atualmente em Kilauea na principal ilha de Mauna Loa, Havaí, onde é adorada como sendo a essência do fogo da Terra. Até hoje, várias ofertas, como flores, cana-de-açúcar, pássaros brancos, dinheiro e conhaque, são feitas a ela, sempre que as erupções vulcânicas ameaçam as ilhas havaianas. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o laranja.

 

PERSÉFONE: Deusa grega conhecida como a Rainha do Mundo subterrâneo. Equivale à deusa romana Prosérpina. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

POMONA: Deusa romana das frutas e da fertilidade. É a consorte do deus Vertumno (o modificador), e seu festival da Pomonália era celebrado na antiga Roma no primeiro dia de novembro, marcando o fim da colheita. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

POSEIDON: Deus grego do mar e um dos Doze Grandes do Olimpo, cujo equivalente romano é Netuno. A cor de sua vela sagrada é o azul-claro.

 

PTAH: Deus do antigo Egipto, tido como o criador do universo e o patrono dos arquitectos, escultores e artesãos. Era consorte da deusa cabeça de leão Sekhmet, e seu culto concentrava-se em Mênfis, no Egipto, onde tanto ele quanto a esposa eram adorados. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

QUETZALCOATL: Deus asteca da fertilidade, vento e sabedoria, personificado como uma serpente emplumada e associado à Estrela da Manhã. As cores de sua vela sagrada são o bronze e o verde. Segundo o mito, o irmão gêmeo de Quetzalcoatl era Xolotl, deus patrono dos magos. Ele personificava o planeta Vênus como a Estrela do Anoitecer. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

RA: Deus-Sol egípcio; identificado como um deus do nascimento e renascimento. Era adorado em Heliópolis e a principal deidade no Ennead. A cor de sua vela sagrada é o dourado.

 

RHIANNON: Deusa-Mãe celta/galesa, originalmente chamada Rigatona (Grande Rainha) e identificada com a deusa-égua gaulesa, Epona. É retratada montando um pálido cavalo branco e carregando uma bolsa mágica de abundância. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

SATURNO: Deus romano da agricultura e da colheita, cujo festival, a Saturnália, acontecia anualmente na antiga Roma em meados de dezembro. Identifica-se com o deus grego Cromo, e a cor de sua vela sagrada é o laranja.

 

SEKHMET: Deusa da Guerra do antigo Egipto e consorte do deus Ptah. Representada como uma mulher com cabeça de leão, é a equivalência egípcia da deusa hindu Shakti. A cor de sua vela sagrada é o carmim.

 

SELENE: Deusa grega da Lua em seu aspecto crescente. Em seu aspecto minguante, chama-se Hécate. As cores de sua vela sagrada são o prateado e o branco.

 

SET (também Seth): Deus egípcio da escuridão e da magia negra, é a personificação do mal. E o equivalente egípcio do deus grego Tífon. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

SHAMASH: Deus-Sol babilônio, irmão da deusa Ishtar e uma deidade associada aos oráculos e profecias. Identifica-se com o deus sumeriano Utu e com o deus grego Apoio. A cor de sua vela sagrada é o amarelo.

 

SILVANO: Deus romano das florestas, campos e rebanhos, representado como um sátiro de barbas. A cor de sua vela sagrada é o verde-escuro.

 

SIN: Deus babilônio da lua; identifica-se com o deus sumeriano Nanna. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

SVAROG: Deus eslavo do fogo e da metalurgia, cujo símbolo é o martelo e a pinça de prata. E o consorte da Grande Mãe, e as cores de sua vela sagrada são o vermelho e o prateado.

 

TANE: Deus do Céu polinésio e Senhor da Fertilidade, considerado o criador do primeiro homem a partir do barro vermelho. O amuleto tiki (uma figura humana feita de madeira e madre-pérola) é o símbolo do poder criador de Tane. As cores de sua vela sagrada são o azul e o verde.

 

THANATOS: Deus grego da morte, cujo equivalente romano é o deus Mors. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

THOR: Deus do Céu escandinavo, Mestre dos Raios, filho de Odin e patrono dos fazendeiros e dos marinheiros. Representado como um homem forte, mas simpático, com cabelo desalinhado e longa barba ruiva. O martelo é seu símbolo, e o azul-escuro, a cor de sua vela sagrada.

 

THOTH: Deus egípcio da lua, sabedoria, magia, artes e ciência. Era também conhecido como o escriba dos deuses. E representado como uma íbis, um homem com cabeça de íbis e também como um macaco. A deusa da verdade, Maat, era sua consorte, e o primeiro mês do ano egípcio levava seu nome. As cores de sua vela sagrada são o branco, o prateado e o roxo.

 

THUNOR (também Donar): Deus pagão-germânico do Trovão e do Relâmpago e deidade associada à fertilidade. Seu dia sagrado da semana é quinta-feira, e o azul-escuro, o preto e o verde são as cores de sua vela sagrada.

 

TIWAZ: Deus pagão-germânico do Céu e consorte da deusa Frija. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

TLAZOLTEOTL: Deusa da Terra da América Central associada à fertilidade e ao amor. É também conhecida como “Mãe de Todos os Deuses”. As cores de sua vela sagrada são o marrom e o verde.

 

URANO (também Ouranos): Antigo deus grego conhecido como Pai do Céu. Era o consorte da deusa Géia e personificava os céus. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

VÊNUS: Deusa romana e neo-pagã do amor e da beleza que personificava sexualidade, fertilidade, prosperidade e sorte. É a contraparte romana da Deusa grega do Amor, Afrodite. A cor de sua vela sagrada é o rosa.

 

VESTA: Deusa romana da Lareira, cujo templo era aceso pelo fogo sagrado vigiado por seis sacerdotisas virgens conhecidas como Vestais. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

WODEN: Deus pagão-germânico da guerra, artes do bardo (poesia), profecia e magia, cujo dia sagrado da semana é a quarta-feira. Era conhecido também como o Senhor dos Mortos, o primordial mestre das runas e o deus da mudança de forma. A mitologia mostra Woden como a mais elevada deidade do panteão germânico. O nome “Woden” é a forma inglesa do nome que deriva de uma forma de protogermânico Wodhan-az, que significa “mestre da atividade psíquica inspirada”. Como deus neopagão, é adorado principalmente por seguidores da Wicca de tradição saxônia e freqüentemente identificado com o deus escandinavo Odin, a mais poderosa das deidades teutônicas. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o roxo.

 

XOCHIQUETZAL: Deusa centro-americana das flores. As cores de sua vela sagrada são o branco e todas as cores florais.

 

YARILO: Deus eslavo da Fertilidade e consorte da Deusa Lunar Marina. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

ZEUS: O mais poderoso dos deuses gregos, governante do céu e da terra, filho de Cronos e Réia. Era conhecido também como o Apanhador de Nuvens, Senhor dos Raios e mestre da mudança de forma. O carvalho era sua árvore sagrada; a águia, o pássaro; e o dourado, a cor de sua vela sagrada.

 

ERVAS DOS DEUSES

Essas ervas são sagradas para os deuses e deusas cujos nomes aparecem após cada uma delas.

 

ABRUNHEIRO: a Deusa Tripla no Seu aspecto escuro e protector.

ABSINTO: Artemis, Diana, a Grande Mãe e todas as ninfas pagãs da Rússia.

ACÁCIA: Al-Ozza, Buda, Neith e Osíris.

ACÔNITO: Hécate, Medeia e associado a Cérbero.

AGRIPALMA: várias figuras de Deusas-Mãe.

ALFACE: Adónis.

ALHO: Hécate e Marte

ALQUEMILA (espécie de orquídea): várias Deusas da Terra e associada a Virgem Maria dos mitos cristãos.

AMENTILHO: Bast e Sekhmet.

AMOREIRA: Minerva e associada à lenda clássica dos amantes babilónios, Piramus e Thisbe.

ANÉMONA: Adónis, Afrodite e Vénus.

ANGÉLICA: Atlantis e Michael.

ANIS: Apoio e Mercúrio.

ARRUDA: Marte

ARTEMÍSIA: Artemis, Diana e associada à lenda medieval de João Batista.

ÁSTER: todos os deuses e deusas pagãos.

ATANÁSIA: associada à Virgem Maria e à lenda clássica de Ganimede.

AZALÉIA: Hécate.

AZEDINHA: todas as Deusas Triplas e associada a São Patrício.

AZEVINHO: Hei, Mãe Holie e o Deus Chifrudo nos seus aspectos minguantes do ano.

BAMBUS: Inanna e Pa.

BELADONA: Atropos, Bellona, Circe e Hécate.

BELDROEGA: Hermes.

BENJOIM: Afrodite, Mut e Vénus.

CANA-DE-AÇÜCAR: Cupido, Eros e Kama.

CARDO: Thor e associado à Virgem Maria

CARDO SANTO: Pa.

CAMOMILA: Kamayna.

CANDELÁRIA: Afrodite e Vénus.

CENTÁUREA AZUL: Flora, e associada aos mitos de Cyanus e Quíron.

CENTÁUREA-MENOR: o centauro Quíron.

CENTEIO: Ceres.

CEVADA: Odin.

CORNISO: Consus.

CROCOS: Afrodite e Vénus.

DENTE-DE-LEÃO: Erigida.

DICTAMO: Diana, Osíris e Perséfone.

ÊNULA: Helena.

ERVA-FÉRREA: Hércules.

ESTRAGÃO: Lilith.

ESTRAMÔNIO: Apoio, Chingichnich e Kwawar.

ESPINHEIRO: Hymen.

EUFRÁSIA: Eufrósina.

FUNCHO: Adónis.

FENO GREGO: Apoio.

FETOS: Kupala.

FETO DA AVENCA CABELO-DE-VÊNUS: Dis, Kupala e Vénus.

FRAMBOESA: Vénus.

GIESTA: Blodeuwedd.

GIRASSOL: Apoio e Deméter.

HELIOTROPO: Apoio, Helios, Ra, Sol e todos os Deuses Solares.

HERA: Attis, Baco, Dionísio, Dusares e Osíris.

HORTELÃ-PIMENTA: Zeus.

ÍRIS: Hera, Hórus, Íris e Ísis.

JACINTO: Apoio, Artemis e Jacinto.

JASMIM: Diana.

JUNCOS: Acis

LAVANDA: Hécate, Saturno e Vesta.

LINHO: Hulda.

LÍRIO: Astarte, Hera, Juno, Lilith e Ostara.

LISIMÁQUIA: Kupala.

LÓTUS: Brahma, Buda, Cunti, Hermes, Hórus, Ísis, Juno, Kuan-Yin, Lakshmi, Osíris, Padma, Tara e associado ao mito de Lote e Priapo.

LUNÁRIA: Aah, Artemis, Diana, Hina, Selene, Sin, Thoth e todas as deidades lunares.

MANJERICÃO Erzulie, Krishna, Lakshmi e Vishnu.

MARGARIDA: Afrodite, Artemis, Belides, Freya, Thor, Vé­nus, Zeus e associada a Maria Madalena, São João e Santa Margarida da Etióquia.

MANDRÁGORA: Afrodite, Diana, Hécate, Saturno e associada a Circe e à lendária feiticeira teutônica Virgem Airauna.

MARROIO BRANCO: Hórus.

MALMEQUER: Xochiquitzal.

MANJERONA: Afrodite e Vénus.

MENTAS: Dis, Hécate, Mintha e associada à lenda clássica da ninfa Menthe.

MORANGO: Freya, Frigga, Vénus e associado à Virgem Maria dos mitos cristãos.

MILEFÓLIO: o Deus Chifrudo dos Bruxos e associado ao herói grego Aquiles.

MUSGO: Tapio.

NARCISO: Prosérpina.

NARCISO: Dis, Hades, Narciso, Perséfone e Vénus.

NENÚFAR: Surya e todas as ninfas aquáticas.

ORQUÍDEA: Baco e Orchis.

PAPOULA: Ceres, Diana e Perséfone.

PEÔNIA: associada à lenda de Peônio.

PERVINCA: Afrodite.

PIMPINELA BRANCA: Kupala.

POEJO: Deméter.

PRÍMULA: Freya e Paralisos.

PITEIRA: Mayauel.

PRÍMULA: Freya.

RAIZ DE ÍRIS: Afrodite, Hera, Ísis e Osíris.

ROSA: Afrodite, Aurora, Chioris, Cupido, Deméter, Érato, Eros, Flora, Freya, Hathor, Holda, Ísis, Vénus e as­sociada à Virgem Maria dos mitos cristãos.

SALSA: Afrodite, Perséfone, Vénus e associada à morte e ao diabo dos mitos cristãos.

SÁLVIA: Consus e Zeus.

SÂNDALO: Vénus.

SELO-DE-SALOMÃO: Vor e associado ao lendário rei Salo­mão, de Israel.

SEMPRE-VIVA DOS TELHADOS: Júpiter e Thor.

TANCHAGEM: Vénus.

TREVO: Trefuilngid Tre-Eochair.

TRIFÓLIO: Olwen.

TUSSILAGEM: Epona.

URZE: Ísis e Vénus Ericina.

VERBASCO: Circe e Ulisses.

VIMEIRO: Hécate.

VISCO: Júpiter, Odin, Zeus e associado aos mitos de Balder e Eneas.

VERBENA: Diana e Hermes.

VERVENA: Aradia, Cerridwen, Deméter, Diana, Hermes, Ísis, Juno, Júpiter, Marte, Mercúrio, Perséfone, Thor e Vénus.

VIOLETA: Afrodite, Attis, Io, Vénus, Zeus e associada à Virgem Maria.

 

Fonte: “O livro das ervas, magia e sonhos” de Gerina Dunwich)

 

VELAS

Simbolismo das Cores das Velas

Cores das Velas Mágicas

 

Antes de fazer feitiços ou executar qualquer tipo de magia, a cor da vela deve ser escolhida com cuidado, segundo seu propósito, pois cada cor possui uma vibração energética diferente e atrai certas influências.

A lista que se segue contém as cores das velas e suas propriedades mágicas:

 

AMARELO: Feitiços que envolvam segredo, atracção, sedução e persuasão.

AZUL: Magia que envolva honra, lealdade, paz, tranquilidade, verdade, sabedoria, protecção durante o sono, projecção astral e feitiços que induzam sonhos proféticos.

BRANCO: Rituais de consagração, meditação, vidência, exorcismo e feitiços que envolvam cura, clarividência, verdade, paz, força espiritual e energia lunar.

CINZA: Feitiços que neutralizem influências negativas.

DOURADO: Feitiços que atraiam o poder das influências cósmicas e rituais de louvor às deidades solares.

LARANJA: Feitiços que estimulem a energia.

MARROM: Feitiços que localizem objectos perdidos e acentuem os poderes de concentração e telepatia, protecção dos familiares e dos animais domésticos.

PRATEADO: Feitiços e rituais para remoção de negatividade para incentivar a estabilidade e atrair a influência da Deusa.

PRETO: Rituais de meditação, feitiçaria e de descruzamento e feitiços para banir o mal e a negatividade.

ROSA: Feitiços amorosos e rituais que envolvam amizade e feminilidade.

ROXO: Manifestações psíquicas, curas e feitiços que envolvam poder, sucesso, independência e protecção doméstica.

VERDE: Feitiços que envolvam fertilidade, sucesso, boa sorte, prosperidade, dinheiro, rejuvenescimento e ambição e rituais para combater ganância e ciúme.

VERMELHO: Ritos de fertilidade, afrodisíacos e feitiços que envolvam paixão sexual, amor, saúde, força física, vingança, raiva, força de vontade, coragem e magnetismo.

TINTAS MÁGICAS

As tintas mágicas, tintas para rituais e feitiços.

Veja o significado das cores das tintas mágicas, como fabricá-las e consagrá-las você mesmo.

 

Porquê as tintas mágicas?

A grande parte dos rituais mágicos implica escrever um pedido, um nome, um sigilo, símbolos (ex. nos talismãs) …

Apesar de muitas vezes constar das “receitas de rituais” algo como “escreva a preto” ou escreva com “tinta vermelha” e você poder recorrer ao uso de uma caneta da cor indicada, é no entanto preferível escrever com a tinta mágica adequada ao feitiço que está prestes a realizar. Pois a tinta mágica é uma tinta consagrada á magia, é uma tinta fabricada com um propósito próprio, e cujos componentes em si mesmo têm a sua energia própria e significado.

Quando fabricá-las?

As tintas mágicas devem ser fabricadas na fase de Lua Crescente, sob os auspícios planetários correspondentes á natureza da tinta mágica.

Como utilizá-las?

Vai obviamente precisar de uma pluma de caligrafia. Encontrará a preço módico em todas as lojas de arte. Se puder use uma pena de ganso, da cor da tinta que você usou, poderá encontrá-las nas lojas de produtos esotéricos. Têm no entanto o inconveniente de não serem fáceis de utilizar, e de a escrita sair “borrada”.

Seguem 2 métodos para fazer a base da sua tinta:

A diferença está na base, pois os ingredientes a colocar são os mesmos.

Fazer a base – método elaborado:

Dependendo da quantidade de tinta que quer obter, misturará:

- 2/3 de água, com 1/3 de álcool isopropílico;

- Acrescenta seguidamente um pouco de mástique (borracha de lentisca),

ou borracha arábica (que terá reduzido de antemão em pó muito fino)

Quando a mistura ficar homogénea, verta-a num frasco e feche-o hermeticamente.

Fazer a base- método simplificado:

Poderá sempre fazer a sua tinta mágica de acodo com um método simplificado. Basta comprar tinta-da-china normal, em garrafinha, da cor sugerida nas receitas que seguem abaixo, colocar dentro as ervas indicadas para a sua confecção, e obviamente consagrá-la, caso contráro é inútil…

 

Quando quiser fazer uma tinta especial, trabalhará dentro de um círculo mágico, sendo que você iluminará o local, com uma ou duas velas da mesma cor que a sugerida para a tinta.

Pegue então na sua base de tinta e acrescente lá as ervas necessárias, sempre reduzidas em pó, bem como algumas gotas de corante (como tintas da China, pois existem de diferentes cores) para tingir a vossa tinta, da cor desejada.

Durante a confecção das suas tintas, diga por 3 vezes os encantamentos sugeridos em cada receita específica.

Quando a preparação da vossa tinta terminar (com a respectiva consagração), diga o seguinte encantamento para finalizar a consagração das tintas mágicas:

 “consecro te atramentum ad demiurgum,

consecro te atramentum ad magiam,

consecro te utilitatem mean solum.”

Por fim, guarde a tinta num frasco hermético visualizando uma luz brilhante e intensa que impregne a tinta. Tome o cuidado de colocar uma etiqueta no frasco de tinta mágica antes de o guardar ao abrigo da luz.

As tintas mágicas servem para: escrever os pedidos, as orações, fetiços, rituais mágicos, encantamentos, símbolos mágicos, desenhar pentáculos, nomes de Deuses, anjos, entidades, pessoas a invocar…

 

TINTA VIRGEM PRETA – simbolismo:

O preto, é a contra cor do branco. O preto é o seu igual em valor absoluto

Simbolicamente, em geral o preto é entendido sob o seu aspecto frio e negativo.

Contra cor de qualquer cor, ele é associado ás trevas primordiais. Instalado abaixo do mundo, o preto exprime a passividade absoluta, o estado de morte realizada e invariável.

No entanto, tal como o branco pode situar-se nas duas extremidades: assim a tinta preta tanto pode ser utilizada para pedidos contra magia negra, separação, destruição, protecção e cortar qualquer tipo de mal enviado, como pode ser utilizada para justamente fazer rituais de magia negra.


TINTA VIRGEM BRANCA:

Utilizada para qualquer tipo de pedido.

TINTA VIRGEM VERMELHA – simbolismo:

Utilização geral: Utilizada para pedidos de amor, amarração e dominio.

A tinta vermelha é universalmente considerada o símbolo fundamental do princípio da vida, com a sua força, a sua potência e o seu resplandescer.

O vermelho é a cor do fogo e do sangue. Possui a mesma ambivalência simbólica que estes dois.

O vermelho claro é diurno, macho tónico, incitando á acção lançando como um sol o seu esplendor sobre qualquer coisa com imensa e irrédutivel potência.

O vermelho sombrio, todo pelo contrário, é nocturno, fêmea, secreto, representa o mistério da vida.

TINTA VIRGEM VERDE – simbolismo:

Utilização geral: Utilizada para pedidos de dinheiro, negócios, trabalho, prosperidade e abertura de caminhos.

O verde é a cor do reino vegetal que se reafirma. O verde é o acordar das águas primordiais, é o nascer da vida. O verde está igualmente ligado ao raio do trovão.

TINTA MÁGICA AZUL:

Utilização geral: Utilizada para qualquer tipo de pedidos.

O azul é a mais profunda e imaterial das cores. A natureza apresenta-o geralmente através da transparência, de vazio acumulado; é o vazio do ar, o vazio da água, o vazio do cristal ou do diamante. O vazio é puro e frio.

TINTA MÁGICA AMARELA:

O amarelo é intenso. É a cor mais quente, mais expansiva e ardente das cores, tal como os raios do sol.

TINTA MÁGICA SANGUE DE DRAGÃO:

Cor: vermelho vivo.

Planeta: Marte.

Fabrico: 9/10 base, 1/10 pó sangue de dragão.

A tinta sangue de dragão é perfeita para os feitiços de Marte.

É muito utilizada nos rituais de poder, dá força de todos os rituais e ás outras tintas.

O sangue de dragão é uma borracha resinosa que provem do fruto do Rotang (Índia). Quando queimado, o sangue de dragão, liberta um agradável odor balsâmico. Poderoso catalisador, o sangue de dragão purifica e protege contra os inimigos.

É a tinta mais utilizada em magia.

Ritual de consagração: 

“Marte, sangue de dragão, força, comando e poder. Tal é a minha vontade, tal é o meu resultado.”

 

Uma variante daquela:

TINTA MÁGICA perfumada de SANGUE DE DRAGÃO:

Precisará de:

- resina de sangue de dragão;

- álcool;

- um frasquinho que poderá fechar hermeticamente;

-1 pauzinho de canela (partido aos bocadinhos);

- 15 pregos de cravo-da-india;

- baunilha;

- 9 grãos de café esmagados.

Coloque a resina e os outros ingredientes no frasquinho, e base o alcool até cobrir + 10 %. A resina vai diluir a sua cor no alcool (mais rapidamente se for em pó). As especiarias perfumarão a tinta ao mesmo tempo. Verifique a cor da tinta com um palito, molhando este na tinta e escrevendo numa folha. Quando estiver com a cor e textura adequada, filtre tudo com uma gaze e volte a colocar o líquido dentro do frasco. Utilize a tinta para escrever, mas como não é uma tinta muito rsistente ao sol, não deverá ser utilizada em algo que apanhe directamente com os raios solares.

Consagre a tinta.

TINTA MÁGICA SANGUE DE POMBA:

Cor: vermelho muito claro.

Planeta: Vénus.

A tinta sangue de pomba é utilizada para rituais e encantamentos de amor, paixão, casamento, firmar compromissos, obter paz de espírito e felicidade. Enfim, para tudo o que se relacionar com a natureza humana e com Vénus.

Fabrico – método rápido: 9/10 base, 1/10 de pó de pétalas de rosa.

Fabrico-  método elaborado: 10 partes de tinta base, 1 parte de sangue de dragão (lembre-se que o sangue de dragão reforça o poder das outras tintas…), 2 gotas de óleo de canela, 2 gotas de óleo de louro, 2 gotas de óleo de rosas.

Ritual de consagração:

“Sangue de pomba, tinta do coração e do amor, por onde tu passares de amor seu dono encherás. Sob o meu charme todos ficarão subjugados, assim o exijo de direito.”

Fazer o ritual á luz de uma vela vermelha muito clara.

 

TINTA MÁGICA SANGUE DE AMOR:

Cor: rosa.

Planeta: Vénus.

Finalidade: Para todos os rituais e encantamentos de amor, para escrever o nomes das pessoas amadas, assim como os dos espíritos ligados a Vénus, seus símbolos e sigilos. Para realizar os talismãs de amor. A sua esfera de actuação é venusiana, é portanto ideal para invocação de fadas e elementais femininas.

Fabrico: 9/10 de tinta base e 1/10 de gengibre, 2 a 3 gotas de óleo de laranjeira.

Ritual de consagração:

“Tinta de amor, sangue que corre nas minhas veias, peço-te para trazer a mim, todos aqueles que eu amo.”

Fazer o ritual á luz de uma vela rosa.

 

TINTA MÁGICA SANGUE DE MORCEGO:

Cor: preto.

Esta tinta é utilizada para:

Rituais e encantamentos de possessão, feitiços, discórdias, divórcios.

Para firmar as promessas diabólicas ou satanistas.

Para causar medo e terror no espírito dos seus inimigos.

Para tudo o que está em relação com o “mal”.

Fabrico – método rápido: 9/10 base, 1/10 de pó de raiz de morcego ou trapa bicornis em em pó.

Ritual de consagração:

“Por este sangue de morcego, a minha venha os poderes do mal e da destruição. Que todos caiam sob o meu encantamento, assim o exijo de direito.”

Fazer o ritual á luz de uma vela preta.

TINTA MÁGICA DE DESTERRO:

Cor: preto.

Planeta: Saturno.

Esta tinta permite banir tudo o que é negativo e maléfico, tanto espíritos, como energias ou situações, seja maus sonhos, sentimentos negativos escritos com ela…

Ideal antes de um ritual de purificação onde se deve escrever o que nos preocupa sobre um pergaminho antes de queimar este, por exemplo.

Fabrico: 9/10 de tinta base e 1/10 de pó de agulhas de pinheiro.

Ritual de consagração:

“Tinta negra de Saturno, pela tua obscuridade, a obscuridade oposta e todas as ondas negativas firmemente afastarás”.

Fazer o ritual á luz de uma vela preta.

TINTA MÁGICA SANGUE DE BORBOLETA:

Cor: amarelo ou laranja.

Planeta: Mercúrio.

Serve para os trabalhos e rituais associados ao elemento ar, espíritos do ar, e ao intelecto. Importante para realizar talismãs mercurianos.

Fabrico: 9/10 de tinta base e 1/10 de pó de verbena.

Ritual de consagração:

“Subtil sangue de borboleta, força do pensamento, peço-te que trabalhes para mim, em tudo o que eu quiser.”

Fazer o ritual á luz de uma vela amarela ou laranja.

 

TINTA MÁGICA DA FORTUNA:

Cor: Verde.

Planeta: Vénus.

Tinta para os rituais ligados ás questões de dinheiro, sorte, trabalho, jogo. Serve igualmente para trazer calma e serenidade.

Fabrico: 9/10 de tinta base e 1/10 de pó de girassol.

Ritual de consagração:

“ Tinta dos prados e dos pastos, trás-me calma, abundância e fortuna. Tal é a minha vontade.”

Fazer o ritual com uma vela verde acesa.

 

TINTA MÁGICA DAS PROFECIAS:

Cor: roxo.

Planeta: Neptuno.

Esta tinta destina-se a escrever os seus sonhos, os seus desejos, afim de os ver realizar-se. Muito usada para a concepção de talismãs ou rituais para concretizar projectos.

Fabrico: 9/10 de tinta base e 1/10 de pó de flores de papaver (papoilas).

Ritual de consagração:

“ Tinta dos Profetas e dos Sonhos, dos sonhos e projectos por ti escritos, uma realidade positiva construirás e realizarás.”

Fazer o ritual com uma vela roxa acesa.

 

TINTA MÁGICA DE JUPITER (ou dos escribas):

Cor: azul.

Planeta: Júpiter.

Esta tinta é geralmente utilizada para escrever os seus textos nos seus grimórios.

Fabrico: 9/10 de tinta base e 1/10 de pó de lavanda.

Ritual de consagração:

“Tinta de céu e de mar,

Tinta dos Escribas, tinta de Jupiter.

Traz as energias, trás o poder, às palavras inaudíveis e silenciosas.”

 

Fazer o ritual com uma vela azul acesa.

 

 

O sal é a “substância cara aos deuses”.

Citação de Platão

 

Origens

Desde a Antiguidade que o sal é utilizado pelos homens e é considerado um bem muitissimo precioso. Consideravam eles que era uma dádiva dos Deuses, e associaram-na tanto á religião, quanto á bruxaria. Para além disso, o seu valormonetario e economico era comparável ao do ouro, da seda e das especiarias.

A palavra sal vem do vocabulário grego “hals” e “halos”, que tanto significam sal como mar. Da mesma raiz se deriva a palavra “halita, dada ao Cloreto de Sódio encontrado em depósitos naturais, que é o sal gema.

Na Roma Antiga, a principal via de transporte chamava-se “Via Salaria” ou “estrada do sal”. Era por essa via que chegavam as caravanas que traziam o sal para a capital do Império, era por ela que os centuriões transportavam os cristais preciosos para a cidade. Como pagamento eles recebiam o “salarium”, que significava “dinheiro para comprar sal” e recebiam igualmente umas medidas de sal como pagamento de parte dos seus emolumentos. O sal tinha assim um valor economico como unidade monetária. O uso da palavra “salarium” perdurou ao longo dos tempos, reconhecendo-se o seu nome na raiz etimológica da palavra “salário” (do latim “salariu”, ou “ração de sal”, “soldo”).

Desde 2000 a. a. que o sal é usado  como forma de preservar os alimentos, carne, peixe…

 

Se nos nossos dias encaramos o sal como um alimento perfeitamente comum, tão comum que a generalidade das pessoas nem lhe dá a mínima importância (a não ser para dizer que a comida está salgada ou sem sal!), as coisas nem sempre foram assim…

 

O uso do sal ao longo dos tempos e culturas:

Na Antigüidade, era oferecido aos deuses, era usado pelos sacerdotes tanto em liturgias religiosas como em cerimónias mágicas, como para afastar osdemônios. Os assírios utilizavam-no nos cultos religiosos.

No antigo Egipto, o sal foi considerado matéria sagrada e era usado como produto sagrado, sendo feitas oferendas de sal aos Deuses.

Os Egípcios usavam igualmente o sal para desidratar e embalsamar o corpo dos faraós.

 

Os romanos consideravam o sal um simbolo de sabedoria, e por isso usavam-no num ritual aos recém-nascidos: derramavam sal sobre eles para que não lhes faltasse a sabedoria.

 

Os Romanos e os Gregos nos seus sacrifícios aos deuses do lar, deitavam Sal na cabeça do animal, para o purificar. Para eles o sal simbolizava igualmente a destruição e a infertilidade, daí a pratica dos romanos espalharem sal nas terras conquistadas: para elas se tornarem estereis para sempre. Era um sinal de perpétua desolação. Os Romanos tinham uma expressão para exprimir a infidelidade a uma amizade que era “trair a promessa e o sal”. Assim desde aqueles tempos a ausência de um saleiro sobre a mesa representava um presságio, tanto quanto o sal derramado.

 

Da prática ritualistica destes povos, bem como do povo hebreu, de salgar ossacrificios oferecidos aos Deuses, nasce uma superstiçao muito comum na Antiguidade. Se o sal era derrubado na hora do sacrificio, prenunciava má sorte.

 

Para os hebreus, o sal era um elemento purificador. O sal sempre teve um grande simbolismo, sendo o simbolo da perenidade da aliança entre Deus e o povo de Israel.

 

No cristianismo, mantem-se a crença judaica do sal como purificador, assim no ritual de baptismo era colocado sal nos lábios dos recém-nascidos.

.

Na Idade Média, os alquimistas usavam o sal como elemento entre o mercurio e o enxofre, sendo essencial á transmutação de metais. O sal continuava sendo indispensável para afastar os maus espiritos, os demónios e as bruxas. Assim, deitava-se sal na chaminé da casa para impedir os demónios de nela entrarem. E o facto de alguém comer alimentos sem sal era considerado altamente suspeito!!! Proliferaram igualmente as superstições relativas ao sal, mantendo-se a supertição de que desperdiçar sal era mau agouro, era sinal de malefício. Nesta época, o Sal separava senhores e servos, os que tinham dinheiro e os que não tinham…

Na obra de Leonardo da Vinci (1452-1519), “A última ceia” retrata um saleiro derrubado diante de Judas e apontando na sua direcção. Já naquela época dizia-se, que algúem que entornasse sal deveria pegar nalgum do que foi derramado e lançá-lo para trás do ombro esquerdo, lado que representava o mal.

Os árabes citam recomendações de Maomé para: “começar pelo sal e terminar com o sal; porque o sal cura numerosos males”.

 

O sal na bíblia:

 

Na Bíblia, as primeiras referências ao sal estão no Antigo Testamento, no Livro de Jó, com data estimada de 300 anos a.c., sendo que o A.T. o menciona com frequência, seja no contexto prático da vida, seja simbolicamente (significa nomeadamente pureza, incorruptibilidade, fidelidade). Em contrapartida no N.T. a referência ao sal torna-se metafórica. No sermão da Montanha, Jesus diz aos apóstolos “vós sois o sal da terra”. Os Livros de Mateus e Marcos fazem alusão ao sal como dádiva da terra.

 

Algumas passagens biblicas:

 

No A.T., o Livro dos Reis vangloria as qualidades purificadoras do sal.

Mas, o sal também trazia desgraça - um salmo relata que Deus podia transformar rios em desertos e terra fértil em pântano de sal, como castigo pela crueldade dos seus habitantes.

E em Juizes, 9:44, Albimilech capturou a cidade de Shechem, matou as pessoas que ali se encontravam, arrasou a cidade e semeou-a de sal. E, ainda transformou a mulher de Lot em estátua de sal porque olhou para trás ao fugir de Sodoma e Gomorra, cidades destruídas pela ira divina.

No A.T., o sal era um simbolo importante da relação com Deus. Assim, o sal devia ser colocado em todas as ofertas e os manjares oferecidos a Deus deviam todos ser salgados com sal:

 

“E todas as tuas ofertas dos teus alimentos temperarás com sal; e não deixarás faltar á tua oferta o sal da aliança do teu Deus; em todas as tuas ofertas oferecerás sal” – A.T. Levitico 2:13.

Na Biblia encontra-se o termo “aliança de sal” designando uma relação com Deus que não pode ser rompida (aliança perpétua de sal)- Números, 18,11;Crônicas, 13,5.

“Todas as ofertas sagradas, que os filhos de Israel oferecerem ao SENHOR, dei-as a ti, e a teus filhos, e a tuas filhas contigo, por direito perpétuo; aliança perpétua de sal perante o SENHOR é esta, para ti e para tua descendência contigo.” Números 18:19

“A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.” - Colossenses 4:6

“Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens.”- Mateus 5:13

 

A actualidade do sal:

 

Foi e tem sido usado no esoterismo e bruxaria para afastar as energias ruins e os maus espíritos.

 

No sec. XVI, o sal foi abolido por Lutero no ritual de batismo da religião protestante.

No entanto, uso do sal perdurou no baptizado católico até 1973. Foi usado na liturgia religiosa dos baptizados de forma a simbolizar a expulsão do demónio (purificação), sendo igualmente o sinal de sabedoria sobre o recém-nascido.

 

Ainda hoje, na Páscoa Judaica, no Pessach, as batatas e os ovos cozidos são regados com água salgada. Tal simboliza as lágrimas derramadas pelos judeus na travessia do deserto, durante a fuga do Egito.

Para os gregos, hebreus e árabes o sal é considerado o símbolo da amizade e hospitalidade, sendo que na Arábia comer sal acompanhado é considerado uma acção sagrada.

No médio oriente acredita-se que quando duas pessoas comem sal juntas, formam um vínculo. Por isso, usa-se sal para selar um contrato

Em Marrocos deita-se sal nos lugares escuros para espantar os maus espíritos.

Em Laos e Sião, as mulheres grávidas lavam-se diariamente com água e Sal, para proteger-se contra as maldições.

Nos países Nórdicos, coloca-se Sal junto ao berço das crianças, para as proteger.

No Havaí, a pessoa que volta de um funeral polvilha sal sobre si mesma, para garantir que maus espíritos que rondassem o defunto não a acompanhem em casa.

 

No Japão, o sal “shio” é considerado um purificador. Os Japoneses têm a seguinte lenda: o grande Kami Izanakino-Mikoto, desejou que sua mulher fosse levada para um lugar distante, sentindo a falta dela e arrependido por ter feito aquele pedido, foi purificar-se nas águas do mar. Os japoneses têm o costume de deitar sal na soleira da porta de suas casas depois de alguém não desejado ter saído. Os lutadores de sumo, para a luta ser leal, deitam sal no ringue. Também se espalha sal no palco antes de uma apresentação para evitar que os maus espíritos joguem pragas sobre os actores.

 

O sal é amplamente utilizado no esoterismo, em vários rituais de magia, pois tem uma função purificadora, seja ele usado sozinho seja em conjunto com outros produtos.

 

“CULINÁRIA” MAGICA sempre a mão: o sal

 

O sal é aquele ingrediente “mágico” que ninguém pode dizer que não tem, que não sabe o que é, ou que é muito caro. Por isso a dona de casa pode ser uma grande feiticeira… mesmo que não seja grande cozinheira… Você pode optar pelo sal grosso ou marinho, no primeiro caso tem o inconveniente de arranhar a pele, no segundo tem a vantagem de conter elementos como iodo e magnésio que ajudam a relaxar e acalmar os ânimos.

Por isso… não esqueça o sal!

Seguem algumas mágicas:

“Tempero” de limpeza da casa:

Copo de água com sal atrás da porta de entrada da sua casa.Coloque agua dentro de um copo de vidro e junte-lhe 3 pitadas q.b. de sal refinado.
Coloque o copo atrás da porta de entrada da sua casa e troque a água todas as semanas, deste modo a sua casa será limpa das energias negativas.

Harmonização do lar:

No início do mês comece por limpar da sua casa as inutilidades (objectos, roupas que já não usa, revistas…) e consequentemente as energias a elas agarradas. Coloque um pouco de sal pelos 4 cantos de cada divisão da casa. No final do mês, no último dia, recolha todo o sal. Num pano branco “virgem, ou seja nunca antes usado, coloque o sal juntamente com uma fotografia de cada um dos habitantes da casa. Feche o pano, dando-lhe sete nós. Atire para a água, seja água de rio ou de mar, mas esteja de costas quando o fizer, e depois de o fazer não olhe para trás.

 

 

O banho com água e sal:

O banho de sal grosso é o chamado “descarrego”. É recomendado para eliminar as toxinas, porque o sal anula o excesso de energia, e limpar a sua aura. Quando esta está saturada o sal a recompõe rapidamente. Comece por tomar o seu banho do costume. Passe então pelo seu corpo a água com sal previamente preparado (pode ter um balde com o preparo ao lado do chuveiro) para não ter que interromper o banho. Dê especial atenção á zona do seu umbigo, pois aí se localiza o seu chakra solar, e é a zona do seu corpo por onde é absorvida a maior quantidade de energia negativa. Tome um segundo banho de chuveiro para retirar o exceso de sal. Para se enxugar dê batidinhas de leve com a toalha e vista-se preferencialente com roupas claras.

Faça este ritual uma vez por mês.

Banho com sal e arruda:

O banho com sal e arruda é um banho de descarrego de energias negativas. È óptimo quando tem vários sintomas de excesso de “peso espritual”, que se traduzem em fortes dores de costas, má disposição, sempre ensonado, dores de cabeça.

Como fazer: encha a banheira com água bem quente; queime um incenso a seu gosto para purificar o ambiente; deite dois punhados de sal grosso dentro da água, e deite o líquido resultante de uma infusão de arruda para dentro da banheira.

Deite-se dentro da água e relaxe. Fique o tempo que quiser. Vai ver aquele “peso” a ir-se embora. Tome em seguida o seu duche normalmente, vai var que estará muito mais leve.

Banho com sal e outros para retirar a negatividade:

Como fazer o preparado para o banho: 4 lt água; 2 punhados de sal grosso; 2 dentes de alho roxo cortados em cruz, 5 galhos de arruda fêmea e 5 de arrudamacho. Faça esta mágica em lua minguante.

Ferva a água juntamente com os dentes de alho previamente cortados. Depois, macere a arruda até estar desfeita e junte-a á água fervida. Misture então o sal. Deixe arrefecer e coe. Tome o seu banho habitual e depois passe aquele preparo do pescoço para baixo. Passadas pelo menos 2 horas tome um duche para retirar o “banho mágico”.

Magia com sal para anular feitiço:

 

O que é preciso: 1 pano branco; 1 vela negra; 1 tigela de vidro; sal grosso; sal fino.

Na primeira noite de lua minguante, coloque a vela na tigela e ponha um pouco de água dentro (um dedo). Acenda vela negra e diga 3 vezes: “Lua de partida, leve os feitiços de minha vida”

Depois coloque dentro da tigela, à volta da vela, um punhado de sal grosso e diga, 3 vezes: “Com o cristal de sal, que se desfaça o mal”.


Depois, sobre o sal grosso, coloque o sal fino, e repita 3 vezes: “Sal sobre sal, calor com calor, aquele que me fez mal, que sinta a sua dor”
Deixe a vela arder até ao fim. No entanto depois dela se apagar ficará um pedacinho. Esse pedaço juntamente com o resto do sal, você o coloca dentro de um pano branco nunca antes usado. Fecha o pano dando-lhe 7 nós, e manda tudo para a água do mar ou do rio, pedindo para as “águas da justiça lhe tirar todo e qualquer feitiço”. Sai dali não olhando mais para trás.

 

Amuleto com sal para afastar inveja do seu dinheiro:

O que é preciso: 1 saquinho de tecido verde, 3 moedas douradas, verniz incolor, uma toalha de banho vermelha, água corrente e sal grosso.

Faça da seguinte forma: facilmente arranjará as moedas douradas nas feiras junto dos vendedores de moedas ou nos antiquarios. Dê preferência ás maiores, e ás mais antigas. Você deverá começar por limpá-las. Seguidamente, as moedas mágicas deverão ser preparadas para se energizarem afim de cortarem a influencia negativa da inveja. Assim passe-as abundantemente por água corrente, esfregando-lhes sal grosso. Coloque-as ao sol para secarem, sobre um pano vermelho. Aplique então o verniz nelas.

Guarde então as suas moedas mágicas no saquinho de tecido natural verde e mantenha-o dentro de sua mala ou carteira. O auleto é seu e de mais ninguém! Não deixe que outra pessoa lhe toque ou veja as moedas.

Amuleto com sal para afastar inveja de sua casa:

O que é necessário: 1 lenço branco, 7 sementes de romã; 7 sementes de melancia; 3 dentes de alho com casca.

Deite tudo dentro do lenço e dê-lhe 7 nós (3 com 2 pontas, 4 com as outras 2).

Coloque-o dentro de sua casa dentro de um vaso. Deverá trocá-lo anualmente, no dia dos seus anos.

Uso do sal para limpar talismãs e amuletos:

Dependendo do material, existem várias formas de limpar os nossos amuletos e talismãs. Para limpar o amuleto basta deixá-lo em água corrente.Mas também pode deixá-los em água com sal grosso, ou deixá-los sob a chuva. Caso o seu amuleto não possa ser molhado, então o ideal é colocá-lo dentro de um prato com sal grosso.

O Poder Afrodisíaco do Sal:

Poder afrodisiaco do sal? Certos povos antigos atribuíram ao sal poderes afrodisíacos e acreditavam que sua carência reduzia a potência sexual dos homens.

Uma gravura satírica francesa do séc. XVI mostra diversas mulheres debruçadas sobre maridos sem calças e aprisionados em barris, que elas esfregam vigorosamente com sal nas suas partes íntimas.

 

Elementos mágicos:

 

Velas em magia.

O que é?

O fogo sempre representou um elemento fundamental na comunicação com o mundo espiritual, fosse com Deuses, anjos, seres celestes.

Na Bíblia, podemos encontrar diversos exemplos de como o fogo é um veiculo de comunicação, por via do qual os espíritos fazem sentir a sua presença entre nos, ao passo que tambem é instrumento de invocação e adoração de divindades.

Eis alguns exemplos:

«O anjo de Deus apareceu a Moisés, numa chama de fogo, do meio de uma sarça»

Êxodo 3,2

 

Deus mostrou-nos a Sua Gloria e grandeza, e nos ouvimos a sua voz do meio do fogo

Deuteronómio 5, 24

 

Deus disse a Moisés:«dá estas ordens a Aarão e seus filhos: (…) o fogo do altar será mantido acesso (…) o fogo do altar nunca deverá ser apagado (…)

Levítico 6, 1-5

 

De dia a nuvem de Deus pousava sobre a tenda sobre o santuário, e de noite dentro dele havia um fogo

Êxodo 40,38

 

É uma oferta queimada de suave odor para Deus

Levítico 3,5

 

È um holocusto: oferta queimada de suave odor para Deus

Levítico 1,9

Em todos estes exemplos, verificamos como anjos se manifestam pelo fogo a Moisés, assim como se realizam oferendas a Deus através do fogo, e mesmo como o fogo é um elemento fundamental nos santuários, porque assinala a presença de Deus e serve de instrumento de invocação da sua presença.

Pois assim se verifica que fogo é um elemento fundamental nos processos místicos, ( bem como o incenso), e a vela simboliza esse mesmo fogo.

Num ritual mágico, se o incenso tem a função de simbolizar o «sopro de vida», a vela tem a função de representar esse poderosíssimo elemento que é o espírito de uma divindade.

O fogo serve para transportar á divindade as oferendas que lhe são dirigidas, ao passo que o fogo é também símbolo da presença da divindade, pois é nele que o poderoso espírito se manifestará.

As velas usam-se para representar esse fogo, e sua função num ritual mágico ou acto litúrgico.

Recomendações para uso de velas em processos místicos

I

Nunca se deve apagar uma vela com um sopro. È o mesmo que estar afastando da chama a presença espiritual que ali se manifestou, o que pode gerar distúrbios espirituais.

II

Deve-se sempre acender a apagar uma vela com a mão esquerda, tal como o deve fazer o incenso, ( ver: incenso- incensos ), que simboliza o contacto com o mundo espiritual, ao passo que a mão direita significa a universo dos actos terrenos.

II

O acto de apagar e acender uma vela, deve ser realizado com reverencia e respeito, em ambiente sereno e com fé, dizendo uma oração de invocação ou agradecimento no inicio, e proferindo outra oração ou agradecimentos no final.

Cores das velas e suas atribuições ritualistas

VELA LILÁS - deve ser acesa quando há necessidade de combater o “stress” e acalmar-se.

VELA ROSA  - Deve ser usada em assuntos amorosos para fortificar relacionamentos afetivos. Boa cor para realizar os desejos do campo emocional e afetivo.

VELA BRANCA- É usada para contactos com espíritos de Luz. Usada por isso em liturgias a Deus ou anjos, assim como em processos de magia branca. Serve para invocar fins nobres, assim como para obtenção de curas, paz, harmonia, milagres, evolução espiritual, limpezas espirituais. Usam-se assim em exorcismos, rituais de cura, processos proféticos, etc.

VELA VERDE – são usadas em rituais de fertilidade, prosperidade, abundância. Usam-se igualmente em processos místicos coma finalidade de atrair a boa sorte. Também são usadas para combater situações nocivas com ciúmes, inveja, cobiça. Astrologicamente, as velas verdes são usadas em rituais que lidam com as forças espirituais de Vénus. 
VELAS CASTANHAS – são usadas em processos místicos que se destinam a encontrar coisas perdidas, bem como em assuntos de protecção familiar ou de posses que estão ameaçadas.

VELA AZUL – a vela azul é usada essencialmente em processos de elevação espiritual, busca de sabedoria, desenvolvimento de actos proféticos, apuramento de intuiçoes. Tambem podem ser usadas para fins de harmonia e paz familiar. Astrologicamente , devem ser usadas em processos que envolvem as energias de Júpiter ou Saturno.

 

VELA LARANJA- A vela laranja é empregue em processos místicos que visam melhorar o nível físico de uma pessoa, ou ampliar o grau de atração e magnetismo de uma pessoa, bem como para o sucesso de projetos e vitoria de empreendimentos
 VELA VERMELHA -  A vela vermelha é usada em rituais relacionados com amor, sexo, erotismo. Também é aplicável a trabalhos dedicados á conquista seja do que for: amor, negócios, propriedades, projetos e empreendimentos, etc.  Astrologicamente, as velas vermelhas são usadas para lidar com energias espirituais de Marte ou Vênus.

 



VELAS DOURADAS – a vela dourada é usada em processos místicos visando vitorias e sucessos em assuntos financeiros. È igualmente usada para atrair o favorecimento das mais poderosas forças celestes. Astrologicamente, as velas douradas ,( tal como as velas brancas e azuis), atraem as forças espirituais representadas por Júpiter.
VELAS PRETAS – a vela negra é tradicionalmente usada em processos de magia negra, e todo o seu tipo de fins mágicos. No entanto, a mesma vela negra tem a capacidade de igualmente cortar e afastar os efeitos de trabalhos de magia negra.  Astrologicamente, a vela negra, ( tal como também o pode fazer a vela azul),  atrai as forças espirituais representadas por Saturno.
VELAS ÍNDIGO –  Velas índigo são poderosíssimas, pois possuem um poder altamente repelente do mal, sendo que assim desbloqueiam com poder situações que se encontram estagnadas ou desfavorecidas. As velas índigo são por isso usadas para quebrar trabalhos negativos, invejas, quebrantos, malefícios, maldições, pragas, infestações.

 

A VELA AMARELA- A vela amarela é usada quando se deseja acelerar um certo processo que se encontra a decorrer de forma demasiadamente lenta. Também é usada em processos de curas espirituais, assim como para trazer rápidos resultados nos desejos.  Também se usam em processos místicos relacionados com o favorecimento de estudos e empreendimentos intelectuais ou espirituais

VELAS CINZENTAS – são usadas essencialmente em rituais com a finalidade de afastar a confusão, o desengano, a duvida e a incerteza. Ajudam por isso a clarificar situações, e a favorecer a meditação.

VELA PRATEADA- usada em rituais para atrair a vitoria e o sucesso.

Magia e elementos mágicos

 

VELAS

Manufactura das Velas

Velas Mágicas

Para fazer Velas Mágicas em casa serão necessários os seguintes itens, que podem ser adquiridos na maioria das lojas de artigos para artesanato e em lojas especializadas em velas: pavio para velas ou barbante comum de algodão, que você prepara, dando um banho de ácido bórico dissolvido em água quente; fita crepe para vedar os moldes; moldes refratários para velas; pequenos bastões, que podem ser palitos ou lápis; partes iguais de parafina e cera de abelha pura (as quantidades irão depender de quantas velas serão feitas) e uma panela de banho-maria para derreter a cera.

Escolha o molde e faça um buraco no fundo, se necessário com broca fina. Passe o pavio por essa abertura e dê um nó em baixo. Vede o buraco com fita crepe e estique o pavio para cima, deixando três centímetros de sobra. Amarre-o bem centralizado no bastão de madeira que fica atravessado sobre o molde. Se o pavio ficar torto, a vela não queimará. Então o molde está pronto para receber a cera.

Moldes para velas, simples e sofisticados, também podem ser adquiridos na maioria das lojas de produtos para artesanato e fabricação de velas, mas artigos comuns do quotidiano doméstico, como caixas enceradas de sucos, garrafas de plástico, rolos de papel-toalha, copos de papel e latas de metal vazias, transformam-se em ótimos moldes, baratos e descartáveis.

Pode-se evitar a adesão de certos moldes, como forminhas de empada e recipientes de vidro refratários, com um spray especial para a fabricação de velas, com silicone ou substâncias antiaderentes usadas em culinária. Outro método (e mais antigo) para evitar que as velas grudem nos moldes é untar suas paredes internas e depois espalhar farinha ou talco.

Corte a parafina em pedaços com uma faca e coloque-os na parte superior de uma panela própria para banho-maria. (Se você não tiver uma dessas panelas, use uma lata grande ou panela velha, com alça, dentro de uma panela maior com água fervente.) Encha metade da parte de baixo da panela com água morna e coloque sobre ela a parte superior com a parafina. Acrescente a cera de abelha à parafina e deixe a panela sobre fogo baixo para derreter a cera. (Nunca tente derretê-la diretamente sobre o fogo!)

Perfume a cera derretida com um óleo de erva aromática adequado ao tipo de feitiço a que a vela se destina. Se for usada para vidência, exorcismo ou rituais que envolvam purificação espiritual, por exemplo, perfume a cera com óleo de cravo [a especiaria]; usefrankincense (olíbano) para feitiços amorosos, consagrações, cura, proteção e rituais que tenham o propósito de banir o mal e a negatividade; óleo de lavanda, para feitiços amorosos; óleo de limão, para rituais de cura e feitiços que envolvam clarividência e sonhos proféticos; óleo de hortelã, para rituais de exorcismo e cura; óleo de almíscar, para feitiços amorosos, magia sexual e ritos de fertilidade; óleo de patchuli, para feitiços amorosos e invocação dos poderes dos elementais; óleo de pinho, para feitiços que atraiam dinheiro e sucesso; óleo de rosas, para invocações à Deusa e feitiços que aumentem sorte, coragem e amor; óleo de sândalo, para ritos de purificação, cura e proteção contra influências maléficas.

Derreta na parafina um lápis de cera colorido para dar o tom desejado às velas. (Veja o simbolismo das cores das velas.)

Após perfumar e colorir a cera derretida, retire a panela do fogo e, lentamente, derrame a cera no(s) molde(s). Deixe que a cera se solidifique.

Depois que a cera esfriou, uma cavidade cônica pode se formar na superfície superior em volta do pavio. Derrame cera derretida suficiente para preencher a cavidade e deixe a superfície nivelada.

Só retire a vela do molde depois que a cera tiver esfriado e endurecida totalmente.

Antes de queimar a vela numa cerimónia mágica, unte-a com um pouco de óleo, para transferir suas vibrações psíquicas para a vela, magnetizando-a e transformando-a numa extensão de seu poder mental. (Veja abaixo: Consagração.)

Velas de Cera de Abelha

Velas de cera de abelha são longas e finas, feitas a partir de lâminas de cera alveolada e usadas em feitiços mágicos especiais em rituais que não permitem a queima de sebo (gordura animal).

As velas de cera de abelha são feitas enrolando-se uma lâmina de cera alveolada em torno do pavio. (Essas lâminas são encontradas por intermédio dos apicultores, atacadistas de mel e nas lojas de produtos para artesanato.)

Corte a lâmina de cera no tamanho desejado. (Para uma vela de 15 centímetros, corte ao meio uma lâmina de 30 centímetros.)

Coloque a lâmina de cera numa superfície lisa. Pressione o pavio verticalmente no lado mais curto da lâmina e enrole-a em torno. (Se a lâmina for cortada num ângulo inclinado na parte de cima, distante do pavio, a forma da vela será realçada por um contorno cônico.)

Unte a vela com óleo, para consagrá-la e transmitir energia, antes de usá-la em feitiços ou cerimônias mágicas.

Velas Rúnicas

Runas são letras ou alfabetos mágicos usados para soletrar palavras que contêm poderosos significados místicos. Há diferentes formas de Runas, que incluem Ogam Bethluisnion Druídico, hieróglifos egípcios, escrita tebana, Pictóricas/Pictish, Celestial, Malachim, etc.

As velas rúnicas são confeccionadas, aquecendo a ponta de um atame consagrado, que é usado para esculpir desenhos mágicos na cera de velas lisas, longas e finas ou grossas. (Uma agulha de tricô de metal aquecida ou prego também podem ser usados com a mesma eficácia.)

Velas com Símbolos Mágicos

Outros símbolos pagãos, poderosos, que podem ser esculpidos (ou pintados) nas velas incluem o sinal do Pentagrama (uma estrela de cinco pontas dentro de um círculo), que representa os quatro antigos elementos – Fogo, Água, Ar, Terra -, encimados pelo espírito, sendo usado em muitos feitiços e cerimônias mágicas.

Como uma Estrela de Bruxa (ou “Cruz do Duende”, como era chamado pelos membros da Igreja na Idade Média), o Pentagrama simboliza as aspirações espirituais humanas quando sua ponta está voltada para cima. Com a ponta voltada para baixo, oPentagrama torna-se símbolo negativo de magia negra e satanismo.

Lua Crescente é um símbolo sagrado da Deusa e da energia feminina apropriado para ser usado em velas fabricadas especialmente para invocações à Deusa, Sabbats e curas femininas.

O antigo símbolo mágico chamado de Selo de Salomão é um hexagrama que consiste em dois triângulos encadeados, um voltado para cima e o outro para baixo. É um símbolo da alma humana; é mais poderoso quando usado em velas fabricadas para feitiços e rituais que envolvam comunicação espiritual, sabedoria, purificação e o fortalecimento dos poderes psíquicos.

ankh é um antigo símbolo egípcio que lembra uma cruz com um laço no topo. Simboliza vida e conhecimento cósmico, e todo deus e deusa principais da mitologia egípcia são representados com ele. Também conhecido como “cruz ansata”, é um símbolo adequado para se colocar em velas que sejam usadas em feitiços e rituais envolvendo saúde, fertilidade e vidência.

Olho de Hórus é outro antigo símbolo egípcio, frequentemente usado na Feitiçaria contemporânea. Representa o olho divino do deus Hórus, simbolizando as energias solar e lunar, sendo esculpido em velas representando protecção espiritual, assim como o poder clarividente do Terceiro Olho.

triângulo é um símbolo de manifestação finita na magia ocidental, usado em rituais que evocam espíritos quando o selo ou sinal da entidade a ser convocada é colocado no centro do triângulo.

Triângulos contendo veves (intrincados emblemas simbólicos representativos de certos espíritos-loas do Vodu) são extremamente poderosos quando esculpidos em velas.

O triângulo, equivalente ao número três (um número mágico poderoso), também é um símbolo da Deusa Tríplice: Mãe, Guerreira, Anciã. Invertido, representa o princípio masculino.

Swastika é um antigo símbolo religioso formado por uma cruz grega com as pontas dos braços dobradas em ângulos retos numa direção horária ou anti-horária. Antes de ser adotada, em 1935, como o infame símbolo oficial da Alemanha Nazista, a Swastika era um símbolo sagrado de boa sorte na Europa paga pré-cristã e em muitas outras culturas, incluindo as orientais, a egípcia e das tribos indígenas das Américas do Norte, Central e do Sul. (A palavra “Swastika” deriva do sânscrito “Svastika” e significa “sinal de boa sorte”.)

Além dos símbolos mágicos mencionados acima, há uma série de símbolos místicos antigos e modernos que podem ser usados para tornar as velas poderosas através de específicas energias mágicas. Esses símbolos incluem os da fertilidade masculina e feminina, cruzes, círculos, sinais de paz, símbolos astrológicos e planetários, números, etc.

Consagração das velas

Antes de usar qualquer vela (feita à mão ou comprada) numa cerimónia mágica ou no mais simples dos feitiços, recomenda-se que seja untada com um pouco de óleo durante a fase crescente da lua, para que seja consagrada e carregada de energia mágica.

Ritual de Bênção da Vela

Usando as mãos nuas, esfregue um óleo sobre a cera, começando pelo meio da vela e indo em direção ao topo, enquanto diz:

EU TE CONSAGRO

INSTRUMENTO DE MAGIA.

ABENÇOADA SEJAS!

Comece novamente pelo meio e agora vá até a base da vela e diga:

A TI ATRIBUO PODER

EM NOME DA DEUSA.

QUE ASSIM SEJA!

Magia e elementos mágicos

 

VELAS

Cores das Velas Sagradas de Deuses e Deusas

 

 

Assim como o Cristianismo é formado por diversas denominações religiosas, há também diversas tradições dentro da Feitiçaria (ou Wicca, como muitas Bruxas modernas preferem chamar). Cada tradição Wicca possui rituais e festivais diferentes, e muitas usam um nome diferente para a Deusa e Seu consorte, o Deus Cornífero.

Embora geralmente velas brancas de altar bastem para invocar as deidades pagãs, usar uma vela especial com a cor sagrada adequada ao invocar um Deus ou Deusa em particular trará resultados muito melhores.

A seguinte lista em ordem alfabética contém os nomes, descrições e cores das velas sagradas das Deusas e Deuses adorados pelas várias tradições Wicca, assim como muitas das antigas deidades da natureza louvadas por diferentes culturas pagãs através da história.

 

 

 

AAH : Um dos Deuses da Lua sagrados do antigo Egipto. A cor de sua vela sagrada é o prateado.

 

ADITI: Deusa do Céu hindu. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

AFRODITE: Deusa grega do amor e da beleza e uma entre os Doze Grandes do Olimpo. Também conhecida como Citeréia, identifica-se com a Deusa romana do Amor, Vênus. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o rosa.

 

AGNI: Deus hindu que assume três formas: sol, luz e fogo. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

AMATERASU-O-MI-KAMI: Deusa-Solar japonesa. As cores de sua vela sagrada são o amarelo e o dourado.

 

AMON (ou Amen): Deus egípcio da vida, reprodução e agricultura; é representado como um homem com cabeça de carneiro. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

ANAITIS: Deusa persa da Fertilidade. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

ANU: Deusa-Mãe, Deusa do Amanhecer e Deusa da Morte e dos Mortos. As cores de sua vela sagrada são o preto e o branco.

 

ANÚBIS: Deus egípcio da morte e da magia negra, que aparece em forma de cachorro, ou homem com cabeça de chacal. Na mitologia egípcia, tratava-se do filho de Néftis e às vezes sua importância rivalizava com a do grande deus Osíris. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

AODH: Deusa-ígnea celta. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

APOLO: Deus grego do sol, fertilidade, profecias e oráculos, assim como uma deidade associada à luz, cura, música e poesia. Na mitologia grega, era o filho de Zeus, irmão gémeo da Deusa da Lua Artemis e um entre os Doze Grandes do Olimpo. As cores de sua vela sagrada são o dourado e o branco.

 

ARRIANRHOD: Deusa-Mãe e deusa neopagã galesa da fertilidade. As cores de sua vela sagrada são o verde e o branco.

 

ARTEMIS: Deusa grega da lua, caça e animais selvagens. Sendo uma deusa lunar, tem sido um arquétipo influente para Bruxas e seguidores do culto contemporâneo à Deusa. Equivale à Deusa romana da Lua, Diana, e se identifica com Luna, Hécate e Selene. As cores sagradas de sua vela são o prateado e o branco.

 

ASHERALI: Deusa da lua e da fertilidade do cananeu. As cores de sua vela sagrada são o verde, o branco e o prateado.

 

ASTARTE: Deusa fenícia do amor e da fertilidade. Identifica-se com a lua e é representada com crescentes em forma de chifres. As cores de sua vela sagrada são o rosa, o verde, o vermelho e o prateado.

 

ASTRÉIA: Deusa grega da inocência e da pureza, filha de Temis, a deusa da Justiça. Conta o mito que, após abandonar a Terra, ela foi colocada entre as estrelas, onde se tornou a constelação de Virgem. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

ATENA: Deusa grega da sabedoria e das artes, e uma entre os Doze Grandes do Olimpo. Identifica-se com a deusa romana Minerva, e as cores de sua vela sagrada são o roxo e o branco.

 

ATTIS: Deus da fertilidade e da vegetação para os frígios e consorte da Deusa da Fertilidade, Cibele. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

BAAL: Deus fenício da natureza e da fertilidade, associado à chuva de inverno. Representado como um guerreiro de capacete com chifres e munido de lança, foi adorado como o principal deus da Terra, por milhares de anos. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

BACO: Deus romano do vinho e da algazarra; identifica-se com o Deus grego do Vinho, Dionísio. Na mitologia, era filho das deidades Zeus e Semeie e consorte de Ariadne. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o roxo.

 

BALDER: Deus do Sol escandinavo, filho de Odin, e personificação da sabedoria, bondade e beleza. As cores de sua vela sagrada são o amarelo e o dourado.

 

BAST: Deusa egípcia da Fertilidade e filha de Isis, também conhecida como Filha da Luz. Confere saúde e simboliza paixão sexual. Nos tempos antigos, era adorada na forma de gato e, mais tarde, como uma mulher com cabeça de gato. Na bruxaria e cultos sexuais mágicos da atualidade, Bast é uma das mais populares entre as antigas Deusas Egípcias. As cores de sua vela sagrada são o vermelho, o verde e o branco.

 

BENTEN: Deusa do Amor dos budistas japoneses. É também a deusa da feminilidade, da música, da literatura e do mar. A cor de sua vela sagrada é o rosa.

 

BRIGIT: Deusa celta e neopagã do fogo, da sabedoria, da poesia e dos poços sagrados, além de ser uma deidade associada com profecia, vidência e cura. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o branco.

 

CE-AEHD: Deusa celta da natureza. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

CEARA: Antiga deusa pagã da natureza; é a equivalência feminina do deus Cearas. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

CEARAS: Antigo deus pagão do fogo e equivalente masculino da deusa Ceara. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

CENTEOTLE: Deusa mexicana da fertilidade. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

CERES: Deusa romana da colheita e fertilidade da Terra e mãe de Prosérpina. Na mitologia grega, ela é Demeter, a deusa da agricultura e mãe de Perséfone. As cores de sua vela sagrada são o verde, o laranja, o marrom e o amarelo.

 

CERNUNOS: Deus cornífero celta da natureza, dos animais selvagens, da caça e da fertilidade, “Senhor de Todas as Criaturas Vivas”, e consorte da Grande Mãe. Ele é representado com cabeça de touro, torso de homem e cauda de peixe. Como deus neo-pagão, é reverenciado principalmente por seguidores da Wicca de tradição gardneriana. A cor de sua vela sagrada é o verde-escuro.

 

CERRIDWEN: Deusa celta e neo-pagã das montanhas, da fertilidade e da inspiração. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

CHERNOBOG: Deus eslavo das tempestades e da guerra, também conhecido como Trovão e Lançador de Relâmpagos. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

 

CHU-JUNG: Deus chinês do fogo. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

CIBELE: Deusa frígia da natureza e da fertilidade, consorte do Deus Attis e equivalente à Deusa-Mãe grega Réia. Cibele está simbolicamente associada aos animais selvagens e montanhas, e no mito é representada dentro de uma carruagem puxada por leões. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

CLÓRIS: Deusa grega das flores e equivalente da Deusa romana das flores, Flora. As cores de sua vela sagrada são o branco e todas as cores florais.

 

DAGHDA: Deus principal das tribos pagãs da Irlanda, “Senhor do Grande Conhecimento”, e Deus da Fertilidade e da Terra. Acreditava-se que ele controlava a vida e a morte com um porrete e que possuía um caldeirão com magias poderosas As cores de sua vela sagrada são o verde e o marrom.

 

DAZHBOG: Deus eslavo do Sol e consorte/irmão da Deusa Zhiva. As cores de sua vela sagrada são o amarelo, o dourado e o laranja-avermelhado.

 

DEMETER: Deusa grega da fertilidade, do cultivo agrícola e da colheita, mãe de Perséfone e uma importante deidade nos mistérios de Elêusis. Identifica-se com a deusa romana Ceres; as cores de sua vela sagrada são o verde e o laranja.

 

DEUSA TRÍPLICE: Uma trindade de Deusas com três diferentes aspectos e três diferentes nomes. A Mãe Lua é adorada como uma Deusa Tríplice cujo símbolo sagrado é a lua crescente. Os três aspectos de sua deidade correspondem às três fases lunares: em sua fase crescente ela é Selene, a mãe e doadora de luz. A lua cheia é Diana, a caçadora. Em sua fase minguante ela é Hécate, a sábia anciã e Rainha da morte e da escuridão. Nos mitos nórdicos, a trindade da Deusa Tríplice é Freya (deusa do amor e da beleza), Frigga (deusa-mãe) e Hei (rainha da morte e governante do mundo subterrâneo). Os múltiplos aspectos da deusa celta Morrigan são: Macha, Badb e Neman. Até Maria, dos mitos cristãos, é tanto uma trindade como qualquer antiga deusa paga, embora seus seguidores não a descrevam como tal. Ela incorpora os atributos encontrados nas deidades femininas de outras culturas (Virgem, Mãe, Santa), mas, suprimida por uma hierarquia paternal, sua adoração como Deusa é negada até por aqueles que assistem aos seus ritos. As cores da vela sagrada da Deusa Tríplice são o verde (mãe), o vermelho (guerreira) e o preto (anciã). Há também trindades de Deuses masculinos, como a trimurti hindu de Brahma, Vishnu e Shiva; a tríade grega de deuses solares Apolo, Hélio e Febo; e a bem conhecida união cristã das três figuras divinas Pai, Filho e Espírito Santo em uma única deidade. As cores da vela sagrada dos Deuses Tríplices variam, visto que os três aspectos dos deuses nem sempre são os mesmos em cada trindade.

 

DEW: Deusa grega da fertilidade. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

DIANA: Deusa da Lua, Deusa-Mãe e virgem caçadora da lua romana e neopagã. Identifica-se com a Deusa da Lua grega Ártemis e é reverenciada principalmente pelos seguidores da tradição Wicca diânica. As cores de sua vela sagrada são o prateado e o branco.

 

DIONISO: Deus grego do vinho, êxtase, fertilidade e natureza, era adorado em orgias frenéticas. Simboliza liberdade e impulsos espontâneos, sendo equivalente ao Deus romano do Vinho, Baco. As cores de sua vela sagrada são o vermelho, o roxo e o verde.

 

DURGA (também Durva): Deusa hindu e consorte do Deus Shiva; era adorada em toda a índia, mas especialmente em Bengala. Durga é representada como feroz assassina de um dragão e tem dez braços, mas é dito que ela é amorosa e gentil para com seus adoradores. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

DYAUS: Deus do Céu indo-europeu, consorte da Deusa da Terra, Prithivi, e pai de Indra. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

EA: Deus babilônio da água, senhor da sabedoria e patrono da magia, artes e ofícios; identifica-se com o deus sumeriano Enk. Acredita-se que o simbolismo do signo astrológico de Capricórnio derive de Ea, visto que ele é representado com corpo de cabrito e cauda de peixe. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

EOSTRE: Deusa saxônia e neo-pagã da fertilidade e da primavera, de cujo nome deriva o nome do feriado da Páscoa [Easter]. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

EPONA: Deusa-Égua celta, cuja vela sagrada tem cor branca.

 

ERESHKIGAL: Deusa-Cornífera sumeriana e Rainha do Mundo subterrâneo. Identifica-se com a Deusa grega da Lua, Hécate, e é representada com o corpo de um peixe que possui escamas como as de serpente e orelhas de ovelha. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

EROS: Deus grego do amor e da sexualidade, o mitológico Filho de Zeus e Afrodite é a personificação da paixão humana. Identifica-se com Cupido, o deus romano do amor e filho de Vênus. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

ESMERALDA: Deusa sul-americana do amor. A cor de sua vela sagrada é, logicamente, o verde-esmeralda.

 

EXU: Deus da magia na macumba. As cores de sua vela sagrada são o branco e o preto.

 

FAUNO: Deus romano dos bosques, campos e pastores. Representado como meio cabrito e meio humano, é equivalente ao Deus grego da Natureza, Pan. A cor de sua vela sagrada é verde.

 

FLORA: Deusa romana das flores e de “tudo que floresce”. É equivalente à Deusa grega das Flores, Clóris. As cores de sua vela sagrada são o branco e todas as cores florais.

 

FORTUNA: Deusa romana da felicidade, sorte e oportunidade, que possui o poder de conferir aos mortais tanto riqueza quanto pobreza. É identificada com a Deusa grega, Tício. As cores de sua vela sagrada são o verde, o dourado e o prateado.

 

FREY: Deus escandinavo da fertilidade, adequadamente representado com um falo erecto indicativo de seu poder fertilizador. É também uma deidade associada com paz e prosperidade. Na mitologia, ele é irmão e consorte da deusa Freya e filho do deus do mar, Njord. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

FREYA (também Freyja): Deusa escandinava da fertilidade, do amor e da beleza, cujos símbolos sagrados e familiares eram os gatos. No mito encontra-se representada como uma bela mulher andando numa carruagem puxada por gatos. Era também a Rainha do Mundo Subterrâneo e irmã e consorte do Deus Frey. Como deusa neopagã, é reverenciada principalmente por seguidores da Wicca de tradição saxônia. As cores de sua vela sagrada são o verde, o vermelho e o preto.

 

FRIGGA: Deusa-Mãe escandinava e consorte do Deus Odin. Ela era também patronesse do casamento e da fecundidade. No mito é representada andando numa carruagem puxada por carneiros sagrados. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

FRIJA: Mãe-da-Terra pagã-germânica e consorte do Deus Tiwaz. O dia da semana a ela consagrado é a sexta-feira. A cor de sua vela sagrada é o marrom.

 

HADES: Deus grego do Mundo Subterrâneo, governante dos mortos e irmão do todo-poderoso Zeus. Na mitologia romana denomina-se Plutão. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

HATHOR: Deusa egípcia da beleza e dos céus, patronesse da fecundidade, das criancinhas e da música. Frequentemente é representada como uma mulher de cabeça de vaca, que usa um diadema com duas plumas e um disco solar decorado com estrelas simbolizando seu papel de Deusa celestial. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

HÉCATE: Deusa grega da Lua, deusa neo-pagã da fertilidade e da magia da lua, Rainha do Mundo subterrâneo e protectora de todas as Bruxas. Conhecida como “Deusa da Escuridão e da Morte”, assim como “Rainha dos Fantasmas e das Encruzilhadas”, identifica-se com a deusa lunar Diana e com a deusa grega Perséfone. As cores de sua vela sagrada são o preto e o prateado.

 

HERA: Deusa grega da morte e do renascimento, Deusa da Terra e consorte de Zeus. As cores de sua vela sagrada são o preto e o marrom-escuro.

 

HÉSTIA: Deusa grega da Lareira. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

HÓRUS:Deus egípcio do céu e filho de Isis e Osíris. E representado como um homem com cabeça de falcão, tendo por olhos o sol e a lua. A cor de sua vela sagrada é o azul-real.

 

INANNA: Deusa sumeriana tanto do amor quanto da guerra, que se identifica com a deusa babilônia Ishtar. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

ISHTAR: Deusa assíria, babilónia e neo-pagã do amor, da fertilidade e da guerra, que personifica o planeta Vênus. Era uma Deusa-Mãe e consorte de Tamuz, o Deus dos cereais e do pão que morria a cada inverno e renascia na primavera seguinte. Sendo uma deusa tríplice, ela representa nascimento, morte e renascimento. Em seu aspecto de Mãe, é a doadora de toda a vida. Em seu aspecto de Donzela-Guerreira, é aquela que traz a morte. Em seu aspecto de Anciã, traz renascimento e ressurreição. A lua crescente é um de seus símbolos sagrados. Ishtar é representada como uma mulher de feições de pássaro e cabelo trançado, que usa chifres de touro e preciosos colares, braceletes e tornozeleiras como adorno. É associada à deusa sumeriana Inanna e com a deusa fenícia Astarte. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o verde.

 

ÍSIS: Antiga Deusa-Mãe egípcia da fertilidade e deusa neopagã da magia e encantamento. Era irmã e consorte do Deus solar Osíris e às vezes era identificada com a deusa Hathor. Isis é o símbolo da maternidade divina e, em seus mistérios, era considerada como a única forma de todos os deuses e deusas. Costuma ser chamada de “Deusa dos Dez Mil Nomes”. Em Hellespont (agora Dardanelles), era conhecida como Mystis, a Senhora dos Mistérios. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

JANO: Deus romano dos portões e portas, é a deidade associada com viagens e o começo das coisas. É representado como tendo dois rostos, cada um olhando em direções opostas. Seu festival acontecia em janeiro, e a cor de sua vela sagrada é o branco.

 

KALI: Deusa hindu da Morte, personifica as forças escuras e aterradoras da natureza. É representada como uma mulher de aspecto guerreiro, de pele escura e dentes caninos salientes, que usa um colar de caveiras humanas em torno do pescoço. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

KHONS: Um dos sagrados Deuses da Lua do antigo Egito. Era também conhecido como um deus de cura, e as cores de sua vela sagrada são o prateado e o branco.

 

KILYA: Deusa inca da Lua. As cores de sua vela sagrada são o prateado e o branco.

 

KUAN YIN: Deusa chinesa da fertilidade, do parto e da compaixão. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

KUPALA: Deusa eslava da vida, do sexo e da vitalidade. É reverenciada no Dia do Meio do Verão, e a cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

LOKI: Deus escandinavo do fogo. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

LUCINA: Deusa romana da Lua, associada ao parto. As cores de sua vela sagrada são prateado e branco.

 

LUGH: Primitivo Deus celta do Sol, adorado pelos antigos druidas como o Doador Abundante da Colheita. O festival do Sabbat pagão de Lughnasadh (que significa “Comemoração de Lugh”) originou-se com os druidas para prestar homenagem ao Deus-Sol. As cores de sua vela sagrada são o amarelo, o dourado e o bronze.

 

LUNA: Deusa da Lua romana e neo-pagã, cujo nome é o termo em latim para “lua”. Identifica-se com Selene e Artemis, e as cores de sua vela sagrada são o branco e o prateado.

 

LUPERCUS: Deus romano da fertilidade, identifica-se com os deuses da natureza Pan e Fauno. Na antiga Roma, seu festival da fertilidade era conhecido como Lupercalia, no dia 15 de fevereiro. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

MAAT: Deusa egípcia da verdade, justiça e ordem do universo, cujo símbolo era uma pena. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

MIN: Deus egípcio da fertilidade e protector dos viajantes. As cores de sua vela sagrada são o verde e o branco.

 

MORRIGAN: Deusa celta da Guerra, morte e destruição, e mãe de todos os deuses irlandeses. Dizem que ela aparece em forma de corvo (um pássaro de mau augúrio na tradição celta) antes e durante as batalhas. E também conhecida como “Rainha Espectro” e “Grande Rainha Morgana”. Como Deusa Trindade, chamava-se Macha, quando fazia magia com o sangue dos assassinados; Badb, quando aparecia na forma de uma gigante, às vésperas da guerra, para avisar os soldados de seu destino; e Neman, quando aparecia como anciã. As cores de sua vela sagrada são o escarlate e o preto.

 

MUT: Deusa egípcia da fertilidade. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

MYLITTA: Deusa babilônia da fertilidade. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

NÉMESIS: Deusa grega da ira e da vingança e filha mitológica de Erebo e Nyx. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

NETUNO: Deus romano do mar, irmão de Zeus e equivalente ao Deus grego do Mar, Poseidon. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

NINHURSAG: Deusa mesopotâmia da Terra e consorte de Ea. A cor de sua vela sagrada é o marrom-escuro.

 

ISIJORD: Deus escandinavo do mar e patrono dos pescadores. Também conhecido como deus da prosperidade. A cor de sua vela sagrada é a água-marinha.

 

NUT (também Nuit)

Deusa egípcia do Céu e mãe de Osíris, Isis, Set e Néftis. A cor de sua vela sagrada é o azul-real.

 

NYX: Deusa grega da noite, irmã e consorte de Erebo, o senhor das trevas. Identifica-se com a deusa romana Nox. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

ODIN: Deus escandinavo e neopagão da sabedoria, magia, arte e poesia. É também o Senhor dos Mortos e o consorte da deusa Frigga. Segundo a mitologia nórdica, Odin lutava contra gigantes, seduzia mortais e despertava os mortos em sua busca pela sabedoria do oculto e poder absoluto. Representam-no como um velho de um só olho, usando um anel mágico e montando um cavalo de oito pernas. É equivalente ao deus pagão-germânico Woden. As cores de sua vela sagrada são o roxo, o vermelho e o preto.

 

OSÍRIS: Antigo deus egípcio da vegetação e da fertilidade, cuja morte e renascimento, a cada ano, personificavam a vitalidade e a fertilidade auto-renovadora da natureza. Ele também era um governante da morte e tanto irmão quanto consorte da deusa Isis. Segundo a mitologia egípcia, Osíris foi afogado e desmembrado em quatorze pedaços por seu irmão ciumento, Set, mas depois recobrou a vida graças aos poderes mágicos de Isis. As cores de sua vela sagrada são o verde e o preto.

 

PAN: Deus Cornífero grego e neo-pagão dos bosques, dos campos, dos pastores e da fertilidade; muitas vezes é associado ao culto de Dionísio. É representado como um homem de barbas, tendo pernas, chifres e orelhas de cabrito, e equivale à deidade romana da natureza, Fauno. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

PARVATI: Deusa hindu das montanhas e consorte do deus Shiva. Conhecida como a governante dos elfos e espíritos da natureza, é filha dos himalaias e uma personificação da energia cósmica. As cores de sua vela sagrada são o branco e o marrom.

 

PELE: Deusa polinésia dos vulcões que, acredita-se, reside atualmente em Kilauea na principal ilha de Mauna Loa, Havaí, onde é adorada como sendo a essência do fogo da Terra. Até hoje, várias ofertas, como flores, cana-de-açúcar, pássaros brancos, dinheiro e conhaque, são feitas a ela, sempre que as erupções vulcânicas ameaçam as ilhas havaianas. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o laranja.

 

PERSÉFONE: Deusa grega conhecida como a Rainha do Mundo subterrâneo. Equivale à deusa romana Prosérpina. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

POMONA: Deusa romana das frutas e da fertilidade. É a consorte do deus Vertumno (o modificador), e seu festival da Pomonália era celebrado na antiga Roma no primeiro dia de novembro, marcando o fim da colheita. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

POSEIDON: Deus grego do mar e um dos Doze Grandes do Olimpo, cujo equivalente romano é Netuno. A cor de sua vela sagrada é o azul-claro.

 

PTAH: Deus do antigo Egipto, tido como o criador do universo e o patrono dos arquitectos, escultores e artesãos. Era consorte da deusa cabeça de leão Sekhmet, e seu culto concentrava-se em Mênfis, no Egipto, onde tanto ele quanto a esposa eram adorados. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

QUETZALCOATL: Deus asteca da fertilidade, vento e sabedoria, personificado como uma serpente emplumada e associado à Estrela da Manhã. As cores de sua vela sagrada são o bronze e o verde. Segundo o mito, o irmão gêmeo de Quetzalcoatl era Xolotl, deus patrono dos magos. Ele personificava o planeta Vênus como a Estrela do Anoitecer. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

RA: Deus-Sol egípcio; identificado como um deus do nascimento e renascimento. Era adorado em Heliópolis e a principal deidade no Ennead. A cor de sua vela sagrada é o dourado.

 

RHIANNON: Deusa-Mãe celta/galesa, originalmente chamada Rigatona (Grande Rainha) e identificada com a deusa-égua gaulesa, Epona. É retratada montando um pálido cavalo branco e carregando uma bolsa mágica de abundância. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

SATURNO: Deus romano da agricultura e da colheita, cujo festival, a Saturnália, acontecia anualmente na antiga Roma em meados de dezembro. Identifica-se com o deus grego Cromo, e a cor de sua vela sagrada é o laranja.

 

SEKHMET: Deusa da Guerra do antigo Egipto e consorte do deus Ptah. Representada como uma mulher com cabeça de leão, é a equivalência egípcia da deusa hindu Shakti. A cor de sua vela sagrada é o carmim.

 

SELENE: Deusa grega da Lua em seu aspecto crescente. Em seu aspecto minguante, chama-se Hécate. As cores de sua vela sagrada são o prateado e o branco.

 

SET (também Seth): Deus egípcio da escuridão e da magia negra, é a personificação do mal. E o equivalente egípcio do deus grego Tífon. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

SHAMASH: Deus-Sol babilônio, irmão da deusa Ishtar e uma deidade associada aos oráculos e profecias. Identifica-se com o deus sumeriano Utu e com o deus grego Apoio. A cor de sua vela sagrada é o amarelo.

 

SILVANO: Deus romano das florestas, campos e rebanhos, representado como um sátiro de barbas. A cor de sua vela sagrada é o verde-escuro.

 

SIN: Deus babilônio da lua; identifica-se com o deus sumeriano Nanna. A cor de sua vela sagrada é o branco.

 

SVAROG: Deus eslavo do fogo e da metalurgia, cujo símbolo é o martelo e a pinça de prata. E o consorte da Grande Mãe, e as cores de sua vela sagrada são o vermelho e o prateado.

 

TANE: Deus do Céu polinésio e Senhor da Fertilidade, considerado o criador do primeiro homem a partir do barro vermelho. O amuleto tiki (uma figura humana feita de madeira e madre-pérola) é o símbolo do poder criador de Tane. As cores de sua vela sagrada são o azul e o verde.

 

THANATOS: Deus grego da morte, cujo equivalente romano é o deus Mors. A cor de sua vela sagrada é o preto.

 

THOR: Deus do Céu escandinavo, Mestre dos Raios, filho de Odin e patrono dos fazendeiros e dos marinheiros. Representado como um homem forte, mas simpático, com cabelo desalinhado e longa barba ruiva. O martelo é seu símbolo, e o azul-escuro, a cor de sua vela sagrada.

 

THOTH: Deus egípcio da lua, sabedoria, magia, artes e ciência. Era também conhecido como o escriba dos deuses. E representado como uma íbis, um homem com cabeça de íbis e também como um macaco. A deusa da verdade, Maat, era sua consorte, e o primeiro mês do ano egípcio levava seu nome. As cores de sua vela sagrada são o branco, o prateado e o roxo.

 

THUNOR (também Donar): Deus pagão-germânico do Trovão e do Relâmpago e deidade associada à fertilidade. Seu dia sagrado da semana é quinta-feira, e o azul-escuro, o preto e o verde são as cores de sua vela sagrada.

 

TIWAZ: Deus pagão-germânico do Céu e consorte da deusa Frija. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

TLAZOLTEOTL: Deusa da Terra da América Central associada à fertilidade e ao amor. É também conhecida como “Mãe de Todos os Deuses”. As cores de sua vela sagrada são o marrom e o verde.

 

URANO (também Ouranos): Antigo deus grego conhecido como Pai do Céu. Era o consorte da deusa Géia e personificava os céus. A cor de sua vela sagrada é o azul.

 

VÊNUS: Deusa romana e neo-pagã do amor e da beleza que personificava sexualidade, fertilidade, prosperidade e sorte. É a contraparte romana da Deusa grega do Amor, Afrodite. A cor de sua vela sagrada é o rosa.

 

VESTA: Deusa romana da Lareira, cujo templo era aceso pelo fogo sagrado vigiado por seis sacerdotisas virgens conhecidas como Vestais. A cor de sua vela sagrada é o vermelho.

 

WODEN: Deus pagão-germânico da guerra, artes do bardo (poesia), profecia e magia, cujo dia sagrado da semana é a quarta-feira. Era conhecido também como o Senhor dos Mortos, o primordial mestre das runas e o deus da mudança de forma. A mitologia mostra Woden como a mais elevada deidade do panteão germânico. O nome “Woden” é a forma inglesa do nome que deriva de uma forma de protogermânico Wodhan-az, que significa “mestre da atividade psíquica inspirada”. Como deus neopagão, é adorado principalmente por seguidores da Wicca de tradição saxônia e freqüentemente identificado com o deus escandinavo Odin, a mais poderosa das deidades teutônicas. As cores de sua vela sagrada são o vermelho e o roxo.

 

XOCHIQUETZAL: Deusa centro-americana das flores. As cores de sua vela sagrada são o branco e todas as cores florais.

 

YARILO: Deus eslavo da Fertilidade e consorte da Deusa Lunar Marina. A cor de sua vela sagrada é o verde.

 

ZEUS: O mais poderoso dos deuses gregos, governante do céu e da terra, filho de Cronos e Réia. Era conhecido também como o Apanhador de Nuvens, Senhor dos Raios e mestre da mudança de forma. O carvalho era sua árvore sagrada; a águia, o pássaro; e o dourado, a cor de sua vela sagrada.

 

Magia e elementos mágicos

 

VELAS

Velas, Augúrios e Superstições

AZAR

Uma gota de cera ao lado da vela numa sessão espírita é presságio de azar ou morte para a pessoa mais próxima daquele lado.

Considera-se que adormecer com uma vela acesa dá azar.

“Se uma vela cai e se parte pela metade, problema dobrado está por vir!”

Uma vela deixada para queimar sozinha traz azar.

Considera-se que olhar num espelho sob a luz de vela, especialmente na Noite de Todos os Santos, dá azar.

 

MORTE

Se uma vela subitamente apaga sozinha, representa um augúrio de morte na família.

Se uma vela pinga e deixa engordurada uma mortalha, representa augúrio de morte para quem quer que esteja sentado perto dela.

Se a chama de uma vela arde azul, é augúrio de morte em alto-mar.

 

SONHOS

Sonhar com vela preta é augúrio de morte ou doença.

Sonhar com vela branca é augúrio de amor verdadeiro.

Se uma jovem vir duas velas brancas num sonho, é sinal de que receberá proposta de casamento em breve.

O aparecimento de uma vela vermelha num sonho simboliza paixão e desejo sexual.

Sonhar com cinco velas é augúrio de amor e casamento.

Sonhar com uma vela no castiçal é augúrio de um futuro próspero e feliz.

Sonhar com um castiçal sem vela é um presságio de sofrimento e infortúnio.

 

FANTASMAS E ESPÍRITOS MALÉFICOS

A luz azul de uma vela é sinal de que espíritos benéficos estão por perto.

Uma chama recta e longa numa vela durante uma sessão espírita é sinal de que um espírito está presente.

Na Irlanda, é um antigo costume nos funerais acender doze velas em volta do cadáver para proteger a alma do falecido contra forças maléficas, pois acredita-se que fantasmas e demónios não conseguem atravessar um círculo de velas acesas.

Sempre acenda velas em momentos como nascimento, casamento e morte para assegurar que os espíritos maléficos fiquem distantes nessas horas cruciais.

Acenda uma vela marrom na noite de Candlemas para protecção contra espíritos maléficos, fantasmas e feiticeiros.

Coloque uma vela acesa dentro de uma abóbora limpa de seu miolo, na noite de Todos os Santos, para manter afastados espíritos maléficos e demónios.

 

BOA SORTE

Na Sicília, os pescadores acendem velas decoradas para seu patrono com o intuito de obter bênçãos e protecção.

Uma vela com cheiro de baga de loureiro, queimada por inteiro, trará “sorte para a casa e ouro para o bolso”.

Mate uma mariposa que esteja voando em torno da chama de uma vela para trazer sorte à sua vida.

Acenda uma vela marrom em cada cómodo da casa na Noite de Candlemas para atrair sorte e manter maus espíritos e negatividade a distância.

Acenda uma vela branca, nova, em uma casa nova para trazer sorte e felicidade ao lugar.

 

VELAS DE FESTAS

Velas numa árvore de Natal asseguram um ano de luz, aconchego e abundância para a família.

Acender velas na janela na época de Natal dá origem à idéia de que elas iluminam o caminho para a Sagrada Família em seu caminho a Belém.

Acender uma vela vermelha na noite de Yule assegura prosperidade para o ano seguinte.

A tradição de acender velas num bolo de aniversário simboliza sorte e saúde para o ano seguinte.

Um desejo será satisfeito se todas as velas de um bolo de aniversário forem apagadas num único sopro.

 

AMOR E CASAMENTO

Uma vela rosa acesa no Dia dos Namorados trará o verdadeiro amor.

Uma vela acesa colocada numa janela irá assegurar a volta da pessoa amada em segurança.

Derrubar acidentalmente uma vela é sinal de que haverá um casamento no futuro próximo.

Acenda uma vela branca no dia do seu casamento para assegurar um casamento longo e feliz.

Se uma vela se apagar repentinamente durante uma cerimónia de casamento, este certamente acabará em sofrimento.

Para fazer que a pessoa amada venha até você, espete dois alfinetes no meio de uma vela vermelha, à meia-noite. Quando a vela tiver queimado até aquele ponto, a pessoa chegará.

Um antigo costume de casamento na Bretanha e na Alsácia é acender velas diante dos noivos recém-casados; a vela que acabar primeiro indicará quem morrerá primeiro: ele ou ela.

Para testar a fidelidade de um amor, segundo um costume rural americano, acenda uma vela do lado de fora perto da casa dele (a). Se a chama queimar na sua direcção ou na direcção da casa, a pessoa é fiel. Caso contrário, é infiel.

Para trazer de volta um amor perdido, transpasse o pavio aceso com um alfinete ou agulha enquanto, em voz alta, você diz o nome da pessoa.

 

DINHEIRO

Acenda uma vela verde numa noite de lua cheia para atrair dinheiro.

Acender uma vela usando a fogueira o impedirá de ficar rico.

 

TEMPO

Se uma vela resistir em ser acesa, uma tempestade está se formando.

Se a chama de uma vela tremular num cómodo desprovido de vento ou correnteza, é augúrio de que algum tipo de mau tempo é iminente.

Se a chama de uma vela estiver azulada, é sinal de geada.

Uma vela abençoada de um rito de candlemas pode ser usada para conjurar tempestades.

 

MISCELÂNEA

Uma vela com chama longa e recta indica a chegada de um estranho.

Uma vela que tenha uma centelha brilhante indica que a pessoa sentada em frente a ela receberá correspondência.

De acordo com antigas crenças francesas e alemãs, somente uma menina que seja “pura” pode soprar uma vela moribunda de volta à vida.

Uma crença medieval ditava que uma vela acesa colocada entre os chifres de um bode possibilitaria o aparecimento do diabo.

Segundo a tradição eslava, somente um sacerdote pode acender três velas no altar. Se um leigo o fizer, isto o levará ao maior infortúnio.

As igrejas só usavam velas de cera de abelha porque se acreditava que as abelhas vinham do Paraíso.

Uma vela acesa (a Mão da Glória) posicionada entre os dedos da mão de um cadáver, tradicionalmente um criminoso enforcado, tinha a fama de possuir vários poderes mágicos, como os de abrir portas trancadas, fazer os mortos falarem e congelar os passos das pessoas.


(Fonte: “Magia das Velas” de Gerina Dunwich)


 

VELAS

Velas na Magia de Cura

Velas de Ervas Curativas

 

 

poder curativo das ervas não deve se limitar às infusões e poções. Elas devem também ser usadas em todas as velas feitas em casa, especialmente para feitiços e rituais de cura. (Velas compradas ou feitas sem ervas podem ser carregadas com o poder Fitoterápico, sendo untadas com um óleo feito com a erva apropriada.)

As velas de ervas para cura são feitas com partes iguais de parafina e cera de abelha, que são colocadas na parte de cima de uma panela própria para banho-maria (uma lata grande também pode ser usada dentro de uma panela parcialmente cheia de água fervente) e derretidas em fogo baixo.

Acrescente uma pitada da(s) erva(s) curativa(s) adequada(s) (em pó) à cera derretida e diga:

 

ERVAS MÁGICAS DE RAIZ E FLOR,

DÊEM A ESTA VELA O PODER DA CURA.

DEIXEM QUE TODA DOENÇA MALÉFICA FUJA

QUANDO QUEIMADA ELA FOR.

QUE ASSIM SEJA!

 

Corte o pavio encerado do tamanho do molde, deixando uns dois centímetros acima do topo do molde. Amarre uma porca ou parafuso em cada pavio, para que sirva de peso, e coloque-o no centro do molde.

Lentamente derrame a cera derretida no molde e deixe esfriar e endurecer antes de remover a vela. (Caso se forme uma depressão em torno do pavio após o esfriamento, preencha a mesma com um pouco de cera derretida e deixe esfriar. Repita, à medida do necessário, até que o topo da vela fique nivelado.)

(NOTA IMPORTANTE: Velas de ervas para cura sempre devem ser manufacturadas durante a fase crescente da lua, para carregá-las com o poder curativo, e queimadas durante a fase minguante, para diminuir febres, dores e males.)

 

A seguir, uma lista de ervas de Bruxa e suas mágicas propriedades curativas:

 

AÇAFRÃO: Depressão e febre.

 

AGRIMÔNIA: Icterícia e doenças hepáticas.

 

ALECRIM: Resfriados, cólicas, congestão hepática, depressão, cansaço, dores de cabeça, pressão alta, problemas nervosos cardíacos, paralisia, reumatismo, estresse, fraqueza dos membros e vertigem.

 

ALHO: Artrite, asma dos brônquios, infecções e reumatismo.

 

AMIEIRO: Diarréia, inflamações e dores de garganta.

 

ANGÉLICA: Alcoolismo e abuso de drogas, atraso menstrual, dor de dente.

 

ANIS: Asma dos brônquios, bronquite.

 

ARTEMÍSIA: Febre, poison ivy

(Poison ivy é um tipo de planta trepadeira que pode provocar uma erupção cutânea que leva o mesmo nome. (N. T.))

 

ASCLÉPIA ou algodãozinho do campo: Verrugas.

 

BABOSA, folhas de: Queimaduras e ferimentos externos.

 

BOLSA-DE-PASTOR: Contusões, irritações cutâneas e reumatismo.

 

CAMOMILA: Cólica, febre, inflamações, cólicas menstruais e problemas de nervos.

 

CANELA: Gripe.

CARDO ABENÇOADO: Resfriados.

 

COENTRO: Febre.

 

COMFREI: Disenteria, ferimentos externos e úlceras estomacais.

 

CORNISO: Febres e infecções.

 

CURCUMA (goldenseal): eczema, problemas oculares, infecções internas, poison ivy, úlceras do reto e tinha.

 

DENTE-DE-LEÃO: Constipação, pedras vesiculares e problemas do fígado, pâncreas, baço ou órgãos femininos.

 

ERVA-MACAÉ: Todos os problemas femininos.

 

ESCABIOSA: Tosse e menstruação irregular.

 

ESCADA-DE-JACÓ ou polemônio: Febre

 

ESPINHEIRO-ALVAR: Arteriosclerose, edema, problemas cardíacos e fraqueza muscular.

 

EUFRÁSIA: Problemas oculares.

 

FUNCHO ou erva-doce: ansiedade, constipação e períodos menstruais irregulares.

 

GATÁRIA ou erva-dos-gatos: Ansiedade, febre, cólicas menstruais.

 

GENGIBRE: Febre, impotência e cólicas menstruais.

 

GINSENG: Impotência e todos os males relacionados à sexualidade.

 

HAMAMÉLIS: Ansiedade, eczema, inflamações, inchaços e tumores.

 

HIPERICÃO ou erva-de-são-joão: Diarréia.

 

HORTELÃ-FRANCESA: Infecções.

 

HORTELÃ-PIMENTA: Dores de cabeça e cãibras musculares.

 

ÍNULA: Febre.

 

IRISH MOSS (espécie de alga marinha): Queimaduras e tosse.

 

JASMIM: Impotência.

 

LAVANDA: Depressão, cansaço, dor de cabeça, impotência, dores nevrálgicas, reumatismo e torções.

LÍNGUA-DE-SERPENTE: Úlceras estomacais e tumores.

 

LOSNA (ou absinto): Resfriados e febre.

 

MALVA: Amigdalite.

 

MANDRÁGORA, raiz de: Impotência e esterilidade.

 

MARACUJÁ, flor de: Insónia.

 

MARGARIDA: Asma dos brônquios.

 

MARROIO-BRANCO: Resfriados, tosse e constipação.

 

MILEFÓLIO ou mil-em-rama: Dores do cancro, resfriados, febre, doenças hepáticas e dores musculares.

 

MIRRA: Irritações e dores da gengiva.

 

MORANGO, folhas e flores de: Gota.

 

PANACEIAS (prunela, erva-férrea, sanícula): Ferimentos externos.

 

PÉ-DE-GALINHA: Inflamações.

 

PÉ-DE-LEÃO: Febres, dores de cabeça, inflamações, insônia, menopausa, cólicas menstruais e dores de dente.

 

POEJO: Febre e cólicas menstruais.

 

RAIZ-FORTE: Bronquite, resfriados, problemas renais e reumatismo.

 

ROSA: Pedras renais.

 

SABUGUEIRO, flores de: Resfriados, constipação, febre, hemorróidas e impotência.

 

SALGUEIRO, casca de: Dores de cabeça.

 

SÁLVIA: Resfriados e tosse, depressão, febre, gripe, insónia, pleurisia, torções e varizes.

 

SANGUINÁRIA-DO-CANADÁ: Tinha.

 

SELO-DE-SALOMÃO: Contusões, irritações cutâneas e machucados.

SERPENTÁRIA: Impotência e picada de cobra.

 

TASNEIRAS: Menopausa e problemas menstruais.

 

TOMILHO: Febre, dores de cabeça e coqueluche.

 

TREVO CARMESIM: Cânceres.

 

TROMBETA ou estramónio: Poison ivy.

 

TUSSILAGEM ou unha-de-cavalo: Asma dos brônquios, bronquite, dores no peito e tosse.

 

URTIGA: Asma dos brônquios, dores musculares, úlceras estomacais e doenças dos pulmões e intestinos.

 

VALERIANA: Ansiedade, insónia, reumatismo, estresse e inchaço das juntas.

 

VARA-DE-OURO: Infecções da bexiga, inflamações e insónia.

 

VERBASCO, folhas de: Asma dos brônquios.

 

VERBENA: Febre.

 

VIOLETA: Infecções.

 

ZIMBRO: Dores nevrálgicas, reumatismo e inchaços.

 

 

VELAS

NOVE REGRAS

PARA BEM USAR AS VELAS

 

I – Procure saber a cor da vela conforme o fim a que se destina e o aroma, no caso de querer vela perfumada;

 

II – O mau uso da vela pode prejudicar você; cuidado!

 

III – Uma vela pode ser usada para representar outra pessoa se tiver a cor zodiacal dela;

 

IV – O movimento de um desejo ou de uma influência, se afastando ou se aproximando de alguém, pode ser perfeitamente simbolizado pelo movimento das velas. Desta forma, se reafirma o que disse Shakespeare:

“O Mundo todo é um palco e todos os homens e mulheres meros atores”.

O Altar ou a mesa, sobre os quais colocamos as velas, tornam -se uma espécie de tabuleiro de xadrez que representa as condições de nossas vidas;

 

V – As velas usadas para um ritual, trabalho mágico, não podem ser usadas de novo.

Novos trabalhos, novas velas. Quando der por terminado um ritual, deixe a, ou as velas queimarem até o fim;

 

VI – Pague o preço exacto pelas velas que vai usar, nem mais, nem menos, o Preço exato;

 

VII – Nunca unte uma vela antes de usá-la, pois este acto simples a magnetiza e aplica as vibrações de sua mente a ela. Você e sua vela tornam-se “um”;

 

VIII – Nunca use a magia das velas para prejudicar, pois a Lei do Retorno sempre se faz cumprir, mais dia menos dia;

 

IX – Tenha sempre consciência das “marés cósmicas” controladas pelo Sol e pela Lua, pois tentar contrariá-las é difícil e complicado.

Nunca trabalhe 3 dias antes da Lua-Nova.

A Lua-Cheia é a Senhora de todas as Magias, alquimias, bruxarias…

A Lua-Crescente atrai, cresce…

A Lua-Minguante expulsa, extermina, mingua!

 

Estas nove regras são fundamentais para o sucesso da Magia das velas.

 

Algumas indicações sobre as velas:

 

- Para atrair dinheiro: vela verde e púrpura. Saquiel é o Anjo da Fortuna; Júpiter é o Planeta do dinheiro e Oxumarê é o Orixá das riquezas.

 

- Para ganhar amigos, simpatias: vela laranja.

 

- Amor, vela rosa.

 

    As velas podem até alterar o clima. Elas se aplicam a todo tipo de magia.

(Fonte: Bruxas Angelicais, de Clara Luz)

 

VELAS e MAGIA ANGELICAL

 

RITUAL DE AJUDA COM A VELA DE SETE DIAS PARA RESOLVER QUALQUER PROBLEMA

    Abra uma vela de sete dias, escreva seu nome ou o nome de quem você deseja ajudar numa tirinha bem pequena de papel e ponha bastante mel; a seguir, escreva em outra tirinha:

 

“Meu Anjo da Guarda, me ajude”!

ou

“Anjo da Guarda de …., ajude-o”!

e coloque também bastante mel.

 

Mentalize o pedido.

Feche a vela, usando a cera de uma vela comum, que deverá ser branca, não interrompendo a mentalização. Quando a vela estiver fechada, ponha bastante açúcar sobre ela até quase chegar no pavio, quase, quase; depois acenda e não se esqueça: a mentalização não pode ser quebrada.

Faça isso de vez em quando até a vela apagar.

Ela não vai durar sete dias, pois seu pedido subirá rapidamente ao Astral Superior.

Deixe o mesmo pedido e o nome, dentro de um recipiente fechado com bastante açúcar cristal, ao lado esquerdo da vela, porque à direita deverá ficar um copo com água que, ao final, deverá ser jogado em água corrente.

    Ao deixar o pedido e seu nome ou o nome de quem você deseja ajudar, pode pedir a todos os Anjos que ajudem seu Anjo ou o Anjo da pessoa no sentido de obter do Universo o que pretende.

Este é um ritual e uma magia angelical de grande força e poder.

(Fonte: Bruxas Angelicais, de Clara Luz)

 

VELAS

Simbolismo das Cores das Velas

Cores das Velas Mágicas

 

Antes de fazer feitiços ou executar qualquer tipo de magia, a cor da vela deve ser escolhida com cuidado, segundo seu propósito, pois cada cor possui uma vibração energética diferente e atrai certas influências.

A lista que se segue contém as cores das velas e suas propriedades mágicas:

 

AMARELO: Feitiços que envolvam segredo, atracção, sedução e persuasão.

AZUL: Magia que envolva honra, lealdade, paz, tranquilidade, verdade, sabedoria, protecção durante o sono, projecção astral e feitiços que induzam sonhos proféticos.

BRANCO: Rituais de consagração, meditação, vidência, exorcismo e feitiços que envolvam cura, clarividência, verdade, paz, força espiritual e energia lunar.

CINZA: Feitiços que neutralizem influências negativas.

DOURADO: Feitiços que atraiam o poder das influências cósmicas e rituais de louvor às deidades solares.

LARANJA: Feitiços que estimulem a energia.

MARROM: Feitiços que localizem objectos perdidos e acentuem os poderes de concentração e telepatia, protecção dos familiares e dos animais domésticos.

PRATEADO: Feitiços e rituais para remoção de negatividade para incentivar a estabilidade e atrair a influência da Deusa.

PRETO: Rituais de meditação, feitiçaria e de descruzamento e feitiços para banir o mal e a negatividade.

ROSA: Feitiços amorosos e rituais que envolvam amizade e feminilidade.

ROXO: Manifestações psíquicas, curas e feitiços que envolvam poder, sucesso, independência e protecção doméstica.

VERDE: Feitiços que envolvam fertilidade, sucesso, boa sorte, prosperidade, dinheiro, rejuvenescimento e ambição e rituais para combater ganância e ciúme.

VERMELHO: Ritos de fertilidade, afrodisíacos e feitiços que envolvam paixão sexual, amor, saúde, força física, vingança, raiva, força de vontade, coragem e magnetismo.

 

Cores das Velas do Sabbat

 

CANDLEMAS: Vermelho, rosa, marrom.

EQUINÓCIO DE PRIMAVERA: Verde, amarelo, dourado.

BELTANE: Verde-escuro.

SOLSTÍCIO DE VERÃO: Verde, azul.

LAMMAS: Amarelo, laranja.

EQUINÓCIO DE OUTONO: Laranja, marrom, amarelo.

SAMHAIN: Preto, laranja.

YULE: Vermelho, verde, branco.

 

 

Cores das Velas Zodiacais

 

 

Cada um dos doze signos astrológicos é governado por uma cor. Ao fazer horóscopos ou executar magias relacionadas ao zodíaco, é importante que as cores das velas usadas correspondam à cor zodiacal adequada:

 

ÁRIES: Vermelho

TOURO: Verde

GÊMEOS: Amarelo ou prateado

CÂNCER: Branco

LEÃO: Dourado ou amarelo

VIRGEM: Cinza

LIBRA: Azul-real

ESCORPIÃO: Preto ou vermelho

SAGITÁRIO: Azul-escuro ou roxo

CAPRICÓRNIO: Preto ou marrom-escuro

AQUÁRIO: Azul-claro

PEIXES: Água-marinha

Cores dos Dias da Semana

 

Cada dia da semana é governado por sua própria cor mágica. Velas usadas em rituais de meditação diária devem ter as seguintes cores:

 

DOMINGO: Amarelo

SEGUNDA-FEIRA: Branco

TERÇA-FEIRA: Vermelho

QUARTA-FEIRA: Roxo

QUINTA-FEIRA: Azul

SEXTA-FEIRA: Verde

SÁBADO: Preto

(fonte: A Magia das Velas, de Gerina Dunwich)

Incenso.

O que é o incenso?

 O incenso, representa o «sopro divino», ou o «sopro da vida». Conforme esta descrito na Bíblia:

 

Então Deus (…) soprou-lhes nas narinas um sopro de vida, e o homem tornou-se um ser vivente

 

Génesis 2,7

 

Envias o teu sopro e são criados, e assim renovas e face da terra

 

Salmos 104, 29-30

 

O meu sopro de vida não permanecerá para sempre no homem, pois ele é carne e não viverá mais que 120 anos

Génesis 6,3

Assim se entende que este «sopro de vida» é eterno, que este sopro de vida é o «espírito» que sobrevive á morte do corpo.

O incenso, tem assim a função de representar este misterioso e milagroso «sopro de vida», ou o espírito. Por isso, se a vela contem o fogo, que é a forma como um espírito se manifesta junto de nos, a incenso é o meio que transporta os nossos desejos, pensamentos, orações  e mensagens para o mundo celestial.

Na bíblia verificamos que o incenso deve ser oferecido em conjunto com outras oblações, (Levítico 2,1), que o incenso deve ser usado em junção com o fogo, ( Levítico 16, 12-13), sendo que a própria descrição da produção de incenso se encontram prescritas no Antigo Testamento, no Livro de Êxodo( 30,34-38).

Também nos textos sagrados ficamos sabendo que o incenso traduz uma substancia aromática que é agradável aos espíritos , sendo que o mesmo quando queimado , ( usando uma combinação com o elemento do fogo, que no ritual magico se encontra simbolizado nas velas – ver velas e magia ), eleva as orações ao mundo celestial, ( Salmos 142,2 e Apocalipse 5,8 ; 8, 3-4)

Os egípcios são dos mais ancestrais produtores de incenso, assim como usaram o incenso para fins religiosos e espirituais antes mesmo dos Hebreus.

O incenso egípcio resultava de uma combinação de 16 ingredientes, que eram processados de acordo com fórmulas místicas. O Incenso egípcio era feito com ingredientes como mel, vinho, passas, resina, e servia para fins tanto místicos com medicinais.

Incenso- Incensos e os seus fins espirituais:

 

 

Incenso Arruda: purificação e protecção espiritual

Acácia: faculta um sono tranqüilo.
Incenso Absinto: favorece a clarividência, assim como é útil em assuntos amorosos.
Incenso Alecrim: combate a depressão, é purificador de pessoas e locais
Incenso Alfazema: tranquilizante

Incenso Almíscar: favorece sorte, vitorias, sucesso
Incenso Angélica: atrais forças protectoras
Incenso Artemísia: estimula dons proféticos, adivinhação, sonhos reveladores
Incenso Anis estrelado: abre portas da boa sorte
Incenso Camomila: ideal para conjurar forças que ajudam em assuntos financeiros
Incenso Canela: favorece as forças que ajudam em questões financeiras
Incenso Cânfora: eliminador da negatividade
Incenso Cedro: indicado em estabelecimentos, para aumentar vendas
Incenso Cipreste: favorece o equilíbrio espiritual, e tambem pode ser usado em assuntos de prosperidade

Incenso Coco: estimula o equilíbrio psicológico, espiritual e emocional
Incenso Cravo: ideal para favorecer abertura de caminhos, desbloqueio de enguiços

Incenso Erva cidreira: conjura energias ideias em assuntos amorosos
Incenso Erva doce: contra invejas e mau olhado
Incenso Eucalipto: limpeza espiritual
Incenso Hortelã: afasta negatividade assim como as indecisões e falta de decisão
Incenso Jasmim: favorece pacificação do ambiente
Incenso Lavanda: tranquilizador
Incenso Manjericão: atrai energias de boa sorte
Incenso Mirra: favorece os instintos, a a intuição e capacidades espirituais extra-sensoriais
Incenso Noz moscada: favorece entradas de dinheiro
Incenso Orquídea: purificador do ambiente e do espírito
Incenso Pimenta da jamaica: favorece harmonia no lar, assim como prosperidade
Incenso Pinho: protecção e assuntos de fertilidade
Incenso Rosa branca: acalma disputas, amansa pessoas, deve ser usado em expulsão de forças negativas
Incenso Sândalo: evolução espiritual
Incenso Sândalo branco: abre portas ao sucesso
Incenso Vetiver: ideal para favorecer comerciantes e assuntos comerciais .

 

Como acender o incenso 

Antes de acender o incenso, mentalize e repita uma oração. O incenso deve ser aceso em local sereno, com tranquilidade e sem interferências no processo.

Deve repetir a sua oração enquanto manipula o incenso

Acenda o incenso com fósforo: é sinal de respeito e tradicionalismo no relacionamento com espíritos ou forças celestiais que são ancestrais e por isso se agradam com o respeito

Acenda o incenso, assim como as velas, ( ver: velas e magia ), como a mão esquerda

 

Incenso – limpar ambientes com incenso

Acenda o incenso conforme recomendado anteriormente.

Actuando de acordo com os já descritos procedimentos, percorra toda a casa ou estabelecimento com o incenso. Entre em cada dependência da casa ou estabelecimento, apenas apos ter proferido a sua oração, e continue orando enquanto percorre os 4 cantos, ate sair.

Faça um percurso , ( se possível), por todas as dependências, num sentido contrario ao ponteiro dos relógios.

Numa pare a sua oração mental.

Depois de realizada a limpeza, coloque um punhado de sal em cada um dos 4 cantos da casa ou estabelecimento.

 

INCENSOS

INCENSOS CASEIROS

Alho - este incenso ajuda a dissipar os maus fluídos que prejudicam o relacionamento familiar, a vida a dois ou o desempenho profissional.

Para prepará-lo, descasque cinco cabeças grandes de alho (de preferência roxo) e coloque as cascas numa espátula ou num incensório de ferro.

Cubra com carvão aceso. Os dentes de alho descascados poderão ser usados normalmente.

Cânfora - este incenso tem o poder de afastar as vibrações negativas e é uma arma poderosa contra o desânimo e a insegurança.

Para prepará-lo, junte vinte gramas de cânfora triturada, um punhado de folhas de mirra bem esmagadas, uma colher de sobremesa de sal grosso e três folhas frescas de arruda.

Coloque tudo num incensório feito com material resistente ao fogo e cubra a mistura com carvões em brasa.

Cravo vermelho - este incenso ajuda a combater a timidez, a falta de interesse sexual, a apatia, o desânimo e a fraqueza.

Também atrai prosperidade.

Para prepará-lo, pegue três cravos vermelhos e solte delicadamente suas pétalas, espalhando-as dentro de um turíbulo ou incensório.

Despeje uma colherinha de essência de cravo-da-Índia e cubra com carvão em brasa.

Laranja - atrai as vibrações da prosperidade, do sucesso e da estabilidade financeira.

Para prepará-lo, descasque meia dúzia de laranjas (não use laranja-lima) e coloque as cascas para secar no sol.

Depois de dois dias, recolha as cascas, corte-as em pedacinhos e coloque-as num incensório ou num braseiro. Cubra com carvões acesos. As laranjas descascadas poderão ser consumidas normalmente.

Maçâ - favorece os relacionamentos amorosos e ajuda a desenvolver a afetividade e a sensualidade. Também estimula a inteligência, a criatividade e o poder de comunicação.

Para prepará-lo, descasque duas maçãs bem vermelhas. Deixe as cascas ao sol durante um dia inteiro e recolha-as ao anoitecer.

No dia seguinte, coloque as cascas secas num incensório e as cubra com carvões em brasa.

 

Rosas - ajuda a dissipar as energias negativas e estimula a fé, a bondade e a tolerância.

Para prepará-lo, misture num braseiro pétalas frescas de rosas vermelhas, brancas, cor-de-rosa e amarelas. Adicione uma colherinha de essência de rosas e cubra com carvões em brasa.


(Fonte: Bruxas Angelicais, de Clara Luz)


INCENSOS

*INCENSOS ESPECIAIS PARA O ANO…

arruda, alecrim, cedro, chocolate, côco, dama-da-noite, jasmim, paco, patchouly, lótus, templum, lavanda, violeta.

13 Incensos, 13 luas, 13motivos para a aplicação destes 13 incensos: amor, paz, misericórdia, necessidade de transformações, fraternidade, entre muitas outras razões e seus desdobramentos.

*AFRODISÍACOS:

almiscar, cravo, cravo-da-Índia, dama-da-noite, jasmim, canela,maçã-rosada, noz-moscada, musk, néfer, ópio-rosa, orquídea, vetiver,ylang, doce-de-leite, tutty-fruity. Há quem considere o patchouly e oabsynto como afrodisíacos.

*CELESTIAIS:

angélica, eternum, espiritual, amor-perfeito, indiano, violeta, templum, lótus, rosas brancas e cor-de-rosa e jasmim.

*INCENSOS-FAXINA:

arruda, alecrim, cânfora, alfazema, benjoim…

*PROSPERIDADE:

cravo-da-Índia, canela, noz-moscada, benjoim, patchouly…

*DIAS DA SEMANA

SEGUNDA: arruda, sândalo, angélica, maçã-rosada, patchouly.

TERÇA: verbena, jasmim, cravo-da-Índia, violeta.

QUARTA: alecrim, rosa branca, mirra, patchouly.

QUINTA: canela, noz-moscada, orquídea azul, flor-do-campo.

SEXTA: alfazema ou lavanda, rosas de todas as cores, almiscar, dama-da-noite, arruda.

SÁBADOS E DOMINGOS: podem ser usados todos os incensos celestiais, os afrodisíacos e os energéticos conforme indicação.

*SIGNOS

ÁRIES: arruda, sândalo de todas as cores, cedro, almiscar.

TOURO: aniz, anúbis, sândalo vermelho, rosa cor-de-rosa, cravo-da-Índia, noz-moscada.

GÊMEOS: canela, âmbar, eucalipto, orquídea azul.

CÂNCER: jasmim, cânfora, maçã rosada.

LEÃO: cedro, amor-perfeito, orquídea lilás e qualquer afrodisíaco. (Leão gosta de usar todos)

VIRGEM: flor-do-campo, angélica, canela, benjoim, rosa-musgo, cravo-da-Índia, verbena.

LIBRA: todos os afrodisíacos, rosas brancas e cor-de-rosa, alecrim, eternum, patchouly.

ESCORPIÃO: dama-da-noite, absynto, arruda, lótus.

SAGITÁRIO: sândalo de todas as cores, cravo, canela, espiritual, verbena, patchouly.

CAPRICÓRNIO: alecrim, benjoim, bálsamo rosa, angélica.

AQUÁRIO: cânfora, coco, cravo-da-Índia, eucalipto, egípcio, ópio, templum.

PEIXES: amor-perfeito, lótus, eternum, templum, rosa branca, noz-moscada.

*FINALIDADES

Acácia (Mercúrio) - para a saúde e sucesso nos negócios.

Alecrim (Solar) - para acalmar e estimular. Serve também para limpeza de ambientes.

Alfazema (Lunar) - para meditação e limpeza geral. Afasta as larvas astrais.

Almiscar (Vênus) - é usado para seduzir, apaixonar…

Âmbar - básico: serve para iniciar todas as atividades, materiais e espirituais.

Ananda - limpa e pacifica o ambiente.

Bálsamo – harmoniza o ambiente e acalma as pessoas, especialmente as doentes.

Benjoin (Marte) - proteção e prosperidade.

Calandre - auxilia na busca do conhecimento, na concentração e traz toda ternura da sua essência.

Canela - estimula a sensualidade, o apetite e também serve para a prosperidade.

Capim-Cheiroso - ajuda no contato com os elementais e serve ainda para

magias e bruxarias.

Chocolate - aumenta o ânimo e deixa as coisas mais agitadas (alegres)

Crepe-da-China - para seduzir, fazer viagens astrais e meditar.

Dama-da-noite - super-afrodisíaco.

Ervas - para todos os fins.

Eucalipto - purifica o ar e os pulmões.

Floral - alegra e purifica o ambiente. Agrada os Anjos.

Gerânio - para conservar o amor puro e ajudar na realização de bons negócios.

Jasmim - auxilia a abrir os caminhos, no contato com as Fadas e na elevação espiritual. Sua essência espalha ternura. É um dos incensos preferidos pelos Anjos e por Jesus.

Lavanda - favorece os romances e o bem-estar da família.

Lótus (Sol) - para meditação e oração.

Maçã-Verde - para a saúde e a harmonia com os três reinos.

Madeira (Sol) - serve para encorajar e energizar as pessoas e tornar um ambiente exótico.

Mirra - místico por excelência; usado em ocasiões especiais.

Morango - para tornar o ambiente leve. Ajuda a seduzir, estimulando a sexualidade.

Mogra - é indicado para as mulheres prestes a dar à luz, pois ajuda a serenar tanto a gestante quanto o feto. Também beneficia a sensibilidade e estimula a compreensão e a afetividade.

Olíbano - ajuda a superar o rancor, a mágoa; atrai vibrações de prosperidade e sucesso. Tem efeito benéfico nos momentos de dúvida ou de crise profissional.

Ópium - para trazer energia, harmonia, paixão.

Paco - incenso da delicadeza e da fraternidade.

Patchouly - serve para diversos fins: Favorecer paixões, negócios; decifrar mistérios…

Pêssego - traz amizades, sabedoria, simpatia e desperta desejos.

Rosa-da-Índia - afasta as vibrações negativas e traz alegria.

Rosa - incenso muito místico. É um dos preferidos de Maria Santíssima.

Sândalo (Lunar) - incenso da humildade. Muito utilizado pelos Pretos-Velhos e por São José.

Tibetano - próprio para rituais e magias.

Verbena - é o incenso da fertilidade.

Violeta (Júpiter) - transforma e purifica o ambiente. É o incenso da transmutação.

Templum (Sol) - oração, meditação; desperta a mediunidade; auxilia no contato com os Anjos…

(Fonte: Bruxas Angelicais, de Clara Luz)

Segredos da Magia – os dias da semana e a magia 

As missas Cristas de eucaristia, são celebradas ao Domingo. Acha que é mero acaso? Ou haverá uma explicação para esse facto?

Haverá relações entre os dias da semana, e o tipo de trabalho espiritual que se pode celebrar?

Cada um dos dias da semana é regido por influencias astrológicas e forças espirituais especificas. Essas forças espirituais, são o motor que faz operar o processo mágico, e por isso conhecer os seus segredos é fundamental para quem se debruça sobre os temos do esoterismo. Ainda mais, porque cada tipo de influencia espiritual pode ser usada de formas distintas pela magia branca ou pela magia negra, sendo que essa distinção é fundamental para o sucesso ou insucesso de um trabalho espiritual.

Magia e as forças astrológicas

Eis que assim apresentamos a seguinte tabela informativa sobre os dias da semana, e as forças espirituais que eles encerram:

 

Segunda-feira: este dia encontra-se sobre a regência da Lua, e por isso nele governam as forças espirituais de Selene; na magia branca, è um dia favorável a trabalhos relacionados com sucesso no amor e fertilidade; na magia negra, é um dia fundamental para a realização de trabalhos de amarração, desvios de caminhos, criação de ilusões.

Terça-feira: este dia encontra regido pela força espiritual de Marte. Tanto em magia negra, como em magia branca, é por isso um dia favorável a realização de rituais com fins de conquistas, assuntos relacionados com posse, questões de litígios ou conflitos.

Quarta-feira: este dia encontra-se regido pelas forças espirituais deMercúrio. È por isso uma altura favorável a trabalhos mágicos relacionados com a inteligência, a evolução mental, assuntos de viagens e adivinhação. Em magia negra, este dia pode ser usado relativamente a assuntos de intrigas, mentiras, falsidades, roubos, males de inveja ou pragas, etc.

Quinta-feira: este dia é regido por Júpiter. Todos os demais rituais, devem por isso ter uma passagem por este dia, de forma a atrair as forças altamente poderosas que emanam neste período de tempo. Assuntos de prosperidade, vitorias e conquistas devem por isso ser reforçados neste período cronológico, senão mesmo iniciados neste dia.

Sexta-feira: este dia é regido porVénus. Por isso mesmo tanto em magia branca, como em magia negra, este é o dia indicado para a celebração de trabalhos relacionados com o amor, com o erotismo, com a sexualidade. Amarrações, reconciliações, vitorias no amor, conquistas amorosas, encontram-se sobre a regência deste dia e da sua energia. Na magia negra, conjuntamente com a segunda feira, ( dia Lunar), estas são as datas em que se realizam e reforçam trabalhos de natureza amorosa.

Sábado: este dia é regido porSaturno. Saturno é a mais temível das forças espirituais, pois com ele vem as pestes, desgraças, lutos, perdas, ruina, devastação. O poder destruitivo das energias de Saturno é terrível, e por isso em magia branca esta força é moderada de forma a criar protecções, ao passo que na magia negra esta força é ampliada de forma a criar imparáveis malefícios.

Domingo: este dia é regido pelo Sol. Se sábado é o dia mais favorável á pratica de magia negra, ( Saturno potencia enormemente os efeitos dos malefícios),  já o domingo é o seu oposto, sendo um dia ideal para a pratica de magia branca. Recomenda-se por isso que neste dia sejam levadas a cabo a celebração de trabalhos de magia branca. Não é por coincidência, que as missas de eucaristia, que são realizadas com a finalidade de potenciar uma forte invocação de Luz e de Deus, são realizadas ao Domingo.

Nos dias indicados, poder-se-ão realizar trabalhos de magia branca ou magia negra, consoante a natureza da força espiritual que se esta invocando.

Por exemplo:

Júpiter é uma força espiritual e astrológica de Luz, ao passo que Saturno é entendido como uma força espiritual de trevas, com um terrível poder devastador e desolador. Catástrofes, epidemias, coisas ruins em geral tendem a suceder quando a força de Saturno actua em toda a sua extensão. Vénus por outro lado é uma energia ligada ao amor, ao sexo, á luxúria, e por isso trabalhos amorosos ou eróticos, ( magia vermelha), devem ser realizados no dia em que Vénus faz sentir a sua influencia com mais poder.

Por assim ser, cada dia e cada força espiritual podem ser usados para realizar magia branca, ou magia negra, ou magia vermelha, ou qualquer outro sistema magico

PLANETAS E MAGIA

A palavra planeta vem do grego “planetes” que significa “andarilho”. Os planetas são portanto os andarilhos do céu.

Em Astrologia são considerados planetas os dez maiores corpos que compõe o sistema solar e aparentemente orbitam a Terra. Nessa astrologia geocêntrica, mesmo Sol e Lua, respectivamente uma estrela e um satélite, são comumente chamados de planetas.
Sol

Dia: domingo

Elemento: fogo

Cor: dourado, laranja e amarelo

Metal: ouro

Pedra: citrino, topázio e todas as pedras amarelas ou laranjas

Ervas: angélica, açafrão, alecrim, calêndula, canela, genciana, girassol, heliotrópio, laranjeira, lavanda, lótus, louro, manjerona, sálvia, sândalo, tomilho e trigo.
Incensos: limão, olíbano

Atributos: O Sol, assim como no tarô, é o planeta que simboliza as vitórias, as honrarias, a fama, o sucesso. Para quem quer trabalhar com questões ligadas a emprego, soluções rápidas de assuntos profissionais, abertura de negócios e tudo mais que necessite do calor e do brilho do sol, o domingo é o dia indicado para se trabalhar magicamente.


Lua

Dia: segunda-feira

Elemento: água

Cor: branco, prata e tons lácteos

Metal: prata

Pedra: quartzo branco, pedra da lua, pérola (considerada nesta associação como pedra)
Ervas: alfazema, colônia, dama da noite, junco, nenúfar, papoula, rosa branca, sândalo branco, tília.

Incensos: violeta-africana, madressilva, murta, salgueiro, absinto.

Atributos: Planeta associado à magia e aos feitiços.

Óptimo dia para quem precisa meditar, aguçar a intuição, aumentar os poderes psíquicos e a fecundidade, harmonizar o lar e influenciar pessoas do sexo feminino.

Este é o dia associado à Grande Mãe, quando sua energia nos permite trabalhar qualquer aspecto, além dos mencionados acima.


Marte

Dia: terça-feira

Elemento: fogo.

Metal: ferro e aço.

Pedra: granada, hematita, rubi.

Ervas: absinto, alho, artemísia, beladona, cardo, cebola, dormideira, hortelã, manjericão, mostarda, noz-moscada, pimenta, urtiga, videira.

Incensos: sangue-de-drago.

Atributos: Dia do Senhor da Guerra, a terça-feira é indicada para se lidar com questões que envolvam a necessidade de se enfrentar problemas, pessoas ou situações.

Marte dá a coragem necessária para quem precisa lidar com situações chatas ou quer abrir caminhos, construir, vencer ou defender-se, inclusive de ataques mágicos, mau-olhado e feitiços.


Mercúrio

Dia: quarta-feira

Elemento: ar e terra.

Cor: amarelo e marrom.

Metal: alumínio e mercúrio.

Pedra: ágata.

Ervas: acácia, anis, aveleira, camomila, madressilva, margarida, mil-folhas, rosa amarela, sabugueiro, trevo.

Incensos: jasmim, lavanda, ervilha-de-cheiro.

Atributos: Dia regido por Mercúrio / Hermes, a quarta-feira é perfeita para quem quer procurar emprego, estabelecer um negócio (especialmente no ramo do comércio) ou escrever, inclusive cartas, pois este é o dia da comunicação. Mercúrio favorece, ainda, as mudanças rápidas, os estudos e tudo que necessite de inspiração.


Júpiter

Dia: quinta-feira.

Elemento: água e fogo.

Cor: azul-marinho, púrpura e lilás.

Metal: estanho.

Pedra: ametista e turquesa.

Ervas: aloés, cedro, espinheiro, freixo, morangueiro, peônia, sorveira, violeta.

Incensos: canela, almíscar, noz-moscada, sálvia.

Atributos: Júpiter é o maior de todos os planetas, por isso, é utilizado para quem quer expandir algo.

Este é o dia em que podem ser realizados feitiços voltados para a prosperidade, a fartura, o prestígio. Mas há uma ressalva, Júpiter apenas expande o que já se tem, portanto cuidado para não aumentar um problema, em vez de resolvê-lo.


Vénus

Dia: sexta-feira.

Elemento: ar e terra.

Cor: verde e rosa.

Metal: cobre.

Pedra: água-marinha, aventurina, quartzo rosa.

Ervas: açucena, amor-perfeito, coentro, íris, lilás, limoeiro, macieira, malva, manjericão, melissa, rosa, verbena.

Incensos: morango, sândalo, rosa, açafrão, baunilha.

Atributos: Vénus é a Senhora do Amor, portanto, este é um dia excelente para se fazer feitiços, filtros e sortilégios para se conquistar alguém.

A sexta-feira é também um dia propício para questões ligadas à família, à caridade, ao casamento, ao amor-próprio e à fartura.

Dia mais que indicado para aquele banho de beleza!

 

Saturno

Dia: sábado.

Elemento: ar e terra.

Cor: branco, cinza e preto.

Metal: chumbo.

Pedra: obsidiana, ônix, turmalina negra.

Ervas: acônito, arruda, avenca, cactos, cipreste, cominho, funcho, hera, mandrágora, musgo, salgueiro, salsa.
Incensos: sementes de papoula-negra, mirra.

Atributos: Saturno rege os mistérios da vida e da morte. Senhor do karma, trabalha também com a justiça, sendo, portanto, um dia bom para se trabalhar com questões judiciais.

Este é um dia favorável para a meditação, para se achar pessoas perdidas, resolver de uma vez situações pendentes, lançar feitiços contra alguém e fazer divinações.

Muitas bruxas se abstêm de trabalhar neste dia, dedicado a Hécate, Senhora dos Caminhos Cruzados.

OS PODERES MISTICOS DAS PEDRAS

 

ÁGATA - A ágata atrai a sorte em assuntos relacionados com o amor e as paixões.

ÁGATA AZUL - Traz felicidade e sorte. Desperta, activa, favorece e aperfeiçoa o ego. Ajuda a restabelecer o equilíbrio, favorece a Paz e combate o stress.

ÁGATA FOGO - Uma boa ajuda no Amor, proporciona a Felicidade e a Fortuna.

ÁGATA ROSA Atrai riquezas, amor e abundância

ÁGATA ROXA - Favorece nos problemas de Justiça e ajuda a conhecer o verdadeiros amigos

ÁGATA VERDE – estimula autoconfiança, atrai sorte e prosperidade

ÁGATA VERMELHA – purificadora do organismo, tem funções energéticas e da boa sorte ÁGATA PRETA: estimula a coragem e favorece o reconhecimento

ÁGUA MARINHA- É a pedras dos profetas e videntes e magos. Tambem protege os marinheiros. Traz boa sorte, assim como estimula todos os potenciais de uma pessoa. Protege os marinheiros.

AMAZONITE- favorece equilíbrio mental, e amplia o poder do pensamento

AMBAR- Elimina doenças e neutraliza Energias Negativas, junto à pele dá Sorte.

AMETISTA-  afasta medos e negatividade. Pedra da Paz, da Amizade e da Beleza Trata do corpo, mente e espírito, calmante, afasta a negatividade e transmite a paz.

APATITE- Ajuda a eliminar o sentimento de fome e favorece nas dietas.

ARAGONITE- Estabilidade mental e emocional.

AVENTURINA - ajuda no combate ao stress. Associada tambem à imaginação, à criatividade, prosperidade traz o equilíbrio profissional.

AXINITE- Paz de espírito e a compreensão dos nossos principais problemas.Tem um efeito calmante e é eficaz no combate à falta de concentração.

BARITE- favorecedor de relacionamentos, parcerias, associações Protege

BERILO - Reforça a vida espiritual e a esperança

CALCEDÓNIA absorve e elimina as energias negativas.

CALCITE – TIMIDEZ- ajuda na insegurança , timidez e outras fragilidades interiores

CALCITE ALARANJADA – ajuda na memória e favorece a capacidade intelectual.

CITRINO - Pedra de sucesso em todos os caminhos da vida. Proporciona a paz interior. Atrai riquezas, elimina o medo e a angústia

CORAL - protege contra as doenças.

CRISOPRASIO- estimulador da sexualidade, favorece tambem assuntos eróticos

CRISTAL-  purificador, desbloqueador, ajuda na clareza mental, desenvolve a intuição e é altamente energética

DIAMANTE - purifica e limpa a todos os níveis, inclusive sexualmente. O diamente encontra-se profundamente ligado a Vénus. Por favor consulteDeuses  

ESMERALDA- ajuda na beleza físico, assim como em assuntos de riqueza e abundância.

FLUORITE - A fluorite tem propriedades curativas, relaxantes e sedativas,

GRANADA- Activa o apetite sexual, protectora do amor e da paixão.

HEMATITE - Protege contra baixas de energias e auto-estima. É eficaz na regeneração dos tecidos. Recomendável a quem trabalha diariamente com publico.

JADE - O jade é o símbolo da fortuna nos negócios.

JASPE - está associada ao relaxamento à satisfação, tranquilidade e cura. Propriedades mágicas poderosas e curativas

JASPE VERMELHO- Pedra da Saúde. Ativa e melhora o desempenho sexual da pessoa. Representa o elemento terra.

JASPE – BRECHA - Jaspe brecha é a pedra recomendada aos  vendedores

JASPE  LEOPARDO - O jaspe leopardo ajuda na memoria e saúde interior.

JASPE ZEBRA- Pedra da Saúde. È uma grande fonte de energia.

LÁPIS – LAZÚLI (HOWLITE) - A lápis-lazúli atrai a protecção dos poderosos, sejam pessoas, sejam espíritos ou forças celestiais. Também é reconhecidamente tida como a pedra da comunicação, ajuda ao pensamento racional. Muito utilizada na meditação, é eficaz para controlar os problemas emocionais

MALAQUITE - Consola de um amor infeliz e acalma os desejos. Combate o stress e desenvolve a nossa expressão pessoal.

OBSIDIANA- Pedra do Aventureiro. Estimula o desejo de viajar e ver novos horizontes. Ajuda a esquecer amores.

OBSIDIANA FLOCOS DE NEVE -protege contra as magias, bruxarias, malefícios e macumbas

OBSIDIANA NEVADA – Ajuda em questões de justiça, assim como no combate e estados OLHO-DE-BOI – favorece energias que estimulam a confiança e ajuda a abrir portas aos objectivos

OLHO DE TIGRE – protege contra o mau olhado e invejas. Favorece a potencia sexual masculina

ÓNIX – protege de magia negra, bruxarias, influencias ou infestações demoníacas. Afasta pesadelos e actua contra infortúnios

OPALA– favorecedora da fidelidade

PEDRA DA LUA – benéfica para a essência feminia. Ajuda a equilibrar as emoções femininas, ao passo que também potencia os dons espirituais da feiticeira. Ajudam na sedução

PEDRA DO SOL –protege em assuntos familiares, favorece conquistas, oferece abertura de rumos e caminhos

PÉROLA - se usado por quem a merece, abre as portas da felicidade; usada por alguem que não é merecedor, traz lágrimas. É um verdadeiro meio de teste ao verdadeiros sentimentos.

PIRITA - avorece a realização de sonhos e atrai a riqueza.

QUARTZO- efeitos terapêuticos altamente poderosos por ser coadjuvante dos processos regeneradores

QUARTZO AMARELO - atrai riqueza, ajuda em negócios e relacionamentos sociais ou familiares

QUARTZO AZUL- Efeito calmante sobre a nossa mente e alimenta a esperança.

QUARTZO AZUL- ajuda  no desenvolvimento da paciência, tolerância e compaixão. QUARTZO FUMADO - Neutraliza as influências negativas, limpeza da aura. Talismã da Sorte.

QUARTZO ROSA –incentiva o amor, é grandemente atractivo do sexo oposto

QUARTZO VERDE - Protege a saúde e acelera a cura de várias doenças.

RUBI - altamente favorecedor em assuntos amorosos, ajuda no sucesso em geral

SAFIRA - o símbolo da castidade e virtude

SELENITA - símbolo da nobreza

SODALITE – ajuda a superar problemas de rompimentos e separações

TOPAZIO - ajuda em assuntos de amor, amizade e simpatia. Benéfica para todos os assuntos envolvendo afectos.

TURQUESA - Curativa, absorve energias negativas e equilibra emoções e pensamentos. Dá a coragem que leva à vitória Desenvolve a intuição, equilibra o organismo, favorece o bem-estar e a alegria.

UNAKITE – estimula e melhora as relações sexuais, diminui tensões

AS PEDRAS, A ASTROLOGIA E OS DIAS DA SEMANA

 

Segunda-feira: O planeta regente é a Lua e a pedra a Pedra da Lua
Terça-feira: O planeta regente é Marte e a pedra o Rubi
Quarta-feira: O planeta regente é Mercúrio e a pedra a Esmeralda
Quinta-feira: O planeta regente é Júpiter e a pedra o Quartzo Azul
Sexta-feira: O planeta regente é Vénus e a pedra o Quartzo Rosa
Sábado: O planeta regente é Saturno e a pedra Ónix
Domingo: O planeta regente é o Sol e a pedra Citrina.

AS PEDRAS E OS ASTROS

 

SOL - Rubi, granada, rubi estrela, zircão vermelho, quartzo rosa.

LUA - Pérola, pedra da lua, quartzo.

MERCÚRIO - Esmeralda, água – marinha, olivina, zircão verde.

MARTE - Coral, coralina, jaspe vermelho.

VÉNUS - Diamante, safira branca, zircão branco.

JÚPITER - Safira amarela, pérola amarela, topázio.

SATURNO - Safira azul, ametista, lápis – lazúli

PEDRAS

COMO LIMPAR E ENERGIZAR PEDRAS E CRISTAIS

Tanto os cristais quanto as pedras ajudam-nos na meditação, na ampliação do nosso campo magnético, na busca do conhecimento, nas viagens astrais… Transmitem-nos energia, muito mais do que aquela que recebem de nós. É verdade que há uma espécie de troca; digo espécie, porque recebemos em dobro, em triplo e, às vezes, até em décuplo as energias que lhes damos. Nós, os cristais e as pedras somos parte da Natureza, sendo que eles, pela pureza, são mais poderosos e mais iluminados que nós. Contudo, querem nossa integração.

    Recebem a perfeição e a harmonia do Cosmos, sendo por isso, todos os chakras da Natureza. Se nos concientizarmos disso, procuraremos trabalhar com eles, pois os benefícios, deles adivindos, serão incontáveis. Para tanto, basta desenvolvermos nossa intuição, nossa sensibilidade, nossos sentimentos e nossas virtudes; e, assim, canalizaremos todo o Bem, e com eles faremos um Universo melhor. “A gente não escolhe os cristais, eles nos escolhem!”

    Podemos, através deles, entrar na atemporalidade, isto é, ver o presente, o passado e o futuro, como se fossem um só momento.

    Para fazermos brilhar a nossa luz, para ficarmos em estados atemporais, é importante meditarmos com os cristais, ao menos dez minutos por dia. Podemos fazer uso também do Tarot dos Cristais, de músicas, de velas, como recursos auxiliares.

    Os cristais e as pedras servem para: meditar, orar, curar; energizar ambientes, plantas, animais, pessoas; e também para banhos. Você deve ter um cristal só seu. Poderá andar diariamente com ele junto ao corpo ou na bolsa. Vez por outra, deve tocá-lo para que ele se sinta amado, lembrado.

 

COMO LIMPAR E ENERGIZAR PEDRAS E CRISTAIS

 

1. Coloque em uma vasilha água filtrada ou mineral sem gás, três a sete punhados de sal grosso em uma vasilha; a água deve ser bastante para cobrir os cristais e as pedras. Estes deverão permanecer na vasilha por 24 horas, sob a luz solar e lunar. Os cristais e as pedras deverão ser colocados na água às seis horas da manhã para serem retirados no dia seguinte no mesmo horário. Ao retirá-los, lave-os com água corrente, mentalizando sobre eles luzes douradas, brancas e azuis, para que tenham toda a energia e sabedoria universal. A seguir, deixe-os por mais 24 horas no chão, o qual deverá estar limpo.

 

2. Defumá-los por inteiro com incenso-faxina (alecrim, arruda, alfazema…), e depois, com incenso energético (alecrim, cedro, cravo…) ou celestial (templum, eternum…).

 

3. Deixá-los sob chuva bem forte, pois ela ao mesmo tempo limpa e energiza.

 

4. Enterrar bem fundo num vaso de barro ou de porcelana contendo areia da praia, por sete dias, mentalizando, no mesmo horário, energias positivas, luz, sabedoria, poder.

 

5. Tome um banho de alecrim para eliminar suas energias negativas. Depois, inspire e expire pela boca sobre os cristais ou pedras, mentalizando uma luz violeta ou branca, pedindo que sejam afastadas as energias negativas deles e que venham as positivas.

 

6. As drusas limpam e energizam pedras pequenas, colocadas sobre elas. Os quartzos brancos limpam e energizam todas as pedras e cristais.

 

Após cada limpeza, é necessário haver a reenergização.

 

 

ALGUMAS PEDRAS:

 

- Água-Marinha - Cor: verde-azulada. Protege os marinheiros e é muito usada como presente entre namorados. Um Mago só presenteia alguém com uma água-marinha, com uma pérola ou com uma esmeralda quem tenha o “dom”, ou a quem goste muito. Simboliza coragem, paz, pureza, amor. Protege também todo aquele que trabalha com a voz e a palavra.

 

- Amazotani - Cor: azul-esverdeada. Acalma e equilibra.

 

- Âmbar - Cor: amarelo-claro a pardo. É uma pedra de cura e representa,ao mesmo tempo, a força e a imortalidade. Signos: Leão, Virgem,Capricórnio. Elementos: fogo, ar, éter, terra.

 

- Ametista - Cor: violeta. Pedra da renovação; serve para curar e meditar. Usada para melhorar insônia, depressão, dor-de-cabeça, enxaqueca, estresse… Signos: Áries, Virgem, Sagitário, Capricórnio, Peixes. Elementos: água e terra.

 

- Azurita - Cor: de azul-celeste à azul-marinho. Energiza e purifica todos os corpos: físico, mental, emocional, espiritual. Signos: Peixes,Sagitário, Libra, Aquário. Elementos: água e éter.

 

- Aventurina - Cor: verde. Reenergiza e reequilibra. Signos: todos. Elementos: todos.

 

- Citrino - Cor: amarelo-claro, amarelo-esverdeado. É indicada para o tratamento da diabetes e da pele. Signos: Leão, Virgem. Elemento: fogo.

 

- Cornalina - Cor: laranja, vermelha, vermelho-castanho. Traz alegria de viver, bem-estar e é indicada para problemas sangüíneos, sexuais,entre outros. Signos: Áries, Leão, Escorpião. Elemento: fogo.

 

- Crisocola - Cor: azul, verde. Usada preferencialmente pelas mulheres e indicada para magias, encantamentos; para equilibrar emoções e decifrar mistérios. Signos: Gêmeos e Libra. Elementos: ar e água.

 

- Diamante - Cor: incolor, avermelhado, castanho, verde, amarelo, azul,negro. Possui grandes poderes e grandes virtudes; em razão disso, serve para todos os fins e é usada em todas as magias. Está ligada a todos os signos, preferencialmente ao signo de Leão. É, como a esmeralda e a pérola, pedra básica do mundo. Elementos: todos, com destaque especial para fogo. (Lenda do Diamante Cor-de-Rosa)

 

- Enxofre - Cor: amarelo. É ligado às energias de proteção, cura e poder pessoal, pois é uma das pedras básicas da Alquimia e da Magia. Suas virtudes vão muito além do que aqui está exposto, bem assim seu poder. Não deve ser colocado na água para limpeza. Signo: Leão. Elemento: fogo.

 

- Esmeralda - Cor: verde-gema. Era vista como pedra sagrada em diversas culturas. Simbolizava o verde dos campos nos festivais da Grande Deusa.É revitalizadora do físico. Traz benefícios à memória, à eloqüência dos oradores e amplia os poderes psíquicos de seu portador. Associa-se à paz, à esperança, à evolução espiritual e à prosperidade. Signos: todos,destacando-se Leão e Libra. Elementos: todos, pois há sobre esta pedra duas lendas ou verdades. Diz uma que ela foi a primeira pedra do mundo,pois caiu em nosso planeta, desprendendo-se da coroa de um Anjo. Reza outra, que Jesus, depois de ser coroado e glorificado, no terceiro dia quando ressurgiu na Terra, deixou-a aqui, escondida em alguma parte para que ela ajudasse e energizasse a sua humanidade. Feiticeiros mais ousados dizem que ela é “a pedra dos Anjos e das prostitutas”.

 

- Granada - Cores: vermelha, cor-de-rosa, azul e preta (Nome dado a um grupo de minerais). Cada pedra, em virtude da cor diferente, tem também significados diferentes. Vermelha: útero, vitalidade, alegria de viver; cor-de-rosa: amor material e espiritual com toda pureza; azul: evolução espiritual, proteção extensiva!…; preta: pedra alquímica, mágica,podendo ser manipulada para o Bem ou para o Mal. Limpá-la de preferência no sereno e no sol. Contato: chão. Signos: Áries (vermelha), Leão (vermelha e azul), Escorpião (vermelha e preta), Aquário e Libra(cor-de-rosa e azul). Elemento: conforme o signo e a ocasião.

 

- Hematita - Cor: vermelha. Para várias culturas, simbolizava o sangue e o renascimento. Esta Pedra purifica e energiza o corpo físico. Signo:Áries. Elemento: fogo.

 

- Lápis-lázuli - Cor: azul brilhante, índigo. Como a granada, a esmeralda é uma das pedras mais usadas pela Alta Magia e, por isso, é considerada sagrada. Além de curar e purificar, serve para meditar, orar e contribui na busca do conhecimento; protege também aquele que trabalha com a voz. Signos: Touro, Libra, Sagitário, Aquário. Elementos: água,éter e ar.

 

- Malaquita - Cor:verde. Chama a alegria e a esperança. Espanta a inveja, o mau-olhado, o quebranto… Era uma das pedras preferidas por Juno e Afrodite. Signos: Câncer, Escorpião, Sagitário, Capricórnio. Elemento: terra e água.

 

- Obsidiana - Cor: verde, marron, preta. Pedra que serve para todas as magias em virtude de suas diversas cores e vibrações. Virtudes: profecias, adivinhações, talismã. Protege contra os inimigos, ajuda os amigos e é muito usada em rituais que,às vezes, não podem se repetir.

Signos: Escorpião, Capricórnio e Áries. Elementos: água, fogo e terra.

 

- Pedra-da-lua - Cor: incolor, marron-claro, amarela. É também uma das pedras mais sagradas. Faz parte do grupo das pedras básicas. Virtudes: profetizar, ajuda no desenvolvimento da mediunidade e concorre para o êxito das relações amorosas. Na verdade, pode ser usada em todas as magias, praticamente para todos os fins. Reza uma lenda que quando alguém a coloca na boca, durante o primeiro dia de sete luas cheias, este alguém, tal como São Bento e São Cipriano, entre outros, consegue o poder da invisibilidade. Signos: Câncer, Virgem, Libra, Escorpião, Peixes. Elementos: água e ar.

 

- Quartzo - Cor: incolor. Virtudes: desfaz energias negativas, é curativa, amplia dons psíquicos e facilita o contato com o eu superior. Signos: todos. Elementos: todos.

 

- Quartzo fumê - Cor: marron-claro, cinzento opaco, negro. Virtudes: elimina energias negativas e serve como escudo protetor contra elas. Signos: todos, especialmente Escorpião. Elemento: água.

 

- Quartzo rosa - Cor: rosa, todos os tons. Virtudes: ajuda a desenvolver o amor e a sublimá-lo. Protege dos males cardíacos ou os ameniza. É uma das pedras preferidas pelos Anjos. Quem a usar na Lua Cheia ou Crescente pode desenvolver a mediunidade e adquirir sabedoria mais facilmente. Signos: todos, principalmente Libra. Elementos: água e ar.

 

- Rubi - Cor: vermelha. Virtudes: despertar paixões, ambição no bom e no mau sentido, alegria de viver, sexualidade, colabora numa boa circulação sangüínea; protege ou complica os líderes e os amantes. Signos: Áries,Leão, Escorpião, Capricórnio. Elemento:fogo.

 

- Selenita - Cor: branca, acinzentada. Harmoniza os corpos mental, emocional e espiritual. Signo: Touro. Elemento: ar.

 

- Sodalita - Cor:azul, mais pálido e escuro. Equilibra o corpo mental e o corpo emocional e concorre para a evolução do espírito. Signo: Sagitário. Elementos: água e ar.

 

- Topázio - Virtudes conforme as cores: harmoniza os corpos e o ambiente, representa a paz (incolor e branco); evolução espiritual (azul-pálido); ajuda na obtenção de pedidos urgentes – dinheiro – e a adquirir sabedoria (amarelo); favorece os relacionamentos amorosos e ajuda no contato com seu Anjo (rosa); traz a esperança e a serenidade, também é usada para realizar bons negócios e pedir riquezas (verde-pálido); conforme o caso, controla apetites sexuais desenfreados ou estimula a sensualidade e a sexualidade (vermelho acastanhado).

Signos: Touro, Gêmeos, Leão, Escorpião, Sagitário. Elemento: fogo.

 

- Turmalina - Cor:marron, laranja, amarela, violeta, multicor. Tal como a granada, ás turmalinas fazem parte de um grupo de pedras que, segundo os místicos e os estudiosos, figuram entre as mais completas, porque refletem o espectro e atuam nas mais diferentes áreas. Signos: Touro,Libra, Capricórnio. Elementos: terra e ar.

 

- Turquesa - Cor: azul-celeste, azul esverdeado, verde-claro. Virtudes:serve para curar; proteger contra acidentes, perigos visíveis ou não;absorve energias negativas, daí a necessidade de reenergizá-la com um pouco mais de regularidade. Sua cor se altera conforme a saúde ou a doença, a emoção ou a vibração do seu portador. Signos: todos, principalmente Virgem, Libra e Peixes. Elementos: terra, água e ar.

(fonte: Bruxas Angelicais, de Clara Luz)


PEDRAS

O PODER DE ALGUMAS PEDRAS PRETAS

As pedras pretas são muito poderosas, mas é importante, é necessário saber usá-las, porque, tal como o aspirador de pó, elas absorvem as impurezas, isto é, as energias negativas; e assim como o aspirador precisa ser limpo para uma nova e eficaz limpeza, elas também precisam.

A limpeza das pedras pretas precisa e deve ser feita com maior regularidade do que as pedras comuns; afinal, elas fazem a “limpeza pesada”.

 

Algumas coisas são importantes frisar e mesmo repetir. Para usar pedras pretas e cristais, você precisa limpá-los, energizá-los, programá-los,conversar com eles, pedir-lhes ajuda, dizer que os ama, orar por eles e ainda fazer algum pedido específico ou especial. Geralmente é o cristal que escolhe você, mas pode haver reciprocidade. Há um cristal para cada finalidade, mas o quartzo branco é uma espécie de “clínico geral”, assim como o é a rosa branca, o Anjo Gabriel, o banho de alecrim…

 

Estar “astralmente empoeirado” é pior do que estar fisicamente sujo. A “poeira astral” entristece, deprime, dificulta. Os cristais, como os banhos, incensos, entre outros recursos, ajudam você na limpeza e na energização do seu ambiente, da sua aura, de todos os seus corpos, enfim.

 

O preto simboliza a ausência de cores e o seu poder está ligado à capacidade de absorver as energias negativas ou de as repelir. Há uma grande variedade de pedras pretas. Eis algumas, as mais procuradas:

 

- Turmalina Preta: é coberta de linhas verticais, também chamadas linhas condutoras, porque fazem com que a energia circule. Serve também para meditação quando as pessoas estão em estado de choque. Pode ser colocada na base da coluna, tendo um quartzo branco na outra extremidade, o qual pode ser também colocado na nuca. A Turmalina limpa os canais sutis da coluna e trabalha na polarização das energias. Como escudo protetor, repele as energias; por isso, é preciso usar um cristal auxiliar, porque ela, se foi programada para proteger, protege mesmo! Mas é uma pedra bloqueadora; expulsa todo o mal, em compensação não deixa que nenhuma outra energia entre, ainda que boa. Assim acontece também em relação ao banho de sal grosso que faz a limpeza geral, mas precisa de outro banho ou de outro recurso para desbloquear ou reenergizar. Quando você deixar uma pedra preta para limpar o ambiente, deve cercá-la com quartzos rosa,branco e verde.

 

Turmalina - pedra de cura, de limpeza, de polarização de energias e de meditação em casos extremos.

 

- Ônix: estabilizador de energias. Muitos têm medo de usá-la, porque é uma pedra de Saturno e tem fama de ser negativa. Todavia, as pedras são todas positivas, porque são partes integrantes da Natureza e a Natureza é generosa, e no dizer dos celtas, “o lado visível de Deus”; logo as pedras, os cristais atuam sempre em nosso benefício.

 

É importante dizer que as pedras, em geral, devem ser usadas de forma correta, no momento certo, conforme a circunstância. Por exemplo: se estiver deprimido, triste, só, não use Ônix. Contudo, se quiser desenvolver a disciplina e a persistência, aí poderá usá-la.

 

Ônix – pedra própria para psicometria, porque conta com facilidade a história de quem a usava. Em tudo há psicometria.

 

- Obsidiana: é a pedra da revelação. Muito usada por Bruxos, Magos, Profetas e até por “Feiticeiros”. Para esta pedra, nada é oculto. Tem a luz de Haziel e a força de Cipriano; as adivinhações de Ifá… Só não diz a verdade quando as pessoas não estão preparadas para recebê-la ou entendê-la. Os rituais feitos com a pedra não podem ser repetidos e é preciso haver muita concentração. Para esta pedra, nada é invisível.

 

- Cianita Preta ou “Vassourinha”. Este nome popular se deve à sua aparência de espanador e ainda porque realmente ela é a pedra por excelência da “limpeza pesada”.

(Fonte: Bruxas Angelicais, de Clara Luz)

PEDRAS

Pedras Preciosas para Magia e Cura

 

(NOTA IMPORTANTE: É melhor usar a terapia das pedras para tratar males menores como resfriados, gripes, dores de cabeça, dores musculares, etc. No caso de problemas físicos ou emocionais graves ou crônicos, recomenda-se que o poder curativo das pedras e cristais seja usado em acréscimo ao tratamento médico profissional e/ou medicação prescrita pelo médico para acelerar a recuperação.)

 

 

ÁGATA: é uma pedra cristalina semipreciosa que atrai sorte, auxilia na meditação e protege contra o perigo. Como pedra mágica, a ágata tem sido usada em forma de jóia talismânica, fetiche e entalhes sagrados. As Bruxas também a usam em rituais de evocação dos poderes da Deusa. Como pedra de cura, a ágata é usada por curandeiros como purificadora do sangue e tem a reputação de ser eficaz no tratamento de males como epilepsia, febre, cólicas menstruais, doenças estomacais e dores da dentição dos bebês.

ÁGUA-MARINHA simboliza esperança e confiança. O nome significa “água do mar”; usada como amuleto, oferece proteção para marinheiros e outros viajantes marítimos. A água-marinha aprofunda a meditação e a consciência espiritual e, como pedra de cura, tem a reputação de ser eficaz no tratamento de males como ansiedade, tosse, dores de ouvido, dores de cabeça, insônia, laringite, distúrbios hepáticos, glândulas inchadas, dores de dente, problemas de estômago e doenças vasculares. (Para melhores resultados, recomenda-se que a água-marinha seja envolvida em fio de cobre e colocada sob a luz direta do sol por várias horas para absorver a energia prânica solar antes de ser usada como pedra terapêutica.)

ÂMBAR é uma boa pedra da sorte que fortalece a aura, harmoniza e equilibra as energias yin e yang. O âmbar atrai compaixão e pode ser usado como pedra mágica para proteger contra ferimentos acidentais e influências maléficas. Nos tempos antigos, o âmbar em pó era muitas vezes misturado ao mel e óleo de rosas e ingerido como remédio para disenteria, dor de ouvido e indigestão, mas, na atualidade, é quase sempre usado externamente. Como pedra de cura, o âmbar deve ser freqüentemente lavado com água pura de chuva ou água de fonte de montanha para livrá-la da energia negativa absorvida. Muitos curandeiros o têm usado como purificador do sangue, e ele tem reputação de ser eficaz no tratamento da acne, asma, bronquite, depressão, eczema, bócio, perda de cabelo, febre do feno, problemas pulmonares, malária, psoríase, irritação de garganta, úlceras e infecções do trato urinário.

AMETISTA é uma pedra de poder, paz, proteção e espiritualidade. Equilibra a aura, alivia a tensão e traz contentamento e sinceridade para a vida daqueles que a usam. A ametista auxilia o desenvolvimento espiritual e psíquico e pode ser usada como uma poderosa pedra de meditação. Como pedra de cura, a ametista tem reputação de ser eficaz no tratamento de males como alergias, coágulos sangüíneos, tumores cerebrais, diabetes, hidropisia, distúrbios alimentares, glaucoma, alucinações, dores de cabeça, insônia, doença de Parkinson, sinusite, estresse, problemas urinários e doenças venéreas.

AZEVICHE, também conhecido como “Pedra do Exorcismo” e “Pedra do Luto”, é mais popular por seu uso tradicional em jóias de mulheres de luto. Ao ser transformado em pó e queimado, emite vapores poderosos que são usados para exorcizar espíritos demoníacos e aparições desagradáveis. Na Islândia, o azeviche é carregado como um amuleto de proteção contra os demônios. Na África, ele é colocado sob a entrada da casa de um inimigo para amaldiçoá-lo. O azeviche também era usado na Europa medieval para testar a virgindade. Como pedra de cura, tem reputação de ser eficaz no tratamento de males como hidropisia, epilepsia, febre, alucinações, dores de cabeça, histeria, inchaços linfáticos, doenças estomacais e dor de dente.

BERÍLIO é conhecido como “Pedra Mágica” e “Pedra do Vidente”. O berílio amarelo ou dourado aumenta as capacidades psíquicas quando é colocado na testa, na área conhecida como o terceiro olho, ou quando fica na mão esquerda durante rituais de meditação. Há muito tempo que o berílio vem sendo usado por videntes como pedra de exercício de concentração e como pedra para achar água e localizar coisas escondidas ou perdidas. Tem o poder de banir o medo e afiar a mente. Quando usado como amuleto mágico, atrai os afetos do sexo oposto. Como pedra de cura, o berílio tem a reputação de ser eficaz no tratamento da constipação, depressão, diarréia, exaustão, náusea, obesidade e úlceras.

CALCEDÔNIA é uma lendária pedra de sorte. Na Antigüidade, o povo do Egito usava amuletos feitos de calcedônia para se proteger da ira do poderoso Deus Sol e neutralizar o poder do Mau-Olhado. A calcedônia, como pedra de fertilidade, purifica o sangue e os hormônios, estimula as sensações de excitação sexual e auxilia a função sexual, o orgasmo e a concepção. Como pedra de cura, a calcedônia tem a reputação de ser eficaz no tratamento de males como artrite, asma, resfriados, constipação, depressão, epilepsia, exaustão, infecções, doenças pulmonares, cólicas menstruais, distúrbios mentais, circulação sangüínea deficiente e sinusite. A calcedônia pode também ser usada numa bolsinha mojo entre os seios para aumentar o leite materno das nutrizes.

CORAL, uma das mais mágicas pedras preciosas, na verdade não é uma pedra, mas uma estrutura dura, rochosa, criada pelos depósitos de cálcio feitos por minúsculos pólipos marinhos. Dizem que o coral pode ser usado para detectar veneno em alimentos e bebidas, curar hemorragias e proteger o usuário contra raios e outras desgraças. Era comum as crianças da antiga Roma usarem um pedaço de coral num colar para se proteger contra feiticeiros e demônios. Em outras partes do mundo, era usado como amuleto para aumentar a sabedoria e afastar os fantasmas. Entretanto, é provável que o coral seja mais conhecido por seu uso, na Itália, como um poderoso antifeitiço contra o temível mal d’occhio (mau-olhado). O coral é uma pedra sagrada para os povos tribais da Polinésia e ilhas havaianas; no simbolismo dos índios Pueblos, é uma das quatro pedras dementais. No século XVII, o coral era transformado em pó, misturado ao vinho ou água e ingerido, para purificar o sangue, aumentar a beleza e curar fluxos da barriga, disfunções do útero, ataques nervosos, convulsões, definhamento e raquitismo. O coral em pó também era usado nos antigos feitiços contra tempestades e os perigos da alimentação. Como pedra de cura, o coral estimula a energia sexual, auxilia a fertilidade e remove impurezas do sangue e da aura. Tem também a reputação de ser eficaz no tratamento de males como alergias, artrite, asma, infecções da bexiga, deficiência de cálcio, congestão, tosse, depressão, indigestão, problemas pulmonares e fraqueza muscular.

DIAMANTE é o símbolo da fidelidade, inocência, paz e serenidade. Ao ser usado como amuleto mágico, ele evita os pesadelos e traz confiança, sabedoria divina e consciência. Dizem que, quando está na mão esquerda, o diamante evita animais selvagens e venenosos, inimigos e até loucura. Os diamantes são as mais poderosas de todas as pedras preciosas para equilibrar tanto as energias positivas quanto as negativas e têm a reputação de eficácia no tratamento de problemas de acne, gota, condições cardíacas e insônia. (É importante que os diamantes sejam limpos da negatividade antes de serem usados como pedra de cura. Isso pode ser feito, simplesmente introduzindo o diamante na terra ou num recipiente com sal marinho seco por vinte e quatro horas.)

ESMERALDA, o símbolo do amor e da paz, é uma pedra preciosa mística dedicada à deusa sul-americana do amor, Esmeralda. Na Idade Média, acreditava-se que as esmeraldas eram encontradas nos ninhos de criaturas mitológicas meio águia, meio leão, denominadas grifos. Quando usada ou carregada como amuleto, uma esmeralda fortalece o amor, a inteligência, a eloqüência e a popularidade. Acreditava-se que amuletos de esmeralda usados por mulheres grávidas lhes ofereciam proteção contra aborto espontâneo. Outra crença antiga era a de que uma esmeralda colocada embaixo da língua podia dar a um mortal o poder de profetizar. A esmeralda aumenta a sensibilidade mediúnica e, como pedra de cura, tem a reputação de ser eficaz no tratamento de depressão, epilepsia, febre e distúrbios pancreáticos.

FLUORITA aumenta a consciência psíquica e a compreensão cósmica quando é colocada no terceiro olho da testa durante rituais de meditação. Como pedra de cura, a fluorita tem a reputação de ser eficaz no tratamento de males como insônia, distúrbios mentais, problemas nervosos, doença de Parkinson, estresse e tumores cerebrais.

GRANADA, também conhecida como “Pedra da Paixão”, equilibra as energias yin e yang. Ela aumenta a sensibilidade psíquica e a energia sexual. A granada é uma pedra ideal para se usar durante rituais de meditação e pode ser usada como amuleto para atrair amor sexual e almas gêmeas. Quando colocada embaixo do travesseiro ou usada ao dormir, afasta sonhos maléficos. Como pedra de cura, a granada tem reputação de ser eficaz no tratamento de males como anemia, depressão, ulcerações provocadas pelo frio, impotência, cólicas menstruais, nevralgia e paralisia.

HELIOTRÓPIO, uma variedade de calcedônia, também se chama jaspe sangüíneo. Na Idade Média, mágicos e feiticeiros acreditavam na possibilidade de se atingir o estado de invisibilidade através da combinação da pedra heliotrópio (do grego heliotropion - o que gira em torno do sol) com a flor mística girassol. O heliotrópio emite vibrações curativas e traz harmonia para a vida dos que usam a pedra ou a carregam numa bolsinha mojo. O heliotrópio é bem frio ao toque e costuma ser usado para diminuir o fluxo sangüíneo de um ferimento. Como pedra de cura, tem reputação de ser eficaz no tratamento da anemia, febres, hemorróidas, inflamações, picadas de inseto e problemas menstruais. Sabe-se que o heliotrópio também é um estimulante mental e purificador do sangue.

HEMATITA foi usada pelos antigos guerreiros romanos e gregos como um amuleto de proteção contra ferimentos e para aumentar a coragem. Tem reputação de eficácia no tratamento de problemas renais e de bexiga, olhos injetados, pressão alta, insônia e machucados.

JACINTO auxilia as projeções astrais e aumenta os poderes psíquicos. Geralmente é usado ou carregado como amuleto para a obtenção de honra, prudência e sabedoria, assim também como proteção contra envenenamento e ferimentos. Como pedra de cura, o jacinto tem reputação de ser eficaz no tratamento de insônia, doenças pulmonares, pólio e tuberculose.

JADE simboliza paz, tranqüilidade e sabedoria. É também o símbolo da imortalidade e uma pedra sagrada da antiga deusa chinesa da misericórdia. Dizem que se pode alcançar a imortalidade transformando em pó e ingerindo o jade verde. Quando usado como amuleto mágico, ele traz vida longa e evita os pesadelos. Há muito tempo o jade é usado em cerimônias e rituais mágicos de diversas culturas, até mesmo dos antigos maias, que usavam facas sagradas com lâminas de jade em seus infames sacrifícios humanos. O jade preto é usado na magia chinesa, especialmente em práticas de necromancia. Como pedra de cura, o jade tem reputação de ser eficaz no tratamento de males como ansiedade, distúrbios da bexiga e dos rins, dor emocional, medo, indigestão, estresse e problemas urinários.

JASPE é uma pedra energizante que fortalece o intelecto quando usado como amuleto com certas inscrições cabalísticas. Como pedra curativa, o jaspe tem reputação de ser eficaz para purificar o sangue e tratar infecções da bexiga, epilepsia, cólicas menstruais e náusea.

LÁPIS-LAZÚLI, uma poderosa pedra para atrair o amor, é dedicada às deusas Afrodite, Vênus e Isis. Auxilia a meditação e o desenvolvimento psíquico. As bruxas usam-na freqüentemente em feitiços amorosos. Como pedra curativa, o lápis lazúli tem reputação de ser eficaz no tratamento de males como sangramentos, queimaduras, doenças nervosas degenerativas, depressão, epilepsia, males oculares, febre, dores de cabeça, doenças cardíacas, pressão alta, infecções, inflamações, insônia, menopausa, cólicas menstruais, distúrbios mentais, enxaquecas, esclerose múltipla, dores de garganta, estresse, recuperação de cirurgias e inchaços.

MAGNETITA, magneto natural, há muito vem sendo usada por praticantes de magia para estabelecer campos magnéticos que bloqueiam vibrações negativas. Nos velhos tempos, amuletos de magnetita eram usados para proteção contra picadas de cobra. Dizem que uma magnetita colocada no ouvido direito permitirá a um mortal escutar as vozes dos deuses. A magnetita tem reputação de ser eficaz no tratamento de dores de cabeça, defeitos auditivos, pequenos ferimentos e fraqueza visual.

MALAQUITA, o símbolo da criatividade e da mudança, é a mais antiga de todas as pedras de cura. Possui uma vibração equilibrante que recupera nervos esgotados, aumenta a vitalidade, absorve a negatividade e purifica o sangue e a aura. Os antigos egípcios usavam o pó de malaquita como uma poderosa sombra de olhos para afastar o mau-olhado. Eles também acreditavam que a malaquita aumentava o poder psíquico e dava ao homem o poder de comunicar-se com os mortos. Como pedra de cura, tem reputação de ser eficaz no tratamento de infecções da bexiga, cólicas, doenças hepáticas, dislexia, menstruação irregular, espasmos musculares, distúrbios nervosos e paranóia. A malaquita deve ser freqüentemente limpa de todas as energias negativas que absorve ou então ficará insensível, perdendo seu poder de cura. A melhor maneira de limpar a malaquita da negatividade absorvida é colocando-a no meio de um grupo de cristais de quartzo transparentes, por três ou mais horas, e depois untá-la com óleo defrankincense ou mirra.

ÔNIX é uma pedra mística que absorve e transforma energia sem armazená-la, como acontece com tantas outras pedras. Antigamente, era vista como uma pedra de azar e considerada como um símbolo de morte, sofrimento e medo. Um amuleto de ônix protege seu usuário do perigo e infortúnio. Estimula a mente, dá coragem e força, aumenta a sabedoria espiritual e dispersa a negatividade. O ônix é freqüentemente usado para a manufatura de jóias mágicas, estátuas sagradas, instrumentos de altar, pirâmides e fetiches. É governado pelo planeta Saturno e por isso possui uma poderosa vibração Capricórnio/Aquário. Como pedra de cura, o ônix tem reputação de ser eficaz no tratamento de fraqueza óssea, sofrimento emocional, doenças cardíacas, úlceras e problemas cutâneos, dentários, de cabelos e unhas.

OPALA era considerada uma pedra de pureza e sorte no Oriente e também na Roma e Grécia antigas, onde era altamente valorizada para profecias. Na Europa, entretanto, acredita-se que a opala traz azar, infelicidade e morte. Nos Estados Unidos também, opalas são consideradas pedras de azar, exceto quando usadas como amuletos de nascimento por pessoas nascidas sob o signo de Libra. No século XIII, acreditava-se que a opala era uma pedra mágica, com poder de tornar o homem invisível, quando envolta numa folha de louro e segura na mão. Na Itália, durante a grande peste da Idade Média, dizia-se que a opala usada por uma pessoa que tivesse contraído a terrível doença brilhava intensamente e então enfraquecia após a morte do usuário. No século XIX, um anel de opala azarado (ou talvez amaldiçoado) supostamente causou as mortes de Alfonso XII da Espanha, sua mulher, irmã e cunhada. Como poderoso amuleto libriano, a opala aumenta os poderes de clarividência, equilibra a psique, aguça a memória, atrai sorte e empresta ao seu usuário o poder de cura.

PEDRA-DA-LUA, também conhecida como “Pedra da Esperança” e “Pedra do Sonho”, simboliza castidade e pureza e é consagrada à Deusa Tríplice: Diana, Selene, Hécate. Como pedra de magia, a pedra-da-lua é usada em projeções astrais, invocações à Deusa, rituais à lua, rituais meditativos, feitiços de cura e magia de formulação de desejos. Aumenta o poder e a sensibilidade psíquica e equilibra a energia feminina. Como amuleto de atração da sorte, é mais poderosa quando usada por pessoas nascidas sob o signo governado pela Lua, Câncer. A pedra-da-lua é considerada como pedra sagrada da fertilidade, na Arábia, onde é pendurada nos galhos das árvores frutíferas em botão para garantir abundância. Dizem que uma pedra-da-lua dentro de uma banheira com água da chuva tornará fértil uma mulher incapaz de conceber filhos. Como pedra de cura, a pedra-da-lua tem reputação de eficácia no tratamento de cânceres, resfriados, gripes, esterilidade, insônia, menstruação irregular, menopausa e síndrome pré-menstrual.

RUBI, a pedra da coragem e da lealdade, possui intensa energia e é estimulante da sexualidade, vitalidade física, concentração mental e energia emocional. Como amuleto poderoso, o rubi funciona melhor para aqueles que nasceram sob o signo de Leão. Traz paz de espírito e afasta todos os pensamentos maléficos e impuros. Na Idade Média, os rubis eram usados por padres que acreditavam ser a pedra uma grande protetora da castidade. Como pedra de cura, o rubi tem reputação de ser eficaz no tratamento da anemia, envenenamento sangüíneo, câncer, depressão, exaustão, cansaço, infertilidade, leucemia, mordida de cobra, esterilidade e problemas cardíacos, renais e hepáticos.

SAFIRA simboliza harmonia e paz; é uma pedra excelente para usar em feitiços amorosos e rituais de meditação. Quando usada como amuleto, ela traz felicidade, contentamento, e protege seu usuário contra infortúnios, violência, ataques psíquicos e morte acidental. Como pedra de cura, a safira tem reputação de eficácia no tratamento da doença de Alzheimer, queimaduras, doenças nervosas degenerativas, febres, hemorróidas, infecções, inflamações, insônia, esclerose múltipla, sangramento nasal, dor de garganta e úlceras.

TOPÁZIO é uma pedra energizante que estimula o intelecto e dispersa a negatividade. O topázio pode ser usado como varinha de prospecção para localizar tesouros enterrados ou água subterrânea. Quando usada como amuleto, protege seu usuário contra ferimentos ou ataques. Como pedra de cura, o topázio tem reputação de eficácia no tratamento de males como depressão, doenças dos ossos, insônia, disfunções sexuais, choque e estresse.

TURMALINA é o símbolo da vitalidade. Como pedra mágica, pode ser carregada numa bolsinha mojo como amuleto para proteger das doenças; usada como vara de condão para curas psíquicas ou como jóia mágica para atrair um amor. A Turmalina Negra desvia a negatividade, dispersa temores e reequilibra a aura. Ela conecta o físico com o espiritual e reduz raiva, ciúmes e sentimentos de insegurança. É também a pedra ideal para usar em rituais de meditação, além de ter reputação de eficácia no tratamento de males como ansiedade, constipação, depressão, diarréia, estresse e úlceras. ATurmalina Verde tem o poder de atrair dinheiro e sucesso. Como pedra de cura, tem reputação de eficácia no tratamento da constipação, cansaço, febre, gripe, pedras vesiculares, pressão alta, indigestão, infecções, inflamações, dores musculares, inchaços e dores de dente. A Turmalina Rosa,também conhecida como rubelita, acalma, reduz o medo, protege a aura da negatividade e induz um sono pacífico. A Turmalina Melancia cura as emoções, equilibra as energias sexuais e estabiliza as polaridades yin/yang. Como pedra de cura, tem reputação de eficácia no tratamento do câncer e das doenças nervosas degenerativas. A Turmalina Amarela estimula o cérebro, fortalece os poderes psíquicos e aumenta a sabedoria e a compreensão.

TURQUESA é uma pedra mística sagrada para os nativos do sudeste dos Estados Unidos. É uma das quatro pedras elementais do simbolismo dos índios Pueblos, chamando-se “Pedra Celeste” pelos navajos. Na Rússia, a turquesa é a pedra tradicional dos casamentos. Na Arábia é usada como pedra de meditação e, no Oriente, como amuleto protetor para cavalos e cavaleiros. A turquesa deve ser usada nas quartas-feiras para atrair sorte e para se ficar protegido das influências maléficas. Uma turquesa entalhada traz sorte para o lar; dizem que possui o poder de hipnotizar animais selvagens. Costuma ser usada como contra-amuleto de mau-olhado, em feitiços de amor e desejos, e carregada ou usada como amuleto para servir de proteção das picadas venenosas, cegueira, assassinatos e mortes acidentais. A turquesa absorve sentimentos negativos e possui uma forte vibração curativa. Ela muda de cor para avisar seu usuário de problemas de saúde iminentes e tem reputação de eficácia no tratamento de males como asma, queimaduras, doenças pulmonares, febres, pressão alta, inflamações, enxaquecas, inchaços, tensão e traumas.

(Fonte: “A Magia das Velas” de Gerina Dunwich)

 

ÓLEOS ESSENCIAIS

    Os óleos essenciais servem para untar ou ungir velas e você. Servem ainda para relaxar, estimular, energizar, desde sua aura física ao seu espírito. Com eles, sabendo sua especificação, poderá seduzir, enfim, mover céus e terras.

Há um sem número de óleos, mas vou lhe ensinar alguns dos que julgo mais importantes.

    As velas, quando untadas ou ungidas, possuem maior força e poder, sendo assim em relação a você.

 

I. Absinto e Almíscar: para seduzir, sendo que o primeiro leva ao abismo e ao céu; o segundo traz uma sedução cigana, algumas vezes suave, muitas vezes e induz à cumplicidade. Encanta Anjos e Orixás.

 

II. Alfazema: para um sexo tranqüilo e para energizar crianças e adultos.

 

III. Alecrim: afasta as negatividades, acalma as pessoas e o ambiente, quando colocado nas velas ou em você.

 

IV. Heliotrópio e Cânfora: ajudam a desenvolver os dons, os poderes ocultos. O primeiro tem o magnetismo da energia solar.

 

V. Laranja, Mirra, Canela: saúde. O segundo alivia as dores mais intensas, sendo usado em Jesus, segundo a Tradição, na preparação antecipada para sua crucificação. É também um óleo que serve para consagrar, tanto que os “Reis Magos” deram-no de presente ao Menino-Deus por ocasião de seu nascimento.

 

VI. Coco, Canela, Ameixa, Cereja, morango… seduzir, apaixonar, encantar.

 

VII. Lótus e Lírio: pureza, meditação. O Lótus, assim como o Lírio, sendo a flor de Jesus, de Maria e de José, serve também para sagrar e consagrar.

 

VIII. Jasmim: ternura, sorte, bênçãos, proteção dos Anjos e dos Céus.

 

IX. Patchouly e Sândalo: para todos os negócios, sendo o primeiro para um relacionamento exótico.

 

X. Rosa: para ungir objetos simbólicos, hidratar, energizar as pessoas e para consagrá-las, se for o caso.

 

Observação: Para todos os fins – ungir as velas de baixo para cima até o meio e, depois, de cima para baixo até o meio.

Óleo para Prosperidade

Este óleo deve ser preparado, de preferência, em uma quinta-feira oudomingo, de lua crescente ou cheia e deve ser armazenado em garrafa de vidro transparente, azul ou violeta.

Ingredientes:

- Óleo de girassol (450 ml)
- Canela em pó ( 3 colheres de sopa rasas)
- Alecrim ( 3 ramos frescos, ou 3 colheres de sobremesa rasas, se for seco)
- Louro (10 folhas frescas e inteiras)
- Mais uma especiaria à sua escolha, de acordo com a sua intuição, que dará seu toque pessoal 
.

Dentro de um círculo mágico, com uma vela azul escura acesa durante o preparo e posta ao lado dele até acabar de queimar.

Faça seus pedidos durante todo a feitura, para que, quem dele se utilizar venha a prosperar.

Utilize-o em rituais, na unção de velas, na sua alimentação diária, para temperar pratos frios ou quentes; pode ser passado directamente sobre a pele ou em banhos.

( Fonte:Internet. Autoria: Claudia Hauy)


Magia e Flores

SIGNIFICADO OU DAS FLORES
Cada uma flor dez SUA Linguagem e Fala caso.
Eu sabia que cada flor transmite certos fe Conceito e UMA?
São como flores simbólicas de POIs TEM CAPACIDADE expressarem Sentimento e Pensamento NOSSOS você,
traduzindo por ISSO Mensagens diversas.
Mensagem nd nao se engane que queremos transmitir, e dar Conheça significado ou flores.
Conheça a Linguagem floral:

Desde que você tempos Mais foram remoto como a Linguagem das flores Divindades, Bem como Linguagem humanos fazem Outros amor. Mensageiro antígeno como flores ERAM como dois Ou não podiam Falar que transmitem queriam Olhos anos UMA Mensagem de todos. Quem nao uma imagem do Conheça com UMA Imperador César coro louro, chamando para a glória?

Situação não é ano 1600, EM Constantinopla, Origem da “Linguagem das Flores”, mas que seria apenas in 1716 Lady Mary Wortley Montagu, ao contrário dada à Turquia para a Inglaterra, floral Linguagem.

Eu sei que inglês contabilidade hum, hum visita à Turquia não-secular XVIII, teri afirmação FEITO um seguinte: “aqui é podar-brigade, censor, enviar cartas de Paixão, civilidade OU Amizade, OU mais parecido com esta notícia, SEM ter sempre você sujar os dedos tinta com! “. O “código de dois turcos,” sem Palavras OU UMA Linguagem, foi ou o uso de flores para o Expresso Sentimento.

Ou comprados casca e flores para que seguiu traje para França, Onde FOI UMA Linguagem inventado por símbolos composto Florais, o trabalho n’uma concentrada intitulada “Le Langage des Fleurs” OU “A Linguagem das Flores”. Esse trabalho despertou COMPRADOS ou dois poetas Inglês. Numa das obras SUAS Thomas Hood (1799-1845) como discípulos que “Podem dizer Sozinho doze flores ou revelar Paixão temperatura Medo”.

A Linguagem das Flores tornou Mais Complexa e-que-não é consolidou sec. XIX como “Floriografia” entre você Vitória. Só nao flores significam Como Sentimento diferente, para transmitir Verdadeira passam Mensagens características oferecendo Pela forma como estávamos. ASSIM, se manifestar, quando se quer Uma Beleza Admiração Pela senhora, Uma rosa oferecia-vermelha é Aberta. Destinatário é um pusesse SUA não Cabelo, seu amante indicava tivesse cautela ao, env SEUS será Sentimento nao óleos Bem podiam. Levada é uma rosa AO Coração fossa, ou o amor era recíproco.

Jean Bogaudy, salários velhos francês que pesquisou calendários, e fez UMA Compilação dois significados de cada flor. Seu elemento não ARTIGO explica que o significado nd Linguagem das Flores ao Seu simplesmente pura e simples, mas também para atender ou Haveri número de flores enviadas, disposição SUA, ou tie-o caminho … A lista de elementos feitos de velho exemplar do almanaque hum “savoir vivre, savoir faire”, editado Larousse casca de los 1912, do capítulo “Langage des Fleurs” (** ver texto pag dá nenhuma final.).

O simbolismo das flores: das SUAS provém núcleos, formas, perfumes, combinações, número, etc …

Ou dar simbolismo social é flores desenvolvendo junto com foie-ex:

*** Flor, quando ele é transportado para ofers Baixo UMA: invertebrados das Flores está oferecendo recursos ou significado.

*** Quando é ofers SEM UMA rosa Espinho: NAO tem nada a temer dá parte do que ofers.

Rocar com *** Trim, que é dizer “sim” apenas hum dá pétalas da flor dos lábios casca.

*** Quando UMA senhora com recebia flores como Mao Direita: ELA inerente aceitava uma Nelas Mensagem. Fosse com uma Mão Foi porque recusava Esquerda.

*** Um bouquet de rosas vermelha significava “um ágora do Outro são.”

Linguagem é dar flores FOI AO Longo perdendo dois tempos, não entanto Bem contínua actuações ao vivo que fazemos Quotidiano místico-religiosa Mesmer, que Muito bem JÁ Nem Seu Saibamen ou porquê.

ASSIM, como Antigen oferece flores anos faziam Deus, anos Hoje tambem é flores oferecem flores Buckle UO nos santuários sagrados. SAO Muitas procissões acompanhadas de oferendas de flores para um Jogamar não Chão da Passagem OU Outro Virgem santa.

Como estas flores continuam portanto nd NAS religião e mitologias: temos da Virgem como rosas, ou lótus Nefertoum (Egito) OU Brahma (hinduísmo). E Servem de símbolos: uma flor-de-lis para a monarquia francesa, a rosa para François Mitterrand.Na Índia é ou nacional flor de lótus, rosa vermelha-na Inglaterra e de Lencastre, etc …

“Sans femmes à Une cour un printemps sans lembram rosas.”

François Ist Citação

Ou SEJA, “E UMA tribunal como Mulheres SEM SEM UMA Primavera Roses”

FLORES:

ACACIA: O Seu SUA significado da cor depende. Acácia amarela significa amor secreto, rosa branca OU eA representa a constância e elegância.

Alfazema: Uma flor Alfazema (lavanda) é a “calma”. E Muito utilizado los flor UMA Perfumaria.

Amor Perfeito-: I chamamé-LHE francês “pensée”, OU SEJA Pensamento. O significado Seu é ou Meditação, recordações, Reflexão. E Com. de flores UMA popular ou significado de “Amor Eterno”.
Anemone: É UMA flor pequena e triste, que significa abandono.

Anis: Apesar de cabelos Conheça anis Mais licor, este buquê de flores los significa “Promessa” Casamento da SEJA, SEJA de amor eterno.

Azaléia: A Azaléia Diz: “Vigiai-MIM é para” mais tambem representa chineses feminilidade para você. O Seu SUA da cor significado depende.
Azaléia branca: romance
Azaléia Rosa: Amor Natureza
Begonia: São grandes flores e Beleza representamen para “Vem do Coração cordialidade isso.”

Bonina: A flor da Bonina representa ou “Amor confiante” para gravar um SUA enviar para o amado.

Leap-de-Princess: É UMA núcleos com flor Muito vivo e por ISSO significam “superioridade”

Campainha: Resistente, significa perseverança

Camélias: A Camélia branca significa virtude despretensiosa, Beleza Perfeita. Camelia rosa representa a grandeza dá alma ou reconhecimento vermelha ea.

Cardo: amarela e Folhas Tem Espinho, e portanto significa “desprazer” OU “é intratável”.

Cravo: Cravos Geral expressam que você ama, e distinção Fascinação pela ISO nd e usado para lapela flor. Lembras mais, oferecendo recursos para que você possa ser investido, ou seja inverte Seu simbolismo tambem. Os SEUS consoante uma significados SUA cor:
Cravo branco: o Quer dizer cravo branco puro amor, boa sorte e Ingenuidade.

Cravo amarelo: Desprez, desdem.

Cravo-de-rosa, que significa “nunca esquecerei”.
Cravo vermelho: amor incompreendido.

Crisântemo: O Seu significado tambem se move com uma cor:
Vermelho: sendo Apaixonado. Uma flor DESTA Mensagem é “eu amo”.
Amarelo: amor frágil.
Branco: verdades, sinceridade.
Clématite: Beleza espiritual.

Centaurea: Sensibilidade.

Coroa – majestades imperiais e poder.

Cravo-de-defunto (Tagetes): Significa tristeza e luto.

Dália: o significado de acordes Seu varia com uma cor SUA:
Dália amarela: União recíproca
Dália rosada: delicadeza
Dália vermelha: scorching Olhos
Dente-de-Leão: Oracle.

Dedaleira: Falsidade.

Flor-de-lis: usado como um símbolo de dois reis franceses significa Mensagem.

Flores do Campo: Significam equilíbrio e ponderação.

Phlox: Significa harmonia.

Gentian: injusto.

Gerânio: o Seu significado depende da cor.

Gerânio escuro: tristeza.
Rosa gerânio: Preferences.
Gerânio vermelho: console.

Gladiolus: significam Flores encontrado.

Wisteria: ternura significado ornamental de flores.

Girassol: O Girassol representa Força positiva do transmitindo calor do sol e da força. Isso significa dignidade imponente e Glória. A cor representa SUA Felicidade, alegria e Orgulho.
Hera: Fidelidade
Hortensia: Tem Azuis flores, Branco UO rosa. Frieza e indiferença representa, capricho.
Íris: Mensagem.

Jacinto: Seu significado Geral: tristeza profunda. Ou de jacinto demonstrar consistência.

Jasmim: hum possuía perfume Jasmin ou envelope, exótica e afrodisíaca. A sensualidade Noite acentuada. E consideradas ou “rei das flores” devido odor AO SEU. A cor representa a pureza SUA inocência e paz.

Jasmim amarelo: significa amor, elegância Beleza delicada e graciosidade.
Jasmim branco: significa amabilidade.
Jasmin-real: sensualidade.
Laranjeira: A Flor da Laranja e Muito perfumado e meios virgindade e Noiva. Antígeno, um Mandava Tradição que ou buquê de flores da Noiva tivesse laranjeira …

Lavanda: Significa desconfiança.
Lilás: Uma flor Desejo temperatura média ou intensa.
Iris: Um lírio flor símbolo Antigo e hum de pureza e meios Casamento, doçura, inocência, Vossas Majestades.
Lirio-do-it: Meios ou Regresso da Felicidade.

Madressilva: Meios delicadeza.

Magnolia: Natureza significa amor e simpatia.
Malva: É UMA Inglês Origem flor. E o símbolo e tambem dá fecundidade feminina significa ambição
Malmequer: Flor Amarela significado rompimento.

Margarida: Um símbolo da inocência e Margarida, pureza e virgindade. Crianças e das florescer.
Miosotis: Florzinhas Azuis significam que o amor sincero, amor Verdadeiro, Fidelidade.
Narciso: É o símbolo tradicional dá exagerada e não o egoísmo Vaidade.
Lily: Significa pura Coração.
Orchid: Uma UMA Bela Bela flor senhora. Beleza feminina representa a perfeição da pureza espiritual. Mas Sexualidade tambem representa a nossa inequívoca toneladas SEUS.
Papoila: extravagância dizer, Fertilidade. A Papoila amarela símbolo Sucesso e hum de riqueza e.
Peony: Significa timidez.
Nomo proprio perpétua Como mostra da flor ou, representa “Para Sempre”.

Petúnia: Significa hum esclarecer mal entendido.
Primula: significa juventude.
Rododentro: Flor Mais não hemisfério norte e cultivada que significa “elegância”.

ROSAS: uma rosa e uma “rainha das flores” e representa Semper ou amor, NAS SUAS várias formas.

“Eles preferiram ROSAS MESA DO TER AO QUE DIAMONDS Pescoço” Emma Goldman Citação

AS ON ROSES:
Escreveu Shakespeare nd SUA rosas sobre o trabalho como “Romeu e Julieta dizendo ‘: Aquila Rose Xamã, Mesmer que chamássemos QUALQUÉR Outro Nome LHE, também seria doze.”

Uma referência Shakespeare analogia é clara para cor de rosa, mas uma Interpretação SUA prune ao-se claramente estender-se para ser feminina e profundamente amado, OU AO proprio Sentimento mais parecido com este amor.

Na mitologia greco-romana, Afrodite Eros presenteou com UMA rosa, rosa eA simbolizou a partir enta ou amor.

O nome “rosa” deriva etimologicamente do Grego “Rhodon”.Enquanto Rose está profundamente ligada à adoração ou de Afrodite e Vênus. Como pétalas de rosa branca, encontravam-adoração é tambem Associados AO Deus da Isis, Sendo nenhum cabelo Chão ERAM Espalha procissões decorrer das festividades dedicadas à divindade e ESSA. Um ano-Rosa encontrada está profundamente ligada mistérios tambem AO Que É e escondido. Na Tradição Romana, Uma rosa era UMA deslize casa Pendura ao local Onde estavam Sendo OU debatido índice de assuntos confidenciais ocorrendo Ou não deviam se encontrado secretamente a ser interrompidas por Estranho.

Ou calor “a soluçar rose” foi usado para designar que encontrasse Assunto hum soluço Segredo. Como Associate rosa branca FOI EO Seu Filho Isis Horus, Mais tarde, ou o cristianismo como mais como esta Veio Associa-de-rosa pétalas da Virgem Maria Brancas. Diz-da é que grande Aparição aquando Maria los Fátima – Portugal – choveram rosas do Céu.

Como rosas Mais Antiga São provavelmente uma flor a ser cultivada, não estiveram presentes Antigo Egito, Helénica NAS cultura, Antiga Roma na, Europa nd medieval. Monges Mosteiros nos usaram barbatanas-de-rosa para as intervenções terapêuticas e dia Hoje los e hum rosa vermelha do Amor símbolo universal.

Roma Antiga Na, utilizado como rosas ERAM tambem com barbatanas espirituais, você montes decoravam Sendo, Uma acreditava que, apesar de poder acalmar tinham ou duas almas como argamassa.

Ainda hoje, Diz-das conhecem ou aroma de rosas e santidades Sinal, OU tem que sentir cheiro de rosas ou rosas SEM Hajam Perto, e hum Sinal espírito da presença de luz ao nosso lado.

ROSAS E SEUS significados:

Rosa Amarela: significa “Apoio, Amizade, Felicidade” Em tempos Antigo, tambem transmitiam uma IDEIA de cálcio, infidelidade Suspeita e mais como este.

Rosa branca “, Pureza, Paz”. Significado São como Noivas dar rosas, como as rosas do Casamento São felizes da União da lealdade.
Rosa laranja: significa “Fascínio, Encanto”.

Champanhe rosé: significa “Admiração, reverência.”

Rosa Vermelha: significa amor, Paixão, Desejo.

Rosas SEM Espinho: “nao nada ha a temer.”

Uma única rosa: símbolo Simplicidade.

Duas rosas juntos: representamen Compromisso.

Uma rosa Aberta não Botões Pede Dois meio de stealth.

Buquê de 12 rosas para o amor declaração final.

Buquê de rosas vermelha e Branco: representa União.

Bouquet de rosas e amarela vermelha: Sentimento de alegria OU representa Congratulações.

O receptor flor dá-lhe podar dizer “sim”, com hum Rocar cabelo da flor simples dá SEUS lábios …

DICAS SOBRE A Oferenda ROSE:

* Rosas Brancas amarela OU rosas, características e oferecendo Devem ser Jovens Mulheres, env transmitem pureza Ideais.
Rosas ** Vermelho, São Paixão símbolo, e oferecendo funcionalidades Podem ISSO los QUALQUÉR tempo, Faixa etária QUALQUÉR é ou Sentimento ASSIM ou justificar.
*** Rosas laranja, cor-de-rosa e champagne e Senhoras Devem ser de Maior oferendadas maturidade por ISSO digno de reverência.

ROSAS E MAGIC:
Como rosas, como SUAS núcleos e significados consoante OS SEUS escondido, Oferenda Devem ser usadas como altares, rituais que decorrem Onde São comemorado. Pétalas de rosas da cor com um Devem ser Espalha cabelo respectivos altar, como o cabelo do Chão ASSIM locais Trabalhos Onde FOREM realizada esotérico. Inteiras Rosas, Devem ser oferendadas com tambem em conjunto ou “escritório” um Trabalho, Sendo nd cor da corda que oferendadas finalidade do Trabalho com uma Questão de magia em.

Sempre-viva: declaração meio da guerra, Eternidade, imortalidade, permanência
Trevo de 4 Folhas: na Nossa Língua é falasse diria “Eu sei Meu / Minha”.
Tulipa: Um bis Tulipa Sensibilidade representa elegância.
Tulipa amarela: amor SEM Esperança.
Tulip variegada: Olhos bonitos.
Tulipa vermelha: declaração de amor.
Ulmeiro: Beleza divina.

Veronica: Flor ou com Nome da mulher roster enxugou Cristo ou Calvário, significa “martírio”.

Violeta: A violeta azul simbolizam tanto lealdade QUANTO sinceridade guarnição. De maneira nenhuma timidez coloração vistosa e entanto modéstia.
Zinio: Como exuberantes flores zinnias e São significam leviandade.

Segue Extrato do Larrousse em 1922:
Larousse dicionário em dois volumes (1922)
e notas de aula
Nome – Significado – Cor – linguagem simbólica
Absinto – Amargura – verde branco – Você me causa grande dor
Yarrow – Valour – Amarelo – Posso te amo mesmo assim
O Yarrow, um símbolo de relevo é o nome de Aquiles que foi o primeiro a usou para curar uma lesão. É também chamado de grama ou erva de São José dos carpinteiros: o pai de Jesus com o seu avião foi ferida, seu filho foi buscar algumas folhas desta planta e aplicado sobre a ferida cicatriza.
Aconite – Segurança Falso – Azul – Cuidado com um amigo
Suas flores azuis escondem um veneno que os alemães e os gauleses estavam usando para fazer suas flechas mais mortal.
Adonis – Heartache – Branco – Meu coração ferido fecha
Ageratum – Trust – Multicolorido – Você é o bem mais valioso
Althea (malva-rosa) – Love simples – Branco: Amor sem adornos; Rose Aimee secretamente Purple: Lamenta Panachée de amor: A preocupação com o amor
Amaranth – Love Sustentável – Brown Vermelho – Nada me faz cansado
Amaryllis – Fireworks – Rose: Você é muito arrumado, Vermelho: Você é muito cortejada
Ametista – Trust – Blue Light – Acredito firmemente em você
Columbine – Madness, tristeza – rosa ou azul – você me jogar em um grande problema
Anemone – Perseverança – Blue: Eu estou ligado a vós com confiança, Red: Eu acredito no meu amor Amarelo: Meu consistência será recompensado
Anemone era o mais bonito mistletoe ninfas adornavam o tribunal de Flora. Zephyr e Boreas, os deuses ainda em guerra, lutou seu coração. Flora percebeu e mudou seu rival em uma planta que floresce até a primavera. “Assim, abandonou Zephyr, Anemone nunca foi submetido a duras a carícia de Boreas que não conseguiu fazê-la amá-lo agitado, abriu-a e, apesar do desbotamento e fornece suas pétalas fora. “
Angelica – Inspiração – Amarelo – Você é nascido de pensamentos nobres
Anis – Promise – vermelho ou amarelo: Count Me In
Hinos – Love acabado – Branco: No novo amor, Rose: Você não entendeu; Azul: Eu pensei por um momento em que você
Aristolochia – Ambição – Red Purple – Vou levantar para você
Artemisia – fidelidade conjugal – Amarelo – Nada vai desviar-me do meu dever de casa
Arum – Soul – amarelo ou verde – Ouça a sua alma, minha alma anseia por ti
Asphodel – Coração abandonado – Amarelo – Meu coração está arrependido
Aster – Love constante – Azul e Branco: Acredite em mim fundo, roxo: Eu te amo mais do que você
Azalea – Alegria de amar – branca: feliz de ser amado; Rose: Fico feliz em ser amado
Bálsamo – Fragilidade – Color franca: o afeto de ansiedade; Panachée: Afeto Scorned
As sementes de bálsamo no momento da maturidade, foram lançados para o espaço ao menor toque.
Basílio – O ódio, a pobreza – White – Lembro-me o seu desprezo
Begonia – Simpatia – rosa ou branco – cordial amizade
Passo-a-noite – Discrição – Vários – Devem ser tomadas precauções
Betônica – Amizade – Vermelho – Minha amizade é inalterável
Blueberry – Timidez – azul – não me atrevo a dizer que meu amor
Boule de neige – Pride – Branco – Estou orgulhoso de te amo
Borage – Constance Coração – Azul e Vermelho – Aimee longa
Buttercup – Alegria – Ouro Amarelo – Feliz por amor
Heather – Force – Rose – Meu amor é forte
Calceolaria – casamento – Todas as cores – Uma abordagem será feita em breve, devo esperar?
Camellia – Pride – Branco: Você despreza meu amor Red: Eu acho que o melhor; Rose: Estou orgulhoso de seu amor
Camomila – Anexo Loving – Branco – Estou sinceramente anexado
Bellflower – Coquetterie – Violet Blue – Por que me fazer sofrer
Capucine – Indiferença – Amarelo: Você não tem charme; Brown: O seu coração está fechado, Roxo: Você não pode amar
Importados da América do Sul sob o nome de índio agrião ou Peru, que foi introduzida em 1684 na França. É Madame de Maintenon, que recebeu o primeiro buquê das mãos de seu amante real, o rei dom
Knapweed – Novo – Blue – Saiba que eu ainda te amo amor
Chardon – Desgosto – Vários – Isso me ajuda a chorar
Honeysuckle – Links – Branco: Amizades, amarelo ou rosa: Links de amor
Hemlock – Bravery – Blanche – Se for necessário, eu seria afrontar a morte
Cineraria – Dor – Blue: Attachment na dor do coração; Amarelo: lembrança dolorosa; White falou: Mourning cruel
Clematis – Desire – Blanche: Obtendo seu coração; Azul: Eu espero que você sinta
Uma vez que os mendigos se esfregar a pele para simular úlceras e excitar e caridade pública.
Colchicum – Jealousy – Todas as cores – Você não me ver sofrer
O açafrão flor de outono mostra que os bons tempos acabaram.Os frutos contêm uma substância tóxica colchicina,. É por causa do veneno que o açafrão foi assim chamado em referência à Cólquida e, casa do Medea envenenador que, segundo a mitologia foi usado.
Poppy – Ardour frágil – Vermelho – Vamos amar-nos com a maior brevidade
Coreopsis – Rivalidade – amarelo, marrom – você sabe que eu amava sofrem de
Cuco – Atraso – Amarelo – esperar o momento certo
Pico-a-pau – Impaciência – Bright Red – Diga o que você pensa
Crocus – Preocupações – Blue: Eu espero, mas temo; Amarelo: Tranqüilize-me, Vermelho: Eu estou com medo de amar demais, Violet: Você está triste por me amar
Cyclamen – ciúme de beleza, – Vermelho – Sua beleza me desespera
Cypress – Um símbolo de dor, luto e morte
Se esta árvore é o ornamento dos cemitérios que temos para com os romanos. Eles envolveram o corpo de seus mortos nos ramos de cipreste e um deles foi ainda colocado à porta da morte. A madeira para o jogo era também a de cipreste.
Dahlia – Reconhecimento – Vermelho: O teu amor me faz feliz; Amarelo: Meu coração transborda de alegria misturado: Todos os meus pensamentos estão com você
Datura stramonium – Confiança abalada – Azul – Não calúnia
Digital – Ardour – Vermelho – Eu não posso mais esconder meu amor
Edelweiss – Noble – azul, branco cinza – eu vou mantê-lo uma memória pura e nobre
Eglantine – A felicidade efêmera – branca ou rosa – Os dias felizes passou rápido demais
Spurge – Love – Vermelho ou Brown – Foi você que pegou meu coração
Fraxinelle – Gratidão – roxo: Meu coração não se esqueça, Blanche – Meus pensamentos se voltam para você
Fritillary – Admiração – Qualquer Cor – Minha admiração não pode recusar-lhe nada
Fuchsia – Burning Heart – vermelho e branco: Seu amor é minha religião; Red: Eu te amo com todo meu coração; Vermelho e roxo: Meu amor é inabalável
Garance – Calúnia – Red – São calúnias
Gardenia – Sinceridade – Branco – Meu amor é sincero
Scotch – Preferência – Amarelo – Você não pode amar duas vezes
Gentian – Dor – Black – Como eu fugi, você me faz sofrer
Geranium – Sentimentos de amor – Branco: Você não acredita no meu amor-de-rosa ou carne: Estou satisfeito com você, Red: Seus pensamentos não me deixe
Geranium – A poesia do amor – rosa ou branco – Eu estou apaixonado por seu amor
Wallflower – Constance – Blanche – Meu amor é fiel Red Brown: Meu amor não muda; Fire: Eu te amo mais
Gladiolus – Go – rosa ou vermelho – O gladíolo, o centro de um cluster, indica o número de flores, o tempo de um compromisso
É nomeado para a espada em forma (tipo de flor) de suas folhas.
Glicina – Ternura – violeta azul – eu espero por seu amor
Granada: indiscrição.
Prosérpina, filha de Ceres, foi raptada por Plutão, que fez a Rainha do Submundo. Ceres implorou a Júpiter que relatório de sua filha. Ele aceitou a condição de que Prosérpina não tinha comido nada durante seu tempo no subsolo. Agora a menina tinha comido em segredo sete sementes de romã. Um jovem, Ascalaphus, revelou o fato e Prosérpina tinha que ficar no Underworld. Para punir Ascalaphus, Ceres mudou na coruja.
Gueule-de-leão – Desejos – Todas as cores – Venha para o início
Heliotrópio – Anexo – Branco: Eu não quero a sua amizade Violeta: Eu estou confiante
Hortensia – Caprice – Verdi: Deixe-me esperança; Branco: Seu capricho me esforçando
Algumas das magias celtas

FEITIÇOS CELTA

Feitiços & Rituais

Este documento é dedicado a todos aqueles
que buscam a Verdade, a Paz,
a Harmonia, e o Amor
em suas vidas,
por intermédio da Grande Mãe
e Seu Consorte.
Sem causar mal a ninguém.
Que assim seja.

Feitiços – Diversos

Para quebrar um feitiço lançado contra você

Ingredientes:

- 1 punhado de cascas de alho;
- 1 punhado de resina de mirra;
- 1 punhado de resina de benjoim;
- 1 pilão;
- 1 folha de papel;
- 1 lápis;

Dia para realização: 1º Dia da Lua Minguante

Pegue a folha de papel e com o lápis escreva o nome da pessoa que lançou um feitiço sobre você e reserve; Coloque no pilão todos os ingredientes e triture até virar pó. Feito isto, reserve.

Espalhe o pó sobre o nome da pessoa. Enquanto faz isso mentalize a pessoa. Quando tiver espalhado o pó diga em voz alta com toda sua força: “Lua poderosa que mingua, desfaça a imundice que contra mim (Nome da Pessoa) lançou Troco? …quem sou eu para devolver? Deixo nas mãos dos Antigos para que decidam pelo que é certo fazer! Pelo poder do 3 vezes o 3 Que assim seja e assim se faça”.

Feito isto, embrulhe o pó no papel e queime no caldeirão. Quando tudo estiver bem queimado, recolha e jogue tudo num jardim ou bosque distante de sua casa. Deixe o local sem olhar para trás.

Feitiço contra um coração partido

Não dá para trabalhar bem quando se está com o coração partido. Se o corpo emocional não estiver bem, certamente, afetará o físico com dores de cabeça, resfriados, ou vários outros desconfortos. Todos esses estados são metáforas físicas de um coração infeliz.
Se você ficou decepcionada com alguém, se terminou algum relacionamento e está se sentindo só e traída, faça este pequeno feitiço. Pegue óleo de lírio (não o químico, mas o natural). Ponha numa pequena bola de algodão, segure-a, vá até a janela e olhe a lua
crescente ou minguante. Inale o perfume do lírio no algodão aquecido pela sua mão e diga:

“Nunca estou só.
Estou rodeada de amor da Divina Mãe,
a Senhora das florestas, das fontes e das flores.
Nunca me desespero,
Pois sou amada pela Divina Mãe,
E ela está sempre me enviando suas bênçãos.
Nunca estou só ou desesperada.
Os espíritos de meus ancestrais me guardam.
Sou amada e abençoada para todo o sempre.”

Não se apresse ao inalar o perfume. Esse feitiço deve ser feito com calma. Se quiser, pode usar o perfume de lírio durante o dia para não se esquecer de quem é você. Esse perfume é indicado para as pessoas que não conseguem mostrar seus sentimentos, dividi-los com os outros ou pedir ajuda. O lírio é a flor preferida da Deusa, que sobrevive aos tempos modernos como símbolo sagrado da Virgem Abençoada.

Fonte: ‘A Deusa no Escritório’, de Zsuzsanna Budapest, pág. 56

Feitiço para quebrar um feitiço a você lançado

Ingredientes:

- 1 punhado se sândalo moído
- 1 punhado de folhas trituradas de mirra
- 1 folha de papel com o nome de seus inimigos.

Realize este feitiço no primeiro dia da lua minguante,de preferência quando ela se encontrar no signo de Escorpião.Pegue a folha de papel e sobre ela espalhe o pó de sândalo e a mirra,repetindo por nove vezes o seguinte encantamento:

“Lua que tudo leva
Lua que tudo desfaz
Leva longe toda treva
E o nó do feitiço desfaz!”

Após ter repetido por noves vezes este encantamento,leve a folha de papel até um jardim distante de sua casa e enterre bem fundo.Volte para sua casa sem olhar para trás.Com toda certeza,o feitiço lançado contra você voltará para as mãos de quem enviou.

Feitiço do vento
(para maldições jogadas oralmente, as tradicionais pragas)

Um dia com muito vento, pegue um pouco de açúcar , sal e farinha de trigo, coloque tudo na palma da mão e enquanto o vento leva, repita: “VENTO QUE SOPRA NOS CAMPOS , VENTO QUE CARREGA AS SEMENTES, LEVA A MALDIÇÃO A MIM ENVIADA E QUE A ALEGRIA NA MINHA VIDA TU VENTES. E QUE ASSIM SEJA E QUE ASSIM SE FAÇA”

Para repelir energias negativas

Material necessário:

- Espelho
- Vela preta
- Vela branca
- Incenso

Coloque um espelho diante de si. Sente-se à sua frente. Acenda as duas velas em frente ao espelho e medite durante um momento, concentrando-se em purificar as suas energias. Repita isto durante três noites seguidas. Tente também queimar pau de canela, gardênias ou incenso de sândalo. Lembre-se que as velas devem ser apagadas com os dedos. Depois da terceira e última noite, enterre a cera que sobrou das velas.

Proteção Espiritual

Podemos buscar a proteção do Mundo dos Espíritos de três formas tradicionais: através da oração, do ritual e do retiro. A oração estabeleça uma conversa entre a alma do Homem e a Alma da Natureza. O ritual é a conversa da alma da Natureza com a alma do Homem. O retiro, que deve ser feito no campo, é a volta do Homem para o aconchego do seio da Grande Mãe.

Defesa Íntima

Para proteger o quarto de más influencias ferva uma rosa vermelha junto com folhas de limoeiro e borrife pelos quatro cantos e na cama onde você dorme. Isso transforma o quarto num lugar seguro e defendido.

Magia Mimética

Sente-se no chão e coloque os joelhos o mais próximo possível da cabeça. Cruze os braços em torno das pernas e feche os olhos. Sinta-se como um ouriço e seus espinhos, uma serpente enrodilhada ou uma pérola dentro da ostra… Esta é uma postura de proteção mágica. Use-a sempre acompanhada da imagem mental desses animais quando necessitar de isolamento e concentração.

Sortilégio Protetor do Lar

Melhor dia: terça-feira
Melhor lua: minguante

Material necessário:

- 1 vidro com tampa, pintado de preto
- vários instrumentos de ferro e metal pontiagudos
- 1 turmalina negra
- 1 obsidiana
- 1 ônix
- 1 vela preta

Procedimento:

Coloque tudo que foi dito no vidro. Feche-o. Acenda a vela preta sobre a tampa, então diga:

“Eu peço aos Deuses da proteção
Para que estejam presentes comigo.
Que este feitiço seja atado, Para proteger a minha casa
E todos aqueles que vivem comigo.
Pelo poder do 3 vezes o 3 , Que assim seja , E que assim se faça!”

Coloque o vidro em cima da porta de entrada de sua casa. Jamais revele aquilo que existe dentro dele.

Para afastar um mal que nos incomoda

Escreva as palavras-chaves desse problema em uma vela branca, de preferência com mais de 20cm. Acenda a vela e peça aos seres do fogo que queimem esse mal que você quer destruir. Quando a vela acabar, seus problemas terminarão. Assim conta uma antiga tradição da bruxaria galesa.

Toda planta possui seu elemental próprio. Se você tem vasos com plantas em casa e quer conquistar a simpatia do duende que ali habita coloque no vaso balinhas coloridas, amoras ou outras pequenas frutinhas. Dizem que assim eles ficam tão felizes que trazem alegria e proteção para o lar.

Amuleto contra mau-olhado

Guarde pregos, agulhas e outros objetos pontiagudos dentro de um pote fosco e lacre-o hermeticamente. Coloque-o em um lugar bem visível da sua casa, mas jamais revele seu conteúdo. Este é um dos mais potentes amuletos contra
mau-olhado para nosso lar ou ambiente de trabalho.

Dois pedacinhos de canela colocados em forma de cruz na porta ou atrás da escrivaninha formam um bom amuleto protetor para seu local de trabalho. A canela é consagrada ao Sol e esta afasta as trevas.

Uma boa maneira de afugentar as energias negativas de sua casa é colocando na porta de entrada o desenho de uma espiral ou pendurando uma espiral de prata. A espiral é um símbolo da Deusa e funciona como uma armadilha que aprisiona todas as forças negativas.

Feitiço para a proteção do lar

Este feitiço aprisionará entidades negativas antes que possam afetar a harmonia de sua casa. Apanhe um pedaço de papel branco. Ao escrever as palavras abaixo nele, escreva-as em espiral, da borda externa para o centro
do papel.

Escreva: “Todos vocês espíritos intrusos e desarmoniosos, são atraídos para esta armadilha. Do centro vocês só pode retornar para o local de onde vieram”.

Deixe-o sob o capacho da sua porta frontal. Se alguém entrar trazendo tais criaturas, eles serão aprisionados na porta. Esse é um sistema muito antigo, usado pelos povos da Mesopotâmia.

Canto Protetivo

Visualize um círculo triplo de luz arroxeada ao redor de seu corpo enquanto canta:

Estou Protegido por seu poder,
Ó Graciosa Deusa, de dia e à noite.

Gesto Protetor

Você está num lugar público e sente que precisa isolar-se do ambiente. O que fazer? Ponha as mãos para trás e segure com a mão esquerda o polegar direito e com a mão direita o polegar esquerdo. Aperte bem para sentir a pulsação. Pronto, você fechou-se interiormente e está em segurança. Sinta o pulsar dos dedos e a tranqüilidade crescendo, crescendo…

Talismã para neutralizar feitiços

Melhor dia: segunda-feira ou terça-feira
Melhor lua: minguante ou Lua nova (3 dias ou mais após sua entrada)

Material necessário:

- 1 saquinho preto
- 1 turmalina negra
- 1 quartzo branco
- 1 obsidiana
- 1 pedra da lua
- 1 hematita
- 1 pedra olho de gato
- 1 granada
- mandrágora ou ginseng
- artemísia seca
- alfazema
- alecrim
- louro
- verbena
- erva doce
- 1 pentagrama pequeno de metal
- fita e linha preta

Procedimento:

Energize todas as pedras deixando-as 24h. na água com sal, 24h. em baixo da terra e 10 minutos no sol. Após energizá-las, coloque-as no saquinho pedindo aos Deuses que todos os malefícios e energias e energias
negativas sejam afastados do seu caminho. E então, colocando pedra, por pedra no saquinho diga para cada uma: “ Turmalina negra, para neutralização das energias negativas, Quartzo branco, para estabilidade Obsidiana, para absorção das energias maléficas Pedra da Lua, para poder e magia Hematita, para combater as influências contrárias Olho de gato, para proteção Granada, para superação das dificuldades” Coloque então as ervas no saquinho, pedindo para que elas possam trabalhar energeticamente à seu favor, lhe protegendo. De 7 nós na fita preta pedindo proteção, coloque-a no saquinho e feche-o. Com a linha preta costure o pentagrama de metal do lado de fora, de forma que fique bem visível. Consagre magicamente este talismã.

Para proteção

A melissa afasta os pesadelos e confere sonhos alegres quando colocada debaixo do travesseiro. Ela deve ser usada seca e guardada num saquinho de algodão ou seda branca. Com ela se fabrica também uma coroa de ramos secos para ser usada em meditação e trabalhos mágicos. Esta coroa vegetal evita maus pensamentos e protege contra influências estranhas vindas de fora.

Feitiço para achar um emprego

Serão necessários:

- 1 vela astral para representar você mesma
- 1 vela verde para a prosperidade
- 1 vela preta para remover obstáculos e
- 1 vela marrom para o emprego propriamente dito.
(Cada vela deve ser colocada num suporte).
- óleo de patchuli e de canela para as velas.

Acenda um bom incenso de prosperidade. Unte a vela preta da base ao pavio com o óleo de patchuli; coloque-a num suporte. Limpe o óleo de patchuli das mãos; ele não deve estar nas outras velas. Unte as velas verde, marrom e astral do pavio à base com o óleo de canela e coloque-as num suportes. Coloque a vela preta no centro de seu local de trabalho, a marrom à esquerda e a verde à direita. Deixe a vela astral acima da vela preta. As velas devem estar sobre uma superfície segura, pois deverão queimar por completo.

Acenda a vela astral e diga:

“Eu peço mudanças; é meu direito. Abra caminho, limpe minha visão”.

Acenda a vela preta e diga:

“O azar foge. Os obstáculos caem. Os invejosos desaparecem! Ouçam meu chamado!”

Acenda a vela verde e diga:

“Boa sorte e prosperidade são minhas. Ajudem-me, ó Grandes. Venham a mim”.

Acenda a vela marrom e diga:

“Vejo oportunidades ,trabalho e recompensas. E o que desejo deverá acontecer”.

Deixe as velas queimando completamente e livre-se da cera depois. Todas as noites, durante uma semana, ou até que a vela se acabe, acenda uma segunda vela marrom por nove minutos enquanto medita e obtém equilíbrio preparando-se para o bem, e certamente o emprego virá. Durante esse período procure ativamente por um emprego. Ouça suas premonições e siga qualquer dica.

Feitiço para obter sucesso financeiro

Ingredientes:

- Uma nota de qualquer valor
- Uma pequena pedra de pirita
- Um punhado de Sal

Preparo:

Deixe a pirita dormir por três dias imersa no sal, no 4º dia segure-a com firmeza imagine a pedra vibrando em sua mão e faça seu pedido, você sentirá uma leve tontura, agradeça a mãe Terra coloque a nota em baixo da pirita, e logo o dinheiro esperado virá deixe em um local secreto até que consiga a quantia desejada.

Feitiço de Amor

- 1 garrafa de vinho tinto
- 1 colher de sopa de mel
- 10 gramas de pétalas frescas de rosa vermelhas
- 2 pequenos quartzo rosa
- 9 gotas de orvalho
- 1 pitada de canela em pó

Procedimento:

Realize esse feitiço numa noite de lua crescente , de preferência quando ela se encontra no seu signo de escorpião.
Retire todo vinho da garrafa e coloque-o em seu caldeirão .Aos poucos acrescente os outros ingredientes , tomando o cuidado de, a a cada um colocado , repetir o seguinte encantamento:

“Que a lua enfeitice a bebida,
que as estrelas a tragam pra mim.
Que Circe nela habite, rosa no jardim!”

Após colocar o ultimo ingrediente, pegue sua colher de pau e misture a bebida por nove vezes , repetindo o mesmo encantamento. Coloque tudo de volta à garrafa , arrolhando-a muito bem . deixe a garrafa tomar sereno de sete luas retirando-a sempre antes do nascer do sol. Passado o período de tempo exigido , coe a bebida, recolocando depois o vinho coado na garrafa, com as duas pedrinhas de quartzo. Arrolhe e guarde-a em um lugar longe do alcance de terceiros, ofereça esse vinho a pessoa desejada, lembrando-se de repetir o encantamento na hora em servi-lo . com certeza você conquistara quem deseja!

Também não deves esquecer a lei tríplice…

Obs.: o encantamento apresentado pode ser substituído por um outro que você mesmo pode escrever.

Glamour

No filme “The Craft” de 1996 podemos ver um feitiço que permitia que uma pessoa mudasse radicalmente as características da aparência para se disfarçar. Elas se referiram ao feitiço como “glamour”, e fizeram parecer muito fácil. Como a maioria das coisas retratadas por Hollywood, o feitiço muito simplificado, embora continue baseado num principio celta.

Quando os celtas chegaram à Irlanda, as lendas nos dizem que eles encontraram a Emerald Isle habitada por uma raça divina de seres chamados de Tuatha De Danaan. Incapazes de impedir a invasão, os Tuatha foram para o subsolo da terra e se tornaram uma raça feérica mítica da Irlanda. Existem estórias sobre seres mágicos que andam entre os homens e se disfarçam em momentos de perigo.

Isto ficou conhecido como glamoury, o véu de ilusão que os Danaan usavam quando precisavam se proteger dos humanos. A palavra se modernizou para o inglês glamour, um termo usado geralmente para mulheres bem arrumadas, ou seja, usando um véu de ilusão.

O glamoury ainda faz parte dos feitiços celtas. Mesmo que o propósito original tenha sido esquecido. Esta era a versão celta da shapeshifting . Enquanto sob o véu encantado do glamour nos podemos nos tornar as deidades dentro de um ritual. Podemos usa-lo para nos mesclar ao chão, ficando praticamente invisíveis, ou nos mudar de forma que realcemos nosso carisma.

O Feitiço

Para fazer este ultimo tipo de glamour você precisará:

1. de um espelho (de preferência um utilizado apenas para propósitos mágikos),
2. uma vela vermelha
3. uma vela verde
4. alguma coisa que possa ser o talismã que ativará o feitiço. Um colar é o ideal, pois ele fica no centro do corpo e pode ser visto por todos. Peças de prata funcionam bem e também jóias com diamantes, opalas e jade. Seu perfume preferido também funciona bem neste caso.

Procedimento

Faça o feitiço à noite, com tanta escuridão quanto for possível. Feche um pequeno circulo e sente-se no meio, de frente para o oeste, o centro tradicional celta para os Tuatha.

Coloque o espelho na sua frente com as velas atrás de você, uma de cada lado, formando um triângulo com você no meio.

A vela verde é a vela do planeta Vênus, que rege a beleza pessoal.

A vela vermelha tem a cor da paixão e irá ajudar a projetar seu carisma.

Mantenha essas associações em mente, mas mantenha as velas fora de vista. A idéia é ter um pouco de luz para que se veja no espelho, mas não o suficiente para que ela esteja clara no reflexo.

Peque o amuleto e o segure firme entre as mãos, respire fundo algumas vezes e relaxe, olhe então para o espelho e visualize sua imagem mudando para aquilo que você quer. Ao fazer isso, jogue a energia no amuleto a medida em que sua imagem muda, pois este amuleto será o que ativará o feitiço.

Não se assuste se a imagem parecer tomar vida própria.

Quando estiver satisfeita com a imagem que você moldou no espelho, coloque o amuleto sobre a área cardíaca e jogue a energia dentro dele. Visualize que ele se torna o ativador do feitiço sempre usa-lo. Sele o feitiço repetindo a rima:

“From burrow dark and lake-world deep,
Faeries slumbering rise from sleep,
Sometimes here, now sometimes there,
What I will is the face I wear”.

Apague as velas as proteja para que a energia não disperse até que o feitiço seja feito novamente. Repita o feitiço sempre que achar necessário para reforçar a imagem que você quer projetar.

Sortilégio das velas pretas para dinheiro

Melhor dia: sexta-feira ou quinta-feira
Melhor lua: cheia ou crescente

Material necessário:

- 2 velas pretas
- óleo essencial de sândalo, cravo ou almíscar

Procedimento:

Com o Punhal, grave nas duas velas palavras ligadas à estabilidade material como: DINHEIRO, FORTUNA, RIQUEZAS, SUCESSO, PROSPERIDADE, etc. Acenda as duas velas e segure-as nas 2 mãos fortemente, sempre mentalizando aquilo que você quer. Quando os dedos começarem à pulsar apague as duas velas, sem assoprá-las. Repita o processo com as mesmas velas durante 7 dias, seguidos, após os quais elas deverão queimar até o fim.

Sortilégio do vinho para dinheiro

Melhor dia: quinta-feira
Melhor lua: cheia ou crescente

Material necessário:

- 5 velas azul marinho
- 1 pratinho com canela em pau
- 1 pratinho com canela em pó
- 5 moedas
- Taça do altar com vinho

Procedimento:

Coloque as 5 moedas sobre o altar em forma de Pentagrama, em cima de cada moeda coloque uma vela. Dentro da estrela formada pelas velas, coloque a Taça com o vinho. Ponha o pratinho com a canela em pau do lado direito da estrela e a canela em pó do lado esquerdo. Faça o seguinte encantamento: “Deusa e Deus Mãe e Pai, Peço que a Cornucópia da Prosperidade Esteja presente em minha vida. Que eu conquiste sucesso, riquezas e fartura. Que eu seja feliz. Que tudo isso seja correto e para o bem de todos, Pelo poder do 3 vezes o 3, Que assim seja , E que assim se faça.” Beba um pouco do vinho, mentalizando uma forte luz que entra pelo Chacra Coronário e percorre todo o seu corpo. Imagine essa luz envolvendo todo o seu ser, e o local onde você está e aos poucos ela se torna dourada. recoloque a taça no lugar

Talismã para neutralizar feitiços

Melhor dia: segunda-feira ou terça-feira
Melhor lua: minguante ou Lua nova (3 dias ou mais após sua entrada)

Material necessário:

- 1 saquinho preto
- 1 turmalina negra
- 1 quartzo branco
- 1 obsidiana
- 1 pedra da lua
- 1 hematita
- 1 pedra olho de gato
- 1 granada
- mandrágora ou ginseng
- artemísia seca
- alfazema
- alecrim
- louro
- verbena
- erva doce
- 1 pentagrama pequeno de metal
- fita e linha preta

Procedimento:

Energize todas as pedras deixando-as 24h. na água com sal, 24h. em baixo da terra e 10 minutos no sol. Após energizá-las, coloque-as no saquinho pedindo aos Deuses que todos os malefícios e energias e energias negativas sejam afastados do seu caminho. E então, colocando pedra, por pedra no saquinho diga para cada uma: “Turmalina negra, para neutralização das energias negativas, Quartzo branco, para estabilidade Obsidiana, para absorção das energias maléficas Pedra da Lua, para poder e magia Hematita, para combater as influências contrárias Olho de gato, para proteção Granada, para superação das dificuldades” Coloque então as ervas no saquinho, pedindo para que elas possam trabalhar energeticamente à seu favor, lhe protegendo. De 7 nós na fita preta pedindo proteção, coloque-a no saquinho e feche-o. Com a linha preta costure o pentagrama de metal do lado de fora, de forma que fique bem visível. Consagre magicamente este talismã.

Feitiço Neutralizador

Esse é um feitiço que se destina a quebrar feitiços mandados por outra pessoa. Deve ser sempre realizado pela pessoa atingida. Você vai precisar de um vidro com tampa de metal, um pouco de água de fonte, doze agulhas de aço virgens e um pequeno fogareiro. Encha o vidro com a água, coloque dentro todas as agulhas e tampe-o muito bem. Deposite p vidro sobre as brasas do fogareiro e deixe-o esquecer até que o vidro exploda. Quando colocar o vidro no fogareiro, repita o seguinte encantamento: Que minha vida a água purifique, Que todo pesar vá embora, Que forte como aço eu fique, E que o bem retorne agora! E que assim seja, E assim se faça! Nunca realize esse feitiço dentro de casa, nem próximo a ninguém, pois, com a explosão, as agulhas e os cacos de vidro voarão. portanto, nem você deverá estar perto. Depois de explodido o vidro, recolha tudo, embrulhe num pequeno pano branco e enterre na mata.

Proteção para antes de Feitiços

Você precisa de 2 velas azuis, uma outra de qualquer cor (representa você) e óleo de alguma madeira, visualize você entrando em transe, coloque sua vela no centro e unte as velas com o óleo e coloque uma vela azul do lado direito da sua, e outra do esquerdo, acenda as velas azuis, depois a sua e diga:

“Guias espirituais, protetores dos seres, me escutem
Venham até mim e me protejam
Observem-me durante esse ritual e me cubram com sua proteção”.

Sente-se em uma posição confortável. Limpe sua mente de pensamentos. Inspire e expire profundamente. Relaxe e feche os olhos.Faça seu terceiro olho mudar de cor, em ordem: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, bege, roxo e branco. Conte até 5 antes de mudar de cor. Visualize sua respiração ritmada em forma de ondas e traga seu anjo protetor ou guardião) até você, chame-o Visualize uma porta se abrir em um lago, entre na porta e quando encontrar seu guardião, converse com ele, confie em suas respostas. Saia da porta, feche-a e diga:

“Voltei à Terra,
Obrigado Guardiões e meu protetor!”

Apague sua vela e depois as azuis.

Esse feitiço básico é ótimo para quando se for fazer um feitiço avançado.

Feitiços de proteção

Para afastar o mal que nos incomoda escreva as palavras-chave desse problema em uma vela branca , de preferência com mais de vinte e seis centímetros. Acenda a vela e peça aos seres do fogo que queimem esse mal que você quer destruir. quando a vela acabar seus problemas terminarão. Assim conta uma antiga tradição da bruxaria galesa .

Para atrair criaturas pequeninas como Gnomos, Fadas e Elfos coloque em seu altar mel , leite , gengibre e cristais.

Uma boa maneira de afugentar as energias negativas de sua casa e colocando na porta de entrada o desenho de uma espiral ou pendurando uma espiral de prata. A espiral e um símbolo da Deusa e funciona como uma armadilha que aprisiona todas as forças negativas.

Para atrair os espíritos guardiões costuma-se enfeitar a casa no ultimo mês do ano com um arranjo feito com todos os tipos de conchas. Coloque no centro do arranjo uma vela verde. Quando o final do ano se aproximar acenda a vela e peça que seus guardiões mágicos protejam seu lar durante todo o ano que vai entrar.

Para proteger o quarto de mas influencias ferva uma rosa vermelha junto com folhas de limoeiro e borrife pelos quatro cantos e na cama onde você dorme. Isso transforma o quarto num lugar seguro e definido.

A melissa afasta os pesadelos e confere sonhos alegres quando colocada debaixo do travesseiro. Ela deve ser usada seca e guardada num saquinho de algodão ou seda branca. Com ela se fabrica também uma coroa de ramos secos para ser usada em meditação e trabalhos mágicos. Estas coroa vegetal evita maus pensamentos e protege contra influencias estranhas vindas de fora.

Visualize um circulo triplo de luz arroxeada ao redor de seu corpo enquanto canta:

“Estou protegido(a) por seu poder, o graciosa Deusa, de dia e a noite. “

Outro semelhante: visualize um circulo triplo e entoe:

“Três vezes ao redor do circulo, que o mal afunde no solo.”

Feitiço da paz e felicidade pessoal

Este feitiço aprisionará entidades negativas antes que possam afetar a harmonia de sua casa. Apanhe um pedaço de papel branco. Ao escrever as palavras abaixo dele, escreva-as em espiral, da borda externa para o centro do papel.

Escreva: “Todos vocês espíritos intrusos e desarmoniosos, são atraídos para esta armadilha. Do centro você só pode retornar para o local de onde vieram”.

Deixe-o sob o capacho da sua porta frontal.Se alguém entrar trazendo tais criaturas,eles serão aprisionados na porta. Esse é um sistema muito antigo,usado pelos povos da Mesopotâmia.

Feitiço de amor para o Halloween

Conforme a lenda, faz sonhar com a pessoa que será sua próxima paixão

Na noite de 31 de outubro coma uma maçã e separe as sementes. Pegue sete ramos de artemísia (estragão). Coloque um na janela, em oferecimento às divindades do amor. Guarde os outros seis debaixo do travesseiro, junto com as sementes. Tome um banho em água com pétalas de rosa e três gotas de essência de verbena. Antes de dormir, segure a artemísia e as sementes na mão e invoque as divindades do amor assim:

‘Sagrada Artemísia
Sementes da magia
Revelem-me o amor
Com todo o seu ardor’

Fonte: Revista Época – http://revistaepoca.globo.com/Epoca

Magia com auxílio dos Gnomos

Faça uma caixinha com uma casca de Noz e coloque ali 3 trevos de três folhas, 3 grãos de milho, e um cristal, enterre o tesouro e ofereça aos gnomos da terra. Eles ficarão tão felizes com o presente que retribuirão generosamente com a energia da Prosperidade.

Feitiço para conseguir um emprego

Use um quadrado de tecido verde. Encha-o com louro e alfazema. Adicione quatro outras ervas regidas por: *Mercúrio – para um emprego que envolva comunicação. * Lua – para um emprego que envolva a cura, saúde ou trabalho de mulheres ou psicologia.* Júpiter – para um emprego que envolva liderança e responsabilidade ou a lei. *Marte – para um emprego que exija ação agressiva e positiva. * Sol – para um emprego ao ar livre, em agricultura, ou na natureza, ou trabalho agradável e calmo. * Saturno- para arquitetura, história ou qualquer outro emprego onde você estará limitando a ação ou a liberdade de outros (trabalho policial, por exemplo.) Adicione uma moeda de prata, para a fortuna, e retratos e quaisquer instrumentos importantes que você possa usar em seu trabalho. Amarre-o com um fio roxo.

Feitiço para ter Harmonia no Amor

Escreva num papel com lápis vermelho o seu nome e o nome da pessoa que ama, desenhe um coração em volta dos nomes. Dobre o papel formando um quadrado, enterre-o num lugar onde crescem plantas silvestres e fale: “Amor na verdade, verdade na beleza, beleza no amor”. Repita essa frase duas vezes por dia, durante dois dias.

Feitiço para fazer uma boa escolha amorosa

Coloque pétalas de rosas secas num saquinho de seda cor-de-rosa, amarre-o. Acenda duas velas cor-de-rosa e diga: “Este ou aquele, tenho que escolher. Deusa, guie minha escolha, para eu não me perder”, sinta o suave perfume das pétalas de rosas e use o saquinho junto ao corpo.

Feitiço para resolver um problema amoroso

Faça um altar pondo sobre uma mesa uma toalha vermelha, uma vela branca no Sul, um incenso no Leste, uma taça com água no Oeste e um cristal no Norte, representando os quatro elementos. Concentre-se no desejo que queira ver realizado. Acenda a vela e leve o incenso até a sua chama e diga: “Assim como transformo fogo em cinzas, vou transformar ….. em …..”

Feitiço para encontrar um amor

Numa noite de Lua Nova segure meia casca de ovo e balance-a sobre um prato com terra. Encha a casca de ovo com a terra e ponha nela uma semente qualquer e diga: “Vou plantar a semente do meu sonho na terra fértil e fazer uma colheita de amor e felicidade”.

Feitiço se perdeu um amor

Queime um pouco de sáliva e na sua fumaça segure uma pena branca. Com ela varra o seu corpo todo, de cima para baixo, para limpar sua aura. Mude a posição de seus anéis, pulseira, relógio, invertendo o processo de receber e dar energia (o lado direito dá e o lado esquerdo recebe energia) por uma semana. Durante este período mentalize o desejo de transformar tristeza em alegria. Este encantamento faz com que você inicie um processo de renovação.

Feitiço para atrair amor

Num dia de Lua Nova acenda uma vela roxa. Ponha perto um copo de água. Acenda um incenso de rosa ou jasmim. Pense num coração cor-de-rosa, pulsante, e diga: “Quando penso neste coração tão cheio de alegria, sinto o começo do amor e da felicidade percorrendo o meu ser”.

Feitiço do Amor de Afrodite

Em uma sexta feira de lua cheia pegue:

- 7 velas vermelhas,uma taça de mel
- uma corda grande o suficiente para dar 7 nos
- uma fita vermelha
- petalas de rosas
- um objeto pessoal da pessoa que deseja enfeitiçar (anel, cordão…).

Pegue a corda e dê 7 nos, sendo que o primeiro deverá se unir ao ultimo, para cada nó que der repita um dos 7 versos do encantamento de Afrodite (que está no final do feitiço). Junte uma ponta a outra formando um circulo, jogue as pétalas dentro dele e no meio o cálice com mel. Coloque o objeto do seu amado dentro do cálice, pegue as velas e para cada nó acenda uma começando pelo primeiro, para cada vela repita um verso do encantamento de Afrodite, depois de acender todas faça a seguinte oração: “Que as forças do céu e da terra, da água e do fogo levem a minha mensagem a Afrodite pelo poder de três vezes, toda verdade vira ação, pelo poder de três vezes, três dos meus pedidos se realizarão. Que assim seja!”

Deixe as velas queimarem até o final, tire o objeto do mel e o enrole na fita dando sete nós, para cada nó um dos versos do Encantamento de Afrodite para completar o poder de três vezes três. Jogue o mel e as pétalas em água corrente, enterre o objeto com a fita e guarde a corda, se desejar desfazer o feitiço tire os sete nós da corda.

Encantamento de Afrodite

“Que ressalte em mim os encantamentos de Afrodite”
“Para tornar-me vinho da embriagues de …. (Nome da Pessoa)”.
“Para torna-me fonte única para curar sua sede”
“Que minha voz seja o canto da sereia”
“Para tornar-me guia do seu coração”
“Que seja devolvida a taça que lhe servi”
“Para que venha me procurar”

Feitiço para conquista qualquer pessoa

Pegue 1 xícara de pétalas de rosas de jardim, 1 pauzinho de canela, 2 colheres de mel e 2 xícaras de água. Em uma noite de lua cheia, ferver as pétalas de rosas, a canela, e o mel fazendo um tipo de chá….beber ainda quente que você ficará irresistível.

Encantamento para afastar energias negativas

Faça um chá com casca de maçã, hortelã e mel. Tome o chá e concentre-se que as energias negativas estão indo embora.

Feitiço para saber as intenções

Se você quer saber se aquela pessoa te ama, ou se está apenas querendo se divertir com você, é simples: quando ele te der flores, coloque-as em água fria e peça a elas que te digam. Se o presente for de coração, as flores abrir!ao, felizes. Se for ilusão, morrerão, ou os botões não se abrirão. Agradeça de qualquer forma.

Encantamento para afastar a tristeza

Colha uma rosa e leve-a para um canteiro ou vaso à meia-noite. Cave um buraco na terra e diga: “Vá embora, tristeza. Coragem, coração! Pois toda a minha dor está sob este chão.” Enterre a rosa. Afaste-se sem olhar para trás.

Encantamento para intuição

Para comunicação psíquica: faça um chá de roseira, sente-se numa cadeira confortável, enquanto toma o chá, pense em algumas pessoas que podem estar precisando de sua ajuda. Sinta uma onda de sentimentos delicados saindo de você e indo para elas.

Reverter Feitiço

Ingredientes:

- 1 punhado se sândalo moído
- 1 punhado de folhas trituradas de mirra
- 1 folha de papel com o nome de seus inimigos.

Procedimento:

Realize este feitiço no primeiro dia da lua minguante,de preferência quando ela se encontrar no signo de Escorpião.Pegue a folha de papel e sobre ela espalhe o pó de sândalo e a mirra,repetindo por nove vezes o seguinte encantamento:

Lua que tudo leva
Lua que tudo desfaz
Leva longe toda treva
E o nó do feitiço desfaz!

Após ter repetido por noves vezes este encantamento,leve a folha de papel até um jardim distante de sua casa e enterre bem fundo.Volte para sua casa sem olhar para trás.Com toda certeza,o feitiço lançado contra você voltará para as mãos de quem enviou.

Feitiço do Amor

Feitiço para quando se quer um amor

Ingredientes:

- 1 anel de sua preferência
- 30 gramas de flores frescas de mil folhas
- 3 pêlos de um cão de caça
- 9 gotas de essência de rosas
- 9 gotas de orvalho
- 1 pequena ametista
- 2 copos de água da fonte.

Modo de fazer: Realize este feitiço no primeiro dia da Lua Nova,de preferência quando Vênus se encontrar no signo de Aquário.Coloque a água em seu caldeirão e leve ao fogo até que ferva.Quando estiver fervendo,abaixe bem o fogo e vá colocando os ingredientes,um a um,lembrando-se que deve,a cada ingrediente colocado,repetir o seguinte encantamento:

Ó Lua senhora de todos os amantes
Me traz um amor encantado.
Que ele chegue o quanto antes.
Por mim perdidamente apaixonado!

Após ter colocado o último ingrediente,apague o fogo e coloque o seu caldeirão para tomar o sereno da lua,retirando-o no dia seguinte antes do nascer do sol.Coe todo o líquido e coloque-o dentro de um vidro,junte ao anel e a ametista.Enterre o restante ao pé de uma árvore e deixe o vidro enterrado ao pé de uma laranjeira por três dias.Ao final do período exigido,desenterre o vidro,pegue o anel e coloque imediatamente no dedo.Enterre a ametista ao pé de uma roseira e despeje o líquido do vidro em água corrente,de preferência em um pequeno riacho.Lave muito bem o vidro e guarde-o para futuros feitiços.

Com certeza um novo amor surgirá em sua vida muito antes que a próxima lua nova retorne!

Para Atrair Dinheiro

Esse feitiço deve ser realizado apenas pelo próprio interessado, isto é, sem que haja qualquer pessoa presente. Assim que tiver obtido o resultado, deve-se passá-lo a alguém que esteja necessitando. Você vai precisar de um pequeno pote de barro, tinta dourada, 10 moedas e um ímã. Como esse feitiço deve ser realizado no período da Lua crescente, pinte o pote com a tinta dourada alguns dias antes de realizar o feitiço, para que seque completamente.

Na terceira noite da Lua crescente, leve o pote e o restante dos ingredientes para fora de casa. Quem mora em apartamento poderá fazer o feitiço na janela. Coloque, então, dentro do pote as moedas uma a uma repetindo para cada moeda colocada o seguinte encantamento: Lua me dê ouro, riqueza e dinheiro.

Quando tiver colocado a décima moeda, pegue o ímã e coloque por cima de tudo. Deixe que o feitiço pegue o sereno da Lua, até a terceira noite da Lua cheia, não se esquecendo de todos os dias recolhê-lo antes que o sol nasça. Durante o dia, o feitiço deverá ficar escondido num lugar escuro, onde ninguém o veja ou toque.

Cabe ressaltar que ninguém sai por aí dando dinheiro, assim, você precisa envolver-se em projetos que possam vir a gerar esse dinheiro.

Afastar Pessoas Indesejáveis

É preciso esclarecer que esse feitiço de forma alguma irá causar qualquer tipo de dano a pessoa que se quer longe de nossa vida; apenas a afastará de nosso caminho. Compre um bife e retire toda e qualquer gordura. Escreva numa folha pequena de papel o nome da pessoa que quer afastada de sua vida. Coloque o pequeno papel sobre o bife e enrole a carne, ocultando o papel. Amarre com linha preta. À noite, saia de casa levando o bife e procure o primeiro cachorro de rua que seja completamente preto. Dê a carne para ele e pense que o cão está agora levando embora essa pessoa. Volte para casa sem olhar para trás.

Feitiço da Sedução

Na última sexta-feira do mês, quando estiver anoitecendo, ofereça 3 rosas vermelhas e um pouco de cravo e canela à “Sereia-rainha”, dizendo: “Sereia-rainha, mais bela do mar, me ensine o segredo de sua sedução; sentirei com você o gosto de cravo e da canela e me perfumarei com o cheiro dos dois. Enfeitarei mei quarto até amanhã com suas rosas e antes de dormir lhe darei boa-noite”. Nodia seguinte , leve as rosas, o cravo e a canela para o mar.

Simpatia contra o Medo

Toda vez que estiver com medo de alguma coisa em particular, desenhe um boneco numa folha, recorte-o e escreva nele qual é o seu medo. Em seguida, às 7horas da noite, acenda uma pequena vela cor-de-rosa e queime o boneco dentro de um cálice transparente, deixando a fumaça seguir na direção da lua.Diga, então, para a lua e para você mesma:”Eu sei que esse medo é de papel.Preciso me livrar dela agora, mas peço à lua que o receba, em fumaça, e guarde-o para quando eu precisar dele, não para me assustar, mas para me alertar.”

Feitiço do Amor

De manhã bem cedo, na hora do sol nascer, fique de frente para ele, de olhos fechados, e diga 13 vezes o nome da pessoa que você quer que a ame, segurando 13 pétalas de qualquer flor amarela.Em seguida, fale com o sol: “Raio de sol que desperta o dia , desperte nele[o nome da pessoa]o amor que eu espero e posso retribuir”. Ofereça as pétalas ao sol em sinal de gratidão por tê-la escutado.

Feitiço para curar um coração partido

Use um círculo de tecido azul, cheio de valeriana, brotos de abeto balsâmico, matricária, murta e pétalas de rosas (branca). Pegue um coração de feltro branco cortado em dois pedaços, costure as duas partes com fio azul enquanto carrega o amuleto e adicione ao mesmo tempo as ervas. Coloque uma moeda de cobre para atrair um novo amor. Amarre-o com um fio branco. Retirado do livro “A Dança Cósmica das Feiticeiras”

Encantamento para a cura

Amarre nove nós num pedaço de barbante vermelho e use ao redor do pescoço para auxiliar na cura de males e doenças. Especialmente eficaz com dores de cabeça. Retirado do livro “Magia Natural”.

A Pirita atrai dinheiro

A pirita, ou “ouro dos trouxas”, é um mineral muito bonito de se ver, com estrutura geométrica cúbica e a cor brilhante do ouro. Embora de escasso valor monetário, possui uma incrível capacidade de atrair dinheiro. Compre uma pirita e mantenha-a por três dias em um copo com sal: dessa forma, as eventuais negatividades serão expulsas. No terceiro dia, numa hora diurna, pegue a pirita e segure-a por alguns minutos, sem pensar em nada específico, porém considerando-a parte de sua aura. Você sentirá a pirita esquentar e vibrar: nesse ponto, diga as seguintes palavras dirigidas ao DEVA (espírito) do mineral: “Obrigado, Deva da pirita, por teres acolhido ao meu espírito e por ter me doado o teu. Eu, (fale seu nome), peço-te que satisfaça este meu desejo (faça o seu pedido com clareza). Confio a ti e a tua energia o meu desejo. Obrigado, obrigado, obrigado”. Embaixo da pirita (que não deve ser fechada numa gaveta) coloque uma cédula de dinheiro de qualquer valor. Os resultados surgirão rapidamente. Quando perceber que não tem mais necessidade da pirita, agradeça a ela por tudo o que fez por você e dê de presente a alguém que possa usufruir seu poder.

Rituais – Diversos

Ritual de Amor com o Trevo de Quatro Folhas

No Antigo Egito, o trevo de quatro folhas era considerado símbolo de Ísis, a Grande Deusa, e utilizado nos Rituais de Iniciação e em Rituais para o Amor e para a Sorte. Se você encontrar um trevo de quatro folhas e quiser fazer um talismã para o amor, proceda da seguinte forma: Apanhe-o, agradecendo aos espíritos por tê-lo feito achar, e não o mostre a ninguém. Escreva com tinta vermelha numa folha de papel branco, seu desejo de amor, quer se trate de encontrar o amor ou se refira a uma pessoa em especial. Seja conciso e preciso no pedido. Embrulhe o trevo com o papel e coloque-o dentro de um envelope verde. Esconda-o em um lugar secreto e todas as noites, antes de se deitar, segure com as mãos a folha de papel que contém o trevo, concentrando-se no seu desejo. Antes de recolocá-lo no envelope, diga estas palavras: “Ísis, Grande Deusa, eu, (seu nome), agradeço-te o presente que me deste e rogo-te para que satisfaças o meu grande desejo de amor. Guardarei este teu símbolo, mesmo quando tiver conseguido aquilo que desejo, em nome do amor que tenho por ti. Obrigado, Minha Senhora”. Satisfeito o desejo, retire o trevo da folha de papel e coloque-o novamente no envelope.

Ritual de Athena para ir bem em provas

Faça o ritual em uma lua crescente ou cheia, se possível numa quarta feira, hora de Júpiter ou Sol.

- 9 Velas brancas ou amarelas
- um cristal de quartzo rutilado um cristal tabular cristais achatados
- um potinho com azeitonas, azeite de oliva, folhas de oliveira
- 1 pena de coruja
- alecrim
- incenso de alecrim
- um saquinho de pano branco ou amarelo,
- um cordão prateado
- vinho tinto

Trace o circulo, unte as velas com azeite de oliva e acenda-as, e também os incensos. Invoque a Deusa Athena visualizando a Senhora da Sabedoria. Veja-a vestida de branco com armadura e capacete, sua lança e a coruja pousada em seu ombro. Converse com a Deusa, diga de seus esforços no estudo e peça a Ela que aumente sua capacidade de memorização, sua capacidade de compreensão e de raciocínio. Também peça a Ela que conceda a você a capacidade de comunicar com clareza e precisão seu conhecimento. Por fim, peça que Ela tranqüilidade, calma e perseverança para usar na prova que você vai fazer. A cada pedido faça uma pausa e escute o que a Deusa vai te aconselhar. Veja que a Deusa Athena manda sua coruja pousar em você e quando ela sai de seu ombro deixa uma pena. Você pega a pena. A Deusa sopra a energia Dela em dois cristais e entrega a você. Ela beija sua testa e você sente a energia dela em você. Sua testa brilha com a energia da Deusa. VC se despede, agradecendo. Pegue os materiais do feitiço e coloque a pena, os cristais e as ervas dentro do saquinho, energize colocando na testa, passando ao feitiço a energia que você captou da Deusa Athena e amarre com 4 nós (para concretização). Trace um pentáculo de invocação da Terra sobre o saquinho com o azeite de oliva. Coma algumas azeitonas ritualmente, agradecendo a Deusa e faça oferenda de algumas sobre a Terra. Consagre beba o vinho, ofertando um pouco para a Terra. Dance e cante em honra de Athena. Erga o cone de poder. Encerre o circulo e o ritual. Use o saquinho sempre perto do corpo, especialmente quando você estiver estudando e na hora da prova. Esse saquinho pode ser reenergizado e guardado por bastante tempo.

Ritual para conseguir um namorado, com Freya

Freya, a Deusa Nórdica da beleza e do amor pode compartilhar seu poder com você para que você consiga um namorado adequado e que a faça feliz.

Junte em um recipiente que você considere bonito pétalas de rosa vermelha, paus de canela, manjericão e penas brancas (essa Deusa muitas vezes era representada com asas brancas) . No Dia dos Namorados ou em uma Sexta feira de Lua Crescente ou Cheia, misture essas ervas e as penas no recipiente escolhido. Mostre o recipiente para a Lua e as estrelas e diga:

“Freya, Mãe dos Deuses,
Deusa da Criação,
Luz que ilumina,
Traga amor pro meu coração
Traga-me os dons da beleza,
Traga-me os dons da paixão,
Traga-me os dons da riqueza,
Oh Freya,
Dons de sua natureza”

(Letra de Claudiney Prieto)

Vá repetindo os versos muitas vezes até que você faça um cântico com eles. Repita até que você se sinta bem com a sonoridade produzida. Quando você sentir o poder de Freya fluindo, vire-se para o Norte e jogue um punhado da mistura, soprando as penas, pedindo que os poderes do norte tragam seu namorado. Faça o mesmo ao leste, sul e oeste. Agradeça à Deusa e espere os resultados. Tenha em mente ao
realizar o pedido a pessoa adequada a você, mas não faça esse feitiço para uma pessoa determinada.

Ritual para conseguir uma namorada, com Baldur

Baldur era um Deus nórdico chamado por todos o Deus Belo, brilhante como o Sol da manhã, ele era amado por todas. Consiga 9 pequenos pedaços de topázio e nove velas amarelas. Tenha uma mistura de folhas de louro trituradas , gengibre em pó, canela e essência de almíscar. Sente no chão, faça um círculo a sua volta com as velas e os topázios ao lado. Respire profundamente e perceba que você se
transformou no Sol e conecte-se com Baldur dizendo:

“Baldur Deus bem amado,
traga-me seu poder,
Que a terra me conceda
Uma amada e , com amor, o prazer
Que ela seja feliz ao meu lado
E que eu seja seu namorado
Que o Sol brilhe em mim
E que Ela me encontre enfim
Que o Amor brilhe agora
E que Ela chegue sem demora”

Repita a mentalização ou recite os versos até sentir que a energia está adequada. Encerre o ritual agradecendo ao Deus Baldur.

Quiromância, Fisiognomonia & sinais de nascença terça-feira, nov 1 2011 


 

A MAGIA EM SUAS MÃOS

A palavra Quiromancia origina-se do grego “Kheiromanteia” e significa : “Kheir” Quiro = mão e “Manteia” Mancia = adivinhação, isto é adivinhação dos segredos através da interpretação das linhas das mãos, que podem revelar o destino das pessoas, pois os antigos sábios acreditavam que nosso Passado, Presente e Futuro, já estavam registrados no formato e linhas de nossas mãos, determinando nosso comportamento e personalidade, sendo Passado, Presente e Futuro apenas diferentes estados de consciência.

A Quiromancia é uma ciência muito antiga, foi muito utilizada no antigo Egito e encontram-se registros desta arte divinatória nos manuscritos Assírios, Egípcios, Chineses e Indianos há mais de 4 mil anos. Teria se originado na Índia, oriunda de uma ciência milenar de caráter racional e lógico chamada de “Palmistry” traduzida como “Quiromancia Védica” e era praticada pelos yogues.

Conta uma antiga lenda que existe no Himalaia uma caverna onde vive um Yogue de mais de 400 anos de idade, que se encontra em estado de meditação (samadhi) e que é portador de um antigo livro, feito com peles das palmas de mãos humanas mumificadas onde pode-se observar perfeitamente suas linhas. Segundo a lenda, este antigo livro tem sido utilizado por monges estudantes da “antiga arte”, durante milhares de anos.

Atualmente atribui-se aos Ciganos a arte da leitura das mãos. Sabe-se que os Ciganos originam-se do norte da Índia e que emigraram para a região de Tiblisi, no sul da Rússia, dali para a Romênia, de onde se expandiram para o resto do mundo. Desde criança os Ciganos aprendem a ler as mãos. Esse é seu trabalho mais rendoso, pois da previsão do destino nas mãos nascem os feitiços e magias para o amor e os trabalhos para melhorar a vida. Os Ciganos a praticam até hoje em suas Ofisas (Templo Cigano), praças, feiras, etc.

A Quiromancia foi exaustivamente estudada na Europa da Idade Média, e muitas vezes associada à Astrologia. Enquanto a Astrologia nos informa da influência dos astros em nossas vidas, a Quiromancia procura explicar a influência da mente, manifestada na palma de nossas mãos. Ambas atuando em perfeita harmonia e sincronização.

Essas influências ocorreriam no plano do inconsciente, portanto é comum que não as aceitemos imediatamente, porém, a medida em que os segredos nos são revelados, e o inconsciente torna-se consciente, nos convencemos da realidade dos fatos e de determinadas “coincidências”. Passamos, então a compreender como essas influências atuam em nossas vidas e que podemos evitá-las ou potencializá-las, se assim o desejarmos. O propósito prático da Quiromancia é ajudar as pessoas em suas vidas a identificar suas potencialidades, suas deficiências e principalmente, fazer a coisa certa no momento certo.

O Quiromante deve ser transcendental e objetivo, deve compreender que cada ser humano é individual e único. Considerando-se que as pessoas são diferentes, não poderá aconselha-las todas de uma única maneira, o que é remédio para um, pode ser veneno para outro.

Para tornar-se um bom Quiromante, alem de estudar muito, deve-se desenvolver a sensibilidade e procurar aconselhar as pessoas com responsabilidade.

A função do Quiromante consiste apenas em mostrar o caminho do pensamento positivo, nunca dizer “faça isso ou aquilo”, para não interferir no livre-arbítrio de cada um, em caso de dúvidas, deve-se aconselhar o consulente a seguir a sua consciência e a sua intuição, para que este tome suas próprias decisões.

Existem algumas regras estabelecidas pela própria natureza , que devem ser respeitadas por todos os praticantes da Quiromancia e de outras artes divinatórias, dentre essas regras as mais importantes são :

1 – Não utilizar esse conhecimento para fins mundanos, por exemplo aconselhar o (a) consulente a ser infiel ou agir desonestamente.
2 – Não utilizar a Quiromancia em benefício próprio, isto é ao Quiromante é proibido interpretar as linhas de suas próprias mãos.

3 – Outra regra importante é que, por envolver assuntos relacionados ao karma da pessoa, deve haver algum esforço por parte de quem deseja se consultar, portanto toda consulta deve ser cobrada, tal como acontece com qualquer consultor ou psicanalista, afim de que sejam valorizados seu conhecimento e dedicação.

Se quebrar essas regras, alem de atrair para si o “Karma” da pessoa, perderá seu poder e conhecimento e sua vida se tornará um inferno.
O estudo analítico das características das mãos, como forma, cor, temperatura, linhas, etc. chama-se “Quirologia” e deve ser objeto de estudo de todo “Quiromante” sério.

Introdução à Quirologia

O conceito ocidental de destino, trata de algo preestabelecido e que portanto não pode ser mudado. O Conceito de karma é diferente, é uma palavra sânscrita, sua raiz “kri” refere-se ao verbo fazer e significa : “ação, movimento, atividade”, portanto nosso futuro será estabelecido pelas nossas atividades atuais e pode ser mudado se mudarmos nossa maneira de atuar em nossas vidas, geralmente conhecido como “lei de causa e efeito”.

“Guna” significa “natureza” e se refere tanto à natureza macrocósmica universal quanto à natureza individual. Na Guna estão impressos o caráter, a personalidade e o temperamento de cada ser humano, que indicam as tendências particulares de cada indivíduo.

A Mão é uma estrutura completa onde se manifestam “Guna” e “Karma”, por isso recomenda-se fazer uma análise completa das mãos antes de emitir qualquer opinião.

A “Guna” pode ser observada pela cor, forma, temperatura, tamanho, umidade, etc. Esta observação presta-se principalmente para identificar problemas físicos ou psicossomáticos resultantes de estados emocionais alterados.

Observação da Cor das palmas das mãos :
Via de Regra todo tipo de pigmentação é sinal de fraqueza e deve-se recomendar a ajuda médica de acordo com o sintoma identificado na leitura.

Vejamos alguns exemplos:

Saúde Física :
Pigmentação amarelada : Problemas no fígado e glândulas em geral.
Pigmentação azulada : Infecção nos rins que é transmitida ao sangue.
Pigmentação avermelhada : Problemas circulatórios.
Pequenas bolinhas brancas estouradas : Taxas altas de glicose, Diabetes.

Estados Emocionais :
Mão Branca : Espiritualidade, pessoa calma.
Mão rosada : Bondade, pessoa generosa.
Mão avermelhada, quente e úmida : Paixão descontrolada, pessoa colérica.
Mão rude e áspera : Ignorância, pessoa egoísta.
Mão suave : Intelectualidade, pessoa sensível.

Observação das Formas das Mãos :
Pelo método de D’Arpentigny ( Célebre Quiromante Francês do Sec; XIX ).

1 – Mão Elementar : Mão roliça, palma curta, dedos curtos e movimentos grosseiros
Pessoas apaixonadas e de mentalidade frágil. Pessoas sem grandes aspirações, demasiado comuns, vivendo sob a esfera das demais.

2 – Mão Quadrada : Mão roliça, palma longa, dedos curtos e movimentos leves.
Pessoa prática, lógica, quase fria. De costumes rotineiros e ordenados. Grande capacidade de realização, obstinada pelos seus objetivos, pouco original ou imaginativa.

3 – Mão Espatulada : Mão magra, ligeiramente torta, ponta dos dedos arredondados :
Pessoa entusiástica pelas boas coisas da vida, porém irrequieto e pessimista. As vezes bonachão, faltando-lhe persistência.

4 – Mão Filosófica : Mão magra, dedos nodosos :
Pessoa dedutiva, analista, meditativa, com tendência à filosofia e buscam a verdade interior. São pessoas honestas, justas e moderadas com outras pessoas.

5 – Mão Cônica : Mão Longa, firme e desenvolvida :
Pessoa sensual e extrovertida, imaginação fértil e de pouco raciocínio. Aprecia a beleza, as artes em geral, tem fome de poder e apego exagerado ao dinheiro.

6 – Mão Psíquica : Mão bonita e harmoniosa :
Pessoa de personalidade inquieta, intensa paixão pelo idealismo. Sonhadora , seu estado de espírito é cíclico e alternado. Complexa e neurótica.

7 – Mão mista : Mão que reúne características de dois, três ou mais tipos :
São pessoas muito comuns, na qual a maioria se enquadra, sem grandes aspirações e de mentalidade mediana. Comportamento e gosto vulgares.

Introdução à leitura das mãos.
O método à seguir tem por referência a mão de uma pessoa destra, isto é faz-se a leitura na mão direita e a confirmação na mão esquerda, quando necesssário.

As linhas da mão direita são mutáveis, isto é transformam-se com o passar do tempo e as experiências adquiridas, já as linhas da mão esquerda são imutáveis e estão relacionadas ao “Karma” que trazemos de vidas passadas.

Obs : Caso o(a) consulente seja canhoto(a), deve-se inverter a ordem das mãos.

Para procedermos à leitura das mãos, dividimos os sinais nas mãos em três partes distintas : montes, linhas e sinais cabalísticos, pelas quais podemos identificar o karma. Isto é através desses, montes, linhas e sinais, identificamos o que a pessoa realizou, o que está realizando agora e o que está por realizar.

As linhas fundamentais são divididas em Principais e Secundárias .
As principais ( em vermelho )são : Linha da Vida, Linha da Cabeça, Linha do Coração, Linha do Destino, Linha do Sol, Linha da Saúde, Cinturão de Vênus.

Veja a seguir alguns exemplos de linhas observadas com maior freqüencia.

Linha da Vida :
Longa, vida longa e próspera. Curta: Deve-se consultar a mão esquerda, havendo confirmação a pessoa deverá cuidar melhor de sua saúde, com o tratamento do corpo a vida poderá ser prolongada, caso contrário sua existência também será curta. Grossa, pessoa terá personalidade marcante. Fina, personalidade maleável. Em forma de corrente ou corda, pessoa de vida complicada com muitos embaraços.

Linha da Cabeça :
Longa, pessoa racional. Curta, pessoa emocional. Longa e caída, inteligência não desenvolvida. Cortada, pessoa geniosa de difícil relacionamento.

Linha do Coração :
Longa, pessoa amorosa e romântica, age em função do sentimento. Curta, pessoa interesseira, age em função da razão. Se a linha do coração for proporcional à da cabeça, a pessoa equilibra razão e emoção.

Linha do Destino :
Iniciando ao lado da linha da vida, carreira bem sucedida. Unida à linha da vida, obstáculos na primeira metade da vida. Dupla, mudança de carreira ao longo da existência.

Linha do Sol :
Quando bem definida e em harmonia com a linha do destino, revela uma vida coroada de sucesso. Quando mal definida, indica uma vida de altos e baixos. Ausente, indica tendência para as artes, reconhecimento em idade avançada.

Linha da Saúde :
Ausente, vida saudável e muita resistência. Bem definida, inspira cuidados e a pessoa deve evitar excessos alimentares, fumo, álcool e outras substâncias tóxicas.

Cinturão de Vênus :
Bem definida, pessoa sensível, intelectual, comportamento social instável, as vezes calmo e alegre, outras sombrio e depressivo. Dificuldades nos relacionamentos afetivos.

As secundárias ( em azul ) são : Linha de Marte, Linha da Paixão, Linha da intuição, Linha do casamento, Braceletes.

Linha de Marte :
Formada por uma linha curva, que corre por dentro da linha da vida. Bem definida revela pessoa nervosa, ansiosa, alcoolismo e drogas.

Linha da Paixão :
Muito rara, quando aparece, corre paralela e à esquerda da linha da saúde. Sua presença revela personalidade vacilante e paixões desenfreadas.

Linha da Intuição :
Linha semicircular, localiza-se entre os montes de mercúrio e da lua. Quando bem definida, revela poderes ocultos e mediunidade.

Linha do Casamento :
Encontra-se na base do dedo de mercúrio ( mínimo). Quando próxima à linha do coração, a pessoa casará jovem. Se terminar próximo ao monte de Mercúrio, o casamento ocorrerá após os 29 anos. Inclinada para o monte do sol, casamento por interesse e ausência de amor. Bifurcada no final, separação. Curva em direção à linha do coração, ficará viúvo(a). Qualquer linha fina, paralela à linha do casamento, indica adultério, pessoa volúvel.

Além desses aspectos, existem outros a considerar, como por exemplo as linhas que cortam a do casamento representam os filhos, linhas grossas filhos homens, linhas finas mulheres, linhas dos filhos cortadas significam perdas.

Braceletes : Fáceis de identificar, localizam-se na base da palma da mão, próximo ao pulso. Podem ser um, dois ou três. Bem definidos, saúde boa. Interrompidos, vaidade, insegurança, mentira.

Os Montes

As áreas mais carnosas em torno das palmas das mãos ( veja ilustração acima ), são chamadas “Montes” e receberam os nomes dos sete planetas mágicos das antigas tradições, são eles : Monte de Vênus, Monte de Júpiter, Monte de Saturno, Monte do Sol, Monte de Mercúrio, Montes de Marte = ativo (+) passivo (-) e Monte da Lua.

Monte de Vênus :
Associado às emoções, à beleza e à vida sexual. Bem desenvolvido indica compreensão para com o próximo, desejo sexual, compulsividade. Narcisismo.

Monte de Júpiter :
Está relacionado ao ser e ao ego. Bem aspectado indica boa sorte, sucesso, fama, enriquecimento.

Monte de Saturno :
Está relacionado à vida profissional. Tranqüilidade, prudência, teimosia e obstinação. Inclinação para o ocultismo e filosofia.

Monte do Sol :
Esta relacionado à vida social, política e religiosa. Amor pela beleza e artes em todas as suas formas. Tendência para o exibicionismo.

Monte de Mercúrio :
Bem aspectado, pessoa alegre e emocionalmente equilibrada, aprecia as viagens e o lazer junto da família. Mal aspectado, Desejo ardente de provocar mudanças.

Montes de Marte :
Ativo (+) : Tenacidade, vigor físico, personalidade forte, irritadiça e de difícil convívio.
Passivo (-) : Excesso de confiança, falta de discernimento dos direitos e deveres.

Monte da Lua :
Quando bem definido, revela pessoa romântica e de imaginação fértil. Se exagerado revela pessoa sonhadora, dispersa, linfática, distante do mundo.

Os Sinais Cabalísticos
Os sinais que aparecem nas mãos, alem de ter o seu significado particular observado, devem ser interpretados em conjunto com as linhas e montes onde se apresentam.

Os sinais mais freqüentes são :

Linhas Quebradas : Perda de força e concentração.

Correntes : Perda de energia, indecisão, insegurança.

Ponto : Fato negativo, pode indicar acidente ou doença.

Ilha : Rupturas, rompimentos, doença, perda de energia

Linha Bifurcada : Fim da linha da vida, mudança. Fim da linha da cabeça, pais separados.

Grade : Representa dificuldades, caminhos fechados

Cruz : Sofrimento

Triângulo : Proteção

Pentagrama ( Estrela de Cinco Pontas ) : Sorte e evolução espiritual. Êxito nos negócios.

Hexagrama ( Estrela de Seis Pontas ) : Dom da Cura. Proteção e luz espiritual.

Tridente ( Garfo de Três Dentes ) : Pessoa possui dupla personalidade.

Quadrados : Caminhos fechados. Dificuldade nos negócios. Insucesso.

O estudo da Quirologia e da Quiromancia é muito vasto, abordamos apenas o conhecimento mínimo necessário para que o interessado tenha uma noção básica dessa antiga e maravilhosa arte divinatória.

 

 Fisiognomonia

A  leitura…

   Temos como “mascarar” o consciente, não o inconsciente. O rosto expressa o mais profundo pensamento, o mais profundo sentimento, a mais profunda emoção.

   Os antigos médicos chineses faziam diagnósticos médicos apenas olhando para a pessoa. Sabiam sobre seus costumes, personalidade, hábitos, pois tudo estava traçado em seus rostos.

   Segundo eles, cada órgão do corpo humano é associado a um elemento. O fígado e os órgãos associados, os (tendões, os olhos) são do elemento madeira; o coração e os órgãos associados (os vasos sangüíneos, a língua) são do elemento fogo; o baço e os órgãos associados (os músculos, a boca) são do elemento terra; os pulmões e os órgãos associados, a (pele, o nariz) são do elemento metal; o rim e os órgãos associados, (os ossos, o ouvido) são do elemento água.

   As rugas, refletem a falta de energia nos órgãos. Essa “falta de energia”, de acordo com os 5 elementos na MTC nos revelam certos padrões de pensamento.

sample image

   Esses pensamentos também podem causar reflexos no corpo

   A psicossomática explica fisiologicamente como as doenças são acionadas no organismo. Segundo eles, o estado mental está diretamente relacionado às secreções de hormônios no organismo, causando as mais diferenciadas reações. Um exemplo interessante é o da pele. Pessoas mais tímidas se ruborizam facilmente, alguns tipos de sensações podem ainda causar arrepios ou palidez, resfriamento ou aquecimento da pele.

   Em seu livro “Bioenergética”, Alexander Lowen diz: “A atitude do indivíduo em relação à vida ou seu estilo pessoal refletem-se no seu comportamento, em sua postura e no modo como se movimenta.” Afirma ainda que a aparência física exprime a personalidade do indivíduo.

   Na leitura, o rosto expressa a maior parte das características do indivíduo. A estrutura óssea do corpo complementa essa informação.

    O contorno do nosso corpo, a forma com a qual ele se comporta, excesso ou falta de gordura, flacidez, estrias, celulite, pintas, tipo de pele, flexibilidade e rigidez, tudo isso tem origem no inconsciente.

   Uma boa leitura é feita do conjunto, em um todo. Mas para ver como o conjunto se comporta, é muito importante a análise das partes.

Partes do Rosto

   Não devemos julgar ninguém pelo conteúdo que veremos aqui pois existem vários fatores que podem mudar a estrutura da pessoa e fazer com que ela não use as características aqui descritas. A análise do rosto não está em parte, e sim no todo.

   Cada rosto tem uma expressão. Lemos e conhecemos as pessoas através da fisionomia. A observação atenta e cuidadosa da expressão facial pode abrir um novo mundo no sentido de se saber o que uma pessoa está realmente querendo dizer.

   O rosto pode dividir-se em três partes:
Rosto

 

Intelectualidade
Emotividade e
sentimentos
Instinto

 

     A área superior corresponde à testa. A segunda área vai das sobrancelhas à raiz do nariz. A terceira inicia-se na raiz do nariz e vai até o final do queixo.

   A área da fronte resguarda a intelectualidade; a zona mediana relaciona-se aos sentimentos, às emoções, ao EGO; e a última parte evidencia a materialidade. Então, que podemos dizer em uma primeira análise?

   Com relação ao desenvolvimento de uma das partes do rosto, pode-se ter uma idéia clara de qual das três partes dominará o comportamento da pessoa. Porém, tem-se também uma segunda lei no estudo da fisionomia. Para cada área da face é possível um desenvolvimento horizontal ou vertical.

   Tudo o que se desenvolve horizontalmente tem um desenvolvimento relacionado à materialidade, de força de caráter, de terra. Tudo o que se desenvolve verticalmente tem um desenvolvimento de intelectualidade e de espiritualidade. Lembre-se de que se uma das partes prevalece sobre as outras, as faculdades a ela relacionadas determinam um gênero de desequilíbrio interior.

  • Desenvolvimento superior indica maiores faculdades mentais;
  • Desenvolvimento mediano indica hipersensibilidade, emotividade;
  • Desenvolvimento inferior indica predominância dos elementos instintivos.

   Vamos lembrar sempre que, uma boa leitura se faz com o todo, não só com as partes.

Cabelos

   Os cabelos refletem o tipo de pensamento

  Lisos

   Os cabelos lisos demonstram que a pessoa tem pensamento linear.

  Encaracolados

   Os cabelos ecaracolados demonstram que a pessoa retoma assuntos do passado com frequência.

  Ruivos

   Os chineses dizem que ter cabelo “de fogo” faz com que a pessoa tenha um temperamento mais agressivo. Pessoas que tingem o cabelo de ruivo, normalmente estão revoltadas com a vida que tem.

  Loiros

   Donos de cabelos loiros normalmente são mais “carentes” emocionalmente. A pessoa que tinge o cabelo de loiro ou faz mechas loiras, está querendo “aparecer mais” para o mundo.

  Negros

   Normalmente, as pessoas mais determinadas tem cabelos negros. Quando alguém pinta os cabelos dessa cor, está determinada, focada e em busca de um objetivo.

  Espetados

   Pessoas com cabelos espetados, normalmente são mais “elétricas”, hiperativas.

  Curtos

   Cabelos curtos indicam pessoas com dificuldades em receber ordens.

   Compridos

   Indicam pessoas mais passíveis de receberem ordens.

  Calvos

   Esse é o cabelo que foge do dono, assim como o dono foge de quem quer mandar nele! Pessoa que não adimite autoridade. Ele quer ser o chefe!

  Brancos

   Cabelos brancos ocorrem em pessoas que se anulam em prol de alguma causa maior, que pode ser a família, uma empresa, instituição ou até uma pessoa.

   Vamos lembrar sempre que, uma boa leitura se faz com o todo, não só com as partes.

              Fisiognomonia

Testa

   Na testa temos como identificar a capacidade intelectual e o comportamento, derivados desta região, o sistema neurosensorial ou mental, autocontrole ou apatia. O cabelo é muito importante para se saber onde começa e onde termina a testa (ou FRONTE)

Fronte larga

É comum o fato de a pessoa de fronte larga ter uma ótima capacidade de elaboração e de recordação. É uma mente aberta, que aceita bem as idéias dos outros e os confrontos com outras pessoas e se deixa facilmente entusiasmar

Fronte estreita

   Ao contrário da fronte larga, a fronte estreita denota pessoa de inteligência tipicamente analítica e específica. Essa pessoa não aceita o confronto com as idéias dos outros. Mostra-se expansiva e extrovertida, mas encontra dificuldade no relacionamento profundo, pois não gosta muito de dividir seu espaço.

Fronte alta

A pessoa de fronte alta possui notável capacidade intelectual, espiritualidade elevada e compreensão filosófica. Esta pessoa vive de princípios morais e ideais elevados, é doce e compreensiva. Mas, quando se irrita, transforma-se em teimosa e obstinada.

Fronte baixa

    A fronte baixa denota pessoa cujas exigências são materiais, ao contrário daquela que possui fronte alta. Tem-se uma pessoa que busca as coisas concretas, é obstinada, resolvida. Possui grande capacidade de empreendedorismo e seus objetivos são sempre precisos, o que revela capacidade de adaptação.

Sobrancelhas

   Quanto mais grossas as sobrancelhas, maior é o índice de força que indicam. Se mais sutis, denotam fragilidade.

Sutis e ralas

Uma pessoa com sobrancelhas sutis, finas e ralas é freqüentemente indolente, mentalmente preguiçosa, apática e indecisa. Este sinal deve ser visto na globalidade do rosto, porque se as sobrancelhas são sutis e ralas em um rosto que possui um grande maxilar não se pode dizer que essa pessoa é indecisa ou preguiçosa, ou seja, deve-se sempre observar a globalidade.

Densas e desgrenhadas

Caixa de texto:  Quem apresenta este tipo de sobrancelha é, em geral, irascível, irritado e conflituoso. Também se caracteriza por ser incansável, exaltado, exuberante. Possui espírito de contradição.

Unidas na raiz do nariz

Este tipo de sobrancelhas denota uma pessoa suscetível a influências externas e freqüentemente ciumenta. Existem, porém, vários tipos de ciúme. É uma pessoa ciumenta de suas coisas, não de outras pessoas, mas, sobretudo, dos seus objetos. É uma pessoa exuberante. A exuberância vem das sobrancelhas grossas. Nesta pessoa existe sempre uma grande força de caráter.

Próximas às pálpebras

Se as sobrancelhas forem muito próximas às pálpebras, pode-se ter uma pessoa ambiciosa, forte, dotada de vitalidade e de determinação. Costuma ser introspectiva e ansiosa.

Distantes das pálpebras

Ao contrário, se as sobrancelhas forem distantes dos olhos, indicam-nos uma pessoa indecisa, tímida, ingênua e emocionalmente frágil.

 

Olhos

   Segundo a medicina Chinesa os olhos são a janela da alma de uma pessoa e, fisicamente, estão ligados ao fígado.

   Eles transmitem instantaneamente qualquer mudança que acontece no ser humano. E isso está diretamente ligado à forma, à cor, ao brilho e ao modo como se movem. Os olhos fornecem uma manancial de informações sobre o interior de uma pessoa. Estão situados na região da afetividade, das emoções. Os olhos contêm a característica mais importante na leitura da fisionomia. Dão-nos informações importantes e podem ser estudados com base na posição, na dimensão, na forma e no movimento.

   A cor dos olhos reflete o estado da pessoa. O meu mesmo, como exemplo, fica esverdeado quando estou nervoso. Olhos com tonalidade claras (azul claro, verde claro, castanho claro), se referem a pessoas ciumentas e altamente irritadiças (principalmente se o branco dos olhos estiver sempre avermelhado).

Próximos um do outro

olhos1Eles indicam uma pessoa racional, realista e, normalmente (em mais de 75% das pessoas), é um sinal ligado à melancolia não dividida com outras pessoas. Há uma insegurança interna. A relação interpessoal baseia-se na franqueza e na compreensão recíproca

Distantes um do outro

olho2Tome como exemplo um rosto conhecido de todos que possua os olhos distanciados. Recorde Jaqueline Onassis/Jaqueline Kennedy. Seus olhos eram extremamente distanciados. Esta posição dos olhos indica uma pessoa dotada de curiosidade e de egoísmo, que busca desfrutar das melhores situações, das que lhe tragam as vantagens desejadas.

Olhos pequenos

olho 3Olhos pequenos indicam-nos uma pessoa de inteligência vivaz, de espírito perspicaz, com qualidades de empreendedorismo e intuitiva. Possui desejo inato de ser o primeiro, de estar em evidência. Olhos pequenos em pessoa de estatura muito baixa indicam egoísmo.

 

Olhos muito grandes

olho 4Olhos muito grandes denotam uma pessoa com imaginação, versatilidade, sensualidade e, às vezes, suscetíveis a influências externas. Seu espírito de observação é bem aguçado e sua altivez é disfarçada geralmente com passividade.

 

Oblíquos para baixo

olho 4Que sensação nos causa uma imagem desse tipo? Seguramente de melancolia, de depressão. Trata-se de uma pessoa idealista e ingênua que devido à grande sensibilidade suporta as intemperanças da vida. Seu comportamento baseia-se no temor, na indecisão e na instabilidade emocional. É melancólica e fechada em si mesmo. Apresenta normalmente dificuldade de comunicação e de relacionamento.

Oblíquos para cima

olho 5Ao contrário, olhos oblíquos voltados para cima sugerem sensibilidade e riqueza de qualidades, difíceis de serem mostradas devido à grande timidez. Há uma aparente incerteza e incoerência. Mas na realidade esta pessoa baseia a própria existência na constância e na verdade. Seu relacionamento com o próximo é bom.

 

 

Nariz
   Vamos lembrar sempre que, uma boa leitura se faz com o todo, não só com as partes.

   Passando por vários autores e, pela minha própria vivência, descobri que o nariz é de suma importância na vida de uma pessoa e, caso a pessoa o modifique em uma plástica, provavelmente ela incorporará os novos traços da personalidade relacionada ao novo nariz.

   Nariz grande sugere uma pessoa dotada de vontade, original e perseverante. Devemos nos lembrar sempre de que tudo que é grande, protuberante, como nariz, orelhas, queixo, está diretamente ligado à força intrínseca da pessoa. Nariz grande é sinal de força assim como queixo grande e orelha grande é sinal de força. Quem tem essas três partes grandes, tem a vida mais longa.

   Nariz pequeno é como sobrancelha pequena: indica indolência, fraqueza e volubilidade.

   Nariz côncavo ou convexo

NarizCCNa observação do nariz é importante a forma do septo nasal. Ele pode ser côncavo ou convexo. Para se saber se o nariz é côncavo ou convexo traça-se uma linha imaginária que une a arcada supraciliar à ponta do nariz. Podemos, então, ter duas situações: o septo nasal encontra-se abaixo dessa linha, como o exemplo abaixo; e o septo nasal supera essa linha. É côncavo quando a reta passa sobre o septo nasal e convexo quando o septo interrompe esta linha.

Narinas Retas e Horizontais

nariz 1Observe que as narinas não sobem em direção à ponta do nariz. Neste caso, há equilíbrio. É uma pessoa paciente, não tem dificuldade em esperar e é muito tolerante porque está sempre em equilíbrio.

Narinas Inclinadas para o Alto

Nariz 2É uma pessoa que “estoura” facilmente, é impaciente, petulante, é terrível, insuportável, não sabe esperar, se incomoda por nada, é fresca. É a clássica pessoa que quando começa a falar e a reclamar não pára mais.

Narinas Inclinadas para Baixo

Nariz 3Preste atenção! Eu posso ter um nariz cuja ponta se volta para cima, mas cujas narinas se voltam para baixo. Uma narina deste tipo pertence a uma pessoa que facilmente se irrita embora não o demonstre. Porém, quando o demonstra, explode de uma só vez. É geralmente intolerante, mas também muito exigente para consigo mesma.

Côncavo na parte superior

Nariz 4Este tipo de nariz é aquele normalmente chamado de nariz à francesa porque possui um septo côncavo. Se fosse convexo, seria o contrário. Quais as características da pessoa que tem este tipo de nariz? Ela se mostra passiva e insegura, preguiçosa e prudente, não obstante seu senso prático. É meticulosa e ordenada. Tem pouca confiança em si mesma e não quer responsabilidades que possam perturbar sua tranqüilidade. Também é um pouco “estourada”.

Côncavo na parte superior com a ponta redonda

Nariz 5A pessoa que apresenta este outro tipo de nariz, cuja parte inferior é grossa, revela-se empreendedora e expansiva, rica de senso prático e de espírito de observação. É tolerante e espontânea. É interessante porque não se deixa envolver com facilidade pelos problemas da vida. Afronta com desprezo as coisas que não vão ao encontro de seus interesses.

Côncavo na parte inferior com a ponta adunca

Nariz 6Pessoa de caráter difícil, ativo e enérgico, teimoso e impulsivo. Sua intolerância origina-se da rejeição a qualquer discussão. Cético ao extremo nos confrontos com outras idéias. Egocêntrico e vaidoso, mostra-se indiferente àquilo que para ele não tem valor prático. Lembre-se! Nas tribos os chefes eram sempre escolhidos por sua força, pelo caráter, por sua musculatura e pelo tamanho do nariz, que deveria ser grande. Se você observar as esculturas tribais, as estátuas que representam os chefes apresentam nariz muito grande. Isto acontece porque o nariz é indicador de força e do órgão sexual. Portanto, os chefes deveriam mostrar força fisica, capacidade de reprodução e de perpetuação da raça.

 Fisiognomonia

Boca
   No estudo da boca levamos em consideração sua largura, sua linha e a altura dos lábios.

   Na largura da boca, considera-se a distância de uma extremidade labial à outra, sempre com a boca fechada. Normalmente classificamos a boca apenas como grande ou pequena. Pessoas que possuem boca grande são francas, exuberantes, impulsivas, por isso, consideradas, muitas vezes, indelicadas, ávidas e calculistas. Ao contrário, quem possui boca pequena apresenta, em geral, pouca sensibilidade, é freqüentemente arredio e fechado.

   A linha da boca, ao contrário, é dada pela união dos lábios e é, muito freqüentemente, reta, horizontal. Ou seja, lábios bem desenhados demonstram equilíbrio. Porém, quando os lábios não se mostram, são sutis, encontramo-nos normalmente diante de uma pessoa fria, avarenta e ambiciosa.

   A altura da boca é a distância compreendida entre a base do lábio inferior e a extremidade mais alta do lábio superior. Lábios espessos indicam uma pessoa afetuosa e exuberante, rica de sensualidade e desejosa de prazer. Lábios sutis indicam temperamento frio e calculista, com tendência a desdenhar pessoas e objetos. É metódico além da medida.

Com ângulos para cima

Este tipo de boca nos revela uma pessoa que gosta de viver. Faz da vida um sorriso e uma oportunidade. Pode-se dizer que ela é otimista, segura de si, orgulhosa, sensível, entusiasmada e muito sociável.

Com ângulos para baixo

Ao contrário, se uma pessoa possui lábios cujos ângulos se dirigem para baixo, ela é, ao que tudo indica, melancólica, insegura, pessimista, pouco energética, sem ambição, insatisfeita, fechada e com pouca confiança em si mesma. No fundo, é uma pessoa desgostosa da vida.

Com lábios entreabertos

Esta forma de boca é indicativa de uma pessoa agressiva, esperta, temerária, inquieta, contraditória, impulsiva, intolerante. Lábios entreabertos sinalizam agressividade, mas também feminilidade.

Com lábios enrugados

Uma pessoa com os lábios enrugados é geralmente intratável, colérica, para quem a culpa é sempre dos outros. É insatisfeita, fazendo do mau humor a razão de sua vida. Sente-se vítima, é egoísta e também enérgica.

Lábio superior saliente

A pessoa que possui lábio superior saliente se revela simples, sensual e indulgente. Demonstra grande afetuosidade e generosidade. Sabe mediar as mais variadas situações e odeia todo o tipo de violência.

Lábio inferior saliente

Pessoas com esta forma de boca denotam superficialidade, fraqueza e egoísmo. São também intolerantes e incapazes de perceberem e de analisarem situações óbvias. Foi-nos apresentada uma situação oposta. Procure recordar que as pessoas que apresentam esse tipo de conformação de lábio apresentam freqüentemente problemas intestinais.

Lábios carnudos

Lábios carnudos revelam-nos uma pessoa despreocupada, sensual, dedicada somente aos prazeres materiais. É também impulsiva e seu único objetivo é o da satisfação pessoal. Deseja viver sem preocupações e assim recusa algumas responsabilidades.

Fisiognomonia

Queixo

  O queixo, juntamente com o maxilar, trás informações sobre a materialidade/sexualidade da pessoa.

Largo,quadrado e ossudo

queixo1Estas características indicam uma pessoa ambiciosa, tenaz, meticulosa, egoísta, resoluta e indiferente. A não ser que tenham tido uma boa educação, as pessoas com este tipo de queixo não costumam ter bons modos. Este tipo de queixo se caracteriza particularmente por apresentar muitos ângulos. E uma pessoa com muitos cantos e ângulos é uma pessoa que dificilmente se deixa agarrar.

Quadrado com cantos arredondados

queixo 2Ao contrário, uma pessoa que apresenta um queixo deste tipo, sempre grande e com desenvolvimento horizontal muito ampliado, porém, sem cantos e ângulos, portanto mais harmônico na sua conformação, se distingue por ter equilíbrio, vontade, paciência e maleabilidade. Possui capacidade de persuasão, é alegre, demonstra vitalidade. 

Queixo volumoso

queixo3São muitas as pessoas que apresentam esse tipo de queixo, sobretudo os de característica terra. Tudo aquilo que é muito grande é também um sinal de desequilíbrio. Queixo muito grande e volumoso revela uma pessoa incoerente, materialista ao extremo, indolente e falsa.

Queixo estreito e magro

queixo4  Neste caso, o desenvolvimento não é mais horizontal, mas vertical. Este tipo de queixo aponta para uma pessoa tímida, introspectiva, inteligente, altruísta e sensível. Normalmente as pessoas com este tipo de queixo se ofendem com extrema facilidade. É como se o queixo estreito manifestasse uma profunda sensibilidade de tudo o que está sobre a pele porque não possui a gordura que funcionaria como isolante.

Com covinha vertical

Este tipo de queixo indica uma pessoa volúvel, imatura e presunçosa. Por outro lado, trata-se de uma pessoa amável, decidida e cheia de vitalidade. Este tipo de queixo mostra uma nítida separação entre a parte direita e a esquerda. Não existe equilíbrio. Tudo o que divide determina desequilíbrio físico e psíquico na pessoa. Seu possuidor só é uma pessoa decidida porque o queixo é muito forte.

Muito saliente

Queixo muito saliente revela avareza e astúcia. A pessoa que tem este tipo de queixo se caracteriza pela falsidade, volubilidade e altivez. É também egoísta, vaidosa e tem prazer em contrariar.

 

 

 

Fisiognomonia

Corpo

   O corpo reflete tudo o que trabalhamos em nosso inconsciente. Quando trabalhamos bem, ele mantém o equilíbrio. Quando não trabalhamos bem, ele reflete na sua estrutura, o que está errado. Por isso é bom que nos conheçamos.

   Costumo dizer que o rosto trás as características e o corpo reflete como as trabalhamos inconscientemente.

   Todos vivemos em sociedade, e toda sociedade possui regras. Essas regras, dependendo da forma como as vemos, podem refletir no nosso corpo de maneira positiva ou negativa. Indiferente de seguirmos as regras ou não.

   Quando nos irritamos, quando ficamos nervosos, corremos o risco de criar uma gastrite/úlcera nervosa. Existem vários fatores que podem fazer com que nos irritemos.

   Irritação, RAIVA, não pode ser levada como um sentimento negativo, sim de transformação. A raiva é que nos movimenta. A falta de raiva, causa comodismo, causa depressão.

   Como nosso inconsciente se reflete em nosso corpo?

O formato do corpo revela características e traços de personalidade, identificando como cada um lida com suas emoções. O tamanho dos quadris, glúteos, ombros, peito e mamas, abdome, panturrilha, a papeira, além da flacidez, gordura localizada, culotes, entre outros problemas estéticos, demonstram como está o interior do ser humano e seus conflitos mais íntimos (veja relação abaixo). O exterior reflete o interior.

   Para tanto, antes, precisamos entender como a Medicina Chinesa aborda as emoções. Para isso é preciso entender o modelo dos Cinco Elementos.

5 elementos   A teoria dos Cinco Elementos faz parte da Medicina Chinesa há milênios e foi mencionada no Nei Ching Su Wen, escrito há 200 a.C. Ela divide a experiência humana em 5 grupos distintos: Madeira ( fígado e vesícula-biliar), Fogo( coração, intestino delgado), Terra (baço/pâncreas e estômago), Metal ( pulmão e intestino grosso) e Água ( Rim e bexiga). Esses elementos não só controlam e mapeiam todas as funções anatômicas e fisiológicas do organismo, como integram em uma unidade energética contínua, corpo e mente. Servem para entender como grupos distintos de influencias ou energias se relacionam ora produzindo estimulo, ora inibido a ação.

   O elemento Água, regido pelos Rins, é responsável pelo sentimento de sobrevivência, pelo medo, inclusive pelo medo da morte e do desconhecido. Quando não estão bem os rins podem gerar ansiedade, medo de tudo, pânico e até mesmo o sentimento de pavor! Um bom funcionamento dos rins conduz a um comportamento de coragem e segurança com a vida. Quem tem um rim bom transmite calma e segurança para todos.

   Madeira é o elemento do Fígado e Vesícula Biliar. Quando o fígado não vai bem produz sentimentos de raiva, estresse, inquietude, sentimento de injustiça, depressão, vontade de brigar e irritação extrema. Um bom funcionamento conduz a expressão alegre, feliz e relaxada. Alto astral!

   O Fogo é o elemento do Coração. Quando não esta bem, causa sentimento de solidão, falta de amor ou incapacidade de amar. O espírito fica contrariado por não conseguir se relacionar com amigos ou familiares. Um bom coração é responsável pela pessoa amável, aberta ao amor e às relações, está sempre feliz e confiante, elevada auto-estima, paixão pela vida, pelos amigos e pela família…

   O elemento Terra (Baço/pâncreas), no seu aspecto negativo, é regido pela introspecção exagerada, sentimento de isolamento social e auto-compaixão. A ação é demorada e sempre acompanhada de sentimentos negativos. O bom funcionamento leva a ter força emocional construtiva e extremamente positiva. Produz sensação de otimismo com projetos, criações. Gera atitudes harmoniosas com a família e amigos.

   Pulmão, do elemento Metal, é fonte de tristeza, sentimento de perda e dependência emocional à outra pessoa, quando não está bem. Pode também causar vazio espiritual, falta de crença em tudo e desilusão. Um bom pulmão, ao contrario, gera sentimento de liberdade, liderança, força espiritual e mente brilhante.

   “Todas as doenças podem ser curadas, pois sua causa, na maioria das vezes, segundo recentes estudos da psicanálise, é o sentimento de culpa e contrariedades profundas, ou seja, causas psicossomáticas. A cabeça, o tronco, os membros e cada órgão interno recebe um impulso nervoso do cérebro que é comandado pelas emoções. Quando analisamos os movimentos do corpo ou o funcionamento de cada órgão percebemos que carregamos diferentes sentimentos para diferentes movimentos do nosso corpo: o desejo de mover os dedos faz com que movamos os dedos. Mas existem desejos inconscientes que também fazem com que o cérebro impulsione energia para mover ou imobilizar partes do corpo (…) Um pensamento crônico pode transformar seu corpo através das reações químicas comandadas pelo cérebro”. Texto de Cristina Cairo

   Como o Corpo se Comunica

   Abdome -> Gordura –> O ventre está localizado no centro de equilíbrio de nosso corpo, onde estão os órgãos geradores e controladores da eliminação das toxinas: intestinos, bexiga e útero. O abdome simboliza o equilíbrio e a harmonia. Se há descontentamento, críticas ou revolta contra alguém ou alguma situação, acabam surgindo gordura e doenças nesse local. Toda mente rebelde e teimosa, aparentemente passiva ao extremo, que não acolhe com gratidão as pessoas e as coisas e não liberta a vida, provoca o desequilíbrio estético na região abdominal.

   Braço -> Gordura –> Braços simbolizam suas conquistas, suas ambições, seus afetos, a busca do amor e do trabalho realizador. Problemas nesta área simbolizam frustração em relação às ambições, realizações e conquistas, limitadas por alguém ou alguma situação/ raiva por não ter conquistado algo ou alguém, ou de não estar se realizando em algum trabalho.

   Cintura –> Os pneus nesta área denunciam pessoas de comportamento negligente, relapsas no sentido psíquico e espiritual, que não encontram equilíbrio nas suas emoções agindo, muitas vezes, com agressividade ou prepotência para protegerem sua individualidade. Simbolizam também o excesso de contrariedade que você acumula e de que não se desapega.

   Culote -> Gordura –> Simbolizam o pai e todo relacionamento amoroso e quando ocorrem conflitos, mágoas, ressentimentos, aparecem os culotes.

   Glúteos –> Os músculos dos glúteos representam o poder de tomar as próprias decisões, de ter coragem e determinação para caminhar com as próprias pernas sem depender emocional e financeiramente de ninguém. Nádegas murchas ou caídas simbolizam o medo inconsciente da solidão e de perder o controle, demonstrando o quanto se está vivendo sob a influência de terceiros, muitas vezes abrindo mão de seus prazeres pessoais. Nádegas grandes demonstram poder de decisão, pessoas que sentem mais os prazeres físicos, não aceitam ser comandadas nem controladas, gostam de mandar, muitas vezes são autoritárias.

   Obesidade/ Gordura Localizada –> forma inconsciente de proteção contra problemas externos, um casulo no qual se esconde os medos, aborrecimentos, perdas, raivas, mágoas e inseguranças. É o mecanismo de defesa que o inconsciente cria para proteger-se daquilo com que o consciente não sabe lidar. A gordura localizada, dependendo de que região está, tem um significado específico (veja outros itens nessa relação de problemas estéticos).

   Panturrilha –> a perna simboliza a impulsão para o futuro e é o músculo da panturrilha (gastrocnêmio) que impulsiona a coxa e, consequentemente, o corpo para a frente. Panturrilha fina indica que a pessoa não tem impulsão própria para seus ideais, falta-lhe determinação e coragem para, sozinha, ir em busca de seus sonhos. Panturrilhas tonificadas simbolizam pessoa ativa, autoconfiante, dona de suas próprias opiniões e desejos.

   Papeira debaixo do queixo –> pessoas que odeiam críticas e sentem-se carentes e agressivas quando lhe apontam algum defeito. Quanto mais reagem às críticas, mais sua papeira aumenta.

   Peitos e Mamas (Flacidez) –> Toda flacidez simboliza a falta de iniciativa e força de vontade para vencer. O peitoral e as mamas expressam a coragem, a ousadia, a força interior. Se há gordura localizada nos músculos peitorais e flacidez nas mamas, isso significa que a pessoa está guardando ressentimentos e que desistiu de lutar pelos seus objetivos, por sentir-se oprimida ou por acreditar que não pode mudar o destino.

   Mamas (Tamanho) –> Quando as mamas são pequenas, isso denota uma mulher Yang, ou seja, que não admite autoridade sobre ela e que repudia a idéia de ficar presa ou ser comandada por alguém ou alguma situação. Quando as mamas são grandes, a mulher é Yin, ou seja, tem tendência a anular-se devido a um instinto maternal exagerado.

   Quadris e Ombros –> Quadris largos simbolizam princípio feminino predominante, ou seja, são pessoas sensíveis, que se magoam com facilidade, porém revelam-se ótimas para cuidar do lar e dos filhos. Ombros largos representam coragem para enfrentar as adversidades da vida. Ombros estreitos indicam ausência de ousadia e coragem, geralmente pessoas que se colocam em posição de vítimas, acusando outras pessoas pelos seus fracassos na vida.

   Lado direito do corpo –> Conflitos com mulheres.

   Lado esquerdo do corpo –> Conflitos com homens.

Interprete os sinais de nascença do seu corpo

 


Você tem no seu corpo algum sinal de nascença? Acredita-se que foi formado enquanto era um embrião, no seu nascimento ou pelo efeito psicológico do desejo da sua mãe que não foi realizado durante a gravidez.

De qualquer maneira, é possível interpretar este sinal, tanto o de nascença como o adquirido. Deve-se levar em consideração quatro particularidades:

 

  • Tamanho:quanto maior, mais chances de boa sorte. Quando o sinal é pequeno, ele não tem validade.
  • Forma:
    * redonda: indica boa saúde, aquisição de posses e bom relacionamento afetivo.
    * profunda ou angulosa: bens adquiridos com muito sacrifício.
    * ovalada: pessoa afortunada.
    * proeminente na pele: destaque na mídia, pessoa muito popular.
  • Cor:
    todos os sinais de modo geral, são de bom augúrio, independente da cor. As mais escuras indicam sucesso, sendo necessário precaver-se da inveja.

    Locais do corpo humano:

    Abdome: preocupação com os bens materiais. A velhice está assegurada.
    Boca: sensualidade e tendência artística. A pessoa nunca será reduzida à pobreza. Também não aceita imposição ou crítica da família.
    Bochecha esquerda: as dificuldades serão superadas com muita batalha
    Bochecha direita: felicidade no casamento.
    Braço direito: os empreendimentos financeiros terão resultados positivos.
    Braço esquerdo: proteção espiritual. Cuidado com a impulsividade.
    Costas: responsabilidade por cuidar da família, tendência a ostentação. Dignidade, coragem e superioridade. Se o sinal for próximo do cóccix, denota sensualidade e apreço ao luxo.
    Coxa direita: temperamento entusiasmático. Prosperidade e casamento feliz.
    Coxa esquerda: sempre está ajudando as pessoas (especialmente a família) podendo no futuro, sofrer injustiças.
    Estômago: ver abdome.
    Garganta: ver pescoço.
    Joelho direito: vida conjugal feliz e próspera, sem preocupações.
    Joelho esquerdo: você age depois de muito pensar. Humildade excessiva.
    Mandíbula (lado esquerdo ou direito): provedor da família. Cuidado com pessoas próximas invejosas.
    Mão (esquerda ou direita): grande capacidade para criar, escrever ou desenhar. Sorte na vida, graças ao seu talento.
    Nádegas: pessoa correta, não gosta de injustiças. É incapaz de prejudicar o próximo em benefício pessoal.
    Nariz: indica boa sorte com o sexo oposto. Sucesso, prosperidade, mudanças freqüentes de residência, cidade ou país. Viverá feliz no meio artístico.
    Olhos (esquerdo ou direito): discrição, segredo, intuição, bondade e generosidade.
    Ombro (esquerdo ou direito): trabalho árduo e vitória. Poderá passar por tempos difíceis até os 25 anos. Responsabilidade por ser o mantenedor da casa (talvez pela ausência paterna). Proteção dos anjos.
    Orelha (esquerda ou direita): inquietação, sexualidade intensa, temperamento agitado. Predileção por esportes. Não se deixe influenciar pelos outros.
    Pé (esquerdo ou direito): predileção por viagens, entrega total à paixão pelo sexo oposto. Inteligência, agilidade e criatividade.
    Peito (esquerdo ou direito): tendência a fortuna, lar feliz. Confiança, ambição, simpatia, generosidade, decisão e determinação. Deve ter cuidado para não ser lesado financeiramente pelo sexo oposto.
    Perna (esquerda ou direita, abaixo do joelho até o tornozelo):natureza descuidada nos negócios. Tente ser mais gentil e não agressivo com os mais próximos.
    Pescoço: carreira bem sucedida. Proteção espiritual.
    Pulso (esquerdo ou direito): Inteligência. Seu talento natural será um valioso triunfo. Felicidade.
    Quadril (esquerdo ou direito): pessoa guerreira, independente, terá filhos saudáveis e vida longa.
    Queixo: o destino estará favorecendo seus empreendimentos, especialmente na área artística.
    Sobrancelha (esquerda ou direita): sabe o que deseja desde cedo. Independência financeira e casamento feliz. Tendência ao naturalismo.
    Testa (lado esquerdo ou direito): enorme capacidade mental, inteligência brilhante. Bom articulador, político. Sempre ajuda os mais próximos e por isso, obterá fama e prosperidade. Siga somente sua intuição. Se o sinal estiver no meio da testa, o possuidor terá grande sucesso com o sexo oposto e possibilidade de obter ganhos financeiros na carreira artística. Se for homem, será um Don Juan.
    Tornozelo (esquerdo ou direito): revela um desejo de envolver-se rapidamente com alguém. Fidelidade, vaidade, grande energia, otimismo e independência financeira.

Jogo de Runas & Tarot terça-feira, nov 1 2011 


INVOCANDO O PODER DAS RUNAS

 

 

 

Existem duas lendas que explicam como o deus Odin obteve o a sabedoria das Runas… Mas antes de relatar isso, abaixo algumas “invocações” iniciais…

“Odin, protetor do sol e do oceano, defensor da lua e pai de tudo. Possuidor da sabedoria oculta, senhor das hostes das fadas, caçador selvagem do céu, regente do inferno e encruzilhadas, eu (diga seu nome) o invoco e peço sua ajuda na grande obra. Hoje busco (diga sua intenção) com seu auxílio e a sabedoria das runas mágicas que estão sob sua proteção.”

“Grande Odin, Mestre das Runas secretas, guie minhas mãos e pensamentos para que minhas perguntas sejam respondidas com verdade e correção. Em nome de Thor, Freya e Baldur, e pelo poder mágico do vento, do fogo e da água.”

Edda ou Canto rúnico de Odin
“Encontrarás as runas, símbolos mágicos,
bons, fortes e poderosos,
como assim os quis o senhor da magia,
como os fizeram os deuses propícios,
como os gravou o príncipe dos sábios.”
(Eddas são poemas compostos pelos Vikings.)

“Oh! Nornas, vós que teceis os destinos dos homens em seus teares e que atendeis pelos nomes de Urd, Verdanki e Skuld, guiai-me em busca da sabedoria e da paz espiritual. Vós que guardais a Árvore do Mundo, dai a mim também a sabedoria secreta das Runas. Odin, grande senhor, peço ajuda e o poder de ler as Runas mágicas que estão sob vossa proteção.”

Odin e as Runas

As runas foram idealizadas por Odin, o deus nórdico, deus dos Vikings. Nas cartas de tarô ele representa o Ermitão ou o Arcano de número 9. Odin tinha apenas um olho.

“OD” significa espírito, vento. Odin é associado a Hermes, Thot, Mercúrio, deus da escrita, da agilidade mental, das mil facetas. Mágicas e proféticas, as Runas fazem parte da tradição cultural dos vikings.

As Runas são um Oráculo Nórdico. Seu criador Odin o pai de todos os deuses do panteão nórdico, o deus guerreiro, o deus dos ventos do norte, o deus da poesia, da antiga Escandinávia e Germânia.

Segundo uma das lendas vikings ele ficou dependurado de cabeça para baixo na Árvore Sagrada, Yggdrasil (seu tronco ligava o céu com a Terra), a Árvore da Vida ou do conhecimento, para obter sabedoria. Nela, Odin se flagelou com a própria lança, durante nove dias e nove noites, e permaneceu sangrando com fome e com sede. Ao término desse período, avistou no chão as Runas e adquiriu o conhecimento secreto.

O número 9 é um número lunar que quer dizer a nona esfera, a casa da espiritualidade, onde no mapa astral está Netuno, é a nossa missão de perdão e humildade.

O lema das Runas deveria ser: “Conhece-te a ti mesmo”. Pois elas permitem um auto conhecimento, estabelecem um elo entre o Eu e o Divino. Num breve período de interação com as Runas nos fez estabelecer uma zona livre aonde nossa vida se torna maleável, vulnerável e aberta às mudanças.

Odin as divulgou entre seu povo como símbolos de sabedoria e do conhecimento de todos os mistérios dos deuses e dos homens. Convém lembrar que Odin era um deus e era imortal, como Zeus do Olimpo, mas também trazia as fraquezas mortais, tinha a necessidade de fazer sexo, sentia todas as dores dos humanos, passou fome e sede, foi até açoitado pela fúria dos ventos para poder desvendar o mistério…

Magia Rúnica

As Runas são uma forma de escrita usada pelos iniciados de tradições ocultas – pagãs, para transmitir informações mágicas. A magia rúnica era amplamente usada por: sacerdotes, ocultistas, sacerdotisas da velha religião pagã ou por um xamã (mago) era aquele que operava fora do sacerdócio oficial.

A magia das Runas tem poderes em todas as áreas. Eram transmitidas pelos mestres aos iniciados por via oral. Os iniciados aceitos, recebiam um anel de prata gravado com caracteres rúnicos, esculpidos em dias, horas e lua apropriados.

As Runas são símbolos que contém a sabedoria do deus nórdico Odin, são benéficas e tolerantes; elas nunca o prejudicarão.
Aprenda a sua linguagem e deixe que elas lhe falem. Elas o ajudarão a conhecer melhor a si próprio, mostrando caminhos e advertindo de perigos, levando-o a escolha de uma melhor posição perante as situações.

Você pode comprar suas runas em casas especializadas, ou se preferir você mesmo pode confeccioná-las usando pedras, sementes, madeira, ou o que preferir. Elas devem ficar guardadas em um saquinho de pano, de preferência que não seja muito pequeno, pois você vai precisar colocar sua mão dentro dele.

Veja agora algumas maneiras de consultar as runas e o significado de cada uma delas…

volta ao topo

O Significado das Runas e Métodos de consulta

Todo ser humano possui um determinado grau de vidência, embora na maioria das pessoas, esteja somente em estado latente. Todas as formas de adivinhação fluídica tendem a despertar o lado psíquico natural daquele que está fazendo as previsões para agir como ponte entre os processos racionais de pensamento da mente consciente e o modo intuitivo da mentalização empregada pela mente subconsciente.

Cada runa apresenta uma série de conceitos, que são expressos por símbolos ou imagens. A mente subconsciente trabalha melhor com imagens.

O que são Runas?

As Runas são uma das primeiras formas da arte de adivinhação e magia, ainda não admitida pela ciência. É um oráculo criado e usado pelos vikings há aproximadamente 9 séculos. Os chamados xamãs (ou sacerdotes) bárbaros as usavam como ferramenta primordial. Geralmente encontradas em formas de pedras ou qualquer material sólido (tal como madeira, plástico, argila), mas também é possível encontrá-las em forma de cartas.

A adivinhação rúnica apresenta afinidades com todos os outros métodos de previsão que se apoiam na distribuição fortuita ou seleção de símbolos para estimular a clarividência latente do vidente em atividade. Esse tipo de adivinhação é chamado de fluídico ou mutável.

Elas possuem diversas formas de serem jogadas e lidas. Alguns as jogam como os búzios, geomância, jogo de dados, outros como o I Ching. Ainda há aqueles que com a criação das runas em cartas, as jogam como numa leitura de Tarô.

Acredita-se que os antigos xamãs as usavam para as mais variadas perguntas, geralmente relacionadas a conquistas bélicas ou às atividades como agricultura, festas religiosas e para orientação marítima. Muitas viagens bélicas eram incentivadas por retiradas rúnicas e antes de uma guerrilha, era indispensável a consulta ao oráculo.

A arte de adivinhação rúnica é, às vezes, chamada de “jogo das runas” e, por meio do método primitivo que utiliza as nove runas simbólicas gravadas na pedra, elas são de fato “jogadas” ou lançadas diretamente ao chão ou sobre um pano destinado ao jogo.

A memória racial desta prática influenciou a linguagem da arte da adivinhação rúnica, embora o alfabeto das runas não seja em geral “jogado”. No dialeto rúnico, o método e a ordem na qual os símbolos estão dispostos é que dá a sua interpretação.

O xamã teutônico começou estipulando nove Forças Universais, como os egípcios, que montaram sua religião em torno do conjunto nove (e isto provavelmente justifica a ressonância entre a magia egípcia e a teutônica). Essas nove Forças Universais foram identificadas com o Sol e a Lua, os cinco planetas visíveis a olho nu (como não possuíam telescópios, os teutões não conheciam nada além de Saturno) e os nodos norte e sul da Lua.

Os astros possuem grande influência sob as magias, para você saber que tipo de magia cada planeta influência aqui vai um pequeno resumo:

Sol: Relativo às amizades, ao ego, à auto confiança. É o símbolo do poder masculino.
Lua: É o planeta dos fluxos e refluxos, da cura, da pureza, dos poderes ocultos. É o símbolo do poder feminino.
Mercúrio: Relativo à palavra. É o planeta do conhecimento, do comércio, das trocas.
Marte: É o planeta da guerra, força, coragem, da paixão arrebatadora.
Vênus: Relativo ao Amor e aos bens materiais.
Júpiter: Relativo à expansão. É o planeta da sorte, da multiplicação, da fartura.
Saturno: Relativo à sabedoria e ao estudo.

Eram os modos de expressão dessas energias básicas combinados com as alianças funcionais que formavam entre si, personificadas nas 24 runas do Antigo Alfabeto Rúnico. O primeiro símbolo no Antigo Alfabeto Rúnico é a runa FEOH, cujo significado é “gado”.

De onde vieram as Runas?

Vinda de tão remota época, as Runas tomam parte de uma famosa divulgação, pois a partir do século V d.C., quando começaram as Grandes Invasões, vários países da Europa tomaram conhecimento não somente do Oráculo como de seu significado e de sua tradição.

A mitologia diz que Odin, o todo poderoso, antes de ser santificado e adorado, era um homem comum, que vivia de pequenos furtos e roubos ao longo de sua vida nômade. Preso depois de anos burlando as leis germânicas, Odin foi condenado a morrer preso à uma árvore.

De uma forma um tanto grotesca para os dias atuais, o condenado deveria ser amarrado de cabeça para baixo, quando sem bebida nem comida, morria invariavelmente dentro de muito pouco tempo. Entretanto, foi durante este castigo que Odin encontrou pedras brilhantes dentro de um lago sobre o qual ele fora dependurado.

Livrando-se das cordas que o prendiam, Odin apoderou-se daquelas fascinantes pedras desenhadas que tanto o encantaram e viveu durante anos, escondido nas montanhas do alto Rio Reno. Nesse tempo, ele conseguiu elaborar vários hieróglifos, quase todos baseados na escrita germânica, e um significado especial para cada um deles.

Elas se tornaram o mais famoso oráculo dos vikings. Depois de sua morte, Odin foi visto como deus e as Runas (nome originado da palavra Rune: pedra), tornaram-se conhecidas por todo um povo.

Os ensinamentos ocultistas, independente de que ramo sejam – oriental ou ocidental, hermético, cristão ou panteísta -, asseguram que há somente um número limitado de energias básicas ou forças universais espalhadas no Cosmos. As fés mais antigas representaram para si Forças Universais com aparência antropomórfica porque reconheciam não só como imensamente poderosas, mas também úteis e inteligentes.

Portanto, personificavam tais energias por meio de associações refletidas nelas mesmas, embora muitas vezes mais altas e imponentes porque não conheciam outras espécies que possuíssem poderes de raciocínio semelhantes aos delas. Essas personificações tornaram-se os deuses e as deusas dos vários panteões, enquanto as fés monoteístas – Judaísmo, Cristianismo, Islamismo – optaram por classificá-las como “Arcanjos”.

O significado das Runas foi aprimorado conforme o tempo. Na Idade Média, com a pressão da inquisição, elas foram duramente perseguidas, sendo consideradas trabalho de hereges. Assim como o Tarô e as cartas ciganas, elas frequentavam lugares lúgubres e escuros nos quais essas práticas adivinhatórias eram muito bem aceitas.

Demorou muito tempo para que as Runas tomassem voz no mundo místico. Devido ao seu ensinamento, que era mais oral do que escrito (por isso não possuía leis escritas), sofreram um isolamento em seu estudo até meados do século XX. Talvez tenha sido um dos últimos que foram descobertos e analisados.

Embora cada runa represente um complexo de ideias, não importa o quão diversas ou restritas possam parecer à primeira vista, existe sempre um elo definido entre elas. Uma vez descoberta esta conexão, pode-se estabelecer com facilidade um grande número de conceitos relacionados na mente consciente, como se todos estivessem amarrados em fileira, como contas num colar.

Priscila de Paula: r_u_n_a_s@hotmail.com

volta ao topo

ALFABETO RÚNICO

FUTHARK (ou Fupark) é o nome dado ao alfabeto das runas, que consiste em 24 runas. Estas runas estão dedicadas a três deuses nórdicos e estão divididas em três grupos de oito, conhecidos como Aett (palavra do idioma escandinavo antigo que significa família, tribo ou clã), Aett de Frey, Aett de Hagal e Aett de Tyr. São eles:

Aett de Frey ou Freya (deuses da fertilidade)
Representa o mundo material e confere num sentido geral: fortuna, proteção, força, sabedoria, viagem, iluminação, presentes, alegrias e amor. Representa os primeiros passos do aspirante rumo à meta final, e oferecem indicadores para o resto de sua jornada interior simbólica. Uma vez alcançado esse estágio, o aspirante estará pronto para deixar os confortos do mundo material e encontrar-se com as forças da natureza no próprio reino delas.

Aett de Hagall (deus das forças da natureza)
O Aett das forças elementares da natureza, é a quebra das necessidades impostas pelo mundo externo e a entrada no mundo regido pelas forças da natureza, confere: saúde, morte, perdas, transformações, limitação, necessidade, congelamento, colheita, defesa, guia espiritual, proteção, sol.

Aett de Tyr (deus da guerra)
O Mundo Espiritual, é o Aett que nos conduz à nossa meta espiritual, ou à procura para o mundo espiritual, nos confere: coragem, nutrição, mudança, auto-conhecimento, despertar intuitivo, novos começos, modificação pessoal, rupturas radicais.

Ainda existe uma runa somada ao alfabeto que não peretence a nenhuma das 3 famílias acima, é a runa do destino. Entre as 25 runas, nove se leem do mesmo modo, as outras 16 podem ser lidas em pá ou invertidas, e estas indicam uma situação que pode impedir o movimento ou que o movimento não deve ser tentado nesse momento.

Ciclo da auto-transformação: são runas que formam um campo de energia dentro do alfabeto rúnico. Quando duas ou mais dessas runas aparecerem juntas numa leitura, trazem sucesso e crescimento pessoal. São elas: Ansur, Ur, Nied, Thorn, Hagal, Ken, Rad, Eoh, Peorth, Berkana, Ing, Daeg, Othel.

volta ao topo

NUMEROLOGIA RÚNICA

Somar o nome de batismo, mais o dia, mês e ano do nascimento, desdobrando a soma. O número final indica o número de pedras rúnicas para o trabalho artesanal do talismã. Grave seu nome no talismã ou use no seu número de pedras os símbolos rúnicos que achar conveniente.

1 2 3 4 5 6 7 8 9
A B C D E U O F Y
I K G M H V Z P
Q R L T N X
J S
volta ao topo

A ÉTICA

Quem nos consulta, faz isso porque em geral está procurando ajuda para problemas de diferentes ordens. Para tais pessoas o futuro pode parecer um vácuo negro e a tarefa do lançador de Runas consiste em acender uma luz na escuridão a fim de que a sombra dos acontecimentos futuros possa ser discernida.

Nós devemos ter algum conhecimento da natureza humana e da psicologia básica. Precisamos ser bons ouvintes e termos a capacidade de nos comunicar facilmente com pessoas de todas as classes sociais.

O consulente deve sentir-se a vontade durante a leitura e ser tranquilizado no sentido de que toda a informação confidencial que revelar sobre a sua vida particular permanecerá secreta. Para uma pessoa confiar seus desejos e medos mais profundos ao lançador de Runas, ela deve ter certeza de que tudo o que revelar não será comentado.

Como qualquer psiquiatra nos dirá, a mente é uma arma muito poderosa tanto para o bem quanto para o mal, revelar ao consulente indicações de morte ou algum mal acontecimento vindouro, poderá até mesmo precipitar o acontecimento, pois, a auto-sugestão é uma força poderosa, sobretudo se o consulente estiver deprimido ou se sentir emocionalmente inseguro, aconselha-se a adotar uma linha de conduta coerente e de bom senso.

Para iniciar uma consulta, faça uma oração ao seu anjo da guarda ou ao seu guia protetor antes de iniciar o ritual e ascenda sencô (varinhas de incenso). Para as mulheres não é bom consultar nos períodos menstruais.

Você sempre obterá uma resposta às suas perguntas, pois as runas não responderão sim ou não, mas lhe fornecerão os dados para a definição da ação mais correta, orientando e esclarecendo suas dúvidas. E lembre-se de que cada um de nós é o único responsável por nossas vidas, com todas as possibilidades de escolha de uma vida feliz e harmoniosa.

É favorável pedir somente o necessário, pois a ganância pode exigir do pedinte um tributo que ele não estaria em condições de pagar, tenha cuidado com os “retornos”.

  • Domingo (Sunday, Sontag): Baldur; Freyr; Sol; Para o sucesso pessoal, fertilidade e cura.
  • Segunda-feira (Monday, Montag): Friga; Lua; Para coisas relacionadas com o ego e poderes psíquicos.
  • Terça-feira (Tuesday): Tyw; Marte; Força; Sobre oponentes e rivais.
  • Quarta-feira (Wednesday): Odin; Mercúrio; Assuntos relacionados a comunicação, a sabedoria e o conhecimento.
  • Quinta-feira (Thursday, Donnerstag): Thor; Júpiter; Para dinheiro, bens e riquezas materiais.
  • Sexta-feira (Friday): Freya; Vênus; Para assuntos de amor e sexo.
  • Sábado (Saturday): Saturno; As Nornas; Para saber sobre o futuro, o destino.

Pintar as Runas nas cores: vermelha confere energia vital, em azul cor consagrada a Odin e em amarela que é a cor planetária de Mercúrio. Árvores Sagradas: Bétula, Sorveira e Freixo. Você terá que “sentí-las” e se familiarizar com as formas pelas quais elas interagem.

volta ao topo

MÉTODOS DE TIRAGEM

I) Runa de Odin ou Runa única:
Esta é a possibilidade mais simples para a prática do oráculo. Seu espírito é o mais próximo do julgamento délfico da Grécia antiga e com ele pode-se obter uma resposta positiva e imediata. Por isso é especialmente indicado para elucidar situações ou dúvidas que não exijam muitas explicações, nem admitam hipóteses muito complexas. Basta a bolsa das runas, um lugar tranquilo que permita alguns momentos de meditação, pensar no problema que motivou a consulta, formule a questão, depois de alguns minutos, retira-se uma runa da bolsa. Sua análise oferecerá uma visão geral da situação, incluindo suas perspectivas, sua posição e suas condições atuais.

II) Método de Três ou solicitação as deusas do destino – pergunte para as Nornas:

(1) (2) (3)

(1) situação atual, o problema
(2) ação necessária, o que se deve ou não fazer
(3) nova situação que sucederá, o futuro, o que acontecerá se o consulente fizer o que a segunda posição indicou

III) Cruz elementar:
Esta leitura é boa para informar onde você se encontra no tempo ou como você está no momento.

(1) passado, o que conduziu ao atual problema
(2) presente, o tipo de problema
(3) futuro
(4) base, o tipo de ajuda que o consulente pode esperar, forças ocultas
(5) meta, o que não deve ser alterado e deve ser aceito, a nova situação
(6) caminho mais fácil, o que o consulente deve fazer, a ação
(6)
(5)
(1) (2) (3)
(4)

IV) Tiragem do espírito:

(1) infância
(2) presente
(3) futuro
(4) encarnação passada
(5) encarnação futura
(5)
(1) (2) (3)
(4)

V) Tiragem na mandala:
Desenhe um pano da cor de sua preferência (azul), três círculos, sendo o primeiro um círculo interior – self, o segundo corresponde ao círculo do meio, do ego – decisão pessoal e o último e terceiro círculo representa o inconsciente universal – “caminho livre”. A mandala das runas é dividida em oito partes…

VI) Cabeça de Mimir:
Esta jogada é indicada para questões que têm muitas variáveis.

(1)(2) (3)(4)(5) (6)(7) ou

(1) (2) (3) (4)
(5) (6) (7)

VII) O Portão do Céu:
Ler em pares, sendo a posição 23, 24 o 12º mês, tendo em vista o dia da tiragem. E a posição (25) dará características gerais, válidas para o ano, a ênfase do ano.

(23 – 24)
(21 – 22)
(1 – 2)
(19 – 20)
(3 – 4)
(17 – 18)
(25)
(5 – 6)
(15 – 16)
(7 – 8)
(13 – 14)
(9 – 10)
(11 – 12)

VIII) A Cruz Céltica:
Esta jogada é copiada do Tarôt e é muito popular.

(1) problema
(2) obstáculo
(3) influências do passado
(4) influências no futuro
(5) ideais que motivam o consulente
(6) o que pode ser feito para influenciar os acontecimentos
(7) até que ponto o problema pode ser suportado
(8) os fatores favoráveis
(9) as esperanças
(10) resultado final (somado com a quarta posição)
(10)
(3) (9)
(5) (1) (2) (6) (8)
(4) (7)

IX) A Cruz de Thor:
As runas são colocadas no sentido horário, na forma de uma cruz grega e no centro coloca-se a quinta runa.

(1) base, as influências gerais que cercam a indagação, a pergunta
(2) obstáculos com que se defronta o consulente, ou os obstáculos que encontrará
(3) forças que trabalham a favor
(4) consequências a curto prazo, sob forma de resposta à pergunta
(5) influências a longo prazo
(3)
(2) (5) (4)
(1)

X) Modo astrológico:
Esta jogada é muito indicada, pois considera várias áreas e aspectos.

(10)
(11)
(9)
(12)
(8)
(1)
(13)
(7)
(2)
(6)
(3)
(5)
(4)
volta ao topo

Mitologia Celta

Estátua de Arianrhod – A deusa-lua Celta.
Pilar de Brigid – A deusa Celta da fertilidade, lareira, maternidade, abundância, cura e da inspiração poética.
Estátua de Cernunnos – O deus Celta da fertilidade, riqueza e dos infernos.
Estátua de Epona – A deusa Gaulesa dos cavalos.
Estátua de Lugh – O deus Celta Senhor de Todas as Habilidades.
Estátua de Morrigan – A deusa Celta da batalha, do conflito, e da fertilidade.
Bronze de Sheila-na-gig – A deusa da fertilidade na mitologia Britânico-Celta.
Entalhamento de Wayland – O deus ferreiro da mitologia anglo-saxã (sentado à extrema direita do entalhe).
Estatueta de Freya – A deusa do amor e da fertilidade, e a mais bela e solene das deusas.
Estatueta de Freyr – O deus do sol e da chuva, e patrono das colheitas generosas.
Estatueta de Odin – O deus principal do panteão Escandinavo.


A Kodak pesquisou os sinais rúnicos entre 1928 e 1930.

Para ser estudado:
– A Iugoslávia tem a ver?
– Os Vickings viajavam nos mares e nunca tiveram algum acidente?
– Parte saxônica – onde localiza-se?
– Existem 3 tipos de runas: a inglesa têm 32 pedras, de Odin 25 pedras e outra que num cursinho não souberam passar…. São realmente 3 tipos?

12 das 16 runas zodiacais (as 4 que faltam, representam posições estelares específicas da região nórdica).


BIBLIOGRAFIA

  • RUNAS Interpretação, Simbolismo E Adivinhação – Anthony Clark e Tony Willis – Editora Pensamento
  • A Magia Das Runas – Michael Howard – Editora Hermes
  • Iniciação Às Runas – Ligia Amaral Lima – Editora Record
  • Rune Magic – Deon Dolphin
  • The Runic Workbook – Tony Willis
  • O Livro das Runas – Ralph Blum – Editora Bertrand Brasil
  • Runas – Juan de Garten – Editora Traço
  • Os Ensinamentos Secretos de Todas as Eras – Manly Hall (Afirma que o sepulcro de Odin está em Upsala, na Suécia, país onde também no século V foi encontrado o alfabeto rúnico)
Tarot

MÉTODOS DE TIRAGEM

 

 

 

MÉTODOS E EXEMPLOS DE LEITURA

Em todos os Tarôts, seja o clássico de Marselha, ou as diversas modalidades (Egípcio, Arturiano, Celta, etc.), existe um grande número de métodos para leitura. De qualquer maneira, é preciso sempre ressaltar que as leituras possuem caráter simbólico, na medida em que trabalham com categorias abstratas de valores universais.

A boa leitura é aquela feita com um leitor e um consulente, no entanto não é descartável que o próprio consulente faça a leitura. Neste Tarôt aqui apresentado, o Tarôt dos Deuses, apresentaremos três tradicionais esquemas de leitura: cinco, sete e dez cartas.

TARÔ DOS DEUSES

ORIGEM E SIMBOLOGIA

O tarô é um jogo esotérico que incorpora de forma simbólica valores que caracterizam a história das diversas civilizações, tais como: poder, esperança, autoridade, perseverança, etc.

Prática adivinhatória das mais difundidas e pesquisadas em todo o mundo, o tarô enquanto oráculo definido pelos valores acima descritos, é e foi motivo de adaptações e releituras que desde o século passado intriga e fascina a leigos e iniciados.

Figuras notórias do campo teosóficos como Eliphas Levi e Papus, que aprofundaram o estudo do tarô em suas relações com a árvore da vida da Cabala, destacaram esta peculiaridade do jogo, na qual cada carta encerra aspectos marcantes no que se refere aos já citados valores, que a grosso modo, aparecem em todas as civilizações e culturas conhecidas.

A concepção de um Tarô greco-romano, parte do princípio no qual as cartas tradicionais, que se inspiram na cultura medieval, corresponderiam à figuras da mitologia grega. Neste sentido, as cartas do Tarô dos Deuses, incorporam a simbologia e os valores místicos das divindades do Olimpo, de forma que os desígnios e caminhos dos 22 Arcanos Maiores passam a ser definidos pelos aspectos valorativos das divindades gregas.

A concepção de 22 cartas é, segundo a tradição taróloga de Papus e Levi, uma definição com base nos 22 caminhos da árvore da vida da Cabala, o centro básico da mística judaica e que de certa forma traduz os imperativos esotéricos contidos nas mitologias conhecidas.

Neste tarô, trabalharemos não só com figuras da mitologia grega como Zeus, Hera, Apolo e outros, mas também com situações e locais, tais como A Ira de Possêidon, O Olimpo, etc.

Em suma, buscamos realizar um trabalho cujo objetivo é possibilitar leituras e reflexões com base na cultura e mitologia greco-romana, sem contudo descaracterizar os princípios históricos e metafísicos da tradição medieval do Tarô de Marselha.

MÉTODOS PARA LER A SORTE COM OS ARCANOS MAIORES DO TARÔT

Existem diversos métodos de ler o Tarôt. Alguns usam apenas os 22 arcanos maiores (arcano é uma palavra que vem do latim arcana, que significa mistério), enquanto outros utilizam as 78 cartas que compõem o maço.

Esta variedade de técnicas não é fortuita ou seja, cada método tem uma razão de ser e um porque, pois o Tarôt não pode responder da mesma maneira aos diferentes tipos de perguntas formuladas.

Isto é, a uma questão complexa, que abrange dúvidas sobre vários setores da vida do consulente, ele vai responder com uma complexidade similar, tentando atingir os diferentes níveis de influência; porém de forma contrária, quando uma pergunta é simples, as cartas darão o seu recado com a mesma simplicidade, sem entrar em detalhes ou em aspectos secundários.

Para se ler o Tarôt, também é necessário que se observe bem o desenho, a sua expressão e suas cores, porque para cada pessoa o arcano passa uma imagem diferente.

volta ao topo

RESPOSTA IMEDIATA

Esta é uma técnica adequada para perguntas simples, que exijam respostas curtas e rápidas. Utilizam-se apenas os arcanos maiores, depois de embaralhar as cartas, coloque-as viradas para baixo sobre a mesa, misture-as com movimentos circulares de ambas as mãos, o consulente deve cortar o maço com a mão direita e colocar a parte cortada para baixo, juntando o maço novamente.

A seguir, o consulente escolhe um número menor que 23 e o leitor conta as cartas até o número escolhido; a carta que corresponder a este número é separada e colocada na mesa à esquerda do leitor.

Toda operação é repetida 3 vezes, tirando-se mais 3 cartas que devem ser colocadas formando uma cruz na seguinte ordem: A segunda a direita do leitor, a terceira acima e a quarta abaixo.

Para obter o quinto arcano, que ocupará a posição central da cruz somam-se os números dos arcanos que já estão sobre a mesa. Se o número resultante for superior a 22, some os algarismos desse número, o resultado dessa soma indica o número do arcano central.

volta ao topo

O SANTO DA PESSOA

O consulente embaralha os arcanos maiores, junta o maço e corta em duas partes, então tiramos as três cartas superiores representando assim:
primeira posição: define o santo da pessoa
segunda posição: revela o que há de bom ou mal na vida da pessoa
terceira posição: revela a proteção da pessoa

[ 2 ] [ 1 ] [ 3 ]

volta ao topo

TIRAGEM INTUITIVA

Esta técnica permite que o leitor entre melhor no mundo do consulente, para isso deve-se concentrar muito bem na questão e no consulente, tentando senti-lo.

O leitor pede para o consulente cortar o maço embaralhado dos arcanos maiores; ou então, se preferir usar os arcanos menores e maiores juntos, é aconselhável utilizar o meio de se embaralhar das sete cartas. Assim o leitor começa a deitá-las na mesa de acordo com o lugar que o leitor sentir mais vontade, por hora, só deve seguir uma regra, que é fundamental, a forma geométrica desmembrada da seguinte maneira:

Cartas de baixo – a base do problema, pessoas, fatos e origem.
Cartas do meio – o problema, comportamento do consulente e dos aspectos, o que deve ser feito.
Cartas de cima – definição, julga todas as cartas da consulta dando o resultado final da questão.

[ ] DEFINIÇÃO [ ] [ ] [ ]

[ ] [ ] PROBLEMA [ ] [ ] [ ]

[ ] [ ] [ ] BASE [ ] [ ] [ ]

volta ao topo

TIRAGEM DA CABALA

(1) meta
(3) passado (5) resposta (4) futuro
(2) base

Somar as cartas 1, 2, 3 e 4 e o número que resultar vai ser a carta de número cinco, que é a energia que passa.

volta ao topo

LEITURA DAS CINCO CARTAS

1) O consulente deve cortar o baralho e colocar a parte cortada para baixo, juntando-os novamente.
2) O consulente deve formular uma questão.
3) O consulente escolhe um número menor que 23. Tendo escolhido, o leitor conta as cartas até este número, separando do lado a que corresponde ao número escolhido. Esta carta deve ficar à esquerda do leitor.
4) Esta operação deve ser repetida três vezes até formar uma cruz na seguinte ordem: a segunda carta à direita, a terceira acima, a quarto abaixo.
5) Após tal procedimento some os valores das cartas (número dos Arcanos ou Deuses). Caso este número seja igual ou maior que 23, some os algarismos do número resultante. O resultado final indicará o número do Arcano ou Deus central.

Após formada a cruz, inicia-se a leitura com base na pergunta formulada. A leitura em questão se guiará pelas indicações das posições da carta, como se explica abaixo:

(1) Indica os prós, o favorável, o que se refere ao sucesso desejado.
(2) Indica os contras, o que não é favorável, o que se refere às armadilhas.
(3) Indica o Juiz, aquilo que é correto, as soluções justas.
(4) Indica a sentença, o desfecho, o resultado da questão.
(5) Indica o processo, os fatores que haverão de decidir a situação.
(3)
(1) (5) (2)
(4)

PRIMEIRA POSIÇÃO: O que esta a seu favor na questão, indica os prós, ou seja, pessoas e coisas que são favoráveis, o que deve ser feito para obter o sucesso desejado, qual é a qualidade do consulente que deve prevalecer no momento.

SEGUNDA POSIÇÃO: Indica os contras, o que está agindo direto sobre você, pessoas e coisas desfavoráveis, aquilo que não deve ser feito, as armadilhas a evitar, o inimigo que cria obstáculos.

TERCEIRA POSIÇÃO: Indica o juiz, o que é correto fazer, qual é a solução justa da situação.

QUARTA POSIÇÃO: Indica a sentença, anuncia o desfecho, prevê o resultado da questão.

QUINTA POSIÇÃO: É a síntese, mostra os fatores que intervieram e determinaram a solução final, é a confirmação do desfecho final.

Para que a resposta seja precisa, o consulente deve se concentrar muito bem na sua pergunta e formulá-la de forma clara, concisa e sem ambigüidades.

volta ao topo

AS SETE CARTAS (Tarôt tradicional)

Este método é prático e muito rápido, principalmente quando se deseja obter uma resposta de sim ou não, neste caso são usados os arcanos maiores e menores.

O consulente deve embaralhar primeiramente o maço dos arcanos menores, da onde o leitor tira 11 cartas de cima e as coloca sobre o maço dos arcanos maiores, agora o consulente deve embaralhar as 33 cartas que serão usadas na leitura, com o pensamento firme na pergunta.

O leitor toma então o maço e abre as sete cartas superiores, da esquerda para a direita, se a primeira carta estiver invertida, o leitor deve virar todas as outras. Se das sete cartas, quatro o mais estiverem invertidas, a resposta será não ou o fato esperado vai demorar muito para acontecer.

PRIMEIRA POSIÇÃO: Passado distante, revela os fatos principais que ocorreram na vida passada do consulente e que estão influindo sobre os acontecimentos do presente, ela mostra a origem do fato.
SEGUNDA POSIÇÃO: Passado imediato, mostra fatos ou situações ocorridos recentemente na vida do consulente, que podem já ter terminado ou estar em vias de terminar.
TERCEIRA POSIÇÃO: Influências presentes, geralmente ligada à anterior, revela acontecimentos ou influências que estão agindo no momento sobre o consulente, afetando sua vida, suas perspectivas ou suas atitudes.
QUARTA POSIÇÃO: Obstáculos presentes, mostra se existe algum obstáculo ou risco para o consulente, uma carta a primeira vista favorável pode representar um influência frívola ou supérflua, como uma diversão ou uma atitude inconseqüente, que está agindo sobre o consulente, impedindo-o de enfrentar o problema com objetividade.
QUINTA POSIÇÃO: Perspectivas presentes, esta é a soma da 3 e 4 o resultado delas, indica as possibilidades que se descortinam para o consulente no momento atual, tendo em vista as influências que o cercam.
SEXTA POSIÇÃO: Influências futuras, esta carta quase sempre se liga à anterior e dela depende a realização ou não das perspectivas do consulente, revela a influência que esta começando a agir e que decidirá os fatos no futuro próximo.
SÉTIMA POSIÇÃO: Resultado futuro, este arcano representa a culminação, a resposta final a pergunta feita, desde que as influências mostradas pelas cartas anteriores não se alterem.

(1)(2) (3)(4)(5) (6)(7)

Outra forma de tiragem é a primeira, segunda e terceira posição, significando: passado, presente e futuro respectivamente, lembrando-se de verificar as energias que passam de uma carta a outra: somando-se e diminuindo-se. Depois a quarta posição é a visão consciente, assuntos específicos de sua cabeça; a quinta posição é a visão inconsciente, ou outros em sua vida; a sexta posição significa o resumo e o desafio à vencer e a sétima posição e última representa a visão do taro, isto é, a resposta.

volta ao topo

LEITURA DAS DEZ CARTAS

Este método, ao contrário do anterior é mais abrangente e complexo, abordando um número maior de variedades, tais como influências passadas, fatores externos e outros.

Procedimento:
1) Enquanto embaralha as cartas, o consulente deve mentalizar a pergunta. Após isso deve cortar o maço.
2) O leitor deve juntar e começar a por as cartas sobre a mesa, como mostra a figura. Após ter colocado todas as cartas, ele deve virá-las uma de cada vez, de forma decrescente.

Significado das posições:

(1) A situação presente, o consulente ou a pergunta, esta posição indica a atmosfera física e espiritual que envolve o consulente no momento da consulta. Também pode representar a pessoa (ou pessoas) a respeito da qual o consulente fez a sua pergunta.
(2) A influência imediata, o obstáculo ou o que está em sua cabeça, esta carta “corta” a anterior, significando os obstáculos, as situações ou pessoas que estão afetando diretamente a vida do consulente. Em geral ela representa a natureza real do problema que motivou a consulta ao tarô.
(3) O consulente perante o problema, a meta e seus objetivos futuros, mostrando como o consulente se coloca frente ao problema, ou seja, seus pensamentos, sentimentos, e reações à situação na qual está envolvido.
(4) As determinações do passado, a raiz, a base, a lua, esta posição assinala os acontecimentos, pessoas e emoções do passado que influenciam diretamente na situação em que se encontra o consulente.
(5) O que o consulente desconhece, seu passada mais recente, essa posição está relacionada com aqueles aspectos da situação ou do problema que o consulente ignora. Em alguns casos, o arcano aqui colocado revela elementos muito importantes, cujo desconhecimento impede o consulente de chegar a uma solução favorável do conflito.
(6) As influências do futuro imediato, a carta desta posição antecipa a circunstâncias e os acontecimentos que vão se manifestar no futuro próximo e que inevitavelmente, terão grande influência na situação.
(7) O futuro, a inquiridora novamente, o consulente, a carta aqui localizada revela características de sua personalidade, sua estrutura emocional, seus principais traços de caráter e também sentimentos.
(8) Representa os fatores externos, as relações que atuam e circundam no agora a situação do consulente. Fatores ambientais, resumo, mudanças em seu meio, representa os diversos aspectos externos e as pessoas que estão diretamente relacionadas com a situação do consulente. De certa maneira, a carta confirma ou esclarece o significado da carta localizada na casa 1. Ou complementa a segunda casa.
(9) Indica os caminhos a serem seguidos. O caminho do destino, desafio à vencer, seu estado emocional, a carta que aparece nesta casa dá indicações sobre o rumo a ser seguido para o consulente alcançar o sucesso. As vezes, pode revelar mais de um caminho para isso.
(10) Representa a síntese final. Resultado final, resposta, a carta desta posição representa a culminação de todo o processo, ou seja, quais serão os resultados e o desfecho da situação.

(10)
(3) (9)
(6) (1) (4) (8)
(2) (7)
(5)
volta ao topo

SINASTRIA

EU [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ 5 ] [ 6 ]

TU [ 7 ] [ 8 ] [ 9 ] [10] [11] [12]

Interpreta-se da seguinte maneira: o amor do casal, o dinheiro, o diálogo, o lar, a afinidade e a rotina respectivamente.

 

Retrato parcial de uma relação
Há poucos dias fiz uma postagem em que envolvia um triângulo amoroso, e neste exemplo de interpretação das cartas, abordei dois itens em duas relações afetivas e paralelas vividas por um homem: aEnergia do Relacionamento e seu Ponto Fraco. Na amostra que trago hoje continuo abordando a Energia da Relação e o Ponto Fraco desta, mas também acrescentei duas novas diretrizes de uma técnica de tiragem que retrata várias vertentes de quem tem vínculos afetivos/amorosos.

O cliente é Beto e a parceira é Marisa

1) A energia do relacionamento - Rainha de Paus: A energia do relacionamento de Beto e Marisa é de amabilidade, de aconchego, de proteção e de segurança; vê-se que existe dedicação e carinho entre as partes. Há também magnetismo, sensualidade e carisma nesta relação. O consulente e sua parceira lutam pelo amor que nutrem um pelo outro com coragem e ternura. São amigos, fieis, cúmplices.

2) A comunicação do casal - Rainha de Espadas: Trata de uma comunicação clara, frontal, sem rodeios, em que tudo que é necessário para o bem-estar de ambos é verbalizado. O casal sabe discernir o lado prático do relacionamento sem ferir suas emoções. Conversam abertamente, são francos e decididos. Beto e Marisa colocam a inteligência prática a serviço das emoções, não o contrário.3) O ponto fraco do relacionamento  Três de Espadas: Refere-se a uma ferida ainda não cicatrizada, que é motivo recorrente de dor e de lamentação na vida de ambos. No passado, optaram por abortar uma gravidez inesperada para que esta não fosse motivo de mudanças nos planos em comum. Beto e Marisa ainda não superam o que julgam ter sido um erro, não sabem lidar com os sentimentos de perda e culpa.

4) A paixão e o sexo do casal - O Sol: O casal não concentra a vida em comum nas paixões carnais, no entanto sabe manter acesa a chama da paixão. Cada uma das partes tem consciência do próprio corpo e se exploram mutuamente de forma positiva. Beto e Marisa têm bastante vigor, energia e vivacidade. Ambos gostam de descobertas e prontificam-se a ressurgir diariamente, embasados pelo amor e pela feliz união que vivenciam.


Pintura de Kolongi

Será um bom negócio?
Ely acabou de vender o seu box de confecções que mantinha há anos em um mercado cearense. A consulente resolveu investir o dinheiro da venda em uma frota de táxi informal e deseja saber se terá bom êxito em seu novo ramo. Três cartas sintetizaram os rumos dos acontecimentos: Dez de Copas - Sete de Espadas - O Imperador.
Dez de Copas mostra a consulente sentido-se à vontade em sua nova trilha, familiarizada com os vieses do empreendimento em questão. Este arcano também salienta que Ely já conta com determinadas parcerias para solidificar seus planos. Por sua vez, oSete de Espadas evidencia que Ely está fazendo negócios ilícitos, já que o que ela chama de informalidade nada mais é que o exercício ilegal da atividade taxista, sendo assim, como assinala esta lâmina, a consulente terá que burlar vários códigos de ética para dar vazão ao seu intento. O Imperador encerrando a tiragem aponta para o sucesso da consulente como administradora. Ely tem pulso forte, é segura do que quer, tem voz de comando, disciplina e não teme os desafios. A consulente sabe que pode contar com suas boas relações, como assinala o Dez de Copas, e aproveita bem o que está ao seu favor com competência e dinamismo ditos pelo arcano O Imperador. Para ela, o Sete de Espadas é apenas um componente desafiador de sua empreitada.


Cartas do Vanessa Tarot

Qual é a melhor carta do tarô?
Desde que me entendo como taróloga e professora de tarô, é recorrente ouvir a pergunta dita por alunos, consulentes e curiosos:“Qual é a melhor carta do tarô?”. Alguns apressados não titubeiam em dizer: “A carta O Mundo é a melhor!”, ou então falam algo como: “Quando A Estrela aparece já sei que vem coisas boas por aí!”. Em contraponto, os arcanos O Enforcado, A Morte, O Diabo e A Torre são os mais temidos como sinalizações de mau agouro. Mas será que esse não é um julgamento deveras precipitado independente da carta em pauta? Vale repensar!
É certo que muitas das lâminas do tarô têm verdadeiramente um caráter positivo ou negativo apresentado através da figura logo de imediato, uma vez que a iconografia é a essência primeira dos arcanos. Apesar disso, há que se considerar que os significados simbólicos são passíveis de interpretações usuais que não necessariamente acordam com o fatalismo da gravura. Ainda tomando o arcano O Mundo como exemplo, que simbolicamente representa o triunfoa glóriaas finalizações bem sucedidas, vê-se que na cartomancia usual esta lâmina pode representar traição,dispersãonegligência com o meio ambiente entre tantas outras decodificações negativas. A carta A Estrela segue a mesma linha de raciocínio: simbolicamente alude ao norteà esperançaà plenitude,ao idealismo, ainda que em suas interpretações usuais na cartomancia possam representar falta de senso práticoleviandade, despudor, infantilidade, romantismo exacerbado, formando uma cota expressiva de imagens reversas às simbologias iniciais do deste arcano. Por outro lado, os arcanos tidos como negativos são passíveis de leitura indiscutivelmente otimista: a lâmina O Enforcado pode representar busca espiritual, filantropia, visão privilegiadaA Morte pode ser interpretada como desprendimento das coisas supérfluas, novas perspectivas, lucidez mentalO Diabopode ser lido como prazer, eloquência, dinheiro; enquanto A Torreemite sólidos argumentos de libertação, de conhecimento súbito e até mesmo de parto.

Diante das evidências de que uma carta de tarô é capaz de gerar os mais variados antagonismos, o melhor seria avaliar o caráter positivo ou negativo de um arcano por vias mais ponderadas, a começar lembrando que as cartas nem sempre tendem para melhor ou pior, apenas dão os seus recados, cabendo a quem interessa interpretá-las de maneira apropriada, dentro de um contexto. Outra vez utilizo O Mundo como ilustração: quando este arcano aparece revelando orgasmo, somente às circunstâncias poderão apontar se é de fato o ápice do prazer ou se há a necessidade dele. Não raro, esta carta assinala a ausência de plenitude no ato de uma relação sexual, mas para chegar a esta conclusão é preciso um conjunto de argumentos que validem tal ideia, como a análise das outras cartas em jogo, suas respectivas posições dentro da tiragem e o respaldo de quem consulta o tarô. Há também um outro fato relevante: o que é considerado positivo para uns, pode não ser para outros. A carta A Estrela pode surgir mostrando que um determinado consulente tem esperança em reaver algo, enquanto este mesmo consulente quer tão somente concretude, fatos, não bálsamo para acalentar sua alma. Sendo assim, a confiança que esta lâmina assinala, conhecida como uma característica tipicamente positiva, torna-se inviável neste momento. Também deve ser considerada a visão particular de cada indivíduo, o que julgam como bom ou ruim. Existem aqueles que acreditam que é bom ter , ter esperança, outros preferem ver para crer e não confiar no que ainda estar por vir, como prediz a carta A Estrela.

As discussões em relação a qual seria a melhor carta do tarô são extensas, e um único texto é limitador para expressar as diversas facetas do assunto, mas cabe nesta pequena reflexão chamar atenção para o quesito aprendizado. Quando o intérprete compreende um arcano em sua profundidade, seja maior ou menor, a lâmina em questão passa a ser apreciada como sendo a melhor carta do tarô pelo seu grau elucidativo – de certo modo desagregada das simbologias primeiras que esta possa apresentar ou de suas características positivas e negativas empregadas na cartomancia usual.


As relações amorosas no Tarô 
Existem algumas tiragens que podem informar minúcias sobre vários aspectos de um relacionamento amoroso-afetivo. Escolhi os exemplos abaixo usando como comparativo um triângulo amoroso: um mesmo homem com suas duas parceiras, portanto, dois relacionamentos paralelos. Neste triângulo, a namorada “oficial” de Marcos é Anita, mas é Vanda quem toca seu coração. Tarô Tarô Tarô

Pergunta 1: qual a Energia do Relacionamento de Marcos e Vanda?
1) Imperatriz - A energia que movimenta o relacionamento deMarcos e Vanda é de encanto, de amabilidade, de elegância e de respeito – pautada, sobretudo, pela sensibilidade e intuição de ambas as partes. A Imperatriz simboliza o reino terrestre, e como tal, anuncia que este casal tem a vontade e a necessidade de fazer concretizar seus anseios em comum. Este carta revela à sexualidade aflorada em ambos, os desejos que os embriaga lucidamente e o clima de sedução que os envolve. Em outro aspecto, nota-se que Marcos e Vanda, como anuncia este arcano, são perseverantes em suas convicções afetivas desde que sejam tocados em seus corações. Esta carta também alerta com fervor à expansão e a frutificação dos sentimentos, pois não é a toa que este Trunfo do Tarô aparece em meio à natureza viva, com árvores frondosas, águas correntes e belos trigais (solo fértil). Em seu sentido mais prático, A Imperatriz dá boas dicas de que o bom uso da inteligência não deve ser negligenciado em favor dos arroubos sentimentais.

Pergunta 2: qual a Energia do Relacionamento de Marcos e Anita?

2) Oito de Ouros – A energia que paira sobre a relação de Marcos e Anita é de individualismo e repetição (monotonia), não apresenta cumplicidade, muito menos entusiasmo; este arcano não é sentimental. Também reflete a falta de planos futuros em conjunto. O Oito de Ouros sugere um certo automatismo na relação que denota cansaço e fadiga. Significa que com o passar do tempo as mesmas situações, boas ou más, costumam se repetir com freqüência, sem chegar ao ápice da melhor elaboração íntima que este arcano poderia evidenciar individualmente. Cada um forja sua própria felicidade, pois esta carta simboliza a falta de fluidez e a necessidade de trabalhar muito para obter êxito. Entretanto, Marcos e Anita são hábeis no trato um com outro, procuram mostrar zelo em pequenos ou minuciosos cuidados. Sentem-se seguros com a praticidade, ou seja, com a mesmice cotidiana.

Pergunta 3 – Qual o Ponto Fraco do relacionamento de Marcos e Vanda?

3) Dois de Copas - O Ponto Fraco da relação de Marcos e Vanda é a atração mútua, pois cada um deles sente uma enorme necessidade de estar perto do outro, de compartilhar seus sentimentos, de trocar carícias, de fazer amor e partilhar emoções com confiança. Sente-se seguros quando estão juntos. Este arcano faz lembrar a forte vontade deste casal de se ver com freqüência e de provocar encontros como vê-se através da imagem da lâmina. Por outro lado, o Dois de Copas requer entrega absoluta de ambas partes, mas um deles deixa sempre a desejar um novo encontro – fato positivo porque parecem viver sempre o começo de uma relação. Marcos e Vanda têm um Ponto Fraco otimista, pois a energia deste arcano é de grande afeto, de cumplicidade, de carinho e por vezes de amor. Este casal fica com o coração descompassado quando pensa em se encontrar, e na hora do encontro trocam muita energia que só acalma após a separação. São felizes quando estão juntos.

Pergunta 4 – Qual o Ponto Fraco do relacionamento de Marcos e Anita?

4) O Mago - O ponto fraco da relação deMarcos e Anita consiste na ausência de escrúpulos do casal para atingir seus objetivos individuais. Com a destreza do Mago (em princípio O Mágico, O Ilusionista), ambos sabem muito bem ser manipuladores, dissimulados e fraudulentos um com o outro, em menor ou maior grau. Não hesitam quando acham necessário trapacear o parceiro: omitem fatos importantes, traem a confiança e utilizam outras astúcias para ter o poder de controlar o relacionamento; cada um a sua maneira. Têm sempre uma carta na manga para driblar o “adversário”, ou seja, o parceiro. Além da habilidade de dissimular, este arcano revela a covardia dos dois em se apresentarem como realmente são, cheios de ardis entre si. Por outro lado, vê-se que Marcos e Anita são inteligentes, dedicados aos seus ideais e têm uma queda em comum por sugestionar e persuadir quem os rodeia. E quando precisam usar tais recursos na relação, o fazem com maestria.
Para chegar ao resultado destas interpretações é preciso analisar outros aspectos de cada um dos relacionamentos de Marcos, dando ampla e minuciosa visão ao cliente do verdadeiro teor de suas emoções.

Onde está o que perdi? O Tarô responde!
Usar o Tarô como fonte investigativa de objetos é bastante estimulante para quem começa a dar seus primeiros passos com este oráculo, pois, à medida que o intérprete desvenda pequenos casos (a exemplo de 3 cartas), prepara-se naturalmente para outros lances mais complexos. Veja abaixo uma ocorrência comigo (faço sempre que preciso) e outra com uma consulente minha.
O filtro
1- Valéria não encontrou um pequeno objeto que costuma manter dentro de um porta-batom (filtro para diminuir a nicotina na hora de fumar), então recorreu ao tarô para conseguir pistas. Ela lembrou que da última vez que viu seu filtro foi no dia anterior, quando fazia acessórios ciganos (brincos, pulseiras e colares). As cartas que Valéria tirou para rastrear o percurso de seu objeto “perdido” foram:O LoucoRei de Ouros e Quatro de Ouros.
1º interpretação: O Louco como tema indica que Valéria estava trabalhando absorvida pela energia cigana na noite do sumiço de seu filtro, desligada de qualquer outra atenção, deixando assim o entusiasmo e certa desordem prevalecerem naquele momento. O Rei de Ouros faz lembrar à consulente a grande quantidade de matérias que a rodeava e o brilho dos metais dourados, levando-a a crer que seu filtro estivesse em meio à multidão de miudezas espalhadas em torno dela quando trabalhava. O Quatro de Ouros, arcano que simboliza “estar de posse de”, revela que a consulente guardou seu filtro em algum lugar, não o perdeu. E claro, com as dicas da grande quantidade de objetos espalhados, a conclusão foi certeira: estava guardado junto com o material usado para fazer as reluzentes bijuterias ciganas.
As chaves
2- As chaves da casa de Adelina desapareceram causando grande transtorno a mesma, já que estavam todas juntas. Muito apreensiva, Adelina telefonou para sua taróloga querendo saber se foram roubadas – preocupação maior da consulente naquele instante. A taróloga atendendo-a de imediato tirou 3 cartas para orientar sua consulente a respeito de um possível furto. As cartas: A LuaQuatro de Copas e O Mundo.2º interpretação: A Lua como tema deu boas dicas a respeito da obscuridade da visão de Adelina, da superficialidade de sua procura e da confusão de suas idéias no ato da busca pelas chaves. O Quatro de Copas mostrou duas possibilidades: que a visão da consulente estava voltada para um único lugar e também que ela teria passado pelas chaves e não as enxergou. Já o arcano O Mundo, que delimita um campo, um universo (o mundo em que Adelina vive), apontando um ambiente exterior, deu fortes indícios de que as chaves estariam na área externa da casa. E foi na varanda que as chaves foram encontradas. As cartas não acusaram roubo nem perdas dos objetos.

Cartas do Tarô de Rider Waite

Os Enamorados e um indivíduo
Alguns traços da personalidade de um consulente para quem gosta de ver os significados de uma carta em forma de texto. 
O arcano Os Enamorados dá sérios indícios de que o consulente é um homem que tem amor pelas artes plásticas, nutre forte sentimento de patriotismo e lutas pelos ideais sociais. Por vezes (mais do deseja), é inquieto e indeciso, revelando sua personalidade antagônica. Tem amor pela liberdade individual, mas nem sempre sabe usar o livre-arbítrio ao seu favor; vive em meio a dilemas. Valoriza o amor sincero, o casamento e as uniões, muito embora não abra mão de vivenciar grandes paixões mesmo que estas o coloquem em furtivos triângulos amorosos. O consulente em questão ama a liberdade, no entanto, por ter dificuldade de escolher caminhos, sente-se preso e limitado em sua jornada evolutiva. As tentações são seu fraco, e a beleza com que enxerga o mundo serve-lhe de alento.

Os Enamorados do Tarô de Praga

Diagnóstico capilar com Cartas de Tarô
Uma cliente chegou a mim com os cabelos lindos, tingidos, fios alinhados, somente no decorrer da consulta que me foi revelado que ela estava usando escova e chapinha naquele momento. Assim, entendi a sua problemática para dar-lhe orientação.

Problemática de Deise: Desejo fazer um tratamento capilar em que custa R$ 500,00 e NÂO tem química. Vai resolver o problema dos meus cabelos?”.

As Cartas: Oito de Paus – A Força – A Temperança
1- O Oito de Paus como tema mostra os cabelos de Deise ressecados, cheios de frizz, rebeldes, quebradiços, com quedas, precisando de sérios cuidados reparadores. (Simbolicamente o Oito de Paus revelou-se perfeito para auxiliar na descrição real dos cabelos da consulente).

2- A carta A Força indica que os cabelos de Deise precisam de um tratamento mais agressivo, que os discipline e os coloquem no lugar. Portanto, faz necessário contê-los pela força, não esperando resultados com produtos e tratamentos tidos como naturais.

3- A Temperança fecha a tiragem mostrando a necessidade do uso da química, visto este arcano representar a alquimia, as técnicas de misturas de substâncias provenientes de laboratórios.


Cartas do Universal Tarô

O consulente já tem a resposta
A problemática: Lauro quer saber se vai conseguir crescer profissionalmente.

As cartas: Louco – Dez de Espadas – Quatro de Espadas

  

Na temática vê-se o arcano O Louco apontando para a despreocupação de Lauro acerca de sua vida profissional, seu comportamento é desregrado e pueril. Não tem ambições ou maturidade para o confronto com as responsabilidades que o esperam. O Dez de Paus fornece indícios de que Lauro sente-se cobrado, oprimido e sem horizontes devido sua falta de ímpeto. OQuatro de Espadas como rumo que a situação irá tomar mostra o consulente inerte, sem avanço algum, pode-se dizer que de braços cruzados para seu crescimento profissional até que, por vontade própria, reverta o quadro.

Observação: quando o consulente faz uma pergunta dessa natureza, sua preocupação maior é em como dar satisfações aos seus familiares e amigos, pois a carta O Louco mostra de forma clara seu posicionamento dentro do contexto. Não restam dúvidas que ele terá tempo suficiente para amadurecer seu posicionamento e encontrar boas soluções!


Cartas do Tarô Mitológico

Tiragem de 3 cartas
Problemática: Alice está sentindo a presença de um espírito ao seu lado e deseja saber se ele tem intenção de lhe fazer mal.

As cartas: Sete de Espadas – Sete de Copas – Dois de Ouros

  
Sete de Espadas como tema evidencia um ser astuto, ardiloso e mal intencionado. Por roubar a paz da consulente já mostra-se não confiável. O Sete de Copas revela esse espírito agindo de má fé, prometendo várias possibilidades de ganhos pessoais ou tentando assegurar de antemão o desenvolvimento espiritual de sua obsedada para ganhar a confiança da mesma. O Dois de Ouros mostra que é um espírito zombeteiro, que brinca com a boa fé da consulente, fazendo dela um joguete em suas mãos. Portanto, um espírito que mente, engana, zomba só pode ter más intenções e ser prejudicial.

Cartas do Tarô Rider Waite

Tendências para 2011
Orixá – Tarô – Baralho Cigano
O ano de 2010 chega ao seu final evidenciando que mais um ciclo se cumpriu conforme as sábias Leis do Universo, portanto, vê-se logo à frente uma temporada que requer mudanças e renovações. Dado o período surge a indagação comum aos curiosos ou mesmo aos antenados: “Como se conectar com as novas energias que regerão o ano de 2011 para bem aproveitá-las?”. Procurando conhecê-las, claro!
Orixá Oxum
A deusa Yorubá da beleza e da juventude, da adivinhação e da fecundidade é o Orixá feminino regente de 2011. Oxum é seu nome, amarelo é sua cor e a água doce é seu território. Em alguns cultos a chamam de “Mamãe Oxum”, embora no panteão de origem afro seu arquétipo seja de mulher jovem, faceira e sedutora. Como tem sob seu domínio o ouro e o cobre, estes metais são adequados para atraírem prosperidade durante o próximo ano, seja no campo material, afetivo ou espiritual. Ligar-se com os rios e com as cachoeiras são maneiras de entrar em contato com esta divindade que recebe oferendas nestes mesmos locais. Para agradá-la oferta-se pentes, espelhos, perfumes, colares entre outros acessórios femininos. Oxum transmite amor, sedução, encanto, harmonia, aconchego, sensibilidade, intuição e muita auto-estima, evidenciando a vaidade, deste modo, há que se ter cuidado para não enveredar pelo caminho da futilidade, da vanglória ou da presunção. A cor da vela de Oxum é amarela e esta mesma nuança pode ser usada em 2011 com a finalidade de atrair os pedidos feitos ao Orixá regente. A energia de Oxum favorece todos que trabalham com cartas, búzios, runas e oráculos em geral.
Carta do Tarô – O Imperador
De acordo com a redução numérica do ano de 2011(2+0+1+1= 4), a Carta do Tarô que regerá o novo ano é O Imperador - lâmina número4. A este arcano atribui-se o arquétipo de pai, provedor e orientador, indicando assim à necessidade de comportamentos firmes, estáveis e realistas. O Imperador é caracterizado por seu senso prático, sua convicção, seu rigor e sua disciplina com intuito de gerar certezas, progressos, segurança e controle. Portanto, durante os 365 dias do ano vindouro a energia masculina faz-se presente evidenciando vibrações de proteção, de defesa e de apoio, mas também de dogmatismo e de tirania. Quem bem souber aproveitar às influências desta lâmina poderá evoluir e amadurecer buscando equilíbrio entre a rigidez emitida por este arcano e as fraquezas emocionais ou espirituais que por ventura precisem de ajustes. A lâmina 4 do Tarô favorece tanto homens como mulheres a tornarem-se mais conscientes de que a objetividade pode dominar a sensibilidade excessiva sem que se perca a ternura da alma.


Carta Cigana – A Casa
Também pela redução numérica obtém-se a Carta Cigana que regerá a do ano de 2011(2+0+1+1= 4): A Casa - lâmina de número 4, tendo com Influências as cartas de 2 e 11(O Trevo e O Chicote respectivamente ou Os Obstáculos e A Magia). A Casa simboliza o lar, a família, os fortes laços construídos ao longo dos tempos. Representa as tendas ciganas, moradas temporárias do Povo Sem Fronteiras, porém com estrutura e ensinamentos sólidos que perduram de geração para geração. A lâmina 4 do Baralho Cigano favorece o aconchego, a segurança, a estabilidade, a confiança, bem como evidencia os relacionamentos domésticos e as decisões judiciais ligadas à herança. Um ano de boas perspectivas para quem cuida de casa, para quem gosta de desfrutar da vida familiar e para quem precisa adquirir imóveis. Quando bem aproveitada, a energia desta lâmina leva o indivíduo a conhecer melhor a própria alma, poisA Casa representa o templo espiritual do ser humano. Ótimo período para propagação de valores tradicionais, seja no ambiente doméstico, no local de trabalho ou em congregações sociais e religiosas.

Neste Natal…
Quem dera Neste Natal pudéssemos esquecer nossas próprias feridas, que por vezes fazemos das chagas bem maiores do que são, para distinguir e cuidar daqueles que verdadeiramente são golpeados no cotidiano pelos punhais pontiagudos da carência, da solidão, da amargura, do egoísmo, do ódio, do rancor, da inveja e de tantas outras enfermidades dilacerantes.

Neste Natal, que possamos nós, de livre vontade, afinar a frequência de um irmão – quando neste reconhecemos notas desarmônicas – para que seu espírito enfermo tenha a chance de renovar-se, e assim conseguir ressoar respaldado pelo amor e pela bem-aventurança. Pois dentro de cada um nós há uma melodia edificante, amena, plácida, capaz de curar os males mais longínquos da alma-irmã, tal como os suaves acordes de um violino propagam seu gemido para elevar a natureza incorpórea humana ávida de afago.
Não esqueçamos porém, que após os dias de enfermidade, mesmo que bem assistidos, sucede o período de convalescença, e nesta ocasião, aos violinos podemos pouco a pouco agregar outros instrumentos de boa vontade até chegarmos a ouvir uma bela harmonia de salutares sons de amparo, de benevolência e de compaixão.
Que Neste Natal saibamos auxiliar!

Carta o Cavaleiro de Copas do Tarô Mitológico

Carta de Natal – Cinco de Ouros
Dia desses ao fazer uma predição para uma consulente por meio de uma tiragem de 10 cartas, entre elas o Cinco de Ouros do Tarô de Waite, descobri uma atribuição a este arcano que jamais vi antes. Depois me indaguei: “como durante tantos anos esta faceta passou despercebida por mim?”.
A interpretação remetia a encontros familiares, e pelo conjunto de lâminas, reparei de imediato que este Cinco, normalmente fatídico, não apontava para problemas financeiros, fracasso, erros, privações, crises, vazio e tantas outras características negativas que costuma indicar, e sim para o período de Natal. A neve caindo sem parar, o chão aglomerado em flocos brancos, bem como os vitrais (presumindo ser de uma igreja), me ajudaram a matar a “charada” que os acontecimentos ocorreriam no período natalino.

Cinco de Ouros representa inverno e como esta estação em seu extremo está associada por quase todo o mundo às festas natalinas – com muita neve dentro de shoppings ou em regiões agrestes – não foi difícil chegar a esta conclusão.

Não vai nevar no Ceará, mas minha consulente terá ótimas festas!

O Guia Espiritual
Há varias cartas de tarô que representam o Guia Espiritual, seja este do mundo carnal ou do universo incorpóreo. Separei três exemplos para ilustrar o assunto.

O primeiro desta amostra é O Mago, pois “assumiu” o papel de sacerdote com a chegada do Tarô Moderno. Na iconografia de Waite vê-se um homem que domina os Quatro Elementos da Natureza, bem como tem a capacidade de conecta-se diretamente com o Alto, sugerindo pleno domínio das forças invisíveis. Diante destes poderes, é fácil concluir que o mesmo seja um orientador, posto a nobreza dos conhecimentos que lhes são conferidos não dê espaço para retenção do saber.
O segundo e que mais chama minha atenção é O Papa. Este tanto pode ser um líder religioso, um sábio conselheiro ou um espírito que direciona as ações do homem na Terra. A este arcano é atribuído à capacidade de ser um elo entre o Céu e a Terra, portanto, simboliza o benfeitor virtuoso que direciona seus fieis. Também representa a figura do guru, do mestre conselheiro que cuida e norteia seu discípulo, ainda que exclua doutrinas religiosas. E por último, por suas características de doação, lealdade e benevolência, é comum este arcano aparecer caracterizando os espíritos benfeitores (independente de religiões) que jamais abandonam seus protegidos, uma vez que têm como encargo a orientação.


O terceiro exemplo é o mais solicitado nas interpretações, que é A Temperança. A figura do ser alado remete diretamente ao anjo da guarda, e não só, faz lembrar toda e qualquer entidade espiritual que desce do Alto para revelar, agraciar e velar por seu protegido. Configura o guia invisível para quem tem fé e é sensitivo, e o guia visível para quem crer e tem clarividência. Entretanto, vale lembrar que há muitos indivíduos que são verdadeiros anjos e guias, e que, quando menos se espera, este arcano surge simbolizando-os divinamente bem.


  • Cartas do Tarô Universal de Waite

Não é difícil encontrar uma resposta, basta lembrarmos primeiramente que faremos uso das alternativas que nos são apresentadas no período de campanha eleitoral. Feito isso, algumas lâminas podem surgir em nossa mente, porém, se nos determos na maneira pela qual somos instigados a agir, vamos nos deparar diretamente com o livre-arbítrio que nos é peculiar, pois é desta maneira que fazemos nossas escolhas, praticando a consciência individual. Seguindo o raciocínio chega-se consequentemente a temática do arcano Os Enamorados, no qual evidência as opções que podemos fazer ao longo da vida, e votar faz parte destas decisões voluntárias do qual somos participantes ativos.

—-

Esta conclusão pode ser realizada paralelamente pela análise do conflito que há nesta lâmina no qual um jovem se dispõe a abandonar a casa paterna, para então sair do estágio de dependência em que se encontra, entrando desta forma no universo adulto com todos seus encargos. A carta Os Enamorados faz alusão direta à conquista da maioridade, e com esta aquisição, os deveres e responsabilidades são cobrados do indivíduo, a exemplo da prática de votar.

A liberdade de escolha, o direito à decisão, o amor pela pátria e os a luta pelos ideais sociais configuram características deste arcano. Portanto, o voto e as eleições são simbolicamente encontrados no tarô por meio do arcano VI.

A ilustração acima do Tarô Mitológico pode alegoricamente nos ajudar na visualização no processo de adesão a um candidato nestas eleições. Ou seja, para quem vamos entregar a tão rara e preciosa maça dourada?


O Carro – Ousadia e comando

Sem dúvida que o carro é um meio de transporte terrestre com suas limitações, entretanto, quando dirigido com audácia, este movimenta, agita e transforma; levando o espírito as alturas em atitude de domínio e segurança. Com frequência o arcano VII surge como lembrete para que o indivíduo tome a direção do próprio destino com iniciativa e arrojo que lhes são peculiar, embora muitas vezes desconheça a potencialidade que tem. E como nem sempre a estrada é reta, os obstáculos devem ser contornados e superados longe da sombra do repouso, por este motivo a veemência é essencial.
Ousar na conduta não significa manifestar a coragem de maneira desmedida, ao contrário, mostra a capacidade de um ser em dar a volta nos estorvos que poderiam atrapalhar o fluxo de uma estrada que não é perfeita, mas que necessita ser trilhada para que se chegue ao êxito íntimo.

Seja um condutor destemido rumo ao objetivo que pretende alcançar!


  • Carta O Carro do Tarô de Praga

Espiritualidade em 3 cartas
Normalmente quando iniciantes no tarô me escrevem pedindo ajuda para interpretar pequenas tiragens, o faço sem problemas, desde que não abusem da minha boa vontade me enviando depois muitas outras situações.

Desta vez a solicitação veio de Eliana Sousa da cidade de Crateús, interior daqui do Ceará. A questão: a consulente há dois anos e meio está em uma busca espiritual, desejando expandir seus dons mediúnicos e diz não vê o desenvolvimento que almeja. Ela mesma perguntou ao oráculo se deveria esquecer seu desejo de alcançar outro patamar e partir para um novo caminho.

As cartas que Eliana sorteou: Dois de Espadas, Cinco de Ouros e O Eremita.

  
Minha interpretação
Dois de Espadas indica que a consulente está relutante e com visão limitada, tentando não aceitar uma realidade a que ela pertence, no qual as dúvidas e os conflitos fazem parte do próprio progresso e aprendizado espiritual. Pela carta que segue é notório que fechar-se neste período para possibilidades futuras não é favorável.

Cinco de Ouros mostra o vazio, as perdas e o retrocesso que ela terá se continuar a persistir na idéia de abandonar tudo que até então se apropriou. Este arcano anuncia claramente que o caminho escolhido não é frutífero, ao contrário, pode causar danos aos seus potenciais.

Eremita dá sinais de que o afastamento do que já conquistou pode deixá-la sozinha, sem a companhia das entidades com as quais desenvolve seus dons e sem o auxílio das pessoas que acompanham seu processo. Também pede que Eliana tenha paciência, por tratar de uma carta que requer dedicação, estudo e humildade para aceitar que as coisas aconteçam no seu devido tempo.


Cartas do Druidcraft Tarot

Seis de Paus

(Sentimentos camuflados)

Quando bem aspectado o Seis de Paus pode indicar uma pessoa centralizada, autoconfiante, popular e que aparentemente não tem problemas com sua auto-estima. Mostra alguém bem sucedido e senhor de si, por vezes predestinado ao sucesso. Entretanto, ao examinar as outras cartas da mesma tiragem surpresas estão suscetíveis de acontecer.

Não raro este arcano anuncia um indivíduo inseguro e frustrado que, a todo custo tenta vender uma imagem em que nada se parece com o vazio e carência instalados em seu íntimo. Na medida em que o tarô desvenda a alma deste alguém, o orgulho e vaidade logo aparecem camuflados neste ser desgostoso e infeliz. Há que se ter bastante sagacidade na interpretação para separar o joio do trigo sem ferir ainda mais um espírito insatisfeito e defensivo.



  • Seis de Paus do Victorian Romantic Tarot

Dez de Espadas – O Alívio

Dez espadas cravadas nas costas de um homem não é uma imagem bonita de se ver, entretanto o horizonte não está de todo escuro, há bastante luz anunciando que boas percepções devem conduzir uma nova jornada.

A aparente morte física representa tanto o fim da letargia que em nada ajuda na vida prática, como mostra que toda ilusão tem o seu limite. Seja de que ordem for à problemática, o Dez de Espadassurge como alívio: podendo ser o término de uma temporada repleta de angustia, de lágrimas e de dor, assim como o cessar da ruína financeira, dos malefícios da doença, dos desgastes sociais ou da mente desordenada.

Do ponto de vista menos dramático, este arcano prediz um futuro sempre melhor, posto o consulente está se despedindo de um enredo embaraçoso e desgastante para usufruir uma nova fase em melhores condições nos dias que virão. Na maioria das vezes esta lâmina mostra portas e janelas que se abrem simultaneamente, tendo seu final bastante positivo que não lembra em nada o infortúnio visto pelas apunhaladas mortais da gravura acima.



  • Cartas do Tarô Universal de Waite

A Imperatriz - Abundância e Êxito

Senhora de si e Senhora da Terra, A Imperatriz anuncia não só a beleza e fecundidade de seu corpo físico, mas também a grandeza de seu universo material onde tudo se produz e se multiplica de forma aprazível. Esta dama quando surge para nos orientar traz consigo um manancial inesgotável de oferendas que, com frequência podemos usufruí-lo.
A mente fica mais inventiva, o espírito se torna mais construtivo e os horizontes antes limitados se expandem naturalmente. Uma aura de planejamentos impulsiona os projetos ao êxito, entretanto, cabe a cada um que recebe tais energias geradoras e fecundas, direcionar a própria criação sem desperdícios. As dádivas são múltiplas com a abundância do arcano III, com privilégios de realçar a disposição, a inspiração e os talentos naturais. Mas quando há perdas de concentração, estas podem levar a inércia ou a futilidade, e, consequentemente ao fracasso.

Portanto, para manter-se na vigência da criação e da prosperidade, é aconselhável fazer bom uso da consciência desperta como dos lampejos da intuição.


Carta A Imperatriz do Gaian Tarot

Seis de Ouros - Generosidade

O Seis de Ouros faz lembrar que a presença da generosidade estende-se bem além do ato de presentear e ofertar com o que é material. Ressalta, sobretudo, a benévola disposição moral de um indivíduo quando o mesmo se dispõe a conceder por meio de seu caráter magnânimo os bens imateriais.

Momento este em que se doa o amor, a compaixão, a lealdade, a decência, o respeito, o perdão entre tantos outros sentimentos dignos e notáveis que legitimam a própria existência de seu doador. Ótimo modelo de conduta a se adotar para o contentamento íntimo.

Sejamos imitadores da aparição luminosa deste arcano!


Carta Seis de Ouros do Golden Tarot

Uma leitura simplificada
Ronaldo Silva da capital mineira me fez a seguinte pergunta: “Por que não consigo me apaixonar?” Para respondê-lo sorteei primeiramente 3 cartas para tomar conhecimento de sua vida amorosa atual: Sete de PausDois de Copas e Dois de Ouros. Depois tirei mais 3 para ir direto a sua problemática: Dez de CopasÁs de Copas e A Torre.
De acordo com minha percepção, o Sete de Paus revela que Ronaldo procura ficar na defensiva por ter medo de enfrentar certas situações (talvez resquícios do passado que logo à frente pode-se confirmar). Logo após tem-se o Dois de Copas indicando que há alguém em sua vida com disposição para uma boa troca de afetividade. Já o Dois de Ouros mostra claramente que a relação é advinda de um esforço conveniente de sua parte para suprir sua ausência de paixão.

A segunda tiragem aponta pelo Dez e Ás de Copas que o consulente viveu o amor em sua plenitude, entregando-se de corpo a alma aos seus sentimentos. Casou, teve filhos, no entanto chegou a um ponto em que tudo ruiu. Eis a justificativa para a presença da Torre: seu castelo bem estruturado desmoronou, e assim, sua auto-estima também.
Portanto, somente o interessado pode trabalhar a própria superação. Resgatar a confiança em si, para posteriormente abrir-se para relações mais sólidas já que essa parece ser a sua vontade.


Cartas do Rider Waite Tarot

Quatro de Copas – Novas perspectivas
Como enxergar o Anjo Guardião ou ouvir a voz interior quando nos fechamos completamente em amarguras, alimentando o tédio e o mau humor com desânimo e introspecção sem nenhuma produtividade? Mais gratificante seria reverter tal situação, imitando o botão de rosa que a todo custo faz questão de despertar.
—Tal como o suave processo do desabrochar, as forças naturais se renovam, a perseverança volta e a alegria passa a ser uma boa companheira para quem bem sabe cultivar o bom ânimo para manter a mente sã. Nesse período de reação, roseiras que nunca foram vistas antes se abrirão como tapete majestoso para um belo e livre caminhar.


Quatro de Copas do Herbal Tarot

O Sumo Sacerdote – O Mestre interior

Em algum momento de nossas vidas sempre buscamos a figura de um mestre, de um ser com “elevação maior” que nos dê bom direcionamento e que exerça o papel de mediador diante dos anseios de paz, de sabedoria, de equilíbrio ou mesmo de virtude, isto conforme a necessidade íntima. Entretanto, há certas ocasiões em que as respostas almejadas estão longe de vir do exterior, ou seja, estas existem no âmago de cada um de nós, sendo o caminho à busca de caráter interior. E quando este instante é devidamente reconhecido, aceitamos o mestre que nos é inerente, idôneo e capaz de saciar a dor da alma e apaziguar as dúvidas internas.

O encontro com o próprio Eu é salutar para que não fiquemos viciados em “bengalas emocionais” e só possamos dar um passo além com a bênção ou a permissão de outrem. Ser o Sumo Sacerdote de nossos pensamentos e atos engrandece o espírito, alivia a mente e acarreta em autonomia.
Saiba usufruir deste arcano em recolhimento!

O Sumo Sacerdote do Balbi Tarot – Imagem Galeria do Clube do Tarô

Pajem de Espadas
Pajem de Espadas quando foge da roupagem advinda dos tarôs modernos e transculturais, cujas imagens de turbulentas nuvens e pássaros aglomerados em volta da cabeça do mesmo, sugerindo assim os significados de tormento, indiscrição e temperamento agressivo, pode ser um ótimo aliado para interpretações com raízes nos tarôs clássicos; berço do legado disponível até os dias atuais.
O jovem rapaz faz lembrar os homens e as mulheres que usam fardas, seja para estudo ou trabalho. Este arcano reaviva a tradução da objetividade de um ser, de seu pensamento minucioso e de sua atenção com os que estão em volta, bem como informa a coragem de querer vencer, mesmo que para tal precise passar por longos desafios. Indica um exímio vigilante que tem a capacidade de se abster dos problemas pessoais em virtude de desejar o bem comum. Esta lâmina quando mal aspectada pode alertar sobre um espião, um delator mesquinho que não tem escrúpulos.
Em certas tiragens este arcano revela que as ocorrências almejadas estão próximas de acontecer, os ditos “acontecimentos em marcha”. E quando para identificar à idade de uma pessoa, essa cronologia deve ser considerada por sua disposição mental, não pelas convenções de tempo e data. O Pajem ou Valete de Espadas está sempre apto a se propor como adversário a altura de um rival ou concorrente.

É uma pena termos que “caçar” imagens assim, a exemplo doVictoria Romantic Tarot, já que em muitas outras cartas do mesmodeck, há um convite explícito para leituras individualistas conforme a vontade de seu criador.



  • Pajem de Espadas dos Tarôs Mitológico, Rider Waite e Victoria Romantic

Oito de Ouros

Oito de Ouros é uma carta de ação, de construir ou lapidar as habilidades, portanto, fala-nos que a prudência e a perseverança devem ser consideradas. Diz-se muito que este arcano favorece o desempenho manual, o que não deixa de ser verdade, no entanto, não devemos descartar qualquer tipo de labuta, mesmo as de cunho intelectual. As atividades de quem está sob a influência deste arcano variam do aprendizado ao perfeccionismo.
Em outro âmbito, esta lâmina pode simplesmente apontar o local de trabalho, como indicar a recuperação da autoconfiança. Enuncia pessoas que, pela idade, já deveriam ter se estabelecido financeiramente. Seu lado negativo mais evidente fica por conta da ausência de ambição, da perda de interesse no que se prestou a fazer ou da vaidade e presunção quando o indivíduo se acha um talento inatingível.
  • Oito de Ouros do Rider Waite Tarot

O Enforcado – Harmonia espiritual
Regenerar o espírito, ou seja, revivificar e reorganizar os anseios da alma e da mente são incumbências diárias, pois trata da ação interna que nos concede o equilíbrio necessário para recriar a própria liberdade de renovação que nos é inerente. Portanto, uma pausa para a retroalimentação se faz indispensável quando uma boa harmonia espiritual é desejada. E por mais que pareça estranho, é salutar a confrontação com o Enforcado para que possamos refletir de livre vontade sobre as aspirações mais elevadas. Em tempos que há um objetivo nobre perante a vida que escolhemos, os resultados naturalmente correm de encontro à maturidade.

O Enforcado do Tarô Mitológico

O Mundo e seu lado sombra
A grande maioria das pessoas que conheço enxerga a carta O Mundosomente com bons olhos, poucos lembram de ressaltar seu lado negativo, visto esta lâmina ter fama de ser uma das melhores do Tarô. Para mim, invariavelmente, dependerá do contexto fazer este tipo de leitura tão positiva, não só para esta carta, mas para qualquer uma que se ponha a minha frente.
Este arcano quando tirado só para responder a uma pergunta objetiva já me mostrou contradições interiores que não se resolvem, traições rápidas, falta de capacidade de concentração, medo de enfrentar a vida, ânsia para se libertar de algo ou de alguém, falsa liberdade, vontade de largar irresponsavelmente as conquistas feitas e até mesmo o desespero de indivíduos que precisam dar um passo à frente ou fechar um ciclo e não conseguem fazê-lo. E quando aparece em tiragens juntamente com outras cartas, seu lado sombrio pode ser ainda melhor compreendido devido às minúcias que as outras lâminas podem distinguir.

É importante considerar todos os aspectos de uma carta, mesmo que pareça atrativa ao primeiro olhar. Mais válido ainda é captar a mensagem positiva da mesma, posto ser esta a nossa busca ao consultar o Tarô.



  • Carta do Old English Tarot

Quem veste a carapuça?

Quatro de Paus faz lembrar que sempre podemos dar uma força para alguém que se sente só ou sobrecarregado, que o trabalho com ajuda mútua é mais frutífero e prazeroso, e que a prática da solidariedade não é moda, e sim um ato de amor e doação. Este arcano evidencia que não é hora de nos fecharmos em nossas causas, e sim de estarmos abertos para quem nos rodeia com cumplicidade e cordialidade.

É uma carta de companheirismo, de camaradagem, “de nós”, portanto, alerta que há um universo bem maior que aquele que julgamos transitar. O número quatro é plural, e o que não nos falta em volta é a diversidade de pessoas, de sentimentos, de situações e de acontecimentos. Então, é valido salientar que a harmonia, a união, a motivação e a cooperação são características inerentes aos seres humanos, basta um gesto de boa vontade para fazê-las acontecer.

Quem se encoraja a vestir a carapuça e olhar mais adiante, bem mais longe dos limites que o próprio espelho pode projetar?



  • Cartas do Golden Tarot versão 2004

Triângulo Amoroso no Tarô

Estou em falta com alguns leitores do Tarô & Tarô que estão começando a descobrir carta por carta e, na medida do possível, tentarei respondê-los, mesmo que não os cite nominalmente. Uma das questões solicitadas a mim por mais de três pessoas foi o Triângulo Amoroso, ou seja, quais arcanos maiores do Tarô podem apresentar essa questão.

Há duas lâminas que assinalam situações dessa natureza: Os Enamorados e O Diabo.

O arcano Os Enamorados mostra com evidência a imagem de um rapaz entre duas damas. Reporta diretamente as temáticas de impasses e de escolhas a serem feitas, no caso trata de três pessoas e um dilema, portanto, já se tem um triângulo. Na medida que a pergunta é feita com a intenção de desvendar o assunto, essa carta dá boas dicas que existe sim um triângulo amoroso. É uma lâmina que indica sedução, dubiedade na personalidade, duplicidade de intenções e infidelidade.
O Diabo

Outro arcano que indica essa conjuntura é O Diabo. Também há três seres, sendo que um deles está longe de assumir totalmente a condição humana, e tem sob seu controle um homem e uma mulher por meios nada aprazíveis. É uma carta que indica sedução, sexo, tentações não resistíveis, atos escondidos e traições. Em um triângulo amoroso há sempre alguém ludibriado, sendo que as outras duas pessoas não resistem aos jogos sensitivos da paixão, do erotismo e do prazer.

  • Cartas do Tarô Cabalístico G.O.M. retiradas do Clube do Tarô

A Justiça – Pessoa física
Em primeiro instante o arcano VIII - A Justiça faz lembrar os códigos penais, as leis e as normas que têm a função de promover e preservar a ordem social. Contudo, com a aparição desta carta podemos identificar um indivíduo de caráter íntegro e equilibrado, cujos preceitos morais se baseiam na ética e no senso de justiça. A pessoa que é ou está influenciada por esta lâmina tende a pesar o bem e o mal, os prós e os contras, as vantagens e desvantagens de uma situação e, só após chegar a um consenso que acha fundamentado e justo, pronuncia seu parecer. O pensar se sobressai ao falar devido aos princípios de equidade que o norteiam. Sua linha de conduta é quase sempre racional, o que o impede de se envolver emocionalmente em considerações infindáveis, pois encontra sempre uma solução viável. É racional, lógico e prático, mas tem dificuldade de abandonar hábitos antigos.

Por vezes, pessoas com essa essência são austeras, rigorosas demais, conservadoras e implacáveis consigo mesma e com os outros, uma vez que sua intenção é jamais errar para encontrar a imparcialidade que supõe ser necessária. Possuem boa retórica e defendem seus pontos de vista com afinco.

A carta A Justiça designa os juizes, os desembargadores, os advogados, os policiais, os administradores, os economistas e qualquer sujeito que trabalhe com disciplina, métodos e avaliações.



  • Carta A Justiça do Jungian Tarot

Cavaleiro de Copas ou de Metal?
Na grande maioria dos tarôs que tenho, admiro ou manuseio, a figura do Cavaleiro de Copas é apresentada por um jovem rapaz de porte altivo e com olhar sempre direcionado para frente, porém, com docilidade visível por tratar-se da representação dos bons sentimentos, do romantismo ou da proposta de paz e harmonia que lhes são incumbidas. Quase sempre está ambientado ao ar livre, com um córrego ou rio por perto (alusão ao Elemento Água), e seu cavalo faz leve movimento em demonstração da sutileza de gestos e de emoções do rapaz que o monta.
Pois bem, estava mexendo em meus decks e decidi apreciar as cartas do Tarô Dourado de Botticelli, quando parei para observar os quatro cavaleiros. A montaria de todos tem a cor branca, fato que logo estranhei. O Cavaleiro de Ouros movimenta-se, parece fazer uma manobra de retrocesso, o de Espadas age com firmeza, mas olha para baixo, o de Paus segue em frente com garra, bem ao seu estilo, e o de Copas está parado com olhar dúbio e enigmático: cabeça para o lado e vista para frente, faltado-lhe nobreza, elegância e encanto em sua postura. E pior, veste-se apenas de armadura, robotizado, sem emitir sinais pertencentes ao seres da nossa espécie; fato que tira do jovem a peculiaridade do perfil humanitário, portador da promessa do tão almejado êxtase espiritual. O cálice em sua mão é quase invisível devido à arrogância de tanta cor dourada.

Com este Cavaleiro de Copas frio e metalizado jamais apostaria na chegada de um novo amor, na sedução, na proposta de acolhimento e proteção, tampouco acreditaria que há nele o dom de promover a diplomacia entre os seus. Penso que, se existe um príncipe encantado no imaginário popular, este arcano, por sua apresentação em outros baralhos, configura tal arquétipo que foi corrompido deliberadamente.

Nem o argumento de que a cor dourada em excesso possa ser uma menção aos supostos ricos dotes emocionais ou espirituais deste moço, farão com que o veja de uma forma mais branda e amiga.

Será que a hipocrisia, o embuste e a duplicidade, características negativas deste arcano, tenham espaço amplificador para as interpretações cotidianas por meio desta lâmina? Nego também esta hipótese. Salve o Cavaleiro de Paus e o seu novo cavalo branco!

SIMPATIAS PARA A PASSAGEM DO ANO




SIMPATIAS FUNCIONAM?
Funcionam porque todo ato de vontade é uma forma de magia.
Magia é a capacidade de realização, que emana de forças psíquicas, que transforma em real uma vontade dirigida.

RITUAL DE DESPEDIDA
Antes de encerrar o ano, acenda uma vela branca, faça uma oração e escreva numa folha de papel branco tudo que houve de triste, desagradável, frustrações, falta de realização, dissabores, medos, inseguranças, incertezas, mágoas, bloqueios enfim, tudo que você vivenciou no ano que passou e que pretende excluir de sua vida neste novo ano. Em seguida queime a folha na vela desmaterializando qualquer crença negativa ou padrão pensamento.

Depois da passagem do ano, pode ser no dia seguinte, pegue outra folha de papel e escreva tudo que você almeja para o ano novo como: saúde, trabalho, dinheiro, realização em todas as áreas de sua vida, amor, felicidade etc.
Dobre guarde dentro de um livro de orações até o ano seguinte.

INICIAÇÃO

No dia 1º do ano, em qualquer hora que esteja tranqüila e serena, acender uma vela branca. Se solte, relaxe e olhe durante 3 minutos para a chama da vela e, em seguida, faça a seguinte prece de afirmação:

ORAÇÃO DE INICIAÇÃO
- Deus de infinita bondade
- Que eu seja banhada pela luz primordial
- Que eu esteja unida com a sabedoria Terra
- Que eu identifique meu espaço dentro do conceito cósmico
- Que eu tenha percepção das energias sutis
- Que eu seja um espelho da força do amor
- Que eu limpe as nuvens de minha visão
- Que eu saiba o que é preciso saber
- Que eu revele a verdade e o caminho mais sábio
- Que eu enxergue através da perspectiva superior
- Que eu aceite o ser humano sem julgamentos
- Que eu possa sempre manter a tolerância
- Que eu exerça o significado real do amor
- Que eu possa aceitar e usar minha própria força
- Que eu e meu Eu Superior atuem em conjunto
- Que eu mantenha sempre a calma interior
- Que eu respeite o livre arbítrio do outro
- Que eu tenha o equilíbrio entre as polaridades
- Que eu irradie luz através da própria força criadora
- Que assim seja e assim será! Sempre!

CRESCIMENTO PROFISSIONAL E PROSPERIDADE
Dia 6, dia de Reis, coloque uma romã dentro de um saquinho confeccionado de pano vermelho e ofereça aos 3 Reis Magos: Baltazar, Gaspar e Melchior.
Pendure esse saquinho atrás da porta e deixe lá o ano inteiro.
Poderá ser feito também no dia 20 de março quando começa o ano astrológico.
PORTAL MÁGICO
Escolha um local dentro de sua casa ou no jardim para criar um “Portal Mágico”. Pode ser um canto em seu quarto, no local de trabalho, perto de uma árvore, ou ainda perto de uma planta que você goste. No dia 1º. , depois de tomar seu banho, vá até esse local e comece a imaginar anjos, seres encantados, fadas entrando e saindo. Acenda um incenso, faça uma oração ou um salmo de sua preferência, consagrando esse local, como seu cantinho mágico de poder.
Durante o ano, recorra a esse local toda vez que precisar de uma intervenção mágica ou ajuda angelical.

Esse ritual também poderá ser feito:
- Em qualquer dia de Lua Nova;
- Dia 20 de março quando começa o ano Astrológico;
- Ou sempre que mudar de residência.
PARA CARTEIRA SEMPRE CHEIA DE DINHEIRO
Na véspera do ano conserve com você 7 moedas correntes, de qualquer valor. 7 minutos antes da virada, distribua para amigos ou familiares que estiverem presentes e guarde a última com você.
Deixe-a na carteira, será o seu talismã.
PROSPERIDADE PARA A FAMÍLIA
Na passagem do ano, coloque um punhado de arroz cru em cada canto da casa, mentalizando fartura, prosperidade e saúde para todos.
Retire esse arroz no dia 6, de Reis e jogue em um jardim.


CEIA DE PASSAGEM DO ANO

Procure colocar sobre a mesa alguns ramos de trigo, eles vibrarão fartura. A sopa de lentilhas não poderá faltar. Você deverá comer 3 colheres da sopa antes de qualquer outra refeição, fazendo 3 (três) pedidos diferentes, um para cada colherada. Peça com fé.
PARA CONQUISTAR UM NOVO AMOR
Compre um quartzo rosa, deixe-o submerso em água e sal grosso de um dia para o outro, no dia seguinte depois de passá-lo em água corrente, deixe-o exposto ao sol durante, no mínimo, uma hora. Use esse quartzo rosa na virada do ano, mantendo-o na bolsa ou na cabeceira da cama durante o ano.
VARREDURA
Dia 31, antes do Sol se pôr, faça o seguinte ritual:
Risque no chão, com giz ou carvão, um circulo de mais ou menos um metro e meio. Entre dentro desse circulo e, com uma vassoura, comece a varrer de dentro para fora do circulo, tudo que estiver difícil em sua vida. Para cada varrida diga em voz alta o que está varrendo. Exemplo: tristeza, raiva, solidão, falta de dinheiro, desamor, desavenças, desesperos, ciúmes, enfim, tudo aquilo que você quer deixar para traz.
Respire fundo, saia do circulo lentamente, lave a vassoura em água corrente e acenda dentro do circulo uma vela branca para que a chama do fogo preencha o local com luz e ilumine seus caminhos no decorrer do ano.

Poderá ser feito também no dia 20 de março quando começa o ano Astrológico ou em qualquer dia no início da Lua crescente.
PROTEÇÃO DA ENTRADA
Dentro de um copo de vidro, transparente, coloque sal grosso até a metade. Em seguida coloque um espiral feito com fio de cobre deixando a ponta 3 centímetros para fora do copo. Esse copo deve ficar na porta de entrada, do lado esquerdo de quem entra. (Pode ser atrás da porta).
ORIXÁS – SEQUÊNCIA

Acender uma vela branca para cada um e oferecer:
- Exu – para abrir todos os caminhos.
- Ogum – quebrar todas as dificuldades
- Oxossi – desenvolver transformações saudáveis.
- Xangô – para desburocratizar e trazer justiça.
- Iansã – ter energia de um guerreiro com força para vencer
- Oxum – Conquista de bens materiais e instalar o amor
- Obá – ajudar nas preocupações
- Logum Edé – fortalecer a alegria de viver
- Iemanjá – lavar a alma e mostrar a prosperidade
- Nanã – Para sermos sábios. Resolve questões de herança.
- Ibêji – colocar a doçura em nossos pensamentos
- Obaluaê – Curar dores. Afasta espíritos desencarnados.
- Ossaim – para manter o equilíbrio
- Oxumaré – proporcionar riqueza e fortuna
- Ewá – firmar positividade nos relacionamentos
- Oxalá – harmonia, equilíbrio com bênçãos.

SALVE A LUZ DAS DIVINDADES!
NESTE ANO MEU LAR ESTÁ PREENCHIDO SOMENTE DE FELICIDADE!


BANHOS DE LIMPEZA OU ENERGIZAÇÃO

- Atrair dinheiro
7 galhinhos de salsa
7 cravos da Índia
7 pedacinhos de canela em pau
3 folhas de louro
1 pitada de noz-moscada
Ferver 1 litro de água, colocar o material e abafar.
Deixar esfriar e jogar do pescoço para baixo.

- Limpeza da aura
3 galhinhos de alecrim
3 galhinhos de arruda
1 colher de sopa de camomila
1 colher de sal grosso.
Ferver 1 litro de água, colocar o material e abafar.
Deixar esfriar e jogar do pescoço para baixo.

- Energético para o amor
7 pétalas de rosa branca
7 pétalas de rosa vermelha
7 colherinhas de óleo de amêndoas doce
7 gotas de óleo essencial de lavanda.
Ferver 1 litro de água, colocar o material e abafar.
Deixe esfriar e coe.
Adicionar 1 vidro pequeno de Seiva de Alfazema.
Colocar em um vidro e passar no corpo, no dia a dia após o banho.
Pode ser usado a dois.

- Stress, fadiga e depressão
3 cravos da Índia
3 gotas de óleo essencial de lavanda
3 galhinhos de alecrim
7 galhinhos de arruda
7 pétalas de rosa branca
7 galhinhos de manjericão.
Ferver 1 litro de água, colocar o material e abafar.
Deixar esfriar e jogar do pescoço para baixo.

- Eliminar energia negativa provocada por magia.
(Fazer na lua minguante)
3 colherinhas de bicarbonato de sódio.
3 ramos de alecrim
3 ramos de arruda
3 ramos de hortelã
3 colherinhas de Tomilho.
Ferver 1 litro de água, colocar o material e abafar.
Deixar esfriar e jogar do pescoço para baixo.

 

LIMPEZA E ENERGIZAÇÃO DE AMBIENTES 
(Lar ou Escritório)

- Examine sua vida atual e veja o que criou para si mesma.
- Sua casa é seu templo, uma representação simbólica de você mesma.
- Você cria um padrão trabalhando a intenção.
- Encha a casa ou escritório com sensações de paz.
- Use cores suaves em paredes, quadros e objetos.
- Limpe os cantos e armários, livre-se de tudo que é inútil.
- Livre-se de objetos que tragam para o presente, energias de um passado triste.
- Os objetos devem estar associados a boas lembranças.
- Associações negativas sugam energia do espaço.
- Crie um ambiente vibrante, alegre, colorido, claro e cheio de luz.
- Distribua plantas em abundância por toda casa.
- Remova qualquer objeto que impeça a porta de abrir totalmente.
- Descubra que representa ou simboliza o amor para você e encha sua casa com isso.
- Comece a projetar um novo campo energético e notará que a vida e as pessoas ao seu redor responderão a essa nova energia e o Universo que a cerca aderirá transmitindo o que está projetado.
- Se alguém sofre de depressão, colocar luz em todos os sentidos, natural ou artificial e passe a usar cores alegres!

 

PROGRAMAR UM CRISTAL DE USO PESSOAL.

Os cristais podem ser programados para uma única finalidade, ou algo muito importante que você deseja alcançar.
É uma forma de potencializar e amplificar a energia da vontade.

Para programação use apenas cristal branco
(união de todas as cores)
Escolha um momento ideal, para não haver interrupções , permaneça durante 5 minutos simplesmente se soltando, conscientize-se de que algo muito especial vai acontecer e comece o ritual:

1. Segure o cristal entre as duas mãos, apontando na direção do sexto chacra, Frontal, o terceiro olho, que fica entre as sobrancelhas.
2. Enquanto segura o cristal visualize um raio de luz conectando você e o Cristal, ligando seu 6O chacra à ponta do cristal, até sentir que a comunicação está feita.
3. Passe mentalmente para o cristal a função a que ele se destina, através das ondas de pensamento para uma vontade dirigida. Seja bem objetiva e clara, usando afirmações positivas, deixando que a presença Divina guie seu propósito com amor e sabedoria.
4. Reforce dizendo: Este é o meu Cristal e está programado em nome da Luz Divina, do Amor Maior e da Harmonia Universal para ……………………………..

Exemplos para programação:
- Cristal para saúde ou cura de doenças.
- Proteção
- Meditação
- Realização afetiva
- Realização Financeira
- Criatividade no trabalho
- Sucesso nos objetivos
- Harmonia familiar
- Energização de Água
- Energização de Plantas e Animais
- Banhos. Etc.

 

TAÇA DA PROSPERIDADE

1 pirita (molécula cúbica) facilita ganhos materiais
7 cítricos – símbolo da riqueza
1 ponta de cristal branco – irradia paz e harmonia
1 ametista – transmuta energia negativa em positiva
1 ônix – facilita a aquisição de bens
1 quartzo rosa – traz amor
1 quartzo azul – traz equilíbrio
1 quartzo verde – saúde
1 cornalina (ágata de fogo) concretiza objetivos
1 turquesa – Vibração fortemente curativa e poderes cerebrais.
1 crisopraso – suaviza o coração trabalha o perdão.
1 ágata vermelha para acelerar os processos estagnados.

Deixe as pedras em água e sal grosso imersas por 12 horas.
Depois, deixa-as tomar sol no mínimo 1 hora.

No primeiro dia da lua cheia, coloque as pedras já limpas em uma taça de vidro transparente, cubra-as com água filtrada e deixe exposta em sua casa como enfeite em um local visível.

Troque a água uma vez por semana. – 5ª. Feira dia de Júpiter.

 

Além dessas dicas seguem mais algumas âncoras:

CORES X DIA DA SEMANA
Cada dia da semana vibra uma cor.
Use-as para harmonização através de flores, velas, roupas etc.
Domingo – Amarela ou Laranja – Arcanjo Miguel
2ª feira – Branca- Arcanjo Gabriel
3ª feira – Vermelha – khamael
4ª feira – Verde – Arcanjo Raphael
5ª feira – Azul – Arcanjo Tzadkiel
6ª feira – Rosa – Arcanjo Hanniel
Sábado – Lilás – Arcanjo Tzapkiel

INCENSO
Acender um incenso na entrada, começando pelo lado direito, corra todos cômodos cruzando todos os cantos até chegar novamente no ponto inicial, fazendo a seguinte afirmação em cada canto: Nesta casa há cantos, cada canto tem um anjo, em nome do pai, do filho e do Espírito Santo, Amém.

SINO
Abrir as janelas e tocar um sino em cada cômodo, mentalizando a saída de tudo que houver de negativo no ambiente. Em seguida, preencher com música suave e assoprar canela em pó em todos os ambientes. A canela traz prosperidade.

AGUA
Na lua crescente ou nova, respingar água de fonte com um raminho de trigo, alecrim ou de pinheiro em todas as dependências da casa. Pode ser também água benta se preferir.
Em seguida ler o Salmo 90.

FLORES
As flores sempre foram usadas em comemorações de alegria, amor ou dor. Possuem freqüência vibratória e elementos fluídicos em sua cor e perfume. Anote algumas delas para lar ou escritório.

Angélica..Resgata auto-estima e reconhecimento de qualidades.
Cravos……………… Facilitam conquistas e realização de sonhos.
Crisântemos………..Protegem contra inveja e trazem abundância.
Dália…………………. Realização profissional (escritórios).
Lírios:……………….. União familiar – energia do compartilhar,
Rosas:………………. Embelezam e limpam ambientes.
Tulipa:………………..Traz fama (escritório)
Violeta:……………….Desperta lealdade.

 

Algumas
sugestões e cuidados iniciais


Utilizar as cartas do
Tarô em consultas para si próprio ou com amigos
significa, antes de mais nada, um exercício prático
para desenvolver o pensamento simbólico, a arte de estabelecer
analogias.

 



 

No entanto, para o iniciante, o ato de
“consultar o Tarô” é a parte que envolve o
maior número de distorções e de
incompreensões que, de modo geral, obscurecem as mensagens
simbólicas das lâminas. Os preconceitos e
superstições, os rituais e formalismos gratuitos, as
apreensões muitas vezes propaladas por aproveitadores,
acabam por confundir aquilo que, na origem, era leve, lúdico
e estimulante.
O Tarô, ao invés de gerar temor,
pode se tornar, para cada um de nós, fonte de inspiração
e de nova compreensão das leis que regem o universo e dos
caminhos evolutivos. Ele é, por isso mesmo, um instrumento
de ajuda e não de vaticínios alarmantes.
O
conjunto das lâminas pode ser utilizado, não só
para prognósticos, mas também como recurso
terapêutico e de apoio ao desenvolvimento interior.

 

 

 

As
imagens lunares e de evocação
psíquica
podem dar certo encanto misterioso ao Tarô, mas também,
em alguns casos, o aprisionam em estereótipos.

 


 

 

 

A
atitude básica

O iniciante, para ficar mais à vontade e
melhor usufruir os benefícios desse jogo secular, é bom
livrar-se, em primeiro lugar, de idéias preconcebidas ou
superstições: achar que precisa seguir ritos mágicos,
formalismos cerimoniais, ou que lidar com o Tarô é
assunto para vidente ou paranormal, ou então acreditar que
“ler as cartas” significa apenas prever acontecimentos penosos ou
sofridos para as outras pessoas.
Na verdade, seria melhor entender
as lâminas do Tarô como cartas de um velho sábio,
bom amigo, generoso e acolhedor, que nos oferece indicações,
sugestões e estímulos renovados para compreendermos
nossas vidas, refletirmos sobre as conseqüências de nossos
atos e elaborarmos prognósticos e cenários de futuro
que poderão nos ajudar a dirigir com maior eficácia
nossos empreendimentos na vida exterior e interior.
O ideal é
que as consultas sejam feitas com espírito aberto, com
naturalidade, dentro dos modelos espirituais e religiosos da pessoa.
Não precisamos adotar nenhum rito estranho ou nebuloso, nem
nos convertermos a qualquer seita exótica. O Tarô foi um
presente, sem sectarismo, de Escolas iniciáticas para ajudar e
não para complicar nossas vidas.
Se o consulente considera
importante um gesto de recolhimento antes de trabalhar com as cartas,
ótimo. Essa disposição será mais eficaz
se inspirada em seus próprios padrões religiosos ou
modelos espirituais. Não são as formalidades exteriores
que nos preparam, mas sim as disposições interiores.

 

 

 

Escolha
das técnicas de tiragem.

Existem dezenas e dezenas de modelos para consulta
às cartas do Tarô. Não há, porém,
uma técnica ou método de tiragem ideal. Varia com o
objetivo da leitura e com as preferências individuais. Muitas
vezes, modelos simples com três ou quatro cartas podem oferecer
maior clareza e objetividade que alguma técnica sofisticada
com muitas cartas.
A sugestão, para o iniciante, é
começar com os modelos mais simples e, com a prática,
repassar as técnicas mais complexas, que por vezes se apoiam
em outras linguagem simbólicas como é o caso, por
exemplo, da tiragem astrológica.

 

 

 

Três
regras de ouro

Madame Turpaud, autora de Le Tarot de
Marseille
, oferece muitas sugestões úteis para o
iniciante. Ela insiste para não permitirmos que formas rígidas
nos limitem. As tiragens devem ser flexíveis e, de
preferência, montadas de acordo com as questões e
diferentes aspectos que estivermos examinando. Desse modo, três
regras gerais podem nos propiciar uma leitura consistente do Tarô:

- estabelecer, antes de retirar cada lâmina
do maço, qual o sentido ou função que ela irá
ter no jogo;
2ª -
fazer uma “leitura literal” da lâmina, ou seja,
verbalizar simplesmente o que a carta está mostrando;

- buscar, à medida que for desvirando as
cartas, estar receptivo às impressões, idéias,
intuições e pensamentos fugidios que possam surgir, em
ressonância à função previamente atribuída
à carta.

 

Vamos
traduzir esses conselhos na prática:

1 – a função
da carta: sem complicações

O ideal é que o modelo de consulta siga a
“regra numero 1” da Madame Turpaud: atribuir préviamente,
a cada carta, qual o papel ou função que assumirá
na jogada. Se quisermos, por exemplo, compreender uma relação
pessoal, profissional ou afetiva, podemos pedir que se tire uma carta
para representar uma pessoa e, do mesmo modo, uma segunda carta para
representar a outra pessoa. Se o objetivo é conhecer os pontos
fortes e os pontos fracos da relação, pediremos uma
carta para explicar os pontos favoráveis, propícios, e
outra carta para dar conta dos pontos difíceis, que precisam
ser trabalhados. Nesse caso, as cartas serão retiradas do maço
para dar indicações sobre questões bem
definidas.

Muitas vezes a maior curiosidade é pela
previsão: saber no que vai dar a relação. Nesse
caso, se já tivermos feito sorteio de outras cartas, como no
exemplo que acabamos de propor, o consulente pode retirar mais uma
carta do maço para saber os prognósticos da relação.
Mais ainda, quando a atitude não é de fatalismo, mas
sim de trabalhar a situação, uma nova carta será
a mais importante: o conselho para lidar ou aprimorar a questão.

 

Se a pergunta estiver clara e se tirarmos uma
carta para estudar cada ângulo que julgarmos importante, meio
caminho de uma boa consulta já terá sido percorrido.

 

 

 

2 – leitura literal:
partir do que se sabe.

Uma dos defeitos que “matam” a leitura de uma
tiragem do Tarô é atribuir às cartas os
lugares-comuns do receituário popular, da cartomancia
simplória que reduz tudo a “bom” ou “ruim”. É o
que também acontece, muitas vezes, com os símbolos
astrológicos, em que os signos e planetas são reduzidos
a bons ou ruins, maléficos ou benéficos.

 

É importante lembrar que as cartas não
ditam o destino, mas esclarecem os pontos a serem trabalhados e
assimilados. Portanto, quanto mais rentes estivermos dos desenhos
simbólicos das cartas, menores serão os riscos de
enganos e desvios da imaginação. A recomendação
é a de partirmos da compreensão que temos das cartas,
sem invenções. Lembre-se: os adivinhos ou sensitivos,
não precisam das cartas, pois recebem informações
por outros caminhos. Ou seja, além de um recurso divinatório,
o Tarô pode se tornar, para a maioria de nós, um
instrumento para estudarmos e compreendermos as leis que regem os
acontecimentos e a nossa vida pessoal.

 

 

3 – receptividade:
praticar e conferir.

O exercício de pensar simbolicamente não
é cultivado no sistema escolar moderno. Pelo contrário,
é desestimulado. Desse modo, não precisamos nos sentir
desmoralizados ou impacientes diante de nossa dificuldade inicial
para “ler” as cartas do Tarô. O caminho é exercitar
e praticar leituras, para si mesmo ou para amigos interessados.

 

A vantagem de praticar entre os amigos é
que não precisamos dar banca de adivinhos. Aliás, por
mais atraente que seja a arte oracular, o Tarô vai além.
Entre amigos podemos pensar juntos o significado das combinações
das cartas, trabalho que pode ser resolvido pela inteligência e
pela prática. Podemos consultar o que dizem os manuais,
discutir, pensar, interpretar. É importante também
registrar as impressões de conjunto, intuições,
vislumbres, lampejos. E depois esperar que os fatos comprovem ou
corrijam o que entendemos. Esse caminho prático é
seguro e confiável. Podemos aprender com os fatos, sem
pretensas adivinhações.


Os
significados das cartas

Se a primeira “regra de ouro” mencionada
acima for bem aplicada, ajudará a resolver uma dificuldade
básica. Entre os que começam a utilizar o tarô em
tiragens a pergunta mais comum é a de como traduzir cada
carta. Sentem dúvidas se devem falar dos aspectos positivos ou
negativos. Não sabem como escolher entre os significados
contraditórios que aparecem nos diferentes livros e autores.


Essa questão é de fato
essencial. Não encontraremos uma resposta fácil para
ela porque, na realidade, os símbolos são mais amplos,
mais profundos e mais repletos de significados do que as limitadas
perguntas que fazemos habitualmente. Mesmo que o tarólogo
tenha muita experiência, estará sempre diante da
dificuldade de reduzir o mundo rico e variado dos arcanos ao
acanhamento das nossas formulações.


O que pode ajudar a leitura é definir
claramente o que esperamos que a carta indique. Por exemplo, se
queremos compreender bem uma situação, tiramos uma
carta para esclarecer seus pontos fortes e outra carta para mostrar
seus pontos fracos. Nesse caso, levaremos em conta os significados
positivos da carta tirada para explicar os pontos fortes. Para
traduzir os pontos fracos da situação levaremos em
conta os pontos negativos que em geral são atribuídos à
carta que foi tirada para explicar esse lado da questão.

 

É importante, quando estudamos os símbolos
do Tarô, procurar conhecer pelo menos três aspectos em
cada carta: seu lado luminoso ou positivo; o lado de sombra ou
negativo; e o conselho que oferece. Quanto mais amplo for o nosso
entendimento, mais fácil será aplicar a carta à
função que definimos a ela durante a tiragem.

 


Arcanos Maiores e/ou
Menores? Tarot ou baralho comum?

Outra questão em aberto, nas consultas, é
a de utilizar o baralho inteiro ou apenas parte dele. Há
aqueles que utilizam o conjunto das 78 cartas (22 Arcanos Maiores e
56 Arcanos Menores, ao mesmo tempo). Os usuários do chamado
“Tarô Egípcio” não encontram qualquer motivo
para tal separação, pois as 76 cartas foram
redesenhadas todas no mesmo padrão dos arcanos maiores, sem
clara distinção entre os naipes.

 

Já entre os que utilizam o modelo clássico,
muitos praticantes separam dois maços:
um com os arcanos maiores e, o outro, com os menores. E, de acordo
com a função que a carta ocupará na tiragem,
pedem que o cliente retire cartas ou do monte dos arcanos maiores ou
do monte dos arcanos menores.

Dicta e Françoise, por exemplo, sugerem
que se comece a consulta com os Arcanos Menores; caso apareça
um Ás, significa que a questão é importante e
merece ser examinada com a ajuda dos Arcanos Maiores. Para deixar a
questão em aberto, podemos lembrar um ponto de vista oposto, o
de G. O. Mebes, ao afirmar que os Arcanos Menores falam de um plano
mais sutil que o retratado pelos Arcanos Maiores…

 

Há também aqueles que, com propósito
pedagógico ou terapêutico, utilizam apenas as cartas com
desenhos mais personificados. Ou seja, deixam de lado as 40 cartas
numeradas dos quatro naipes, e utilizam somente
42 cartas
 (22 arcanos maiores, 16 figuras e os 4
ases).

 

Do ponto de vista do iniciante, talvez fosse
melhor começar pelos arcanos maiores, mais diferenciados e,
por isso, mais diretos para evocarem analogias e significações
simbólicas. Ficará para uma segunda etapa a inclusão
das cartas numeradas (arcanos menores), mais abstratas e que exigem
maior estudo.

 

A bem da verdade, essa última afirmação
vale mais para a nossa atual população urbana, classe
média, com formação escolar padrão. Nas
pequenas comunidades do Interior brasileiro a história é
outra: as mulheres do povo que desempenham o papel de curadoras,
benzedeiras e cartomantes, encontram disponível apenas o
baralho comum, de
carteado, com suas 52 duas cartas
(as 40 numeradas em quatro naipes, mais 12 figuras, sem o cavaleiro).
E é com esse baralho, sem aparentes evocações
esotéricas, que fazem suas leituras e ajudam as pessoas de
suas comunidades…

Nada impede, afinal, que se pratique “ler as
cartas” apenas com o baralho
comum
. Aliás, ele é quase completo,
quando comparado aos “arcanos menores” do Tarot original:
faltam apenas os Cavaleiros. Por outro lado, o baralho comum tem
quase 50% de cartas a mais do que os jogos remontados e reduzidos por
Etteila e Lenormand, a partir do início do século 19,
também conhecidos como “baralho cigano”.

 

Nunca é demais repetir: não
existem regras absolutas
 para o Tarô. Tal como
acontece com os jogos de cartas para o lazer – buraco, tranca,
truco, mico, rouba-montinho e por aí afora… – são
os participantes que combinam entre si as regras e suas variações,
se utilizam todas as cartas do maço ou apenas parte, se jogam
com um maço de baralhos ou com dois. O importante é
experimentar e verificar, por conta própria, o que faz mais
sentido para cada momento de prática e de estudo.
Detalhes

 

Na prática, vemos tarólogos e
cartomantes dando importância a muitos detalhes que podemos
acolher, mas que não precisamos tomar como leis ou dogmas.
Vejamos alguns desses pontos, que cada um levará em conta, ou
não, de acordo com seu temperamento e disposições.
A sugestão é a de experimentarmos as alternativas e
escolhermos as que correspondem melhor ao nosso feitio. Esses
procedimentos constituem meros registros do que acontece na prática
e não são dogmas ou ritos
obrigatórios
.

 

Toalha.
Muitos guardam um pano próprio ou toalha especial sobre o qual
abrem as cartas. Tecidos lisos e de cores escuras têm a
vantagem de dar destaque às cartas, que são o centro do
interesse. Se quizer utilizar uma toalha, que cada um faça a
escolha como bem entender.

 

Embaralhar.
Igualmente não existem regras absolutas. Muitos praticantes
pedem que o cliente embaralhe as cartas para deixar sua vibração
ou, em outros termos, para se que “fiquem donos” das cartas.
Outros pedem simplesmente que o consulente pouse as mãos sobre
as lâminas, para passar sua energia.
Existem ainda aqueles
profissionais que embaralham as cartas cuidadosamente, eles próprios,
e pedem apenas para o cliente cortar. A razão de tal
procedimento em muitos casos nada tem de esotérico: é
um simples recurso para que as cartas não se machuquem em mãos
inábeis.

 

Corte.
É muito comum que o conselheiro ou cartomante peça
que o cliente “corte o maço”, ou seja, divida em dois ou
três montes. Alguns recomendam que seja com a mão
esquerda, outros com a direita. Sejam quais forem os procedimentos,
pode ser interessante atribuir uma função para a carta
de corte na leitura, por exemplo, para indicar o “cenário
geral” da questão ou seu “pano de fundo” ou qualquer
outra função tida como significativa pelo operador.

 

Sorteio
das cartas
. Alguns
praticantes pedem apenas que o cliente “corte” o maço e,
eles próprios deitam as cartas que serão lidas durante
a consulta. Outros fazem questão de que as cartas da tiragem
sejam escolhidas pelo próprio cliente.

 

Cartas
invertidas
. É relativamente
freqüente atribuir um sentido negativo às cartas que saem
de cabeça para baixo. Nesse caso, o embaralhamento deve ser
feito rolando as cartas sobre a mesa, para garantir a alternância
de posição. Uma mesma carta pode sair direita ou
invertida dependendo de o praticante “abrir” a carta girando-a no
eixo vertical ou horizontal. Por essa razão é
indispensável que cada um defina seu próprio código
pessoal, caso queira levar em conta o fato de a carta sair em pé
ou de cabeça para baixo.

Muitos tarólogos preferem trabalhar com
todas as cartas diretas, sem deixá-las invertidas. Desse modo,
quando querem saber os aspectos difíceis ou negativos de uma
questão, simplesmente tiram uma carta para descrever tal
aspecto.

 

Momento
de abrir (ou virar) as cartas sorteadas
.

O usual é sortear ou escolher as cartas
pelo verso, com os desenhos ocultos. Alguns sorteiam de uma só
vez todas as cartas que utilizarão; outros preferem ir
retirando uma a uma, tornando o desenho visível e fazendo os
comentários pertinentes; só ao final, fazem uma síntese
do conjunto.

Voltada para leitor.
A maior parte dos praticantes arrumam as cartas viradas si e não
para o cliente. Na verdade, é o leitor que deve receber as
impressões diretas do arranjo sobre o qual fará sua
apreciação. Nada impede, porém, quer numa
situação de consulta profissional, quer numa prática
terapêutica ou de estudo entre amigos, que as cartas sejam
tocadas e examinadas de perto pelos envolvidos na consulta.


TÉCNICAS
DE TIRAGENS COM ATÉ 7 CARTAS



Tiragem
por três

 


 

 
Nesse modelo de leitura, retiramos três
lâminas do maço e as colocamos em linha ou na forma
de um triângulo com o vértice para cima, como está
indicado no esquema ao lado.
A leitura poderá se
desenvolver como numa frase com:
1) sujeito, 2) verbo e 3)
complemento.

 

Exemplos de
variações possíveis:


 

 

1. o positivo; 2. negativo; 3. a síntese.

 

1. a causa; 2. o desenvolvimento; 3. os
efeitos ou as conseqüências.

 

1. uma alternativa; 2. a outra; 3. a
avaliação final.

 

1. a meta, a intenção; 2. os
meios para alcançá-la; 3. as conseqüências.

 

1. eu, 2. o outro, 3. as perspectivas.

 

o que o consulente poderá esperar se:

1. for em frente, 2. recuar. A terceira carta poderá
indicar um conselho ou um terceiro caminho.








 

 

Tiragem em Cruz

 

Na Tiragem em Cruz contamos com um maior
número de ângulos para examinar uma questão.
Retiramos do maço cinco lâminas, que são
colocadas de face para baixo, na seqüência de posições
indicadas no quadro ao lado.
Há também quem
costuma, para conhecer a quinta carta, adicionar os números
das quatro já sorteadas. Neste caso:
(a)
se o resultado for menor que 22, tiramos do maço a lâmina
que tem esse número e a colocamos no centro da cruz;
(b)
se o resultado for igual a 22, colocamos o Louco. (Ele, porém,
quando se encontra entre as quatro primeiras cartas já
sorteadas, é contado com valor zero na adição
para se achar a quinta lâmina; é o “Arcano Sem
Número”);

(c)
se o resultado for maior que 22, somamos os dois algarismos e esse
novo resultado, denominado redução, será o
número da quinta lâmina (por exemplo, se o valor
total das quatro cartas sorteadas for 37, somamos 3 + 7 = 10, isto
é, a quinta carta será a Roda da Fortuna);
(d)
se a quinta lâmina já tiver saído na tiragem,
imaginamos que ela se encontra duplicada no centro.


 


Variações
para o significado de cada carta:

 

1. a pessoa, 2. o momento, 3. os
prognósticos, 4. os desafios a superar, 5. o conselho para
lidar com a situação;

 

1. o fato, 2. o que ele causa, 3. onde e
quando ocorre, 4. como ocorre, 5. porque ocorre;

 

1. o consulente, 2. o outro, 3. o que os
aproxima, 4. o que os separa, 5. a tendência para o futuro
ou a estratégia a seguir;

 

1. o aspecto interno da questão, 2. o
aspecto externo, 3. o que é superior ou favorável,
4. o que é inferior ou desfavorável, 5. a síntese
ou resposta.


Tiragem Péladan

Joséphin
Péladan
 (1858-1918), escritor e
ocultista francês, divulgou uma técnica de tiragem
bastante valorizada. Trata-se de um esquema simples e útil,
idêntico à tiragem em cruz.
A quinta carta é
obtida pela soma do valor das quatro primeiras retiradas do maço.
Se o resultado ultrapassar 22, será feita a redução
numerológica (teosófica). Veja
os detalhes dessa operação na “Tiragem
em cruz”
, logo acima.


 

São atribuídas as seguintes
funções às cartas:
1.
O que é favorável, vantajoso. O aspecto afirmativo.
Os prós.
2.
O que é desfavorável, contrário. Obstáculos
e dificuldades. O aspecto negativo. Os contras.
3.
Ação, influência. Próximos
acontecimentos. O caminho.
4.
Resultado. Conseqüências. Solução.

5.
Síntese. O sentido de conjunto das cartas.

 


Oswald
Wirth
, em seu Tarot des imagiers
du Moyen Age,
 assim descreve o método indicado
por Joséphin Péladan,
que ele recebeu por intermédio de Stanilas
de Guaita
:
1.
O primeiro arcano tirado é visto como afirmativo, que fala
a favor de uma causa e indica de uma maneira geral o que está
favor.

2.
Em oposição, o segundo arcano é negativo e
representa o que está contra.

3. O terceiro
arcano retirado representa o juiz
que discute
 a causa e determina a sentença.

4. A sentença
é enunciada no arcano retirado em último lugar
5.
O quinto arcano esclarece o oráculo
que ele sintetisa, pois depende dos quatro arcanos retirados. Cada
um destes traz o número que marca sua posição
na série do Tarot. (O Louco, não numerado,
é contado como 22). Basta adicionar esses números
inscritos para obter, seja diretamente, seja por redução
teosófica, o número do quinto arcano (22 designa o
Louco, 4 o Imperador, 12 o Pendurado,
etc.)

 

 


Tiragem
Kairallah





É a tiragem que o organizador deste site
costuma utilizar em suas consultas, na complementação
da análise do mapa natal e trânsitos astrológicos.
O modelo pode ser aplicado às sucessivas questões
que o cliente colocar.

 

A primeira tiragem, é feita para
traduzir os seguintes aspectos gerais:
1.
consulente; como
ele se encontra;
2.
o seu momento de vida; suas
condições atuais
;
3.
prognósticos,
o rumo que sua vida tende a tomar;
4.
qual a melhor conduta
diante da situação definida pelas cartas anteriores.
Conforme a tiragem, a carta pode ser definida como o conselho
estratégico
 para lidar com o assunto em
exame.

5.
cenário geral
que envolve a questão e inclui as demais cartas. Trata-se
da carta de corte que, na verdade, é a primeira desvirada
após o sorteio, junto com o

 

maço de cartas que restou.

 

 


O mesmo esquema pode
ser utilizado para as questões que o consulente quer ver
retratadas pelo Tarô.

As funções
atribuídas as cartas 1, 2
3 são então
adaptadas para cada assunto.

 

As duas outras cartas
mantêm o padrão: 4
– indica o conselho, o caminho oportuno para ser seguido pelo
cliente; 5 – (a carta
de corte), delineia o cenário inclusivo, as forças que
circunscrevem o assunto.
Exemplos de variações para
as cartas de 1 a 3:

 

 

 

 

1. o consulente; 2. o outro; 3. previsões.

 

 

1. os pontos fortes ou positivos; 2. os pontos
fracos ou negativos; 3. tendências.

 

 

1. o consulente; 2. a situação
específica (relacionamento, trabalho, projeto, etc); 3. o
que esperar.

 



Lição da Torre

Trata-se uma tiragem para examinar e trabalhar
situações de rupturas e quebras de expectativas.
As
funções que uma determinada taróloga atribuiu
às cartas, deixa claro o propósito desse modelo. São
assinalados diferentes passos para entender compreender o fato em
si, seus sentido espiritual e superior, o motivo da crise e,
finalmente, o trabalho a ser feito.
Funções
de cada carta:
1.
a porta de acesso;
2.
a luz da consciência;
3.
a luz da razão; as cartas 2 e 3 constituem a Morada do
Espírito;
4.
o plano superior;
5.
o que foi destruído, o que era excessivo;
6.
o que precisa ser reconstruído na ação;
7.
o que precisa ser rescontruído na personalidade.

 


 

TÉCNICAS
DE TIRAGENS

COM
MAIS DE SETE CARTAS


Leitura
do Coração

Entre outras alternativas utiliza-se uma
tiragem que serve para compreender como uma pessoa é, qual
a sua personalidade, ou como ela se encontra no momento.
O
propósito é responder às perguntas que ajudam
a situar a pessoa. Como ela é? Como está? Como ela
me vê?
A peculiaridade técnica desse modelo de
tiragem é a utilização de arcanos maiores e
menores em maços separados.

 


 

 

As posições
de 1 a 5
(com números em branco no esquema acima) são
preenchidas com Arcanos Maiores
e indicam:
1. como
vê com a razão;
lado consciente;
2.
como vê com o coração;
é a carta mais importante, mostra como é realmente, sem
manipulação.
3.
como age;
4.
como era
anteriormente;
5.
como será no
futuro.

 

Para detalhar e
complementar essas informações, são retiradas
mais 10 cartas dos Arcanos Menores:

as cartas 6, 8, 10, 12
14 (números em
azul), à direita dos arcanos maiores, significam o que é
mais positivo;

as cartas 7, 9, 11, 13,
15 (números em
vermelho), à esquerda, indicam o que é mais
negativo
.

Tiragem Tarô de Waite.

Sete cartas são retiradas do maço,
pelo tarólogo, e colocadas na mesa de acordo com o esquema
ao lado. Elas são lidas, inicialmente, na seqüência
numérica. A seguir, são interpretadas em suas
múltiplas combinações, como é o caso
das diagonais 3-1-2, 6-1-4, 7-1-5 e vice-versa, bem como das
linhas 6-5, 7-4 e vice-versa.
Com essas primeiras cartas
obtém-se uma visão do cliente e de seu mundo
pessoal.

 


 

 

Mais
7 cartas
 podem ser retiradas pelo próprio
consulente, sempre com a mão esquerda, para indicar como ele
vê a si mesmo no seu mundo particular. Essas cartas são
colocadas ao lado das anteriores.
Mais
uma terceira rodada
 de sete cartas, retiradas pelo
consulente, darão as previsões (possibilidades e
probabilidades) referentes aos assuntos específicos de cada
posição.
A essa altura, 90% das questões
estarão atendidas. No caso de perguntas adicionais, uma nova
série de 7 lâminas poderá ser virada. Para
encerrar, o consulente retirará uma carta para ser colocada na
posição central, como mensagem ou conselho do Senhor do
Tarô para o momento.
A leitura interativa é possível
em todas as direções e amplia os dados para leitura.
Por exemplo, na seqüência 6-7 a carta na posição
6 indica a bagagem da infância e, na posição 7,
como essa estrutura foi trabalhada até o momento presente.
São
as seguintes as principais atribuições de cada
posição:
1
- o consulente, seu momento atual e aquilo que está buscando
elucidar na leitura do Tarô (embora nem sempre tenha plena
consciência do que seja).
2
- o passado recente, acontecimentos ou pessoas que vêm afetando
o consulente e influenciando o momento presente.
3
- o futuro próximo, as possibilidades e probabilidades de
ocorrências no futuro imediato, planejadas ou não pelo
consulente.
4 – as
relações íntimas, o casamento, cônjuge,
filhos, parentes e amigos próximos.
5
- o plano material, o trabalho, negócios, dinheiro,
propriedades, sociedades profissionais, finanças.
6
- a infância, a figura parental forte, os irmãos, o
ambiente de criação, as influências que marcaram
o processo de amadurecimento. É a carta que faz o verdadeiro
contato com o cliente. Fala das fundações da sua
personalidade e do seu mundo secreto.
7 – o
psiquismo, as emoções e sentimentos presentes, as
condições atuais do inconsciente, o grau de
espiritualidade. Também indica a saúde do consulente.

 


Cruz céltica

A tiragem com dez arcanos do Tarô,
chamada Cruz Céltica, é útil quando se quer
examinar uma questão mais a fundo. Ela permite considerar
dez diferentes ângulos de um assunto e, com isso, ampliar a
nossa compreensão do tema.
As lâminas, poderão
ser colocadas como no esquema ao lado, com a segunda carta
cruzando a primeira.
Com a prática, aprendemos a variar
e a fazer adaptações nesse esquema. No entanto, tal
como ocorre nas demais formas de tiragem, é muito
importante definir com clareza a função que cada
arcano vai desempenhar na leitura.

 


 

 

Algumas sugestões de diferentes aspectos
que podem ser exploradas com cada carta são dadas a seguir.
1
- A situação
. A questão
essencial. A atmosfera que o consulente está vivendo.
2
- Os obstáculos
. As influências
imediatas. As dificuldades da situação.
3
- As metas
. As aspirações e ideais do
consulente. O seu destino ou o que ele poderá realizar de
melhor dentro das circunstâncias.
4
- As raízes
. As bases do passado distante. As
causas remotas que determinaram a condição presente.
5
- O passado recente
. Acontecimentos que acabaram de
ocorrer ou estão ainda ocorrendo.
6
- O futuro
. As influências que tendem a se
manifestar no futuro imediato.
7 – O
consulente
. A condição atual do
consulente. O retrato fiel do consulente.
8
- A influência do ambiente
. A influência
do consulente sobre os outros, ou como ele está reagindo à
atuação dos outros. A imagem que o consulente está
passando.
9 – O conselho.
O melhor caminho a ser adotado pelo consulente. O que lhe corresponde
realizar ou tentar.
10 – O resultado
final
. A síntese. O desfecho. O que se pode
esperar se o consulente fizer o que foi aconselhado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aplicações
criativas do Tarô

LINHA
DA VIDA

É
sempre bom lembrar que o Tarô tem utilizações
muito mais amplas que as costumeiras tiragens para as leituras
da sorte
 na
cartomancia.
Um bom exemplo de aplicação do Tarô
com propósito de compreender a expressão do indivíduo
em sua vida é o da Linha
da Vida
, sugere
um particular sistema numerológico para encontrar os cinco
arcanos
 que
representam a
vida de uma pessoa
.

Apesar dos reparos que podem ser feitos quanto a certos aspectos
técnicos do modelo sugerido para a Linha
da Vida
 (os
valores numéricos atribuídos às letras; a
exclusão do sobrenome materno) ela pode revelar uma certa
dinâmica existencial.
Do ponto de vista pedagógico,
Linha da Vida
tem se mostrado uma bela fonte de exercício para estudantes do
Tarô, principalmente quando praticado em grupo, para
desenvolver o pensar simbólico, sem aprisionar o estudante às
advinhações. Essa é a opinião de quem
utiliza, há anos, a Linha
da Vida
 para
estimular o envolvimento dos participantes dos cursos básicos
sobre os Arcanos Maiores.
Uma sugestão que tem se mostrado
útil é a de incluir no cálculo o sobrenome da
mãe. É importante experimentar variações
como prática viva com os símbolos.

Além
da apresentação dos aspectos técnicos, a
descrição de um pequeno ritual que utilizam para
trabalhar as cartas da Linha
da Vida 
nas
noites dos solstícios de inverno e de verão
(simbolicamente, dias de São João).

 

O
Cálculo da Linha da Vida

Os
quatro primeiros arcanos do Tarô, cálculados para
descrever a Linha da Vida,
correspondem, para cada indivíduo:
(1)
à sua personalidade,
(2)
ao seu meio de nascimento,
(3)
às metas às quais pode aspirar e
(4)
à reflexão, quando chegar à maturidade, de tudo
o que viveu anteriormente.

O
quinto arcano,
que resulta da soma dos
valores dos quatro primeiros,
representa o cumprimento de todos os dons recebidos.

O
conhecimento destas etapas, no caminho de nossa vida, permitirá
tirar maior proveito da existência. É certo que não
podemos evitar as dificuldades, mas devemos trabalhar de tal forma
que elas nos sirvam de experiência. O sentido desses arcanos
será tríplice: físico, mental e metafísico.
Nosso nome de nascimento ressoa como um poder vibrante e é
utilizado por muitas tradições.

Para
calcular a linha da vida tomaremos o nome,
sobrenome do pai
e o ano em
que viemos ao mundo. No caso de mulheres
casadas
 se utiliza o nome
de solteiras
. Um pseudônimo
pode ser também empregado, mas apenas no que diz respeito à
profissão para o qual foi escolhido.

 

Esse
cálculo foi uma das revelações de minha avó.
Alguns autores chamam essa numeração do alfabeto com
“roda de Pitágoras”.

Tabela
dos valores da letras: “A Roda
de Pitágoras”

A =
1

H =
28

O =
8

V =
9

B =
2

I =
15

P =
77

W =
9

C =
4

J =
15

Q =
27

X =
13

D =
5

K =
8

R =
11

Y =
50

E =
3

L =
21

S =
20

Z =
70

F =
8

M =
19

T =
6

-

G =
10

N =
26

U =
9

-

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A tradição
atribui essa correspondência numérica a épocas
muito antigas e sua transmissão se realizou, portanto, boca a
boca. A primeira informação escrita encontramos através
de um livro de M. Lenormand, a célebre vidente. De onde ela
obteve esse alfabeto? É um mistério a mais na história
dessa mulher surpreendente. Georges Saint-Bonnet, curador e sábio
de nossa época, também usava este sistema numérico
que, segundo ele, provinha dos Rosa-cruzes.

 

A lei do silêncio
parece encobrir sua verdadeira origem, já que minha avó,
por sua parte, sempre negou revelar suas fontes. Ela também
chegou a mencionar os Rosa-cruzes, mas sem precisar mais nada.

 

Nota sobre a
“Roda de Pitágoras”
: M. Lernormand atribui o
valor 16 à letra K, enquanto
que Saint-Bonnet atribui 8. Durante anos trabalhamos
este sistema, com centenas de nomes célebres do passado,
conhecidos por suas obras ou por suas vidas, utilizando as duas
notações. A que transcrevemos aqui (K = 8) 
é a que nos proporcionou os resultados mais satisfatórios.

 


Relação
numérica dos 22 Arcanos Maiores

 

   1.
O Mago
   2.
A Papisa
   3.
A Imperatriz
   4.
O Imperador
   5.
O Papa
   6.
Os Namorados
   7.
O Carro
   8.
A Justiça
   9.
O Eremita
  10.
A Roda da Fortuna
  11.
A Força
  12.
O Pendurado
  13.
Sem Nome
  14.
A Temperança
  15.
O Diabo
  16.
A Casa de Deus (Torre)
  17.
A Estrela
  18.
A Lua
  19.
O Sol
  20.
O Julgamento
  21.
O Mundo
  Sem nº:
O Louco
(0 ou 22)


Um
exemplo de cálculo

Vejamos agora um
exemplo para explicar o sistema de cálculo:

 

Marie
Demaison
, nascida em 1935.

- Substituímos cada uma das letras do nome e sobrenome pelo
valor correspondente: M = 19A = 1,
R = 11I = 15E = 3,
e assim por diante. A soma do nome é 49 e a do sobrenome 97.
Reunindo os dois resultados obtemos: 49 + 97 = 146.
A seguir, fazemos a redução teosófica, ou seja:
1 + 4 + 6 = 11. Este será o primeiro arcano
da linha da vida de Marie Demaison: A Força.
(Para saber qual carta corresponde a cada número, veja a
tabela, acima, Relação numérica dos 22
Arcanos Maiores
).

 


No caso de resultado
superior a 22 será necessário continuar reduzindo o
número pelo sistema teosófico. (Veja
exceção abaixo)
 -
Tomamos o ano de nascimento e o reduzimos: 1 + 9 + 3 + 5 =
18
. Isso dará o segundo arcano: a Lua. (Se a
soma for superior a 22, veja abaixo a Exceção 1ª).

 


3º -
Efetuamos a redução do segundo resultado para obter o
terceiro: 1 + 8 = 9, que é o Eremita.
(Veja exceção abaixo)



- A operação seguinte consiste em somar o primeiro
arcano ao terceiro11 + 9 = 20, o
Julgamento. Se o número for maior que 22 recorremos à
redução teosófica.

 



- Finalmente, somamos os valores dos quatro arcanos
obtidos: 11 + 18 + 9 + 20 = 58, que reduzido, 5
+ 8 = 13
, corresponde à quinta carta da linha da
vida, o Arcano Sem Nome.

 

Exceções
na redução do
ano

e no valor 22


- Se a redução do ano de
nascimento
 (como é o caso de 1986, 1+9+8+6 =
24), for superior a 22 é necessário
fazer mais uma redução teosófica para encontrar
o segundo arcano, ou seja: 2 + 4 = 6. Quando isso
acontecer, obteremos o terceiro arcano
acrescentando o mês de nascimento
.
Neste caso, para obter o 4º quarto arcano,
somaremos o valor da segunda e não o da
terceira carta.
 – Se uma redução
der 22, o arcano
respectivo será o Louco. Caso se encontre na segunda
posição, (a do ano de nascimento), daremos o valor
quatro à terceira (22 -> 2 + 2 = 4). Porém, na soma
para obter a quinta carta, atribuímos valor
zero para segunda carta.

 

O
papel de cada carta

São as seguintes
as significações dos Arcanos na Linha da Vida:

- representa nossa personalidade, os dons físicos e morais e
tudo o que nos foi concedido por nascimento.

- relaciona-se ao ambiente familiar, à época em que
viemos ao mundo e às vantagens e dificuldades que esse meio
irá proporcionar.
 – nos mostra as
metas que podemos esperar e a evolução do nosso caráter
até chegar a idade adulta; indica também o caminho
escolhido.
 – corresponde à
realização, à opinião de si mesmo na
maturidade e o olhar retrospectivo sobre nossa vida até
então.
 – se vincula à
reencarnação, ao cumprimento dos fins específicos
de nossa vida, sempre e quando tenhamos trabalhado de forma constante
para chegar a isso.

 

Em resumo, esta
existência tomada como exemplo será suficientemente
agitada e violenta, e estará em relação com
lutas de natureza social, em diferentes períodos da vida. As
provas se acontecerão do final do trajeto têm a ver,
fundamentalmente, com o aspecto espiritual.

 

Meditações

Para atravessar as
diferentes etapas de sua existência, o consulente deverá
se apoiar sobre dos dons dos quatro primeiros arcanos. O tempo de
transcurso de um período ao outro pode variar. Aqui, o tempo
não é um fator importante. Mas cada arcano continuará
influenciado sua vida, até que sua lição tenha
sido assimilada.

É preciso
interpretar primeiro cada carta em separado, para passar em seguida
às relações existentes entre elas. Os arcanos
podem ser complementares ou também opostos. Finalmente, é
necessário relacionar o primeiro ao quinto, já que o
estudo de suas semelhanças e diferença poder dar frutos
muito importantes.

Se numa linha da vida
se repetem duas vezes o mesmo arcano, o consulente deverá
considerar dois níveis desta cara: o físico e o mental.
Estar alerta e tratar de compreender todos os ensinamentos desse
arcano o levará a uma melhor realização de si
mesmo. Recusá-los, significará insucesso.

Uma pessoa
pode ter repetido três vezes um mesmo arcano em sua linha da
vida e isso pode ser favorável ou, bem ao contrário,
pode constituir um obstáculo que terá que ultrapassar.
Mas, seja como for, essa tríplice representação
marca sempre um destino fora do comum. No caso de duas cartas
idênticas é mais comum e assinala, em geral, um esforço
para ser realizado sobre dois planos: o físico e mental.

Um estudo muito
interessante pode ser feito a partir dos nomes e sobrenomes de outros
membros de nossa família. Por exemplo, pode acontecer que
alguém calcule a linha da vida de sua avó e encontre
que a primeira posição corresponde ao Imperador,
enquanto que para ela própria, que faz o cálculo, este
mesmo arcano se encontre na quinta posição. Isso pode
ser interpretado como uma forma de destino familiar ou como uma
mensagem que se transmite de uma pessoa à outra, estando a
última delas em linha obrigatória de cumprir o recado
dado.

 



duas meditações que podem ser feitas com os cinco
arcanos de nossa linha da vida: a primeira durante oSão
João de inverno
,
no dia 27 de dezembro (no hemisfério norte) e, a segunda, no
São
João de verão
,
no dia 21 de junho (no hemisfério norte).

Na noite mais
longa do ano
, que simboliza nosso afastamento da luz
espiritual, os iniciados meditam, pois foi ensinado que a inspiração
desce sobre aquele que pede quando mergulhado na mais profunda
obscuridade noturna. Dispõe-se as cinco cartas sobre um pano:
as quatro primeiras formando um a linha e a última abaixo
delas. Nos detemos em cada uma delas, pela ordem, e uma oração
pode ser proferida. Depois, misturam-se as cinco cartas, que são
colocadas viradas sobre o pano, com o objetivo de ser escolhida uma
delas. A carta escolhida será como que uma mensagem sobre a
qual deveremos meditar.

Para o São
João do verão
 podemos proceder da mesma maneira,
contemplando as quatro cartas iniciais e fazendo uma oração.
Em seguida, nos concentramos sobre a quinta carta. A noite de São
João de verão é a mais curta do ano e é
um símbolos das realizações que foram meditadas
ou planejadas durante o inverno e executadas na primavera. Durante
este período contamos com a ajuda de força invisíveis.

 

Total de visitas: 666

Horóscopos Chinês, Cigano & Xamânico terça-feira, nov 1 2011 


 

Horóscopo Chinês

São ainda misteriosas as origens exatas dos doze animais da astrologia chinesa: Rato, Boi, Tigre, Coelho, Dragão, Serpente, Cavalo, Carneiro, Macaco, Galo, Cão e Porco. Mas esses animais continuam importantes para a astrologia chinesa e seu significado é muito mais amplo do que simplesmente representar a tendência geral do ano ou as possibilidades de felicidade ou infortúnio que nos aguardam. Os doze animais que são os signos da astrologia chinesa são considerados como um reflexo do próprio Universo.


Os chineses medem a passagem do tempo com ciclos de sessenta anos. Os doze animais astrológicos aparecem cinco vezes durante o ciclo de sessenta anos, surgindo de forma ligeiramente diferente a cada vez.
E então, a qual signo você pertence? Qual o seu caráter? Quais os signos compatíveis com o seu? Para saber mais sobre o assunto, aponte para o signo que corresponda ao ano em que você nasceu.

Animal Anos Animal Anos

Rato (Shu)
31/01/1900 a 18/02/1901
18/02/1912 a 05/02/1913
05/02/1924 a 24/01/1925
24/01/1936 a 10/02/1937
10/02/1948 a 28/01/1949
28/01/1960 a 14/02/1961
16/01/1972 a 02/02/1973
02/02/1984 a 01/02/1985
19/02/1996 a 07/02/1997

Boi (Niu)
19/02/1901 a 07/02/1902
06/02/1916 a 25/01/1914
25/01/1925 a 12/02/1926
11/02/1937 a 30/01/1938
29/01/1949 a 16/02/1950
15/02/1961 a 04/02/1962
03/02/1973 a 22/01/1974
20/02/1985 a 08/02/1986
08/02/1997 a 28/01/1998

Tigre (Hu)
08/02/1902 a 28/01/1903
06/02/1913 a 25/01/1914
13/02/1926 a 01/02/1927
31/01/1938 a 18/02/1939
17/02/1950 a 07/02/1951
05/02/1962 a 24/01/1963
23/01/1974 a 10/02/1975
09/02/1986 a 28/01/1987
29/01/1998 a 16/02/1999

Coelho (Tu)
29/01/1903 a 15/02/1904
14/02/1915 a 02/02/1916
02/02/1927 a 22/01/1928
19/02/1939 a 07/02/1940
06/02/1951 a 26/01/1952
25/01/1963 a 12/02/1964
11/02/1975 a 30/01/1976
29/01/1987 a 16/02/1988
17/01/1999 a 5/02/2000

Dragão (Long)
16/02/1904 a 03/02/1905
03/02/1916 a 22/01/1917
23/01/1928 a 09/02/1929
08/02/1940 a 26/01/1941
27/01/1952 a 13/02/1953
13/02/1964 a 01/02/1965
31/01/1976 a 17/02/1977
16/02/1988 a 05/02/1989

Serpente (She)
04/02/1905 a 24/01/1906
23/01/1917 a 10/02/1918
10/02/1929 a 29/01/1930
27/01/1941 a 14/02/1942
14/02/1953 a 02/02/1954
02/02/1965 a 20/01/1966
18/02/1977 a 06/02/1978
06/02/1989 a 26/01/1990

Cavalo (Ma)
25/01/1906 a 12/02/1907
11/02/1918 a 31/01/1919
30/01/1930 a 16/02/1931
15/01/1942 a 04/02/1943
03/02/1954 a 23/01/1955
21/01/1966 a 08/02/1967
07/02/1978 a 27/01/1979
27/01/1990 a 14/02/1991

Carneiro (Yang)
13/02/1907 a 01/02/1908
01/02/1919 a 19/02/1920
17/02/1931 a 05/02/1932
05/02/1943 a 25/01/1944
24/01/1955 a 11/02/1956
09/02/1967 a 29/01/1968
28/01/1979 a 15/02/1980
15/02/1991 a 03/02/1992

Macaco (Hou)
02/02/1908 a 21/01/1909
20/02/1920 a 07/01/1921
06/02/1932 a 25/01/1933
25/01/1944 a 12/02/1945
12/02/1956 a 30/01/1957
30/01/1968 a 16/02/1969
16/02/1980 a 04/02/1981
04/02/1992 a 22/01/1993

Galo (Ji)
22/01/1909 a 09/02/1910
08/02/1921 a 27/01/1922
26/01/1933 a 09/02/1934
13/02/1945 a 01/02/1946
31/01/1957 a 17/02/1958
17/02/1969 a 05/02/1970
05/02/1981 a 24/01/1982
23/01/1993 a 09/02/1994

Cão (Gou)
10/02/1910 a 29/01/1911
28/01/1922 a 15/02/1923
14/02/1934 a 03/02/1935
02/02/1946 a 21/01/1947
18/02/1958 a 07/02/1959
06/02/1970 a 26/01/1971
25/01/1982 a 12/02/1983
10/02/1994 a 30/01/1995

Porco (Zhu)
30/01/1911 a 17/02/1912
16/02/1923 a 15/02/1924
04/02/1935 a 23/01/1936
22/01/1947 a 09/02/1948
08/02/1959 a 27/01/1960
27/01/1971 a 15/01/1972
13/02/1983 a 01/02/1984
31/01/1995 a 18/02/1996

 

A Astrologia chinesa fundamenta-se no ano lunar, que dura doze meses e 29 dias. Cada Ano Lunar é regido por um signo, representado por um animal. Segundo a tradição chinesa, os seres humanos recebem as características do signo regente de cada ano.

RATO

Pessoas sob este signo são trabalhadoras e econômicas. Muito adaptáveis, são bem-sucedidas em todos os empreendimentos. Tem um ótimo tino comercial, mas podem muitas vezes ser mesquinhas, principalmente nos assuntos financeiros. Muito sentimentais, os nativos de rato dão importância aos laços familiares e por isso fazem o que estiver a seu alcance para dar conforto e segurança à família. Suas maiores deficiências são a ambição e a precipitação. Em geral, não sabem esperar o momento oportuno para pôr as idéias em prática. Por essa razão, perdem grandes oportunidades que os faria ter sucesso e prestígio.

31/01/1900 a 18/02/1901 – METAL
18/02/1912 a 05/02/1913 – ÁGUA
05/02/1924 a 24/01/1925 – MADEIRA
24/01/1936 a 10/02/1937 – FOGO
10/02/1948 a 28/01/1949 – TERRA
28/01/1960 a 14/02/1961 – METAL
16/01/1972 a 02/02/1973 – ÁGUA
02/02/1984 a 01/02/1985 – MADEIRA
19/02/1996 a 07/02/1997 – FOGO

TIGRE

Os que nascem num ano deste signo demonstram entusiasmo e enorme alegria de viver. As novas experiências e a independência são sua metal, principalmente durante a juventude. Em geral, adoram ser o centro das atenções, o que muitas vezes resulta em problemas com amigos e familiares. Exigem sempre a simpatia e o afeto daqueles que os cercam. Raramente desanimam diante dos aspectos práticos do trabalho. Seu temperamento rebelde e exageradamente franco pode dificultar relacionamentos duradouros. Entretanto, a presença do Tigre na vida das pessoas é sempre marcante, jamais passando despercebida.

08/02/1902 a 28/01/1903 – ÁGUA
06/02/1913 a 25/01/1914 – MADEIRA
13/02/1926 a 01/02/1927 – FOGO
31/01/1938 a 18/02/1939 – TERRA
17/02/1950 a 07/02/1951 – METAL
05/02/1962 a 24/01/1963 – ÁGUA
23/01/1974 a 10/02/1975 – MADEIRA
09/02/1986 a 28/01/1987 – FOGO
29/01/1998 a 16/02/1999 – TERRA

 

DRAGÃO

Graças a sua imensa reserva de energia, os dragões não podem nem conseguem passar despercebidos. Suas qualidades são tantas quanto seus defeitos e, por essa razão, fazem grandes amizades e inimizades. Passam pela vida em busca da perfeição ideal, e impacientam-se com a mediocridade e com a desonestidade. São francos ao extremo e não hesitam em ir às últimas conseqüências para conseguir o que desejam. O egoísmo e o fanatismo são suas maiores deficiências. A consciência do dever para consigo mesmo e para com os outros lhes dá força e brilho contagiantes. Dificilmente se deixam levar por preocupações financeiras.

16/02/1904 a 03/02/1905 – MADEIRA
03/02/1916 a 22/01/1917 – FOGO
23/01/1928 a 09/02/1929 – TERRA
08/02/1940 a 26/01/1941 – METAL
27/01/1952 a 13/02/1953 – ÁGUA
13/02/1964 a 01/02/1965 – MADEIRA
31/01/1976 a 17/02/1977 – FOGO
16/02/1988 a 05/02/1989 – TERRA
06/02/2000 a 24/01/2001 – METAL

 

CAVALO

Quem nasce sob este regente preocupa-se muito em separar o joio do trigo. São pessoas dotadas de mente rápida e aguçada. As decisões são encaradas como desafios: representam apenas um interessante exercício intelectual. Este signo, portanto, não tem nenhuma dificuldade para tomar decisões nem costuma demorar para escolher um caminho. A independência, as novas aventuras e experiências são tesouros que o nativo deste signo preza e busca com muita determinação. Adora os ambientes agitados e movimentados, e é capaz de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Um vida sem desafios rouba-lhe a alegria de viver. Por essa razão, gosta de mudar de ambiente, de trabalho e de casa, e não é raro é visto como uma pessoa inconseqüente ou irresponsável.

25/01/1906 a 12/02/1907 – FOGO
11/02/1918 a 31/01/1919 – TERRA
30/01/1930 a 16/02/1931 – METAL
15/01/1942 a 04/02/1943 – ÁGUA
03/02/1954 a 23/01/1955 – MADEIRA
21/01/1966 a 08/02/1967 – FOGO
07/02/1978 a 27/01/1979 – TERRA
27/01/1990 a 14/02/1991 – METAL
12/02/2002 a 31/01/2003 – ÁGUA

 

MACACO

Este signo confere a seus nativos capacidade para resolver os problemas mais intricados. As pessoas de macaco tem uma inabalável alegria de viver, e estão sempre atentas a tudo o que acontece à sua volta. Os fracassos significam apenas uma experiência a mais: jamais se dão por vencidas. Em geral se mostram bastante cuidadosas com as finanças e sabem resolver as questões nessa área com muita criatividade. Sempre fazendo planos mirabolantes, consideram fundamental ter uma vida agitada e desafiadora. Tendem a ser desleais quando lhes convém, e vingam-se com facilidade usando seu acurado senso de humor e sua astúcia. Muito curiosas e interessadas por tudo, revelam-se pessoas bastante cultas e bem-informadas.

02/02/1908 a 21/01/1909 – TERRA
20/02/1920 a 07/01/1921 – METAL
06/02/1932 a 25/01/1933 – ÁGUA
25/01/1944 a 12/02/1945 – MADEIRA
12/02/1956 a 30/01/1957 – FOGO
30/01/1968 a 16/02/1969 – TERRA
16/02/1980 a 04/02/1981 – METAL
04/02/1992 a 22/01/1993 – ÁGUA

 

CÃO

Signo da justiça e da afeição. EM geral os nascidos sob este regente dedicam a vida a ideais elevados de honra e moral. Muitas vezes são irônicos e, em sua ingenuidade, não percebem que, agindo desse modo, magoam os outros. Os meios-termos são motivos de sofrimento para eles, uma vez que não suportam a indefinição. A sinceridade e a franqueza são suas maiores qualidades. Têm um autocontrole muito desenvolvido, sendo capazes de suportar os reveses da vida cm altivez. A impaciência, tanto no trabalho quanto no ambiente doméstico, pode ser um grave defeito.

10/02/1910 a 29/01/1911 – METAL
28/01/1922 a 15/02/1923 – ÁGUA
14/02/1934 a 03/02/1935 – MADEIRA
02/02/1946 a 21/01/1947 – FOGO
18/02/1958 a 07/02/1959 – TERRA
06/02/1970 a 26/01/1971 – METAL
25/01/1982 a 12/02/1983 – ÁGUA
10/02/1994 a 30/01/1995 – MADEIRA

 

BOI

Essas pessoas são calmas, conservadoras e obstinadas, e sempre dignas de confiança. Terão boas oportunidades no trabalho, devido a seu grande senso de responsabilidade. Lealdade e fidelidade são palavras-chave. As pessoas deste signo tendem a sofrer problemas digestiva, devido ao hábito de guardar ressentimentos. Quando decepcionadas com o amor, podem afastar-se das novas oportunidades de romance entregando-se totalmente ao trabalho. Costumam ser generosas, pacientes e honestas. Cumprir com o dever é seu lema, e muitas vezes passam por cima dos próprios sentimentos para levar seus planos adiante.

19/02/1901 a 07/02/1902 – METAL
06/02/1916 a 25/01/1914 – ÁGUA
25/01/1925 a 12/02/1926 – MADEIRA
11/02/1937 a 30/01/1938 – FOGO
29/01/1949 a 16/02/1950 – TERRA
15/02/1961 a 04/02/1962 – METAL
03/02/1973 a 22/01/1974 – ÁGUA
20/02/1985 a 08/02/1986 – MADEIRA
08/02/1997 a 28/01/1998 – FOGO

 

COELHO

As pessoas desse signo são presenteadas com uma vida harmoniosa e tranqüila. Atenciosas e detalhistas, costumam ter um bom tino comercial. Sua grande sensibilidade é responsável tanto pelas atitudes doces e amistosas quanto pela postura que muitas vezes parece indiferente. Como não suportam nenhum tipo de desarmonia, procuram sempre o caminho mais discreto e pacato para chegar ao seu grande objetivo: a segurança. São notadas pela capacidade de reconhecer seus limites em todas as áreas. Por essa razão, raramente agem contra a própria natureza íntima, apesar de estarem sempre dispostas a ajudar os amigos.

29/01/1903 a 15/02/1904 – ÁGUA
14/02/1915 a 02/02/1916 – MADEIRA
02/02/1927 a 22/01/1928 – FOGO
19/02/1939 a 07/02/1940 – TERRA
06/02/1951 a 26/01/1952 – METAL
25/01/1963 a 12/02/1964 – ÁGUA
11/02/1975 a 30/01/1976 – MADEIRA
29/01/1987 a 16/02/1988 – FOGO
17/01/1999 a 5/02/2000   – TERRA

 

SERPENTE

Essas pessoas extremamente argutas apreciam o requinte material e intelectual. Confiantes e prudentes, raramente mudam de opinião para agradar os outros. São dotadas de rara capacidade de reflexão e ponderação. Nos relacionamentos, sejam eles familiares ou sociais, mostram-se, em geral, possessivas e exigentes, mas nem por isso deixam de ser leais companheiras. A desconfiança é um dos traços mais negativos, que jamais perdoa uma traição, mesmo que seja apenas por um mal-entendido. Essas pessoas podem mostrar-se bastante rancorosas quando são impedidas de seguir o próprio caminho.

04/02/1905 a 24/01/1906 – MADEIRA
23/01/1917 a 10/02/1918 – FOGO
10/02/1929 a 29/01/1930 – TERRA
27/01/1941 a 14/02/1942 – METAL
14/02/1953 a 02/02/1954 – ÁGUA
02/02/1965 a 20/01/1966 – MADEIRA
18/02/1977 a 06/02/1978 – FOGO
06/02/1989 a 26/01/1990 – TERRA
25/01/2001 a 11/02/2002 – METAL

 

CARNEIRO

Criaturas gentis, generosas e compreensivas, os nativos de carneiro são bastantes ligados à vida doméstica e familiar. Também são considerados bons samaritanos. Os cuidados e as preocupações com as pessoas que amam beiram a superproteção, e eles não medem esforços para auxiliar a quem passe por dificuldades. Por serem avessos à violência, preferem as lamúrias a brigar ou discutir. Seu apego excessivo ao passado e às lembranças pode se tornar bastante nocivo. Com grande tendência ao pessimismo, são sensíveis a críticas ou a palavras rudes. Como fazem o possível para evitar conflitos, muitas vezes escolhem o caminho do comodismo e da passividade ociosa.

13/02/1907 a 01/02/1908 – FOGO
01/02/1919 a 19/02/1920 – TERRA
17/02/1931 a 05/02/1932 – METAL
05/02/1943 a 25/01/1944 – ÁGUA
24/01/1955 a 11/02/1956 – MADEIRA
09/02/1967 a 29/01/1968 – FOGO
28/01/1979 a 15/02/1980 – TERRA
15/02/1991 a 03/02/1992 – METAL

 

GALO

Os que nascem nos anos regidos por este signo são perfeccionistas e têm muita disposição para o trabalho. Seus talentos notáveis para as finanças os tornam capazes de fazer “mágica” para conseguir estabilidade econômica. Adoram o trabalho,onde se mostram competentes, eficazes, pontuais e muitas vezes detalhistas ao extremo. Podem ser bastante egoístas quando se trata de dividir atenções. Apreciam ser considerados e reconhecidos por suas capacidades. Por serem de natureza pacata, preferem a rotina a ter uma vida social intensa ou cheia de futilidades. Negociantes magníficos, não raro interferem na vida das outras pessoas apenas para evitar que elas tenham prejuízo nas questões financeiras.

22/01/1909 a 09/02/1910 – TERRA
08/02/1921 a 27/01/1922 – METAL
26/01/1933 a 09/02/1934 – ÁGUA
13/02/1945 a 01/02/1946 – MADEIRA
31/01/1957 a 17/02/1958 – FOGO
17/02/1969 a 05/02/1970 – TERRA
05/02/1981 a 24/01/1982 – METAL
23/01/1993 a 09/02/1994 – ÁGUA

 

PORCO

A simplicidade e honestidade dos nativos deste signo, em geral, faz com que vivam cercados de amigos e apreciem as boas coisas da vida. Quando exagerado, esse traço pode levá-los a valorizar excessivamente as paixões e os prazeres materiais. Por serem compreensivos e generosos demais, tornam-se muitas vezes vítimas de tramóias e abusos. A confiança cega nas pessoas e a ausência de malícia, todavia, trazem aos nativos de porco tanto vantagens como desvantagens. Temem ferir as pessoas que admiram e não gostam de contra dizê-las.

30/01/1911 a 17/02/1912 – METAL
16/02/1923 a 15/02/1924 – ÁGUA
04/02/1935 a 23/01/1936 – MADEIRA
22/01/1947 a 09/02/1948 – FOGO
08/02/1959 a 27/01/1960 – TERRA
27/01/1971 a 15/01/1972 – METAL
13/02/1983 a 01/02/1984 – ÁGUA
31/01/1995 a 18/02/1996 – MADEIRA

 

ELEMENTOS

Existem cinco elementos básicos no horóscopo chinês: Metal, Água, Madeira, Fogo e Terra. A análise deles é muito importante para o relacionamento entre as pessoas. Todos os elementos estão ligados entre si e dependente uns dos outros. 

O Elemento Metal
O Metal como diz o próprio nome, é duro e inflexível. Assim São as pessoas que nascem nos anos regidos pelo Metal: Perseguem seus desejos e aspirações com uma perseverança inquestionável. São muito ambiciosos e podem perseguir seus sonhos por uma vida toda.
Claro que essa obstinação pode se interpretado por teimosia, por isso as pessoas de Metal devem tomar cuidado para não confundirem amizade com subserviência, as pessoas tem opiniões diferentes e todos merecem respeito.

O Elemento Água
A água é muito difícil de se deter, com seu jeitinho quieto, escorre por entre as rochas mais resistentes formando fendas e abrindo seu caminho, assim São as pessoas regidas pela Água. Persuasão é sua mais forte característica, mas de um modo tão sutil que as pessoas raramente percebem que estão sendo influenciadas.
Exatamente por esse jeitinho sutil e quieto, as pessoas regidas por Água irão tender a escolher sempre o caminho mais fácil. Essa passividade pode desperdiçar o grande potencial intuitivo.

O Elemento Madeira
Podemos imaginar a madeira como uma árvore frondosa. Sólida com numerosos galhos espalhados por todos os lados, assim São as pessoas de madeira. Possuem um interesse em várias coisas e sua personalidade generosa e segura o favorecerá a adquirir a longo prazo tudo que almeja.
Por outro lado, sua visão ampla das coisas podem desviá-lo do que ele realmente quer, fazendo-o investir forças em muitas coisas e assim enfraquecendo seus recursos.

O Elemento Fogo
Nada mais encantador que as labaredas de uma fogueira. São brilhantes, quentes e vivazes, como as pessoas regidas pelo elemento Fogo. São lideres natos, amantes da aventura e da inovação. Não se intimidam diante dos riscos e tem um jeito dinâmico e criativo de encarar a vida.
A capacidade de atrair as pessoas é uma grande responsabilidade para as pessoas de Fogo, principalmente para não se tornarem destrutivas para quem os cerca. Força violência e agressividade só trará perigo e derrota para eles.

O Elemento Terra
Pessoas regidas por terra São firmes e resolutas. Possuem uma surpreendente capacidade de organizar resultando ótimo administradores. Geralmente se dão bem naqueles negócios que exigem pulso de ferro e seu dinheiro sempre se multiplica devida a sua impressionante capacidade de investir no negócio certo. Tem um apurado senso de ética.
Geralmente conservadores demais, preferem ver seus próprios interesses diante da dos outros. Não perdem tempo em disfarçar a verdade, por isso se ela for feia, ele a descreverá feia..


COMPATIBILIDADE

Elementos      Conflitos principais    Alguns conflitos   Sem conflitos    Bem-sucedido
Metal                  Fogo                                   Terra                     Metal            Água-Madeira
Fogo                    Água                                  Terra                     Fogo             Madeira-Metal
Água                   Terra                                 Metal                     Água             Fogo-Madeira
Terra                  Madeira                             Fogo                      Terra            Água-Metal
Madeira              Metal                                 Fogo                      Madeira        Terra-Água

 

 

 Horóscopo Cigano

Punhal (21/03 a 20/04)
O Punhal é a imagem da luta e vontade de vencer. Representa honra, vitória e êxitos. Os ciganos também usavam o punhal para abrir matas, sendo então, símbolo de superação e pioneirismo. A pessoa sob esta influência é uma pessoa irrequieta, firme e dona de si mesma. Ousada, tem uma personalidade forte e odeia ser subestimada. Quando isso ocorre, torna-se agressiva. Ama demais, é fiel e adora sexo. Não é econômica, mas sabe controlar o dinheiro. Sai-se bem em esportes, artes marciais e cargos de chefia e liderança.

Coroa (21/04 a 20/05)
Relaciona-se ao ouro e a nobreza. É símbolo de amor puro, força, poder e elegância, o que torna a pessoa desse elemento valorizada e importante. A pessoa sob esta influência luta pelo que quer, pois a estabilidade financeira lhe é fundamental. Nasceu para administrar e querer ser dona de seu próprio trabalho. É fiel no amor, sensível e não suporta que brinquem com seus sentimentos. Gosta das artes e tem grande criatividade para trabalhar nesse setor.

Candeias (21/05 a 20/06)
Representa as luzes e a verdade, portanto a sabedoria e a clareza de idéias. As candeias eram usadas para iluminar os acampamentos. Também simbolizam a esperteza e a vivacidade. A pessoa sob esta influência é comunicativa e tem uma inteligência brilhante, fazendo muitos amigos. Adora estudar e pesquisar, principalmente, o que se relaciona a ela mesma. É romântica e nunca desiste de uma conquista, mesmo que não se envolva por completo. Quando quer algo, consegue.

Roda (21/06 a 21/07)
Por representar o ir e vir e estar relacionada à Lua, pela sua forma arredondada, as pessoas regidas por esse signo tem urna forte ligação com as mulheres e gestantes em geral. A emoção é a palavra que traduz seu jeito. A Roda move sua vida na alegria e na tristeza. É dócil e tranqüila, mas, quando se irrita, sai de baixo. É um pouco insegura e tem uma certa tendência à nostalgia. Ama com intensidade e sente muito ciúme.

Estrela (22/07 a 22/08)
A estrela cigana possui seis pontas, formando dois triângulos iguais, que indicam a igualdade entre o que está a cima e o que está a baixo. Representa sucesso e evolução interior. A pessoa que nasce sob esta influência é otimista e alto astral, nasceu para brilhar. Curte a vida intensamente e tem um talento especial para atrair as pessoas. Vive rodeada de amigos, mas tem mania de querer que tudo seja como você deseja. Conseguirá ótimas oportunidades como atriz, dançarina, modelo, cantora, etc.

Sino (23/08 a 22/09)
Exatidão e perfeição. Nos séculos passados, era usado como relógio, e os ciganos o associaram à pontualidade, à disciplina e à firmeza. A pessoa sob esta influência é bastante organizada, ambiciosa, que supera sempre suas próprias expectativas. Acha que a vida é para ser aproveitada nos mínimos detalhes, porém, com consciência e sem exageros. Muito inteligente, analisa e critica tudo o que está ao seu redor. Sai-se bem trabalhando com administração.

Moeda (23/09 a 22/10)
A moeda é associada ao equilíbrio e à justiça e relacionada à riqueza material e espiritual, que é representada pela cara e coroa. Para os ciganos, cara é o ouro físico, e coroa, o espiritual. A pessoa sob esta influência é sensível, charmosa, vive de amores e sentimentos. Tem que estar apaixonada sempre. As atenções se voltam para você facilmente. Tem talentos artísticos e decorativos. Adora ajudar às pessoas e vive para isso. Razão pela qual está sempre cercada de amigos e companheiros.
Adaga (23/10 a 21/11)
A adaga é entregue ao cigano quando ele sai da adolescência e ingressa na vida adulta. Por isso, é associada também à morte, ou seja, às mudanças necessárias que a vida nos oferece para crescermos. A pessoa sob esta influência tem um temperamento forte e enigmático, se torna irresistível e respeitada. Possui uma mente analítica, percebendo tudo o que está ao seu redor. Sempre procura se aprofundar no que está à sua volta, seja no amor ou no trabalho. Ama de maneira sensual e arrebatadora.
Machado (22/11 a 21/12)
O machado é o destruidor de bloqueios e barreiras. Ele simboliza a liberdade, pois rompe com todas os obstáculos que a natureza impõem. A pessoa sob esta influência tem a liberdade como a palavra que mais gosta de falar e curtir. Aventureira, jamais permanece parada em um só lugar. É como o vento, que tudo toca, em tudo está, mas em nada fica. Otimista, até as dores para você são sinais de alegria. Apaixona-se e se desapaixona facilmente. Dá-se bem com trabalhos sem rotinas em que possa aprender sempre.
Ferradura (22/12 a 20/01)
A ferradura representa o esforço e o trabalho. Os ciganos têm a ferradura como um poderoso talismã, que atrai a boa sorte, a fortuna e afasta o azar. A pessoa sob esta influência tem seu bom senso, às vezes se torna séria demais. Tem, então, que se soltar um pouco mais. Raramente, confia em alguém. Busca amores estáveis e concretos. Pretende casar e ter filhos. É completamente familiar, ama os poucos amigos e se dedica à profissão.
Taça (21/01 a 19/02)
União e receptividade, pois qualquer líquido cabe nela e adquire sua forma. Tanto que, no casamento cigano, os noivos tomam vinho em uma única taça, que representa valor e comunhão. A pessoa sob esta influência sente uma grande preocupação com os assuntos à sua volta. Inteligente, humana, inquieta, tem vários amigos sinceros. Original, está sempre inovando. Vive atrás da felicidade. No amor, aprecia a sinceridade e a fidelidade.
Capela (20/02 a 20/03)
Representa o grande Deus. É sinal de religiosidade e fé. É o local em que todos entram em contato com seu Deus interno e desperta a força e o amor. A pessoa sob esta influência é emotiva, sensível, leal, justa, espiritualizada e sonhadora, é o próprio amor encamado. Tem muita força espiritual e dons para a clarividência. Ama cegamente e, às vezes, se desilude. É romântica e carinhosa. Quanto ao trabalho, gosta de tudo o que se relaciona a ajudar ao próximo.

Horóscopo Xamânico

Horóscopo Xamânico 

horóscopo Xamânico provém dos nativos norte-americanos, sendo baseado em todo o Universo – desde os minerais ao Homem. Como o nome indica este horóscopo era do domínio dos apelidados Xamãs – curandeiros, sapientes e curandeiros. Eram eles quem comunicavam com os deuses, com a Natureza e eram ligação entre a vida e a morte.
Tem como base a Natureza, que tanto respeitavam, pois acreditavam que a sua sobrevivência dependia da harmonia entre todos. A simbologia de cada animal é usado para a descrição dos arquétipos e os ciclos têm como base os ciclos lunares, as 4 estações – os ciclos da Natureza.

 

Os signos correspondem ainda a um género de vento e direcção, entre tantos outros elementos naturais, que representam as qualidades, defeitos, futuro, presente, etc.

 

Os 12 signos são:

 

GANSO
21 Dezembro a 20 Janeiro – Lua de Renovação da Terra
Este signo é marcado pelas suas ideologias, originado alguma severidade. É curioso com gosto pelo desconhecido e perfeccionista, enfrentando com grande entusiasmo a vida. Ambição e perseverança também o caracterizam e no amor chega a ser bastante egoísta, centrando-se apenas nele mesmo.

 

Não possui grande sentido de humor e peca por não ser afectuoso para com quem o rodeia. Castor, Urso Pardo e o Corvo são os Signos com quem melhor se dá.
Deve estimular o seu lado social, expressar-se mais emocionalmente.
Evite as dúvidas e o pessimismo.
A sua Planta é a Framboesa e o mineral Peridoto.
A Cor é o Branco com direcção para Noroeste.

LONTRA
21 Janeiro a 20 Fevereiro – Lua da Tranquilidade e da Purificação
Este signo é marcado pelos seus ideais, querendo sempre mais do que aquilo que é suposto e procurando a verdade acima de tudo. Criatividade, lógica, excentricidade, grande capacidade humanitária e intuição são algumas das melhores qualidades da Lontra. Ao mesmo tempo este signo não vivem bem com normas, tende a um modo mais liberal de viver.

 

Isto leva a uma rebeldia e imprevisibilidade e procuram também viver grandes amizades antes das paixões. Os signos com que se dá melhor são o Corvo, Falcão e Cervo.
Deve estimular o seu lado criativo e coragem, bem como tolerar mais.
Evite de ser tão excêntrico.
A sua planta é o Alísio e o mineral a Turquesa.
A sua cor é Prata com direcção para o Norte.

LOBO
21 Fevereiro a 20 Março – Lua dos Grandes Ventos
Este signo é caracterizado por ter bastante graciosidade, iniciativa e gostar de liberdade. É muito fiável, tendo um grande apreço por aqueles que ama. Tem como objectivo primordial estimular o amor, com grande compaixão, o que demonstra grande sensibilidade, intuição e criatividade.

 

Ajuda sempre que pode e quem precisa e ao mesmo tempo quer o respeito pela sua liberdade.

 

Afecta-se bastante por aquilo que dizem sobre si e é bastante tímido, mas ao mesmo tempo sincero e reflexivo, sendo um romântico e carinhoso, mas também bastante possessivo. Pica-Pau,Urso Pardo e a Serpente são os signos que tem mais compatibilidade.

Deve estimular o seu lado Intuitivo, criativo e compreensivo.
A sua planta é a Tanchagem e o mineral Jade.
A sua cor é o azul esverdeado e deve seguir para Nordeste.

FALCÃO VERMELHO
21 Março a 20 Abril – Lua das Árvores em botão
O Falcão é marcado por gostar da liderança e da sua impulsividade. Destaca-se também pela sua individualidade, mesmo sendo aceite no grupo que o rodeia. É um signo bastante activo, esforçado mas impetuoso. A sua actividade leva a tomar decisões algo precipitadas, que tende a arrepender-se mais tarde.

 

É também bastante extrovertido e tem grande audácia, ganhando entusiasmo com novas exper