Tranca Ruas das Almas do Cruzeiro

28 AGO 2011 POR VALÉRIA D’ OGUMEXUBARÁXOROQUÊ, NÃO HÁ COMENTÁRIOS »


Tranca Ruas das Almas 

(O Guardião dos Caminhos), não é demônio que muitos  acreditam que ele seja. Sua atribuição é trancar a evolução dos desqualificados, desequilibrados e desvirtuados espíritos humanos. Não deseja ser amado ou odiado, mas apenas respeitado e compreendido.Surpreenda-se com esse Mehi Guardião de Mistérios a serviço da Lei Maior!

O Guardião Tranca Ruas pode ser tudo o que queiram, menos como tentam mostrar: Um demônio. Jamais foi ou é o que este termo deturbado significa na atualidade e nem o aceita como qualificativo das suas atribuições:

Trancar a evolução dos desqualificados, desequilibrados e desvirtuados espíritos humanos. Odeia os que odeiam, sente asco dos blasfemos, nojo dos invejosos, repulsa pelos falsos, ira pelos soberbos e pena dos libidinosos. Saibam que foi um dos Mehis que velaram a descida do “ACHE-ME ou MISTÉRIO JESUS CRISTO”.

Assim é TRANCA-RUAS, Mehi por Origem, Natureza e Formação. Não importa a Religião que tens que guardar, pois nela, dela e para ela, Mehi, sempre será.

Senhor Tranca-Rua das Almas, senhor do Sétimo Grau de Evolução da Lei Maior de Ogum, conhecedor de todas as magias e demandas praticadas por seres sem luz, interceda no caminho de todos os filhos de fé, livrando-os de toda a energia que possa atrapalhar a evolução de todos os seres iluminados; fazei dos pensamentos uma porta fechada para a inveja, discórdia e egoísmo.

Dos sete caminhos por ti ultrapassados, foi na rua que passou a ser dono de direito, abrindo as portas para os espíritos que merecem ajuda e evolução e fechando para os que querem praticar a maldade e a inveja contra seus semelhantes. Fazei dos nossos corações o mais puro que nossos próprios atos; Senhor (Pai) Tranca-Ruas das Almas agradeçemos por tudo que fizeste apren-der nesta vida e em outras que passamos lado a lado, rogo por vós a proteção, para os irmãos de fé, para toda a família e porque não para os inimigos Abençõe a guarde esses filhos que um dia entenderão o verdadeiro sentido da palavra Umbanda.

Muito grande, muito forte, Seu Tranca Ruas vem trazendo a sorte

Salihed, Mehi Mahar Selmi Laresh Lach Me Yê!

Saravá, Senhor Exu Guardião Tranca Ruas!

Saravá, Ogum Sete Lanças da Lei e da Vida!

Saravá Pai Ogum!

Saravá Mãe Iemanjá!

Saravá, Regente Oxalá!

Saravá, Umbanda!!!

ORAÇÃO AO EXU TRANCA-RUA DAS ALMAS

Senhor Tranca-Rua das Almas,

senhor do sétimo grau de evolução da lei maior de Ogum,

conhecedor de todas as magias e demandas praticadas por seres sem luz,

interceda em meu caminho livrando-me de toda a energia que possa atrapalhar minha evolução;

fazei de meus pensamentos uma porta fechada para a inveja,

discórdia e egoísmo.

Dos sete caminhos por ti ultrapassados,

foi na rua que passou a ser dono de direito,

abrindo as portas para os espíritos que merecem ajuda e evolução

e fechando para os que querem praticar a maldade e a inveja

contra seus semelhantes.

Fazei meu coração mais puro que meus próprios atos;

Fazei de minhas palavras a transparência da humildade;

Fazei do meu corpo aparelho da caridade.

Pois a teu lado demanda comigo não existirá,

estarei coberto por sua capa que protege e abriga seus filhos.

Senhor Tranca-Ruas das Almas agradeço por tudo que me fizeste

aprender nesta vida e em outras que passei ao seu lado,

rogo por vós a proteção para mim,

para meus irmãos de fé,

para minha família e porque não para meus inimigos

Abençoe a guarde esses filhos que um dia entenderam

o verdadeiro sentido da palavra Umbanda.

Laroiê Exu !

Se a imagem nao carregar, clique em voltar em seu navegador e tente novamente!DIA: Segunda-feira.

CORES: Preto (ou seja, a fusão das cores primárias) e vermelho.

SÍMBOLOS: Ogó de forma fálica, falo erecto.

ELEMENTOS: Terra e fogo.

DOMÍNIOS Sexo, magia, união, poder e transformação.

SAUDAÇÃO Laroié!

Exu (Èsù) é a figura mais controversa do panteão africano, o mais humano dos orixás, senhor do princípio e da transformação. Deus da terra e do universo; na verdade, Exu é a ordem, aquele que se multiplica e se transforma na unidade elementar da existência humana. Exu é o ego de cada ser, o grande companheiro do homem no seu dia-a-dia.

Muitas são as confusões e equívocos relacionados com Exu, o pior deles associa-o à figura do diabo cristão; pintam-no como um deus voltado para a maldade, para a perversidade, que se ocuparia em semear a discórdia entre os seres humanos. Na realidade, Exu contém em si todas as contradições e conflitos inerentes ao ser humano. Exu não é totalmente bom nem totalmente mau, assim como o homem: um ser capaz de amar e odiar, unir e separar, promover a paz e a guerra.

O maniqueísmo, próprio das grandes religiões monoteístas, não se aplica ao Candomblé, muito menos a Exu. A cultura africana desconhece oposições, em especial a oposição entre bem e mal; sabe-se aqui que o bem de um pode perfeitamente ser o mal de outro, portanto, cada um deve dar o melhor de si para obter tudo de bom na sua vida, sempre cultuando, agradando e agradecendo a Exu, para que ele seja, no seu quotidiano, a manifestação do amor, da sorte, da riqueza e da prosperidade.

Exu é o orixá que entende como ninguém o princípio da reciprocidade, e, se agradado como se deve, saberá retribuir; quando agradecido pela sua retribuição, torna-se amigo e fiel escudeiro. No entanto, quando esquecido é o pior dos inimigos e volta-se contra o negligente, tirando-lhe a sorte, fechando-lhe os caminhos e trazendo catástrofes e dissabores.

Exu é a figura mais importante da cultura iorubá. Sem ele o mundo não faria sentido, pois só através de Exu é que se chega aos demais orixás e ao Deus Supremo Olodumaré. Exu fala toda as línguas e permite a comunicação entre o orum e o aiê, entre os orixás e os homens.

Exu é o dono do mercado, o seu guardião, por isso todo o comerciante e aqueles que lidam com venda devem agradar a Exu. As vendedoras de acarajé, por exemplo, oferecem sempre o primeiro bolinho a Exu, atirando-o à rua, não só para vender bem, mas também par afastar as perturbações, evitar assaltos etc., ou seja, para que Exu seja de facto um guardião e proteja o seu negócio.

É importante ressaltar que Exu não tem amigos nem inimigos. Exu protege sempre aqueles que o agradam e sabem retribuir os seus favores.

Exu foi a primeira forma dotada de existência individual. Não se sabe ao certo a sua região de origem em África, pois em todos os reinos se presta culto a Exu. Sabe-se, no entanto, que chegou a ser rei de Kêtu. Exu renasceu várias vezes e a sua história revela que é filho de Orunmilá ou de Oxum, dependendo do momento em que renasce.

Características dos filhos de Exu

Os filhos de Exu são alegres, sorridentes, estão sempre de bem com a vida, são ambiciosos, extrovertidos, espertos, inteligentes, atentos. Sabem como ninguém ser sociáveis e diplomáticos, pois conhecem o valor de uma boa amizade, fazem questão de manter o maior número possível de amigos.

Rapidamente, os filhos de Exu se tornam pessoas populares, amadas por uns, odiadas por outros. Extremamente dinâmicos, os filhos deste orixá não se desanimam nunca, mantêm sempre a certeza de que as coisas, mais cedo ou mais tarde, acabam por mudar a seu favor.

Pessoas com impressionante facilidade de comunicação, boa lábia, com charme conseguem tudo o que querem. Irónicas e perigosas, costumam manter uma vida sexual bastante agitada, sem pudores. São pessoas extremamente rápidas, que não pensam: fazem.

Os filhos de Exu possuem uma facilidade impressionante para entrar e sair de confusões, são do tipo que arma a bagunça, sai ileso e ainda se diverte com as consequências. Esquecem facilmente as ofensas, não guardam rancor, mas não perdem a oportunidade de se vingar. Gostam da rua, das festas e das conversas intermináveis, comportamento próprio de um orixá que é só alegria.

Local de entregas dos presentes: oferendas ou ebós devem ser entreguem quando tÊm que serem na rua no seguinte aspecto; se o Exu for macho, deve ser posta numa encruzilha “X” e ser for Exu fêmea, numa encruzilhada ” T” que alguns  também chamam de “Y”.
Nota: Disponibilizo aqui alguns Ebós úteis, mas lembrem-se que cada pessoa só consegue o desejado se ela tiver o devido merecimento dado por Deus. E devem ser feitos por pessoas com certo entendimento sobre ebós. CUIDADO E ATENÇÃO.

Oferenda para arrumar emprego Sr. Tranca Rua das Almas:
1 alguidar;
Farinha de mandioca crua;
Azeite de dendê;
21 moedas de cobre;
21 velas preto-vermelha;
21 charutos;
Coloque a farinha no alguidar, misture bem com as mãos e o dendê, coloque as moedas por cima leve tudo para a uma estrada ou encruzilhada  e entregue ao Sr.Tranca Rua das Almas.


Oferenda para Exu Mirim para descomplicar alguma situação:
Pano vermelha e preto;
Velas bicolores vermelho-preta;
Cravos vermelhos;
Charuto, cigarros ou cigarrilhas;
Comida fígado bovino picado e frito no azeite de dendê, farofa com miúdos de frango etc;
Frutas limão, laranja;
Fita vermelha e preta;
1 brinquedo;
Doces escuros, balas ardidas;
Entregar na encruzilhada de y.
A oferenda é uma restituição de energias que equilibra a pessoa e ativa várias funções. Quando é oferendado algo a um orixá ou entidade não é para eles comerem e sim para absorverem os teores energéticos dos elementos e utilizarem a nosso favor.
Para os exus uma oferenda simples é: 1 garrafa de pinga, charuto, 1 vela preta ou vermelha e preta entregue na encruzilhada de x.
Os elementos usados nas oferendas podem variar de um exu para o outro. Por ex. uns querem farofa com miúdos de frango outros com carne bovina ou bife de fígado, ou carne de porco.
A farofa é feita com dendê, pimentas, cebola, tempere a carne e frite no dendê depois coloque a farinha e arrume tudo no alguidar enfeitando com pimentas.
Também podemos entregar algumas frutas para exu que são: manga, mamão e  limão .  Quanto mais elementos colocar em sua oferenda mais portais se abrem para que o exu utilize em nosso favor.
As flores de uma oferenda de exu são os cravos vermelhos alguns exus preferem velas apenas pretas outros querem preta e vermelha os panos são preto e vermelho.
Para as pombas giras utilizamos coração de galinha ou peito de galinha. As frutas para oferenda são:  maçã, uvas rosada, morango, caqui , a bebida é champagne rosada ou licores , rosas vermelhas , cigarros. O pano é vermelho, pode também colocar uma bijouteria , perfume e algo mais que seja do seu mistério.
As oferendas de exu mirim são idênticas ao dos exus  apenas alguns elementos diferentes: toalhas preta e vermelha, cravos
Frutas: manga, limão, laranja,pera,mamão,bebidas pode ser refrigerante escuro, pinga com mel, licores. Comida a farofa igual do exu, e algum brinquedo.
Oferenda de fim de ano para Exú Capa Preta:
 
7 velas pretas em círculo;
1 alguidar;
No fundo do alguidar a lápis colocar seus pedidos
Cobrir com farofa e dendê; (colocar bastante dendê até ficar bem dourado)
21 moedas douradas;
21 pimentas bem durinhas; (ele disse que se estiver murcha não serve)
1 garrafa de pinga;
3 charutos;
Entregar na semana do fim do ano na encruzilhada.
Boa sorte!
Oferenda de fim de ano Exu Caveira:
3 ou 7 bifes de porco cru;
3 ou 7 pimentas vermelhas;
3 ou 7 velas pretas;
3 ou 7 cravos vermelhos;
Azeite de dendê;
1 alguidar;
1 garrafa de pinga;
3 ou 7 cigarros;
Colocar os pedidos no fundo do alguidar  os bifes em cima
Enfeitar tudo com rodelas de abacaxi, os cravos e as pimentas.
Ao lado da garrafa de pinga colocar um copo com dendê.
Entregar de preferência em uma encruzilhada dentro do cemitério.
Oferenda de fim de ano do Exu Ventania:
1 Pano vermelho e preto;
7 velas pretas;
7 velas amarelas;
Em círculos intercalados
Farofa com dendê;
21 pimentas pequenas;
1 bife;
Cebola cortada em rodelas;
1 limão cortado em cruz (sem separar);
1 garrafa de pinga;
1 charuto;
Dar uma leve refogada no bife com dendê
A cebola também refogar de leve no dendê
Colocar os pedidos no fundo do alguidar a farinha com dendê por cima, depois o bife e a cebola. Enfeitar com as pimentas.
Entregar no meio da encruzilhada.

OFERENDA   PARA   EXÚ   ODÁRA

PRA  QUEM   NÃO   SABE ,    EXÚ   ODÁRA     É   O EXÚ  QUE   ABRE   OS  NOSSOS  CAMINHOS  PROFISSIONAIS. NESTE  CASO ,  PRECISANDO   DE  CONSEGUIR  ALGO  IMPORTANTE   COMO: DINHEIRO ,  PROMOÇÃO  NO     EMPRÊGO  ETÇ  ETÇ ,  DEVE – SE  DAR  UMA  OFERENDA   A  ESTE   GRANDE   EXÚ.  UMA  OFERENDA   BÁSICA  PODE   SER  FÊITA   DA  SEGUINTE  MANEIRA:  FAÇA   UMA  FAROFA  DE   FARINHA  DE  MANDIOCA  MISTURADA  COM  AZÊITE  DE  DENDÊ,  DE  ACÔRDO  QUE  DÊ  07  PUNHADOS  DA  SUA  MÃO  DIREITA  DE  FAROFA .   COLOQUE  ESTA   FARINHA   EM  UM  PRATO  OU  TIGELA  E,  VÁ  ACRESCENTANDO  O  AZÊITE  DE  DENDÊ    ATÉ  FORMAR  UMA  FAROFA  BEM  SOLTINHA .  NÃO  PRECISA   IR  AO  FÔGO.   DEPOIS  DE  PRONTA  ESTA  FAROFA,  VOCE  COLOCA  A  VASÍLHA  QUE  ESTA  COM  A  FAROFA  DENTRO  DE  UMA  BÔLSA  QUALQUER,  JUNTO   COM  03  RETROZES  DE  LINHA  BRANCA,  07  BALAS  DÔCES,  07  MOEDAS   CORRENTES   E,  01   FÔLHA  DA  MAMONA  BRANCA .  VÁ  PARA  UMA  ENCRUZILHADA  QUE  TENHA  QUATRO CANTOS  E,  CHEGANDO  NA  ENCRUZA,  VOCE   PASSA   SIMBOLICAMENTE  EM  VOLTA  DO  SEU  CORPO  A  FÔLHA  DA  MAMONA  E,  COLOQUE  ESTA  FÔLHA  DE  MAMONA  ABERTA  EM   SUA  FRENTE .   VOCE  VAI  PASSAR  AGORA  SIMBOLICAMENTE  EM   VOLTA  DO  SEU   CORPO,  OS  07  PUNHADOS  DA  FAROFA   MÁS,  PEGUE  SEMPRE  COM  A  SUA  MÃO  DIREITA.   PASSE  ESTES  07  PUNHADOS  DE  FAROFA,  UM  A  UM  SIMBOLICAMENTE  EM  VOLTA  DO  SEU   CORPO  E,  VAI  PONDO  NA  FÔLHA  DA  MAMONA.  VOCE   VAI   PEGAR  AGORA  OS  03  RETRÓZES   DE  LINHA  BRANCA  E, VAI  PASSSAR  UM  POR  UM  SIMBOLICAMENTE  EM  VOLTA  DO  SEU  CORPO   E,    VAI  DESENROLAR  UM  POR  UM  POR  COMPLETO  TODOS  ELES.  DEIXE  ESTAS   LINHAS  DESENROLADAS  PRÓXIMO  A  FÔLHA  DA  MAMONA  QUE  ESTÁ  COM  A  FAROFA.   AGORA   VOCE  VAI   PEGAR  AS  07   BALAS  DÔCES  E,  VAI  PASSAR  UMA  POR  UMA  SIMBOLICAMENTE  EM  VOLTA  DO  SEU  CORPO  E,  COLOCANDO  DENTRO  DA  FÔLHA  DA  MAMONA  EM  CIMA  DA  FAROFA .   POR   ÚLTIMO,   VOCE   PEGA   AS  07   MOEDAS   E,  PASSE –AS  UMA  POR  UMA  SIMBOLICAMENTE  EM  VOLTA  DO  SEU  CORPO   E,  VAI  PASSANDO  E  COLOCANDO  EM  CIMA  DA  FAROFA  QUE  ESTÁ   DENTRO  DA  FÔLHA  DA  MAMONA.  VOCE    VAI  FAZENDO   TUDO  ISTO   E,   PEDINDO  TUDO  DE  BOM  PRA  VOÇE  AO  EXÚ  ODÁRÁ.   PEÇA  ASSIM :  KOBÁ   LARÔIÊ  EXÚ,   EXÚ  Ô   XUXÚ ANAN,  MODUPÉ  É  MOJUBÁ.  EXÚ  ODÁRÁ  É  MOJUBÁ.  ME  DÊ   CAMINHOS  ABERTOS,  PARA  QUE  EU  POSSA  SER  BEM  SUCEDIDO  EM  MINHA  VIDA  PROFISSIONAL  . PEÇA  TUDO  DE  BOM  SÓ  PRA  VOCE.  FAÇA   ISTO   NUMA  NÔITE  DE  SEGUNDA- FÊIRA  DAS  LUAS:   NOVA , CRESCENTE   OU  CHÊIA , SEMPRE  DEPÔIS  DAS  21  HORAS.

Ebó para Èsù Lonan 

Abrir Seus Caminhos, para tirar feitiço, olho-grande, inveja. 

1 metro de morim vermelho,

1 alguidar médio,

7 velas brancas,

1 bife de boi cru, 7 moedas atuais,

7 búzios abertos,

1 farofa de dendê,

com uma pitada de sal,

7 limões,

7 acaçás vermelhos,

7 ovos vermelhos, 1 obi.

Como Preparar: Abra o morim em sua frente. Acenda as velas. Passe o alguidar pelo seu corpo e coloque-o em cima do pano. Passe os ingredientes no corpo, pela ordem acima. Por último, abra o obi, e leve-o até a sua boca, fazendo seus pedidos. Deixe-o em cima do ebó. Feche o morim. Este ebó tem que ser despachado em rua de muito movimento, onde tenha muitas casas comerciais.

EBO DE Exú PARA ABRIR CAMINHOS E TIRAR TODA NEGATIVIDADE.

4 Pades, Oti, Omi, Epo, Wewim, enrolados em folhas de làrá pupa.

7 acaçás  com epô.

7 punhados de duburu.

7Ovos.

7 bolas de farinha de mandioca de mesa.

7 pregos.

7 Velas brancas.

1 Garrafa de Oti.

Morim preto e vermlho

Alguidar numero 1 ou 2.

PÓ DE EXÚ PARA ABRIR CAMINHO.

Raspa de um assentamento de Exú;

Pó de sete búzios triturado;

Pemba preta, cinza e vermelha;

Cinza de fogueira;

Folha de manzá;

Folha de coroa de Cristo;

Areia de praia;

1 cabaça média.

Triturar todos os ingrediente, utilizando um pilão, colocar dentro de uma cabaça pequena. colocar a cabaça no quintal de sua casa, onde tenha terra, coloque essa cabaça em cima de três cédulas de dinheiro corrente, pedindo a Exú que abra os seus caminhos e não permita que você passe por necessidades. Deixe no tempo durante 7 dias, num lugar onde ninguém mexa. Ao final desse tempo, coloque um pouco desse pó sobre cada nota do dinheiro, dobrando-as e colocando-as em sua carteira, soprar este pó, em frente ao seu comércio ou na frente da empresa que você trabalhe.

Passar todos os ingredientes no corpo e ir colocando no aguidar.

Por último os morim, fazer uma trouxa com os morim e despachar em boca de mata ou encruzilhada de Exu.

Abrir o morim arrumar o alguidar, derramar o oti em forma de círculo e colocar o restante junto do alguidar, e acender as 7 velas ao redor.

Pedir para que Exù, quebre tudo o que tiver de ruim, e para que ele abra os caminhos.

Ebó Exú Para Afastar Más Influências ( 1 ) 

Local: Cemitério

Horário: Meia-Noite

Dia da Semana: Segunda-feira

Material Necessário:

Um galo preto,

verduras de todas as qualidades,

um pedaço de carne seca,

um pedaço de carne de porco salgada,

07 bolinhos de farinha e água com carvão,

07 farofas de azeite-de-dendê, 07 farofas de mel de abelha,

07 velas brancas,

1 metro de morim branco,

Duburu, feijão preto cozido,

feijão preto torrado,

milho vermelho e galhos de aroeira.

Maneira de Fazer: Passar pelo corpo da pessoa todos os ingredientes acima descriminados, obedecendo a mesma ordem. Deixar tudo no local que fizer o Ebó. Levar a pessoa imediatamente para tomar banho de Abô.

Ebó Exú Para Afastar Más Influências ( 2 ) 

Local: Cemitério

Horário: Meia-noite

Dia da Semana: Segunda-feira

Material Necessário:

Um casal de galinhas brancas. Além de todos os ingredientes acima mencionados. A maneira de fazer é a mesma do Ebó acima.

OFERENDA DE EXU MANGUEIRA

01 ALGUIDAR MÉDIO,

01 BIFE DE CARNE,

FOLHAS DE UMA MANGUEIRA ESPADA,

FAROFA DE DENDÊ,

01 CACHAÇA,01 PANO ROXO,01 BOTE VELA ROXA,

01 CARTEIRA DE CIGARRO,

01 PACOTE DE FUMO,

03 CHARUTOS,

01 CEBOLA ROXA,PIPOCA,

03 MAÇÃS VERDES,

01 CACHO DE UVAS VERDES,

03 PÊRAS,

03 MANGAS VERDES.

   NUMA FRIGIDEIRA DEIXE O DENDÊ ESQUENTAR E PASSE O BIFE DE UM LADO PARA O OUTRO,DEIXANDO-O CRU,NO OLÉO DO DENDÊ FAÇA A FAROFA ARRUME NO AGRIDAL A FAROFA O BIFE E AS RODAS DA CEBOLA.COLOQUE O PANO ROXO NO CHÃO E AS FOLHAS DA MANGUEIRA EM CIMA COLOQUE O AGRIDAL, AO REDOR DO AGRIDAL ARRUME AS FRUTAS,EM CADA PONTA DO PANO COLOQUE AS VELAS A CACHAÇA,O CIGARRO E O PACOTE DO FUMO,PARA FECHAR FAÇA A PIPOCA E FAÇA UM CIRCULO PARA FECHAR O TRABALHO.E NÃO SE ESQUEÇA DE FAZER OS SEUS PEDIDOS.

AJUDA DE EXU :

- Farinha,

azeite de dendê,

mel de abelha,

farinha de milho branco,

fígado,

coração e bofe de boi,

cebola,

camarão seco socado e

01 alguidar.

- Fazer uma farofa com dendê, uma com mel e uma com água

(separadamente). Fazer o acaçá branco cozinhando a farinha de milho em

água, deixar a massa bem consistente. Depois colocar um pedaço de

folha de bananeira e enrolar. Deixar esfriar. Cortar os miúdos de boi em

pedaços pequenos e colocar para refogar com dendê, cebola, um pouco

de sal, o camarão e rodelas de cebola.

- Colocar as farofas no alguidar sem misturar muito. Adicionar sobre as

farofas o refogado de miúdos. Colocar o acaçá no centro.

- Oferecer e pedir para Exu o que se quer.

- Despachar em uma praça bem movimentada.

EBÓ PARA PEDIR FORTUNA A EXÚ.

1 alguidar grande;

1 kg de farinha de mandioca crua;

1 bife grande e suculento;

azeite de dendê;

mel;

pimentas dedo de moça;

feijão fradinho;

3 cebolas médias;

1 garrafa de pinga;

1 vela branca;

1 punhado de moedas.

Frite o bife no azeite de dendê, sem passar demais.

Numa das metades do alguidar, coloque a farofa de dendê e, na outra, uma farofa de mel. Coloque o feijão fradinho em toda a volta do alguidar e, por cima das farofas, o bife enfeitado com as rodelas de cebolas e as pimentas. As moedas devem ser colocadas em volta do alguidar.

Leve essa comida embaixo de uma árvore de Exú (seringueira ou arvores que tenham espinhos), acendendo uma vela ao lado para localizá-la. Abra a garrafa, fazendo um círculo com a pinga em volta da oferenda.

Peça, em voz alta, a Exú que lhe traga fortuna, prosperidade, fertilidade, caminhos abertos, etc

OFERENDA PARA POMBA GIRA GUARDIÃ MARIA MULAMBO DAS SETE FIGUEIRAS
ELEMENTOS
7 FIGOS (REGADOS COM MELADO DE CANA)
7 FOLHAS DE COMIGO NINGUÉM PODE
7 FOLHAS DE GUINÉ
7 FOLHAS DE LOURO
7 INCENSOS DE MIRRA (PROCURE INCENSOS INDIANOS LEGÍTIMOS, EM LOJAS ESPECIALIZADAS.
1 ROSA VERMELHA
1 LICOR DE ABSINTO (COMPARE PREÇOS, VARIAM BASTANTE, ENCONTRA-SE ALGUNS MAIS BARATOS EM SUPERMERCADOS)
2 VELAS VERMELHAS
2 VELAS VERDES
3 VELAS BRANCAS
1 CESTA DE PALHA OU VIME, OU UMA GAMELA DE MADEIRA ONDE CAIBAM OS ELEMENTOS.
LAVE A CESTA, ENXUGUE E FORRE COM AS FOLHAS DE COMIGO NINGUÉM PODE, EM SEGUIDA ARRUME AS FOLHAS DE GUINÉ E POR CIMA AS FOLHAS DE LOURO. APÓS FORRAR A CESTA COM AS FOLHAS, ARRUME OS 7 FIGOS E COLOQUE A ROSA NO CENTRO. REGUE COM MELADO DE CANA APENAS OS FIGOS, A ROSA NÃO DEVE SER REGADA COM O MELADO DE CANA.
ABRA O LICOR, DERRAME UM POUCO SOBRE OS FIGOS E DEIXE O RESTO NA GARRAFA ABERTA.
ABRA A ÁGUA MINERAL, NÃO PRECISA DERRAMAR, APENAS DEIXE EM UM COPO VIRGEM OU NA PRÓPRIA GARRAFA, SE FOR DE VIDRO.
NO CHÃO AO REDOR DA CESTA, CIRCUNDE AS 7 VELAS, ALTERNANDO AS CORES. EM SEGUIDA ACENDA OS 7 INCENSOS.
LOCAL DE ENTREGA: BOSQUES, MATAS, CAMPINAS, SE POSSÍVEL, AOS PÉS DE UMA BELA ÁRVORE.
HORÁRIO DA ENTREGA: PREFERENCIALMENTE ATÉ AS 21 HORAS.
PEDIDOS: FORTALECIMENTO, SAÚDE, RENOVAÇÃO, AMOR, SABEDORIA.
OFERENDA PARA A POMBA GIRA GUARDIÃ MARIA MULAMBO DOS SETE VÉUS
ELEMENTOS:
7 VELAS VERMELHAS
7 INCENSOS DE ROSAS BRANCAS
1 PERFUME PARA POMBA GIRA
7 CIGARRILHAS
7 PÊSSEGOS INTEIROS E LAVADOS
PÉTALAS DE 2 ROSAS OU QUALQUER FLOR, PREVIAMENTE LAVADAS.
2 TAÇAS NOVAS
1 GARRAFA DE ARAK (LOJAS ÁRABES)
AÇÚCAR CRISTAL
1 GARRAFA DE ÁGUA MINERAL SEM GÁS
1 CESTA DE PALHA OU VIME FORRADA COM PÉTALAS DE QUALQUER FLOR OU ROSA (PODEM SER FLORES DE JARDIM)
LAVE A CESTA, ENXUGUE E FORRE COM AS PÉTALAS DE FLORES
ARRUME OS PÊSSEGOS E POLVILHE-OS COM AÇUCAR CRISTAL.
FORRE O CHÃO COM AS FOLHAS DE PAPEL DE SEDA, COLOQUE A CESTA NO MEIO.
ABRA O ARAK E SIRVA UMA TAÇA, DEIXANDO O RESTO NA GARRAFA ABERTA AO LADO DA CESTA.
ABRA A ÁGUA E SIRVA 1 TAÇA, DEIXANDO O RESTO NA GARRA ABERTA AO LADO.
ACENDA AS CIGARRILHAS, FORA DO PAPEL DE SEDA, PODE COLOCÁ-LAS NUM CINZEIRO DE BARRO.
ACENDA AS SETE VELAS, PODEM FICAR TODAS NUM PRATO RASO OU POTE DE BARRO.
ACENDA OS INCENSOS, QUE TAMBÉM PODEM FICAR NUM POTINHO DE BARRO COM AREIA NO FUNDO, PARA SEGURAR.
BORRIFE TODA A OFERENDA COM O PERFUME, PODE DEIXÁ-LO NA OFERENDA OU PODE LEVÁ-LO CONSIGO, E SEMPRE QUE PRECISAR DE FORÇA, USE UM POUQUINHO EM SEU AMBIENTE DOMÉSTICO OU DE TRABALHO.
COLOCANDO INCENSOS, VELAS E CIGARROS EM POTES E CINZEIROS DE BARRO, EVITAM-SE ACIDENTES.
LOCAL DE ENTREGA: CAMPINAS, JARDINS, PRAÇAS, MATAS, TERREIROS.
HORÁRIO: ATÉ AS 21:OOH
PEDIDOS: AMOR, REVELAÇÕES, ORIENTAÇÃO PARA ESCOLHAS, PRROSPERIDADE PARA QUEM TRABALHA NAS ÁREAS ESOTÉRICAS E ALTERNATIVAS.
FAÇA SEU PEDIDO E SAIA SEM DAR AS COSTAS PARA A OFERENDA, UNS SETE PAÇOS, PEÇA LICENÇA E VÁ EMBORA.
CASO NÃO ENCONTRE ARAK, PODE SUBSTITUIR POR LICOR DE TÂMARAS, ANIS OU UVA.
NÃO ENTREGUE A OFERENDA NA LUA MINGUANTE.

Aqui o modo de preparar e o que oferecer à Maria Mulambo. 

Carne seca com arroz.
- Retire o sal da carne seca, faça um arroz.

- Coloque em cima das folhas de mamoneira e enfie:

7 cigarros finos longos acesos com a brasa para fora,

coloque 07 moedas correntes,

1 chapagnhe,

7 rosas vermelhas sem espinhos enfiadas na oferenda.

- Acenda uma vela Vermelha ou branca e Ofereça uma Bebida.

Após isso pode ser arriado para este exú mulher em uma encruzilhada (aconselho aberta),a no pé da pomba Gira (no assentamento) e cantar alguns pontos para esta pomba Gira e pedir tudo que quizer.

OFERENDA PARA POMBA GIRA GUARDIÃ MARIA MULAMBO DOS 7 PUNHAIS
ELEMENTOS:
7 PONTEIRAS (COMPRAR CASA DE UMBANDA)
7 VELAS VERMELHAS
7 FITAS VERMELHAS DE 1 METRO CADA
7 CIGARROS LONGOS ACESOS, E O RESTANTE APAGADO
7 PERAS
7 FOLHAS DE MAMONA (3 DENTRO DO ALGUIDAR, E 4 PARA FORRAR O CHÃO)
7 ROSAS ( 3 CORTADAS DENTRO DO ALGUIDAR E 4 FORA, 1 EM CIMA DE CADA FOLHA DE MAMONA QUE FORRA O CHÃO)
1 CAMPARI (SIRVA UMA TAÇA E DEIXE O RESTANTE NA GARRAFA ABERTA)
1 TAÇA NOVA (PREVIAMENTE LAVADA)
1 ALGUIDAR (GRANDE O SUFICIENTE) PREVIAMENTE LAVADO
MONTANDO A OFERENDA:
FORRE O ALGUIDAR COM AS 3 FOLHAS DE MAMONA, COM OS CABOS PARA FORA
NO ALGUIDAR ARRUME AS SETE PERAS E REGUE COM UM POUCO DE MEL
COLOQUE AS SETE PONTEIRAS DENTRO DO ALGUIDAR, EM FORMA DE CÍRCULO COM 3 PONTAS PARA DENTRO E TRES PONTAS PARA FORA.
COLOQUE 3 ROSAS NO ALGUIDAR, SEM ESPINHOS E REGADAS COM UM POUCO DE ÁGUA, CORTE OS CABOS NA ALTURA DA LAPELA, PARA QUE CAIBAM NO ALGUIDAR (os cabos que foram cortados, devem ficar, ao lado da oferenda, fora das folhas de mamona que forram o chão)
ARRIANDO A OFERENDA:
FORRE O CHÃO COM AS 4 FOLHAS DE MAMONA RESTANTES, COLOQUE O ALGUIDAR NO CENTRO.
DISPONHA AS SETE FITAS AO LADO DE CADA PONTEIRA, INICIANDO DENTRO DO ALGUIDAR E SAINDO PARA FORA.
COLOQUE AS 4 ROSAS, COM OS CABOS E SEM ESPINHOS, EM CADA FOLHA DE MAMONA DO CHÃO ( AS PÉTALAS DEVEM FICAR PARA DENTRO DAS FOLHAS DE MAMONA E OS CABOS PARA FORA
ACENDA OS 7 CIGARROS, EM FORMA DE CÍRCULO, COM AS BRASA PARA FORA DAS FOLHAS DE MAMONA, O RESTANTE DO MAÇO DEVE FICAR ABERTO, DENTRO DAS FOLHAS DE MAMONA QUE ESTÃO FORRANDO O CHÃO.
ABRA O CAMPARI E SIRVA UMA TAÇA, DEIXE O RESTANTE NA GARRAFA ABERTA.
POR ÚLTIMO ACENDAS AS STE VELAS, EM TORNO DA OFERENDA, FOLHA DAS FOLGAS DE MAMONA QUE FORRAM O CHÃO.
PEDIDOS: PROTEÇÃO CONTRA INIMIGOS, PROTEÇÃO CONTRA DEMANDAS.
LOCAL DA ENTREGA: SOMENTE TERREIROS
HORÁRIO: ATÉ AS 21:00H
***********************************************************************
OFERENDA PARA POMBA GIRA GUARDIÃ MARIA MULAMBO DA LIRA
ELEMENTOS:
1 GARRAFA DE VINHO SUAVE
1 VIDRO DE PERFUME PARA POMBA GIRA
3 CIGARRILHAS
3 CACHOS DE UVAS REGADAS COM MEL (DE PREFERÊNCIA TRES QUALIDADES DIFERENTES)
1 ROSA VERMELHA
3 VELAS VERMELHAS
1 CESTA PARA AS FRUTAS
FOLHA DE PAPEL DE SEDA PARA FORRAR O CHÃO
FOLHAS DE PARREIRA, ROSEIRA OU LARANJEIRA PARA FORRAR A CESTA.
LAVE E ENXUGUE A CESTA, FORRE COM AS FOLHAS VERDES, ARRUME OS CACHOS DE UVAS, REGUE COM O MEL, COLOQUE AS MOEDAS, UMA A UMA MENTALIZANDO O QUE DESEJA, COLOQUE A ROSA NO CENTRO DA CESTA ( A MESMA DEVE ESTAR SEM ESPINHOS E O CABO DEVE SER UM POUCO CORTADO, DE MODO À CABER NA CESTA.
ABRA A GARRAFA DE VINHO E COLOQUE EM UMA TAÇA, O RESTANTE DEIXE DENTRO DA GARRAFA, AO LADO DA CESTA.
ACENDA AS CIGARRILHAS FORA DO PAPEL DE SEDA.
ACENDA AS VELAS, FORMANDO UM TRIÂNGULO COM A PONTA PARA CIMA.
RECOLHA TODO MATERIAL, COMO SACOLAS ETC.
BORRIFE A OFERENDA COM O PERFUME E AINDA BORRIFANDO O CAMINHO, SAIA SEM DAR AS COSTAS PARA A OFERENDA, MAIS OU MENOS SETE PAÇOS, AFIRME O QUE DESEJA, E LEVE O PERFUME CONSIGO, GUARDE-O PARA UMA PRÓXIMA OFERENDA.
ASSIM QUE SEU PEDIDO REALIZAR-SE, REPITA A OFERENDA E DEIXE LÁ O PERFUME.
LOCAL DE ENTREGA: ENCRUZILHADAS EM FORMA DE T DE CHÃO BATIDO, LONGE DA CIDADE, PRAÇAS OU JARDINS.
HORÁRIO: ATÉ AS 21:00H
PEDIDOS: AMOR, ALEGRIA DE VIVER, AUTO ESTIMA.
VER TODOS OS PROCEDIMENTOS QUE ENVOLVEM MA OFERENDA.
**********************************************************************
OFERENDA PARA POMBA GIRA GUARDIÃ MARIA MULAMBO DAS ROSAS
ELEMENTOS:
ROSAS VERMELHAS ABERTAS ( 7,14 OU 21 ROSAS) SEM OS ESPINHOS
7 CIGARROS LONGOS ACESOS AO LADO DA OFERENDA, NUM CINZEIRO DE BARRRO OU PRATO DE BARRO
1 CAIXA DE FÓSFOROS, QUE DEVE FICAR ABERTA AO LADO DA OFERENDA
3 VELAS VERMELHAS
3 FOLHAS DE MAMONA
1 GARRAFA DE LICOR DE CACAU
FORRE O CHÃO COM AS 7 FOLHAS DE MAMONA, FORMANDO UM CÍRCULO, EM CIMA DE CADA FOLHA, COLOQUE UMA ROSA, COM AS PÉTALAS PARA A PARTE DE DENTRO E OS CABOS PARA A PARTE DE FORA DO CÍRCULO. ABRA O LICOR E REGUE UM POUQUINHO, CADA FOLHA DE MAMONA, E DEIXE A GARRAFA NO CENTRO DO CÍRCULO.
ACENDA AS 3 VELAS NO CENTRO DO CÍRCULO, PODEM SER ACESAS EM CIMA DE UM PRATINHO DE BARRO E DEVEM FICAR BEM FIRMES, EM VOLTA DESSAS VELAS, ACENDA OS 7 CIGARROS, COM AS BRASAS PARA FORA E OS FILTROS PARA A PARTE DE DENTRO, ONDE ESTÃO AS VELAS.
LOCAL DE ENTREGA: PRAÇAS OU JARDINS, PREFERENCIALMENTE TERREIROS.
HORÁRIO: ATÉ AS 21:00 HORAS
PEDIDOS: SUCESSO NA CARREIRA, PROMOÇÕES, VIAGENS, AMOR
SEMPRE QUE POSSÍVEL, FAÇA A ENTREGA EM TERREIROS, OU NO CASO DE ENTREGAS EM OUTROS LOCAIS, SE POSSÍVEL, ESPERE AS VELAS QUEIMAREM OU RETORNE APÓS ALGUMAS HORAS PARA RECOLHER OS ELEMENTOS NÃO ORGÂNICOS E JOGÁ-LOS NO LIXO ADEQUADO.
**********************************************************************

OFERENDA PARA POMBA GIRA MARIA PADILHA DA ENCRUZILHADA

Seguir procedimentos básicos para oferendas

MATERIAL

PREPARO: Seguir todos os passos

1 cesta de palha ou vime

7 maçãs vermelhas inteiras regadas com mel

7 rosas vermelhas (abertas e sem espinhos)

7 cigarrilhas

7 pulseiras (douradas de metal)

7 morangos (regados com mel)

7 velas vermelhas

1 batom vermelho

1 vidro de perfume (gostoso, mais não precisa ser caro)

1 garrafa de licor de cacau

Montar um arranjo com todos os presentes, na cesta.

Entregar em local adequado.

Obrigação a Maria Padilha para Abertura de Caminhos

Um padê com Camarão salgado e cebola ralada com azeite-de-dendê. Rodelas de cebola, rodelas de tomate. Um bife passado no azeite-de-dendê, cigarros ou cigarrilhas. Treês velas, fósforos, azeitonas pretas, sete rosas vermelhas. Uma Garrafa de Cidra

Com o se fazer:

Coloque o Padê no alguidar e vá arrumando tudo (enfeitando da melhor maneira) em cima do padê, acenda as velas na frente do trabalho, estore a cidra, reze a Oração a Pomba Gira, e faça seus pedidos a Pomba Gira Maria Padilha ou a uma das Pomba Giras que citei acima.

Fazer o pedido e colocar tudo na encruzilhada.

ORAÇÃO PARA MARIA PADILHA

Salve nossa Rainha da noite, Salve nossa tão gloriosa Maria Padilha.

São 12 horas em ponto e o sino já bateu. Sei que nesta hora, pela força do vento a poeira vai subir, e com ela também subirá todo o mal que estiver no meu corpo, no meu caminho e na minha casa. Tudo se afastará da minha vida. É com a força e Axé de Maria Padilha que meus caminhos, a partir deste momento em que os ponteiros se separam, estarão livres de todos os males materiais e espirituais, pois a luz que clareia o caminho de Maria Padilha também há-de clarear s meus caminhos, para isto estarei sempre de posse desta oração.

E claro que não iria esquecer de colocar os Pontos da Pomba Gira Maria Padilha.

Ebó para tirar queimação e fortalecer oris

MATERIAL DO EBÓ

Panela de barro

9 Ovos

9 Cebolas

Dendê

Peneira pequena

Mel

Morim branco

MODO DE FAZER:

Pegue uma panela de barro coloque em sua frente, passe em todo o corpo 9 ovos, e as 9 cebolas, coloque dentro desta panela e cubra com dendê, em seguida coloque a peneira na boca desta panela e derrame o mel, e peça as forças da Terra que tire tudo de ruim de sua vida, ebo, feitiços, olho grande e queimação, e que seus inimigos não possam lhe enxergar. Este ebo será

feito em local de mato queimado e/ou seco, e que tenha formigueiro perto,

então cubra com o morim branco, e ao chegar em casa tome banho com

sabão da costa e/ou sabão de coco.

Após o Ebó prescrito acima aconselha-se a fazer o seguinte banho abaixo —>> 

BANHO FORTALECER ORI (sua cabeça, sua espiritualidade, suas forças, sua proteção, seu anjo da guarda)

MODO DE FAZER:

Pegue água de coco verde, quine dentro de uma vasilha com folhas de algodoeiro, elevante, e tome este banho varias vezes sempre ao amanhecer, antes tome banho com sabão da costa e/ou sabão de coco, após feito isto tome banho com as ervas, logo a seguir coloque um akasa em sua cabeça e amarre com um morim branco e fique pôr duas horas, depois leve em um

jardim e coloque em baixo de uma arvore.

OFERENDA PARA POMBA GIRA MARIA PADILHA DA ENCRUZILHADA

Seguir procedimentos básicos para oferendas

MATERIAL

1 cesta de palha ou vime

7 maçãs vermelhas inteiras regadas com mel

7 rosas vermelhas (abertas e sem espinhos)

7 cigarrilhas

7 pulseiras (douradas de metal)

7 morangos (regados com mel)

7 velas vermelhas

1 batom vermelho

1 vidro de perfume (gostoso, mais não precisa ser caro)

1 garrafa de licor de cacau

PREPARO: Seguir todos os paços para oferendas, ver a postagem oferenda para Pomba Gira Sete Saias.

Montar um arranjo com todos os presentes, na cesta.

Entregar em local adequado.

     

Seu Zé Pelintra, assim como outros guias que trabalham no Catimbó, trabalha também na umbanda.

Na medida em que o Catimbó entra na área urbana, território típico da Umbanda, ou mesmo a Umbanda vai para o interior estas duas práticas tem que se encontrar. É neste momento que certamente Zé Pelintra entra para o Catimbó.Isto certamente ocorre nos centros onde pessoas de Umbanda também trabalham com mestres e provavelmente já eram de Umbanda e absorvem o Catimbó em um movimento muito típico da Umbanda que absorve várias Religiões e Culturas.

No Catimbó ele é Mestre, e por ser uma entidade diferente das que são cultuadas na Umbanda, ele não trabalha numa linha específica, porém, sua participação mais ativa seria na gira de baianos e, em alguns casos, na linha da esquerda, como exú. Sua principal marca é ser um espírito “boêmio”, “malandro” e brincalhão e, mesmo assim, trabalha com muita responsabilidade. Seu Zé cobra muito de seus médiuns, cobra por seriedade, entrega, disciplina, dentre outras virtudes.

Na direita ele vem na linha de baianos, fuma cigarro, bebe batida de coco ou simplesmente cachaça. É representado por uma tradicional vestimenta (calça branca, sapato branco, terno branco, gravata vermelha e chapéu branco com uma fita vermelha).

ze_pilintra_by_peff7

CARACTERÍSTICAS MARCANTES

A primeira é ser muito brincalhão, gostar muito de dançar, de mulheres e de bebida. Mas é muito comum, também, encontrá-lo mais sério, parado em um canto, assim como sua imagem gosta de representá-lo olhando para o movimento ao seu redor. Contudo, quando ele vira para a esquerda, ele pode vir trajado de um terno preto, calças e sapatos também pretos, gravata vermelha e uma cartola,fumando charutos, bebendo conhaque e uísque, até – em alguns casos – usa uma capa preta. Mas seja do lado que for, você sempre verá um Zé Pilintra coms eu pito (cigarros ou cigarrilhas), um uma bebidinha nas mãos, sempre muito brincalhão e extrovertido.

REPRESENTAÇÃO E ORIGENS

Personagem bastante conhecido seja por freqüentadores das religiões onde atua como entidade,  por sua notável malandragem, Seu Zé tem sua imagem reconhecida como um ícone, um representante, o verdadeiro estereótipo do malandro, ou porque não dizer, da malandragem brasileira e mais especificamente, carioca. Trata-se de uma corrente que, de uma forma ou de outra, permeia o imaginário popular da cultura brasileira e, portanto, carrega suas egrégoras tanto como outras.

Um do seu maior destaque está justamente no fato do Seu Zé ter uma tremenda elegância e competência, mesmo sendo negro (levando em consideração que, para a época em que os negros e brancos viviam praticamente isolados, apesar da existência de uma numerosa população mestiça nas grandes cidades brasileiras, e que desse abismo social implicava também uma grande divisão financeira de classe social). É como se a figura do Seu Zé torna-se representativa da própria dignidade do negro, deixando para trás a idéia de um negro “arrasta-pé”, maltrapilho ou simples trabalhador braçal.

Em sua origem, Seu Zé torna-se famoso primeiramente no Nordeste… Primeiro como freqüentador dos catimbós e, depois como entidade dessa religião. Vale destacar aqui que o Catimbó está inserido no quadro das religiões populares do Norte e Nordeste e traz consigo a relação com a pajelança indígena e os candomblés de caboclo muito difundidos na Bahia.

Conta-se que ainda jovem era um caboclo violento que brigava por qualquer coisa mesmo sem ter razão. Sua fama de “erveiro” vem também do Nordeste. Seria capaz de receitar chás medicinais para a cura de qualquer mal, benzer e quebrar feitiços dos seus consulentes. De acordo com Ligiéro (2004), Seu Zé migra para o Rio de janeiro onde se torna nas primeiras três décadas do século XX um famoso malandro na zona boêmia carioca, a região da Lapa, Estácio, Gamboa e zona portuária. Segundo relatos históricos Seu Zé era grande jogador, amante das prostitutas e inveterado boêmio.

Contudo, há outra história que conta que Seu Zé teria nascido no povoado de Bodocó, sertão pernambucano próximo a cidadezinha que leva o nome de Exu, à qual segundo o próprio Zé Pilintra quando manifestado numa mesa de catimbó, foi batizada com este nome em sua homenagem, já que sua família era daquela região antes mesmo de se tornar cidade. Fugindo da terrível seca de meados do século passado que abatia todo o sertão, a família do então “José dos Santos” rumou para a Capital Recife em busca de uma vida melhor, mas o destino lhe pregou uma preça que culminou com a morte da mãe, antes mesmo que o menino Zé completasse 3 anos. Logo em seguida, morreria seu pai de tuberculose.

José então ficou orfão e teve que enfrentar o mundo juntamente com seus sete irmãos menores. Cresceu no meio da malandragem, dormindo no cais do porto e sendo menino de recados de prostitutas. Sua estatura alta e forte granjeou-lhe respeito no meio da malandragem. Conta-se que, certa vez, Zezinho, como também era conhecido, teve que enfrentar cinco policiais numa briga no cabará da Jovelina, no bairro de Casa Amarela. Um dos soldados recebeu um corte de peixeira no rosto que decepou-lhe o nariz e parte da boca. Doze tiros foram disparados contra Zezinho, mas nenhum deles o atingiu. Diziam que ele tinha o corpo fechado. Antes que chegassem reforços, Zezinho já tinha fugido ileso, indo se esconder na casa do coronel Laranjeira, um poderoso usineiro pernambucano, protetor do rapazote e família. Em decorrência deste episódio, Zezinho ganhou o apelido de Zé Pilintra Valentão, nome esse dado pelos próprios soldados da polícia pernambucana. Pilintra significa pilantra, malandro, janota etc. Assim, entre trancos e barrancos, Seu Zé consegue fazer fama na cidade de Recife e criar seus irmãos até a maior idade.
Quanto a sua morte, autores descordam sobre como esta teria acontecido. Afirma-se que ele poderia ter sido assassinado por uma mulher, um antigo desafeto, ou por outro malandro igualmente perigoso. Porém, o consenso entre todas essas hipóteses é de que fora atacado pelas costas, uma vez que pela frente, afirmam, o homem era imbatível.

Para Zé Pelintra a morte representou “um momento de transição e de continuidade”, afirma Ligiéro, e passa a ser assim, incorporado à Umbanda e ao Catimbó. Todavia, a principal história que seu Zé Pelintra quer escrever, é a da caridade, tanto aquela que ele dedicou aos seus entes queridos e pares de sangue, como também àqueles em que deveu um auxílio e apoio mútuo quando em vida. É assim que seu Zé Pelintra, hoje ao lado do espírito dos seus irmãos e irmãs em vida, formaram uma bela Falange de malandros de luz, que vêm ajudar aqueles que necessitam.

FAMÍLIA PILINTRA

Além do Zé Pilintra, há espíritos mentores, como ele, também conhecidos como Antônio Pilintra, Maria Pilintra, João Pilintra, Joana Pilintra, Mané Pilintra e Rosa Pilintra. Mas ainda, há suas qualidades de Zé Pilintras viradas na esquerda, que ganham atributos específicos da vida do Seu Zé, como Seu Zé Malandrinho, Seu Malandro, Malandro das Almas, Zé da Brilhantina, Malandro da Madrugada, Zé Malandro, Zé Pretinho, Zé da Navalha, Zé do Morro, e por aí vai. Só vale ressaltar que os Malandros não são exus, embora venham na Linha de Esquerda. Ao contrário dos Exus que estão nas encruzilhadas, encontramos os malandros em bares, subidas de morros, festas e muito mais.

Aqui, gostaria de fazer uma especial contribuição sobre uma Guia, muuuuuito importante na minha vida mediúnica. A baiana que eu trabalho desde o meu primeiro dia de Filha de Santo, na Umbanda, Sra. JOANA PILINTRA! Trabalho com ela há 5 anos e desde então, aprendi muito com suas histórias. Em vida, foi mãe de 3 filhos. Trabalhou nas louvas de Milho enquanto o marido foi tentar a sorte no ciclo da borracha, nos seringais. Ela sempre se intitula devota de Nossa Senhora da Glória. Solitária mas muito bonachona, penso na Joana quando penso naquelas mulheres de avental, saia, blusa de campanha e lenço na cabeça. Mulher da Lida!! Mão calejada do trabalho da roça e de casa. Mas, a noite, depois do banho, era Senhora Vaidosa. Sempre em seus vestidos de tecidos muito simples mas rendeiros, Joana só se dedicava, ora aos filhos, ora a comunidade. ‘Rezedeira’, como ela mesma diz, era daquelas que conhecia todo mundo, que era chamada pra ir na casa de todo mundo, mas particularmente na dela, ela não gostava de receber. Dona de uma generosidade sem fim, ao mesmo tempo que ela pode ser carinhosa e  cuidadosa, também já a vi dura e rígida. Como mãe que dá a palmatória certa nas horas que tem que dar. Sua fala é comprida… adora uma boa prosa. Mas quando dá pra falar curto e grosso… hummm. Segura! A língua fica maior do que a boca.

Acho que aprendi com ela e com a Família Pilintra esse lado, ri para resistir!!

Dançar, beber e brincar, sem abusar. Porque a vida não é feita só de excessos… é também senhora da moderação.  Com eles, percebi quanto dessa luta e dessa gana sou capaz de reinventar, todos os dias, para eu mesma suportar as peripécias que esse mundo dá. E, ao mesmo tempo, fazer da aflição do outro, um motivo de se motivar e prosseguir, como quem trilha sua própria tristeza e avança. Porque vê no outro e projeta na caridade e generosidade alheia a mesma dedicação e o mesmo esforço que tanto precisa ter e desenvolver na vida para dignar a si mesma.

TIRA TEIMA:

  • Comida: carne seca com farofa ou escondidinho de macaxera, que é o mesmo que mandioca. (Na esquerda, acrescentar pimenta vermelha)
  • Bebida: Cerveja branca bem gelada
  • Locais de vibração: Subida de Morros, Cemitérios, bares, zonas portuárias, áreas boêmias
  • Cor: Vermelho e Branco ou Preto e Branco, ou ainda somente o Preto

Peixe frito para Zé Pilintra

Ingredientes:

1 kg de manjubas ou sardinhas,

suco de limão,

sal à gosto,

um prato de farinha de mandioca,

azeite de dendê.

Modo de preparar:

Socar a pimenta e misturar com o suco de limão e sal.

Limpar os peixes e os colocar no tempero, deixando – ospor alguns minutos para que se pegue o gosto.

Colocar o azeite numa frigideira d deixe que aqueça bem.

Escorra cada peixe, passe na farinha e frite. Depois de tudo pronto, arrume – os num alguidar.

Servir com cerveja clara, cigarros, 07 cravos vermelhos, 07 velas brancas.

Salve seu Zé Pilintra!
Saravá a Família Pilintra!!
Salve a corrente dos Malandros! !!

Igba exu

Igba exu ou assentamento de exu como é chamado comumente pelo povo de santo, são confeccionados de várias formas, muitos são vistos em panela de ferro, alguidá, panela de barro, muitas vezes modelado com tabatinga, em forma humana completa, ou apenas busto, com olhos e boca feito de búzios. Igba exu também pode ser representado por uma pedra, preferencialmente de laterita ou um montículo de terra, contendo vários elementos do reino animal, vegetal e mineral.

Uma mistura especial é feita pelo babalorixá ou iyalorixá, em conjuto com a Iyamorô, contendo azeite-de-dendê, mel, vinho, diversos tipos de bebida alcoolica e sal. As folhas sagradas de exu são maceradas com enxofre, mercúrio, carvão vegetal, inúmeros tipos de pimentas, não pode faltar (atarê, lelecun, begerecum, aridan e aberê).

Pelo menos sete tipos de metais são colocados: Ouro, prata, cobre, zinco, ferro, níquel e estanho, depois de ser banhado em água sagrada. Juntando-se tudo a terra de sete encruzilhadas e de alguns estabelecimentos comerciais e coloca no respectivo recipiente, ornando com os tridentes e lanças, moedas antigas e atuais, e muitos búzios. Deve conter no assentamento pelo menos uma quartinha com quatro búzios dentro, para fazer a consulta em momento oportuno.

Nota: Todos assentamentos (igba orixá), devem ser preparados e sacralizados em rituais próprios por Babalorixas ou Iyalorixas.

Èsù é um Orixá africano, também conhecido como: Exu, Esu, Eshu, Bara, Ibarabo, Legbá, Elegbara, Eleggua, Akésan, Igèlù, Yangí, Ònan, Lállú, Tiriri, Ijèlú. Algumas cidades onde se cultua o Exu são: OndoIlesaIjebuAbeokutaEkitiLagos.

Exu é o orixá da comunicação. É o guardião das aldeias, cidades, casas e do axé, das coisas que são feitas e do comportamento humano. A palavra Èsù em yorubá significa “esfera” e, na verdade, Exu é o orixá do movimento.

Ele é quem deve receber as oferendas em primeiro lugar a fim de assegurar que tudo corra bem e de garantir que sua função de mensageiro entre o Orun e o Aiye, mundo material e espiritual, seja plenamente realizada.

Na África na época das colonizações, o Exu foi sincretizado erroneamente com o diabo cristão pelos colonizadores, devido ao seu estilo irreverente, brincalhão e a forma como é representado no culto africano, um falo humano ereto, simbolizando a fertilidade.

Por ser provocador, indecente, astucioso e sensual é comumente confundido com a figura de Satanás, o que é um absurdo dentro da construção teológica yorubá, posto que não está em oposição a Deus, muito menos é considerado uma personificação do Mal.Mesmo porque nesta religião não existem diabos ou mesmo entidades encarregadas única e exclusivamente por coisas ruins como fazem asreligiões cristãs, estas pregam que tudo o que acontece de errado é culpa de um único ser que foi expulso, pelo contrário na mitologia yoruba, bem como no candomblé cada uma das entidades (Orixás) tem sua porção positiva e negativa assim como o próprio ser humano.

De caráter irascível, ele se satisfaz em provocar disputas e calamidades àquelas pessoas que estão em falta com ele.

No entanto, como tudo no universo, possui de um modo geral dois lados, ou seja: positivo e negativo. Exu também funciona de forma positiva quando é bem tratado. Daí ser Exu considerado o mais humano dos orixás, pois o seu caráter lembra o do ser humano que é de um modo geral muito mutante em suas ações e atitudes.

Conta-se na Nigéria que Exu teria sido um dos companheiros de Oduduà quando da sua chegada a Ifé e chamava-se Èsù Obasin. Mais tarde, tornou-se um dos assistentes de Orunmilá e ainda Rei de Ketu, sob o nome de Èsù Alákétú.

A palavra elegbara significa “aquele que é possuidor do poder (agbará)” e está ligado à figura de Exu.

Um dos cargos de Exu na Nigéria, mais precisamente em Oyó, é o cargo denominado de Èsù Àkeró ou Àkesán, que significa “chefe de uma missão”, pois este cargo tem como objetivo supervisionar as atividades do mercado do rei.

Exu praticamente não possui ewós ou quizilas. Aceita quase tudo que lhe oferecem.

Os yorubás cultuam Exu em um pedaço de pedra porosa chamada Yangi, ou fazem um montículo grotescamente modelado na forma humana com olhos, nariz e boca feita de búzios. Ou ainda representam Exu em uma estatueta enfeitada com fileiras de búzios tendo em suas mãos pequeninas cabaças onde ele, Exu, carrega diversos pós de elementais da terra utilizados de forma bem precisa, em seus trabalhos.

Exu tem a capacidade de ser o mais sutil e astuto de todos os orixás. E quando as pessoas estão em falta com ele, simplesmente provoca mal entendidos e discussões entre elas e prepara-lhes inúmeras armadilhas. Diz um orìkì que: “Exu é capaz de carregar o óleo que comprou no mercado numa simples peneira sem que este óleo se derrame”.

E assim é Exu, o orixá que faz: O erro virar acerto e o acerto virar erro.

Èsù Alákétú possui essa denominação quando Exu, através de uma artimanha, conseguiu ser o Rei da região, tornando-se um dos Reis de Ketu. Sendo que as comunidades dessa nação no Brasil, o reverenciam também com este nome.

Todos os assentamentos de Exu possuem elementos ligados às suas atividades. Atividades múltiplas que o fazem estar em todos os lugares: a terra, pó, a poeira vinda dos lugares onde ele atuará. Ali estão depositados como elemento de força diante dos pedidos.

[editar]Brasil

Exu.

No Brasil, no candombléExu é um dos mais importantes Orixás e sempre é o primeiro a receber as oferendas, as cantigas, as rezas, é saudado antes de todos os Orixás, antes de qualquer cerimônia ou evento. O Exu Orixá não incorpora em ninguém para dar consultas como fazem os Exus de Umbanda, eles são assentados na entrada das casas de candomblé como guardiões, e em toda casa de candomblé tem um quarto para Exu, sempre separado dos outros Orixás, onde ficam todos os assentamentos dos exus da casa e dos filhos de santo que tenham exu assentado.

É astucioso, vaidoso, culto e dono de grande sabedoria, grande conhecedor da natureza humana e dos assuntos mundanos daí a assimilação com o diabo pelos primeiros missionários que, assustados, dele fizeram o símbolo da maldade e do ódio. Porém ” … nem completamente mau, nem completamente bom … “, na visão de Pierre Verger no texto de sua autoria “Iniciação” – contido no documentário Iconografia dos Deuses Africanos no Candomblé da Bahia, Exu reage favoravelmente quando tratado convenientemente, identificado no jogo do merindilogun pelo oduokaran.

Sacrifício para Exu.

Exu recebe diversos nomes, de acordo com a função que exerce ou com suas qualidades: Elegbá ou Elegbará, Bará ou Ibará, Alaketu, Agbô, Odara, Akessan, Lalu, Ijelu (aquele que rege o nascimento e o crescimento de tudo o que existe), Ibarabo, Yangi, Baraketu (guardião das porteiras), Lonan (guardião dos caminhos), Iná (reverenciado na cerimônia do padê).

segunda-feira é o dia da semana consagrado a Exu. Suas cores são o vermelho e o preto; seu símbolo é o ogó (bastão com cabaças que representa o falo); suas contas e cores são o preto e o vermelho; as oferendas são bodes e galos, pretos de preferência, e aguardente, acompanhado de comidas feitas no azeite de dendê. Aconselha-se nunca lhe oferecer certo tipo de azeite, o Adí, por ser extraído do caroço e não da polpa do dendê e portar a violência e a cólera. Sua saudação é “Larôye!” que significa o bem falante e comunicador.

Consiste o padê em um prato de farofa amarela, acaçá, azeite-de-dendê e um copo de água ou cachaça, que são “arriados” para Exu.

Na nação de angola ou candomblé de Angola Exu recebe o nome de Aluvaiá, pambu Njila, Pambu Njila, e Legbá, no Candomblé Jeje.

Não deve ser confundido com a entidade Exu de Umbanda.pois os exus de umbanda sao entidades de pessoas desencarnadas que por motivos de evoluçao espiritual retornaram a terra para cumprir essa missao junto ao seus seguidores . essas entidades sao confundidas com esu ou exu do candonble devido a proximidade que exu tem com os homens,mas na verdade nao sao considerados orixas como o esu(exu)e sim quiumbas que sao conhecedores das vontades dos homens e mulheres no plano terrestre por teren vivido em epocas diferentes mas com os mesmos problemas desejos e sonhos. No candomble de angola (naçao bantu,congo moxicongo)cultuamos as entidades de exu e pombagiras como ancestrais que por motivos espirituais nos trazem recados,cantigas,avisos,mas totalmente distinto do orixa esu ou ate mesmo de (pambu njila) que e a porçao feminina de esu no angola. por varios nomes podemos reconhecer os quiumbas exus de umbanda,exu tiriri,tranca ruas,exu veludo,exu gira mundo,capa preta,pinga fogo,veludo tata caveira … a palavra “pombagira” na verdade e um pronuncia “abrasileirada” do lingua bantu africana pombogira Pampu Nijila que por ser uma porçao mais feminina do mesmo exu africano se confindiu com a entidade feminina de exu na umbanda. ex:maria molambo pombogira muito conhecida no nordeste rio de janeiro,por suas graças e gracejos por suas palavras fortes e caracteristica de mulher revolucionaria guerreira tem seus devotos fiesis ,Maria Padilha,conhecida assim como Maria Molambo tambem tem seus seguidores sao as mais conhecidas nos candombles de angola entre outras estao Maria Zureta,Catarina ,Dama da Noite ,Sombra da noite,Sete encruzilhadas,Rosa dos ventos ,Rosa vermelha,Maria Bandida ,Dona Navalha.

Arquétipos

Seus filhos são sensuais, dominadores e inteligentes. Gostam da vida cercada de barulho, muitas pessoas e romances de todo tipo. Adoram festas e não se prendem a ninguém, são muito impulsivos. Mas se amam alguém, dão sua vida se for preciso, sem pensar em nada. Gostam de ajudar e trabalhar, mas podem se tornar vingativos e extremamente cruéis.

CLASSIFICAÇÃO DOS EXUS

CLASSIFICAÇÃO MORAL (BEM OU MAL): EXÚ PAGÃO OU EXÚ BATIZADO?

Alguns espíritos, que usam indevidamente o nome de Exu, procuram realizar trabalhos de magia dirigida contra os encarnados. Na realidade, quem está agindo é um espírito atrasado. É justamente contra as influências maléficas, o pensamento doentio desses feiticeiros improvisados, que entra em ação o verdadeiro Exu, atraindo os obsessores, cegos ainda, e procurando trazê-los para suas falanges que trabalham visando a própria evolução.
O chamado “Exú Pagão” é tido como o marginal da espiritualidade, aquele sem luz, sem conhecimento da evolução, trabalhando na magia para o mal, embora possa ser despertado para evoluir de condição.
Já o Exu Batizado, é uma alma humana já sensibilizada pelo bem, evoluindo e, trabalhando para o bem, dentro do reino da Quimbanda, por ser força que ainda se ajusta ao meio, nele podendo intervir, como um policial que penetra nos reinos da marginalidade.
Não se deve, entretanto, confundir um verdadeiro Exú com um espíritos zombeteiros, mistificadores, obsessores ou perturbadores, que recebem a denominação de Kiumbas e que, às vezes, tentam mistificar, iludindo os presentes, usando nomes de “Guias”.
Para evitar essa confusão, não damos aos chamados “Exus Pagões” a denominação de “Exu”, classificando-os apenas como Kiumbas. E reservamos para os ditos “Exus Batizados” a denominação de “Exu”.

CLASSIFICAÇÃO PELOS PONTOS DE VIBRAÇÃO DOS EXUS

Exus do Cemitério:
São Exus que, em sua maioria, servem à Obaluaiê. Durante as consultas são sérios, reservados e discretos, podem eventualmente trabalhar dando passes de limpeza (descarregando) o consulente. Alguns não dão consulta, se apresentando somente em obrigações, trabalhos e descarregos.

Exus da Encruzilhada:
São Exus que servem a Orixás diversos. Não são brincalhões como os Exus da estrada, mas também não são tão fechados como os do cemitério. Gostam de dar consulta e também participam em obrigações, trabalhos e descarregos. Alguns deles se aproximam muito (em suas características) dos Exus do cemitério, enquanto outros se aproximam mais dos Exus da estrada.

Exus da Estrada:
São os mais “brincalhões”. Suas consultas são sempre recheadas de boas gargalhadas, porém é bom lembrar que como em qualquer consulta com um guia incorporado, o respeito deve ser mantido e sendo assim estas “brincadeiras” devem partir SEMPRE do guia e nunca do consulente. São os guias que mais dão consultas em uma gira de Exu, se movimentam muito e também falam bastante, alguns chegam a dar consulta a várias pessoas ao mesmo tempo.

ORGANIZAÇÃO E HIERARQUIA DOS EXUS:

Os Exus, estão também, divididos em hierarquias. Onde temos desde Exus muito ligados aos Orixás até aqueles Exus ligados aos trabalhos mais próximos às trevas.
Os exus dividem-se hierarquicamente, em três planos ou três ciclos e em sete graus e a divisão está formada “de cima para baixo” :

TERCEIRO CICLO
Contém o Sétimo, Sexto e Quinto graus.
Neste Ciclo encontramos os chamados Exus Coroados. São aqueles que tem grande evolução, já estão nas funções de mando. São os chefes das falanges. Recebem as ordens diretas dos chefes de legiões da Umbanda. Pouco são aqueles que se manifestam em algum médium. Apenas alguns médiuns, bem preparados, com enorme missão aqui na Terra, tem um Exu Coroado como o seu guardião pessoal. São os guardiões chefes de terreiro. Não mais reencarnam, já esgotaram há tempos os seus karmas.

• Sétimo Grau – Estão os Exus Chefe de Legião e para cada Linha da Umbanda, temos Um Exu no Sétimo Grau, portanto, temos Sete Exus Chefes de Legião
• Sexto Grau – Estão os Exus Chefes de Falange. São Sete Exus Chefes de Falange subordinados a cada Exu Chefe de Legião, portanto, temos 49 Exus Chefes de Falange.
• Quinto Grau – Estão os Exus Chefes de Sub-Falange. São Sete Exus Chefes de Sub-Falange subordinados a cada Exu Chefe de Falange, portanto, são 343 Exus Chefes de Sub-Falange.

SEGUNDO CICLO
Contém o Quarto Grau.
Neste Ciclo encontramos os chamados Exus Cruzados ou Batizados. São subordinados dos Exus Coroados. Já tem a noção do bem e do mal. São os exus mais comuns que se manifestam nos terreiros. Também, tem funções de sub-chefes. Fazem parte da segurança de um terreiro. O campo de atuação destes exus está nas sombras (entre a Luz e as Trevas). Estão ainda nos ciclos de reencarnações.

• Quarto Grau – Estão os Exus Chefes de Agrupamento. São Sete Exus Chefes de Agrupamento e estão subordinados a cada Exu Chefe de Sub-Falange, portanto, são 2401 Exus Chefes de Agrupamento.

PRIMEIRO CICLO
Contém o Terceiro, Segundo e Primeiro Graus.
Temos dois tipos de Exus neste ciclo :
o Exus Espadados – São subordinados do Exus Cruzados. O seu campo de atuação encontra-se entre as sombras e as trevas.
o Exus Pagãos (Kiumbas) – São subordinados aos exus de nível acima. São aqueles que não tem distinção exata entre o bem e o mal. São conhecidos, também como “rabos-de-encruza”. Aceitam qualquer tipo de trabalho, desde que se pague bem. Não são confiáveis, por isso.
São comandados de maneira intensiva pelos Exus de hierarquias superiores. Quando fazem algo errado, são castigados pelos seus chefes, e querem vingarem-se de quem os mandou fazer a coisa errada.São kiumbas, capturados e depois adaptados aos trabalhos dos Exus.
O campo de atuação dos Exus Pagãos, é as trevas. Conseguem se infiltrar facilmente nas organizações das trevas. São muito usados pelos Exus dos níveis acima, devido esta facilidade de penetração nas trevas.

• Terceiro Grau – Estão os Exus Chefes de Coluna. São Sete Exus Chefes de Coluna e estão subordinados a cada Exus Chefes de Agrupamento, portanto, são 16807 Exus Chefes de Coluna.
• Segundo Grau – Estão os Exus Chefes de Sub-Coluna. São Sete Exus Chefes de Sub-Coluna e estão subordinados a cada Exu Chefe de Coluna, portanto, são 117649 Exus Chefes de Sub-Coluna.
• Primeiro Grau – Estão os Exus Integrantes de Sub-Colunas e são milhares de espíritos nesta função.

Os Exus, em geral, não são bons nem ruins, são apenas executores da Lei.
Ogum, responsável pela execução da Lei, determina as execuções aos Exus.

7º Grau 7 – Chefes de Legião

6º Grau 49 – Chefes de Falange
5º Grau 343 – Chefes de Sub-Falange

4º Grau 2401 – Chefes de Grupamento

3º Grau 16807 – Chefes de Coluna

2º Grau 117649 – Chefes de Sub-Coluna
1º Grau ? – Integrantes de Coluna

Além destes aspectos já abordados, vale à pena mencionar os diversos níveis vibracionais, onde os espíritos ligados à Terra, habitam.

Estes níveis são e foram criados de acordo com cada grau evolutivo. Os níveis estão mais relacionados com o mundo da consciência do que com o mundo físico, ou seja, são mais estados de consciência do que um lugar fisicamente localizado.

Como são níveis gerados por espíritos ligados de alguma forma com a evolução da Terra, estes níveis estão vinculados ao próprio planeta. Portanto, quando vemos descrições de camadas umbralinas localizadas em abismos sob a crosta terrestre, devemos entender que embora elas estejam localizadas com estes espaços físicos, elas estão no lado espiritual deste plano físico.

Temos então, Sete Camadas Concêntricas Superiores e Sete Camadas Concêntricas Inferiores.

A divisão está sempre formada “de cima para baixo” :

Camadas Concêntricas Superiores
Sétima, Sexta e Quinta Camadas – Zonas Luminosas
Seres iluminados, isentos das reencarnações. Cumprem missões no planeta. Estão se libertando deste planeta, muitos já estagiam em outros mundos superiores.

Quarta Camada – Zona de Transição
Espíritos elevados, que colaboram com a evolução dos irmãos menores.

Terceira, Segunda e Primeira Camadas – Zonas Fracamente Iluminadas
A maioria dos espíritos que desencarnam, estão nestas camadas. Estão em reparações e aprendizados para novas reencarnações.

Superfície
Espíritos encarnados

Camadas Concêntricas Inferiores
Sétima Camada – Zona Sub-Crostal Superior
Espíritos sofredores de um modo geral que serão em seguida socorridos e encaminhados a planos mais elevados para adaptação e aprendizado, antes de reencarnarem.

Sexta, Quinta e Quarta Camadas – Zona das Sombras, Zona Purgatoriais ou de Regeneração
Espíritos sofredores purgando parte de seus karmas, e que serão encaminhados o mais rápido possível à reencarnação para novas provas e expiações.

Quarta Camada – Zona de Transição
Entre as sombras e as trevas. Zona de seres revoltados e dementados.

Terceira, Segunda e Primeira Camadas – Zona das Trevas ou Zona Sub-Crostal Inferior
Estes espíritos estão em estágio de insubmissos, renitentes e rebelados às Leis Divinas. Não reconhecem Deus como o Ser mais superior.

A atuação dos Exus, está praticamente em todas as camadas inferiores, com exceção das Terceira, Segunda e Primeira Camadas, que eventualmente eles “descem” para missões especiais ou mandam os rabos-de-encruza, pois estão mais “ambientados” com as baixas e perniciosas vibrações. Não que os Exus não possam “descer” até lá, mas porque é desnecessário criar uma guerra com os seres infernais, apenas porque se invadiu aquelas zonas.
A maioria dos livros espíritas, que tratam do assunto dos níveis vibracionais, não chega sequer a mencionar algo além das camadas intermediárias ou médio e alto umbral. Descrevem na maioria das vezes as camadas que ficam as sombras e não as trevas, pois os espíritos que fazem tais incursões não podem ou não devem “baixar” mais, pois somente cabe aos exus, espíritos especializados “descer” tanto.

CORRESPONDÊNCIA ENTRE OS EXUS E AS DIFERENTES IRRADIAÇÕES DOS ORIXÁS

Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Oxalá:
EXÚ SETE ENCRUZILHADAS Comando negativo da linha
Exú Sete Chaves intermediário para Ogum
Exú Sete Capas intermediário para Oxossi
Exú Sete Poeiras intermediário para Xangô
Exú Sete Cruzes intermediário para Yorimá
Exú Sete Ventanias intermediário para Yori
Exú Sete Pembas intermediário para Yemanjá

Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Yemanjá:
POMBO GIRA RAINHA Comando negativo da linha
Exú Sete Nanguê intermediário para Ogum
Maria Mulambo intermediário para Oxossi
Exú Sete Carangola intermediário para Xangô
Exú Maria Padilha intermediário para Yorimá
Exú Má-canjira intermediário para Yori
Exú Maré intermediário para Oxalá

Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Ibeiji:
EXÚ TIRIRI Comando negativo da linha
Exú Toquimho intermediário para Ogum
Exú Mirim intermediário para Oxossi
Exú Lalu intermediário para Xangô
Exú Ganga intermediário para Yorimá
Exú Veludinho intermediário para Oxalá
Exú Manguinho intermediário para Yemanjá

Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Xangô:
EXÚ GIRA MUNDO Comando negativo da linha
Exú Meia-Noite intermediário para Ogum
Exú Mangueira intermediário para Oxossi
Exú Pedreira intermediário para Oxalá
Exú Ventania intermediário para Yorimá
Exú Corcunda intermediário para Yori
Exú Calunga intermediário para Yemanjá

Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Ogum:
EXÚ TRANCA-RUAS Comando negativo da linha
Exú Tira-teimas intermediário para Oxalá
Exú Veludo intermediário para Oxossi
Exú Tranca-gira intermediário para Xangô
Exú Porteira intermediário para Yorimá
Exú Limpa-trilhos intermediário para Yori
Exú Arranca-toco intermediário para Yemanjá

Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Oxossi:
EXÚ MARABÔ Comando negativo da linha
Exú Pemba intermediário para Ogum
Exú da Campina intermediário para Oxalá
Exú Capa Preta intermediário para Xangô
Exú das Matas intermediário para Yorimá
Exú Lonan intermediário para Yori
Exú Bauru intermediário para Yemanjá

Os Setes Exus Chefes de Falange da Vibração Espiritual de Yorimá:
EXÚ CAVEIRA Comando negativo da linha
Exú do Lodo intermediário para Ogum
Exú Brasa intermediário para Oxossi
Exú Come-fogo intermediário para Xangô
Exú Pinga-fogo intermediário para Oxalá
Exú Bára intermediário para Yori
Exú Alebá intermediário para Yemanjá

RELAÇÕES EXISTENTES ENTRE AS LINHAS DA QUIMBANDA E UMBANDA

Uma vez se entendendo que há uma perfeita harmonia entre as ações dos elementos que compõe as linhas da Quimbanda e da Umbanda, cada elemento destes há um paralelo, um elo de ligação entre a Umbanda e a Quimbanda.

Linhas da Umbanda Linhas da Quimbanda
Linha de Oxalá Linha Malei
Linha de Ogum Linha do Cemitério
Linha de Oxossi Linha dos Caboclos Quimbandeiros
Linha de Xangô Linha de Mossorubi
Linha de Yorimá Linha da Almas
Linha de Ibêji Linha Mista
Linha de Yemanjá Linha Nagô

Há ainda outros elos de ligação entre os Orixás da Umbanda com os Exus da Quimbanda.
No caso de Ogum, há uma manifestação de Ogum, para corresponder com cada uma das sete Linhas da Quimbanda. Vejamos:

Ogum de Malei Linha Malei
Ogum Megê Linha do Cemitério
Ogum Rompe Mato Linha dos Caboclos Quimbandeiros
Linha de Mossorubi
Ogum Megê Linha da Almas
Ogum Xoroquê Linha Mista
Ogum de Nagô Linha Nagô

Referências